Império Oyo

Império Oyo


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O Império de Oyo floresceu do século 17 ao 19 EC no que hoje é o sudoeste da Nigéria. Os Oyo forjaram um império graças às suas formidáveis ​​unidades de cavalaria e assim passaram a dominar outros povos iorubás da região. O Império de Oyo, com sua capital em Old Oyo, perto do rio Níger, prosperou no comércio regional e tornou-se um facilitador central na transferência de escravos do interior da África para a costa e na espera dos veleiros europeus. O comércio de humanidade era tão grande que esta parte da África ficou conhecida simplesmente como 'Costa dos Escravos'. O Oyo acabou sucumbindo aos estados islâmicos em expansão ao norte e, em meados do século 19 EC, o império havia se desintegrado em pequenos chefes rivais.

Origens

O Reino de Oyo, assim como outros estados do povo ioruba na área costeira do sul da África Ocidental (atual Nigéria), afirmava ser descendente de um rei exilado de Ifé (século 11-15 EC). Embora a arqueologia ainda não tenha descoberto conexões concretas entre os vários estados sucessivos do que hoje é a Nigéria, tradições orais, como as do Reino de Benin (século 13-19 dC), localizado a leste de Oyo, falam de um rei de Ife, que não apenas enviou um príncipe para governar outras áreas da região, mas também enviou um mestre artesão para divulgar suas habilidades escultóricas. Nas tradições orais, o fundador do estado de Oyo era um Oranmiyan (também conhecido como Oranyan), filho de Oduduwa, o fundador de Ife. Uma coluna de granito esculpida impressionante de Ife tem 5,5 metros (18 pés) de altura e é conhecida como a Opa Oranmiyan ou 'equipe de Oranmiyan'. A arte Oyo em geral exibe uma notável semelhança com a de Ife e Benin. Por meio desse processo de transferência cultural, os Oyo herdaram uma longa tradição cultural que remonta à cultura Nok da antiga Nigéria (século 5 aC ao século 2 dC).

O Oyo forneceu as infra-estruturas de comando necessárias para organizar o movimento de escravos do interior da África para a costa.

Os principais assentamentos de Oyo estavam dentro e ao redor de Ife, a antiga capital do Reino de Ife, Old Oyo (também conhecido como Oyo Ile ou Katunga), Kusu e Igboho. A partir de 1450 EC, a região prosperou graças ao comércio com estados do norte como Hausaland (século 15-19 EC) e, ao sul, com navios portugueses que navegavam na costa da África Ocidental. No final do século 16 EC, os portugueses juntaram-se aos britânicos, franceses e holandeses, ansiosos por obter uma fatia do lucrativo comércio regional.

Tráfico de escravos

O território de Oyo passou a abranger uma verdadeira mistura de ambientes com porções de floresta tropical, floresta seca, savana e manguezal. O Oyo se beneficiou mais com as regiões de savana, o que facilitou a movimentação e os contatos comerciais com os estados vizinhos. Tal como aconteceu com os estados que prosperaram ao longo do segundo milênio EC na região, o Império de Oyo explorou recursos locais como quiabo, inhame, tâmaras, óleo de palma e peixes. A tecnologia de fundição de ferro permitiu a produção de ferramentas e armas de ferro, enquanto os bens comercializados incluíam nozes de cola, pimenta, marfim, ouro e escravos. Os bens importados incluíam cavalos e bens do Mediterrâneo que haviam cruzado o Saara por meio de caravanas de camelos e depois viajado para o sul através do cinturão de savana e descendo o rio Níger.

História de amor?

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo semanal gratuito por e-mail!

Oyo e Dahomey estiveram em guerra entre 1726 e 1730 CE, um conflito que o Império Oyo acabou vencendo.

Expansão

Embora o Oyo não tenha formado muitas cidades grandes de destaque, os governantes foram capazes de formar um pequeno império graças à sua temível cavalaria e arqueiros - ambos resultado de seus tentáculos comerciais alcançando o norte até as rotas comerciais trans-saarianas. Consequentemente, o reino se expandiu para incluir áreas do sudoeste e, na savana ao norte, adquiriu território de seus vizinhos os estados Borgu e Nupe. O Nupe conquistou Old Oyo por volta de 1535 CE e se manteve até que os reis de Oyo o recuperaram por volta de 1610 CE. Tanto Owu no sul quanto Ede no sudeste tornaram-se estados vassalos de Oyo quando o império atingiu seu pico na primeira metade do século 17 EC, conquistando finalmente 13 reinos rivais.

A motivação para essa expansão territorial era ganhar o controle das lucrativas rotas comerciais regionais ao longo das quais o sal, o ouro e os escravos eram transportados. Isso era particularmente verdadeiro para as áreas costeiras, que mantinham uma relação comercial de longa data com os navios europeus. Os Oyo não tinham tudo à sua maneira, no entanto, como grupos como os Ijesha habitavam áreas florestais onde a cavalaria Oyo não podia ser usada de forma eficaz e a perigosa mosca tsé-tsé estava presente. O mesmo acontecia com os Ekiti que moravam nas colinas que faziam fronteira com o trecho norte das terras de Oyo. O Reino de Benin, no leste, era outro obstáculo formidável para as ambições de Oyo. Curiosamente, o Oyo também adotou ideias culturais, não apenas terras, de seus rivais, notavelmente adotando o proeminente culto aos ancestrais do Nupe em suas próprias práticas religiosas.

Naturalmente, outras potências regionais também estavam ansiosas para controlar as rotas comerciais, notadamente o Reino do Daomé, a oeste. Oyo e Dahomey estiveram em guerra entre 1726 e 1730 EC, um conflito que o Império Oyo acabou vencendo. Depois de 1730 dC, o Daomé consequentemente aceitou a autoridade política de Oyo e este último reivindicou algumas das conquistas costeiras do Daomé, dando ao império seu próprio acesso direto ao mar através do estado tributário de Ajashe (também conhecido como Porto Novo).

Declínio

O Império de Oyo pode ter alcançado o domínio regional, mas uma potência muito maior estava lentamente se posicionando bem ao norte. O século 18 EC já tinha visto uma expansão dos estados islâmicos do norte que embarcaram em uma guerra santa para espalhar sua fé. Essas invasões, chegando cada vez mais ao sul no século 19 EC, causaram graves perturbações no comércio de Oyo e destacaram a fraqueza inerente à configuração política de Oyo. O rei Oyo, o Alafin, já havia entrado em conflito com o conselho de anciãos do estado, o Oyo Mesi, e com o líder militar, o Bashorun (que também liderou o Oyo Mesi). Houve atrito constante ao longo do século 18 EC entre aqueles que queriam o comércio pacífico e aqueles que favoreciam a expansão militar. Essa situação e o controle frouxo dos estados vassalos significavam que o Império de Oyo era realmente um castelo de cartas à espera dos ventos da mudança.

A tempestade veio devidamente na década de 1820 EC na forma do militante muçulmano Fulani e, por fim, a parte norte do Império de Oyo, Ilorin, foi conquistada para se tornar o Emirado Fulani de Ilorin, um posto avançado do grande califado Sokoto (1804- 1903 CE). O resultado dessa perda foi um efeito dominó que viu o Império de Oyo se dividir em estados menores, o que levou a uma maior competição e guerra entre eles. A consequência desse declínio político para os povos iorubás foi catastrófica, pois eles haviam evitado ser feitos escravos até aquele ponto, mas agora eram de longe a maioria dos capturados e enviados para as Américas até que o comércio de escravos terminou aqui em 1850 CE. A área do que é hoje o estado da Nigéria tornou-se uma colônia britânica em 1861 EC, e em 1900 EC os protetorados do Norte e do Sul da Nigéria foram formados. Os dois protetorados uniram-se em 1914 CE, tornaram-se uma federação em 1954 CE e finalmente conquistaram a independência em 1960 CE.


História da Nigéria nos tempos pré-coloniais - Império Oyo

Assim como outras etnias na Nigéria, a história do povo ioruba ainda é polêmica. Existem, no entanto, várias versões das origens das pessoas. O mais contencioso é aquele que traça a origem ao “Oriente”. Isso se deve basicamente às semelhanças entre as culturas iorubá e egípcia, em termos de práticas religiosas, obras de arte, sepultamento e outras práticas tradicionais. A esse respeito, acredita-se que os iorubás provavelmente migraram do Egito para sua localização atual por volta de 2000-1000 a.C. Esta versão foi popularizada pelo Rev. Samuel Johnson em seu livro, História do iorubá (1950). Segundo ele, os iorubás vieram originalmente da região nordeste da África (supostamente como Egito, Iêmen, Meroe Antiga e Arábia). Depois de uma jornada que levou vários anos, eles finalmente se estabeleceram em Ile-Ife. No decorrer da viagem, eles fundaram várias colônias, uma das quais foi Gogobir (Gobir) no atual norte da Nigéria. O grupo que acabou chegando a Ile-Ife foi liderado por Oduduwa, que acabou estabelecendo um reino próspero em Ife e posteriormente enviou seus filhos e netos para encontrar outros reinos iorubás. De acordo com Johnson “que os Yorubas vieram originalmente do oriente, não pode haver a menor dúvida, como seus hábitos, maneiras e costumes, etc., todos comprovam. Com eles, o leste é Meca e Meca é o leste. Tendo fortes afinidades com o Oriente, e Meca é o Oriente assomando tão grande em sua imaginação, tudo o que vem do Oriente, com eles, vem de Meca e, portanto, é natural que se apresentem como originários dessa cidade ”. Historiadores e outros estudiosos, desde então, questionaram esta afirmação que eles acreditam representar uma versão do agora desacreditado Hipótese Hamítica.


A jornada de 8 anos de Oyo é uma lenda indiana essencial no livro de histórias do mundo dos negócios (infográfico)

A intenção desta linha do tempo não é aplaudir a Oyo por seu sucesso. Já foi dito e feito o suficiente. O verdadeiro motivo deste artigo que traça a jornada de Oyo é olhar maravilhado para sua ascensão meteórica, em um período de tempo extremamente curto, de uma start-up de rede de hotéis perseguida por um estudante de 18 anos que abandonou a faculdade até tornando-se uma obsessão asiática e gradualmente entrando no mercado internacional.

2011- Ritesh Agarwal, um jovem de 18 anos que abandonou a faculdade, parecia nutrir sonhos de empreendedorismo que o obrigaram a mergulhar em sua primeira startup, Oravel. Oravel habilitou a listagem e acomodação econômica de quartos de hotel e, mais tarde, foi convertida em quartos Oyo.

2013- Agarwal também foi selecionado para o Thiel Fellowship, um programa de 2 anos iniciado pelo fundador do Paypal que lhe deu um financiamento de $ 100.000 para perseguir e tornar real a ideia de seu start-up. Oyo foi lançado em Gurgaon.

2014- Em agosto deste ano, a Oyo recebeu seu primeiro financiamento da Série A.

Tornando-se a cara das startups indianas

2015- Em março deste ano, a Oyo recebeu financiamento de uma quantia colossal de $ 25 milhões de seus investidores, ou seja, Lightspeed India, Seqoiua e outros.

Abril de 2015- O aplicativo Oyo foi lançado. O aplicativo móvel foi um catalisador para escrever a história de sucesso dessa nova rede de hotéis que viria a seguir. É um aplicativo amigável que ajuda os clientes a reservar quartos diretamente. Oyo, agora tinha se expandido para Calcutá, Mumbai, Goa, Bangalore e estava se espalhando em um ritmo massivo. São quase 2.000 hotéis, 20.000 quartos e 100 cidades na Índia.

Julho de 2015- A Oyo conseguiu US $ 100 milhões na Rodada Série C de financiamento do investidor japonês SoftBank. Este ano provou ser financeiramente satisfatório. A Oyo agora tinha o apoio de um dos investidores mais proeminentes e poderosos do mundo.

2016- Em janeiro, primeiro mês do ano propriamente dito, a rede de hotéis atingiu a marca de 1 milhão de check-ins e também fez uma entrada fora da Índia no mercado da Ásia-Pacífico, começando pela Malásia.

2017- Continuando sua aspiração de expansão, lançou um negócio no Nepal. O Nepal e a Malásia foram apenas uma amostra do monstruoso desenvolvimento que se seguiria.

Conquistando o Território Asiático e Entrando nos Mercados Internacionais

2018- Este é o ano que marcou o estabelecimento do império Oyo na Ásia-Pacífico e deu início à proliferação internacional estabelecendo operações no Reino Unido, Emirados Árabes Unidos, Dubai, China, Cingapura e Indonésia. Também se tornou um unicórnio em setembro, quando levantou fundos de US $ 800 milhões da SoftBank e já havia levantado US $ 200 milhões de seus investidores existentes.

2019- Com o apoio de Greenoaks, Sequoia India, Lightspeed India, Hero enterprise e China Lodging Group como seu sólido grupo de investidores, Oyo não está longe de se tornar uma história de sucesso global, talvez até certo ponto. Hoje, tem mais de 330.000 quartos em 500 cidades em todo o mundo. E Agarwal, ainda jovem e com um longo caminho pela frente, planeja torná-la a maior rede mais antiga do mundo até 2023!


Legends of Africa: The Oyo Empire (c. 1400 & # 8211 1835)

O Império de Oyo da atual Nigéria foi um império da África Ocidental (c. 1400-1835). O império surgiu na virada do século 14 a partir de um reino fundado pelos iorubás e cresceu para se tornar um dos maiores estados da África Ocidental encontrados por exploradores coloniais. Ele subiu ao topo devido aos recursos de comércio e à força de uma cavalaria magnífica.

De meados do século 17 ao final do século 18, o Império de Oyo foi o estado politicamente mais poderoso da região, controlando não apenas outros reinos iorubás na atual Nigéria, Benin e Togo, mas também outros reinos africanos, mais notavelmente o Fon Dahomey (no atual Benin).

Oranyan (também conhecido como Oranmiyan), o príncipe mais jovem do Reino Yoruba de Ile-Ife, é considerado o lendário pai do Império Oyo. Oranyan e seu irmão planejaram iniciar uma invasão punitiva em seus vizinhos do norte por ofender seu pai, Oba Oduduwa, o primeiro dos Ife & # 8217s Oonis.

Os irmãos entraram em confronto a caminho da batalha e o exército se dispersou. A força de Oranyan era muito pequena para realizar uma operação bem-sucedida, então ele navegou ao longo da costa sul até chegar a Bussa. Lá, ele foi entretido pelo governante local, que o presenteou com uma grande cobra com um amuleto mágico preso em sua garganta. O chefe ordenou que Oranyan seguisse a cobra antes que ela parasse e desaparecesse no chão após sete dias.

Oranyan seguiu as instruções e encontrou Oyo onde a serpente parou. O lugar é lembrado como Ajaka. Oranyan estabeleceu Oyo como seu novo reino e se tornou o primeiro & # 8220oba & # 8221 (Yoruba para & # 8220king & # 8221 ou & # 8220ruler & # 8221) com o título de & # 8220Alaafin de Oyo & # 8221 (Alaafin significa & # 8220 proprietário do palácio & # 8221).

Oba Ajaka, Alaafin de Oyo, sucedeu Oranyan, o primeiro oba de Oyo. Ajaka foi deposto porque foi visto como carente de virtudes militares iorubás e permitindo muita liberdade para seus subchefes. O irmão de Ajaka, Jakuta, recebeu então a liderança e mais tarde foi deificado como a divindade Xangô.

Após a morte de Shango e # 8217, Ajaka foi restaurada. Completamente mais guerreiro e autoritário, Ajaka voltou ao trono. Seu sucessor, Kori, conseguiu ocupar a totalidade do que seria referido como Oyo metropolitano por historiadores posteriores.

Sua capital, Oyo-Ile (também conhecida como Katunga, Old Oyo ou Oyo-oro), era o coração da região metropolitana de Oyo. O & # 8216afin & # 8217, ou palácio do Oba, e seu mercado eram as duas instituições mais importantes de Oyo-Ile. O palácio estava situado no coração da cidade, perto do mercado de Oba & # 8217s, conhecido como & # 8216Oja-oba. & # 8217

Um alto muro de terra com 17 portões cercava a cidade para proteção. A importância do rei em Oyo era simbolizada por duas grandes estruturas (o palácio e o Oja Oba).


Comércio e geografia do Império Oyo

O império cobriu uma área ao norte de Lagos em uma localização geográfica ideal entre os rios Volta e Níger. Devido a esta localização, o império era um importante centro de comércio.

Antes da Conferência de Berlim (1884 -1885 CE), que levou à criação de fronteiras impostas, o povo de língua ioruba vivia em uma área que se estendia entre os rios Níger na Nigéria e Mono no Togo.

A terra era boa para cultivo agrícola. Pontilhando esta vasta terra havia colinas, vales, montanhas e planaltos baixos. Os recursos naturais existiam em grandes quantidades e o clima era dividido entre as estações seca e chuvosa. Devido a essas características geográficas e topográficas, a agricultura era uma ocupação importante para o povo iorubá.

Os iorubás também eram fabricantes de tecidos, tecelões, ferreiros e gostavam de caçar como esporte e como alimento.

Os iorubás eram participantes ativos no comércio Transsaariano e Transatlântico, no qual bens e idéias eram trocados. Isso levou a um crescimento e desenvolvimento exponencial que permitiu ao império de Oyo capitalizar sua influência e criar um império com uma democracia complexa e um exército intimidante.


Império Oyo & # 038 o Alaafin. Tradições de um antigo reino ioruba

A presença do antigo e poderoso Reino (e mais tarde do Império) de Oyo sob a direção do Alaafin de Oyo na zona geográfica agora descrita como Sudoeste da Nigéria foi uma das características mais significativas da Yorubaland.

O papel e o escopo do impacto da Oyo & # 8217 no estabelecimento de uma identidade e consciência iorubá entre os iorubás continuou a ressoar através de gerações e fronteiras.

Também se tornou a base para uma compreensão global da capacidade da raça negra de construir um arranjo político e social duradouro.

O papel que o Alaafin desempenhou nisso foi extremamente notável. Os iorubás que hoje se encontram no sudoeste da Nigéria, nas Repúblicas de Benin e Togo, Brasil, Cuba, Trinidad e outros lugares do Caribe continuam a imaginar a glória e a fama do império e a consciência criada pelo Reino de Oyo e seus Alaafins.

Antigo Palácio do Império Oyo

Oyo continuou a viver na vida, nas artes e nos arranjos socioculturais, econômicos e políticos prevalecentes entre o povo iorubá, seus vizinhos e a diáspora africana.

Nos séculos 17 e 18, Oyo era o poder político dominante na Yorubaland e além. Também se tornou um importante centro de troca de mercadorias das áreas florestais e do litoral. O Alaafin era o mestre do reino, espalhando-se desde a savana e tão longe quanto as modernas repúblicas do Benin e do Togo na sub-região da África Ocidental.

Oyo também deu uma identidade importante à Yorubaland. O nome iorubá foi inicialmente usado para os povos de língua Oyo, seu império e dialeto até o século 19, quando os exploradores europeus aplicaram o nome amplamente a outros subgrupos iorubás. Assim, até o colapso do império de Oyo no início do século 19, seu domínio e ligações comerciais com diferentes partes do mundo forneceram a base para a estabilidade que protegeu Yorubaland de agressões ou experiências adversas.

O papel, a posição e a relevância dos Alaafins no arranjo colonial e pós-colonial também se mostraram notáveis ​​na construção da nação e na compreensão humana.


/>

Yoruba e Hausa são de Kemet, África Oriental. A Bíblia é falsa. Oduduwa é o sangue real de Kemet que liderou seu povo na África Ocidental porque Kemet caiu devido à invasão, seca e decadência social. Oduduwa magro e alto como a maioria dos africanos do leste. Assim como seu filho Akanbi e seu filho, Oranmiyan tinha 2,10 metros de altura. Morando na África Ocidental, Yoruba ficou baixo e gordo.

Oranmiyan era um grande guerreiro e lutador que era o verdadeiro herdeiro do pequeno reino de Ile Ife e das cidades vizinhas. Ele começou a expandir seu império e criou o Império Oyo. Como ele voltaria para Ife se Oranmiyan agora era o imperador? Assim, após sua morte, Oranmiyan retornou às suas origens para ser homenageado e enterrado.

O Ooni era um chefe e guardião da cidade. O Ooni não tinha exército para governar nada. O Bashorun é o chefe do exército do Império Oyo e chefe do Oyo Mesi. O Alaafin é Deus na Terra e o Oyo Mesi se curva a ele.

Os Ogboni iniciaram todos os reis, mas nenhum rei iniciou Ogboni. Os Ogboni são os verdadeiros governantes da terra. e pode verificar o poder Alaafins e o Oyo Mesi. Ogboni detém o poder judicial sobre o Império Oyo Oyo. É por isso que as pessoas temem Ogboni. O chefe de Ogboni é um Oba cujo título é hereditário. Sua linhagem remonta ao faraó de Kemet. O chefe de Ogboni é Obatala e o baba de Sango, o Alaafin. Os anciãos governam a África em todos os lugares da África. Ordens antigas e ocultas governam o continente.

As mulheres são a verdadeira origem das linhagens. Em vez de homens discutindo sobre quem tem mais poder, lembre-se de que foi sua mãe quem lhe deu o trono. Sempre há um homem e três mulheres no mínimo. Existem mais mulheres no poder do que homens. As muitas esposas de chefes e obas. As mulheres permitem que os homens governem, mas Oya é a Irunmole mais poderosa e a cabeça de todas as mulheres. Oya é o segredo do poder Sango. Não se esqueça disso. A linhagem de Yemaya também é real e algumas rainhas detêm títulos antigos de autoridade sobre os homens. Ase.

Yoruba e Hausa são de Kemet, África Oriental. A Bíblia é falsa. Oduduwa é o sangue real de Kemet que liderou seu povo na África Ocidental porque Kemet caiu devido à invasão, seca e decadência social. Oduduwa magro e alto como a maioria dos africanos do leste. Assim como seu filho Akanbi e seu filho, Oranmiyan tinha 2,10 metros de altura. Morando na África Ocidental, Yoruba ficou baixo e gordo.

Oranmiyan era um grande guerreiro e lutador que era o verdadeiro herdeiro do pequeno reino de Ile Ife e das cidades vizinhas. Ele começou a expandir seu império e criou o Império Oyo. Como ele voltaria para Ife se Oranmiyan agora era o imperador? Assim, após sua morte, Oranmiyan retornou às suas origens para ser homenageado e enterrado.

O Ooni era um chefe e guardião da cidade. O Ooni não tinha exército para governar nada. O Bashorun é o chefe do exército do Império Oyo e chefe do Oyo Mesi. O Alaafin é Deus na Terra e o Oyo Mesi se curva a ele.

Os Ogboni iniciaram todos os reis, mas nenhum rei iniciou Ogboni. Os Ogboni são os verdadeiros governantes da terra. e pode verificar o poder Alaafins e o Oyo Mesi. Ogboni detém o poder judicial sobre o Império Oyo Oyo. É por isso que as pessoas temem Ogboni. O chefe de Ogboni é um Oba cujo título é hereditário. Sua linhagem remonta ao faraó de Kemet. O chefe de Ogboni é Obatala e o baba de Sango, o Alaafin. Os anciãos governam a África em todos os lugares da África. Ordens antigas e ocultas governam o continente.

As mulheres são a verdadeira origem das linhagens. Em vez de homens discutindo sobre quem tem mais poder, lembre-se de que foi sua mãe quem lhe deu o trono. Sempre há um homem e três mulheres no mínimo. Existem mais mulheres no poder do que homens. As muitas esposas de chefes e obas. As mulheres permitem que os homens governem, mas Oya é a Irunmole mais poderosa e a cabeça de todas as mulheres. Oya é o segredo do poder Sango. Não se esqueça disso. A linhagem de Yemaya também é real e algumas rainhas detêm títulos antigos de autoridade sobre os homens. Ase.

Yoruba e Hausa são de Kemet, na África Oriental. A Bíblia é falsa. Oduduwa é o sangue real de Kemet que liderou seu povo na África Ocidental porque Kemet caiu devido à invasão, seca e decadência social. Oduduwa magro e alto como a maioria dos africanos do leste. Assim como seu filho Akanbi e seu filho, Oranmiyan tinha 2,10 metros de altura. Morando na África Ocidental, Yoruba ficou baixo e gordo.

Oranmiyan era um grande guerreiro e lutador que era o verdadeiro herdeiro do pequeno reino de Ile Ife e das cidades vizinhas. Ele começou a expandir seu império e criou o Império Oyo. Como ele voltaria para Ife se Oranmiyan agora era o imperador? Assim, após sua morte, Oranmiyan retornou às suas origens para ser homenageado e enterrado.

O Ooni era um chefe e guardião da cidade. O Ooni não tinha exército para governar nada. O Bashorun é o chefe do exército do Império Oyo e chefe do Oyo Mesi. O Alaafin é Deus na Terra e o Oyo Mesi se curva a ele.

Os Ogboni iniciaram todos os reis, mas nenhum rei iniciou Ogboni. Os Ogboni são os verdadeiros governantes da terra. e pode verificar o poder Alaafins e o Oyo Mesi. Ogboni detém o poder judicial sobre o Império Oyo Oyo. É por isso que as pessoas temem Ogboni. O chefe de Ogboni é um Oba cujo título é hereditário. Sua linhagem remonta ao faraó de Kemet. O chefe de Ogboni é Obatala e o baba de Sango, o Alaafin. Os anciãos governam a África em todos os lugares da África. Ordens antigas e ocultas governam o continente.

As mulheres são a verdadeira origem das linhagens. Em vez de homens discutindo sobre quem tem mais poder, lembre-se de que foi sua mãe quem lhe deu o trono. Sempre há um homem e três mulheres no mínimo. Existem mais mulheres no poder do que homens. As muitas esposas de chefes e obas. As mulheres permitem que os homens governem, mas Oya é a Irunmole mais poderosa e a cabeça de todas as mulheres. Oya é o segredo do poder Sango. Não se esqueça disso. A linhagem de Yemaya também é real e algumas rainhas detêm títulos antigos de autoridade sobre os homens. Ase.

Yoruba e Hausa são de Kemet, na África Oriental. A Bíblia é falsa. Oduduwa é o sangue real de Kemet que liderou seu povo na África Ocidental porque Kemet caiu devido à invasão, seca e decadência social. Oduduwa magro e alto como a maioria dos africanos do leste. Assim era seu filho Akanbi e seu filho, Oranmiyan tinha 2,10 metros de altura. Morando na África Ocidental, Yoruba ficou baixo e gordo.

Oranmiyan era um grande guerreiro e lutador que era o verdadeiro herdeiro do pequeno reino de Ile Ife e das cidades vizinhas. Ele começou a expandir seu império e criou o Império Oyo. Como ele voltaria para Ife se Oranmiyan agora era o imperador? Assim, após sua morte, Oranmiyan retornou às suas origens para ser homenageado e enterrado.

O Ooni era um chefe e guardião da cidade. O Ooni não tinha exército para governar nada. O Bashorun é o chefe do exército do Império Oyo e chefe do Oyo Mesi. O Alaafin é Deus na Terra e o Oyo Mesi se curva a ele.

Os Ogboni iniciaram todos os reis, mas nenhum rei iniciou Ogboni. Os Ogboni são os verdadeiros governantes da terra. e pode verificar o poder Alaafins e o Oyo Mesi. Ogboni detém o poder judicial sobre o Império Oyo Oyo. É por isso que as pessoas temem Ogboni. O chefe de Ogboni é um Oba cujo título é hereditário. Sua linhagem remonta ao faraó de Kemet. O chefe de Ogboni é Obatala e o baba de Sango, o Alaafin. Os anciãos governam a África em todos os lugares da África. Ordens antigas e ocultas governam o continente.

As mulheres são a verdadeira origem das linhagens. Em vez de homens discutindo sobre quem tem mais poder, lembre-se de que foi sua mãe quem lhe deu o trono. Sempre há um homem e três mulheres no mínimo. Existem mais mulheres no poder do que homens. As muitas esposas de chefes e obas. As mulheres permitem que os homens governem, mas Oya é a Irunmole mais poderosa e a cabeça de todas as mulheres. Oya é o segredo do poder Sango. Não se esqueça disso. A linhagem de Yemaya também é real e algumas rainhas detêm títulos antigos de autoridade sobre os homens. Ase.

Você está correto, Baba Sango não se curva a ninguém. Eu entendo que nos velhos tempos do Império de Oyo, depois que o Alaafin foi escolhido, sua mãe cometeu suicídio ritual. Isso ocorre porque o Alaafin não pode ser visto se curvando para ninguém, incluindo sua mãe. Como os filhos são sempre parciais com as mães. É uma tradição brilhante porque o Alaafin nunca está comprometido, sua única lealdade é para com os Irunmole, os Anciões e seus filhos. O povo tem o direito de rejeitar seu governo e o Bashorun pode destronar o Alaafin. Tem freios e contrapesos. O sistema do Império de Oyo, até mesmo o nome Yoruba, significa, "súditos" Oyo "e" Cotobá "do Oba de Oyo. Todo o povo iorubá em todo o mundo, mesmo aqueles perdidos na escravidão, Baba Sango é o seu rei.

No entanto, devemos respeitar as mulheres e lembrar que são as mães pelas quais os homens conquistaram seus tronos. Respeite Yemaya, Oba, Osun e Oya! Respeite Ayelala! Respeite todas as grandes Rainhas Mães que já viveram e estão vivendo!

Mami Wata não faz parte do panteão iorubá dos orixás (isto é, Yemoja, Oxum etc.), nem suas cerimônias de iniciação ou meios pelos quais são identificados os mesmos. A história do sacerdócio de Mama Wata é esmagadoramente matriarcal, o que significa que as Mami Watas fazem parte dos antigos sistemas religiosos matriarcais e sacerdotais africanos que governaram e denominaram a África e muitas partes do mundo antigo por milhares de anos.

As pessoas discutem sobre bobagens em Yorubaland sobre quem é o governante dos Yorubas. Baba Sango é o governante de todo o povo ioruba. O sangue de Baba Sango remonta ao início de toda a realeza africana. Os homens se tornam reis e chefes em alguns lugares com base no respeito. Em outros lugares, você deve ter sangue nobre para ser elegível para o Chiefdom ou Rei. Mas para ser o chefe de um império, para ser considerado um Deus na Terra, você tem que ter sangue real. Baba Sango é um governante de primeira classe, o que significa que dos dois lados de sua família, o lado da mãe e o lado do pai, é um membro da realeza. Existem duas casas reais em Oyo, onde os candidatos são escolhidos. Todos são da realeza de primeira classe, suas mães e pais são da realeza.

Se for assim, isso significaria que em muitos lugares na África as linhagens da família real podem ser ainda mais antigas do que, digamos, Ife? Oduduwa era de sangue real e seu pai e sua mãe também teriam. Isso seria o mesmo para Obatala, Oba, Osun e Oya! Ogun, Esu, Yemaya e outros Irunmole que encarnaram aqui e eram da realeza. A linha de sangue é da mãe o mais importante, porque papai talvez, mamãe baby, você sempre sabe quem é a mãe. É assim que a linha de sangue é mantida por toda a eternidade através da mãe. A linhagem do Ooni, respeito a ele, remonta a uma escrava, uma plebéia ou nobre, mas ela não era da realeza. A linhagem da realeza é mantida por toda a eternidade por meio da mãe. A Deusa Mãe é real. Oloye Bilikisu Sungbo vivia em Yorubaland e era descendente da realeza da África Oriental. Como eu disse, Kemet era a capital da África, quando começou a cair, muitos príncipes partiram, Oduduwa era um deles. Os ancestrais migraram para o & quotNiger & quot & quotArea & quot, ou Nigéria, por causa das águas. Você precisa de apenas 4 coisas para uma grande civilização, Sol, terra fértil, vegetação e água. Mas estou divagando.

Os textos hebraicos são todos mentiras, a Bíblia todas as mentiras, o Alcorão é principalmente baseado na Bíblia, mas Muhammad era real. Jesus não existe.

2 curtidas 1 compartilhamento

Continue prendendo a respiração e você acabará um esqueleto.

Ninguém jamais alcançou a iluminação com uma linguagem extravagante, que são feitiços de lavagem cerebral, retórica e argumentação. Mas os Chistians sujos tornaram sua marca registrada. Se Cristo já existiu, o que é mentira, mas se ele é amor, então como é que as nações e reinos cristãos atacam, escravizam e colonizam a África? Por que os cristãos são tão sujos e corruptos? Sodomia de preservativos e casamento com gays. Os pastores vivem abundantemente das pessoas, enquanto as populações deles passam fome? Os pastores são maçons, mas estão pregando a Cristo enquanto adoram Osíris e Lúcifer na loja? Para mim, quem são os Illuminati? Seus sujos cristãos, muçulmanos e judeus não são da fé tradicional africana. Não participamos da corrupção mundial que se origina em Roma, a capital do cristianismo Illuminati. Ase.

Os cristãos não colonizaram a África, mas sim as pessoas que vieram em busca de espólios e ganância. Leia sobre Jesus, você encontrará seu ensino contra a guerra e a opressão. Esses foram seus ensinamentos fundamentais e nele vejo a luz que me fez pensar duas vezes antes de reagir negativamente, embora às vezes eu perca o controle como todos os outros sábios, mas em todos , Acho meus excessos reduzidos.

Não prego, mas tento o máximo possível expor as pessoas à experiência que encontrei em sua sabedoria, cujo traço ultrapassa o comum, cujo nome abre portas de bênçãos e oportunidades. I likened the ISIS to the Crusaders of the ancient times whose goal differed from the script of Jesus Christ but went out against conquest and subjugation of many people for selfish reasons. The British didn't give us Christianity but Samuel Ajayi crowther, Samuel Johnson, etc gave us Christianity because the mentioned and unmentioned Yoruba returned us back to God. The Crusaders cannot face the conjuring of words ( Ashé/Ofo etc) of the Yoruba nation but only with guns and it was only Jesus name that supersede Ashé/Ofo/Ogede or egede because, there's no need anymore for bloodletting to acquire but being HOLY in the way JESUS designed it and you and I can command words and it manifest into BEING.

Why did the British and crusaders use gun if they believed God reside with them? God, don't use guns but command and it comes into effect. So, slavery came majorly against Yoruba Race because Oyo empire fell through rebellion and some other factors. So kindly differentiate between ancient CHRISTIANS and CRUSADERS. The Christians were killed just like many of the Africans were enslaved and not killed.

They should count themselves more luckier. In as much as, there is life, hope abound. Those who hates Christianity does it out of ignorance if they studied harder to understand. JESUS is more even real than Yoruba tradition. Even those who understand and practice IFA knows a name called “ELA". They turned ELA to another personality but the truth is that ELA means “REVELATION". only JESUS is the true revelation in the proper way. So, study and learn about the greatest POWER that ever lived as “ A MAN IN FLESH"

Absurdo. What you're doing is mixing Ifa with Christianity because you need Ifa to support the falsehood of Christianity. Ela has nothing to do with Jesus, nothing. What you are doing is an amalgamation because Christian theory lacks facts to support its cosmology. But this is well known by many Christian Freemasons who are the Pastors of Christendom but they teach this fake Christ to the people, fake world paradigmn . They get rich off of the ignorance of the people. As far as Mr. Samuel Ajayi crowther, being an African young boy, taken in by pedophile White Angelican priests, is unfortunate, and also, that he happens to be the one that introduced your lineage to Christianity. Everytime I see a Black Bishop I know I'm looking at a man who holds in a dark painful secret. The Catholic Church, no matter Anglican, Episcopal, or Roman Catholic, during slavery, before slavery, and after are reaping full of pedophiles. No one can move up in the ranks unless you're a sodomite.

Now I respect ancestoral worship but within reason. I don't allow within my prayer circle ancestors who lived a lie and operated within a sham. And who feels sorry for the dead, I don't. Who feels sorry for the living, I don't. But Black Christians at the high levels of Christiandom, which includes Pastors, Bishops, and Freemasons, are some dirty Christians. They form the basis of the demonic Illuminati. Only the small Christians, who are in congregations, who really believe this lie are some what innocent. There is no Jesus Christ. There is no Ball Shaped Earth. This world and everything in it was created by the Irunmole who are the Ancestors of Africans. The Pisces Age is coming to an end. We are in the age of Enlightenment and Information. Ase.

Absurdo. What you're doing is mixing Ifa with Christianity because you need Ifa to support the falsehood of Christianity. Ela has nothing to do with Jesus, nothing. What you are doing is an amalgamation because Christian theory lacks facts to support its cosmology. But this is well known by many Christian Freemasons who are the Pastors of Christendom but they teach this fake Christ to the people, fake world paradigmn . They get rich off of the ignorance of the people. As far as Mr. Samuel Ajayi crowther, being an African young boy, taken in by pedophile White Angelican priests, is unfortunate, and also, that he happens to be the one that introduced your lineage to Christianity. Everytime I see a Black Bishop I know I'm looking at a man who holds in a dark painful secret. The Catholic Church, no matter Anglican, Episcopal, or Roman Catholic, during slavery, before slavery, and after are reaping full of pedophiles. No one can move up in the ranks unless you're a sodomite.

Now I respect ancestoral worship but within reason. I don't allow within my prayer circle ancestors who lived a lie and operated within a sham. And who feels sorry for the dead, I don't. Who feels sorry for the living, I don't. But Black Christians at the high levels of Christiandom, which includes Pastors, Bishops, and Freemasons, are some dirty Christians. They form the basis of the demonic Illuminati. Only the small Christians, who are in congregations, who really believe this lie are some what innocent. There is no Jesus Christ. There is no Ball Shaped Earth. This world and everything in it was created by the Irunmole who are the Ancestors of Africans. The Pisces Age is coming to an end. We are in the age of Enlightenment and Information. Ase.

The first man you brought up was Mr. Samuel Ajayi crowther, who was son of a king, but he wasn't the king. I wanted to emphasis that being royalty, prince, princess, etc, doesn't mean one is the crowned ruler The ruler is chosen by Ifa not by popularity. It just means royal lineage which is higher than noble and commoner. Now this man you bring up, LATE APOSTLE AYO BABALOLA, was a commoner. Show me where an Alaafin of Oyo, the true head of the Empire, has bowed down to Jesus Christ? You can't because it doesn't ever happen. There's only a certain class of Yorubas that are validating Christianity, they are those who lost everything in the war and slavery. You have a prince who can't afford schooling so he goes into an Angelical orphanage to get education. More than likely molested and raped because this is what these dirty Catholics do to little Black boys. No one rises high as a Bishop in the European structural world paradigm without being a sodomite. As well as use them as slaves, servants and sacrifices. Second, you got a poor Yoruba boy who can't afford education going to an all Anglican Catholic school for his primary education. He's been brainwashed, and you want me to accept this all, as pure fact, as something to get rid of my African faith?

All the nations that attacked, enslaved and colonized Africa were Christian nations.

These are the top 6 nations that got rich of off the slave trade.

UNITED STATES OF AMERICA
ENGLAND, GREAT BRITAIN
FRANÇA
HOLANDA
PORTUGAL
ESPANHA

Find one on this list that isn't a Christian nation.


https://www.youtube.com/watch?v=tESjLy1o-Nw


https://www.youtube.com/watch?v=06mD6HZUgGY

Let's talk about the pedophiles now that are existing in the Black Church? Where ever you have homosexual kids you have pedophiles. If you have homosexual kids in the music choir and the music choir director is a sodomite then how can one not make the connection? All these Christian Churches that are marrying gays. Gay Black Pastors and Pastors sleeping with boys in the churches. Pastors sleeping with other mens wives. Where is the integrity of Jesus Christ if these people are so damn dirty?


https://www.youtube.com/watch?v=_cGrlhCuHLw

The first man you brought up was Mr. Samuel Ajayi crowther, who was son of a king, but he wasn't the king. I wanted to emphasis that being royalty, prince, princess, etc, doesn't mean one is the crowned ruler The ruler is chosen by Ifa not by popularity. It just means royal lineage which is higher than noble and commoner. Now this man you bring up, LATE APOSTLE AYO BABALOLA, was a commoner. Show me where an Alaafin of Oyo, the true head of the Empire, has bowed down to Jesus Christ? You can't because it doesn't ever happen. There's only a certain class of Yorubas that are validating Christianity, they are those who lost everything in the war and slavery. You have a prince who can't afford schooling so he goes into an Angelical orphanage to get education. More than likely molested and raped because this is what these dirty Catholics do to little Black boys. No one rises high as a Bishop in the European structural world paradigm without being a sodomite. As well as use them as slaves, servants and sacrifices. Second, you got a poor Yoruba boy who can't afford education going to an all Anglican Catholic school for his primary education. He's been brainwashed, and you want me to accept this all, as pure fact, as something to get rid of my African faith?

All the nations that attacked, enslaved and colonized Africa were Christian nations.

These are the top 6 nations that got rich of off the slave trade.

UNITED STATES OF AMERICA
ENGLAND, GREAT BRITAIN
FRANÇA
HOLANDA
PORTUGAL
ESPANHA

Find one on this list that isn't a Christian nation.


https://www.youtube.com/watch?v=tESjLy1o-Nw


https://www.youtube.com/watch?v=06mD6HZUgGY

Let's talk about the pedophiles now that are existing in the Black Church? Where ever you have homosexual kids you have pedophiles. If you have homosexual kids in the music choir and the music choir director is a sodomite then how can one not make the connection? All these Christian Churches that are marrying gays. Gay Black Pastors and Pastors sleeping with boys in the churches. Pastors sleeping with other mens wives. Where is the integrity of Jesus Christ if these people are so damn dirty?


https://www.youtube.com/watch?v=_cGrlhCuHLw

That's a lie. There are over 16 crucified Saviors bearing all the same story of Jesus Christ which predate Christianity. Not only is Christianity false, it EVEN isn't original. There was no Christian Church in Africa prior to the Roman Catholic Church which proves its a Roman faith. You are bowing to Rome under some strange denominational twist of the same garbage. Its simply too much information available on the internet, attainable within a few keystrokes, results appear within seconds, for this dirty lie to continue unchallenged. There is no JESUS CHRIST.


https://www.youtube.com/watch?v=jQNT6ZHryyk



https://www.youtube.com/watch?v=SNtF1-Y-JJM

All these gays in the Church. This where these all gay children are coming from. This is small Christians, those in the congregations, who really believe this lie of Jesus Christ, fighting these homosexuals demons in the Church. Its futile because Christianity is a homosexual/pedophile Roman religion. Ase.

https://www.youtube.com/watch?v=pbUjrp6vOUs

How come you lie and say that Christainity isn't doing nothing with sodomy and pedophiles? They are marrying gays, and by marrying gays, they are condoning gays to start families. This leads to the adoption of children by gays and they will molest those children to make sure those children turn out like them. Everything starts with the spiritual so if the Father of the house is okaying same sex then the father is a pedophile. You can't get gay children without pedophiles molesting them. Ase.


https://www.youtube.com/watch?v=b4VWQjszVEs

How come you lie and say that Christainity isn't doing nothing with sodomy and pedophiles? They are marrying gays, and by marrying gays, they are condoning gays to start families. This leads to the adoption of children by gays and they will molest those children to make sure those children turn out like them. Everything starts with the spiritual so if the Father of the house is okaying same sex then the father is a pedophile. You can't get gay children without pedophiles molesting them. Ase.


https://www.youtube.com/watch?v=b4VWQjszVEs

Now you're claiming innocent when you were just defending Christianity. Look, I'm not saying that some Christians are fake, I'm saying that Christianity is fake and is the origin of all this Satanic Illuminati spiritual attack upon humanity. There is no JESUS CHRIST. The very notion of such is what the problem is, it is what has made the human being become a walking demon. Christian nations are responsible for all sorts of demonic activity on this plane. No one is innocent if you remain apart of this faith knowing its origin in slavery, death, demon worship, sodomy, child sacrifice and unmerciful cruelty.


https://www.youtube.com/watch?v=LClaSilFlA8

Now you're claiming innocent when you were just defending Christianity. Look, I'm not saying that some Christians are fake, I'm saying that Christianity is fake and is the origin of all this Satanic Illuminati spiritual attack upon humanity. There is no JESUS CHRIST. The very notion of such is what the problem is, it is what has made the human being become a walking demon. Christian nations are responsible for all sorts of demonic activity on this plane. No one is innocent if you remain apart of this faith knowing its origin in slavery, death, demon worship, sodomy, child sacrifice and unmerciful cruelty.


https://www.youtube.com/watch?v=LClaSilFlA8

Thereis no Jesus Christ to ever walk the Earth. And again you are mixing, Yoruba culture and Ifa Are pure, nothing perverted about them. But Christianity is Roman when Romans are some freaks. Adopting or mixing Roman Illumanti Christianity with pure Mother Godess culture like Ifa is an abomination. Ase.

Thereis no Jesus Christ to ever walk the Earth. And again you are mixing, Yoruba culture and Ifa Are pure, nothing perverted about them. But Christianity is Roman are they are some freaks. Adopting or mixing Roman Illumanti Christianity with pure Mother Godess culture like Ifa is an abomination. Ase.

listen, never quote again to this nonsense! I dont have time for madness

I am not hebrew and have nothing to do with the middle eastern cultures or language. if your father is hebrew, cool, go and start living in israel( land of your masters)..

all this madness is getting out of hand. christianity has fried this one's brain like akara

Is it mere coincidence that all these Nigerian "Israelites" are deeply Christian, and all these Nigerian "Arabians" are deeply Muslim?

macof:
listen, never quote again to this nonsense! I dont have time for madness

I am not hebrew and have nothing to do with the middle eastern cultures or language. if your father is hebrew, cool, go and start living in israel( land of your masters)..

all this madness is getting out of hand. christianity has fried this one's brain like akara

macof:
listen, never quote again to this nonsense! I dont have time for madness

I am not hebrew and have nothing to do with the middle eastern cultures or language. if your father is hebrew, cool, go and start living in israel( land of your masters)..

all this madness is getting out of hand. christianity has fried this one's brain like akara

RedboneSmith:
Is it mere coincidence that all these Nigerian "Israelites" are deeply Christian, and all these Nigerian "Arabians" are deeply Muslim?

these two religions are a great evil to africa. imagine the madman still quoting me with nonsense, yet not a single thread of evidence to back his statements. but of course, there isn't any evidence at all

anybody who thinks yoruba are not related to Edos, igbos, Fons etc, rather hebrews or arabs needs a brain check.

macof:
these two religions are a great evil to africa. imagine the madman still quoting me with nonsense, yet not a single thread of evidence to back his statements. but of course, there isn't any evidence at all

anybody who thinks yoruba are not related to Edos, igbos, Fons etc, rather hebrews or arabs needs a brain check.


Oyo Empire - History


Featured in Macworld - one of the
best history sites on the web

Casa

Bookstore

Exposições

Você sabia?

HistoryMaker

Primary Sources

Procurar

The Oyo Empire was established by the Yoruba people in the 15th century and was one of the largest West African states. It succeeded Ile Ife as the dominant kingdom in the area after 1700. The nearby Benin kingdom was also an important kingdom.


Oyo palace in 1890s

The city engaged extensively in trade and became wealthy. It was known for its powerful cavalry. The capital city was Oyo-Ile, also sometimes called Katunga or Old Oyo. The palace of the ruler (oba) was the most important building. The large market was the heart of the city. There was a tall wall made of earth around the city for defense.

The Oyo traded with the Portuguese for guns and horses. Their cavalry and guns enabled them to dominate the region between 1700 and 1900. Civil war and divide and conquer strategies of the Europeans eventually brought about the decline of the Oyo.


Map of palace compound of Oyo-Ile

Copyright © 2000-2008 HistoryWiz

Your purchase of books or other items through links on this site helps keep this free educational site on the web.


The Rise of the Oyo Empire

The mythical origins of the Oyo Empire lie with Oranyan (also known as Oranmiyan), the second prince of Ile-Ife, who made Oyo his new kingdom and became the first oba with the title of Alaafin of Oyo (Alaafin means “owner of the palace” in Yoruba). The oral tradition holds that he left all his treasures in Ife and allowed another king, named Adimu, to rule there.

Oranyan was succeeded by Oba Ajaka, but he was deposed because he allowed his sub-chiefs too much independence. Leadership was then conferred upon Ajaka’s brother, Shango, who was later deified as the deity of thunder and lightning. Ajaka was restored after Shango’s death. His successor, Kori, managed to conquer the rest of what later historians would refer to as metropolitan Oyo. The heart of metropolitan Oyo was its capital at Oyo-Ile.

Oyo had grown into a formidable inland power by the end of the 14th century, but it suffered military defeats at the hands of the Nupe led by Tsoede. Sometime around 1535, the Nupe occupied Oyo and forced its ruling dynasty to take refuge in the kingdom of Borgu.
The Yoruba of Oyo went through an interregnum of eighty years as an exiled dynasty. However, they re-established Oyo to be more centralized and expansive than ever. During the 17th century, Oyo began a long stretch of growth, becoming a major empire. It never encompassed all Yoruba-speaking people, but it was the most populous kingdom in Yoruba history.

Oyo Empire and surrounding states c. 1700. The Oyo Empire rose through the outstanding organizational skills of the Yoruba, gaining wealth from trade and its powerful cavalry. It was the most politically important state in the region from the mid-17th century to the late 18th century, holding sway not only over most of the other kingdoms in Yorubaland, but also over nearby African states, notably the Fon Kingdom of Dahomey in the modern Republic of Benin to the west.


Pre-Colonial Political Administration in Yoruba Land

The Yoruba political administration had a decentralized structure i.e. power was constitutionally shared among all political levels/sections of the kingdom ranging from the highest to the lowest unit unlike the Hausa political system which was highly centralized.

The Yoruba political administration was also based on the ultimate principle of ‘check and balance’ which implies that each of the administrative levels can check, challenge or nullify actions of other levels irrespective of their administrative hierarchy, for example, in the political system of the Oyo empire, the Oyomesi (the 7 hereditary kingmakers headed by Bashorun) and the Are-Ona-Kakanfo (head of the army) acted as checks to the Alaafin who can be deposed by being presented an empty calabash or parrot’s egg if found incompetent or guilty of impeachable crimes, for example, Are-Ona-Kakanfo Afonja, with the help of some of the Oyomesi, presented an empty calabash to Alaafin Aole signifying his rejection as the king which was to be followed by his suicide. However, it can be safely concluded that the Yoruba political system had a semblance to the modern federal system of government.

The Yoruba political structure revolved round many figures starting from the Oba, the political head, council of chiefs (Ijoye which consisted of Iyalode, Otun, Osi, Iyaloja etc.), the kingmakers (Afobaje, part of whom might be the chiefs), the Baale, the army (Esho) and the religious cult. It must be noted that the titles of some of these figures vary in each Yoruba kingdom, for example, the Oba is known as Alaafin in Oyo while in Ife, he is referred to as Oni. The kingmakers are also known as Oyomesi in Oyo while the Ijebus call them Osugbo.

It must also be noted that succession to the throne of some, if not many kingdoms in Yorubaland was not hereditary. The Aremo (prince) can only help his father in administering the kingdom or empire but cannot succeed him after his death. After the demise of a king, a new one is chosen from the same or another household by the kingmakers with the help of the religious cult.

Of all the kingdoms and empires in Yorubaland, the Oyo political system was the most popular and outstanding as it was able to influence issues in other kingdoms like Ijebu, Ife, Dahomey (now Republic of Benin) and so on.

Below is the political administrative structure of the Oyo Empire.

The vast Oyo empire was known to be the largest and the most powerful of all Yoruba empires.

Here is the pre-colonial political administration of the Oyo empire:

THE ALAAFIN:

The Alaafin was seen as the political head of the empire. He was chosen by the Oyomesi. It was claimed that he could only appear three times a year in public and that was only during some historic festivals.

The Aremo:

He is the eldest son of the ruling Alaafin but cannot succeed his father at his demise. He can only help his father in the administration of the empire.

The Oyomesi:

These are the seven hereditary kingmakers in the Oyo empire. Their leader was Bashroun. They were responsible for installing a new Alaafin.

Baale or Oba:

Each province was administered by Ajele or Oba. They guaranteed the payment of tribute and homage to the Alaafin. There was the claim that this rulers had the power to threaten any hardened Alaafin or chief by invoking the god of thunder and lightning through the cult of Sango, a deified Alaafin.

The Army (Eso):

Are- ono kankanfo was the head of the army. Oyo had for long maintained a strong army that had been used in winning different wars. It was claimed that if the army should suffer any defeat, the Are- ona- kankanfo was to commit suicide or go on exile.

The Ogboni Society:

This society posses judicial powers and was involved also in policy making. The maintenance and preservation of the cultural values of the people were also delegated to them. They influence a lot of issues in the society.

The Three Eunuchs:

They were also involved in the administration of the empire. Eles eram:

  1. The Osi Efa: He was in charge of political affairs, he has to die with the Alaafin. He was also called ‘Abobaku’.
  2. The Ona Efa: He was for judicial purpose
  3. The Otun Efa: His function was to perform religious duties for the Alaafin.

Pre-colonial systems in Nigeria witnessed a lot of alterations at the advent of the British colonial masters. Several traditional rulers tried to protect and preserve the political organisation of their kingdoms or empires but later gave up after much pressure and threat from the colonial masters. Colonialism had a great impact on every pre- colonial systems in Nigeria, even till today.

[Attributions and Licenses]

Referências e leituras adicionais:

C. C. Dibie Essential Government for Senior Secondary Schools 3rd edition Lagos Tonad Publishers 2008


Assista o vídeo: Império da Tijuca 1997


Comentários:

  1. Nikotaxe

    Que resposta interessante

  2. Kenly

    Eu acredito que você está cometendo um erro. Eu posso provar. Mande-me um e-mail para PM, vamos conversar.

  3. Kojo

    Pensamento encantador



Escreve uma mensagem