Sigiriya

Sigiriya


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Sigiriya no Sri Lanka combina um fenômeno natural com história e religião. Composto por um grande monte de rocha vermelha com mais de 300 metros, acredita-se que Sigiriya (que significa “Pedra do Leão”) foi originalmente habitada durante o século III aC, quando um mosteiro budista foi fundado lá.

No século V DC, acredita-se que o uso de Sigiriya mudou de um local sagrado para um local real. Diz-se que, tendo assassinado seu pai, o rei Dhatusena, e assumido o trono, o rei Kassapa I do reino de Anuradhapura procurou um lugar facilmente defensável para construir seu palácio e que escolheu construí-lo no topo de Sigiriya.

As ruínas do castelo de Kassapa ainda podem ser vistas lá hoje e incluem os restos de uma cidade ao pé da rocha. A partir dessas ruínas, é evidente que a cidade do rei era grandiosa, com jardins, monumentos e, claro, seu palácio.

No final do século V, Kassapa foi derrotado na batalha e Sigiriya mais uma vez se tornou um monastério budista, finalmente entrando em declínio.

Um dos locais mais notáveis ​​em Sigiriya é sua série de afrescos retratando numerosas figuras femininas. Originalmente, haveria centenas de afrescos semelhantes. Há um debate se eles foram criados sob Kassapa ou se foram criação dos monges budistas como numerosas representações de uma de suas divindades.

Listada como Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1982, Sigiriya agora está aberta ao público.


SIGIRIYA

Sigiriya é um dos monumentos históricos mais valiosos do Sri Lanka. Referido pelos habitantes locais como a Oitava Maravilha do Mundo, este antigo complexo de palácio e fortaleza tem uma importância arqueológica significativa e atrai milhares de turistas todos os anos. É provavelmente o destino turístico mais visitado do Sri Lanka.

O palácio está localizado no coração da ilha, entre as cidades de Dambulla e Habarane, em um enorme planalto rochoso 370 metros acima do nível do mar.

O planalto rochoso de Sigiriya, formado a partir do magma de um vulcão extinto, é 200 metros mais alto do que as selvas circundantes. A sua vista surpreende os visitantes pela harmonia única entre a natureza e o imaginário humano.

O complexo da fortaleza inclui vestígios de um palácio em ruínas, rodeado por uma extensa rede de fortificações, vastos jardins, lagos, canais, becos e fontes.

Os territórios vizinhos de Sigiriya foram inibidos por vários milhares de anos. Desde o século 3 aC, o planalto rochoso de Sigiriya serviu de mosteiro. Na segunda metade do século V, o rei Kasyapa decidiu construir uma residência real aqui.

Após sua morte, Sigiriya tornou-se novamente um mosteiro budista até o século 14, quando foi abandonado.

A entrada principal está localizada no lado norte da rocha. Foi desenhado na forma de um enorme leão de pedra, cujos pés sobreviveram até hoje, mas a parte superior do corpo foi destruída.

Graças a este leão, o palácio foi nomeado Sigiriya. O termo Sigiriya origina-se da palavra Sihagri, ou seja, Rocha do Leão.

A parede oeste de Sigiriya foi quase inteiramente coberta por afrescos, criados durante o reinado de Kasyapa. Dezoito afrescos sobreviveram até hoje.

Os afrescos retratam mulheres nuas e são considerados retratos das esposas e concubinas de Kasyapa ou sacerdotisas realizando rituais religiosos. Apesar da identidade desconhecida das mulheres retratadas nos afrescos, essas pinturas antigas únicas celebram a beleza feminina e têm um significado histórico incrível.

Uma das características mais marcantes de Sigiriya é sua parede de espelho. Antigamente, era polido tão bem que o rei podia ver seu reflexo nele. A parede do espelho é pintada com inscrições e poemas escritos pelos visitantes de Sigiriya.

As inscrições mais antigas datam do século VIII. Essas inscrições estão provando que Sigiriya era um destino turístico há mais de mil anos. Hoje, pintar na parede é estritamente proibido.


O que Sigiriya se parece com afrescos?

Foto: Impressão artística de Sigiriya no passado

O complexo Sigiriya foi concluído há quase 1.600 anos. Os afrescos eram parte integrante da visão geral inspiradora e faziam parte de uma enorme tapeçaria que se estendia em uma faixa gigantesca ao redor da cintura da rocha. Esta imensa galeria de fotos com mais de 500 mulheres seminuas cobriu uma área de aproximadamente 5.600 metros quadrados. Ela se estendia do topo da escada em zigue-zague nos Jardins com terraço na extremidade sul da rocha, até a extremidade nordeste, terminando na Escadaria do Leão.


සිගීරියේ මූලාරම්භය පිළිබඳ පුරා කථා [සංස්කරණය]

ශ්‍රී ලංකාවේ පුරාණ ඵෙතිහාසික වංශ කතාවක් වූ මහා වංශ‍යෙහි කාශ්‍යප විස්තර වන්නේ වන්නේ රජුගේ පුත්‍රයා වශයෙනි. කාශ්‍යප තම පියා ධාතුසේන රජු පණ පිටින් බිත්තියකට බැඳ ජීවිතක්ෂයට පත් කොට තම සහෝදරයා වූ මොග්ගල්ලානට උරුමව තිබූ තිබූ පැහැර ගත්තේ ය. මොග්ගල්ලාන යනු රජුගේ අග බිසවගේ පුත්‍රයා ය. මොග්ගල්ලාන ඉන්දියාවට පලා ගියේ තම සහෝදරයා වූ කාශ්‍යප විසින් ඝාතනය කරනු ලැබේය යන බියෙනි. ඵහෙත් කාශ්‍යපගෙන් පලි ගන්නා බවට ඔහු ශපත කළේ ය. ඔහු ආපසු ලංකාවට පැමිණ තමනට උරුම රාජ්‍යය ලබා ගන්නෙමැයි අදහසින් ඉන්දියාවේ සිට සිට සංවිධානය කළේ ය.

මොග්ගල්ලානගේ ආපසු පැමිණීම නියත වශයෙන්ම සිදු වන බව සිතූ කාශ්‍යප සීගිරිය බලකොටුවක් වශයෙන් තෝරා ගෙන ඵහි මතුයෙහි මාළිගාවක් ද ඉදි කළේය. මොග්ගල්ලාන ආපසු පැමිණ යුද්ධ ප්‍රකාශ කළේය. යුද්ධය කෙරීගෙන යන අතරතුරේ දී කාශ්‍යපගේ හමුදාව ඔහු තනි කළේ ය. කාශ්‍යප තම කඩුව මත ඇද වැටී සිය දිවි හානි කර ගත්තේ ය. පුරාවෘත්තවල සහ ජනප්‍රවාදවල සඳහන් වන වන අන්දමට ඵ් පුවත මෙසේය "කාශ්‍යප තම යුද හස්තියා සටන් කිරීමට සුදුසු ස්ථානයක් සොයා වෙනත් තැනකට මෙහෙය වූ විට ඔහුගේ හමුදාව ඵය වරදවා තේරුම් ගත්තේ කාශ්‍යප කාශ්‍යප පැරදී පසු බසින ලෙසිනි" ඉන් පසු ඔහුගේ හමුදාව කාශ්‍යප සම්පූර්ණයෙන් ම තනි ඔහුගේ ඔහුගේ හමුදාව ඵය වරදවා තේරුම් ගත්තේ කාශ්‍යප කාශ්‍යප පැරදී පසු බසින ලෙසිනි "ඉන් පසු ඔහුගේ හමුදාව කාශ්‍යප සම්පූර්ණයෙන් ම තනි කොට පලා ගියහ. මොග්ගල්ලාන තම අගනුවර ලෙස අනුරාධපුරය තෝරා ගත්තේ ය. සීගිරිය ආරාම සංකීර්ණයක් බවට පත් විය.

වෙනත් කතාන්දරවලින් කියවෙන්නේ සීගිරියේ මුල් නිමැවුම්කරු ධාතුසේන රජු බවත් තම පිය රජු සිහිවීම පිණිස කාශ්‍යප එහි වැඩ කටයුතු කටයුතු කළ බවත් ය. කාශ්‍යප රජු විනෝදකාමියෙකු මෙන්ම සීගිරිය විනෝද මාළිගාවක් ලෙස ඉදි වූ බවත් වෙනත් කතාන්දරයකින් කියවෙයි. කාශ්‍යපගේ අවසාන ඉරණම පිළිබඳව තිබෙන තොරතුරු අස්ථීර ය. සමහර ප්‍රවාදවල කියවෙන්නේ කාශ්‍යපගේ අනියම් බිරියක විසින් වස දීමෙන් ඔහු ඝාතනය වූ බවයි. ඔහුගේ අවසාන සටනේදී ඔහුගේ හමුදාව විසින් තනි කිරීම නිසා තම අසිපතින් ගෙල සිඳ ගෙන කාශ්‍යප දිවි තොර කර ගත් බව තවත් කතන්දරයකින් කියැවේ. සීගිරිය නිර්මාණය බෞද්ධ ප්‍රජාවගේ කාර්යයක් වූ බවත් ඊට හමුදා සහභාගිත්වයක් කිසිසේත් නො වුණු බවත් තවදුරටත් විස්තර කරන අර්ථකථනයන් ද තිබේ. පුරාණ ලංකාවේ මහායාන හා ථෙරවාද දෙපාර්ශවය අතර පැවති තරඟයේදී සීගිරි පරිශ්‍රය වැදගත් ස්ථානයක් ඉසිලූ බව ද කියැවේ.


A Parede Espelhada, agora manchada em tons de laranja, é uma parede de parapeito de 200 m construída no lado quase perpendicular da Pedra Sigiriya. Já foi polido para brilhar como um espelho, daí seu nome. A parede forneceu uma superfície irresistível na qual estão inscritos numerosos grafites antigos elogiando a beleza desta cidadela. A parede de espelho é uma das poucas estruturas em Sigiriya que permaneceu quase intacta por mais de quinze séculos. É um testemunho da engenhosidade e habilidade do antigo artesão que o construiu.

Os Graffiti Sigiriya são mais de 1.800 peças de prosa, poesia e comentários escritos por turistas antigos na superfície do Mirror Wall. A maioria dos graffiti refere-se às belas pinturas de mulheres seminuas, os Afrescos de Sigiriya, que uma vez cobriram a maior parte da superfície ocidental da Rocha Sigiriya. Os textos sugerem que as mulheres retratadas nos afrescos são as damas da corte real do rei - as damas do harém.


Sigiriya - Sri Lanka

Sigiriya, também conhecida como Lion's Rock, é uma fortaleza de pedra e um palácio localizado no distrito de Matale, no Sri Lanka. Esta ruína está rodeada de jardins, lagoas e outras estruturas. Sigiriya foi construída pelo Rei Kassapa e é considerada um local do Patrimônio Mundial. Sigiriya é o centro da cidade mais bem preservado da Ásia.

História

Anteriormente, era um mosteiro de montanha abrigado na rocha que foi doado por devotos budistas. Mais tarde, o rei Kassapa o renovou construindo jardins e palácios. Após sua morte, foi novamente usado como mosteiro.

A habilitação humana em Sigiriya, no início, foi encontrada em quase cinco mil anos durante o período mesotílico.

Inscrições na rocha são esculpidas perto das bordas de gotejamento em muitos dos abrigos, registrando a doação dos abrigos para a ordem monástica budista como residências. Eles foram feitos no período entre o terceiro século a.C. e o primeiro século d.C.

Em 1831, o major Jonathan Forbes, do 78º Highlanders do exército britânico, enquanto voltava a cavalo de uma viagem a Polonnaruwa, encontrou o "cume de Sigiriya coberto de arbustos". Sigiriya chamou a atenção de antiquários e arqueólogos posteriores.

O próprio complexo Sigiriya consiste na rocha central e dois recintos retangulares que são cercados por dois fossos e três muralhas. A cidade é baseada em um módulo quadrado.

Estrutura de The Lion Rock

A rocha Sigiriya é na verdade um tampão de magma endurecido de um vulcão extinto. A característica mais significativa da rocha seria a escada do Leão que conduz ao jardim do palácio. O Leão pode ser visualizado como uma figura enorme erguendo-se contra o penhasco de granito. A boca aberta do Leão leva à escada construída em tijolos e madeira. No entanto, os únicos vestígios desta majestosa estrutura são as duas patas e as paredes de alvenaria que a rodeiam. No entanto, os cortes e arvoredos na face da rocha dão a impressão de uma figura de leão.

Frescos

Existem apenas dois bolsões de pinturas cobrindo a maior parte da face oeste da rocha. As mulheres retratadas nas pinturas foram identificadas como Apsaras. No entanto, muitas dessas senhoras foram exterminadas quando o palácio foi novamente convertido em um mosteiro para não perturbar a meditação.

Os jardins

Os jardins estão entre os jardins paisagísticos mais antigos do mundo. Os jardins são divididos em três jardins aquáticos distintos, mas interligados, jardins de cavernas e pedregulhos e jardins em socalcos.

The Mirror Wall

Originalmente, essa parede era tão bem polida que o rei podia se ver enquanto caminhava ao lado dela. Feito de uma espécie de porcelana, a parede agora está parcialmente coberta com versos rabiscados pelos visitantes da rocha. Bem conservada, a parede espelhada possui versos que datam do século VIII. Pessoas de todos os tipos escreviam nas paredes, sobre assuntos variados, como amor, ironia e experiências de todos os tipos. Mais textos na parede do espelho foram proibidos.


Afrescos Sigiriya, História, Parede Espelhada, Tecnologia da Água, Fotos com Descrição em Sinhala

A Fortaleza Rochosa Sigiriya do Sri Lanka é considerada pela população local como a 8ª Maravilha do Mundo, retroflexa o planejamento urbano antigo, a tecnologia hidráulica, a defesa, as artes, o paisagismo e a engenharia de jardins por volta do século 5 DC. Também chamada de "Pedra do Leão" atinge uma altura de 200 metros da paisagem circundante. Sigiriya está localizada no distrito de Matale, perto de Dambulla. Pode-se chegar ao longo da rodovia Colombo-Habarana virando para o leste a partir de Inamaluwa. Seguindo cerca de 10 km de Inamaluwa e passando pelo município de Kimbissa, chega-se a Sigiriya.

A história de Sigiriya é bem narrada e antes de Sigiriya se tornar um Reino, a base de Sigiriya Rock e lugares como Pidurangala, que eram dotados de muitas cavernas e um templo, foram habitados por monges budistas por volta do século III AC. Também foi descoberto que essas áreas haviam sido habitadas por pessoas antes do reinado do rei Kassapa. Muitas cavernas têm inscrições Brahmi que datam do século 3 aC ao século 1 dC.

Depois do Rei Mahanama que governou Anuradhapura de 410-432 DC, um príncipe chamado Dhatusena se tornou o Rei de Anuradhapura em 459 DC, derrotando o invasor indiano 'Pandu'. O rei Dhatusena foi o governante que construiu Kala Wewa ou o tanque Kala Wewa, construindo uma barragem em Kala Oya, que é um tipo de rio pequeno. O Yoda Ela, feito pelo homem, com 54 milhas de comprimento, que leva água de Kala Wewa para Tissa Wewa é considerado uma maravilha da engenharia de irrigação até nos dias de hoje. Tem um gradiente de 6 polegadas por milha ao longo das primeiras 17 milhas, o que significa que a diferença de nível é de pouco mais de 8 pés, mesmo depois das primeiras 17 milhas ao longo do canal. O alto nível de conhecimento da tecnologia da Água neste período pode ser avaliado a partir das obras que ainda permanecem em funcionamento. Durante o reinado deste rei, a famosa estátua do Buda Aukana em relevo foi construída a partir de uma rocha de 12 metros de altura, representando a arte e o artesanato da escultura em pedra.

Ele tinha dois filhos de duas de suas rainhas. Mugalan [também chamado de Moggallana] da rainha principal e Kassapa [também chamado de Kashyapa] de uma rainha companheira. O príncipe Kashyapa, com a ajuda do general do exército do rei Dhatusena, chamado Migara, matou seu pai e tornou-se rei. O príncipe Mugalan, temendo por sua vida, fugiu para a Índia. Os Bhikkus budistas e o povo eram contra sua conduta e favoreciam Price Mugalan para o governo. Temendo que Mugalan viesse com um exército da Índia para vingá-lo mais tarde, o rei Kashyapa decidiu fazer de Sigiriya seu reino. Durante seu governo de dezoito anos de 477 DC a 495 DC, o Reino Sigiriya foi criado. Acredita-se que ele buscou o refúgio da rocha Sigiriya para sua segurança temendo por sua vida.

Após 18 anos, o Príncipe Mugalan veio com um exército da Índia para lutar com o Rei Kassapa. Durante a batalha, Kashyapa se matou, portanto Mugalan se tornou o rei. Ele voltou para Anuradhapura e governou o país de lá e entregou Sigiriya de volta aos sacerdotes budistas. Sigiriya como reino foi abandonado por volta de 1150 DC e quase esquecido pelos próximos sete séculos. Embora o rei Kashyapa não seja considerado em alta estima na história do Sri Lanka devido à sua conduta duvidosa, ele é creditado como o governante com imaginação insuperável posta em realidade para criar uma maravilha do estilo do Sri Lanka com arte de alto calibre e habilidades de construção de engenharia que podem até desafiar as outras estruturas mundiais naquela época, o que definitivamente é incrível mesmo no século 21 com tudo o que resta como ruínas do Reino de Sigiriya, portanto, considerando Sigiriya como a Oitava Maravilha do Mundo.

Arte e Engenharia de Sigiriya

A própria Fortaleza Sigiriya Rock tem uma identidade única devido à sua forma não encontrada em nenhum outro lugar da ilha e pode ser reconhecida a quilômetros de distância.

Sigiriya foi redescoberta durante o domínio dos britânicos, pelo Major H. Forbes em 1831. A escalada para o cume de Sigiriya foi alcançada por A.H.Adams e J. Bailey em 1853.

A Fortaleza Sigiriya Rock sendo a fortaleza da cidadela, foi bem projetada para suas defesas por ter muralhas e fossos construídos ao seu redor. Existem vários acessos ao centro da cidade e o mais proeminente é a entrada ocidental. Do topo da rocha, as áreas de terra até distâncias de dezenas de milhas podem ser observadas, tornando difícil para o inimigo fazer um ataque surpresa ao reino.

O rei Kassapa reverteu sua fortaleza a uma maravilha ecológica ao fazer os Royal Pleasure Gardens, Water Gardens, Fountain Gardens e Boulder Gardens feitos dentro da cidade interna, bem como nas instalações do palácio no cume da rocha. O emprego da Tecnologia da Água tem sido tremendo, uma vez que existem fontes de água feitas pelo homem e que ainda estão funcionando. Também existem lagoas no cume da rocha consideradas cheias de água de uma elevação inferior.

O mais conhecido são os afrescos de Sigiriya das donzelas de Sigiri, chamadas localmente de 'Sigiri Apsaras', pintados em uma cavidade na face da rocha ocidental a cerca de 100 metros de altura da base da rocha. Restam agora cerca de 21 pinturas de afrescos de Sigiri, mas havia cerca de quinhentas pinturas durante o tempo do Rei Kassapa ao longo de vários outros lugares da mesma face de Western Rock.


Clique nas fotos em miniatura para ver a imagem em tamanho grande s dos Afrescos do Sigiri feitos na cavidade da Rocha.

Outra construção interessante da Fortaleza de Pedra Sigiriya é a Parede Espelhada Sigiriya, que é coberta com graffiti que consiste em Poemas Sinhala dos séculos 7 a 10 DC. Estes foram escritos por pessoas que vieram ver Sigiriya durante aqueles longos anos. São chamados de "Sigiri kurutu gee" pela população local. Seguindo pelo caminho da parede espelhada, encontra-se o Lion Paw Terrace ou Platform. Restam apenas duas enormes patas de Leão, mas antes havia uma enorme figura ou estátua de Leão na entrada. Através da escadaria da pata do Leão, o cume pode ser alcançado pela escada de ferro construída na face da rocha. No cume estão os restos das fundações do edifício do Palácio e alguns lagos em uma área de cerca de 3 hectares de cume rochoso. O maior tanque foi feito cortando a rocha e presume-se que, aproveitando a grande força do vento que ocorre no cume, a água foi trazida para encher este tanque por um sistema hidráulico usando energia eólica do nível do solo. Este é um dos principais exemplos de Tecnologia da Água remanescentes na época, além dos feitos da irrigatina com água, com a construção de enormes tanques artificiais e canais para levar água a muitos quilômetros de distância.

Para o leitor, há centenas de imagens interessantes da Fortaleza Sigiriya com descrições incluídas nesta página da web. Através das informações sobre Sigiriya que aparecem nesta página da web, um ensaio pode ser facilmente criado.

Caminhando do estacionamento até a rocha Sigiriya

Ao visitar a Fortaleza Rochosa de Sigiriya, o principal parque de veículos para os visitantes é na Cidade de Nova Sigiriya e após a compra do Ingresso, é necessário caminhar a pé até a Fortaleza Rochosa de Sigiriya através do caminho cercado por árvores por cerca de um quilômetro. Passando o fosso externo e a muralha chega-se ao Yan Oya. Passando por lá está o Museu Arqueológico do lado direito. Há um segundo fosso que deve ser atravessado pela ponte erguida ali para prosseguir em direção à rocha Sigiriya. Fossos eram usados ​​como método defensivo em épocas anteriores para proteger as cidadelas do inimigo.

Clique em Fotos em miniatura para ver a imagem em tamanho real e a descrição da foto.


25 coisas que você deve saber sobre a antiga fortaleza rochosa de Sigiriya

Paredes quase verticais elevam-se até um cume plano que protege as ruínas de uma civilização antiga.

Escondidas no topo de uma estranha formação geológica de 200 metros de altura estão as magníficas ruínas antigas de um templo alcançando as estrelas: Sigiriya. Este antigo local é considerado por muitos estudiosos a oitava maravilha do mundo.

Sigiriya é considerado um dos monumentos históricos mais valiosos do Sri Lanka. Justamente, esta antiga cidade é a atração turística mais visitada do país.

Esta antiga fortaleza de pedra localizada no norte do distrito de Matale, perto da cidade de Dambulla e # 8217, inclui vestígios de um palácio em ruínas, cercado por uma extensa rede de fortificações, vastos jardins, lagos, canais, becos e fontes.

Este artigo traz 25 fatos sobre uma antiga cidade fortaleza rochosa, diferente de qualquer outra.

Sigiriya é um dos listados pela UNESCO Património Mundial. É um dos exemplos mais bem preservados de planejamento urbano antigo.

O nome deste lugar é derivado desta estrutura - Sīhāgiri, a Rocha do Leão.

O termo Sigiriya origina-se da palavra Sihagri, ou seja, Rocha do Leão.

O sítio arqueológico está localizado em uma formação geológica maciça de 200 metros.

Geólogos notaram que o Sigiriya pedra é um resquício de uma erupção de magma endurecido de um vulcão extinto e há muito erodido.

A cidade antiga é considerada um dos locais de planejamento urbano mais importantes do primeiro milênio. Os especialistas argumentam que a planta do local é considerada muito elaborada e imaginativa.

De acordo com especialistas, a planta do local de Shigiriya & # 8217s combina uma ampla gama de conceitos de simetria e assimetria, interligando intencionalmente os arredores & # 8217 formas geométricas e naturais feitas pelo homem.

Sigiriya apresenta várias estruturas de retenção de água e sofisticados sistemas hidráulicos de superfície e subsuperfície, alguns dos quais - incrivelmente - permanecem operacionais até hoje.

O local era um palácio e uma fortaleza.

A antiga cidade abriga os jardins paisagísticos mais antigos do mundo.

Os jardins do local são divididos em três formas diferentes, mas conectadas: jardins aquáticos, jardins de cavernas e pedras e jardins em terraços.

Sigiriya é o lar da chamada Parede de Espelho. Esta estrutura foi tão bem polida no passado distante que o rei podia ver seu reflexo ao caminhar ao lado dela.

A parede do espelho apresenta mais de 685 versos escritos nos séculos VIII, IX e X d.C.

O local é considerado uma das atrações turísticas mais antigas do mundo, já que as pessoas têm corrido para visitá-lo há mais de mil anos.

Alguns estudiosos - Lal Srinivas e Mirando Obesekara - acreditam que Sigiriya pode ser o Alakamandava (a cidade dos deuses) construída antes de 50 séculos atrás pelo Rei Kubera.

Acredita-se que, durante o século III a.C., o planalto rochoso de Sigiriya serviu como mosteiro. No entanto, na segunda metade do século V, o rei Kasyapa decidiu construir uma residência real.

O rei Kashyapa revolucionou o local, transformando-o em uma cidade e fortaleza complexa. Ele construiu uma ampla gama de estruturas elaboradas no cume da rocha, bem como ao seu redor. Ele ergueu estruturas defensivas, palácios e jardins, bem como estruturas religiosas.

Após sua morte, Sigiriya se tornou um mosteiro budista até o século 14, quando foi parcialmente abandonado.

De acordo com o Palm Leaf Book (Puskola Potha) de Ravana Watha, o arquiteto da antiga cidade-fortaleza de pedra de Sigiriya e # 8217 foi Maya Danava. Na mitologia hindu, Maia foi um grande e antigo rei das raças asura, daitya e rākṣasa. Maya era conhecido por sua arquitetura brilhante. Em Mahabharatha, Mayasabha, o salão das ilusões, foi batizado em sua homenagem.

A arquitetura e o design de Sigiriya estão fora deste mundo. Toda a fortaleza de pedra foi desenhada na forma de um enorme leão, cujos pés maciços permanecem de pé até hoje, apesar de seu corpo ter sido destruído em um passado distante.

A área onde Sigiriya está localizada é habitada desde tempos muito antigos. Os pesquisadores encontraram evidências de que muitos abrigos e cavernas rochosas ao redor do antigo local foram habitadas por monges budistas já no século III a.C.

A rocha Sigiriya mostra sinais de habitação de cinco mil anos atrás, durante o período mesolítico.

O local foi redescoberto em 1831, quando o major Jonathan Forbes, do 78º Highlanders do exército britânico, encontrou um & # 8220 cume coberto de Sigiriya. & # 8221

O primeiro trabalho arqueológico em Sigiriya começou na década de 1890.

H.C.P. Sino—Um funcionário público britânico e comissário do Serviço Civil do Ceilão, nascido na Índia Britânica—foi o primeiro arqueólogo a realizar uma extensa pesquisa sobre Sigiriya.


සීගිරි බලකොටුව [සංස්කරණය]

ප්‍රධාන අවධි [සංස්කරණය]

  • කාශ්‍යප යුගය (ක්‍රි.පූ.5-ක්‍රි.පූ .3 දක්වා)
  • කාශ්‍යප යුගය (ක්‍රි.පූ.497-475 දක්වා)
  • පසු කාශ්‍යප යුගය (ක්‍රි.ව.6-13 දක්වා)
  • අප්‍රකට යුගය (ක්‍රි.ව.13-17 දක්වා)
  • මහනුවර යුගය (ක්‍රි.ව.17-19 දක්වා)
  • නූතන යුගය (ක්‍රි.ව.19-අද දක්වා)


තද පැහැයෙන් යුතුව ක්ෂිතිජය සිප සිප ගනිමින් උතුරට නෙරා යන මහා පව්ව පාමුල අතිශය ප්‍රතාපවත් ව වැදහොත් සිංහරාජයෙකුගේ විලාසෙන් විලාසෙන් නිමවා ඇති හෙයින් මෙයට සිංහගිරිය හෙවත් සීගිරිය යන නාමය පටබැඳුණි. සිංහරාජ තෙම් සැතපුම් ගණනක් ඈතට ඈතට විහිදෙන බියමුසු හැඟිමක් දැනවුවත් සිංහරූපය දැකීමෙන් එහි ගිය පැරැන්නන් තරම්ම නුතන යුගයේ මුල් ම පුරා විද්‍යාඥයන් ද, වශීකෘත වු බව 1898 දී ඒච්.සී.පී.බෙල් මහතා ප්‍රකාශ කර ඇත. දැනට ශේෂව ඇතත් සිංහයාගේ බාහු බාහු යුගලය පමණක් වුව ද කෙනකු තුළ ප්‍රතාපය හා බලය පිළිබද අපුරු හැඟිමක් දැන දැන වීමට ප්‍රමාණවත් බව කැටපත් පවුරේ ලියු මේ ගීයෙන් පැහැදිලි වේ.

දක්නට ලැබෙන ලක්ෂණ [සංස්කරණය]

  • පර්වත මස්තකයේ තිබෙන රජ මාළිගාව
  • ගඩලින් තැනූ සිංහයාගේ රූප ඇඳ තිබෙන සීගිරි ලලනාවන්
  • සීගිරි කැටපත් පවුර
  • දිය අගල්

පුරා විද්‍යාත්මක නටඹුන් හා විශේෂ ලක්ෂණ [සංස්කරණය]

ක්‍රි.ව. 5 වැනි සියවසේ කාශ්‍යප රජු විසින් තනන ලද පුරාණ මාළිගයක් සීගිරියෙහි ඇත්තේය. කාශ්‍යප රජු සීගිරිය මුදුනේ මාළිගාව තනද්දී රාවණ රජුගේ මාළිගයෙහි නටඹුන් හමුවූ බවට කතාවක්ද පවතී.පර්වතයේ සමතලා මතුපිට එම මාළිගයෙහි නටඹුන්. මැද හරියේ තිබෙන සමතලා බිමෙහි සිංහ ද්වාරයක්ද කුරුටු ගී තිබෙන කැටපත් පිහිටා ඇත. පහළ මාළිගාව පර්වතයේ පහළ බෑවුමට බෑවුමට හේත්තු වන්නට නිර්මාණය කරන ලද දිය අගල් තාප්ප හා උද්‍යාන පර්වත පාමුල සිට මීටර් සිය ගණනක් දුරට විහිදී ඇත.මෙම භූමිය මාළිගාවකින් හා බලකොටුවකින් යුක්තය. දැනට තිබෙන ප්‍රමාණවත් නටඹුන් වලින් එය නිර්මාණය කළ අයගේ විශිෂ්ඨ හැකියාව හා නිර්මාණශීලිත්වය පිළිබද අගනා හැගීම් එය නැරඹීමට පැමිණෙන අයගේ සිතෙහි ජනිත කරවයි.

සීගිරි භූමි සැළැස්ම පළමු සහශ්‍රයේ නාගරික සැලසුම් කරණයේ අනර්ඝ උදාහරණයක් ලෙස ලෙස සීගිරි නිර්මාණය හැක. භූමි සැළසුම ඉතාමත් අලංකාර සහ සුක්ෂ්‍යම ලෙස සකස් කරන ලද්දක් ලෙස සැලකේ. සැලසුම් සකස් කිරීමේදි ජ්‍යාමිතික සැළසුම් සහ අවට පිහිටි ස්වාභාවික වස්තූන්ගෙන් පිහිටීම පිළිබදව ඉතා හොදින් නිරීක්ෂණය කර සංයෝග කර ගැළපීම් හා නොගැලපීම් සංකල්පය එක් කොට ඇති බව පෙනේ. පර්වතය බටහිර දෙසින් තිබෙන උද්‍යාණය රාජකීයන් උදෙසා සුදුසු ලෙස සකස්කර ඇත. උද්‍යානයෙහි ජලය රදවා තබා ගන්නා ව්‍යුහය නිර්මාණය කර ඇත. ඒවා සකස් කිරීමේදී පොලව යටින් දිවෙන ජල පීඩන ක්‍රමයක් යොදා ගෙන ඇති අතර මෙයින් සමහරක් අදද ක්‍රියාත්මක මට්මේහි තිබේ. පර්වතයට දකුණින් මිනිස් අතින් නිම කළ ජලාශයකි. මෙවැනි ජලාශ මීට පෙර ශ්‍රී ලංකාවේ වියළි කලාපයෙහිද බොහෝ සෙයින් ප්‍රයෝජනයට ගැනුණි. සීගිරි බිමට පිවිසෙන ස්ථාන වල දොරටු පහකි. ඒවා අලංකාර ලෙස නිමවා ඇති බටහිර දොරටුව රාජකීයන් උදෙසා වෙන්කර තිබුණා යැයි විශ්වාස කළ හැක. මෙහි වාස්තු විද්‍යනුකුල සැලසුමක් සහිතව ඉදිකර ඇත.එමෙන්ම සීගිරිය දුර්ග බලකොටුවකි. ජල දුර්ග, වන දුර්ග, ගිරි දුර්ග ආදියෙන් සීගිරිය සමන්විතය.


More History

Even though the history records of Sigiriya starts with the king Kashyapa, there are many folklore which connects Sigiriya with the long lost ancestors of Singhalese people. According to the folklore the Sigiriya rock was selected for building a palace long before Kashyapa. It is believed the elder brother of Demon King Ravana, Vaisravana built his palace on the rock. Which was developed by Kashyapa as a fortress. this is what I could compile using the folklore and myth.

While my visit to Sigiriya, I was asking myself the question, how can a king who only ruled for 18 years, build and develop a place like Sigiriya? Of cause what we see today is just bits and pieces of what was once a Royal three story palace and a park, complete with fountains, swimming pools and beautiful kiosks. It could be that the King Kashyapa ruled for more than 18 years, and the author if Mahavansa got the timing incorrect. However we have reason to believe this is not the case, simply because the Author of Mahavansa (Venerable Mahanama Thero) actually witnessed the whole story from the Pidurangala temple which is close to the Sigiriya rock itself.

The other plausible explanation is that Sigiriya was already a fortress and most of its architecture was intact when Kashyapa decided it as the venue for his palace. This is where the folklore aligns with the history records. However it should be noted that Mahavansa or any other history book available to date does not describe this fact.

According to the folklore, Sigiriya was known as Alakamanda or Alakamandawa by Singhalese Yakkha Tribes. Alakamandawa was the palace of Kubera (also called Kuwera).

According to Hindu mythology, Kubera (also read as Kuvera), is believed to be the lord of wealth. And Kubera is also believed to be the god-king of the Yakshas. According to Hindu scripts, He could be regarded as a protector of the world and the overload of many semi-divine species. Some of the Vedic texts describe Kubera as the chief of evil spirits, where Hindu epics depict him as a god.



Comentários:

  1. Lionell

    Eu acho que não existe.

  2. Isaac

    Eu participei de tudo acima. Vamos discutir esta pergunta. Aqui ou em PM.



Escreve uma mensagem