Documentos - História

Documentos - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


SEÇÃO 1. (a) Sempre que o Presidente 1 descobrir que existe uma jurisdição entre, ou entre, dois ou mais estrangeiros declarados, o Presidente deverá proclamar tal fato, e. será, posteriormente, ilegal exportar ou tentar exportar ou fazer com que sejam exportadas armas, munições ou implementos de guerra de qualquer lugar nos Estados Unidos para qualquer estado beligerante nomeado em tal proclamação, ou dois de qualquer estado neutro para transbordo para , ou para o uso de qualquer estado beligerante. 7
(b) O Presidente deverá, de tempos em tempos, por proclamação, estender tal embarque à exportação de armas, munições ou implementos de guerra para outros estados como e quando eles possam se envolver em tal guerra.
(c) Sempre que o Presidente descobrir que existe um estado de conflito civil em um estado estrangeiro e que tal conflito civil é de uma magnitude ou está sendo conduzido sob tais condições que a exportação de armas, munições ou instrumentos de guerra do Estados Unidos a tal estado estrangeiro ameaçaria ou colocaria em perigo a paz dos Estados Unidos, o Presidente deve proclamar tal fato, e
será, posteriormente, ilegal exportar, ou tentar exportar, ou fazer com que sejam exportados, armas, munições ou implementos de guerra de qualquer lugar nos Estados Unidos para esse estado estrangeiro, ou para qualquer estado neutro para transbordo para, ou para o uso de, tal estado estrangeiro.
(d) O Presidente deverá, de tempos em tempos por proclamação, enumerar definitivamente as armas, munições e implementos de guerra cuja exportação é proibida por esta seção. As armas, munições e implementos de guerra assim enumerados incluirão aqueles enunciados na proclamação do Presidente N ° 2163, de 10 de abril de 1936, mas não incluirão matérias-primas ou quaisquer outros artigos ou materiais que não sejam do mesmo caráter geral daqueles enumerados em a referida proclamação, na Convenção para a Supervisão do Comércio Internacional de Armas e Munições e em Implementos de Guerra, assinada
em Genebra, 17 de junho de 1925.
(e) Quem, em
violação de qualquer um dos
disposições desta Lei, devem exportar,
ou tentar exportar, ou fazer com que seja
exportados, armas, munições ou
instrumentos de guerra dos Estados Unidos
Os estados serão multados em não mais do que
10.000 ou preso não mais
de cinco anos, ou ambos ....
(f) No caso de confisco de quaisquer armas, munições ou instrumentos de guerra por
motivo da violação desta Lei,. tais armas, munições ou instrumentos de guerra devem
entregue ao Secretário da Guerra para o uso ou disposição que for aprovado pelo Presidente dos Estados Unidos.
(g) Sempre que, no julgamento do dente, as condições que causaram a emissão de qualquer proclamação sob a autoridade desta seção tenham deixado de existir, convocar revogar as mesmas, e as disposições desta seção devem, portanto, deixar de se aplicar com relação para o estado ou estados nomeados em tal proclamação, exceto no que diz respeito a crimes cometidos, ou confiscos incorridos, antes de tal revogação.
EXPORTAÇÃO DE OUTROS ARTIGOS E
MATERIAIS

Sec. 2. (a) Sempre que o Presidente deve
emitiu uma proclamação sob a autoridade da seção 1 desta Lei e, posteriormente, ele descobrirá que a imposição de restrições ao envio de certos artigos ou materiais, além de armas, munições e instrumentos de guerra dos Estados Unidos para os estados beligerantes, ou para um estado onde existe conflito civil, é necessário para promover a segurança ou preservar a paz dos Estados Unidos ou para proteger a vida dos cidadãos dos Estados Unidos, ele deve proclamar, e posteriormente será ilegal, para qualquer americano navio para transportar tais artigos ou materiais para qualquer estado beligerante, ou para qualquer estado onde exista conflito civil, nomeado em tal proclamação emitida sob a autoridade da seção 1 desta Lei, ou para qualquer estado neutro para transbordo para, ou para o uso de , qualquer estado beligerante ou qualquer outro estado em que exista conflito civil. O Presidente shad, por proclamação de tempos em tempos, enumera definitivamente os artigos e materiais que serão ilegais para os navios americanos transportarem.
(c) O Presidente deve, de tempos em tempos, por proclamação, estender as restrições impostas sob a autoridade desta seção a outros estados, e quando eles puderem ser declarados como estados beligerantes de acordo com proclamações emitidas sob a autoridade da seção I desta Lei .
(d) O Presidente pode, de tempos em tempos, alterar, modificar ou revogar no todo ou em parte quaisquer proclamações emitidas por ele sob a autoridade desta seção.
(e) Exceto com relação a delitos cometidos, ou confiscos incorridos, antes de 1º de maio de 1939, esta seção e todas as proclamações emitidas sob ela não entrarão em vigor após 1º de maio de 1939.

OPERAÇÕES FINANCEIRAS,

SEC. 3. (a) Sempre que o Presidente tiver emitido uma proclamação sob a autoridade da seção 1 desta Lei, será, posteriormente, ilegal para qualquer pessoa nos Estados Unidos comprar, vender ou trocar títulos, valores mobiliários ou outras obrigações de o governo de qualquer estado beligerante ou de qualquer estado onde exista conflito civil, nomeado em tal proclamação, ou de qualquer subdivisão política de qualquer estado, ou de qualquer pessoa agindo para ou em nome do governo de qualquer estado, ou de qualquer facção ou governo declarado dentro de qualquer estado onde existe conflito civil, ou de qualquer pessoa agindo por ou em nome de qualquer facção ou governo declarado
dentro de qualquer estado em que existe conflito civil, emitido após a data de tal proclamação, ou para fazer qualquer empréstimo ou estender qualquer crédito a qualquer governo, subdivisão política, facção, governo declarado ou pessoa, ou para solicitar ou receber qualquer contribuição para qualquer governo, subdivisão política, facção, governo declarado ou pessoa: Desde que, se o Presidente decidir que tal ação servirá para proteger os interesses comerciais ou outros dos Estados Unidos ou de seus cidadãos, ele poderá, a seu critério , e na medida e sob os regulamentos que ele pode prescrever, exceto pela operação desta seção, créditos comerciais ordinários e obrigações de curto prazo em auxílio de transações legais e de um caráter habitualmente usado em transações comerciais normais em tempo de paz. Nada nesta subseção deve ser interpretado de forma a proibir a solicitação ou coleta de fundos a serem usados ​​para ajuda e assistência médica, ou para alimentos e roupas para aliviar o sofrimento humano, quando tal solicitação ou coleta de fundos for feita em nome e para uso por qualquer pessoa ou organização que não esteja agindo por ou em nome de qualquer governo, subdivisão política, facção ou governo afirmado, mas todas essas solicitações e arrecadações de fundos estarão sujeitas à aprovação do Presidente e serão feitas de acordo com tais regras e regulamentos como ele deve prescrever ....
(c) Quem quer que viole as disposições desta seção ou de quaisquer regulamentos emitidos de acordo com a presente, será, mediante convicção, multado em não mais de $ 50.000 ou preso por não mais de cinco anos, ou ambos. Caso a violação seja por uma corporação, organização ou associação, cada dirigente ou agente que participa da violação pode estar sujeito às penalidades aqui prescritas. .

EXCEÇÕES - REPÚBLICA AMERICANA

SEC. 4. Esta Lei não se aplica a uma república ou repúblicas americanas em guerra contra um estado ou estados não americanos, desde que a república americana não esteja cooperando com um estado ou estados não americanos em tal guerra.

MUNIÇÕES NACIONAIS
PAINEL DE CONTROLE

SEC. 5. (a) Fica estabelecido um Conselho Nacional de Controle de Munições (doravante denominado "Amplo") com as disposições desta Lei. O Conselho será composto pelo Secretário de Estado, que será o presidente e diretor executivo do Conselho, o Secretário da Fazenda, o Secretário da Guerra, o Secretário da Marinha e o Secretário do Comércio. Salvo disposição em contrário nesta Lei ou por outra lei, a administração desta Lei é atribuída ao Departamento de Estado. O Secretário de Estado 4 deverá promulgar as regras e regulamentos com relação à aplicação desta seção conforme julgar necessário para cumprir suas disposições. O Conselho será convocado pelo presidente e reunir-se-á pelo menos uma vez por ano.
(b) Toda pessoa que se dedica ao negócio de fabricação, exportação ou importação de qualquer das armas, munições ou instrumentos de guerra referidos nesta Lei, seja como exportador, importador, fabricante ou negociante, deve se registrar com o Secretário de Estado, seu nome ou firma, principal local de negócios e locais de negócios nos Estados Unidos, e uma lista das armas, munições e instrumentos de guerra que fabrica, importa ou exporta.
(c3 Cada pessoa obrigada a registrar-se ao longo desta seção deve notificar o Secretário de Estado de qualquer alteração nas armas, munições ou instrumentos de guerra que exporta, im
portos, ou manufaturas; . .
(d) Será ilegal para qualquer pessoa exportar, ou tentar exportar, dos Estados Unidos para qualquer outro estado, qualquer uma das armas, munições ou instrumentos de guerra referidos nesta Lei, ou para importar ou tentar importar, para os Estados Unidos, de qualquer outro estado, qualquer uma das armas, munições ou instrumentos de guerra mencionados nesta Lei, sem primeiro ter obtido uma licença para isso ....
(k) O Presidente fica autorizado a proclamar, por recomendação do Conselho, de tempos em tempos, uma lista de artigos que serão considerados armas, munições e implicam em guerra para os fins desta seção.

EMBARCAÇÕES AMERICANAS
PROIBIDO DE
CARREGANDO ARMAS PARA ESTADOS BELIGERENTES

Sec. 6. (a) Sempre que o Presidente fizer uma proclamação sob a autoridade da seção 1 desta Lei, ela será posteriormente considerada ilegal, até que tal proclamação seja revogada. para um navio americano transportar qualquer
armas, munições ou instrumentos de guerra para qualquer estado beligerante, ou para qualquer estado em que exista conflito civil, nomeado em tal proclamação, ou para qualquer estado neutro para transbordo para, ou para o uso de, qualquer estado beligerante ou estado em que existe conflito civil.
(b) Quem quer que, em violação das disposições desta seção, deve pegar, ou tentar tara, ou deve autorizar, alugar ou solicitar a outra pessoa para tarar, qualquer navio americano transportando tal carga para fora do porto ou da jurisdição de t ' nc Estados Unidos serão multados em não mais de $ 10.000, ou presos em não mais de cinco anos, ou ambos; e, além disso, tal navio e seus apetrechos, vestimentas, móveis e equipamentos, e as armas, munições e implementos de guerra a bordo, serão confiscados aos Estados Unidos.

USO DE PORTOS AMERICANOS COMO BASE DE
FORNECEM

SEC. 7 (a) Sempre que, durante qualquer guerra em que os Estados Unidos sejam neutros, o Presidente, ou qualquer pessoa por ele autorizada, terá motivos para acreditar que qualquer embarcação, nacional ou estrangeira, requerendo liberação ou não, está prestes a sair de um porto dos Estados Unidos, combustível, homens, armas, munições, implementos de guerra ou outros suprimentos, para qualquer navio de guerra, navio de carga ou abastecimento de um estado beligerante, mas a evidência não é considerada suficiente para justificar a proibição da saída do navio conforme previsto na seção 1, título V, capítulo 30, da Lei aprovada em 15 de junho de 1917, e se, no julgamento do Presidente, tal ação servirá para manter a paz entre os Estados Unidos e estados estrangeiros, ou para proteger os interesses comerciais dos
Estados Unidos e seus cidadãos, ou para promover a segurança ou neutralidade dos Estados Unidos,
ele terá o poder e será seu dever exigir que o proprietário, mestre ou pessoa
no comando dela, antes de partir de um
portos dos Estados Unidos, para dar fiança aos Estados Unidos, com garantias suficientes, na quantia que ele julgar adequada, condicionada a que o navio não entregue os homens, qualquer parte da carga, a qualquer navio de guerra, concurso ou navio de abastecimento de um estado beligerante.
(b) Se o Presidente, ou qualquer pessoa por ele autorizada, achar que um navio, nacional ou estrangeiro, está em um porto dos Estados Unidos. odeia, foi previamente liberado de um porto dos Estados Unidos durante tal guerra e entregou sua carga ou qualquer parte dela a um navio de guerra, navio de carga ou navio de abastecimento de um estado beligerante, ele pode proibir a partida de tal navio durante a duração do guerra.

SUBMARINAS E COMERCIANTE ARMADO
EMBARCAÇÕES

SEC. 8. Sempre que, durante qualquer guerra em que os Estados Unidos sejam neutros, o Presidente deverá considerar que as restrições especiais impostas ao uso dos portos e águas territoriais dos Estados Unidos por submarinos ou navios mercantes armados de um estado estrangeiro servirão para manter a paz entre os Estados Unidos e estados estrangeiros, ou para proteger os interesses comerciais dos Estados Unidos e seus cidadãos, ou para promover a segurança dos Estados Unidos, e deve fazer a proclamação, portanto, será posteriormente ilegal para qualquer submarino ou navio mercante armado para entrar em um porto ou nas águas territoriais dos Estados Unidos ou para sair deles, exceto sob tais condições e sujeito às limitações que o Presidente possa prescrever. Sempre que, em seu julgamento, as condições que o levaram a emitir sua proclamação tenham deixado de existir, ele deverá revogar sua proclamação e as disposições desta seção deixarão de ser aplicáveis.

VIAGEM EM NAVIOS DE BELLIGERENT
ESTADOS

SEC. 9. Sempre que o Presidente tiver emitido uma proclamação sob a autoridade da seção 1 desta Lei, será posteriormente ilegal para qualquer cidadão dos Estados Unidos viajar em qualquer navio do estado ou estados nomeados em tal proclamação, exceto de acordo com as regras e regulamentos que o Presidente prescrever:. .

ARMAMENTO DE NAVIOS COMERCIANTES AMERICANOS
PROIBIDO

SEC. 10. Sempre que o Presidente tiver emitido uma proclamação sob a autoridade da seção I, será posteriormente ilegal, até que tal proclamação seja revogada, para qualquer embarcação americana envolvida no comércio com qualquer estado beligerante, ou qualquer estado onde exista conflito civil, denominado em tal proclamação, estar armado ou portar qualquer armamento, armas, munições ou instrumentos de guerra, exceto armas pequenas e munições para as quais o Presidente possa considerar necessárias e
deverá designar publicamente para a preservação da disciplina a bordo de tais embarcações.

REGULAT IONS

SEC. 11. O Presidente pode, de tempos em tempos, promulgar tais regras e regulamentos, que não sejam incompatíveis com a lei, conforme sejam necessários e adequados para cumprir qualquer uma das disposições desta Lei; e ele pode exercer qualquer poder ou autoridade conferido a ele por esta Lei por meio de tal dirigente ou dirigentes, ou agência ou agências, conforme ele instruir. .


Assista o vídeo: História - Documentos pessoais - 2ª Ano Ensino Fundamental


Comentários:

  1. Reyhurn

    Isso está amontoado

  2. Vokivocummast

    Excuse, that I interrupt you, I too would like to express the opinion.

  3. Kebar

    Eles estão errados. Escreva para mim em PM, fale.

  4. Gurutz

    E você pode perifrá -lo?



Escreve uma mensagem