Inauguração do Presidente Washington - História

Inauguração do Presidente Washington - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Washington tornou-se o primeiro presidente dos Estados Unidos, após ser eleito por unanimidade pelos membros do Colégio Eleitoral. O recém-eleito presidente participou do que se tornou uma procissão triunfal de Mt. Vernon a Nova York, a capital temporária dos Estados Unidos. Em 30 de abril, em uma sacada lotada com vista para Wall Street, o presidente Washington fez seu juramento de posse.

O Congresso cessante da Confederação marcou a primeira quarta-feira de janeiro para a escolha dos eleitores presidenciais. Apesar de sua relutância em servir como presidente, Washington foi a escolha esmagadora dos eleitores. Em 16 de abril, Washington deixou Mt Vernon, Virgínia, para uma viagem triunfal à cidade de Nova York para assumir a presidência. Ele recebeu um jantar cívico em Alexandria, Virgínia. Depois de cruzar o Potomac, ele recebeu as honras da cidade de Baltimore. Em Wilmington, Delaware, ele foi novamente homenageado. Ele foi recebido na linha da Pensilvânia e escoltado até a Filadélfia pelo governador do estado.

Dois arcos triunfais foram preparados na entrada sul da cidade, e um desfile foi realizado em homenagem a Washington.

Seguimos então para Trenton, New Jersey, para outra celebração. Em 23 de abril, Washington chegou a Elizabethtown, New Jersey, onde uma barcaça o esperava com treze pilotos mestres em uniformes brancos. O porto de Nova York estava cheio de barcos decorados em homenagem ao general. A costa estava apinhada de gente; e quando a barcaça de Washington chegou a Murray's Wharf, a cidade celebrou com saraivadas de tiros de canhão e as bandas começaram a tocar música.

Em 30 de abril, Washington fez o juramento de posse em uma varanda do Federal Hall. O juramento foi feito pelo Chanceler Robert Livingston, Chefe de Justiça de Nova York. Washington então voltou para dentro para ler seu discurso inaugural para o Congresso.


Primeira inauguração de George Washington

o primeira inauguração de George Washington como o primeiro presidente dos Estados Unidos foi realizado na quinta-feira, 30 de abril de 1789, na varanda do Federal Hall, na cidade de Nova York, Nova York. A posse foi realizada quase dois meses após o início do primeiro mandato de quatro anos de George Washington como presidente. O chanceler de Nova York, Robert Livingston, administrou o juramento de posse presidencial. Com esta inauguração, o ramo executivo do governo dos Estados Unidos iniciou oficialmente as operações sob a nova estrutura de governo estabelecida pela Constituição de 1787. A posse de John Adams como vice-presidente ocorreu em 21 de abril de 1789, quando ele assumiu as funções de presidente do Senado dos Estados Unidos.

Primeira posse presidencial de George Washington
Encontro30 de abril de 1789, há 232 anos (30/04/2017)
LocalizaçãoFederal Hall,
Cidade de Nova York
ParticipantesGeorge Washington
1º presidente dos Estados Unidos
- Assumindo escritório
Robert Livingston
Chanceler de Nova York
- Juramento de administração
John Adams
1º vice-presidente dos Estados Unidos
- Assumindo escritório John Langdon
Presidente pro tempore do Senado dos Estados Unidos
- Juramento de administração
1793 →


A primeira posse presidencial: como George Washington subiu ao escritório

Depois de liderar os colonos americanos à vitória na Guerra Revolucionária, George Washington renunciou ao cargo de comandante-chefe do Exército Continental e jurou nunca mais entrar na política. & # x201CI sinto-me aliviado de uma carga de cuidados públicos, & # x201D ele escreveu ao retornar para sua plantação na Virgínia em dezembro de 1783. & # x201CI espero passar o resto de meus dias cultivando o afeto de homens bons e na prática das virtudes domésticas. & # x201D & # xA0

No entanto, Washington logo começou a se desesperar com o estado de fraqueza do governo de acordo com os Artigos da Confederação, declarando em particular que & # x201Algo ​​deve ser feito, ou o tecido deve cair, pois certamente está cambaleando. & # X201D & # xA0

Em 1787, após meses de indecisão, ele foi persuadido a participar da Convenção Constitucional na Filadélfia. Eleito por unanimidade para liderar a convenção, ele quase nunca expressou sua opinião durante as deliberações, em vez disso, atuou como uma espécie de árbitro neutro. Quando a Constituição foi concluída, no entanto, Washington fez lobby para sua aprovação, especialmente em seu estado natal, a Virgínia, onde foi ratificada por pouco em junho de 1788.

Mais uma vez, os pensamentos de Washington se voltaram para sua plantação, mesmo quando cidadãos comuns e proeminentes o imploraram para se tornar o primeiro presidente da nação. & # x201CSó você pode fazer esta máquina política funcionar com sucesso, & # x201D disse o Marquês de Lafayette, um francês que serviu como general no Exército Continental. & # xA0

Apesar de expressar reservas sobre tudo, desde sua idade avançada até sua suposta falta de qualificações, Washington acabou concordando. Relutante até o fim, ele escreveu que seus movimentos & # x201 para a presidência do governo serão acompanhados de sentimentos semelhantes aos de um culpado que está indo para o local de sua execução. & # X201D

A eleição presidencial de 1789 foi muito diferente de tudo nos tempos modernos. Por um lado, três dos 13 estados originais não participaram. Rhode Island e a Carolina do Norte foram deixadas de fora porque ainda não haviam ratificado a Constituição, e Nova York provou-se politicamente muito dividida para selecionar delegados para o Colégio Eleitoral. & # XA0

Dos 10 estados restantes, alguns escolheram seus delegados com voto popular & # x2014aberto apenas para homens brancos com propriedades. Nos outros, ou a legislatura escolheu os delegados ou uma combinação de métodos foi usada. Embora Washington não tenha feito campanha de nenhum tipo, todos os 69 delegados votaram nele. Até hoje, ele continua sendo o único presidente a vencer o Colégio Eleitoral por unanimidade, feito que repetiu em 1792.

Ao saber de sua vitória em meados de abril de 1789, Washington viajou de sua plantação na Virgínia para a cidade de Nova York. Ele esperava se mover rapidamente, mas acabou sendo tratado como um monarca em quase todos os lugares. Na Filadélfia, por exemplo, uma criança colocou uma coroa de louros em sua cabeça, após o que liderou um desfile montado em um cavalo branco. Então, em Trenton, Nova Jersey, os habitantes da cidade construíram um arco floral agradecendo a batalha da Guerra Revolucionária que ele havia vencido lá. As floristas jogaram pétalas a seus pés, e um coro de mulheres vestidas de branco cantou-lhe uma ode de boas-vindas. Mais festividades ocorreram em Elizabethtown, New Jersey, de onde ele pegou uma barcaça presidencial simbolicamente dirigida por 13 remadores pela Upper New York Bay até Manhattan.

Tendo chegado a seu destino, Washington se escondeu por uma semana enquanto o Congresso acertava os detalhes restantes de sua posse. Finalmente, por volta do meio-dia de 30 de abril, ele pegou uma carruagem pela baixa Manhattan cercado por um contingente de soldados, legisladores, autoridades municipais, dignitários estrangeiros e cidadãos locais. Depois de percorrer as últimas duzentas jardas até o Federal Hall a pé, Washington fez uma reverência às duas casas do Congresso e, em seguida, foi até a varanda ao ar livre da Câmara do Senado, onde o juiz mais graduado de Nova York administrou o juramento. & # x201Faça a apresentação ao vivo de George Washington, presidente dos Estados Unidos, & # x201D o juiz gritou enquanto milhares de espectadores explodiam em aplausos.

Embora não seja obrigatório pela Constituição, Washington a seguir fez um discurso de posse durante o qual ele supostamente se remexeu nervosamente. & # x201Este grande homem estava agitado e envergonhado, & # x201D um senador disse, & # x201Cmais do que nunca ele estava perto do canhão apontado ou mosquete pontudo. & # x201D & # xA0

No discurso, Washington admitiu estar ansioso com seu novo emprego e até listou suas deficiências, como ser inexperiente & # x201Nos deveres da administração civil. & # X201D No entanto, ele se declarou honrado em ser convocado por seu país, & # x201 Cuja voz eu nunca consigo ouvir, mas com veneração e amor. & # x201D & # xA0

Ele falava em generalidades, em vez de se aprofundar em pontos específicos de política. E em um apelo pela unidade entre os estados, ele prometeu ser guiado por & # x201Não há preconceitos locais, nem apegos, nem visões separadas, nem animosidades partidárias. & # X201D O modelo republicano de governo, continuou ele, é um & # x201 Experimento confiado nas mãos do povo americano. & # x201D

Terminada a inauguração, Washington liderou uma procissão para um culto de oração na igreja antes de testemunhar uma exibição de fogos de artifício iluminando o céu noturno. Imagens transparentes dele penduradas em muitas janelas, iluminadas por velas e lâmpadas, e tantas pessoas se aglomeraram nas ruas para vê-lo que ele teve dificuldade para retornar à casa presidencial. Mesmo naquele momento de celebração, o chamado & # x201CPai de seu país & # x201D supostamente acreditava que logo se aposentaria. Mas ele acabou cedendo à pressão pública e cumprindo dois mandatos completos, finalmente deixando o cargo em 1797.


Dia da Inauguração

As inaugurações presidenciais dos EUA são celebradas de várias maneiras, com algumas tradições padrão.

Juro solenemente (ou afirmo) que executarei fielmente o Gabinete do Presidente dos Estados Unidos e, com o melhor de minha capacidade, preservarei, protegerei e defenderei a Constituição dos Estados Unidos.

Com essas palavras, os presidentes americanos são empossados ​​a cada quatro anos. Todo presidente deve prestar juramento no início de seu mandato. Se um presidente for reeleito, ele deve prestar juramento no início de cada mandato.

Uma inauguração presidencial é muito mais do que um juramento de posse. Embora existam poucos outros requisitos formais, existem muitas tradições associadas às inaugurações presidenciais, incluindo a data e o local da cerimônia de inauguração.

Desde 1937, quando o presidente Franklin Roosevelt fez seu segundo juramento, as inaugurações ocorreram em 20 de janeiro do ano seguinte às eleições gerais de novembro. (Antes disso, as inaugurações eram celebradas em 4 de março.) Se 20 de janeiro cair em um domingo, as comemorações acontecem em 21 de janeiro. Por exemplo, em 2013, o presidente Barack Obama comemorou sua segunda posse na segunda-feira, 21 de janeiro.

As cerimônias inaugurais geralmente acontecem onde o Congresso se reúne. O presidente Thomas Jefferson foi o primeiro presidente empossado no Capitólio em Washington, DC, em 1801. (Antes dessa época, o Congresso se reunia em Nova York e Filadélfia, onde os presidentes George Washington e John Adams foram empossados.) Desde Adams, todas as inaugurações regulares foram ocorrido no Capitol. Uma exceção é a quarta posse do presidente Franklin Roosevelt em 1945. (Naquele ano, o presidente Roosevelt foi empossado na Casa Branca. Inaugurações excepcionais, que geralmente ocorrem por causa da morte ou incapacitação de um presidente em exercício, ocorreram em diferentes locais e várias datas desde o primeiro caso, quando John Tyler foi inaugurado em um hotel em Washington, DC após a morte do presidente William Henry Harrison.)

As festividades do dia de inauguração são organizadas principalmente pelo Joint Congressional Committee on Inaugural Committee (JCCIC). O JCCIC é um grupo bipartidário de senadores e representantes.

No entanto, os membros do JCCIC não são os únicos organizadores. A Força Tarefa Conjunta-Região da Capital Nacional (JTR-NTR) sempre participou das inaugurações presidenciais, para reconhecer o papel do presidente como comandante-chefe militar. O Comitê Presidencial Inaugural, determinado pelo presidente entrante e funcionários rsquos, organiza e fornece fundos para os bailes inaugurais e outras festividades. Aqui está uma visão geral cronológica das tradições e cerimônias que um dia típico de inauguração envolve:

Serviço de adoração: Quase todos os presidentes dos EUA foram cristãos, ou cresceram nessa fé, e muitos optaram por participar de um culto cristão público ou privado no dia da posse. A tradição de assistir a um culto na manhã do dia da inauguração foi iniciada por Franklin D. Roosevelt, que compareceu aos serviços na manhã de seu primeiro juramento em 1933.

Procissão para o Capitólio: Após o culto, o presidente eleito, o vice-presidente eleito e seus cônjuges são acompanhados à Casa Branca por membros do JCCIC. Os funcionários eleitos então pegam um carro ou limusine para o Capitólio. O presidente Jefferson (1801) e o presidente Andrew Jackson (1829) caminharam até o Capitólio.

Juramentos de ofício: O vice-presidente eleito é em primeiro lugar empossado. O vice-presidente John Garner foi empossado fora do Capitólio para seu segundo mandato com o presidente Franklin Roosevelt em 1937. Antes disso, os vice-presidentes foram empossados ​​durante uma cerimônia separada na Câmara do Senado, reconhecendo a posição de vice-presidente e rsquos como presidente do O senado.

O juramento presidencial é tradicionalmente administrado pelo presidente da Suprema Corte dos Estados Unidos.

Com algumas exceções, a maioria dos presidentes fez o juramento de posse com as mãos sobre a Bíblia. Alguns presidentes usam uma Bíblia de família, como o presidente Bill Clinton, que usou a Bíblia dada a ele por sua avó. Outros presidentes escolhem Bíblias históricas. Para ambas as inaugurações, o presidente Obama usou a chamada Bíblia de Lincoln, que o presidente Abraham Lincoln usou em sua primeira posse em 1861.

Alguns presidentes não prestaram juramento no dia da posse, geralmente por causa de uma tragédia nacional. Por exemplo, o presidente Lyndon Johnson foi empossado pela juíza do tribunal distrital dos Estados Unidos Sarah T. Hughes no Força Aérea Um após o assassinato do presidente John Kennedy em 1963. Da mesma forma, o presidente Gerald Ford foi empossado pelo chefe de justiça Warren Burger na Sala Leste do a Casa Branca após a renúncia do presidente Richard Nixon em 1974.

Endereço inaugural: Cada presidente fez um discurso inaugural e um discurso de mdasha delineando sua visão para o país. O segundo discurso do presidente Washington é o mais curto (135 palavras). O discurso do presidente William Harrison e rsquos é o mais longo (8.445 palavras).

Discursos inaugurais deram origem a muitos phreases bem conhecidos que continuamos a citar hoje, como o presidente Kennedy & rsquos & ldquo. Não perguntam o que seu país pode fazer por você, mas o que você pode fazer por seu país & rdquo (1961) e o presidente Franklin Roosevelt & rsquos & ldquowe não têm nada temer, mas temer a si mesmo & rdquo (1933). O segundo discurso de posse do presidente Lincoln (1865), mais notável pela frase & ldquowith malícia para com ninguém, com caridade para todos & rdquo, está gravado no Lincoln Memorial.

Almoço Inaugural: Após o juramento de posse, o JCCIC recebe o novo presidente e vice-presidente em um almoço no Capitólio. Esta é uma tradição desde a primeira posse do presidente Dwight Eisenhower & rsquos em 1953.

Desfile Inaugural: A parte mais festiva do Dia da Posse é provavelmente o desfile de posse, no qual o presidente, o vice-presidente e suas famílias caminham ou cavalgam pela Avenida Pensilvânia, do Capitólio à Casa Branca. Na Casa Branca, o presidente vê o desfile da arquibancada de revisão presidencial.

O desfile é organizado pela Força Tarefa Conjunta-Região da Capital Nacional, com participantes escolhidos pelo Comitê de Inauguração Presidencial. Os participantes quase sempre incluem regimentos militares (incluindo muitos grupos ROTC), organizações de veteranos e rsquo, bandas marciais, companhias de dança e carros alegóricos patrocinados por grupos de cidadãos.

Bolas Inaugurais: Apoiadores do novo presidente e vice-presidente organizaram uma festa exclusiva no Dia de Inauguração desde a primeira posse do Presidente Washington & rsquos em 1789. Em 1953, os apoiadores do Presidente Eisenhower & rsquos adicionaram um segundo baile às festividades da noite & rsquos.

Embora essa ordem de festividades de inauguração seja uma tradição americana consagrada pelo tempo, com alguns elementos que datam de George Washington, em tempos extraordinários, as tradições podem mudar. Em 2021, a posse do presidente Joseph R. Biden e do vice-presidente Kamala Harris divergiu significativamente da norma, já que grande parte das festividades públicas foram alteradas devido a questões de saúde em torno da pandemia COVID-19, bem como questões de segurança devido a ameaças de insurreição política de partidários da administração cessante. No entanto, embora as armadilhas comemorativas da inauguração de 2021 possam ter diferido das inaugurações anteriores, os juramentos de mandato permaneceram os mesmos, e o processo democrático da América & rsquos de transição pacífica de poder marcou seu 244º ano e 59º inauguração em 2021.

Discursos inaugurais às vezes têm temas. Em 2013, o tema do presidente Obama e rsquos será "Faith in America & rsquos Future". Sobre quais questões políticas você acha que o presidente Obama falará neste discurso inaugural?

As respostas vão variar! Uma área de foco no discurso de posse do presidente Obama e rsquos pode ser questões domésticas, como a economia, a relação entre republicanos e democratas no governo, crime, reforma tributária, educação e criação de empregos.

Outra possível área de foco no discurso de posse do presidente Obama e rsquos pode ser política estrangeira, incluindo a guerra no Iraque, o conflito no Oriente Médio e a competição econômica de fabricantes chineses.

Muitas questões, como imigração e preocupações com o meio ambiente, são consideradas questões de política interna e externa.

Uma das partes mais esperadas das recentes inaugurações tem sido a escolha dos convidados musicais. "Queen of Soul" Aretha Franklin se apresentou de forma memorável na posse do presidente Obama e rsquos em 2009. Se você fizesse parte do Comitê de posse presidencial do presidente Obama e rsquos, quais músicos você escolheria para se apresentar na cerimônia de 2013? Porque?

As respostas vão variar! Os artistas provavelmente deveriam ser americanos e tão relevantes, impressionantes e inofensivos para o maior número possível de eleitores.

Em 2009, foram mais de 120 bailes inaugurais. Cada estado tem sua própria bola e muitos grupos de cidadãos têm sua própria bola. O Baile de Inauguração do Empreendedor, por exemplo, é realizado por lideranças do meio empresarial. O Hip-Hop Inaugural Ball é apresentado pelo pioneiro do hip-hop Russell Simmons e se concentra em interesses de entretenimento. O Baile Inaugural Verde é patrocinado por líderes dos movimentos de conservação e energia limpa. Se você fizesse parte do Comitê de posse presidencial do presidente Obama e rsquos, a que tipo de bailes de posse você gostaria que o presidente comparecesse em 2013? Porque?

As respostas vão variar! Os bailes oficiais (aqueles com a presença do presidente) podem refletir sua lealdade a uma região geográfica (como o estado de onde ele é) ou seu interesse em uma questão ou constituinte específico. Às vezes, também são simplesmente lugares onde ele se sente relaxado e confortável & mas, afinal, são festas para ele!


Fazendo o juramento

Por fim, Adams informou ao presidente eleito que ambas as casas estavam prontas para atendê-lo para prestar juramento. Washington foi escoltado até a varanda externa em frente à câmara do Senado, com vista para a Broad Street. A varanda estava enfeitada com um dossel e cortinas vermelhas e brancas.

Robert Livingston, Chanceler de Nova York, administrou o juramento. Samuel Otis, Secretário do Senado, segurava a Bíblia cerimonial, que era uma Bíblia maçônica adquirida no último minuto na Loja de São João.

Washington fez o juramento com a mão na Bíblia e beijou a Bíblia após fazer o juramento. Do pórtico com vista para Wall e Broad Streets, Livingston virou-se para as ruas fervilhantes abaixo e gritou: "Viva George Washington, Presidente dos Estados Unidos!"

O novo presidente curvou-se para a multidão e depois retirou-se para a Câmara do Senado, onde faria seu discurso de posse.


Inaugurações presidenciais

A primeira inauguração presidencial ocorreu no Federal Hall, em Nova York.

Inauguração de James Buchanan, Presidente dos Estados Unidos, na Frente Leste do Capitólio dos EUA em 4 de março de 1857.

Presidente Ulysses S. Grant proferindo seu discurso de posse no Pórtico Leste do Capitólio dos EUA, 4 de março de 1873.

O presidente Chester Arthur acompanha o presidente eleito Grover Cleveland da Casa Branca até a inauguração, capa de março do Harper's Weekly, 15 de março de 1885.

Associação Histórica da Casa Branca

Mais de 200.000 espectadores testemunharam a inauguração de Theodore Roosevelt em março de 1905.

A posse do Presidente William Howard Taft em 4 de março de 1909 foi prejudicada por uma forte nevasca.

O presidente Calvin Coolidge anda em um automóvel conversível, escoltado por uma guarda de honra montada e uma escolta de cavalaria, aumentando o esplendor de seu desfile inaugural em 4 de março de 1925.

Terceira posse sem precedentes do presidente Franklin D. Roosevelt em 20 de janeiro de 1941.

A posse do presidente Harry S. Truman em 20 de janeiro de 1949 foi a primeira inauguração televisionada nos Estados Unidos.

Arquiteto do Capitólio, cortesia da Biblioteca do Congresso

O presidente da Suprema Corte, Earl Warren, administrando o juramento de posse a Richard M. Nixon no East Portico do Capitólio dos EUA, 20 de janeiro de 1969.

Foto do arquiteto do Capitólio, cortesia da Biblioteca do Congresso

Desde a inauguração de Ronald Reagan em 1981, o estande inaugural foi montado na Frente Oeste do Capitólio, em vez de na Frente Leste.

Foto do arquiteto do Capitólio, cortesia da Biblioteca do Congresso

O presidente da Suprema Corte, William Rehnquist, administrando o juramento de posse a William J. Clinton na Frente Oeste do Capitólio dos EUA, 20 de janeiro de 1993.

Biblioteca e Museu Presidencial William J. Clinton / Biblioteca do Congresso

O presidente Barack Obama e a primeira-dama Michelle Obama caminham na frente da limusine presidencial na Pennsylvania Avenue na 15th Street, N.W., Washington, D.C., durante o desfile inaugural em 20 de janeiro de 2009.

O presidente Donald Trump prestou juramento em 20 de janeiro de 2017 no Capitólio dos EUA em Washington, D.C. Ele segura duas versões da Bíblia com a mão esquerda, uma Bíblia infantil dada a ele por sua mãe, junto com a Bíblia de Abraham Lincoln.

Cortesia da Casa Branca

Em 30 de abril de 1789, George Washington prestou juramento de posse na cidade de Nova York. Mais tarde, ele disse sobre esse novo papel presidencial: "Ando em terreno não pisado". O dia da inauguração começou com o som de artilharia cerimonial e sinos de igreja tocando em toda a cidade de Nova York, a primeira capital de nosso país. Ao meio-dia, Washington abriu caminho por entre uma grande multidão até o Federal Hall, onde as duas casas do Congresso estavam reunidas. Na sacada do segundo andar de frente para a rua, ele recebeu o juramento de posse de Robert R. Livingston, o chanceler de Nova York, e tornou-se oficialmente o primeiro presidente dos Estados Unidos.

As diretrizes constitucionais para inaugurações são esparsas, oferecendo apenas a data e as palavras do juramento. Todo o resto é impulsionado pela tradição. Depois que o juramento é feito, o presidente faz um discurso, geralmente um enfatizando a unidade nacional.

Em 1801, Thomas Jefferson foi o primeiro a tomar posse como presidente em Washington, D.C., local escolhido para a capital permanente. Após sua segunda posse em 1805, Jefferson cavalgou do Capitólio até a Casa do Presidente em meio à música e a uma reunião espontânea de mecânicos do Navy Yard - uma procissão que se transformou no desfile inaugural de hoje.

Os eventos inaugurais, incluindo desfiles, tornaram-se mais elaborados ao longo dos anos e evoluíram para entretenimentos espetaculares. A seleção dos participantes do desfile é uma forma tradicional de um presidente fazer uma declaração sobre suas crenças, como Abraham Lincoln fez em 1865 ao convidar os afro-americanos a marchar pela primeira vez.

Os presidentes têm celebrado de várias maneiras desde que George Washington dançou o minueto após sua posse. James Madison e sua esposa Dolley foram os convidados de honra do primeiro baile oficial de posse, realizado no Long's Hotel em Washington, D.C. Desde então, tais atividades foram ampliadas para incluir um corte transversal da população americana. Recepções, bailes e outros eventos públicos refletem a necessidade do presidente de incluir muitos grupos diversos na transição do poder, até mesmo, às vezes, manifestantes oficialmente sancionados. Mais do que uma celebração da ascensão de uma pessoa ao poder, as inaugurações modernas validam os processos democráticos da república. As festividades inaugurais modernas refletem não apenas o presidente que homenageiam, mas também o desejo de muitos americanos de celebrar a rica história de nossa nação e a transferência do poder presidencial.


As origens da posse em 4 de março

Hoje, o dia da inauguração cai em um dia e hora exatos - 20 de janeiro ao meio-dia. A cada quatro anos, o presidente ou o presidente eleito faz o juramento de posse. Desde 1981, os presidentes costumam fazer o Juramento na Frente Oeste do Edifício do Capitólio dos Estados Unidos. 1 Este ritual público demonstra o compromisso da América com a democracia e significa uma transferência pacífica de poder para cidadãos e pessoas em todo o mundo. No entanto, antes da ratificação da Vigésima Emenda em 1933, a maioria das inaugurações ocorreu em 4 de março ao meio-dia. Ao contrário da crença popular, essa linguagem não aparece no texto original da Constituição dos Estados Unidos, o que levanta a questão: como surgiu a data de posse em 4 de março?

Para responder a esta pergunta, pode-se olhar para o último Congresso convocado sob os Artigos da Confederação. Em 12 de setembro de 1788, este corpo legislativo votou para aprovar a seguinte resolução: “... a primeira quarta-feira de março próxima será a hora e a atual sede do Congresso será o local para iniciar os procedimentos sob a referida constituição”. 2

Acontece que a primeira quarta-feira de março de 1789 era 4 de março. Essa resolução estabelecia que esta data marcaria o início do novo governo federal sob a Constituição ratificada. Apesar dessa resolução, a posse do presidente George Washington não ocorreu até 30 de abril de 1789. Embora as operações do governo estivessem programadas para começar em 4 de março, atrasos logísticos tornaram isso impossível. Naquela data, a Câmara dos Representantes e o Senado tentaram se reunir pela primeira vez. No entanto, os dois corpos legislativos não conseguiram atingir o quorum, o número mínimo de membros necessário para conduzir os negócios oficiais. Os primeiros meses de 1789 foram particularmente frios e com neve, atrasando a viagem de muitos membros do Congresso para a cidade de Nova York, a sede temporária do governo. 3

O presidente George Washington profere seu discurso de posse em 30 de abril de 1789 na Câmara do Senado Federal na cidade de Nova York.

De acordo com a Constituição: “O Presidente do Senado deverá, na Presença do Senado e da Câmara dos Representantes, abrir todas as Certidões, e os Votos serão então contados”. 4 Isso significava que, até que fosse estabelecido um quorum para a contagem dos votos eleitorais, o vencedor da presidência e da vice-presidência não poderia ser determinado ou certificado. Por fim, em 6 de abril de 1789, membros suficientes do Congresso se reuniram para constituir o quorum. Uma vez contados os votos eleitorais, George Washington ganhou a presidência por unanimidade com sessenta e nove votos eleitorais. A notícia de sua vitória chegou a Washington, e ele fez a viagem para a cidade de Nova York de sua plantação na Virgínia, Mount Vernon. Ao longo do caminho, Washington foi saudado com celebrações, jantares e desfiles. Ele registrou sua recepção na cidade de Nova York em seu diário em 23 de abril:

“A exibição de barcos que compareceram e se juntaram a nós nesta ocasião, alguns com música instrumental a bordo das decorações dos navios, o rugido dos canhões e as fortes aclamações do povo que rasgam os céus, conforme eu passava pelos cais, encheram minha mente com sensações tão dolorosas (considerando o reverso desta cena, o que pode ser o caso depois de todos os meus esforços para fazer o bem) quanto agradáveis ​​”. 5

O presidente Washington foi finalmente empossado em 30 de abril de 1789. 6 Washington chegou à Câmara do Senado Federal às 13h. Às 14h, Washington foi escoltado até uma varanda fora da câmara decorada com cortinas vermelhas e brancas para fazer o Juramento de Ofício enquanto uma multidão se reunia abaixo. O chanceler de Nova York, Robert Livingston, administrou o juramento enquanto o secretário do Senado, Samuel Otis, realizava a bíblia cerimonial. Após o juramento, Washington voltou à Câmara do Senado, onde fez seu discurso de posse. 7 Muitos elementos da primeira posse de Washington ainda persistem hoje, incluindo fazer o juramento perante uma audiência pública, fazer juramento sobre uma bíblia cerimonial e proferir um discurso de posse.

Após a primeira posse de Washington, o Congresso definiu o dia oficial da posse. Em 1º de março de 1792, o Congresso aprovou a legislação que estabelecia a posse em 4 de março: “E seja promulgado, que o mandato de quatro anos para Presidente e Vice-Presidente será eleito em todos os casos, começará no quarto dia de março seguinte, o dia em que os votos dos eleitores serão dados. ” 8 Essa legislação não especificava a época da posse. No entanto, as notas da reunião do Gabinete de George Washington em 28 de fevereiro de 1793, incluem o seguinte sobre sua próxima segunda posse: “Segunda-feira, 12 horas, presume-se que seja o melhor horário. Mas como a modalidade será considerada pelo público, como originária do Presidente, é submetida a ele para sua decisão ”. 9

O presidente Woodrow Wilson profere o discurso de posse em sua segunda posse em 5 de março de 1917. Wilson já fez o juramento de posse no domingo, 4 de março de 1817 e repetiu-o no dia seguinte para a cerimônia pública.

Deste ponto em diante, as inaugurações eram normalmente realizadas em 4 de março ao meio-dia. Em 2 de março de 1801, Thomas Jefferson confirmou esse precedente com uma carta enviada ao presidente pro tempore do Senado, James Hillhouse: “Peço licença por seu intermédio para informar ao ilustre Senado dos Estados Unidos. Que eu proponho fazer o juramento que a Constituição prescreve ao Presidente dos Estados Unidos. antes de entrar em execução do seu cargo, na quarta-feira, dia 4. inst. Às doze aclock na Câmara do Senado. ” 10 A data de posse em 4 de março foi posteriormente codificada com a ratificação da Décima Segunda Emenda em 15 de junho de 1804. A Décima Segunda Emenda modificou a forma como o Colégio Eleitoral escolhe o presidente e o vice-presidente, permitindo que esses cargos sejam eleitos em conjunto. Anteriormente, o candidato que conquistava o maior número de votos eleitorais se tornava presidente, enquanto o segundo colocado se tornava vice-presidente, o que significava que eles eram de partidos políticos diferentes. Também mencionou 4 de março:

“E se a Câmara dos Representantes não escolher um presidente sempre que o direito de escolha recair sobre eles, antes do quarto dia de março seguinte, o vice-presidente atuará como presidente, como em caso de morte ou outra deficiência constitucional de o presidente." 11

Esta emenda tornou-se a única menção direta de 4 de março na Constituição e a maioria dos presidentes anteriores a 1933 foram empossados ​​nesta data. Houve exceções em 1821, 1849, 1877 e 1917, já que 4 de março caiu em um domingo durante aqueles anos. These ceremonies were held the following day, Monday, March 5. Some presidents were sworn in privately at the traditional time of noon on March 4. However, this was not always the case. In 1821, President James Monroe was inaugurated publicly on March 5, without taking the Oath of Office on March 4 at noon. In this instance, Monroe was already president and there was no transfer of power between leaders. This was also the case in 1917, as Woodrow Wilson was already president—however President Wilson decided to take the Oath of Office on Sunday at the Capitol and again on March 5 for the public Inauguration. 12

In 1849, President Zachary Taylor also did not take the Oath of Office before the Inauguration celebrations on Monday, March 5. In this case, there were questions about who served as president during Sunday, March 4. According to his diary, President James K. Polk concluded his last piece of business as president at 6:30 am on March 4, 1849 and had vacated the White House to stay at the Irving Hotel the evening before. 13 However, a Missouri plaque for a statue of Congressman David Rice Atchison includes the phrase “President of the United States One Day.” In this popular retelling, Atchinson was appointed Senate president pro tempore after Vice President George M. Dallas took leave of the Senate on March 2, 1849. This created a scenario where according to the Presidential Succession Act of 1792, the Senate president pro tempore followed the Vice President in the line of succession, making Atchinson acting president when Taylor did not take the Oath of Office on March 4. Despite the confusion, Atchinson did not consider himself president that day. Because his term in Congress and as president pro tempore ended on March 4 at noon, he was no longer in a position to ascend to the presidency, even if by accident. Additionally, because Polk’s term ended at noon, this indicated that Taylor was “for all intents and purposes” president since he could have taken the oath at any time after noon. 14

The question arose once again in 1877. Following a highly contentious and controversial election between Rutherford B. Hayes and Samuel Tilden, Congress created an electoral commission to determine the winner. Hayes was declared the victor on March 2, 1877, just two days before Inauguration Day. President Ulysses S. Grant and Secretary of State Hamilton Fish urged Hayes to take the Oath of Office early, so on the evening of March 3 Supreme Court Justice Morrison Waite administered the Oath in the Red Room of the White House. Law and precedent for a March 4 Inauguration at noon suggests that Grant’s term would have officially ended four years from the time when he took the Oath of Office in 1873. Newspapers indicate that Grant was inaugurated for the second time on March 4, 1873 at noon, meaning that his term of office ended four years later on March 4, 1877 at noon. This meant Hayes was considered president at noon on March 4, although newspapers did not report on his March 3 swearing in until the morning of March 5. 15 Click here to learn more about the Election of 1876.

President Barack Obama takes his Oath of Office, administered by Chief Justice John Roberts, privately with his family on January 20, 2013 in the Blue Room of the White House.

This issue was finally resolved with the ratification of the Twentieth Amendment—however there have been times when January 20 fell on a Sunday. Inauguration Day in 1957, 1985, and 2013 all fell on Sunday, but in every instance the incumbent stayed in office (Dwight Eisenhower, Ronald Reagan, and Barack Obama). All three took the Oath of Office in various places inside the White House—Eisenhower in the East Room, Reagan in the Entrance Hall, and Obama in the Blue Room. All three took their oaths on Sunday, and then took the Oath of Office again publicly on Monday, January 21. 16

The Twentieth Amendment, also known as the “lame duck” amendment, was proposed and authored by progressive Nebraska Senator George Norris in 1922. While communications and travel during the late eighteenth and nineteenth centuries were more difficult, necessitating a nearly four-month gap between winning election and taking the Oath of Office, by the twentieth century much had improved in terms of travel and technology, allowing for an earlier Inauguration date. Norris also sought to tackle a larger problem. Previously, a president that lost reelection could govern during the lengthy lame duck session without having to be responsible to voters. Shortening this lame duck period was meant to strengthen democracy and avoid a future Constitutional crisis. 17 After introducing this legislation five times, Norris was finally successful on his sixth try in March 1932. The Amendment passed Congress and was ratified by the States in January 1933. Today, presidents serve a four-year term, beginning on January 20 at noon, and ending four years from that date and time exactly. 18

Thank you to Dr. Thomas J. Balcerski, Associate Professor of History at Eastern Connecticut State University, for his contributions to this article.


Preparations for the Inauguration

After delays in counting votes and certifying the election, Washington was officially informed that he had been elected on April 14, 1789. The secretary of Congress traveled to Mount Vernon to deliver the news. In an oddly formal meeting, Charles Thomson, the official messenger, and Washington read prepared statements to each other. Washington agreed to serve.

He left for New York City two days later. The trip was long, and even with Washington's carriage (a luxury vehicle of the time), it was arduous. Washington was met by crowds at every stop. On many nights he felt obligated to attend dinners hosted by local dignitaries, during which he was toasted effusively.

After a large crowd welcomed him in Philadelphia, Washington was hoping to arrive in New York City (the location of the inauguration as D.C. had not yet become the nation's capital) quietly. He didn't get his wish.

On April 23, 1789, Washington was ferried to Manhattan from Elizabeth, New Jersey, aboard an elaborately decorated barge. His arrival in New York was a massive public event. A letter describing the festivities that appeared in newspapers mentioned a cannon salute was fired as Washington's barge passed the Battery at the southern tip of Manhattan.

A parade formed consisting of a cavalry troop formed when he landed and also included an artillery unit, "military officers," and "the President's Guard composed of Grenadiers of the First Regiment." Washington, along with city and state officials and followed by hundreds of citizens, marched to the mansion rented as the President's House.

The letter from New York published in the Boston Independent Chronicle on April 30, 1789, mentioned that flags and banners were displayed from buildings, and "bells were rung." Women waved from windows.

During the following week, Washington was kept busy holding meetings and organizing his new household on Cherry Street. His wife, Martha Washington, arrived in New York a few days later accompanied by servants which included enslaved people brought from Washington's Virginia estate at Mount Vernon.


PHOTOS: Inauguration Day from past to present

WASHINGTON (FOX 5 DC) - From crowd size to circumstances changing the ceremony, the swearing in of each president has looked different on Inauguration Day throughout history.

Take a look back with the photos below. 

Donald J. Trump - 2017

WASHINGTON, DC - JANUARY 20: A view of the crowd at the U.S. Capitol ahead of the inauguration of President Donald J. Trump on January 20, 2017. (Photo by Bill O'Leary /The Washington Post via Getty Images)

WASHINGTON, DC - JANUARY 20: President Donald Trump waves to the crowd on the West Front of the U.S. Capitol on January 20, 2017 in Washington, DC. In today's inauguration ceremony Donald J. Trump becomes the 45th president of the United States. (Pho

US President Donald Trump addresses the crowd during his swearing-in ceremony on January 20, 2017 at the US Capitol in Washington, DC. / AFP / Mandel NGAN (Photo credit should read MANDEL NGAN/AFP via Getty Images)

Barack Obama - 2013

WASHINGTON, DC - JANUARY 21: U.S. President Barack Obama waves to the crowd after his speech at the ceremonial swearing-in during the 57th Presidential Inauguration on the West Front of the U.S. Capitol January 21, 2013 in Washington, DC. Barack Obam

U.S. President Barack Obama waves to the crowd Monday, January 21, 2013 during the inauguration parade along Pennsylvania Avenue in Washington, D.C. (Brian Cassella/Chicago Tribune/Tribune News Service via Getty Images)

Barack Obama - 2009

UNITED STATES - JANUARY 20: INAUGURATION 2009 Crowds gather on the National Mall in Washington for the swearing-in ceremony of President-elect Barack Obama. The view is from behind the inaugural podium on the West Front of the Capitol early Tuesday

President Barack Obama and First Lady Michelle Obama walk down Pennsylvania Avenue as they wave to the crowd on Tuesday, January 20, 2009, in Washington, D.C. (Photo by Ted Richardson/Raleigh News & Observer/Tribune News Service via Getty Images)

George W. Bush - 2005

WASHINGTON - JANUARY 20: (L to R) U.S. President George W. Bush takes the oath of office from Supreme Court Chief Justice William Rehnquist while first lady Laura Bush, Jenna Bush and Barbara Bush look onduring the inaugural ceremony January 20, 2005

George W. Bush - 2001

UNITED STATES - JANUARY 20: President George W. Bush makes his acceptance speech during the 43rd Inauguration on the West Front of the U.S. Capitol. (Photo By Douglas Graham/Roll Call/Getty Images)

(FILES): This January 20, 2001 file photo shows US President George W. Bush (L) taking the oath of office from US Supreme Court Chief Justice William Rehnquist (robe) during inaugural ceremonies at the US Capitol in Washington, DC. At noon on January

William J. Clinton - 1997

UNITED STATES - JANUARY 20: SWEARING IN--President Bill Clinton delivers his inaugural address after being sworn in for his second term. (Photo by Scott J. Ferrell/Congressional Quarterly/Getty Images)

US President Bill Clinton (L), First Lady Hillary, and daughter Chelsea (R), wave to the crowd as they walk the inaugural parade route 20 January in Washington, DC. Earlier, Clinton was sworn in on Capitol Hill for his second term as US president. AF

William J. Clinton - 1993

Inauguration of President of United States, President William Jefferson Clinton,42nd President,52nd Presidency Washington, DC, 1/20/93 (Photo by: Joe Sohm/Visions of America/Universal Images Group via Getty Images)

Bill Clinton, 42nd President, waves to the crowd on Inauguration Day January 20, 1993 in Washington, DC (Photo by: Joe Sohm/Visions of America/Universal Images Group via Getty Images)

George Bush - 1989

(Original Caption) Vice President-elect George Bush takes the oath of office on Inauguration day in Washington, DC. His wife, Barbara, holds the Bible while Supreme Court Justice Potter Stewart administers the oath of office.

Ronald Reagan - 1985

Washington DC. Jan. 17 1985 Fireworks illuminate the frozen skies over the White House in celebration of President Ronald Reagan's second inauguration. At the time of these photos the temperature was hovering around 5 degrees below zero. This was on

US President Ronald Reagan (C) is sworn in as 40th President of the United States by Chief Justice Warren Burger (R) beside his wife Nancy Reagan (C) during inaugural ceremony, on January 21, 1985 in the Capitol Rotunda in Washington DC. (Photo by -

Ronald Reagan - 1981

(Original Caption) President-elect Ronald Reagan takes the oath of office during inauguration ceremonies in Washington, DC. His wife, Nancy, is holding the Bible and Chief Justice Warren Burger is administering the oath.

Washington DC. 1-20-1981 Newly sworn in as the 40th President of the United States Ronald Reagan and his wife Nancy depart the United States Capitol on route to their inaugural parade. Credit: Mark Reinstein (Photo by Mark Reinstein/Corbis via Getty

Jimmy Carter - 1977

WASHINGTON, DC -- JANUARY 20: President Jimmy Carters speaks at his inauguration ceremony on the East Portico of the U.S. Capitol, January 20, 1977, in Washington, DC. Preceding President Gerald Ford is seated to his right. (Photo by David Hume Kenne

Richard M. Nixon - 1969

Chief Justice Warren Burger administers the oath of office for President Nixon during the 1969 inaugural ceremonies in Washington D.C. (Photo by © CORBIS/Corbis via Getty Images)

MORE COVERAGE: Inauguration Day 2021

Lyndon B. Johnson - 1983

Lyndon B. Johnson&aposs inauguration took place mere hours after JFK was shot. The widely known photograph of his swearing-in captures Johnson taking the oath of office aboard Air Force One with Jackie Kennedy at his side.

Lyndon B. Johnson takes the oath of office as President of the United States, after the assassination of President John F. Kennedy November 22, 1963. (Photo by National Archive/Newsmakers)

John F. Kennedy - 1961

American President John Fitzgerald Kennedy (1917 - 1963) stands on a platform for his inauguration as 35th President on the east front of the US Capitol, January 20, 1961. (L-R) His parents, Rose and Joseph Kennedy, First Lady Jacqueline Kennedy (192

High-angle view of US President John F. Kennedy (1917 - 1963) and his wife, First Lady Jacqueline Kennedy (1929 - 1994), as they ride in the lead limosine in their inaugural parade, Washington DC, January 20, 1961. (Photo by Abbie Rowe/PhotoQuest/Get


Sign up for our free newsletter

Jackson’s parade was historic, but what happened after it became notorious. A mob of his salt-of-the-earth supporters descended on the White House, horrifying Washington socialites in their silks and furs. They shoved waiters and climbed on upholstered furniture in work boots. Eventually, a clever steward lured them outside with tubs of whiskey punch, but not before they broke china and dirtied the carpets.

President-elect Donald Trump has been compared to Jackson many times. Of all the people who could have moved into the White House on Jan. 20, it is Trump—stager of fervid rallies, star of reality TV, builder of resorts and casinos—who seems most likely to arrive with a circus in tow.

In fact, Trump’s inauguration will be on the skimpy side compared to others, given that organizers have struggled to attract performers. The chief of Trump’s inaugural committee promised that what it lacks in A-listers it will make up for with “a soft sensuality”—a weirdly NC-17 phrase reminiscent of the discarded Trump-Pence campaign logo that had a capital T, er, entering a P. Maybe it means the design of the parade and inaugural balls will reflect Trump’s rococo taste, or maybe the surrogate was just clumsily trying to manage expectations.

Like Andrew Jackson, Trump has inspired thousands of ordinary citizens to come to Washington to watch him ascend to the presidency. The difference is that many of them are coming to protest him from the sidelines, while his formal parade will feature the Mid America Cowgirls Rodeo Drill Team, the Boy Scouts, the U.S. Border Patrol Pipes and Drums, and school marching bands from distant parts of the country (D.C. bands declined the invitation). About 8,000 people will be involved in the one-hour event, a big drop from the 15,000 who took part in Barack Obama’s first parade in 2009.

Parades were more extravagant a century ago. At Teddy Roosevelt’s inauguration in 1905, 50,000 flags decorated Pennsylvania Avenue, and the Apache chief Geronimo and the Rough Riders drew huge crowds. Roosevelt watched his parade from a neoclassical reviewing stand in a “Court of Honor” that stretched between 15th and 17th Streets NW, in imitation of the World’s Fair of 1893 (Chicago’s famous “White City”). At that time, Pennsylvania Avenue merchants set up general viewing stands in front of their stores and sold tickets to the public.

Dwight Eisenhower’s parade in 1953 was a blowout. “A lot of folks believe that 1953 was the biggest,” says Jim Bendat, the author of Democracy’s Big Day, a history of inaugurations. It had 73 bands, 59 floats, three elephants, an Alaskan dog team, and a turtle waving an American flag with its front legs. It lasted four-and-a-half hours.

James Garfield put on a grand spectacle despite winning by the thinnest of margins: less than 10,000 votes out of 9 million. Perhaps more than any other president, he grasped the architectural possibilities of the occasion, building 39 large wooden arches at intersections between the Capitol and the White House. The main arch was 70 feet high and painted bronze, straddling 15th Street north of Pennsylvania. Garfield, inaugurated in 1881, was also the first president to build a formal reviewing stand, not a makeshift platform of wood and canvas.

From Garfield’s day until the late 20th century, considerable thought went into the design of the president’s stand. For a time, the American Institute of Architects even helped the inaugural committee choose the designer in a competition.

The master of the reviewing stand was Waddy Wood, the architect of many D.C. landmarks, including the U.S. Department of the Interior and what is now the National Museum of Women in the Arts. Wood designed a stand for Woodrow Wilson in 1913 and two for Franklin Delano Roosevelt, in 1933 and 1937. The first of FDR’s was designed to resemble Federal Hall, where George Washington was inaugurated. The second was an elaborate replica of the Hermitage, Andrew Jackson’s home.

Presidential stands took a Modernist turn with Harry Truman’s inauguration, and the design for John F. Kennedy’s in 1961 by local architect Robert Paul Brockett—a simple pavilion with a slightly upturned roof and rows of supporting piers—remains the default today. Of course, the pavilion is now fitted with a carapace of bulletproof glass and other security measures. Safety and comfort, not visual symbolism, have become the overriding concerns.

Trump’s stand looks a lot like those used by Obama and George W. Bush. But he has broken with tradition another way—by firing Charlie Brotman, the announcer for every parade since 1957. That makes inauguration historian Bendat indignant. “I think it’s the most petty thing I’ve ever heard,” he says. (Brotman has been hired as an announcer for NBC.) Another unexpected move by Team Trump was dismissing the commander of the D.C. National Guard, effective the minute Trump takes office, 12 p.m. on Inauguration Day. The motivation is unclear, but there will be an abrupt change of command as the city churns with Trump supporters, protesters, and tens of thousands of law enforcement and troops.

There were protests at George W. Bush’s inaugurations and at Richard Nixon’s in 1969, when opponents of the Vietnam War camped on the Mall and threw rocks and tomatoes at the presidential motorcade. But the Women’s March and other demonstrations planned for this inauguration weekend could dwarf those. Two hundred bus groups have applied to park at RFK Stadium on Jan. 20 and 1,200 on the day after, when the Women’s March on Washington is being held. Protesters may end up outnumbering supporters, which would be a first.

“The protest that takes place on the Saturday will be probably the largest protest for an inauguration weekend we’ve ever seen,” Bendat says.

On Inauguration Day itself, thousands of protesters as well as supporters are expected to line the parade route. (D.C. anticipates 800,000 people in total.) Riding past his ethically compromised hotel in the Old Post Office, with gold letters spelling out his name on the facade, will the new president get out of the limo and pose for photos? The ANSWER Coalition, an activist group, has received a permit to demonstrate in the west end of Freedom Plaza, probably within earshot of the hotel.

Despite riding in armored limos for their protection, most first couples choose to walk part of the mile-and-a-half-long route. (The one couple that walked the whole way was, unsurprisingly, the Carters.)

Will the Trumps walk any part of the route? The president-elect thrives on adulation but loathes criticism, and is rumored to wear a bulletproof vest out of fear for his safety.

The best thing he could do to restore confidence at such a fraught time is put duty over nerves and ego. Trump could get out of the car near the National Archives where the nation’s founding documents are kept to signal deference to their principles. He could walk hand in hand with Melania down the avenue, accepting the jeers of protesters as well as the applause. He could show that he is humbled by the massive responsibility that now rests on his shoulders.


Assista o vídeo: Inauguracja akcji Mały Bohater z udziałem szefa MSWiA Mariusza Błaszczaka


Comentários:

  1. Simao

    Aconselho você a tentar pesquisar no google.com

  2. Nestor

    Na minha opinião, ele está errado. Tenho certeza. Escreva para mim em PM, discuta isso.

  3. Taujar

    Muito bem, esta frase notável só precisa ser dita



Escreve uma mensagem