Republic P-43 Lancer

Republic P-43 Lancer


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Republic P-43 Lancer

Em outubro de 1939, Seversky mudou seu nome para República. O P-43 Lancer foi a primeira aeronave a entrar em produção em massa com o novo nome da empresa. O projetista-chefe da Republic, Alexander Kartveli, originalmente esperava produzir uma aeronave com um motor bem fechado e com spinner completo na hélice, para reduzir o arrasto causado por grandes motores radiais, mas este projeto falhou devido ao superaquecimento e assim ele foi forçado a reverter para o capuz aberto normal. Apesar disso, uma combinação de maior potência e um design limpo significava que o P-43 superou os atuais caças da USAAF, o Seversky P-35 e o Curtiss P-36, e em 12 de maio de 1939 um pedido de pré-produção foi feito para 13 aeronaves.

A primeira dessas aeronaves chegou um ano depois, quando o P-43 já estava obsoleto devido aos eventos na Europa. Mesmo antes de o primeiro YP-43 estar pronto, ele foi substituído na carteira de pedidos da Republic pelo foguete P-44 projetado. No entanto, em setembro de 1940, esta aeronave foi cancelada em favor do P-47 Thunderbolt. Toda a produção existente foi revertida para o padrão P-43. No ano seguinte, um total de 272 P-43s foram construídos.

Essas aeronaves se dividiram em três lotes. Os primeiros 54 eram movidos pelo Pratt & Whitney R-1830-35, o que lhes conferia uma velocidade máxima de 351 mph. Em seguida veio o 80 equipado com o R-1830-49, sob a designação P-43A. Finalmente 125 foram construídos com o R-1830-57 e designados P-43A-1. Essas aeronaves atingiram uma velocidade máxima de 356 mph.

O P-43 Lancer teve uma carreira limitada no serviço nos Estados Unidos. Durante 1940, foi geralmente usado como inimigo em exercícios aéreos. Depois disso, a maioria dos P-43 restantes foram convertidos em aeronaves de reconhecimento de foto. Mesmo então, eles viram pouco serviço ativo. No entanto, sessenta viram o combate com a Força Aérea Chinesa em sua guerra contra o Japão.

Estatísticas
Motor: Pratt & Whitney R-1830-49 Twin Wasp
Potência: 1.200
Velocidade máxima: 355 mph a 20.000 pés
Teto de serviço: 26.000 pés
Alcance: 800 milhas
Vão: 36 pés 0 pol.
Comprimento: 28 pés 6 pol.
Armamento: duas metralhadoras .50in nas asas, duas metralhadoras .30in no nariz.
Carga útil: Seis bombas de 20 lb ou duas bombas de 200 lb


Republic P-43 Lancer - História

Republic P-43 Lancer

Dora Wings, escala 1/48

Resumo :

Catálogo de número:

Dora Wings Kit No. DW48029 & ndash Republic P-43 Lancer

Conteúdo e mídia

116 peças em plástico cinza sete peças em claro 14 peças foto-gravadas em um único traste decalques de máscaras cortadas para quatro opções de marcação.

Tipo de revisão:

Moldado de forma limpa, alto nível de detalhe, uso apropriado de assunto multimídia de boas-vindas.

Desvantagens:

A ausência de pinos de localização nas peças principais significa que é necessário cuidado para o alinhamento.

Este é um kit muito bem detalhado e um substituto valioso para o Lancer P-43 de escala 1/48 vintage da Classic Airframes. Como uma oferta de tiragem limitada, algumas habilidades de modelagem serão necessárias para a preparação e alinhamento das peças, mas não vejo nada assustador aqui. O Lancer P-43 em escala 1/48 de Dora Wings será calorosamente recebido pelos fãs de lutadores da Segunda Guerra Mundial.

Fundo

O Republic P-43 Lancer era um caça monomotor, todo em metal, de asa baixa, monoplano construído pela Republic, entregue pela primeira vez ao United States Army Air Corps em 1940.

Embora não seja um lutador particularmente notável, o P-43A tinha um desempenho muito bom em altas altitudes, juntamente com um sistema de oxigênio eficaz.

Rápido e bem armado com excelentes capacidades de longo alcance, até a chegada do Lockheed P-38 Lightning, o Lancer era o único caça americano capaz de capturar um avião de reconhecimento japonês Mitsubishi Ki-46 & quotDinah & quot nas velocidades e alturas em que voou.

Os P-43s Lend-Lease foram entregues à China por meio do Grupo de Voluntários Americanos de Claire Chennault, os Tigres Voadores. Os pilotos envolvidos nos voos de balsa elogiaram o P-43 por seu bom desempenho em alta altitude em comparação com o Curtiss P-40, boa taxa de rotação e um motor radial sem um sistema de refrigeração a líquido vulnerável.

A USAAC considerou o P-43 e suas variantes obsoletos desde o início e os usou apenas para fins de treinamento. No outono de 1942, todos os sobreviventes da USAAF (transição da USAAC em junho de 1941) P-43 foram redesignados como RP-43, indicando que eram impróprios para o combate.

A maioria das aeronaves que não foram enviadas para a China foram modificadas para tarefas de reconhecimento de fotos e usadas para treinamento.

Oito P-43s (quatro P-43A-1s e quatro P-43Ds) foram emprestados à Real Força Aérea Australiana em 1942 e serviram com a Unidade No. 1 de Reconhecimento de Fotos. A RAAF realizou muitas missões de reconhecimento fotográfico de longa distância e alta altitude antes de os seis sobreviventes serem devolvidos à USAAF em 1943. *

Primeira vista

Os fãs do Lancer foram deixados em apuros no que diz respeito aos kits de escala 1/48. Até onde eu sei, o único kit Lancer em escala 1/48 era a oferta limitada de Classic Airframes do século anterior.

Portanto, foi muito bom ver que Dora Wings se preparou para bater com um novo Republic P-43 Lancer escala 1/48.

O kit é composto por 116 peças em plástico cinza médio, sete peças transparentes, 14 peças gravadas em foto em um único traste, máscaras recortadas e decalques para quatro opções de marcação.


Aviação da República

Você ainda pode sentir o zumbido dos motores P-47 Thunderbolt enquanto eles se alinham para partir para o teatro europeu na Segunda Guerra Mundial. O AAP tem um P-47 Thunderbolt apelidado de vingança de Jacky (veja a foto mais abaixo nesta página).

Existem muitos artefatos e storyboards interessantes da Aviação da República, então confira nossos queridos amigos no American Airpower Museum.

Os Estranhos Começos da Republic Aviation

Para traçar a história da Republic Aviation, temos que voltar à Seversky Aircraft Company, fundada em 1931 por Alexander de Seversky, um expatriado russo e piloto veterano da Primeira Guerra Mundial que perdeu uma perna na guerra. Depois de várias tentativas fracassadas de ganhar contratos com aeronaves militares, a Seversky Aircraft finalmente venceu uma competição de design para um novo caça do Army Air Corps e ganhou seu primeiro contrato militar em 1936 para a produção de seu P-35.

Em 1939, a Seversky Aircraft novamente entrou em uma competição de caça militar com seu AP-4. Infelizmente, o contrato foi concedido a Curtiss com seu P-40 Warhawk.

O Corpo de Aviação do Exército ficou muito satisfeito com o desempenho do AP-4 em média e alta altitude e encomendou 13 para testes. Eles receberam a designação de YP-43.

Nasce a Republic Aviation

Em abril de 1939, a Seversky Aircraft Corporation havia perdido $ 550.000 e Seversky foi forçado a deixar sua própria empresa pelo conselho de diretores enquanto estava em uma viagem de negócios. Em setembro de 1939, a empresa foi reorganizada como Republic Aviation Corporation.

P-43 Lancer

O YP-43 da Seversky continuou em desenvolvimento e entrou em produção como P-43 Lancer (veja a foto abaixo). Um total de 272 P-43 Lancers seria produzido, com 108 deles sendo enviados à China para serem usados ​​contra os japoneses.

Muitas dessas aeronaves passariam pelas mãos dos Tigres Voadores do American Volunteer Group (AVG), que ficaram muito satisfeitos com o desempenho do avião em altitudes de até 30.000 pés. Era uma melhoria em relação ao P-40, que era ineficaz em altitudes acima de 20.000.

Infelizmente, a líder do AVG, Claire Chennault, não gostou da falta de blindagem e tanques de combustível autovedantes dos primeiros P-43. Ele se recusou a manter o avião para suas tripulações.

Em 1939, tanto Seversky quanto Curtiss participaram de uma competição do Exército para desenvolver um interceptor leve. Curtiss apresentou uma versão leve do P-40 designado XP-46, enquanto Seversky apresentou um design semelhante designado XP-47.

Ambos os projetos usaram o motor Allison V-1710 V-12, com o projeto Seversky usando um turbo-supercompressor. No final, nenhum dos projetos mostrou uma melhora significativa em relação ao P-40. Nenhum dos dois veria produção. ainda.

Precursor Thunderbolt

O desenvolvimento do P-43 continuou usando um motor radial Pratt & Whitney R-2180. A aeronave resultante era conhecida como XP-44.

Quando o R-2180 não produziu a potência esperada, Seversky (agora Republic Aviation) mudou para o Wright R-2600. Apesar de possuir 1.600 cavalos de potência, este motor não podia ser superalimentado e a Republic finalmente modificou o design novamente, desta vez para acomodar o enorme motor Pratt & Whitney R-2800 Double Wasp, que produzia incríveis 1.850 cavalos.

A aeronave resultante, agora conhecida como foguete P-44, foi realmente impressionante. Capaz de atingir velocidades de 404 mph a 20.000 pés e uma taxa de subida de 4.000 pés por minuto, a aeronave teria sido um interceptador excepcional.

Infelizmente, a aeronave não era capaz de transportar mais combustível do que o P-43, e o motor Double Wasp tinha muito mais sede, limitando o alcance da aeronave.

À medida que a guerra aérea na Europa avançava, o Exército estava descobrindo que o que realmente precisava era um caça de longo alcance capaz de escoltar bombardeiros para a Alemanha. Alexander Kartveli, o engenheiro-chefe da Republic, foi chamado para a divisão de Aeronaves Experimentais do Exército e informado sobre os novos requisitos e que o P-44 não seria encomendado em sua configuração atual.

Foi um revés devastador porque Kartveli sabia que o XP-44 não poderia ser reprojetado para atender a esses novos requisitos. No trem de volta para Nova York, ele começou a esboçar um novo design. Esta aeronave se tornaria o P-47 Thunderbolt.

P-47 Thundebolt

A USAAF recusou-se a dar à Republic qualquer dinheiro para o desenvolvimento do novo XP-47B, então a Republic Aviation pagou pela construção do primeiro mock-up, reutilizando a área da cabine do P-43.

Quando o protótipo estava pronto para o teste, pesava 400 libras acima do limite do Exército para o novo projeto de caça. Ele também podia transportar apenas 298 galões de combustível, 17 galões a menos do que o necessário, mas o Exército estava geralmente satisfeito com seu desempenho, alcançando velocidades de 412 mph a 25.800 pés, e ignorou esses problemas.

Foto acima: P-47G Thunderbolt ‘Spirit of Atlantic City’ (42-25254, NX3395G) pertencente ao museu Planes of Fame em Chino, CA.

A entrada dos EUA na Segunda Guerra Mundial aumentou rapidamente a necessidade do XP-47B e o trabalho no avião progrediu rapidamente. Em junho de 1942, o Exército recebeu seus primeiros P-47Bs.

Eles logo fizeram um pedido que exigia que a Republic Aviation quadruplicasse o tamanho de sua fábrica e construísse três novas pistas na fábrica de Farmingdale, em NY. Eventualmente, isso se mostrou inadequado e, em novembro de 1942, o Exército autorizou a construção de uma nova fábrica adjacente ao aeroporto de Evansville, Indiana.

Ao longo da guerra, o P-47 passaria por um desenvolvimento constante. Um dossel em bolha foi adicionado para aumentar a visibilidade para trás. A versão final do P-47 seria o P-47N, uma versão de longo alcance com asas e fuselagem mais longas e maior capacidade de combustível.

O P-47N foi projetado para escoltar B-29 em longas missões ao Japão para uma invasão planejada da pátria japonesa que nunca aconteceu. A produção de todas as versões terminou em novembro de 1945 com 15.660 P-47 sendo construídos, tornando-o o caça americano mais produzido da guerra. Destes, 1.816 seriam o modelo P-47N de longo alcance. Este modelo continuaria a servir com unidades da Reserva da Força Aérea e da Guarda Nacional Aérea até meados dos anos 1950.

RC-3 Seabee

Em 1946, a Republic buscou temporariamente o mercado de aeronaves civis para produzir o Republic RC-3 Seabee, um anfíbio incomum todo de metal. O Seabee foi ideia de Percival "Spence" Spencer, um ex-piloto de testes do Republic P-47.

Percival convenceu a República da necessidade de um avião esportivo leve para atender à demanda por aeronaves particulares dos pilotos que retornavam da Segunda Guerra Mundial. As vendas esperadas de 5.000 Seabees por ano nunca se concretizaram, já que a maioria dos pilotos de retorno nunca mais voou, embora a Republic tenha conseguido vender 1.060 Seabees em dois anos de produção.

Esse era um número respeitável em uma época em que muitos fabricantes de aeronaves pequenas produziam apenas um punhado de aeronaves antes de falir. Muito disso se deve ao preço incrivelmente baixo do Seabee, a partir de US $ 3.500.

Foto acima: RC-3 Seabee (615, N6386K) no show aéreo 1941 Historical Aircraft Group, Geneseo, NY.

Família F-84 (Thunderjet, Thunderstreak, Thunderflash)

Em 1946, a Republic voltou sua atenção para os contratos militares, desenvolvendo um caça a jato monomotor para atender aos requisitos do Exército para um caça com velocidade máxima de 600 mph. O primeiro YP-84A Thunderjet voou em 28 de fevereiro de 1946, mas a aeronave foi atormentada por tantos problemas de desenvolvimento que o primeiro F-84B só entrou em serviço na Força Aérea em 1949.

O maior sucesso veio com o F-84D de asa reta, que viria a se tornar uma aeronave importante durante a Guerra da Coréia, voando 86.408 missões. Em 1949, uma versão de asa varrida conhecida como F-84F Thunderstreak foi desenvolvida, mas o desenvolvimento adicional e problemas de motor fizeram com que a aeronave só entrasse em serviço em 1954.

Uma versão de foto-reconhecimento conhecida como RF-84F Thunderflash foi desenvolvida a partir do F-84F com 715 produzidos. A versão final de asa reta, conhecida como F-84G, continuaria em serviço com unidades da Guarda Aérea Nacional até 1971, quando a corrosão os forçou a serem retirados de serviço.

Fotos acima de cima para baixo:

F-84F Thunderstreak (52-6563)

F-105 Thunderchief

Em 1951, Alexander Kartveli começou a projetar um substituto para o F-84 Thunderjet. A nova aeronave seria um caça monomotor, mas maior do que qualquer caça monomotor já projetado para a Força Aérea.

Quando o mock-up foi concluído em outubro de 1953, a aeronave havia crescido tanto que um motor mais potente foi necessário, finalmente optando pelo Pratt & Whitney J75. Em 28 de junho de 1954, a Força Aérea fez um pedido de 15 dos novos F-105A Thunderchiefs.

A aeronave pesava 50.000 libras, mas podia transportar até 14.000 libras de bombas e mísseis e voava a Mach 1 ao nível do mar e Mach 2 à altitude. Embora tivesse apenas um motor, o F-105 Thunderchief poderia carregar uma carga de bomba maior do que um bombardeiro de quatro motores da Segunda Guerra Mundial e viajar uma distância muito maior a uma velocidade muito maior.

O F-105 se tornaria a principal aeronave de ataque ao solo da Guerra do Vietnã, voando mais de 20.000 missões até ser substituído pelo F-4 Phantom II em novembro de 1970. Dos 833 F-105 produzidos, 397 foram perdidos em combate no Vietnã. Dezessete foram abatidos por MiGs norte-vietnamitas, enquanto o restante foi perdido principalmente devido ao fogo terrestre.

O F-105 seria o último projeto independente da Republic Aviation. Uma versão "Wild Weasel" de dois lugares, conhecida como F-105G, foi desenvolvida posteriormente para substituir a versão "Wild Weasel" do F-100. O primeiro F-105G voou em 15 de janeiro de 1966, e as entregas começaram a chegar ao Sudeste Asiático em junho de 1966. Esta versão continuou operando no teatro muito depois que as versões de ataque ao solo foram retiradas e ainda estava em serviço no final da guerra.

Fotos acima de cima para baixo:

F-105D Thunderchief (60-0504) no Museu Nacional da USAF.

F-105G Thunderchief 'Wild Weasel' (62-4427) no Pima County Air & Space Museum.

Os anos finais

Em dezembro de 1957, a Republic Aviation desenvolveu uma divisão de helicópteros, construindo o helicóptero francês Alouette sob licença, mas com sucesso de vendas marginal. Em um esforço para manter a empresa funcionando, a Republic desenvolveu um turboélice civil de médio alcance chamado Rainbow. A aeronave seria muito rápida para um avião a hélice, mas o interesse das companhias aéreas não foi suficiente para continuar o desenvolvimento da aeronave e o projeto foi cancelado.

A Republic Aviation fez uma última tentativa de sobrevivência voltando aos contratos militares. Em 1960, a Republic Aviation adquiriu uma participação minoritária na empresa de aeronaves holandesa Fokker e tentou comercializar um avião de ataque projetado por Fokker para a Força Aérea, mas a Força Aérea mostrou pouco interesse no projeto estrangeiro e nenhum contrato foi oferecido.

Foto abaixo do A-10A Thunderbolt (80-0168) tirada no show aéreo da Aviation Nation 2007 na Nellis AFB.

No início dos anos 1960, a empresa aeroespacial Fairchild, de propriedade de Sherman Fairchild, começou a comprar as ações da Republic e finalmente adquiriu a Republic Aviation em julho de 1965. Em setembro, a Republic se tornou a Divisão de Aviação da Republic da Fairchild Hiller. A Republic Aviation deixou de existir como empresa independente.

A tradição da Republic de nomear aeronaves foi levada adiante por Fairchild Hiller com o A-10 Thunderbolt II. A aeronave é mais conhecida por seu título não oficial "Warthog".


Aeronaves semelhantes ou semelhantes a Republic P-43 Lancer

A primeira aeronave de caça toda de metal de produção americana e o primeiro monoplano de perseguição a entrar em serviço de esquadrão com o Corpo Aéreo do Exército dos Estados Unidos. Ainda em uso no US Army Air Corps até 1941 nas Filipinas. Wikipedia

Avião americano de caça e ataque ao solo monomotor, monoposto, todo em metal, que voou pela primeira vez em 1938. Modificação do Curtiss P-36 Hawk anterior que reduziu o tempo de desenvolvimento e permitiu uma rápida entrada em produção e serviço operacional. Wikipedia

Avião de combate americano monoplano de asa baixa, monomotor e monoplano da década de 1940, desenvolvido pela empresa Curtiss-Wright como sucessor de seu P-40. Ele passou por uma longa série de versões de protótipo, eventualmente evoluindo para um design que tinha pouca semelhança com o P-40. Wikipedia

Caça da época da Segunda Guerra Mundial produzida pela empresa aeroespacial americana Republic Aviation de 1941 a 1945. Wikipedia

Avião de caça monoplano monomotor monoposto usado pelo Serviço Aéreo do Exército Imperial Japonês durante a Segunda Guerra Mundial. A designação do Exército japonês era & quotTipo 5 Fighter & quot (五 式 戦 闘 機). Wikipedia

Os Ryan STs eram uma série de aeronaves monoplano de asa baixa, de dois assentos, construídas nos Estados Unidos pela Ryan Aeronautical Company. Eles foram usados ​​como aeronaves esportivas, bem como treinadores por escolas de aviação e militares de vários países. Wikipedia

O primeiro avião bombardeiro monoplano totalmente metálico projetado para o Corpo Aéreo do Exército dos Estados Unidos. Alteração ampliada do transporte comercial Boeing & # x27s Modelo 200 Monomail. Wikipedia

Monoplano italiano de asa baixa, todo em metal, desenvolvido e fabricado pela empresa aeronáutica Reggiane. Usado pela Regia Aeronautica e pela Força Aérea Sueca durante a primeira parte da Segunda Guerra Mundial. Wikipedia

A designação do United States Army Air Corps para uma aeronave monoplano de treinamento primário de asa baixa que serviu antes e durante a Segunda Guerra Mundial. Contemporâneo do treinador biplano Boeing-Stearman PT-13 Kaydet, no qual os pilotos aprenderam a voar antes de avançar para o Treinamento Básico de Voo no BT-9. Wikipedia

Avião de caça construído nos Estados Unidos em 1939. Modificado da última produção Seversky P-35 pela adição de um novo velame aerodinâmico, um motor Pratt & amp Whitney R-1830-19 com um supercharger de duas velocidades e trem de pouso revisado. Wikipedia

Avião de caça americano proposto pela Republic Aviation em 1941 em resposta a uma exigência do United States Army Air Corps para um caça de alta velocidade. Encomendado como protótipo, foi cancelado devido a atrasos no motor que o alimentaria. Wikipedia

Aeronave monomotor monoplano de asa central e bombardeiro construída para a Força Aérea Real e a Marinha dos Estados Unidos entre 1942 e 1944. Também fornecida para as Forças Aéreas do Exército dos Estados Unidos e o Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos. Wikipedia

Projeto de estudo da década de 1930 do United States Army Air Corps para desenvolver um motor de aeronave de alto desempenho que seria igual ou melhor do que a aeronave e os motores então em desenvolvimento na Europa. Para produzir um motor que fosse capaz de entregar 1 hp / in3 de cilindrada para um peso de menos de 1 lb / hp entregue. Wikipedia

Caça e caça-bombardeiro americano de longo alcance e monoposto usado durante a Segunda Guerra Mundial e a Guerra da Coréia, entre outros conflitos. Projetado em abril de 1940 por uma equipe de design chefiada por James Kindelberger da North American Aviation em resposta a uma exigência da Comissão de Compras Britânica. Wikipedia

Aviões de combate projetados e construídos pelos americanos nas décadas de 1930 e 40. Um dos primeiros de uma nova geração de aeronaves de combate - um design monoplano elegante que faz uso extensivo de metal em sua construção e movido por um poderoso motor radial. Wikipedia

Avião de caça monoplano de asa alta dos anos 30, monoplano, de design iugoslavo, construído para a Força Aérea do Exército Real da Iugoslávia. Projetado pelos engenheiros treinados na França Kosta Sivčev e Ljubomir Ilić, que viram o desejo de desenvolver uma indústria de aeronaves doméstica. Wikipedia

O Corpo Aéreo do Exército dos Estados Unidos e a segunda aeronave monoplano de ataque ao solo # x27 e sua principal aeronave de ataque durante a maior parte da década de 1930. Baseado no A-8, mas tinha um motor radial em vez do A-8 & # x27s em linha, motor refrigerado a água, bem como outras mudanças. Wikipedia

A principal aeronave de caça usada pela Força Aérea do Exército Imperial Japonês até 1940. Chamada de & quotAbdul & quot no teatro da & quotChina Burma India & quot por muitas fontes do pós-guerra A Inteligência Aliada reservou esse nome para o inexistente caça Mitsubishi Navy Type 97, que se esperava que fosse o sucessor de o Tipo 96 de porta-aviões (Mitsubishi A5M) com trem de pouso retrátil e cabine fechada. Wikipedia

Aeronave de caça monoplano, totalmente em metal, com cabine aberta e material rodante fixo, projetada e produzida pelo fabricante francês de aeronaves Dewoitine. Desenvolvido para ser um substituto mais capaz para o Nieuport 62. Wikipedia


  • AP-4: O AP-4 foi um empreendimento privado realizado pela então Seversky Aircraft. Em março de 1939, um pedido de 13 aeronaves de avaliação foi recebido, denominado YP-43. Essas aeronaves foram entregues entre setembro de 1940 e maio de 1941.
  • P-43: Modelo de produção padrão. Idêntico ao YP-43. 54 construído.
  • P-43A: R-1830-49 atualização do motor Canhões de 0,30 pol. Montados nas asas substituídos por canhões de 0,50 pol. 80 construído.
  • P-43A-1:Versão chinesa Lend-Lease. 125 construídos, dos quais 51 foram efetivamente entregues. 1 canhão de 0,50 polegadas em cada asa, dois no nariz. Um ponto central para o tanque de combustível ou bombas de 200 libras. Adicionada blindagem básica e proteção do tanque de combustível. Usado resumidamente pelo American Volunteer Group. & # 912 e # 93
  • P-43B / C / D: Versões de reconhecimento de foto. Convertido das versões '43A e' 43A-1, respectivamente.

Desenvolvimento

O P-43 começou a vida como um projeto de financiamento privado da Republic Aviation Corporation, que se formou recentemente a partir dos restos mortais da Seversky Aviation. AP-4 era a designação desse projeto, que era um caça monoposto com turbo-compressor. Um pedido de 13 aeronaves para teste foi recebido sob o YP-43.

Diversas fontes afirmaram que a USAAC encomendou esses aviões apesar de saber que eram inferiores para manter a recém-fundada República em atividade enquanto desenvolviam a aeronave que se tornaria o P-47 Thunderbolt. & # 913 & # 93 & # 912 & # 93


Republic P-43 Lancer - História

O Republic P-43 Lancer era uma aeronave de caça monoplano de asa baixa, monomotor, toda em metal, construída pela Republic, entregue pela primeira vez ao United States Army Air Corps em 1940. Um desenvolvimento proposto foi o foguete P-44. Embora não seja um lutador particularmente notável, o P-43A teve um desempenho muito bom em alta altitude, juntamente com um sistema de oxigênio eficaz. Rápido e bem armado com excelentes capacidades de longo alcance, até a chegada do Lockheed P-38 Lightning, o Lancer era o único caça americano capaz de capturar um avião de reconhecimento japonês Mitsubishi Ki-46 "Dinah" nas velocidades e alturas de que eles voaram. Além disso, o P-43 voou muitas missões de reconhecimento de foto de longo alcance e alta altitude até ser substituído por F-4 / F-5 Lightnings (variantes do P-38) tanto na USAAF quanto na RAAF.

A Seversky Aircraft Company, que em 1939 mudou seu nome para Republic, construiu uma série de empreendimentos privados, variantes únicas de seu projeto P-35, apresentando diferentes motores e melhorias, designados AP-2, AP-7, AP-4 (que voou após o AP-7), AP-9 e XP-41. A série incluiu uma versão baseada em porta-aviões designada NF-1 (Naval Fighter 1) que também foi construída. O mais significativo deles foi o AP-4, que serviu de base para as futuras aeronaves Seversky / Republic. Ele apresentava trem de pouso totalmente retrátil, rebitagem nivelada e, mais significativamente, um motor Pratt & Whitney R-1830-SC2G com um turbo-supercompressor montado na barriga, produzindo um bom desempenho em alta altitude. O turbo-supercompressor foi refinado pela Boeing como parte do programa de desenvolvimento do B-17 Flying Fortress, e o desempenho aprimorado que ele oferecia era de grande interesse para outros fabricantes de aeronaves. Green, 1969, pág. 167. O XP-41 e o único AP-4 eram quase idênticos, embora o AP-4 fosse inicialmente equipado com um grande spinner de hélice e uma capota de motor bem ajustada, como um teste para avaliar os meios de melhorar a aerodinâmica de motores radiais caças, seguindo experimentos semelhantes com o primeiro P-35 de produção. O grande spinner do AP-4 foi posteriormente removido e uma nova capota apertada ajustada. Sem surpresa, essas medidas levaram a problemas de superaquecimento. Em 22 de março de 1939, o motor pegou fogo durante o vôo, o piloto teve que saltar para fora e o AP-4 foi perdido. Apesar da perda do protótipo, a USAAC gostou do demonstrador AP-4 turbo-supercharged o suficiente para encomendar mais 13 em maio de 1939, designando-os YP-43. Green, 1969, pág. 166

O YP-43 difere do AP-4 por ter uma fuselagem "razorback" com uma coluna alta que se estende para trás do dossel. Green 1969, pp. 166-167. A entrada de ar do motor foi movida da asa de bombordo para abaixo do motor, resultando em uma capota oval distinta. A aeronave era movida por um motor radial R-1830-35 de 14 cilindros refrigerado a ar com um turbo compressor General Electric B-2 gerando 1.200 hp e acionando uma hélice de três pás de passo variável. O armamento consistia em duas metralhadoras sincronizadas no capô e uma única metralhadora em cada asa. O primeiro dos 13 YP-43s foi entregue em setembro de 1940, o último em abril de 1941. Os primeiros testes revelaram uma forte tendência de guinar durante as rolagens de decolagem e pouso, corrigida pelo redesenho da roda traseira. Embora a aeronave excedesse os requisitos iniciais de desempenho do USAAC, em 1941 estava claramente obsoleta, sem capacidade de manobra, blindagem ou tanques de combustível autovedantes. A USAAC sentiu que o projeto básico do P-35 / P-43 havia esgotado suas reservas para melhorias adicionais no desempenho e mudou seu interesse para o promissor P-47.

Aeronaves de produção, idênticas aos protótipos YP-43, foram designadas "Lancer" e foram entregues entre 16 de maio e 28 de agosto de 1941. Atrasos constantes no programa P-47 resultaram na USAAC encomendando um 80 P-43J adicional, com a Pratt & Whitney Motor R-2180-1 Twin Hornet avaliado em. O motor prometia melhor desempenho em alta altitude, e o armamento foi atualizado com 0,50 nas metralhadoras substituindo os 0,30 nas asas. A USAAC estava suficientemente interessada em atribuir à variante AP-4J a designação oficial de foguete P-44. Relatórios de combate da Europa indicavam que o novo tipo já estava obsoleto, conseqüentemente, todo o pedido foi cancelado em 13 de setembro de 1940, sem protótipos construídos. Alexander Kartveli e sua equipe concentraram seus esforços no avançado AP-10 / XP-47, que eventualmente se tornou o lendário P-47 Thunderbolt. Quando o motor Pratt & Whitney R-2800 destinado ao novo P-47 ainda não estava disponível, foi decidido encomendar 54 P-43s para manter as linhas de produção da Republic em operação. Outros 125 P-43A-1s foram encomendados para a China por meio do programa Lend-Lease, originalmente destinado a equipar o Third American Volunteer Group (AVG). Inicialmente, eles diferiam na especificação do Comando de Material Aéreo dos P-43 anteriores por serem armados com duas metralhadoras 0,50 em cada asa e nenhuma arma na fuselagem, além de possuir blindagem rudimentar e proteção do tanque de combustível. Isso teria exigido uma série de mudanças sérias de engenharia. A realidade interveio: na verdade, quando entregue, o P-43A-1 tinha o mesmo esquema de armamento dos P-43As: quatro .50 em metralhadoras, duas no capô e duas nas asas. Externamente, eles eram idênticos e apenas os números de série distinguem um P-43A de um P-43A-1. Muitas dessas aeronaves foram equipadas com armadura de cabine antes do envio para o oeste da Califórnia em caixas. As evidências são obscuras se essa armadura adicional veio da República ou foi remendada após a entrega. Green 1969, pp. 167-168. Em 1942, um total de 272 P-43s foram construídos, incluindo todas as suas variantes, um número notável considerando que a intenção original era não construir nenhum. Green, 1969, pág. 168

As aeronaves Lend-Lease foram entregues à China por meio do American Volunteer Group de Claire Chennault, os Flying Tigers. Os pilotos envolvidos nos voos de balsa elogiaram o P-43 por seu bom desempenho em alta altitude em comparação com o Curtiss P-40, boa taxa de rotação e um motor radial sem um sistema de refrigeração a líquido vulnerável. Aparentemente, vários pilotos do AVG pediram a Chennault para manter alguns P-43s, mas o pedido foi negado devido à falta de blindagem ou tanques de combustível autovedantes da aeronave. Além disso, o turbo-supercompressor não se mostrou confiável e os tanques de combustível de "asa molhada" vazaram constantemente. Em abril de 1942, Robert Lee Scott Jr. - um piloto da USAAF com o AVG - fotografou os picos do Monte Everest, atestando os pontos fortes desta aeronave. Também em abril de 1942, o veterano piloto de caça da CAF Maj. Zheng Shaoyu, sobrevivente de muitas batalhas aéreas, incluindo o "'' Flagelo Zero ''" na guerra contra a invasão imperial japonesa da China, estava transportando um P-43 de volta na China para novas operações de combate contra os japoneses, quando de repente pegou fogo causando sua morte no acidente que se seguiu. Os japoneses notaram que os tanques de combustível do P-43 eram facilmente perfurados, tornando-os mais fáceis de abater do que os do P-40. O tipo foi substituído por outra aeronave no início de 1944. A proteção rudimentar adicionada ao P-43A-1 era insuficiente. Além disso, os motores R-1830 estavam em alta demanda para o transporte Douglas C-47, efetivamente aterrando a aeronave sobrevivente. A USAAC considerou o P-43 e suas variantes obsoletos desde o início e os usou apenas para fins de treinamento. No outono de 1942, todos os sobreviventes da USAAF (transição da USAAC em junho de 1941) P-43s foram redesignados como RP-43, indicando que eram impróprios para o combate. A maioria das aeronaves que não foram enviadas para a China foram modificadas para tarefas de reconhecimento de fotos e usadas para treinamento. Oito P-43s (quatro P-43A-1s e quatro P-43Ds) foram emprestados à Real Força Aérea Australiana em 1942 e serviram na Unidade No. 1 de Reconhecimento de Fotos. A RAAF voou muitas missões de reconhecimento fotográfico de longa distância e alta altitude antes dos seis sobreviventes serem devolvidos à USAAF em 1943.

YP-43: Protótipos de pré-produção 13 construídos. P-43: Primeira versão de produção, idêntica ao YP-43 54 construído. P-43A: Versão movida pelo motor R-1830-49 e armada com metralhadoras de 0,50 pol. (12,7 mm) nas asas em substituição ao P-43 original de 0,30 pol. (7,62 mm) 80 construído. P-43A-1: Versão para a China, blindagem rudimentar e proteção de tanque de combustível de asa, armado com quatro metralhadoras 0,50 nas asas, ponta dura de linha central para tanque de lançamento ou até de bombas 125 construídas. P-43B: Versão de foto-reconhecimento com câmeras na cauda 150 convertidas de P-43A e P-43A-1. P-43C: Versão de foto-reconhecimento diferindo do P-43B apenas no equipamento dois convertido do P-43A. P-43D: Versão de reconhecimento de foto, motor R-1830-47 seis convertido do P-43A. P-43E: Proposta de versão de foto-reconhecimento com motor R-1830-47 baseado no P-43A-1. RP-43: Todas as aeronaves da USAAF renomeadas como "restritas ao combate" em 1942. Foguete P-44 (AP-4J): Versão proposta com motor Pratt & Whitney R-2180-1, nenhum construído.

* Angelucci, Enzo and Peter Bowers. ''The American Fighter: The Definite Guide to American Fighter Aircraft from 1917 to the Present''. New York: Orion Books, 1987. . * Davis Larry. ''P-35: Mini in Action''. Mini Number 1. Carrollton, Texas: Squadron/Signal, 1994. . * Green, William. ''Warplanes of the Second World War, Volume Four: Fighters''. London: Macdonald & Co.(Publishers) Ltd., 1961 (6th impression 1969). . * Jones, Lloyd S.''U.S. Fighters: Army Air-Force 1925 to 1980s''. Fallbrook, California: Aero Publishers, Inc., 1975. . *Scott, Col. Robert L., Jr. ''God Is My Co-Pilot''. Ballantine Books, 1963 (14th paperback printing), p. 72. * Swanborough, Gordon and Peter M. Bowers. ''United States Military Aircraft Since 1909''. Washington, D.C.: Smithsonian, 1989. .

Content is Copyleft
Website design, code, and AI is Copyrighted (c) 2014-2017 by Stephen Payne


Republic P-43 Lancer - History

Photograph:

Republic P-43 Lancer A56-6 at RAAF Laverton, VIC in September 1942 (RAAF Museum)

Country of origin:

Description:

Power Plant:

[P-43A-1] One 895 kw (1,200 hp) Pratt & Whitney R-1830-57 fourteen-cylinder two-row radial air-cooled engine

Especificações:

Armamento:

Four 12.7 mm (0.50 in) machine guns one 91 kg (200 lb) or six 9 kg (20 lb) bombs

História:

The Republic P-43 Lancer was a development of the Seversky P-35, and in turn was developed to become the P-47 Thunderbolt. In 1938 the Seversky Aircraft Corp worked on the development of the P-35, the AP-2 and the AP-4, each differing only in the positioning of the turbo-supercharger. In the event, the AP-2 became the XP-41, and the AP-4 became the P-43. The prototype AP-4 was destroyed on 22 March 1939 when the engine caught fire and the pilot abandoned the aircraft. Thirteen AP-4s were obtained for the USAAF as the YP-43 (39-704 to 39-716) from September 1943. The P-43 was a single-engine, all metal, low-wing fighter monoplane with a retractable undercarriage and flush riveting.

The P-43 differed from the prototype AP-4 in having a razorback fuselage, the General Electric B-2 turbocharger being moved from under the port wing to under the engine, and having R-1830-35 engine. However, by this time the Company changed its name to Republic Aviation Corp, and the P-43 became the Lancer. An order was placed for 54 P-43s for the USAAF in late 1940 (41-6668 to 41-6721) and these had the 895 kw (1,200 hp) Pratt & Whitney R-1830-47 engine, the first being delivered on 16 May 1941 and the last on 28 August that year.

By 1941 the Lancer had become out-dated following the rapid advances in aircraft technology taking place around the world. Because it suffered from poor manoeuvrability and climbing ability, and lack of armour protection and self sealing fuel tanks, the US Army decided not to obtain any more aircraft beyond those on order. A further 80 had been ordered as the P-43A (40-2891 to 40-2970), deliveries beginning in September 1941. The P-43A was essentially the same as the earlier model but had the R-1830-49 engine which provided 895 kw (1,200 hp) up to 7,620 m (25,000 ft).

First USAAF unit to receive the type was the 1st Pursuit Group at Selfridge Field, Michigan, followed by the 55th at Portland Field, Oregon and the 14th at March Field, California. By September 1940 all development work on the P-43 series ceased in favour of the R-2800 Double Wasp powered P-47. Meanwhile, further P-43s were completed as a stop-gap measure pending production of the P-47 getting underway. Republic went on to design the P-44, known as the Rocket, which was to have the 1,044 kw (1,400 hp) Pratt & Whitney R-2180-1 engine, but reports from the war in Europe indicated the P-44 would not be suitable for combat, so the order for 80 was cancelled. A further order for 54 P-43s was placed to keep the production line open. Republic built the P-44 only in mock-up form, the design being cancelled and Republic going on to develop the P-47. A total of 272 P-43s was completed.

In June 1941 some 125 P-43A-1s were ordered from Lend-Lease funds for the Chinese Air Force from the Farmingdale, New York production line (41-31448 to 41-31572), production of this batch concluding in March 1942. Some 108 were supplied, although a number were lost on ferry flights due to inexperienced pilots, but it saw only limited combat operational use with the Chinese Air Force as they proved unable to match the performance of the Japanese fighters in that theatre. These aircraft were fitted with two 12.7 mm (0.50 in) machine guns in the wings and no armament in the nose. The armament varied amongst the models, some having two 12.7 mm (0.50 in) machine guns in the nose and two 7.62 mm (0.30 in) machine guns in the wings.

Most Lancers built which remained in the United States were used in the training role. By 1942, as they were not considered to be useful for combat, most survivors being converted for photo-reconnaissance work and re-designated P-43B, being fitted with cameras in the rear fuselage. Some 150 Lancers, including those not delivered to China, were converted to P-43B standard.

The P-43C series was also a photo-reconnaissance aircraft variant, these being new build aircraft, but two P-43As received some modifications (40-2894 and 40-2897) mostly related to equipment and became P-43Cs. The P-43D was similar to the P-43C and only differed in minor detail. The P-43Ds (41-6685, 41-6687, 41-6692, 41-6695, 416707, and 41-6718) were also photo-reconnaissance variants and differed only slightly from the P-43C. The P-43E was also destined for this role but was not built. In October 1942 the surviving P-43s were re-designated RP-43, the ‘R’ indicating restricted from combat use.

In August 1942 six Lancers were transferred from USAAF stocks to the RAAF for operation by No 1 Photo Reconnaissance Unit based at Coomalie in the Northern Territory. These aircraft were: A56-1 and A56-2 (ex 41-6692 and 41-6707), both P-43Ds and A56-3 to A56-6 (ex 41-31495, 41-31497, 41-31494 and 41–31500), all P-43A-1s. Two more, A56-7 and A56-8 (ex 41-6718 and 41-6685), both P-43Ds, were delivered in November 1942. Their service history is not well documented but it is known they suffered from problems with the brake system, this causing a number of accidents when the brakes failed on landing. A56-5 Travessura was badly damaged landing at Coomalie Creek, NT on 14 December 1943 when the brakes failed and the aircraft swung, causing the port undercarriage to collapse, breaking the wing. It was taken to No 4 RSU on 30 December. Later it was conveyed to Laverton, VIC, arriving at No 1 AD on 8 April but, the following month, probably due to a lack of spare parts, it was decided it would not be repaired and it was placed into storage. It was returned to the USAAF in its damaged condition in July that year.

A56-6 was badly damaged in an accident, possibly at Laverton, VIC, and was reduced to components. A56-7 was lost on a flight from Wagga Wagga, NSW on 28 April 1943, the wreckage not being found near Healesville, VIC until 1958. Some parts of this aircraft were recovered from the crash site.

The six survivors were returned to the 5th Service Group of the USAAF 5th Air Force at Charters Towers, QLD in 1943 and were probably broken up in Australia at Eagle Farm, Brisbane along with other types such as the Brewster Buffalo, as of no further use. No examples of the P-43 are known to survive, but the Reevers Air Museum in South Australia has been collecting parts from P-43s in the long term hope to restore an example for static display.


Republic P-43 Lancer Aircraft Information


Picture: USAAF Republic P-43 Lancer (USAF photo)

Role - Fighter
Manufacturer - Republic Aviation Company
Designed by - Aleander de Seversky
Aleander Kartveli
First flight - March 1940
Introduction - 1941
Retired - 1944 (China)
Primary users - United States Army Air Corps
China
Força Aérea Real Australiana
Produced - 1940&ndash1941
Number built - 272
Developed from - Seversky P-35

The Republic P-43 Lancer was a single-engine, all-metal, low-wing monoplane fighter aircraft built by Republic, first delivered to the United States Army Air Corps in 1940. A proposed development was the P-44 Rocket.

Picture: Maintenance on a P-43A in China, circa 1943

The Seversky Aircraft Company, which in 1939 changed its name to Republic, constructed a range of one-off variants of its P-35 design, featuring different powerplants and enhancements, designated AP-2, AP-7, AP-4 (which flew after the AP-7), AP-9, P-41 and actually built a carrier-based version designated the NF-1 (Naval Fighter 1). The most significant of these was the AP-4, which served as the basis for future Seversky/Republic aircraft. It featured fully retractable landing gear, flush riveting, and, most significantly, a Pratt & Whitney R-1830-SC2G engine with a belly-mounted turbo-supercharger, offering 1,200 hp (895 kW) and good high-altitude performance. The turbosupercharger had been refined by Boeing as part of the development program for the B-17 Flying Fortress, and the improved performance it offered was of great interest to other aircraft manufacturers.

The sole AP-4 built was used as a testbed to evaluate means of improving the aerodynamics of radial-engined fighters. It was fitted with a large prop spinner and a tight-fitting engine cowling, following similar eperiments with the first production P-35. The AP-4's big spinner was later removed and a new tight cowling fitted. Unsurprisingly, these measures led to overheating problems. On 22 March 1939, the engine caught fire in flight, the pilot had to bail out, and the AP-4 was lost. Despite the loss of the prototype, the USAAC liked the turbo-supercharged AP-4 demonstrator enough to order 13 more in May 1939, designating them YP-43.

The YP-43 differed from AP-4 in having a "razorback" fuselage with a tall spine etending back from the canopy. The engine air intake was moved from the port wing to under the engine resulting in the distinctive ovoid cowling. The aircraft was powered by an R-1830-35 14-cylinder air-cooled radial engine with a General Electric B-2 turbosupercharger generating 1,200 hp (895 kW) and driving a three-blade variable-pitch propeller. Armament consisted of two synchronized 0.50 in (12.7 mm) machine guns in the cowl and a single 0.30 in (7.62 mm) machine gun in each wing. The end result looked like an oddly proportioned P-47 Thunderbolt.

The first of thirteen YP-43s was delivered in September 1940, the last in April 1941. Early testing revealed a strong tendency to yaw during takeoff and landing rolls, fied by redesigning the tailwheel. Although the aircraft eceeded the initial USAAC performance requirements, by 1941 it was clearly obsolete, lacking maneuverability, armor protection for the pilot, or self-sealing fuel tanks. USAAC felt the basic P-35/P-43 design had ehausted its reserves for further improvement in performance and shifted its interest to the promising P-47. However, because the Pratt & Whitney R-2800 engine intended for the new fighter was not yet available, it was decided to order 54 P-43s to keep the Republic production lines operating until the P-47 was ready.[1]

Production aircraft were identical to the YP-43 prototypes and were delivered between 16 May and 28 August 1941. Ongoing delays in the P-47 program resulted in USAAC ordering an additional 80 P-43A aircraft with the R-1830-49 engine, giving better high-altitude performance, and 0.50 in (12.7 mm) machine guns replacing the 0.30 in (7.62 mm) in the wings. An additional 125 P-43A-1s were ordered for China through the Lend-Lease program, originally intended to equip the Third American Volunteer Group, a fighter unit like the famed Flying Tigers. These differed primarily in being armed with two 0.50 in (12.7 mm) machine guns in each wing and no fuselage guns, and having rudimentary armor and fuel tank protection. Actually, as delivered, the P-43A-1 had the same armament layout as the P-43As: four .50s, two in the cowl and two in the wings. Eternally, they were identical, and only the serial numbers distinguishes a P-43A from a P-43A-1.

A total of 272 P-43 and its variants were built, a remarkable number considering the original intention was to not build any.

Although the P-43 was clearly obsolete, Republic made one last attempt to etract more performance from the basic design by outfitting it with a Pratt & Whitney R-2180-1 Twin Hornet engine rated at 1,400 hp (1,044 kW). Contemporary drawings show an aircraft similar to the P-43 with a large propeller hub reminiscent of early Focke-Wulf Fw 190 prototypes. The USAAC was sufficiently interested to assign this AP-4J study an official designation P-44 Rocket and order 80 production aircraft sight unseen. However, combat reports from Europe soon made it clear that even this aircraft lacked the performance necessary to prevail in combat, and the project was cancelled with no prototypes built. A total of 54 P-43s were ordered into production instead to keep Republic production lines open. Aleander Kartveli and his team focused their efforts on the advanced AP-10/P-47 which eventually became the fabled P-47 Thunderbolt.

The USAAC considered the P-43 and its variants obsolete from the start and used them only for training purposes. Several photo-reconnaissance aircraft were loaned to the Royal Australian Air Force in 1942 with none seeing combat. In fall 1942, all surviving P-43s were redesignated RP-43 indicating they were unfit for combat. Most of the aircraft that were not sent to China were modified for photo-reconnaissance duties and used for training.

The Lend-Lease aircraft were delivered to China through Claire Chennault's American Volunteer Group, the "Flying Tigers". Pilots involved in the ferrying flights commended the P-43 for its good high-altitude performance compared to their Curtiss P-40s, good roll rate and a radial engine without the vulnerable liquid cooling system. Apparently, several AVG pilots asked Chennault to keep some P-43s but the request was denied due to the aircraft's lack of armor or self-sealing fuel tanks. Furthermore, the turbosupercharger proved unreliable and the "wet wing" fuel tanks leaked constantly. The P-43 performed poorly in combat in the hands of the Chinese air forces against Japan due to its great vulnerability it was replaced by other aircraft in early 1944. Rudimentary protection added on the P-43A-1 was insufficient. In addition, the P-43's R-1830 engines were in high demand by the numerous Douglas C-47 transports in the theatre, effectively grounding the surviving aircraft.

YP-43
Pre-production prototypes, 13 built.
P-43
First production version, identical to YP-43, 54 built.
P-43A
Version powered by R-1830-49 engine and armed with 0.50 in (12.7 mm) machine guns in the wings instead of 0.30 in (7.62 mm), 80 built.
P-43A-1
Version for China, rudimentary armor and wing fuel tank protection, armed with 4 × 0.50 in (12.7 mm) machine guns in the wings, centerline hardpoint for an eternal fuel tank or up to 200 lb (91 kg) of bombs, 125 built.
P-43B
Photo-reconnaissance version with cameras in the tail, 150 converted from P-43A and P-43A-1.
P-43C
Photo-reconnaissance version differing from P-43B only in equipment, two converted from P-43A.
P-43D
Photo-reconnaissance version, R-1830-47 engine, si converted from P-43A.
P-43E
Proposed photo-reconnaissance version with R-1830-47 engine based on P-43A-1.
RP-43
All USAAC aircraft re-designated as "restricted from combat" in 1942.
P-44 Rocket
Proposed version with Pratt & Whitney R-2180-1 engine with 1,400 hp (1,044 kW), none built.

- Royal Australian Air Force

- Nationalist Chinese Air Force

- United States Army Air Corps
- United States Army Air Force

- Crew: One
- Length: 28 ft 6 in (8.7 m)
- Wingspan: 36 ft 1 in (11.0 m)
- Height: 14 ft 1 in (4.3 m)
- Wing area: 222.7 ft² (20.7 m²)
- Empty weight: 5,982 lb (2,713 kg)
- Loaded weight: 7,418 lb (3,365 kg)
- Ma takeoff weight: 8,460 lb (3,837 kg)
- Powerplant: 1× Pratt & Whitney R-1830-49 14-cylinder air-cooled radial piston engine, 1,200 hp (895 kW)

- Maimum speed: 356 mph (573 km/h)
- Range: 650 mi (1,046 km)
- Service ceiling: 35,990 ft (10,970 m)
- Rate of climb: 2,500 ft/min (13 m/s)
- Wing loading: 33 lb/ft² (163 kg/m²)
- Power/mass: 0.16 hp/lb (0.27 kW/kg)

4 × 0.50 in (12.7 mm) M2 Browning machine guns

- Seversky P-35
- P-47 Thunderbolt

- PZL.50 Jastrz?b
- Brewster Buffalo
- Curtiss P-36
- Nakajima Ki-44

- Davis Larry. P-35: Mini in Action (Mini Number 1). Carrollton, Teas: Squadron/Signal, 1994. ISBN 0-89747-321-3.
- Swanborough, Gordon and Peter M. Bowers. United States Military Aircraft Since 1909. Washington, DC: Smithsonian, 1989. ISBN 0-87474-880-1.

Este site é o melhor para: tudo sobre aviões, pássaros de guerra, pássaros de guerra, filmes de aviões, filmes de aviões, pássaros de guerra, vídeos de aviões, vídeos de aviões e história da aviação. Uma lista de todos os vídeos de aeronaves.

Copyright A Wrench in the Works Entertainment Inc .. Todos os direitos reservados.


Republic P-43 Lancer

The Lancer was a single-seat interceptor fighter that first appeared in service evaluation YP-43 form in 1940. With a Pratt & Whitney R-1830 Twin Wasp radial engine and bulky fuselage, it was clearly a product of the Republic Aviation Corporation. Production for the USAAF (also supplied to the RAAF with reconnaissance equipment fitted) and China totalled 272 aircraft in three versions.

Hi everyone, i am actually an aficionado anything P35, 43 and 47. Does anyone know of P43 scale drawings or rc plans of this fighter? Many thanks and best regards from Australia

How many P-43s arew in existence today?

The P-43's shortcomings were a result of the fact that it had been designed without the benefit of a knowledge of WW-II combat experience. Although it wasn't exactly bad, it's creators were already aware that their next project, the P-47, would be much better, which it was. The writer was quite correct who observed that the Army Air Corps ordered the P-43 simply to keep Republic's production line open until the plane they really wanted, P-47, was ready.

P-43 was the closest analog of Ki-44 fighter.

Yeah, the P-43 is definitely better than the Tomahawk. Whats wrong with thin armor or leaky fuel tanks? The P-43 can climb higher than the P-40 and its more powerful. Chennault really does not know how to choose airplanes.

OK, so the blower was unreliable at this stage. Better than hitting a brick wall at 15,000' with the Allison powered P-39 /P-40.
Other snags like leaking fuel and oil or unreliable guns, are secondary and could be ironed out in development.
The resulting Lancer would be a light weight early version of the T-bolt to compete with the Wildcat, low level P-40 . etc - when sorely needed.

Jackie,
Do you buy that answer?
A little armor and Voila! P-43 beats the P-40 and takes the high 'ground' easily.
Check out the ceiling.

Direct predecessor of the famous P-47, this fighter was the next generation of the Kartvelli P-35 for Republic Aviation Corp.
In Italy the Re 2000 Falco was also from the P-35, eventually becoming the Re 2005 Sentario.
What a difference from the P-47! One is a prolific fighter-bomber par excellence, the other a custom Italian exotic air superior fighter second to none in 1943.
The same family roots! Opposite sides of the war.

The pilots of the Flying Tigers commended the P-43 for its good high altitude performance compared to their P-40 Warhawks,good roll rate and a radial engine without the vulnerable liquid cooling system. Several pilots asked Chennault to keep some P-43s but the request was denied due to the aircraft's lack of armor or self sealing fuel tanks.

I waa a air force pilot , 43A, Blytheville, Ark, had advanced there and instructed for one year, befor being assigned to 1st Arctic Search and Rescure at Ladd Fields, Fairbanks Alaska. We we were testing aircraft fro the Russian lend=lease program, P-39, P-63, A-20 B-25, C-47, AT-6.
We has an old P-43 on the base that I took the liberty of flying a few times a week. Had to pump up the brakes on final to stop the plane. Otherwise, it was fun to fly. Anyone else out there who might have been in Alaska 1944 1945.?
Send me an email / / thNX


Republic P-44 (Rocket)

Autoria por: Redator | Last Edited: 10/16/2018 | Conteúdo e cópiawww.MilitaryFactory.com | O texto a seguir é exclusivo deste site.

The road to the American classic war-winning Republic P-47 "Thunderbolt" of World War 2 went through various iterations under the leadership of engineer Alexander Kartveli. In 1937 the United States Army Air Corps (USAAC) took into service the Seversky P-35 which was authored by Kartveli under the Seversky brand label (Seversky was reorganized in 1939 to become "Republic"). The P-35 was notable for it becoming the first American-made single-seat, single-engine monoplane fighter to feature all-metal construction, a fully-enclosed cockpit, and a completely retractable undercarriage. From this form the P-43 "Lancer" was eventually developed and arrived in 1941 to be used by the air services of the United States, China and Australia with production reaching 272 units before the end.

Even before the P-43 came to fruition, there was a stop at another Republic fighter offering - the P-44 "Rocket". The fighter was developed to a new U. S. Army requirement for an interceptor / pursuit type capable of speeds in the upper 300mph, lower 420mph range while flying under 20,000 feet of altitude. Republic beat out other submissions with their "AP-4J" which promised to fulfill the required specs.

Design work was, again, headed by Kartveli and drive power would stem from a single Pratt & Whitney R-2180-1 "Twin Hornet" engine of 1,400 horsepower fitted to the nose. A monoplane wing arrangement was, of course, in play and showcased rounded wingtips. The fuselage was well-contoured with the radial piston engine air-cooled and shrouded by a very tight cowling. A traditional single-finned tail unit was positioned to the rear in the usual way. The "tail-dragger" undercarriage was completely retractable. The cockpit, with its raised fuselage spine, was heavily framed and seated a single operator at midships. Armament was to be wholly machine gun-based: a mix of 2 x 0.50 caliber heavy machine guns paired with 4 x 0.30 caliber medium machine guns (a common arrangement of pre-war/early-war American fighters).

The AP-4J was estimated with a maximum speed of around 385 miles per hour and the Army thought enough of the Republic initiative to award a contract to the company for 80 aircraft on September 13th, 1939. Rather notable was the lack of any working, flyable prototypes to ensure a sound design. By this time, the war in Europe had just begun (September 1st) and reports from the front became critical to observers stateside and it was quickly realized that the modern mounts of Europe outclassed those being offered by the Americans.

The AP-4J was evolved into the AP-4L which was to install the Pratt & Whitney R-2800-7 series air-cooled radial of 2,000 horsepower. Additional internal fuel stores would be provided to help increase range. Cockpit armoring was now an essential quality of fighting warplanes as were self-sealing fuel tanks so these too found their way into the revised P-44 design - which was now ordered by the Army as the P-44-2 on July 19th, 1940. The initial contract called for 225 fighters to the newer standard and this was increased to 827 on September 9th of that same year. Even despite the added weight, Republic engineers were optimistically hopeful that their new fighter would hit the 422mph maximum speed envelope.


Assista o vídeo: UNBOXING Y REVIEW MAQUETA DE DORA WINGS. Republic P-43 Lancer. ESCALA 1:48. - DonGregorioyJack