Endymion ARL-9 - História

Endymion ARL-9 - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Endymion

Um personagem mitológico grego, sempre um belo jovem, que é diversamente descrito como um caçador, pastor e rei de Elis.

(ARL-9: dp. 2.220; 1. 328 'b. 50', dr. 14 ', s. 12 k .; cpl. 255; a. 1 3'; cl. Aquelous)

Endymion foi estabelecido como LST-513, reclassificado ARL-9 em 3 de novembro de 1943, lançado em 17 de dezembro patrocinado pela Sra. Mary C. Hanley; e comissionado em 9 de maio de 1944, Tenente A. Edgell no comando.

Após um breve cruzeiro na Baía de Chesapeake, ela navegou para a Baía de Guantánamo, juntou-se a um comboio que se dirigia ao Canal do Panamá e seguiu independentemente para San Diego. Continuando para Pearl Harbor, ela desdobrou-se com o TG 32.6 para Guadalcanal, onde chegou em 26 de agosto de 1944. Ela efetuou reparos aqui e nas Ilhas Russell antes de se juntar a um grupo de trabalho que se preparava para a invasão das Ilhas Palau, onde continuou seu trabalho vital.

De 3 de outubro a 25 de fevereiro de 1945, ela atuou na passagem de Kossol. Nesta última data partiu em comboio para Leyte onde permaneceu durante um mês na realização de operações de mergulho e reparação de embarcações de desembarque. Em seguida, ela prosseguiu com a Unidade de Tarefa 51.14.3 para a invasão de Okinawa e prestou um serviço inestimável aos destróieres danificados pelo tempo e pela batalha, embarcações de desembarque e embarcações de patrulha. Em 28 de abril de 1945, ela sofreu os danos de um estilhaço que feriu 15 de seus tripulantes.

Em 10 de maio de 1945, ela mudou seu ancoradouro para Buckner Bay, onde sofreu frequentes ataques suicidas de avião, mas continuou sem interrupções em seu serviço de reparos.

Ela começou a trabalhar com a Unidade de Tarefa 31.29.29 para Saipan em 7 de junho de 1945 e depois para Pearl Harbor. Em 21 de junho, ela foi torpedeada, sofrendo 11 feridos e danos ao aparelho de direção. Um sub-comprador foi enviado para trazê-la ao porto de Eniwetok, onde reparos temporários foram feitos. Ela continuou para Pearl Harbor, onde se preparou para retornar aos Estados Unidos.

Endymion iniciou um período de revisão em Astoria, Oreg., Em 9 de novembro de 1945. Ela foi desativada em 30 de novembro de 1946 e foi colocada na Frota da Reserva do Pacífico, onde permanece.


USS Endymion (ARL-9)

USS Endymion (ARL-9) foi um de 39 Achelousnavios de reparo de embarcações de desembarque de classe construídos para a Marinha dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial. Batizada com o nome de Endymion (na mitologia grega, um belo pastor ou caçador eólico), ela foi a única embarcação da Marinha dos EUA a levar o nome.

Estabelecido originalmente como LST-513 reclassificado ARL-9 em 3 de novembro de 1943, lançado em 17 de dezembro, patrocinado pela Sra. Mary C. Hanley e encomendado em 9 de maio de 1944 com o Tenente A. Edgell no comando.


Histórico do serviço [editar | editar fonte]

Após um breve cruzeiro na Baía de Chesapeake, ela navegou para a Baía de Guantánamo, juntou-se a um comboio que se dirigia ao Canal do Panamá e seguiu independentemente para San Diego. Continuando para Pearl Harbor, ela desdobrou-se com o TG 32.6 para Guadalcanal, onde chegou em 26 de agosto de 1944. Ela efetuou reparos aqui e nas Ilhas Russell antes de se juntar a um grupo de trabalho que se preparava para a invasão das Ilhas Palau, onde continuou seu trabalho vital. De 3 de outubro a 25 de fevereiro de 1945, ela atuou na passagem de Kossol. Nesta última data partiu em comboio para Leyte onde permaneceu durante um mês na realização de operações de mergulho e reparação de embarcações de desembarque. Em seguida, ela prosseguiu com a Unidade de Tarefa 51.14.3 para a invasão de Okinawa e prestou um serviço inestimável aos destróieres danificados pelo tempo e pela batalha, embarcações de desembarque e embarcações de patrulha. Em 28 de abril de 1945, ela sofreu os danos de um estilhaço que feriu 15 de seus tripulantes.

Em 10 de maio de 1945, ela mudou seu ancoradouro para Buckner Bay, onde sofreu frequentes ataques suicidas de avião, mas continuou sem interrupções em seu serviço de reparos. Ela começou a trabalhar com a Unidade de Tarefa 31.29.29 para Saipan em 7 de junho de 1945 e depois para Pearl Harbor. Em 21 de junho ela foi torpedeada. Pelo menos dois torpedos passaram por baixo do navio, mas um terceiro detonou por baixo da cauda da popa, causando danos ao aparelho de direção e resultando em 11 feridos [relatados]. O submarino então emergiu, e acredita-se que um dos artilheiros do Endymion devolveu o fogo, após o que o submarino japonês seguiu em frente. Um caçador de submarinos foi despachado para trazê-la ao porto de Eniwetok, onde reparos temporários foram feitos. Ela continuou para Pearl Harbor, onde se preparou para voltar a participar da invasão do Japão, mas a guerra acabou e o Endymion voltou para os Estados Unidos. Endymion começou um período de revisão em Astoria, Oregon em 9 de novembro de 1945. Ela foi desativada em 30 de novembro de 1946 e foi colocada na Frota de Reserva do Pacífico. Retirada do Registro de Embarcação Naval em 1º de junho de 1972, ela foi vendida para serviço comercial em 1º de setembro de 1973. Registrada na Petrola Hellas S.A. do Panamá em 1974 e renomeada Petrola XVIII, ela foi reestilizada como Petrola 18 em setembro de 1976. Vendido em 1978 para a Thetis Shipping & amp Trading Corporation S.A. do Panamá, depois revendido (data desconhecida) para a Sete Technical Services S.A. do Panamá e renomeado Sete 50, seu destino final é desconhecido.


O mito de Artemis e seu amante adormecido, Endymion

Clique em qualquer imagem para obter detalhes sobre o licenciamento para uso comercial ou pessoal.

Este artigo editado sobre a mitologia grega apareceu originalmente na edição de Look and Learn número 786 publicada em 5 de fevereiro de 1977.

Selene, a bela deusa da lua e da caça (às vezes chamada de Ártemis), dirigiu-se aos deuses de rosto severo do Monte Olimpo.

& # 8220Eu nunca vou me casar & # 8221 disse Selene. & # 8220Eu quero permanecer uma única deusa por toda a minha vida. & # 8221

Os deuses ficaram surpresos. Por muito tempo, cada um deles esperava reivindicar a adorável deusa como sua noiva. Mas Selene foi tão sincera que, por fim, Zeus, o deus supremo, concordou com relutância em conceder seu desejo.

No entanto, os contadores de histórias gregos não tolerariam que uma deusa tão bonita ignorasse completamente os belos homens da Grécia. Portanto, embora Selene nunca tenha se casado, os homens continuaram a admirá-la onde quer que ela fosse.

Uma noite, depois que seu irmão Apolo, o deus do sol, guardou seus corcéis de fogo durante o dia, Selene levou sua carruagem lunar reluzente pelo céu.

Ela não tinha andado pela metade quando, lançando um raio de lua sobre o topo de uma colina, ela viu um jovem pastor adormecido na grama.

Selene desceu silenciosamente para a terra em sua carruagem e beijou suavemente o jovem. Endymion. Meio acordado pelo beijo. Endymion olhou enfeitiçado para a adorável deusa enquanto ela se afastava apressadamente.

Endymion já estava apaixonado por ela. Na noite seguinte, ele se deitou na mesma colina, fingindo dormir, na esperança de avistar Selene novamente. E ela, tão apaixonada quanto ele, desceu novamente à terra e o beijou.

Noite após noite, Selene parava sua jornada pelo céu para beijar o pastor.

E noite após noite ele esperava por ela no topo da colina, observando com os olhos semicerrados enquanto ela deslizava até ele.

Selene, é claro, estava em um dilema. Ela estava perdidamente apaixonada por este mero mortal, mas jurou aos deuses que nunca se casaria. Por fim, determinada que se ela não pudesse se casar com Endymion, ninguém mais o faria, ela o colocou em um sono eterno e o carregou para uma caverna secreta.

E lá cada noite para sempre ela parava e beijava o pastor adormecido.

Depois disso, vários outros jovens foram enfeitiçados por essa deusa magnífica. Um deles era um jovem caçador chamado Orion, que costumava caminhar regularmente pelas florestas com seu cachorro Sirius.

Um dia, Orion se apaixonou por uma linda princesa que era filha de um rei chamado Enopian. O rei concordou em dar a mão de sua filha a Órion, com a condição de que ele fizesse alguma ação corajosa para mostrar seu valor.

Pobre Orion! Ele não estava nem um pouco ansioso para provar seu valor, então decidiu levar a princesa com ele. Infelizmente, o rei Oenopian ficou sabendo disso e não só se recusou a permitir que Orion se casasse com a princesa, mas também o cegou.

Felizmente para Orion, ele tropeçou em um amigo que gentilmente o levou a Apolo. Apolo emprestou ao caçador cego um raio de sua luz, e a visão de Orion foi restaurada.

Orion olhou ao redor e seu olhar caiu sobre Selene. Logo o jovem caçador e a deusa da caça estavam muito apaixonados.

Agora Apollo estava com ciúme da felicidade de sua irmã. Um dia, enquanto caminhava na praia, ele a chamou para seu lado.

& # 8220 Irmã, & # 8221 disse Apolo, & # 8220 como a deusa da caça, você deve ser uma boa atiradora com arco e flecha. Venha, teste sua habilidade. & # 8221

Apollo entregou-lhe um arco e apontou para o mar em um ponto escuro na água.

& # 8220Veja se você consegue acertar isso & # 8221, disse ele.

Selene puxou a corda do arco e atirou. Rápida e segura, a flecha alada zuniu sobre a água e atingiu o ponto escuro. Só então ela percebeu que havia sido enganada. Pois aquela mancha escura era a cabeça de Orion, que estava se banhando no mar.

Selene chorou por seu caçador morto. Quando o corpo dele foi lavado, ela o colocou no céu como um grupo de estrelas. E quando Sirius, o cachorro dele, morreu, ela o colocou nos céus também.

Esta entrada foi postada na quinta-feira, 22 de novembro de 2012 às 8h17 e está arquivada em História Antiga, Lenda, Mito, Religião. Você pode acompanhar quaisquer comentários sobre este artigo através do feed RSS 2.0. Comentários e pings estão fechados no momento.


Endimião do Elevador Espacial [editar | editar fonte]

Exterior [editar | editar fonte]

A estação orbital vista de fora.

O design de Endymion parece uma torre em espiral que alterna entre um material branco e alguma forma de vidro. É mais espesso na base e a torre diminui rapidamente à medida que sobe, mas sua largura permanece consistente depois. Isso permite um transporte seguro do elevador à medida que ele sobe e desce na estrutura. Existem muitas pontes conectando a base de Endymion à de sua "cidade", bem como várias passagens que levam ao seu subsolo. & # 911 e # 93

À medida que atinge o espaço, a estação orbital pode ser vista circundada por seu sistema de defesa anti-detritos, depois pelo deck de observação e, por sua vez, cercada por vários painéis solares que giram em torno dela. Presumivelmente, o espaçoporto onde espaçonaves como a do Ballistic Slider também poderiam ser encontradas lá. Além disso, a "torre" se estende além da estação orbital, embora por qual motivo não se saiba.

Interior [editar | editar fonte]

Estação orbital [editar | editar fonte]

o Estação Orbital (軌道 ス テ ー ッ ョ ン, Estação Orbital ? ) é uma parte complexa do elevador que se encontra no espaço e é aparentemente onde termina o elevador espacial. Dentro da estação orbital há uma grande sala cilíndrica branca, onde muitas pontes se conectam a um grande pilar central, um ponto de acesso a várias outras salas. Isso foi usado por vários convidados para ir à estação de retransmissão onde o concerto de Arisa é realizado, bem como Touma e Index, onde o último o usa para encontrar a sala principal do Ladylee. O ar respirável está presente em todas as salas da estação orbital, embora nem todas tenham gravidade, não se sabe como isso é realizado. A estação consiste em várias salas:

  • Aparentemente, existe um corredor de acesso à doca no Endymion. Este é o lugar onde Touma e Index estavam ao ouvir a explosão que abalou o Endymion. É provável que ele se conecte à espaçonave que atraca no elevador. Não há gravidade ali.
  • Estação retransmissora (中 継 ス テ ー シ ョ ン, Chūkei Sutēshon? ) & # 911 & # 93 ou estação de streaming é uma grande sala localizada no Endymion e é o local do palco de Meigo Arisa para sua performance no Space Elavator. Naquele dia, continha camadas para onde o público está localizado ao redor do palco, várias luminárias e luminárias de laser, telas transparentes que mostram o desempenho de Arisa e outras complexas peças de vidro que são comuns no elevador espacial.
  • o Deque de observação (展望 室, Tenbō-shitsu? ) ou Sala de Observação são lugares onde as pessoas olham para a paisagem do espaço. Uma sala fica na parte inferior da estação orbital, onde uma pessoa pode ver a Terra, embora ela não tenha gravidade. Por fim, o deck de observação é a estrutura que circunda a estação orbital antes dos painéis solares giratórios.
  • o Sala Principal (コ ア ル ー ム, Koa Rūmu? ) é uma sala encontrada no Endymion, onde é colocada a sala onde o feitiço que cercava Endymion. & # 911 & # 93 O centro da sala contém uma grande estrutura cristalina e é cercada por cristais comuns em todo o Endymion. Durante o decorrer do filme, quando o feitiço de Ladylee é ativado, o chão da sala é preenchido com círculos mágicos. A sala é usada por Ladylee, que não tem nenhum poder mágico próprio para usá-la como intermediária para seu feitiço. É aqui que Ladylee entra após ativar o feitiço para supervisioná-lo e executar a última parte dele com a máxima eficácia. & # 911 e # 93
Subterrâneo [editar | editar fonte]

O elevador de emergência de alta velocidade se prepara para o lançamento.

O subterrâneo é encontrado na base do Endymion. Aqui, os carregamentos de material são realizados aqui para cada entrada de instalação para a estrutura acima. É aqui que o elevador de emergência de alta velocidade está localizado, bem como o sistema de terminação de emergência do Endymion, os três Blasting Bolts & # 911 & # 93 protegidos por várias sentinelas robóticas.

Endymion City [editar | editar fonte]

Dia de celebração. A base de Endymion e a cidade de Endymion ao redor estão cheias de pessoas.

Endymion City (エ ン デ ュ ミ オ ン シ テ ィ, Endeyumion Shiti ? ) refere-se à base do elevador e ao terreno ao seu redor. Assim como a base do elevador se estende até a terra, o mesmo acontece com a "cidade" que o cerca. A cidade forma um quarteirão da Academy City. Os prédios e estabelecimentos são construídos no subsolo e se projetam do "telhado" da parte subterrânea. Este telhado é feito de vidro transparente e é sustentado por fios fortes. Ele coleta os raios ultravioleta e gera eletricidade por meio da energia solar. & # 911 & # 93 Uma rodovia complexa ou sistema ferroviário atravessa o telhado de Endymion City e circunda Endymion, conectando a cidade ao resto do distrito.

Instalações comerciais e de diversão são encontradas nesta cidade. & # 911 e # 93

Segurança [editar | editar fonte]

Sistema de defesa anti-detritos [editar | editar fonte]

Um míssil carregado com ogivas do sistema de defesa anti-detritos do Endymion.

Aparecendo em um dos anéis da estação orbital, o sistema de defesa anti-detritos usa pode detectar automaticamente detritos se aproximando do elevador espacial e, em seguida, disparar mísseis contendo várias ogivas explosivas para defender o elevador contra detritos, embora também possa ser usado para ataque coisas de tamanho muito maior, como uma nave espacial, um exemplo do qual é o Slider Balístico. & # 912 e # 93

Sistema de purga de emergência [editar | editar fonte]

Em caso de emergência, o Endymion tem um Sistema de purga de emergência (緊急 用 パ ー ジ シ ス テ ム, Kinkyū-yō Pāji Shisutemu ? ) que usa três parafusos explosivos (爆 砕 ボ ル ト, Bakusai Boruto ? ) encontrado na base do grande elevador espacial. & # 911 & # 93 Ele pode ser detonado remotamente para "encerrar" o Endymion, o que provavelmente implica em libertar o elevador espacial da força da gravidade da Terra, permitindo que ele seja carregado para o espaço. O sistema de purga foi usado pelo Mikoto, Stiyl Magnus e Accelerator, quando o Endymion estava entrando em colapso. & # 912 e # 93

Armas móveis [editar | editar fonte]

Quando grandes selos são colocados nas entradas dos elevadores para que as pessoas não possam entrar. E aqueles que ousassem fazer isso teriam que lutar contra muitas armas móveis de diferentes tipos. Normalmente apenas os robôs de segurança são vistos como tendo sido usados ​​para o patrulhamento das entradas do elevador, embora quando ele é lacrado pelo hack da Unidade do Corvo Negro os outros já estão preparados, o que implica que eles são as defesas naturais do elevador. Armas móveis automatizadas produzidas em massa aparecem nas passagens subterrâneas do elevador. Os que parecem pequenos quadrúpedes em forma de disco que se reúnem em massa para compensar seu pequeno poder de fogo, pequenas armas móveis semelhantes a tanques que se transformam em quadrúpedes ao confrontar o inimigo e serras circulares voadoras semelhantes ou muito provavelmente uma Edge Bee. & # 912 e # 93

Vulnerabilidades [editar | editar fonte]

Último pedido e acelerador na frente de um dos parafusos explosivos.

O Endymion começou a cair devido à distribuição inadequada de estresse que recebeu depois que o Shutaura Sequenzia causou uma explosão no anel onde o deck de observação estava ao redor da estação orbital. & # 912 & # 93 As armas móveis são capazes de atrasar e prevenir o avanço e invasão de assaltantes com armas convencionais colocadas são facilmente contornadas por espers e mágicos com força suficiente, uma falha gritante por estar estabelecida na cidade de espers. Além disso, como foi mostrado no filme, o sistema de segurança do Endymion pode ser hackeado, embora possa ser perdoado porque a Unidade Corvo Negro estava em aliança com Ladylee Tangleroad e que eles talvez tenham conhecimento dos detalhes do elevador desconhecido para outros pessoas.

Política [editar | editar fonte]

A política do Endymion é delicada, tanto no lado científico quanto no mágico. Este é o motivo da participação de Academy City no Venus Probe Contest, para que possam construir as partes espaciais do elevador em segredo. Conforme o elevador crescia, os superiores simplesmente deram a desculpa de que a grande torre é simplesmente uma torre de controle de tráfego aéreo em grande escala. & # 913 & # 93 Uma vez que as nações do mundo gastam enormes quantias de dinheiro em tecnologia de foguetes e os enviam em quantias limitadas, um elevador espacial que pode transportar qualquer número de itens para o espaço com o apertar de um botão anularia os métodos aceitos do mundo. & # 914 e # 93

Além disso, o elevador também pode ser usado para fins militares. Explosivos e bombas podem ser facilmente transportados para o espaço e colocados em qualquer local da Terra. Um elevador que poderia facilmente transportar grandes quantidades de explosivos para a órbita permitiria que uma barragem de alta densidade ou um campo minado fosse montado para interceptar os mísseis de uma nação inimiga. A própria existência de Endymion pode alterar potencialmente o equilíbrio de poder se for usado para fins militares. & # 914 e # 93

Quanto ao lado mágico e ao lado científico, o elevador espacial pode potencialmente afetar o equilíbrio entre os dois lados. Já existe um pouco de luta entre os lados, por quem tem direito ao espaço, como uma corrida do ouro nos dias modernos. & # 913 & # 93 O lado mágico depende da disposição e do poder das estrelas. Stiyl Magnus afirma que detritos espaciais e satélites são como poluentes no céu noturno, um elevador espacial seria como uma chaminé expelindo uma nova forma de poluição para o espaço. Segundo ele, se soubessem de sua existência, teriam tentado esmagá-lo diplomaticamente. Além disso, de acordo com Sozty Exica, uma estrutura tão grande quanto o Endymion mudará muito o fluxo de energia nas linhas ley. & # 914 e # 93

Significado mágico [editar | editar fonte]

Conforme afirmado na seção política, o Endymion tem grande significado mágico, e mesmo antes de sua abertura foi altamente contestado pelo lado mágico e já foi usado por Ureapaddy Exica para seu Brahma Astra. & # 915 & # 93 Ambos Index e Stiyl Magnus comparam o Endymion à mitológica Torre de Babel, a grande torre que foi derrubada por Deus e dividida para sempre Homens com línguas diferentes. Pois, de fato, estruturas de grande imensidão ganham significado mágico por simplesmente existirem, mesmo que sejam feitas por meios científicos: coisas como a já mencionada Torre de Babel, o Zigurate de Ur, a Grande Muralha da China e as Pirâmides de Gizé. " 912 e # 93, embora o que Endymion realmente significa, seja a Torre de Babel ou quaisquer outras grandes torres de lenda, não seja especificamente declarado, embora fortemente implícito pelas palavras de Index como as primeiras.


Endymion ARL-9 - História

Esta moldura de placa de licença USS Endymion ARL-9 é orgulhosamente feita nos EUA em nossas instalações em Scottsboro, Alabama. Cada uma de nossas armações MilitaryBest US Navy apresenta tiras de alumínio poli revestido superior e inferior que são impressas por sublimação, o que dá a essas armações militares de automóveis de qualidade um belo acabamento de alto brilho.

Verifique os regulamentos estaduais e locais para compatibilidade desses quadros da Marinha para uso em seu veículo.

Uma porcentagem da venda de cada item do MilitaryBest é encaminhada aos departamentos de licenciamento de cada respectivo ramo de serviço em apoio ao programa MWR (Moral, Bem-estar e Recreação). Esses pagamentos são feitos pela ALL4U LLC ou pelo atacadista de onde o item foi originado. Nossa equipe agradece por seu serviço e apoio a esses programas.

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM


Endymion

Nossos editores irão revisar o que você enviou e determinar se o artigo deve ser revisado.

Endymion, na mitologia grega, um belo jovem que passou grande parte de sua vida em sono perpétuo. A ascendência de Endymion varia entre as diferentes referências e histórias antigas, mas várias tradições dizem que ele era originalmente o rei de Elis. De acordo com uma tradição, Zeus ofereceu a ele qualquer coisa que ele pudesse desejar, e Endymion escolheu um sono eterno no qual ele poderia permanecer jovem para sempre. De acordo com outra versão do mito, o sono eterno de Endymion foi uma punição infligida por Zeus porque ele tentou ter um relacionamento sexual com a esposa de Zeus, Hera. Em qualquer caso, Endymion era amado por Selene, a deusa da lua, que o visitava todas as noites enquanto ele dormia em uma caverna no Monte Latmus em Caria, ela lhe deu 50 filhas. Uma forma comum do mito representa Endymion como tendo sido adormecido pela própria Selene para que ela pudesse desfrutar de sua beleza sem ser perturbada.


The Rise of Endymion

ALERTA DE SPOILER! A (s) seção (ões) abaixo são PRINCIPAIS SPOILERS.

Quatro anos após os eventos de Endymion, Aenea tem agora dezesseis anos e seu mentor, o "Velho Arquiteto" (um cíbrido & # 160Frank Lloyd Wright), acabou de morrer de morte natural.

Consequentemente, Aenea sabe que ela deve retornar ao espaço dominado por Pax para cumprir seu papel como Aquele que Ensina. Ela envia Raul "à frente" de farcaster ao longo do Rio Tethys para encontrar o velho Barco do Cônsul que eles haviam abandonado no livro anterior, e trazê-lo de volta para um mundo chamado T'ien Shan, onde eles se encontrarão novamente. Mas, devido à dilatação e ao débito de tempo durante a viagem interestelar de Raul com o navio, o que teria sido uma viagem de algumas semanas se transformou em uma viagem de cinco anos. & # 911 e # 93

Jornada de Raul

Raul Endymion visita seis mundos diferentes antes de encontrar o navio do Cônsul. Ele navega pelos portais farcaster no rio Tethys com um caiaque fabricado e aprimorado por A. Bettik.

# Mundo Referências)
1 Lusus ΐ]
2 Freude ΐ]
3 Nunca mais ΐ]
4 Vitus-Gray-Balianus B ΐ] Α]
5 Planeta Nuvem Sem Nome (gigante gasoso desconhecido com estratosfera rica em oxigênio) Β] Γ]
6 Planeta da selva sem nome Δ]

Em Vitus-Gray-Balianus B, Raul encontra o povo do Espectro Amoiete Helix. Ele é cuidado por uma família local enquanto sofre os dolorosos sintomas de uma pedra nos rins. Essas pessoas ainda o ajudam a escapar da Pax e dos irmãos de Nemes que estavam atrás dele.

Em seu próximo destino, Raul chega em um planeta de nuvem desconhecido. Ele emerge diretamente do portal mais distante na estratosfera do planeta, o que o faz cair indefinidamente, para uma morte certa. Felizmente, A. Bettik (a conselho de Aenea, graças à sua capacidade de ver futuros prováveis) equipou o caiaque com lonas que Raul consegue desdobrar, permitindo que o caiaque voe. Lá, Raul encontra uma forte tempestade. Ele é salvo por um zeplin que o engole e o leva para o próximo portal de farcaster, que leva ao planeta da selva sem nome onde o navio do Cônsul está deitado.

Oito dias depois de partir da Velha Terra & # 917 & # 93, Raul finalmente encontra a nave do Cônsul, que está completamente reparada. Raul está ansioso para se encontrar com Aenea o mais rápido possível em T'ien Shan, mas a IA do navio avisa Raul que a viagem mais rápida do que a luz vai durar mais de três meses & # 918 & # 93, que são traduzidos em um dívida de cinco anos & # 911 & # 93 & # 917 & # 93.

Obras e Ensinamentos de Arquitetura de Aenea

Quatro dias depois de ter enviado Raul para encontrar a Nave do Cônsul, quando o último povo de Taliesin West havia deixado a Velha Terra, Aenea e A. Bettik partiram para Ixion, seu primeiro destino de uma longa jornada. Durante os próximos cinco anos, ela viaja por diversos mundos onde realiza trabalhos de arquitetura e começa a dar aulas em círculos. & # 919 & # 93 Quando Aenea deixa um mundo, muitos de seus alunos viajam também para outros mundos, com o objetivo de espalhar os Ensinamentos de Enea e seu Sacramento do DNA.

# Mundo Duração Eventos
1 Terra velha 4 anos Aenea tinha doze anos quando chega à Velha Terra. Durante quatro anos, ela é orientada pelo Velho Arquiteto, que lhe ensina as artes da arquitetura. Aos dezesseis anos, o Velho Arquiteto morre. A comunidade Taliesin West se divide e se afasta da Velha Terra.
2 Ixion 5 meses Aenea, acompanhada por A. Bettik, lidera os esforços de reconstrução nas antigas cidades Ixion de Canbar, Iliumut e Maoville. Ela começa sua primeira série de "círculos de discussão" que trazem ouvintes de uma dúzia de tribos em guerra.
3 Maui-Covenant 3 meses Aenea e A. Bettik passam por uma ilha móvel que ainda pertence aos rebeldes Sirist. Ela estuda como construir casas na árvore com os melhores construtores de casas na árvore do espaço humano. Lá, ela também faz amizade com Theo Bernard, um descendente direto de Theo Lane, que acompanha Aenea em todas as suas viagens seguintes.
4 Vetor renascentista 6 meses Aenea trabalha na nova catedral cristã "São Mateus" na cidade de Da Vinci. Ela trabalha com os melhores pedreiros, vidreiros, construtores e artesãos neste negócio. Ela foi uma aprendiz primeiro, mas antes de deixar este mundo, ela terminou como uma assistente do designer-chefe que trabalhava na nave. No Renaissance Vector, seus famosos círculos de discussão reuniram milhares de alunos.
5 Patawpha 3 meses Aenea usa sua experiência de casa na árvore para construir mansões nos galhos e troncos entrelaçados que crescem nos pântanos intermináveis.
6 Amritsar 4 meses Aenea trabalha no deserto construindo casas de tendas e pontos de encontro para os bandos nômades de sikhs e sufis que vagavam pelas areias verdes. Ela conhece e torna-se amiga de Rachel Weintraub de 17 anos e # 9110 & # 93 neste mundo.
7 Groombridge Dyson D 6 meses Aenea & # 160 e seus amigos (A. Bettik, Theo e Rachel) juntaram-se ao projeto da Grande Muralha, a construção de uma parede com mais de cinco mil quilômetros de comprimento que separaria as seções mais selvagens das terras altas selvagens das savanas de rebanho de cavalos e cicladas em evolução florestas ao sul. A parede deveria ser mais do que uma parede, deveria se tornar a grande cidade linear de Groombridge Dyson D, trinta metros de altura em sua parte mais baixa, suas muralhas resplandecentes com mesquitas e minaretes, a passagem no topo larga o suficiente para que três bigas pudessem passar sem esfregando rodas. Neste mundo, A. Bettik encontrou dois de seus irmãos da creche: & # 160 seu irmão A. Antibbe e sua irmã & # 160A. Darria.
8 . 23 meses, 1 semana, 6 horas Durante sua jornada em Groombridge Dyson D, Aenea deixa seus amigos lá por um período de tempo enquanto ela parte em uma viagem solitária para um local revelado apenas no final de The Rise of Endymion romance. & # 919 & # 93 Enquanto isso, A. Bettik, Theo e Rachel continuam a cumprir a missão de Aenea, compartilhando algumas de suas lições, encontrando pessoas que desejam participar da comunhão, informando-as quando ela voltará. Finalmente, Aenea retorna para ajudar todos os seus amigos a fugir de Groombridge Dyson D, um dia antes de o Pax poder ter apreendido todos eles. & # 9111 & # 93
9 T'ien Shan 12 meses Aenea é parte arquiteta, parte chefe da construção neste mundo. Ela primeiro supervisiona a construção de um templo taoísta perto de Potala. Depois, ela é contratada pelo Dalai Lama para terminar o trabalho no Templo Suspenso no Ar.

Raul e Enea reunidos

Raul e Aenea se reencontram após um período exato de 62 meses padrão, 1 semana e 6 dias. & # 917 & # 93 Raul ainda tem 32 anos. & # 9112 & # 93 & # 918 & # 93 Aenea, que tinha 21 anos & # 9113 & # 93, tornou-se uma mulher adulta e bem avançada em seu papel de Aquele que Ensina.

Junto com seus amigos, eles passam três meses no mundo montanhoso de T'ien Shan, até serem encontrados por Rhadamanth Nemes e uma delegação de Pax. Forçados a fugir com o Navio do Cônsul, Enéia, Raul e todos os seus muitos companheiros, assim como Federico de Soya ferido, terminaram em um sistema remoto Ouster e Templário que hospeda uma estrutura estranha, uma biosfera de startree.

No entanto, sua estadia não durou muito, pois os Pax atacaram a árvore estelar com centenas de naves da classe arcanjo, apenas 18 dias & # 9114 & # 93 após sua chegada. Enéia e Raul conseguiram escapar da guerra a bordo do Yggdrasill Treehip com algumas centenas de sobreviventes.

Nos dias seguintes & # 9115 & # 93, Aenea liberta a nave da árvore para muitos mundos diferentes, cerca de uma centena, onde ela desembarca seus seguidores aos poucos em cada planeta visitado, a fim de divulgar seus ensinamentos e seu Sacramento de DNA.

Essas viagens terminam com a presença de Enea, Raul e Federico na Pacem, a capital mundial da Igreja. Aenea e Raul são capturados pela Pax. Raul é julgado, condenado e sentenciado à morte em uma prisão que orbita um mundo remoto, enquanto Aenea é torturada até a morte por autoridades cristãs e TechnoCore.


História

Em abril de 1797, o capitão Thomas Williams encomendou o Endymion para o Canal e a estação irlandesa. Em outubro, Endymion juntou-se à frota do Mar do Norte com ordens para perseguir os navios holandeses dispersos após a Batalha de Camperdown. Com horas, Endymion encontrou o navio da linha Brutus perto da costa, mas o ancoradouro protegido impediu Williams de atacar com sucesso o navio holandês e ela conseguiu escapar. Nos três anos seguintes, Williams trabalhou fora da Irlanda e em comboio para a ilha de Santa Helena. No início de 1798, Endymion capturou quatro corsários durante um cruzeiro ao largo da costa irlandesa. No final de 1799 a maio de 1800, Endymion capturou vários corsários franceses e espanhóis. Endymion estava navegando na companhia de Champion e um comboio para o Mediterrâneo quando eles encontraram um navio português carregado do Brasil, totalmente desmamado e abandonado. Os britânicos, após um esforço considerável, foram capazes de colocá-la em um estado navegável. Champion então a rebocou para Gibraltar. Em 1801, Williams assumiu o comando do navio de terceira categoria com 74 canhões da linha HMS Vanguard. O capitão Philip Charles Durham substituiu Williams.


Quando a guerra estourou novamente em 1803, ela fazia parte do esquadrão de bloqueio de Brest até 1805. Durante esses primeiros anos de serviço, Endymion ganhou uma série de prêmios franceses e espanhóis, principalmente mercadores e corsários, mas também alguns navios de guerra de até 20 armas. No outono de 1805, Endymion juntou-se ao esquadrão do contra-almirante Louis ao largo de Cádiz, parte da frota do vice-almirante Nelson, bloqueando a força aliada franco-espanhola sob o comando do almirante Villeneuve. Em 2 de outubro, Nelson encomendou cinco navios de Louis da linha com Endymion para Gibraltar para água e provisões, em consequência, Endymion perdeu a Batalha de Trafalgar em 21 de outubro. Em 1807 ela participou da Operação Dardanelos, onde foi destacada para Constantinopla com o embaixador britânico para negociações com o Império Otomano. A missão foi um fracasso e quando o esquadrão navegou de volta através dos Dardanelos, baterias de costa turcas atacaram os britânicos, com Endymion sofrendo três mortos e nove feridos. De 1808 em diante, Endymion serviu novamente em águas domésticas, onde pegou vários corsários franceses.


Em agosto de 1810, Endymion, em companhia do HMS Princess Charlotte, navegou para a então pouco conhecida ilhota de Rockall. John Purdy's Memoir was long accepted for dating the first landing on Rockall as being on this voyage, on 8 July 1810. However, examining Endymion's own logs at the Public Record Office, James Fisher (of the 1955 Rockall landing) discovered that the first landing date was actually Sunday 8 September 1811. One of her lieutenants during the 1810 voyage was one Basil Hall, who was still with the ship when the 1811 landing was made.


In July 1811 Endymion was again within sight of Rockall and made soundings of the Rockall Bank. By 8 September she had returned. Lieutenant Basil Hall was part of this first landing party upon it, probably under the command of Lieutenant Richard Israel Alleyn, Endymion's First Lieutenant. The landing appears to have begun most casually. To quote Hall's own book, "As we had nothing better on our hands, it was resolved to make an exploring expedition to visit this little islet. Two boats were accordingly manned for the purpose . the artists prepared their sketch books and the geologists their hammers, for a grand scientific field day." Whilst indicating the impromptu nature of the landing, this also signifies that science was a deliberate aim from the first. The sea on this "fine autumnal morning" was unusually smooth, but a swell of many feet made landing difficult and required a great deal of confidence when leaping ashore. Observations and measurements were made until a fog was observed. Concern over the Endymion's continuing visibility caused them to begin their return. The increasing swell made embarking difficult and it took half an hour to gain the boats. By this time Endymion was lost in the fog. One of the party was landed back on the rock, in an attempt to scale it in search of a fog-free look-out. His first view was of an approaching fog bank, which in this area could last for some days. The ship was sighted though, and after another delay to retrieve their "shivering scout" they rowed off in chase. Unfortunately the ship didn't see them before the fog returned and they were forced to return yet again to Rockall. At this point planning began for a long stay on the island, despite their lack of provisions or fresh water. It was resolved to abandon the heavier of the two boats and to drag the other ashore to improvise an overnight shelter. Fortunately they were saved by the fog suddenly rising, revealing the ship once more. On finally returning to the ship, some five or six hours after the fog, it was almost dark. Although Hall wasn't alone in landing party, and unlikely to have been either its commander or the "shivering scout", he's known for having been the only person to publish a written account of it. The 1955 landing thus named the big ledge near the top, where they erected their flagpole, "Hall's Ledge" after the only name they knew for certain.


In 1812, the ship underwent a large repair at Plymouth, finally docking out in July 1813. Two further 32-pounder carronades were added to her armament and her complement was increased to 340 men. She was then detached to North America, where she captured some American privateers, where her crew undertook several boat-attacks to raid American shipping. Her boats attempted to capture the notorious American privateer Prince de Neufchatel, but were unsuccessful. In all, Endymion lost over 100 men killed, wounded, prisoners, or missing, in the attempt. At the time, Prince de Neufchatel was under the command of John Ordronaux, who was also one of her three owners. She was armed with 17-18 guns, almost all 12-pounder carronades, and had a crew of 130 men. In August, Endymion took part in an expedition up the Penobscot River in Maine. The first ships to go were Sylph, Dragon, Endymion, Bacchante, Peruvian, as well as some transports. Bulwark, Tenedos, Rifleman, and Pictou joined on the 31st. On the evening of 31 August, Sylph, Peruvian, and the transport Harmony, accompanied by a boat from Dragon, embarked marines, foot soldiers and a detachment from the Royal Artillery, to move up the Penobscot under the command of Captain Robert Barrie of Dragon. The objective was the American frigate Adams, of twenty-six 18-pounder guns, which had taken refuge some 27 miles up stream at Hampden, Maine. Here Adams had landed her guns and fortified a position on the bank with fifteen 18-pounders commanding the river. Moving up the river took two days, but eventually, after the Battle of Hampden, the British were able to capture the American defenders at Bangor, though not until after the Americans had burnt the Adams. The British also captured 11 other ships and destroyed six. The British lost only one man killed, a sailor from Dragon, and had several soldiers wounded.


On 14 January 1815, USS President under the command of Commodore Stephen Decatur left New York for a mission in the Indian Ocean. She then fell in with the British blockading-squadron, consisting of the razee Majestic and the frigates Endymion , Pomone and Tenedos. Immediately, the British squadron gave chase with Majestic leading. At noon, Endymion, being the much better sailer, overhauled her squadron and left them behind. At 2 pm she gained on the President and took position on the American ship's quarter, shooting into President as she tried to escape. Endymion was able to rake President three times and did considerable damage to her by contrast, President primarily directed her fire at Endymion's rigging in order to slow her down. Finally at 7:58 pm, President ceased fire and hoisted a light in her rigging, indicating that she had struck. Endymion's foresails had been damaged in the engagement and she hove to for repairs to the rigging (being unable to take possession of her prize due to a lack of boats that would "swim"). Whilst Endymion was engaged in repairs Commodore Stephen Decatur took advantage of the fact and, despite having struck, made off to escape at 8.30 pm Endymion, still engaged in repairs could not immediately pursue and resumed the chase at 8.52 pm. At 9.05 pm Pomone and Tenedos came up with the heavily damaged President. Unaware that the enemy had already struck Pomone fired two broadsides into the President, following which Decatur again struck his ship and hailed the British to say that he had surrendered. Shortly afterwards, Captain Lumley of Pomone took possession of President. According to British accounts, President had lost 35 men killed and 70 wounded, including Decatur. American sources give their losses as 24 killed and 55 wounded. Endymion had 11 killed and 14 wounded. There has been a long-running debate over whether Endymion had beaten President, or President had beaten Endymion. Clearly, President could not fight a normal duel such as that which USS Constitution fought with Java. Had Decatur tried to fight Endymion broadside to broadside, he would have had little chance of escaping the other British ships. His only hope was to get rid of the Endymion by dismantling her rigging, and in this he failed, striking to Endymion before this could be accomplished, a fact confirmed by Mr Bowie, ship's chaplain of the President who confirmed the raising of the light indicating surrender to Endymion. On the other hand, Endymion - as the smaller and weaker ship managed to slow down and damage the American frigate, pouring in three raking broadsides that caused heavy casualties and forcing her to strike. However, it is also asserted that far from surrendering to Endymion, President had actually disabled Endymion and removed her from the pursuit. Instead President was only forced to surrender when Pomone and Tenedos came up. This uncertainty is of early date, and is reflected in Commodore Decatur's own recorded comments. Decatur made a deposition before the (British) Admiralty Court at St. George's Bermuda, in January 1815. In this it is recorded that when Pomone's boats boarded President, Decatur insisted that his sword be sent to the captain of "the black ship" (Endymion), as he had struck to her alone. However, in his later despatch, primarily for American consumption, he contradicted this statement. There has also been much discussion about how many of the American casualties were due to Pomone's broadsides. Before Pomone fired her first broadside, President was already shattered with shot holes on the starboard-side, the side the Endymion had engaged. Pomone engaged the port side, and there was only little damage recorded. In reality there is no debate, since witness testimony from officers on President stated clearly that no casualties were caused, due mainly to poorly aimed broadsides and many American personnel being below decks.


Compartilhe esta história

Texas Sen. Ted Cruz: Critical race theory is as racist as ‘Klansmen in white sheets’

AUSTIN (KXAN) -- On Friday, Texas Senator Ted Cruz took aim at critical race theory -- the much-derided school-age teaching about America's history of racism -- calling the set of teachings "every bit as racist as Klansmen in white sheets."

In an appearance at the Faith and Freedom Coalition Road to Majority Conference in Duluth, Georgia, Republican Cruz condemned CRT, according to The Hill, telling attendees it teaches students that "all white people are racist."

Florida vs. CDC cruise lawsuit: Court rules in favor of Florida against conditional sail order

TAMPA (WFLA) – Florida Gov. Ron DeSantis and Attorney General Ashley Moody are claiming victory following a federal court's decision to grant a preliminary injunction against the Centers for Disease Control and Prevention and its conditional sail order.

The ruling by U.S. District Judge Steven Merryday comes as part of a larger lawsuit brought by the state of Florida that contends the CDC has overstepped its authority.

Much improved forecast for the holiday weekend

Happy June! Once again, the forecast for today across New Orleans and southeast Louisiana is nice and quiet with humidity and a few clouds after yesterday's tropical downpours!

Afternoon highs are, area-wide, reaching the 90s. Overnight, over both Northshore and Southshore locations, expect 70s on both sides of Lake Pontchartrain!



Comentários:

  1. Vijora

    é curioso, e o analógico é?

  2. Adalwen

    Tudo é bom que acaba bem.

  3. Keoki

    Provavelmente sim

  4. Benton

    Aqui estão os que estão ligados! A primeira vez que ouvi!



Escreve uma mensagem