Museu Guggenheim é inaugurado na cidade de Nova York

Museu Guggenheim é inaugurado na cidade de Nova York


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Em 21 de outubro de 1959, na Quinta Avenida da cidade de Nova York, milhares de pessoas fazem fila do lado de fora de um edifício de concreto branco de formato bizarro que se assemelha a um cupcake gigante de cabeça para baixo. Era o dia da inauguração do novo Museu Guggenheim, que abriga uma das principais coleções de arte contemporânea do mundo.

O magnata da mineração Solomon R. Guggenheim começou a colecionar arte seriamente quando se aposentou na década de 1930. Com a ajuda de Hilla Rebay, uma baronesa e artista alemã, Guggenheim expôs suas compras pela primeira vez em 1939 em um antigo showroom de automóveis em Nova York. Dentro de alguns anos, a coleção - incluindo obras de Vasily Kandinsky, Paul Klee e Marc Chagall - havia crescido além do pequeno espaço. Em 1943, Rebay contatou o arquiteto Frank Lloyd Wright e pediu-lhe que assumisse o trabalho de projetar não apenas um museu, mas um “templo do espírito”, onde as pessoas aprenderiam a ver a arte de uma nova maneira.

Nos 16 anos seguintes, até sua morte, seis meses antes da inauguração do museu, Wright trabalhou para trazer sua visão única à vida. Para os fãs de Wright, o museu inaugurado em 21 de outubro de 1959 era uma obra de arte em si. Lá dentro, uma longa rampa subia em espiral por um total de 400 metros ao redor de uma grande rotunda central, encimada por um teto de vidro abobadado. Refletindo o amor de Wright pela natureza, o espaço de 50.000 metros se assemelhava a uma concha gigante, com cada quarto se abrindo de maneira fluida para o próximo.

O design inovador de Wright atraiu críticas, bem como admiração. Alguns achavam que o edifício de formato estranho não complementava a obra de arte. Eles reclamaram que o museu era menos sobre arte e mais sobre Frank Lloyd Wright. Por outro lado, muitos outros pensaram que o arquiteto havia alcançado seu objetivo: um museu onde a construção e a arte trabalham juntas para criar "uma sinfonia bonita e ininterrupta".

Localizado na impressionante Museum Mile de Nova York, na orla do Central Park, o Guggenheim se tornou uma das atrações mais populares da cidade. Em 1993, o edifício original foi reformado e ampliado para criar ainda mais espaço para exposições. Hoje, a criação de Wright continua a inspirar admiração, bem como comparações estranhas - um molde de gelatina! uma máquina de lavar! uma pilha de fitas torcidas! - para muitos dos mais de 900.000 visitantes que visitam o Guggenheim a cada ano.


Museu Guggenheim é inaugurado na cidade de Nova York

Nos 16 anos seguintes, até sua morte, seis meses antes da inauguração do museu, Wright trabalhou para trazer sua visão única à vida. Para os fãs de Wright, o museu inaugurado em 21 de outubro de 1959 era uma obra de arte em si. Lá dentro, uma longa rampa subia em espiral por um total de 400 metros ao redor de uma grande rotunda central, encimada por um teto de vidro abobadado. Refletindo o amor de Wright pela natureza, o espaço de 50.000 metros se assemelhava a uma concha gigante, com cada quarto se abrindo de maneira fluida para o próximo.

O design inovador de Wright atraiu críticas, bem como admiração. Alguns achavam que o edifício de formato estranho não complementava a obra de arte. Eles reclamaram que o museu era menos sobre arte e mais sobre Frank Lloyd Wright. Por outro lado, muitos outros pensaram que o arquiteto havia alcançado seu objetivo: um museu onde a construção e a arte trabalham juntas para criar "uma sinfonia bonita e ininterrupta".

Localizado na impressionante Museum Mile de Nova York, na orla do Central Park, o Guggenheim se tornou uma das atrações mais populares da cidade. Em 1993, o edifício original foi reformado e ampliado para criar ainda mais espaço para exposições. Hoje, a criação de Wright continua a inspirar admiração, bem como comparações estranhas - um molde de gelatina! uma máquina de lavar! uma pilha de fitas torcidas! - para muitos dos mais de 900.000 visitantes que visitam o Guggenheim a cada ano.


Museu Guggenheim é inaugurado na cidade de Nova York

Em 21 de outubro de 1959, na Quinta Avenida da cidade de Nova York, milhares de pessoas fazem fila do lado de fora de um edifício de concreto branco de formato bizarro que se assemelha a um cupcake gigante de cabeça para baixo. Era o dia da inauguração do novo Museu Guggenheim, que abriga uma das principais coleções de arte contemporânea do mundo.

O magnata da mineração Solomon R. Guggenheim começou a colecionar arte seriamente quando se aposentou na década de 1930. Com a ajuda de Hilla Rebay, uma baronesa e artista alemã, Guggenheim expôs suas compras pela primeira vez em 1939 em um antigo showroom de automóveis em Nova York. Dentro de alguns anos, a coleção - incluindo obras de Vasily Kandinsky, Paul Klee e Marc Chagall - havia crescido além do pequeno espaço. Em 1943, Rebay contatou o arquiteto Frank Lloyd Wright e pediu-lhe que assumisse o trabalho de projetar não apenas um museu, mas um “templo do espírito”, onde as pessoas aprenderiam a ver a arte de uma nova maneira.

Nos 16 anos seguintes, até sua morte, seis meses antes da inauguração do museu, Wright trabalhou para trazer sua visão única à vida. Para os fãs de Wright, o museu inaugurado em 21 de outubro de 1959 era uma obra de arte em si. Lá dentro, uma longa rampa subia em espiral por um total de 400 metros ao redor de uma grande rotunda central, encimada por um teto de vidro abobadado. Refletindo o amor de Wright pela natureza, o espaço de 50.000 metros se assemelhava a uma concha gigante, com cada quarto se abrindo de maneira fluida para o próximo.

O design inovador de Wright atraiu críticas, bem como admiração. Alguns achavam que o edifício de formato estranho não complementava a obra de arte. Eles reclamaram que o museu era menos sobre arte e mais sobre Frank Lloyd Wright. Por outro lado, muitos outros pensaram que o arquiteto havia alcançado seu objetivo: um museu onde a construção e a arte trabalham juntas para criar "uma sinfonia bonita e ininterrupta".

Localizado na impressionante Museum Mile de Nova York, na orla do Central Park, o Guggenheim se tornou uma das atrações mais populares da cidade. Em 1993, o edifício original foi reformado e ampliado para criar ainda mais espaço para exposições. Hoje, a criação de Wright continua a inspirar admiração, bem como comparações estranhas - um molde de gelatina! uma máquina de lavar! uma pilha de fitas torcidas! - para muitos dos mais de 900.000 visitantes que visitam o Guggenheim a cada ano.


Resumo do Museu Guggenheim de Arte Americana

Embora tecnicamente o museu tenha começado como Museu de Pintura Não Objetiva em 1939, o Solomon R. Guggenheim oficial foi inaugurado em 1959 e contém uma das coleções mais impressionantes e abrangentes de arte moderna, abrangendo o realismo de meados do século XIX até Escultura e instalação pós-moderna. O Solomon R. Guggenheim Museum é agora um dos mais ricos museus dedicados à arte moderna do mundo. Sua organização principal, a Fundação Guggenheim, é hoje uma rede global de museus que inclui instalações de classe mundial em Berlim e Veneza.

  • A pedido do diretor fundador do museu, Hilla von Rebay, o ponto focal do museu Guggenheim seria abrigar exclusivamente pinturas não objetivas (abstratas) (daí o nome original do museu), mas os diretores de museu subsequentes passaram a coletar arte representacional
  • O Museu Solomon R. Guggenheim foi projetado por Frank Lloyd Wright como uma catedral modernista para todas as formas de arte dos séculos 19 e 20, independentemente do meio ou modo de representação

Nascido na Filadélfia, Pensilvânia, em 1861, Solomon Robert Guggenheim era filho de Meyer Guggenheim, um empresário suíço que fez fortuna para a família na mineração e fundição, e de sua esposa Barbara Guggenheim. Solomon tinha três irmãos, incluindo Benjamin Guggenheim, que era o pai de Peggy Guggenheim, que possuía e dirigia a Galeria de Arte deste Século.

Em 1919, Solomon se aposentou do negócio de mineração da família e de sua Yukon Gold Company no Alasca (que ele fundou), e em 1937 começou a Solomon R. Guggenheim Foundation, uma corporação sem fins lucrativos que negociava filantropia e artes.

O primeiro museu da fundação foi o Museum of Non-Objective Painting, que foi inaugurado em 1939 em um antigo showroom de automóveis alugado na East 54th Street em Manhattan. O espaço da galeria foi projetado por Lewis Muschenheim, e a curadora e diretora fundadora foi Hilla von Rebay. Rebay era uma pintora abstrata nascida na Alsácia e colecionadora de arte que Guggenheim admirava muito por seu gosto meticuloso em arte moderna, particularmente as pinturas de L & # 233ger, Delaunay, Klee e Kandinsky. Ela foi referida por muitos como "A Baronesa", e já em 1929 foi fundamental para convencer Guggenheim a começar a adquirir obras de arte que favoreciam a abstração. Rebay também passou a ser uma autopromotora implacável que insistiu que sua própria obra de arte fosse incluída na inauguração do museu. (Alegadamente, outros membros da família Guggenheim se referiram a Rebay como "o B", o que aparentemente não significava Baronesa.)

Na inauguração do museu, os visitantes viram pinturas de Kandinsky, Rudolf Bauer, Alice Mason, Otto Nebel e algumas da própria Rebay. A maioria das obras fazia parte da coleção pessoal de Solomon Guggenheim, que ele acumulava há anos. Tanto Rebay quanto Mischenheim escolheram pendurar todas as pinturas no chão e montadas em paredes cobertas por cortinas grossas, uma escolha pouco ortodoxa para a época. Um sistema de som também foi instalado, para que os visitantes pudessem ouvir Bach e Chopin enquanto assistiam a novas obras de arte.

À medida que a coleção de arte de Guggenheim crescia, também crescia a necessidade de um local maior para o Museu de Pintura Não Objetivo.

Em 1943, Hilla Rebay contratou o notoriamente teimoso, mas brilhante arquiteto americano, Frank Lloyd Wright, para construir uma casa permanente para o museu Guggenheim. Rebay escreveu uma carta agora famosa para Wright, datada de 1º de junho de 1943, que dizia: "Eu quero um templo do espírito, um monumento!" A escolha de Wright foi considerada arriscada na época, já que o arquiteto notoriamente não gostava de ambientes urbanos.

Ao todo, Wright compôs seis ou sete planos abrangentes diferentes para o novo museu e um total de 749 desenhos para o design interno e externo. Com a Segunda Guerra Mundial ainda sendo travada no exterior, o custo dos materiais de construção continuou a aumentar, causando atrasos frequentes no planejamento da construção do novo museu.

Em 1949, Solomon R. Guggenheim faleceu, resultando em ainda mais atrasos. Pouco depois de sua morte, a diretoria do museu concordou em mudar o nome do Museu de Pintura Não Objetivo para Museu Solomon R. Guggenheim. Em 1951, o filho de Solomon, Harry, que havia assumido como presidente do conselho de diretores, forçou Rebay a deixar o cargo de Diretor do Museu (Solomon era aparentemente o único Guggenheim que tinha Rebay em algum favor). Em 1952, o ex-curador do MoMA James Johnson Sweeney foi nomeado diretor do novo Museu Guggenheim, cargo que ocupou até 1960. A construção do prédio atual, no entanto, só começou em 1956.

Uma vez que os planos de Wright se tornaram de conhecimento público através dos jornais de Nova York e outras mídias, muitos artistas e críticos reagiram com considerável desfavor. Muitos artistas colaboraram em uma carta endereçada a Sweeney, expressando que os planos de Wright para uma passarela em espiral e encosta curvilínea "não eram adequados para um simpático exposição de pintura e escultura. " A carta foi assinada por figuras notáveis ​​como Adolph Gottlieb, Willem de Kooning, Franz Kline, Robert Motherwell e Philip Guston. O próprio Sweeney, aliás, era conhecido por ter uma relação bastante antagônica com Wright, e os dois freqüentemente entraram em conflito sobre os planos do arquiteto. É possível que Sweeney simpatizasse com as preocupações dos artistas ofendidos.

Em 1948, a Fundação Guggenheim comprou a propriedade do falecido negociante de arte de Nova York Karl Nierendorf, cuja coleção se especializou principalmente em surrealismo e expressionismo alemão. A fundação contou em sua coleção 730 obras de arte adicionais, incluindo pinturas de Klee, Chagall e Mir & # 243.

Depois que Sweeney assumiu o cargo de Diretor do Museu, ele rejeitou os princípios básicos de Hilla Rebay de excluir todas as obras de arte que não fossem da pintura da coleção da fundação, bem como qualquer arte anterior ao século XX. Começando em 1953, com a bênção do conselho de administração, Sweeney começou a comprar obras de escultores como Calder, Smith e Giacometti e em uma clara afronta aos desejos de seu antecessor, Sweeney adquiriu C & # 233zanne's Homem de braços cruzados (c. 1889). Hoje, tanto a escultura quanto as pinturas do século 19 dos impressionistas e pós-impressionistas desempenham um papel fundamental na coleção permanente do Museu Guggenheim.

Em 21 de outubro de 1959, o Solomon R. Guggenheim Museum abriu suas portas em 1071 5th Ave. no Upper East Side de Manhattan. Infelizmente, Frank Lloyd Wright faleceu em abril daquele ano, então ele nunca testemunhou a conclusão de seu projeto final. A resposta do público ao museu foi amplamente favorável, apesar das dúvidas iniciais de que a arquitetura era considerada arriscada (e até certo ponto ainda é hoje), mas no geral o design de Wright foi, e ainda é, admirado por ser altamente pessoal e convidativo.

New York Times O crítico de arte John Canaday, no entanto, denunciou inequivocamente o novo edifício Guggenheim em sua crítica do dia de abertura, intitulada "Wright Versus Painting", Canaday criticou o falecido arquiteto por infundir em seu projeto "a vertigem da casa de diversões em parques de diversões. Se ele tinha projetado deliberadamente um interior para aniquilar a pintura como uma arte expressiva, ele não poderia ter feito muito melhor. " Canaday, já famoso entre muitos expressionistas abstratos e outros artistas modernos por denunciar o expressionismo abstrato em geral, foi implacável com a visão pessoal de Wright de uma catedral moderna que convidava os visitantes a ver pinturas em luz natural.

Em 1961, Sweeney foi substituído pelo novo diretor do museu, Thomas M. Messer. Em 1963, Messner ajudou o museu a adquirir várias obras modernas significativas de Gauguin, Manet, Van Gogh e impressionantes 32 obras de Picasso. Então, em 1969, após uma exposição no museu da Coleção Peggy Guggenheim, Messer convenceu a sobrinha de Salomão, Peggy, agora residindo em Veneza junto com sua coleção substancial de arte moderna, a doar toda a sua coleção ao Museu Guggenheim após sua morte.

Quando Peggy faleceu em 1978, a Fundação Guggenheim adquiriu sua coleção inteira de cerca de 300 obras cubistas, surrealistas e expressionistas abstratas, incluindo obras de arte essenciais de Duchamp, Magritte, Ernst e Pollock. A fundação também adquiriu o Palazzo Venier dei Leoni de Peggy no Grande Canal de Veneza, onde ela viveu e exibiu regularmente obras de sua coleção. Em 1985, após consideráveis ​​reformas no Palazzo, a Fundação Guggenheim abriu seu segundo museu, a Coleção Peggy Guggenheim em Veneza.

A década de 1990 testemunhou a Fundação Guggenheim expandir sua coleção geral em quase cinquenta por cento. Em 1991, o mais novo diretor do Museu Solomon R. Guggenheim, Thomas Krens (nomeado em 1988), foi fundamental na aquisição da Coleção Panza, que incluía várias obras minimalistas de escultura e pintura de artistas como Carl Andre, Dan Flavin, Donald Judd e Robert Mangold. Com esse tipo de crescimento, novos locais foram necessários.

Krens também supervisionou a iniciativa da Fundação Guggenheim de expandir sua presença internacional e, em 1991, a cidade de Bilbao, no norte da Espanha, foi escolhida como local para o terceiro museu da fundação. Recrutando os serviços do arquiteto americano Frank Gehry para projetar o novo museu, o Museu Guggenheim de Bilbao foi inaugurado em 19 de outubro de 1997. Situado na cênica Baía da Biscaia e construído em titânio, vidro e calcário, o prédio de Gehry recebeu elogios quase unânimes de críticos, incluindo o arquiteto Philip Johnson, que o chamou de "o maior edifício de nosso tempo".

Em 1992, coincidindo com a conclusão de uma restauração de 3 anos do edifício principal do Guggenheim, a fundação abriu o Guggenheim SoHo no centro de Manhattan. Instalado em um prédio relativamente pequeno projetado pelo arquiteto Arata Isozaki, a filial do SoHo exibiu exposições de Andy Warhol, Marc Chagall e Max Beckmann, entre outros. Apenas alguns anos após a abertura do museu satélite de vários andares, o espaço da galeria do andar térreo foi tomado por lojas de varejo, e os outros andares não abrigavam absolutamente nada. O Guggenheim SoHo finalmente fechou em 2002 e foi amplamente considerado um empreendimento fracassado para a fundação.

A Fundação Guggenheim continuou nos últimos anos a expandir seu escopo internacional ainda mais, abrindo o Deutsche Guggenheim em Berlim, Alemanha em 1997, e em breve abrirá seu maior museu até o momento, o Abu Dhabi Guggenheim projetado por Frank Gehry nos Estados Unidos Emirates. Em 2011, a fundação tem planos de abrir o Museu Hermitage Vilnius Guggenheim na Lituânia e o Guggenheim Guadalajara no México.

Embora o Museu Solomon R. Guggenheim como instituição deva muito ao legado de Hilla von Rebay e seu entusiasmo pela pintura abstrata, o próprio museu superou em muito sua intenção original. O edifício de Frank Lloyd Wright tornou-se sinônimo de arquitetura moderna e é universalmente reconhecido como tal. Embora considerado um projeto um tanto heterodoxo para um museu, muitos arquitetos seguiram mais do que algumas dicas da abordagem de Frank Lloyd Wright e projetaram museus de arte que são construídos menos como espaços de galeria tradicionais e mais como crescimentos assimétricos e quase orgânicos nascendo naturalmente de a Terra. O projeto de Frank Lloyd Wright para o museu sobrevive como um ícone cultural da arquitetura de vanguarda.

"Entrando no espírito deste interior, descobrirá o melhor ambiente possível para expor belas pinturas ou ouvir música. É este ambiente que me parece mais carente nas nossas galerias de arte, museus, salas de concertos e teatros."
- Frank Lloyd Wright, em Fórum de Arquitetura, Janeiro de 1948

"O edifício de Wright tornou social e culturalmente aceitável para um arquiteto projetar um museu altamente expressivo e intensamente pessoal. Nesse sentido, quase todos os museus de nosso tempo são filhos do Guggenheim."
- Paul Goldberger, crítico de arquitetura da O Nova-iorquino


Neste dia: o Museu Guggenheim é inaugurado em Nova York

21 de outubro (UPI) - Nesta data na história:

Em 1805, em uma das maiores batalhas navais da história, a frota britânica sob o comando do almirante Horatio Nelson derrotou a frota franco-espanhola combinada em Trafalgar, na costa da Espanha.

Em 1879, após 14 meses de experimentos, Thomas Edison inventou a primeira lâmpada elétrica incandescente prática.

Em 1908, a revista The Saturday Evening Post publicou um anúncio de um produto totalmente novo: um disco fonográfico de dois lados.

Em 1948, os aliados ocidentais decidiram retirar sua condenação da Rússia como uma ameaça à paz com a condição de que o bloqueio de Berlim fosse levantado, aceitando uma fórmula de nação pequena como uma "base de esperança" para resolver a crise de Berlim.

Em 1950, as tropas chinesas ocuparam o Tibete.

Em 1959, o projetista de foguetes Wernher von Braun e sua equipe foram transferidos do Exército dos EUA para a recém-criada Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço.

Em 1959, o Solomon R. Guggenheim Museum foi inaugurado na cidade de Nova York. O edifício, projetado por Frank Lloyd Wright, é considerado um dos melhores exemplos de arquitetura do século XX.

Em 1983, os governantes militares recém-instalados de Granada buscaram consolidar o controle enquanto 1.900 fuzileiros navais avançavam em direção à ilha apoiada por cubanos após um golpe de uma semana que deixou cerca de 15 mortos.

Em 1991, o professor da Universidade de Beirute Jesse Turner, refém desde janeiro de 1987, foi libertado por seus captores no Líbano.

Em 1994, Rosario Ames, esposa do espião confessado Aldrich Ames, foi condenada a 63 meses de prisão por ter colaborado com ele.

Em 1996, a média industrial Dow Jones de 30 ações principais ultrapassou a marca de 6.000 pela primeira vez.

Em 2004, o soldado mais graduado acusado no escândalo de abuso na prisão de Abu Ghraib no Iraque, o sargento. Ivan "Chip" Frederick, foi condenado a oito anos de prisão. Ele foi libertado em liberdade condicional em 2007.

Em 2010, um relatório do governo dos EUA indicou que as empresas de financiamento de hipotecas conhecidas como Fannie Mae e Freddie Mac, já recebedoras de US $ 148 bilhões em fundos de resgate federal, podem precisar de US $ 200 bilhões a mais para permanecer solventes até 2013.

Em 2011, o presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou que os Estados Unidos retirariam todas as tropas do Iraque no final do ano e se engajariam em um "relacionamento normal" com a nação. "Depois de quase nove anos", disse Obama, "a guerra da América no Iraque terá acabado."

Em 2013, Jim Leyland, 68, há muito considerado um dos principais dirigentes da Major League Baseball, anunciou que estava se aposentando como técnico do Detroit Tigers, mas permaneceria no clube em outra posição. Leyland levou os Tigers a três títulos de divisão e duas flâmulas da AL e levou o Florida Marlins ao campeonato da World Series em 1997.

Em 2014, o velocista olímpico sul-africano Oscar Pistorius foi condenado a cinco anos de prisão por atirar fatalmente em sua namorada. Ele foi libertado para prisão domiciliar menos de um ano depois, mas em 2016, ele foi re-sentenciado com recurso do Ministério Público e voltou à prisão.


Museu Guggenheim: História e passeio pelo Museu Guggenheim de Nova York

O Museu Guggenheim é uma das atrações mais populares da cidade de Nova York. Suas coleções de obras de arte contemporâneas, modernas, impressionistas e pós-impressionistas foram vistas por mais de um milhão de visitantes todos os anos na última década. O museu está em funcionamento há mais de oito décadas. Originalmente conhecido como Museu da Pintura Não Objetiva quando foi inaugurado em 1939, o museu foi fundado pela Fundação Solomon R. Guggenheim sem fins lucrativos. Seu primeiro diretor foi o artista e cofundador Hilla von Rebay. A organização foi renomeada para Museu Solomon R. Guggenheim em 1952 para homenagear o falecido filantropo e co-fundador do museu.

Rebay e Guggenheim eram ávidos colecionadores de arte. Guggenheim começou a comprar pinturas criadas por artistas europeus dos séculos 18 e 19 em seus vinte e trinta anos. Conhecer Rebay despertou seu interesse pela arte abstrata. Solomon Guggenheim mais tarde abriu sua coleção de arte em seu apartamento de hotel no New York Plaza ao público antes de formar a Fundação Solomon R. Guggenheim.

A fundação foi desenvolvida para ajudar as pessoas a apreciar e desfrutar da arte moderna. Suas primeiras exposições de arte foram realizadas no centro de Manhattan em 1939. Obras de Marc Chagall, Piet Mondrian, Pablo Picasso, Amedeo Modigliani, Wassily Kandinsky, Robert Delaunay e outros foram disponibilizadas para visualização. A Fundação Guggenheim adicionou tantas pinturas abstratas ao seu inventário na década de 1940 que eles logo perceberam que precisavam de um lar permanente para sua coleção.

Solomon Guggenheim e Hilla von Rebay escreveram ao renomado arquiteto Frank Llloyd Wright em 1943 e pediram-lhe que desenvolvesse um edifício onde suas pinturas pudessem ser exibidas e armazenadas. Wright decidiu trabalhar no projeto. Ele criou mais de 700 esboços ao longo de 15 anos antes de um projeto final ser desenvolvido.

Wright imaginou o museu como um "templo do espírito". A forma cilíndrica única do edifício é maior e mais larga na parte superior do que na parte inferior da estrutura. Ele criou uma galeria de rampa que começa no andar térreo e espirais para cima até logo abaixo da claraboia do teto. O padrão circular era semelhante à concha do nautilus, um molusco marinho distinto comumente encontrado nos oceanos Pacífico e Índico.

Várias formas geométricas conhecidas foram incorporadas ao projeto do museu. Wright deu simbolismo a cada forma usada. Ele afirmou que “essas formas geométricas sugerem certas idéias, humores, sentimentos humanos - como por exemplo, o círculo, o infinito a espiral, o progresso orgânico. o quadrado, integridade. ”

Foto: H.R. Tsua, CC BY-SA 4.0 & lthttps: //creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0>, via Wikimedia Commons

A superfície do Museu Guggenheim foi feita de concreto. O engenheiro estrutural tcheco Jaroslav Josef Polivka ajudou Wright com a rampa da galeria e o projeto estrutural do edifício. James Johnson Sweeney substituiu Rebay como diretor em 1953 e supervisionou os últimos anos de construção. O museu finalmente foi aberto ao público em 21 de outubro de 1959, na esquina da seção Museum Mile da Fifth Avenue com a East 89th Street na cidade de Nova York. Frank Lloyd Wright faleceu em abril daquele ano, sem saber como sua criação seria percebida pelo público.

O museu teve muitos críticos antes mesmo de ser inaugurado. Alguns pensaram que não era apropriado colocar arte em tal edifício, enquanto outros pensaram que as pessoas prestariam mais atenção à estrutura em si do que às obras criativas dentro do edifício. Vinte e um artistas locais emprestaram suas assinaturas para uma carta que foi enviada à Fundação Guggenheim expressando sua aversão de que algumas de suas obras fossem exibidas em um museu que consideravam insatisfatório.

Apesar da oposição, o museu abriu para uma multidão impressionante. O edifício foi frequentemente elogiado por visitantes, amantes da arte e arquitetos. Também inspirou edifícios posteriores. A fundação continuou a aumentar sua coleção de arte de todo o mundo. Sweeney adquiriu pinturas de Paul Cezanne, Jackson Pollock e David Hayes e esculturas criadas por Alberto Giacometti, Joseph Czasky, Jean Calder e outros. Thomas M. Messer tornou-se o novo diretor do Museu Guggenheim em 1961 e acrescentou mais obras-primas de Pablo Picasso, Paul Gauguin, Edouard Manet e Vincent van Gogh.

Thomas Krens se tornou o próximo diretor da Fundação Guggenheim em 1998. Durante seus 20 anos de mandato, o museu adquiriu obras de arte minimalistas de Dan Flavin, Donald Judd, Brice Marden e Robert Mangold, entre outros. Arte pós-moderna conceitual de James Turner, Richard Serra, Lawrence Weiner e Robert Morris foi adquirida, e 200 fotografias também foram doadas pela Fundação Robert Mapplethorpe em 1992. O atual diretor Richard Armstrong deu continuidade à tradição de seus predecessores obtendo obras de mais qualidade de arte para as coleções permanentes e temporárias do museu.

O museu continuou a se expandir e mudar ao longo dos anos para acomodar seus clientes e sua crescente coleção de arte. O edifício original foi renovado em 1992 e uma nova torre foi erguida atrás dele. O design original da clarabóia foi restaurado após mudanças anteriores e quatro novas galerias de exposição. A fundação vendeu várias de suas obras de Chagall, Kandinsky, Modigliani e outros artistas para financiar as mudanças e atualizações. A venda teve seu quinhão de polêmica, mas ainda assim arrecadou mais de US $ 40 milhões.

Remodelações adicionais e restauração do edifício original começaram em 2005. As rachaduras foram consertadas, a tinta foi removida e substituída e uma avaliação geral de seu estado foi realizada. O museu foi declarado estruturalmente sólido depois que o projeto foi concluído três anos depois. Foi adicionado ao Registro Nacional de Locais Históricos em maio de 2005 e foi oficialmente registrado como Marco Histórico Nacional em outubro de 2008. O Museu Guggenheim está listado como Marco da Cidade de Nova York desde agosto de 1990.

As exposições têm rodado dentro e fora do museu desde sua inauguração e várias coleções foram compartilhadas com o Museu Guggenheim de Bilbao na Espanha e outras galerias ao redor do mundo. Alguns dos itens mais notáveis ​​nas galerias permanentes do local de Nova York incluem:

Velocidade + som abstratos por Giacomo Balla, por volta de 1914.

Ponte de Brooklyn (Pont de Brooklyn) por Albert Gleizes, 1915.

The Hermitage at Pontoise, de Camille Pissarro, 1867.

Homme aux bras croises (homem de braços cruzados) por Paul Cezanne, por volta de 1899.

Eu não posso trabalhar assim por Natascha Sadr Haghighian, 2007.

La cheval (o cavalo) por Raymond Duchamp-Villon, 1914.

Paisagem com chaminé de fábrica por Wassily Kandinsky, 1910.

Les Fumeurs (os fumantes) por Fernand Leger, 1912.

Montanhas em Saint-Remy por Vincent Van Gogh, 1889.

Carrossel Pierrot por Alexander Archipenko, 1913.

Balão Vermelho (Balão Roter) por Paul Klee, 1922.

Almofadas de lírio vermelhas por Alexander Calder, 1956.

TV Garden por Nam June Palk, concluído em 2000.

Violino e paleta (Violon et palette, Dans l’atelier) de Georges Braque, 1909.

A vaca amarela por Franz Marc, 1911.

Os visitantes são bem-vindos para visitar as muitas exposições e obras de arte individuais no Museu Solomon R. Guggenheim durante o horário comercial normal. As pessoas geralmente recomendam bloquear várias horas do seu dia para que você possa experimentar tudo o que o local tem a oferecer. Você também pode ver muitas de suas seleções online. O Guggenheim é um lugar maravilhoso para passar o tempo com amigos, familiares e visitantes de fora da cidade. Você pode apreciar e admirar peças únicas que foram criadas por muitos artistas conhecidos (e alguns não tão conhecidos) nos últimos três séculos que representam segmentos de nosso mundo em constante mudança. No entanto, para encerrar, talvez a experiência encantadora e emocionante que encontramos ao visitar o Museu Guggenheim seja o próprio edifício. Isso vai deixar você sem fôlego ……… ..


Museu Guggenheim

É um dos museus de vários projetos de arte de vários artistas como Picasso e um local de aventuras familiares.

O Museu Guggenheim de estrutura espiral está localizado em Nova York, NY na 1071 5th Avenue entre a 88th e a 99th Street. Funciona de domingo a quarta-feira, das 10h às 17h45. O Guggenheim fecha na quinta-feira, mas reabre na sexta-feira no mesmo horário. Aos sábados, o museu está aberto das dez às 7:45. A admissão tem um preço razoável, é de vinte e cinco para adultos, dezoito para idosos e estudantes com carteira de estudante válida e gratuita para sócios e crianças menores de doze anos.

O Museu Guggenheim foi construído no ano de 1959 por Frank Lloyd Wright depois de ter sido criado vinte anos antes por Solomon R Guggenheim (um empresário sueco que cresceu na mineração americana com sua família). O prédio originalmente tinha seis andares, mas 749 desenhos depois o museu acabou sendo construído com oito andares. Por causa da adição, o museu teve sua inauguração em 21 de outubro de 1959. Exatamente seis meses após a morte de Wright.

Desde a grande inauguração, o Guggenheim não foi nada além de um sucesso. O museu hoje atrai sua multidão com várias exposições vindas de todo o país. Algumas dessas exposições são arte contemporânea do Oriente Médio e Norte da África, Arte do artista francês Justin K.Tannhäuser que morreu em 1976 e uma galeria dedicada estritamente a Frank Lloyd Wright. Junto com suas exposições, oferece arte de muitos artistas, incluindo Constantin Brancusi, Marc Chagall, Vasily Kandinsky e Joan Miro.

O Guggenheim não é apenas um lugar para artistas, porque também tem muitos programas que beneficiam as crianças, além de uma biblioteca. O museu oferece programas diários após a escola para crianças de oito a onze anos e eventos mensais como a Noite dos Adolescentes para idades a partir dos treze, que inclui conversas aprofundadas, esboços e redações criativas que às vezes envolvem o trabalho com autores reais. O museu também possui um Studio Art Lab para crianças a partir dos três anos. O Studio Art Lab permite que as crianças façam sua própria arte, de pinturas a modelos de argila. The library has floors of books and archives about history, modern, cultural and other types of arts.

The Guggenheim Museum in New York is a wonderful place to take your family on weekends or whenever it is convenient. It is a place of wonder and opportunity for the entire family and history. Best of all it is historical building that offers tons of learning experiences.


Photo: Stock Photos from KAMIRA/Shutterstock

In looking to upgrade the museum space, Guggenheim sought out the famous American architect Frank Lloyd Wright to create a modern building worthy of his ever-growing collection. The project was commissioned in 1943, but due to wartime and other delays, the museum would not open to the public until 1959.

Wright's design features a spiral ramp with offset galleries, a large interior atrium with skylights, and an almost blinding-white color scheme in concrete. Sadly, neither Wright nor Solomon R. Guggenheim witnessed the new museum's opening. Wright passed earlier that year, while Guggenheim died in 1949. In his honor, the museum was renamed the Solomon R. Guggenheim Museum.

The spiral interior of the Guggenheim Museum in New York, 2019. (Photo: Madeleine Muzdakis/My Modern Met)


Guggenheim Museum

Nossos editores irão revisar o que você enviou e determinar se o artigo deve ser revisado.

Guggenheim Museum, international museum that collects and exhibits modern and contemporary art in New York City and other locations under the aegis of the Solomon R. Guggenheim Foundation. The Guggenheim’s component museums are the Solomon R. Guggenheim Museum in New York City the Peggy Guggenheim Collection in Venice and the Guggenheim Museum Bilbao in Spain.

The Guggenheim Museum grew out of the art-collecting activities of Solomon R. Guggenheim (1861–1949), who was part-heir to a fortune made in the American mining industry by his father, Meyer Guggenheim. Solomon began collecting abstract art in the 1920s, and in 1939 he founded the Museum of Non-Objective Painting to display his collection in New York City. This museum, which was owned and operated by the Solomon R. Guggenheim Foundation, was renamed the Solomon R. Guggenheim Museum in 1952.

In 1959 the museum received a permanent home in an innovative new building designed by Frank Lloyd Wright. The building represents a radical departure from traditional museum design, spiraling upward and outward in smoothly sculptured coils of massive unadorned white concrete. The exhibition space of the interior consists of a spiral ramp of six “stories” encircling an open centre space lighted by a dome of glass supported by stainless steel. Many of the paintings are “floated” from the inclined outer wall on concealed metal arms. The museum was expanded in 1992 by the addition of a nearby 10-story tower. Wright’s building became one of his most iconic designs, and it was designated a World Heritage site by UNESCO in 2019. The Guggenheim Museum has a comprehensive collection of European painting throughout the 20th century and of American painting from the second half of the century. The museum has the world’s largest collection of paintings by Wassily Kandinsky and rich holdings of works by Pablo Picasso, Paul Klee, and Joan Miró, among others. Modern sculpture is also well represented.

The Peggy Guggenheim Collection was established by Peggy Guggenheim (1898–1979), a niece of Solomon R. Guggenheim who became a collector and dealer in modern art. The collection, which is housed in her former home, the Palazzo Venier dei Leoni in Venice, contains some notable Cubist, Surrealist, and Abstract Expressionist paintings. The collection and palace were donated to the Solomon R. Guggenheim Foundation in 1979.

The Guggenheim Museum Bilbao opened in 1997 in the city of Bilbao as a cooperative venture between the Guggenheim Foundation and the Basque regional administration of northwestern Spain. The museum complex, designed by the American architect Frank Gehry, consists of interconnected buildings whose curving facades of limestone and titanium suggest a gigantic work of abstract sculpture. The building’s interior space, which is organized around a huge atrium, is mainly devoted to exhibits of modern and contemporary art.

In 2006 it was announced that a new Guggenheim museum—the Guggenheim Abu Dhabi Museum, designed by Gehry—would be built on Saadiyat Island in Abu Dhabi as part of a proposed cultural district planned to include, among other museums, a satellite location of the Louvre. The director of the Guggenheim Museum and Foundation indicated in 2019 that, after years of delay, construction was expected to begin but offered no timeline.

In the early 21st century several Guggenheim museums closed: the Guggenheim Museum SoHo (1992–2001) in New York City, the Deutsche Guggenheim (1997–2012) in Berlin, the Guggenheim Las Vegas (2001–03), and the Guggenheim Hermitage Museum (2001–08) in Las Vegas the latter had been a joint venture with the Hermitage in St. Petersburg.

Os editores da Enciclopédia Britânica Este artigo foi revisado e atualizado mais recentemente por Alicja Zelazko, editora assistente.


Solomon R. Guggenheim Museum

The Guggenheim is excited to welcome visitors back. Click here for saftey protocols ¬lick here for latest information form the NYC Dept of health. The Guggenheim holds a unique place in the history of New York City's museums. Established some. more

The Guggenheim is excited to welcome visitors back. Click here for saftey protocols ¬lick here for latest information form the NYC Dept of health. The Guggenheim holds a unique place in the history of New York City's museums. Established some sixty years ago by philanthropist Solomon R. Guggenheim and artist-advisor Hilla Rebay, it first assumed temporary residence in a former automobile showroom on East 54th Street in New York. The "Museum of Non-Objective Painting," as it was then known, took as its basis the radical new forms of art being developed by such artists as Vasily Kandinsky, Paul Klee, and Piet Mondrian. The insistence of its founders on a wholly new kind of art seen in a wholly new kind of space set the Guggenheim on its path. Throughout its history, it has stood as a groundbreaking institution geared as much toward the promise of the future as the preservation of the past. The belief in preservation was furthered by a recent extensive restoration of the museum’s exterior, which as of 2008 is now nearly complete. The innovative cylindrical building designed by Frank Lloyd Wright, has suffered cracks in its concrete surface since the museum opened in 1959. . more

The Guggenheim is excited to welcome visitors back. Click here for saftey protocols

The Guggenheim holds a unique place in the history of New York City's museums. Established some sixty years ago by philanthropist Solomon R. Guggenheim and artist-advisor Hilla Rebay, it first assumed temporary residence in a former automobile showroom on East 54th Street in New York. The "Museum of Non-Objective Painting," as it was then known, took as its basis the radical new forms of art being developed by such artists as Vasily Kandinsky, Paul Klee, and Piet Mondrian. The insistence of its founders on a wholly new kind of art seen in a wholly new kind of space set the Guggenheim on its path.

Throughout its history, it has stood as a groundbreaking institution geared as much toward the promise of the future as the preservation of the past. The belief in preservation was furthered by a recent extensive restoration of the museum’s exterior, which as of 2008 is now nearly complete. The innovative cylindrical building designed by Frank Lloyd Wright, has suffered cracks in its concrete surface since the museum opened in 1959. In 2005, twelve layers of paint were removed in order to repair and restore the building’s unique structure. The museum remained open throughout the process as visitors passed under scaffolding to enter the building.

The first permanent home for the museum, as mentioned, was designed by Frank Lloyd Wright. He envisioned a building that not only broke the rectilinear grid of Manhattan but also shattered existing notions of what a museum could be. He conceived of its curving, continuous space as a "temple of spirit" where viewers could foster a new way of looking. Named the Solomon R. Guggenheim Museum in honor of its founder, the building opened in 1959, drawing huge crowds and stirring considerable controversy. It has never lost its power to excite and provoke, standing today as one of the great works of architecture produced in the twentieth century.

The museum entered a new era after the naming of Richard Armstrong as director of the Solomon R. Guggenheim Foundation in late 2008. As director, Mr. Armstrong has a pivotal role in overseeing all aspects of the museums including acquisitions, development, conservation and scholarship.

While the Guggenheim Museum in New York is the Foundation’s flagship museum, there are also several other global branches of the Guggenheim network which include The Peggy Guggenheim Collection in Venice, The Guggenheim Museum Bilbao in Spain and The Deutsche Guggenheim in Berlin. The Guggenheim Abu Dhabi Museum is scheduled to open in 2013.


When exactly will museums reopen in NYC?

Even though museums could reopen as early as August 24, each institution is setting its own dates for when it is ready to welcome back visitors. Here’s what we know so far:

MoMA reopened August 27

The main MoMA museum in Manhattan reopened on August 27. Timed entry tickets are released one week in advance in one-week blocks, every Friday at 10:00 a.m. ET. Access will be free through September 27, thanks to the museum's partnership with the Japanese clothing brand Uniqlo. (Paid g eneral admission tickets for September 28 through October 31 are also available currently)

While the museum will be open daily from 10:30 a.m. to 5:30 p.m., Mondays will be reserved exclusively for members and their guests. All guests age two and older will be required to wear a mask.

The Metropolitan Museum of Art reopened 29 de agosto

The Metropolitan Museum of Art is now open Saturday through Monday from 10 a.m. to 5 p.m., Thursday and Friday from 12 p.m. to 7 p.m. The museum will be closed on Tuesdays and Wednesdays. All visitors over the age of two will be required to wear face masks, and restrooms will have occupancy limits. Because visitor capacity will be reduced and controlled, the museum cannot guarantee that all galleries will be open to the public. Hand sanitizer is provided at entrances and at stations throughout the museum.

Whitney Museum of American Art is reopening September 3

Article continues below advertisement

Over in the Meatpacking District, The Whitney is reopening on September 3, with "Pay What You Wish" admission through September 28. All tickets must be booked in advance.

The American Museum of Natural History is reopening 9 de setembro

According to its website, the American Museum of Natural History says it will reopen on September 9 to the general public, with previews for members and invited guests starting September 2. Its new hours will run from 10 a.m. to 5:30 p.m. Wednesday through Sunday. All visitors ages two and up will be required to wear face masks during their visit. Both elevators and restrooms will have limited capacity at the museum, and all interactive displays and “touchable exhibit elements” will be cordoned off. Hand sanitizer stations will be provided throughout the museum.

The Brooklyn Museum is reopening September 12

Timed entry tickets are now available for the Brooklyn Museum in 15-minute increments. The museum will be open all days starting September 12, except Mondays and Tuesdays. Hours are 11 a.m. to 6 p.m., except for Fridays and Saturdays when the museum stays open to 8 p.m.

The Met Cloisters is reopening 12 de setembro

The Met Cloisters museum announced that it will reopen on Saturday, September 12. From Thursday to Monday the museum will be open from 10 a.m. to 5 p.m. The museum will be closed Tuesdays and Wednesdays.

MoMA PS1 is reopening September 17

MoMa's sister site in Queens, MoMA PS1, will reopen on September 17. Timed entry tickets will be available starting September 10. The museum will be open from 12 to 6 p.m. every day but Tuesdays and Wednesdays.

The Guggenheim is reopening October 3

Article continues below advertisement

The Guggenheim is reopening to the public on October 3, and is offering early access for members from September 30 to October 2. For every $25 admission ticket purchased in advance of the museum's reopening, the Guggenheim will give a complimentary family pass to an essential worker.

We will continue to update this piece as more NYC museums announce their official reopening dates.


Assista o vídeo: An Inside Look at New Yorks Solomon R. Guggenheim Museum


Comentários:

  1. Heorot

    Eu acho que você está cometendo um erro.

  2. Vrba

    Parece excelente frase para mim é

  3. JoJozuru

    Bravo, qual é a frase certa ... grande pensamento

  4. Briefbras

    Completamente compartilho sua opinião. Nele, algo também é uma ideia excelente, concorde com você.

  5. Bickford

    Nele algo está. Agradeço a ajuda nesta pergunta, também posso do que ajudar isso?



Escreve uma mensagem