História da Vandalia - História

História da Vandalia - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Vandalia

(Slp: t. 614; 1,17'4 "; b. 34'6"; dr. 16'6 "; cpl. 150;
uma. 4 8 "Sg., 16 32-pdrs .; cl. Boston)

O primeiro Vandalia, um saveiro de guerra de 18 canhões, foi estabelecido no Estaleiro Naval da Filadélfia em 1825; lançado em 1828; e comissionado em 6 de novembro daquele ano, Comdr. John Gallagher no comando.

Vandalia deixou a Filadélfia em 16 de dezembro de 1828, com destino ao esquadrão do Brasil na costa leste da América do Sul. Ela permaneceu fora das costas do Brasil e da Argentina pelos próximos três anos, ajudando a proteger os cidadãos americanos e os interesses mercantis durante um período de contínua agitação política no continente sul-americano. Ela voltou para Norfolk, Va., Em 18 de dezembro de 1831; foi descomissionado no dia seguinte e permaneceu inativo até 4 de outubro de 1832, quando foi recomissionado para o serviço no Esquadrão das Índias Ocidentais. O Vandalia foi colocado novamente em Norfolk em agosto de 1834 e foi desativado lá no dia 24 para grandes reparos. Recomissionada no último dia do ano, ela se juntou ao Esquadrão das Índias Ocidentais em janeiro de 1835 e serviu com essa organização no verão de 1838 protegendo cidadãos americanos e propriedades nas Índias Ocidentais; cooperando com as forças terrestres na Flórida durante a segunda guerra indígena Seminole e ajudando a suprimir o comércio de escravos. Depois de quase três meses parado passando por reparos de 30 de agosto a 24 de novembro, o navio foi reativado e voltou ao serviço por um ano no Caribe, terminando quando sua flâmula de comissionamento foi novamente rebocada em Norfolk em 23 de novembro de 1839.

Após mais de dois anos nos estoques, o navio foi devolvido à comissão em 3 de fevereiro de 1842, juntou-se ao recém-criado Home Squadron em 1842 e realizou patrulhas de rotina e tarefas de reconhecimento em pontos espalhados ao norte até Newfoundland e ao sul até o foz do rio Amazonas. Durante uma visita ao Haiti no início da primavera de 1845, uma epidemia de febre amarela estourou no navio. Ela voltou imediatamente para Norfolk, foi desativada em 30 de abril e ficou parada. Durante o período ordinário do saveiro que durou até 1849, ela foi alongada em 13 pés em 1848. A Vandalia renovada foi recomissionada em 9 de agosto de 1849 e juntou-se ao Esquadrão do Pacífico em 5 de setembro de 1849, quando essa organização estava se expandindo para servir ao território que os Estados Unidos Estados haviam adquirido recentemente na costa do Pacífico. Ela fez várias visitas às Ilhas Havaianas em 1851 antes de retornar ao Estaleiro da Marinha de Nova York em 6
Outubro de 1852 e novamente fora de serviço no dia 14.

O descanso de Vandalia terminou no Dia dos Namorados de 1853, e o navio logo se juntou ao Esquadrão das Índias Orientais do Comodoro Matthew C. Perry. Ela esteve presente na entrada histórica do Comodoro Perry na Baía de Tóquio em 13 de fevereiro de 1854 e em 1855 ajudou a proteger os interesses americanos na China durante a Rebelião Taiping. Vandalia foi descomissionado no Portsmouth (N.H.) Navy Yard em 30 de setembro de 1856, mas foi recomissionado em 11 de novembro de 1857 para o serviço no Esquadrão do Pacífico. Em 1859, o navio de guerra resgatou sobreviventes do navio americano Wild Wave, naufragou nas ilhas Oeno e Piteairn e conduziu uma expedição contra os nativos em Waya, nas Ilhas Fiji, após o assassinato de dois cidadãos americanos. Vandalia retornou ao New York Navy Yard no início de 1860 e foi descomissionado em 6 de janeiro daquele ano, mas foi recomissionado lá em 8 de novembro e designado para o serviço no Esquadrão das Índias Orientais.

Com a eclosão da Guerra Civil em abril de 1861, Vandalia foi chamada de volta para casa e designada para o Esquadrão de Bloqueio do Atlântico Sul em 31 de maio para o serviço de bloqueio em Charleston e Bull's Bay S.C. Lá ela capturou a escuna Henry Middleton no dia 2; Agosto e auxiliou na captura do veleiro Thomas Watson em 15 de outubro. A embarcação também participou do assalto anfíbio bem-sucedido à Ilha Roanoke, N.C., nos dias 7 e 8 de novembro. Esta vitória fechou as linhas de abastecimento para o estaleiro naval de Norfolk, controlado pelos confederados, e foi em grande parte responsável pela evacuação daquela importante instalação naval seis meses depois. Vandalia embarcou em Nova York em 24 de novembro para entregar os oficiais e a tripulação do navio governador naufragado.

Vandalia logo retornou ao serviço com o Esquadrão de Bloqueio do Atlântico Sul e foi implantado perto de Tybee Roads Gal, em dezembro. Ela permaneceu em Tybee até abril de 1862, quando foi ordenada a prosseguir com o bloqueio em Wassaw Sound, Geórgia. O saveiro retornou a Port Royal, S.C., em junho e assumiu o bloqueio ao largo de Charleston em julho. Ela serviu em Port Royal como guarda em setembro e foi reparada e reabastecida lá em novembro. Mais tarde naquele mês e em dezembro, ela cruzou ao longo da linha externa do bloqueio de Charleston e Port Royal Bay, realizando tarefas de reconhecimento, bem como dando experiência prática de navegação para recém-formados na Naval Academy. Em 12 de dezembro, o navio foi encomendado ao norte para grandes reparos estruturais em Nova York.

O Vandalia foi desativado no New York Navy Yard em 4 de fevereiro de 1863 e então navegou para Portsmouth, N.H., em 17 de outubro para uso como navio de recebimento e guarda. Ela permaneceu em Portsmouth até se separar lá em algum momento entre 1870 e 1872.


História da Vandalia - História

Se você souber de alguma informação sobre esta cidade natal, como por exemplo, como ela ganhou seu nome ou alguma informação sobre sua história, informe-nos preenchendo o formulário abaixo.

Se você não encontrar o que procura nesta página, visite as seguintes categorias da Página Amarela para ajudá-lo em sua pesquisa.

Categorias de páginas amarelas comuns para Vandalia, Missouri

Antiguidades
Histórico
Arquivos
Museu
Cemitérios de registros públicos
Galerias

A2Z Computing Services e HometownUSA.com não oferecem nenhuma garantia quanto à precisão de qualquer informação postada em nossa história ou páginas de curiosidades e discussões. Recebemos curiosidades e histórias de todo o mundo e as colocamos aqui apenas pelo seu valor de entretenimento. Se você acha que as informações postadas nesta página estão incorretas, avise-nos participando das discussões.

Um pouco sobre o nosso História, curiosidades e fatos páginas, agora nossos fóruns de discussão.

Essas páginas são preenchidas com envios de residentes das cidades natais, então, se alguns deles são um pouco claros no lado das informações, isso simplesmente significa que as pessoas ainda não nos enviaram muito. Volte logo, porque estamos constantemente adicionando mais conteúdo ao site.

Os tipos de história que você pode encontrar nessas páginas incluem itens como o história do clima local, história dos índios americanos, história da educação, linha do tempo da história, história americana, história afro-americana, história dos Estados Unidos, história mundial, história do Halloween, história do Dia de Ação de Graças, história da Guerra Civil e fotos da Guerra Civil, mulheres na Guerra Civil e Batalhas da guerra civil.

Curiosidades podem incluir quebra-cabeças, curiosidades inúteis, perguntas triviais, curiosidades sobre música, curiosidades de Natal, curiosidades do Dia de Ação de Graças, curiosidades da Páscoa, curiosidades do Dia das Bruxas, jogos online grátis, jogos de perguntas e respostas, e mais.

Os fatos listados nas páginas podem ser fatos inúteis, fatos estranhos, fatos estranhos, fatos aleatórios, fatos de Natal, fatos de Ação de Graças ou simplesmente curiosidades.

Genealogia também é bem-vindo e publicado nessas páginas, pois desempenha um papel importante na história de muitas de nossas comunidades. Então, se você está procurando genealogia gratuita, informações da árvore genealógica, citações familiares, registros de óbito, registros de nascimento, pesquisa familiar, ou qualquer tipo de história da família ou genealogia, Este é um bom lugar para começar.

Menu Quick Jump de Vandalia, Missouri
Viajar por Vandalia, Missouri Guia de hotéis e viagens, aluguel de carros, passagens aéreas e pacotes de férias
Relocação Vandalia, Missouri Imóveis, venda uma casa em Vandalia, compre uma casa em Vandalia, apartamentos em Vandalia, Missouri
Informação Comercial Vandalia, páginas amarelas pesquisáveis ​​do Missouri, links locais, guia de compra de automóveis, empregos e empregos
Notícia Vandalia, Missouri News, Press Releases, Events & amp Classifieds,
Informação da comunidade Vandalia, páginas brancas do Missouri, dados demográficos, ingressos para eventos importantes, calendário da comunidade, mapa interativo de Vandalia, Missouri
Anúncios classificados, história e curiosidades, fóruns da comunidade, galerias de fotos

Se você deseja criar um link para esta cidade natal, copie o texto a seguir e cole-o em seu site:


A vila de vandalia é um empregador que oferece oportunidades iguais.

Após uma consideração cuidadosa, decidimos cancelar nossos 2020 Underground Railroad Days. No momento, a coisa mais importante que todos nós podemos fazer é concentrar nossa atenção em ajudar as pessoas com os novos desafios que todos enfrentamos.

Cuide-se. Continuaremos a fazer tudo o que pudermos para ajudar nossas comunidades a se manterem seguras, informadas e conectadas. Estamos ansiosos para ver todos vocês no próximo ano. 

Copyright 2011 Village of Vandalia, Michigan. Todos os direitos reservados.

18035 State Street
Vandalia, MI 49095
ph: 269-476-2344
fax: 269-476-2068
villageo fvandalia mi @frontier .com


Conteúdo

Terre Haute e Richmond Edit

A ferrovia Terre Haute e Richmond foi fretada em janeiro de 1847, com construção começando no final de 1849. Em fevereiro de 1852, 73 mi (117 km) de trilhos entre Indianápolis e Terre Haute foram concluídos. Em 6 de março de 1865, o nome foi alterado para Terre Haute & amp Indianapolis Railroad. Em 26 de abril de 1870, uma extensão foi concluída de Terre Haute até a divisa do estado de Illinois que se reuniu com St. Louis, Vandalia e Terre Haute. [1]

Edição de Indianápolis e Vincennes

Indianápolis e Vincennes foi originalmente promovida como rota para o Golfo do México quando a construção começou em 1867, com a ferrovia Indianápolis, Cincinnati e Lafayette fornecendo ajuda financeira em troca de um aluguel da linha. A.E. Burnside, major-general do Exército da União durante a Guerra Civil, foi um dos primeiros promotores da ferrovia. Em 1868, duas empresas da Pennsylvania Railroad (PRR) também foram adicionadas como fiadoras da linha. A linha foi concluída entre as cidades homônimas em 1869, com o PRR assumindo o controle em 1871. A linha, no entanto, nunca chegou ao Golfo do México como seus promotores haviam planejado. [1]

Terre Haute e Logansport Edit

Em 1871, a seção inicial da ferrovia Terre Haute e Logansport conectou Rockville, Crawfordsville, Frankfort e Clymers, Indiana, que fica a seis milhas (9,7 km) a sudoeste de Logansport. A ferrovia usou direitos de trilhos em um predecessor da Wabash Railroad por quatro anos, até que eles construíram seus próprios trilhos em Logansport. A Terre Haute and Logansport então arrendou o segmento de 23 milhas (37 km) da ferrovia Evansville e Crawfordsville que se estendia de Rockville a Terre Haute em 1872. [1]

O Terre Haute e Logansport terminou uma linha de 69 milhas (111 km) em 1884, que conectou Logansport com South Bend. Esta linha também foi alugada para a Terre Haute e Indianapolis, que em 1890, alugou a Indiana and Lake Michigan Railway, dando-lhe acesso a St. Joseph, Michigan. [1]

Detroit, Eel River e Illinois Edit

Concluída em 1874, entre Logansport e Butler, Indiana, Detroit, Eel River e Illinois foram planejadas como uma estrada de farm-to-market. A Wabash, St. Louis e Pacific alugou a linha em 1879, para completar a ligação do meio de uma linha St. Louis – East Coast. O aluguel foi cancelado após uma longa batalha legal. A linha foi posteriormente reorganizada como Logansport and Toledo Railway e foi comprada pela Pennsylvania Railroad em 1901. [1]

A ferrovia Terre Haute & amp Indianapolis, a ferrovia St. Louis, Vandalia & amp Terre Haute, a ferrovia Terre Haute & amp Logansport, a Logansport & amp Toledo Railway, a ferrovia Indiana & amp Vincennes foram fundidas em 1º de janeiro de 1905, para formar a ferrovia Vandalia Empresa. A ferrovia conectava Indianápolis no leste com St. Louis no oeste e South Bend e Butler no norte com Vincennes no sul. [2]

A principal linha Leste-Oeste ia de Indianápolis a St. Louis, com um ramal principal, a ferrovia Terre Haute & amp Peoria, conectando Decatur e Peoria, Illinois. A linha tinha via dupla em grande parte de seu comprimento, servindo a região carbonífera do sul de Illinois e como uma rota de passageiros para os trens chamados Blue Ribbon da ferrovia da Pensilvânia, The St Louisan, a Jeffersonian, e as Espírito de São Luís. [3]

A principal rota Norte-Sul ia de Terre Haute a Logansport e depois a South Bend. Logansport era um centro PRR, com seis ramais irradiando em todas as direções. Logansport também apresentava um pátio e um terminal de motor. De Logansport, a linha prosseguiu em direção ao norte, cruzando todas as principais linhas troncais leste-oeste, incluindo a rota principal leste-oeste do PRR e a rota "panhandle" do PRR. Ao chegar a South Bend, a linha seguiu para o norte através de um corredor industrial em direção à planta Studebaker até um depósito próximo à South Bend Union Station. Como os trilhos de New York Central (NYC) foram elevados, o intercâmbio com NYC e o locatário Grand Trunk Western (GTW) foi indireto por meio de um ramal com destino ao oeste que alcançou a ferrovia da planta de Studebaker, New Jersey, Indiana e Illinois (NJI & ampI), subsidiária da a Wabash Railroad, GTW e a subsidiária da Kankakee Belt Railroad em Nova York. A PRR mantinha poucas instalações além do depósito na cidade, pois não havia outras linhas PRR de conexão em South Bend.

De Logansport, a Logansport & amp Toledo Railway seguiu para o nordeste até Butler, onde se conectou à Lake Shore e à Michigan Southern Railway.

A Vandalia Railroad foi uma subsidiária da PRR durante a maior parte do século XX. O PRR era conhecido pela padronização de equipamentos e, como tal, todas as propriedades e subsidiárias operavam com equipamentos PRR padronizados.

O tráfego de carga foi o principal uso da Ferrovia Vandalia. Studebaker carregou caminhões para embarque para o sul. Trens de passageiros foram operados, incluindo especiais de futebol para a Universidade de Notre Dame. A universidade está localizada a alguns quilômetros ao norte da estação.

Apesar do encerramento da maioria das operações da Studebaker em South Bend, o abandono foi adiado até a consolidação da Conrail. Naquela época, a Conrail tinha três rotas de / para South Bend e a Vandalia Railroad foi considerada redundante. Ele foi abandonado aos poucos da fronteira da cidade em direção ao norte, com indústrias on-line atendidas por trens baseados no antigo território de Nova York.

O depósito em South Bend ainda é um negócio. Os trilhos para o sul ainda estão na Ewing Street, mas não estão em uso. Os trilhos a oeste até a conexão do Cinturão de Kankakee ainda estão de pé e raramente são usados.


Livro de canetas residentes da ex-Vandalia

Um nativo de Audrain County tem uma maneira divertida de explorar alguns locais exclusivos na área de St. Louis para aqueles que desejam voltar ao mundo.

Livro de estreia de Dea Hoover, STL Scavenger: The Ultimate Search for St. Louis’s Hidden Treasures, oferece o ajuste perfeito para quem busca aventura na cidade.

Assim como em qualquer boa caçada, há uma chance de ganhar alguns prêmios, incluindo $ 500 em dinheiro.

De acordo com a descrição do livro, "Dea leva você em uma viagem turbulenta usando seu conhecimento e experiência de criação e execução de passeios nesta caça ao tesouro divertida para toda a família.

“Seu mantra de,“ nunca volte por onde veio ”. Deve encorajá-lo a tropeçar nos tesouros que ela apontou para você, bem como outras joias escondidas dentro e ao redor de Gateway City significativas para você, sua família ou seus amigos. ”

Dea juntou forças com uma editora de St. Louis, Reedy Press, no ano passado para utilizar seu amplo conhecimento na área após 20 anos na indústria de turismo.

Graduada em 1989 pela Van-Far, Dea passou seus dias no Vandalia Firestone, que sua mãe e seu pai possuíam e operavam. Na verdade, sua mãe, Donna Hoover, ainda dirige o popular negócio Vandalia.

“Eu leio desde os três ou quatro anos”, Dea explicou o que a levou a se interessar em escrever o livro. “Mamãe e papai liam para mim o tempo todo. Éramos uma casa de leitura. ”

Junto com o marido, Declan, ela também dedicou o livro aos pais. “Para mamãe, que começou meu amor pela leitura e, portanto, pela escrita”, escreveu ela nas páginas iniciais. “Ela me ensinou a terminar o que começo. Para papai, você vive através de mim, dando-me coragem e o amor da busca implacável. Que saudades de você!"

Mesmo depois de ir para a Universidade de Washington e permanecer na área depois, seu tempo em Vandalia e em Van-Far não foi perdido.

“Tive sorte porque Van-Far tinha muitos professores e funcionários comprometidos. Nem toda escola tem esse tipo de pessoa. Eu realmente me senti sortuda por isso tanto quanto eu queria deixar minha pequena cidade. Isso me fez quem eu sou. Ela molda e molda você. ”

De acordo com Dea, seu pai teria adorado o livro e não estaria sozinho. Alcançou o primeiro lugar na lista dos dez primeiros do St. Louis Post-Dispatch e permaneceu nela por semanas.

“Fiquei surpresa”, disse ela ao Tribune. “Em primeiro lugar, eu não sabia que havia nem mesmo uma lista de bestsellers local até que conversei com um dos outros autores da Reedy Press e eles disseram: 'Eu vi seu livro na lista de mais vendidos do jornal.' Perguntei ao meu vizinho se podia ver a cópia dele. ”

O livro foi o resultado de meses de trabalho e reescritas. Ela começou a trabalhar nele em agosto do ano passado, durante um período de luta pessoal enquanto seu marido lutava contra uma doença fatal.

Dea possui duas empresas de guias turísticos que Declan a ajuda a administrar. As empresas oferecem passeios em todo o país e no exterior.

Segundo Dea, os negócios passaram do melhor ano à paralisação absoluta devido ao COVID-19.

Reedy Press a abordou com a ideia durante aquele período de baixa que coincidiu com as cirurgias e a recuperação de seu marido.

“Eu acho que posso fazer isso”, ela disse a eles depois que eles perguntaram se ela poderia criar uma pasta de trabalho baseada na caça ao tesouro. “Eu sou um guia turístico, é o que já faço.”

Mesmo depois de ser informado de que a editora estava procurando uma reviravolta de oito semanas, Dea aceitou a proposta com entusiasmo e determinação. “Eu fui muito ingênuo em como isso iria acontecer. Nunca fiz nada parecido antes. ”

No entanto, escrever um livro estava em sua lista de desejos e se alinhava com sua paixão pela leitura.

“Quando fui para a faculdade, queria me formar em inglês, mas tinha 89 'e precisava de um emprego quando saísse”, disse ela ao Tribune.

Em vez disso, ela formou-se em Inglês e formou-se em Administração de Empresas.

Depois da faculdade, ela trabalhou para uma concessionária Saturn até que uma oportunidade de chance apareceu.

“Totalmente por acidente”, ela respondeu quando questionada sobre como se envolveu na indústria de viagens. Ela estava na Saturn em 1998 quando as mudanças na propriedade da empresa a levaram a procurar outro lugar. “Uma das mulheres que trabalhava lá era dona de uma empresa de turismo e eu disse,‘ ei, se alguém estiver contratando, me avise. ’”

Ela recebeu uma ligação um mês depois.

“Tive um corte enorme de salário”, ela explicou como mudou para sua terceira carreira. "Foi tudo acidental."

Esses acidentes fizeram com que ela se tornasse proprietária e operadora de duas conhecidas empresas de turismo em St. Louis - Discover St. Louis e Are We There Yet?

Seu conhecimento adquirido de St. Louis e conhecidos que ela conheceu ao longo de seu tempo lá pavimentaram o caminho para a oferta do livro.

O livro inclui 17 áreas e cada uma tem suas próprias imagens e pistas para os leitores decifrarem.

“Tentei colocar uma tonelada de informações em cada pista, porque queria que o leitor aprendesse alguma coisa”, disse ela. “Achei que deveria rimar porque achei que seria mais divertido. Então, comecei a escrevê-los em pentâmetro iâmbico. ”

A ideia da prosa shakespeariana não funcionou como planejado. Ela escreveu 9 seções de pistas quando seu editor decidiu que não estava funcionando.

Depois de escrever em um estilo jornalístico mais tradicional, a editora perguntou se ela poderia reescrever as pistas novamente em um formato de enigma.

“Eu estava pensando,‘ oh meu Deus ”, disse Dea e compartilhou como seu marido se divertiu com seu processo de revisão. “Declan estava rindo e rindo e disse, 'isso é exatamente o que você fez comigo em uma de nossas turnês.'” Apesar das reescritas, ela disse que o livro e a Reedy Press foram ótimos. ”

Outro grande aspecto do livro de caça ao tesouro é sua acessibilidade.

“Mesmo que você não more ou vá para St. Louis, você poderia tecnicamente fazer isso de sua casa com a internet”, explicou Dea.

Ela avisou a editora que “tem que ser uma sensação boa, não uma sensação ruim. Se você fizer isso onde as primeiras pessoas a terminar ou aqueles com os tempos mais rápidos serão os vencedores, então todos os outros ficarão loucos. Todo mundo tem que ter uma chance. ”

Reedy ouviu sua sugestão. Os caçadores têm até 15 de novembro para enviar suas respostas aos enigmas de Dea. No dia 1º de dezembro, as respostas corretas e os vencedores serão revelados.

Dea riu e disse que ela já tinha leitores competitivos tentando levá-la em busca de pistas. “As pessoas ficam muito competitivas, mas é ótimo. Isso é parte da emoção. ”

Mas o livro não é para os estritamente competitivos.

“Você não tem culpa de estante com este livro, já que não tem que lê-lo na frente e no verso”, explicou Dea. O livro é dividido em seções, como a popular Hill, Soulard e outras, tornando mais fácil para os leitores explorarem e resolverem aleatoriamente.

“É uma coisa leve e fofa quando não tivemos isso em nossas vidas no ano passado. É algo divertido fazer as pessoas voltarem. ”

Aprender sobre pequenas conexões em cada área e como sua história levou a projetos atuais foi uma das partes favoritas de Dea no processo de criação do livro.

“Aprender intimamente sobre cada bairro. Descendo a toca do coelho, ”Dea respondeu. “Essa foi uma das coisas que diminuiu minha velocidade, mas eu adorei.”

O melhor de tudo é que a quantidade de pesquisa que ela investiu nas pistas do livro será transportada para as empresas de guias turísticos.

“Pelo menos se eles me despedirem, terei aprendido algo que posso usar no meu trabalho”, brincou ela.

Seu conselho para quem deseja iniciar seu próprio negócio ou escrever seus próprios livros:

"Continue perguntando. Peça ajuda às pessoas que estão fazendo isso. Peça entrevistas informativas e faça sua pesquisa. Eu não posso te dizer quantas pessoas eu conheci que faliram sem perceber no que estavam se metendo. Peça informações porque há pessoas que querem te ensinar. ”

Quem quiser pegar um exemplar do livro ou conhecer Dea terá a chance esta semana. Ela estará na Biblioteca Vandalia no dia 17 de junho às 10h30.

Para saber mais sobre o livro de Dea ou comprar uma cópia assinada, visite https://stlscavenger.com

STL Scavenger Hunt também está disponível na Amazon e nas livrarias da área de St. Louis.


História

Em 1959 foi criado o Tribunal Municipal de Vandalia. Sua jurisdição incluía a cidade de Vandalia, os municípios de Butler e Harrison, bem como o antigo município de Randolph. O juiz Robert C. Way foi o primeiro a presidir os casos (3.566 em 1960), em um prédio convertido de uma igreja para um tribunal na Kenbrook Drive em Vandalia.

Os próximos dois juízes foram J. Paul Brenton (1964-1966) e Richard Court (1966-1972). O número de casos da Corte estava crescendo e em 1968 havia chegado a 15.954. Esse aumento foi atribuído a uma ênfase colocada na eliminação dos perigos causados ​​pelo excesso de velocidade no trecho da I-75 entre Little York e Neff Road, conhecido na época como Blood Strip.

O juiz Harold H. Galbraith foi eleito em 1972, ouvindo casos até 1983. Durante esse tempo, a jurisdição do Tribunal se expandiu para incluir a cidade de Englewood e as Villages of Union e Clayton. Não apenas a jurisdição do Tribunal aumentou durante esse período, mas a contagem de casos e a receita do Tribunal também aumentaram. Em 1982, o número de casos era de 23.201 e, pela primeira vez, o Tribunal obteve receitas superiores a US $ 1.000.000.

Após a renúncia do juiz Galbraith, Harold LeCrone foi nomeado e foi eleito juiz em 1984 e 1989. Em 1988, o juiz LeCrone nomeou Jerry Kaylor como secretário dos tribunais, e em 1990 o Tribunal viu o maior número de casos de sua história, que chegou 25.906.

Richard Bannister foi nomeado pelo governador em 1991 e, em 1992, o juiz Bannister foi eleito para servir os quatro anos restantes do mandato de seis anos do juiz LeCrone & apos. Em 1992, a magistrada Bonnie Beaman Rice foi nomeada pelo juiz Bannister para auxiliar na presidência de um número crescente de processos civis e de contravenção menor.

O juiz Bannister foi reeleito em 1996 e novamente em novembro de 2001 para seu terceiro mandato.

Em novembro de 2005, após a aposentadoria do juiz Bannister, Mark Zugelder foi nomeado pelo governador do Estado. Em 8 de novembro de 2005, Cynthia M. Heck foi eleita para cumprir o mandato não expirado do juiz Richard Bannister e assumiu o cargo em 6 de dezembro de 2005. A juíza Heck foi reeleita para um mandato de seis anos começando em janeiro de 2008 e mais dois seis Mandatos de um ano com início em janeiro de 2014 e janeiro de 2020. Após a aposentadoria do secretário do Tribunal, Jerry Kaylor, em dezembro de 2011, Karen Goffena foi nomeada secretária do tribunal pelo juiz Heck.

Hoje, a jurisdição do Tribunal inclui as cidades de Vandalia, Englewood, Union e Clayton, municípios de Butler e Harrison. O Tribunal foi transferido para o segundo andar do Centro de Justiça Vandalia em 1999.


Fayette County Museum

Em 1823, a Assembleia Geral transferiu o terreno e forneceu os fundos para a primeira estrutura construída neste local. O ato legislativo afirmava que a terra e o financiamento seriam usados ​​para erguer uma "Casa de Adoração Divina, gratuita para todas as denominações adorarem". A pequena Casa de Adoração Divina era usada por muitas denominações e também como uma escola e reunião sala. Com o passar do tempo, as congregações cresceram e, por fim, construíram suas próprias igrejas. Em 1867, a antiga Casa de Adoração Divina foi transferida para um novo local e os Presbiterianos construíram a igreja atualmente no local. Este edifício foi erguido a um custo de $ 15.000. O estilo do Renascimento Gótico Antigo é um exemplo raro e sobrevivente de projeto arquitetônico eclesiástico do período de 1860 nesta área.

Em 1970, os presbiterianos construíram uma nova igreja. A histórica Vandalia, Inc. comprou o antigo prédio com planos de abrir um museu. Em 10 de junho de 1979, o Fayette County Museum foi aberto ao público pela primeira vez. Com uma equipe de voluntários e operando com doações, o museu é uma das principais atrações turísticas de Vandalia, Illinois. Todos os anos, milhares de crianças em idade escolar e turistas têm a oportunidade de ver artefatos que datam dos dias em que Vandalia foi a capital de Illinois de 1819 a 1839. Em 1982, o prédio foi colocado no Registro Nacional de Locais Históricos.

O primeiro andar do museu, uma grande sala, foi dividido em 10 pequenas salas. Cada quarto é decorado para uma área diferente de vida e mostra a história do condado. Todos os artefatos foram doados.

No andar de cima podem ser vistos os 1.902 tubos do órgão original. Em 2014, a Igreja Católica St. Francis de St. Francisville, IL seria demolida. A congregação deu o órgão de tubos de 1917 e todos os seus tubos ao museu. Este é um órgão Wicks feito em Highland, IL e é semelhante ao órgão original desta igreja. Há também uma gaiola de caixa do First National Bank, que se acredita ser uma gaiola de 1865. Outros itens também estão alojados neste nível.


História da Vandalia - História

Capitólios do estado de Illinois
Por JOSEPH H. JONES
Editor Assistente do Livro Azul
Livro Azul do estado de Illinois, 1943-1944
Impresso por autoridade do estado de Illinois
Transcrito por & copyK. Torp, 2007
[Imagens adicionadas por K. Torp]

Um século e um quarto do Estado proporcionou a Illinois três Capitais diferentes - Kaskaskia, Vandalia e Springfield com seis edifícios do Capitólio, dos quais cinco eram propriedade do Estado e três ainda de pé, um em Vandalia e dois em Springfield.

Quando Illinois foi admitido na União em 1818, Kaskaskia foi escolhida como a Capital Kaskaskia que desempenhou um papel vital na história militar e religiosa, quase desde que o primeiro homem branco tocou o solo que agora é Illinois. O primeiro Capitólio do Estado foi um prédio alugado de dois andares.
A primeira Assembleia, ali reunida, requereu ao Congresso a concessão de um terreno para servir de Capital do Estado. Este pedido foi atendido. Um comitê de cinco então foi nomeado para escolher o local e decidiu por Reeves Bluff, mais tarde conhecido como Vandalia, e que ficava a 80 milhas a nordeste no rio Kaskaskia de Kaskaskia.
A capital foi transferida para Vandalia em 1820 e muitos anos atrás Kaskaskia se tornou uma cidade desaparecida, desaparecendo gradualmente sob as águas do sinuoso rio Mississippi que banhava suas margens. Em 1881, o Mississippi passou por um de seus muitos tumultos, mudou seu curso, movendo-se para o leste e depois para o sudoeste para encontrar seu antigo canal. Essa ação criou uma ilha e destruiu uma parte considerável da antiga capital. Cada inundação recorrente da primavera invadiu o local até que o último vestígio de Kaskaskia desapareceu no Mississippi. Na parte restante da ilha há uma comunidade agrícola de cerca de 131 pessoas e a seção é chamada de Kaskaskia, talvez para perpetuar o nome da cidade que se foi para sempre.
O Capitólio original em Vandalia era um prédio de madeira de dois andares, com uma grande sala no andar térreo e duas salas no andar de cima.

A Assembleia Geral, em sua primeira reunião em Vandalia, votou que Vandalia permaneceria como Capitólio do Estado por um período de pelo menos 20 anos, começando em 1º de dezembro de 1820.

Em 9 de dezembro de 1823, um incêndio destruiu este primeiro Capitólio de propriedade do Estado. Durante o verão de 1824, um novo prédio foi construído, feito de madeira, a um custo de US $ 15.000. Logo em seguida, iniciou-se a agitação para a remoção da Capital para um local mais próximo ao centro geográfico do Estado. Este sentimento levou a Assembleia Geral a aprovar uma lei em 1833, através da qual os eleitores nas eleições gerais seguintes, poderiam decidir a localização da Capital. Alton foi escolhido, mas a margem era tão estreita que a Assembleia não se sentiu limitada pela escolha do povo, e a Capital nunca foi transferida para Alton.

Os residentes de Vandalia, desejando que o Capitólio permanecesse lá, ergueram um novo edifício em 1836 a um custo de $ 16.000, para servir como um novo Capitólio, e demoliram o antigo. Mas o gesto foi em vão.
Em 25 de fevereiro de 1837, a Assembleia aprovou um projeto de lei determinando que o Capitólio fosse transferido de Vandalia para algum lugar mais próximo do centro do Estado e, três dias depois, 28 de fevereiro de 1837, Springfield foi escolhida como a nova Capital. Por causa do Ato da Assembleia de 1820, Vandalia continuaria como Capital até 1º de dezembro de 1840, mas em 20 de junho de 1839, o governador Thomas Carlin emitiu uma proclamação de que todos os registros do estado deveriam ser transferidos para Springfield até 4 de julho de 1839. No entanto, o Governo do Estado não funcionou de fato em Springfield até dezembro de 1839.
A Décima Primeira Assembleia Geral devolveu o Capitólio de Vandalia ao condado de Fayette e à cidade de Vandalia, e a velha Casa do Estado ainda existe, mas mais uma vez é propriedade do Estado.

A pedra fundamental do quarto capitólio do estado foi lançada em Springfield em 4 de julho de 1837. Depois de muitos atrasos, a construção foi finalmente concluída em 1853 a um custo total de $ 260.000, o dobro da estimativa original.

Illinois continuou a prosperar e a aumentar em população, e logo ficou claro que um Capitólio muito maior seria necessário. O ato de habilitação foi aprovado pela Assembleia em 24 de fevereiro de 1867.

Quando o novo e atual Capitol foi concluído, o antigo Capitol foi transportado para o Condado de Sangamon. Certas alterações foram feitas no prédio, sendo a mais notável a de levantar do chão a maciça estrutura de dois andares e construir sob ela enquanto estava suspensa, o que agora é o andar térreo do prédio de três andares, que agora serve como um tribunal.

O terreno foi iniciado para o atual Capitólio em 11 de março de 1868. O lançamento formal da pedra fundamental ocorreu em 5 de outubro do mesmo ano. Ainda inacabado, o prédio foi ocupado pela primeira vez em 1876. Vinte e um anos depois que o Legislativo autorizou sua construção, o prédio finalmente foi concluído. Originalmente, os custos de construção eram limitados a $ 3.000.000, mas, antes da conclusão, as despesas chegavam a mais de $ 4.500.000.

O edifício tem a forma de uma cruz latina. O comprimento extremo de norte a sul é de 379 pés e de leste a oeste é de 268 pés. Da linha de terra até a ponta do mastro da bandeira, a distância é de 405 pés. A fundação circular sobre a qual repousa a grande cúpula tem 92 1/2 pés de diâmetro e 25 1/2 pés abaixo da linha do gradiente, baseada em rocha sólida.

Springfield Capitol Building
c. 1905

O exterior do edifício é de pedra calcária do Niágara. Os pilares são de granito polido e os pisos, corredores, escadas principais, colunas internas e lambris são de granito e mármore de várias cores, sendo algumas pedras importadas. O teto e as paredes são decorados com pinturas e obras de arte.

Este edifício em Vandalia serviu como Capitólio do Estado e foi o terceiro edifício naquela cidade usado para esse fim. Abraham Lincoln cumpriu seu primeiro mandato na legislatura neste Capitólio. Desde a virada do século, edifícios adicionais foram erguidos no ou próximo ao terreno do capitólio, como segue:
EDIFÍCIO CENTENAL cornerstone lançado em 1918, concluído em 1923. Foi construído para comemorar o 100º aniversário de Illinois como um Estado da União. Custou aproximadamente $ 3.000.000. O prédio abriga: Memorial Hall, onde as bandeiras dos regimentos de Illinois estão embutidas na Biblioteca Estadual e na Biblioteca Histórica Estadual, onde muitas relíquias de Lincoln estão expostas, o Museu do Estado e alguns escritórios do Estado.

CONSTRUÇÃO DE ARQUIVOS ​​concluída em 1938 a um custo de mais de US $ 800.000. It was designed and constructed to house the valuable historic arid semi-current records of the State. It's architecture is unique and although it is seven stories it contains no windows above the third floor. The building is air-conditioned and is as nearly fireproof as modern science can make it. More than 15 miles of steel files are in the building. At the time of construction two buildings of similar design were in the United States.

POWER HOUSE situated north of the Capitol, across Monroe Street, furnishes heat and electricity to the Capitol group of buildings.

NEW ARMORY BUILDING to the east of the Power House, was completed in 1937. Here are housed the military branches of the State and Government. Some offices under the Governor's administration also are housed here.

THE SUPREME COURT BUILDING on Second and Capitol Avenue just east of the Capitol, contains Illinois highest courts, the office of the Attorney General and other judicial offices. The building was dedicated in 1908 and it cost $500,000.
A network of tunnels connect all buildings with the exception of the Supreme Court.
The first tunnel to be constructed is that under Monroe Street, connecting the Power Plant and the Capitol. This tunnel served for many years as a duct for heat pipes and water mains. Ever increasing need for heat and water taxed the tunnel's capacity and in 1931 a new and larger one was constructed. It is more than 500 feet long and "enters" the Capitol under the East wing.
All plumbing excepting the lawn sprinkling water main was transferred to the new tunnel.
The old tunnel seldom is used except for carting freight to and from the Capitol.
When the Centennial Building was erected, a tunnel was constructed to connect the building with the Capitol. This tunnel is more elaborate, it is partitioned down the center. One side houses the plumbing and the other provides an all weather passageway for pedestrians plying between the two buildings.
Because of falling plaster and leaking ceilings, the present Secretary of State reconstructed this tunnel. A leak-proof and soundproof ceiling replaced the old plaster roof and a new modern fluorescent lighting system was installed.
Connecting this main tunnel is still another which provides basement entrance to the Archives building.


1911 May 26 The General Assembly enacted legislation protecting workmen against occupational diseases.
* June 5 By providing a fund for the care of dependent and neglected children, Illinois became the first state to pass state-wide "mother's aid" legislation.
* June 10 The "Starved Rock State Park Bill," providing for a park commission and the acquisition of Starved Rock, became a law. By the end of the year the site of Starved Rock, the first Illinois state park, had been transferred to the State.
* June 10 The General Assembly passed the first workmen's compensation act, providing compensation for death or injury in certain designated industries.

Back to the State Page for Illinois Genealogy Trails
©2007, K. Torp


National Road at Reelsville

1952 USGS topographic map of the Reelsville area.

When the National Road came to Indiana, part of the requirements for the building of the road was that it be in as straight a line a possible connecting Indianapolis to Vandalia, Illinois (then the capital of that state). Southwest of Indianapolis, the terrain got a little rough to be able to maintain a straight line. Especially in Putnam County. But the surveyors did a very good job in keeping it as straight a line as possible.

1864 map of southwestern Putnam County courtesy of the Library Of Congress. The National Road runs through the southern part of Section 19, the center of Sections 20 through 23. The Big Walnut Creek bridge that washed out in 1875 is in the eastern central portion of Section 20.

And so, the National Road chugged along for around four decades. In 1875, a bridge over Big Walnut Creek, southwest of Reelsville was washed out…and not replaced at the time. Since the National Road, at the time, belonged to a private company, they decided to reroute the road through the town of Reelsville. This would solve the connection problem, road wise, between Terre Haute and Indianapolis, but would create a few more while it was at it.

The Terre Haute & Richmond (TH&R) Railroad was chartered on 24 January 1847 to connect the two title cities through Indianapolis. By 1852, the TH&R had built a railroad connecting Terre Haute to Indianapolis. This railroad, near Reelsville, was to the north of Big Walnut Creek from where the National Road was, and connected to the town of Reelsville proper. There was even a station at Reelsville. On 6 March 1865, the Terre Haute & Richmond became the Terre Haute & Indianapolis.

The National Road replacement route took travelers up a long hill into Reelsville. At the town, the new road, which had been in place long before being used as a bypass, followed and crossed the TH&I several times before reconnecting to the original National Road. These railroad crossings were considered some of the worst in the state, especially due to the angle of the crossing.

1912 United States Postal Service map of southwestern Putnam county showing the roads around Reelsville. Notice that the National Road, marked as Mail Road RE 2 east of Reelsville, does continue after turning north to enter Reelsville proper. The old road did still contain houses, even though through traffic had been gone from the route for 37 years.

The Terre Haute & Indianapolis Railroad ceased to exist as a separate entity on 1 January 1905. That was the day that the TH&I, the St. Louis, Vandalia & Terre Haute, the Terre Haute & Logansport, the Logansport & Toledo and the Indianapolis & Vincennes merged to become the Vandalia Railroad Company. Among the items that were taken up by the new Vandalia was the crossings near Reelsville. Money was set aside in 1907 to correct the problem. By the end of 1912 (October to be exact), the Brazil Daily Times was reporting that no such work had been completed to date.

Part of the plan in 1912 was to return the original National Road route to use. According to the same article in the Brazil Daily Times, this would cut 1/2 mile off of the route then in use through Reelsville. And, the railroad crossing situation, with its inherent dangers, would be addressed…and partially eliminated. But, as with other well laid out plans, this did not go to schedule. Em absoluto.

The National Old Trails Road, an Auto Trail that, through Indiana, mostly followed the original National Road used the Reelsville cut off when it was created. The old route was still out of commission at Big Walnut Creek. This situation would not be resolved until after the (second) creation of the Indiana State Highway Commission in 1919. ISHC surveyors were out in the field looking at ways to improve the situation at Reelsville, with the decision made that a bridge would be built in the same location that had been used over 80 years prior when the National Road, now called State Road 3, was built. The new bridge would be a concrete arch facility.

Even then, the new bridge for the National Road would take some time to get started. Over two years, as a matter of fact. Construction started on the replacement of the National Road in January 1922. The winter that year was relatively mild, allowing for construction to start very early in the year. But it was decided that the new route of State Road 3 would skirt the Pennsylvania Lines (the then operators, later owners, of what was the Vandalia Railroad) to the south, bringing the new National Road closer to the Big Walnut Creek.

Even then, the replacement route would only be in place for less than two decades. The Highway Commission made plans to make a true four lane highway across Indiana along what was then the US 40 corridor (which was original State Road 3 until the Great Renumbering of 1 October 1926). The new new road would take a straight course through the area south of Reelsville, the railroad and the old new path of SR 3/US 40. This realignment would occur in 1941.

Editor’s Note: This post took a long time to convince me to write. There are several subjects that I have been avoiding because they are MUCH better covered by others. In this case, my Co-Admin of the Facebook ITH Group, Jim Grey, covered it much better than I ever will. And, generally, he has done a great job covering the entire National Road. His post, “Puzzle solved: The National Road at Pleasant Gardens and Reelsville in Indiana,” served as the spring board for this post. The irony is that some articles that I posted in the ITH Facebook group led to the puzzles being solved for Jim. Such is the way of the world in this field. I recommend checking out Jim’s stuff when you get the chance. He is more of a road trip person, going out to see what’s on the ground. I tend to look more into the documented history of the same scenes.


Pennsy's Vandalia Railroad

There currently exists a Vandalia Railroad. but it is a 3-mile remnant of the IC in Vandalia, IL. If you have read about Vandalia Railroad in some publication, it probably refers to the railroad between St. Louis and Indianapolis that Pennsy absorbed. Fortunately, I found a map (below) because this is one of those railroads that was built from a tangle of incorporations.

In 1847 the Terre Haute & Richmond Railroad was chartered to build across the middle of Indiana. The western part was opened in February 1852. [PastTracker] The TH&R probably carried all the freight to Indianapolis that came up the Wabash River by steamboat. This was probably quite a money maker because we learn from PastTracker that the management lost interest in the eastern part, and it was recharted in 1851 as the Indiana Central. The president, Chauncey Rose, turned his attention to reaching St. Louis. The TH&R worked with various Illinois corporations to get connectivity to the Mississippi River. (In crossing wars, I learned that in the early 1850s laws had yet to be written that allowed railroads to get interstate charters.) While the board of the TH&R fought with the Illinois based railroada, the workers continued to deliver goods between the Mississippi River and Indianapolis. This was especially important when the Civil War broke out because commercial trade on the river stopped. In February 1865, the St. Louis, Vandalia & Terre Haute Railroad was incorporated. There are more details on this new railroad below the first map. In March 1865 the Indiana legislature changed the name of TH&R to reflect the reality of Terre Haute & Indianapolis (TH&I). " On 1 January 1905 it consolidated with the St. Louis, Vandalia & Terre Haute, Terre Haute & Logansport, Logansport & Toledo, and the Indianapolis & Vincennes to form the Vandalia Railroad Company. " [PastTracker]

As early as 1868, the Pennsy was interested in the TH&I. They finally acquired it in 1893, just in time to have it add to its woes in the depression of 1893. By 1904 the laws for interstate incorporation were well established and the Vandalia Railroad was incorporated with all of the properties listed in the map below. [PastTracker] Search the Panhandle page for "Vandalia" and read the rest of that posting to see how the Vandalia Railroad was completely absorbed by the Pennsy by 1956.
See Tom's page for a description of the South Bend end of the Vandalia. There used to be a lot of industry in South Bend --- Singer Sewing Machines, Oliver Chilled Plow Works (which later made tractors), and Studebaker. Even Notre Dame was a source of railroad traffic because of the "Football Specials."


Assista o vídeo: Część 5 Albert Krantz - WANDALIA kronika z 1519 roku - nieznana historia Polaków 528 Hz AUDIOBOOK


Comentários:

  1. Huynh

    Eles estão errados. Precisamos discutir. Escreva para mim em PM, ele fala com você.

  2. Rudd

    Eu asseguro.

  3. Eliaures

    Eu acredito que você estava errado. Tenho certeza. Eu sou capaz de provar isso. Escreva para mim no PM, ele fala com você.

  4. Majin

    Eu pensei e o pensamento me levou

  5. Akijind

    Bravo, parece-me excelente ideia é

  6. Aetheston

    Acho que você não está certo. Vamos discutir isso. Escreva em PM, falaremos.



Escreve uma mensagem