19º Grupo de Bombardeio

19º Grupo de Bombardeio


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

19º Grupo de Bombardeio

História - Livros - Aeronave - Linha do tempo - Comandantes - Bases principais - Unidades de componentes - Atribuído a

História

O 19º Grupo de Bombardeio era um grupo de bombardeiros pesados ​​que foi apanhado na invasão japonesa das Filipinas e Java e fez parte das forças defensivas na Austrália durante 1942. Em seguida, voltou aos Estados Unidos, onde na primavera de 1944 foi reformado como um grupo B-29, retornando ao combate contra o Japão em fevereiro de 1945.

O grupo foi autorizado como um Grupo de Observação em 1927. Foi redesignado como um grupo de bombardeio em 1929, mas não foi realmente ativado até 1932. Tornou-se um Grupo de Bombardeio Pesado em 1939, quando foi equipado com o B-18. Ele se converteu no B-17 Flying Fortress em 1941, dando-lhe um verdadeiro bombardeiro pesado.

Na primavera de 1941, o Air Corps decidiu mover uma força de B-17 para o Havaí. O dia 19 foi escolhido para realizar o vôo de 2.400 milhas e, após preparação cuidadosa em 13-14 de maio, 21 B-17Ds foram transportados de Hamilton Field, Califórnia para Hickham Field, Havaí. Todas as vinte e uma aeronaves chegaram com segurança. Quinze tripulantes do dia 19 permaneceram no Havaí para treinar os novos operadores da aeronave, enquanto o restante navegou de volta para a Califórnia.

Em agosto foi decidido transferir o grupo para as Filipinas. Foi dada prioridade na atribuição de novos B-17s. Os primeiros B-17 a chegar às Filipinas foram transportados do Havaí pelo 14º Esquadrão de Bombardeio no início de setembro de 1941. O 19º voou da Califórnia para o Campo de Hickham entre 16 e 22 de outubro de 1941. O movimento mais complexo do Campo de Hickham para Clark O campo começou em 22 de outubro, e vinte e cinco dos vinte e seis B-17s estavam no local em 6 de novembro (o último seguiu alguns dias depois). Isso deu ao 19º um total de trinta e cinco B-17s.

A mudança fez com que o grupo perdesse um de seus três esquadrões originais - apenas o 30º e o 93º Esquadrões fizeram o movimento. Algumas de suas aeronaves foram usadas para reequipar o 28º Esquadrão de Bombardeio, que já estava nas Filipinas, enquanto o 14º Esquadrão de Bombardeio, que havia permanecido nas ilhas após o primeiro vôo da balsa do Havaí, também se juntou ao grupo.

Em novembro de 1941, estava com o Japão claramente iminente, e acreditava-se que as Filipinas eram seu primeiro alvo. O 19º recebeu a ordem de manter um esquadrão em alerta o tempo todo, pronto para realizar qualquer bombardeio ou missões de reconhecimento que fossem necessárias. A próxima etapa era abrir um campo de aviação mais seguro em Del Monte, fora do alcance dos bombardeiros japoneses baseados em Formosa. Os 14º e 93º Esquadrões mudaram-se para Del Monte em 5 de dezembro de 1941, bem a tempo de evitar os primeiros golpes japoneses. Dezesseis dos trinta e três B-17 disponíveis para o grupo estavam em Del Monte em 8 de dezembro, quando os japoneses atacaram.

O 19 se preparou para lançar um ataque pré-planejado às bases japonesas em Formosa, mas esse ataque nunca foi realizado. Os B-17 foram ordenados a voar, em parte para fazer patrulhas na costa oeste de Luzon e em parte para evitar a destruição no solo. Eles foram então chamados de volta e ordenados a se preparar para um vôo de reconhecimento sobre Formosa, seguido por um possível ataque aéreo. Os japoneses finalmente atacaram Clark Field por volta do meio-dia de 8 de dezembro, e os B-17 foram pegos no chão. Apenas um dos Clark Field B-17 estava no ar e errou o ataque completo. Uma aeronave de Del Monte chegou a Clark a tempo do ataque e foi gravemente danificada no ar, mas conseguiu escapar de volta para Del Monte. Todos os B-17 pegos no chão foram destruídos, reduzindo a força do grupo de 33 para 17 em um único golpe.

Os B-17 restantes fizeram uma tentativa valente de destruir as frotas de invasão japonesas. Em 10 de dezembro, cinco deles participaram de um ataque a uma força japonesa que desembarcou em Vigan, no extremo norte de Luzon, atingindo e danificando vários navios. Uma segunda onda de mais cinco aeronaves foi dividida em três - três atacaram Vigan, um foi enviado contra outra força em Aparri e o quinto foi enviado para procurar um porta-aviões japonês que havia sido reportado ao norte de Luzon. Esta aeronave encontrou um ataque do cruzador pesado Ashigara, e pode ter obtido um único acerto direto. A aeronave foi abatida pouco antes de chegar a Clark Field. Essa foi a última tentativa do grupo de usar o Clark Field como ponto de parada, e a partir do dia 11 as demais aeronaves operaram de Mindanao.

Em 14 de dezembro, seis B-17s foram enviados para atacar uma força japonesa em Legaspi, no sul de Luzon. Três alcançaram o alvo, mas dois deles foram forçados a aterrissar após o ataque. Logo depois disso, foi decidido retirar a aeronave sobrevivente para Darwin, na Austrália. Del Monte não tinha instalações para manter os grandes bombardeiros e estava cada vez mais vulnerável a ataques. O primeiro grande ataque japonês, em 19 de dezembro, não conseguiu destruir nenhum B-17. Entre 17 e 21 de dezembro, quatorze dos B-17 do grupo alcançaram a relativa segurança do campo Batchelor, perto de Darwin.

Este movimento não encerrou a parte do 19 na batalha pelas Filipinas. Em 22 de dezembro, enviou nove B-17 para atacar os navios japoneses no Golfo de Davao, usando Del Monte como ponto de parada. Eles então passaram a noite em Del Monte, antes que quatro realizassem um ataque ao Golfo de Lingayen. Esta segunda missão encontrou resistência japonesa, e os bombardeiros tiveram que fazer seus próprios caminhos de volta à segurança. Notavelmente, todos os nove B-17s estavam de volta a Darwin em 24 de dezembro. No mesmo dia, mais três B-17 atacaram Davao, voltando mais uma vez com segurança (se muito danificado) para Darwin.

O avanço japonês logo ameaçou bloquear a rota da balsa para as Filipinas. Em 30 de dezembro, o grupo mudou-se da Austrália para Java, e em 19-20 de janeiro de 1942, dia 19, tentou uma nova rota, um voo de 1.500 milhas de Malang a Del Monte. Seis das nove aeronaves originais completaram a missão, atacando a navegação japonesa em Jolo no caminho e trazendo 23 dos oficiais do grupo de Del Monte.

Novas aeronaves começaram a chegar em Java. Alguns eram B-17Es, mas outros eram LB-30 Liberators (British Liberator IIs que foram levados de volta pelos EUA depois de Pearl Harbor). O grupo tinha muito poucas tripulações e, portanto, a tripulação teve que ajudar na manutenção de suas aeronaves, uma tarefa dificultada por essa combinação de tipos de aeronaves.

Durante o final de janeiro e no início de fevereiro, o grupo realizou um número significativo de missões na tentativa de defender Java, mas uma vez que o principal ataque japonês naquela ilha começou em 3 de fevereiro, a situação se deteriorou rapidamente. O grupo permaneceu em Java até fevereiro, mas no início de março teve que se retirar para a Austrália pela segunda vez. O grupo recebeu uma Menção de Distinção de Unidade por seu papel na luta em Java e nas Filipinas.

No início de março, o grupo não tinha B-17s operacionais, todas as aeronaves que escaparam de Java precisando de reparos urgentes. No final do mês, as aeronaves e tripulações do 7º Grupo de Bombardeio haviam sido transferidas para o 19º, dando-lhe alguma capacidade de operação.

O grupo participou da Batalha do Mar de Coral (4 a 8 de maio de 1942), voando de reconhecimento em busca da frota japonesa (o grupo também tentou atacar navios de guerra americanos que havia identificado incorretamente como japoneses, felizmente sem sucesso). O grupo também atacou navios de transporte japoneses e forças terrestres durante a invasão de Papua.

Em abril, maio e junho de 1942, o dia 19 realizou dezoito ataques a Rabaul, voando sessenta surtidas. Eles receberam uma segunda Menção de Unidade Distinta por uma série de invasões em 7 e 12 de abril.

Em 6 a 7 de agosto, o capitão Harl Pease Jr recebeu uma medalha de honra póstuma. Um motor de seu B-17 falhou durante uma invasão na Nova Grã-Bretanha. Ele voltou à base, pegou o avião mais útil da aeronave restante e se juntou a um ataque a Rabaul. Ele conseguiu se manter em formação durante o ataque em si, mas sua aeronave ficou para trás no caminho para casa e foi perdida.

Durante 1942, o 435º Esquadrão atuou como uma unidade de reconhecimento, em busca de submarinos japoneses nas águas ao norte da Austrália. Ocasionalmente, também operou em áreas mais distantes e, em junho e julho, realizou importantes missões sobre Guadalcanal.

No verão de 1942, foi decidido mover o 19º de volta aos Estados Unidos para descansar, enquanto ao mesmo tempo os B-17 seriam substituídos pelos B-24 Liberators de maior alcance no Pacífico. O grupo deixou oficialmente a Austrália em outubro de 1942, mas se moveu lentamente pelo Pacífico, realizando algumas últimas missões em seu caminho. Em 9 de dezembro, o grupo chegou oficialmente à sua nova base em Idaho.

O dia 19 passou 1943 e os primeiros meses de 1944 atuando como uma unidade de treinamento de reposição. Em 1º de abril de 1944, o 19º Grupo de Bombardeio original foi desativado no Texas e um novo 19º Grupo de Bombardeio (Muito Pesado) foi ativado no Kansas. O novo grupo passou o resto de 1944 treinando com suas novas Superfortresses B-29, antes de liderar para Guam no início de dezembro. O grupo chegou a Guam em fevereiro.

O 19º juntou-se agora à Vigésima Força Aérea. Sua estreia em combate com o B-29 foi um ataque a um campo de aviação japonês em Rota em 12 de fevereiro, e seu primeiro ataque ao Japão ocorreu durante um grande assalto a Tóquio em 25 de fevereiro. Esta incursão foi realizada para apoiar a Operação Destacamento, a invasão de Iwo Jima. Na época, os B-29 estavam voando em uma mistura de ataques diurnos de alto nível e ataques incendiários noturnos de baixo nível. O mau tempo significou que o ataque do dia 25 foi um ataque incendiário de baixo nível.

Na noite de 9/10 de março de 1945, o grupo participou da primeira de uma série de ataques incendiários noturnos de baixo nível de esforço máximo, destinados a apoiar os desembarques em Okinawa. Este foi um ataque devastador e foi o início de uma série de ataques a alvos em Tóquio, Nagoya, Kobe e Osaka que conquistaram à unidade outro DUC.

Em abril-maio, o grupo concentrou seus esforços nos aeródromos japoneses que estavam sendo usados ​​por aeronaves Kamikaze que atacavam a frota de invasão ao largo de Okinawa.

Outro DUC foi concedido a partir de um único ataque à área industrial de Kobe em 5 de junho de 1945.

Após o fim da luta, o grupo entregou suprimentos aos prisioneiros de guerra aliados e participou de voos de demonstração de força sobre o Japão. Em seguida, tornou-se parte da Força Aérea do Extremo Oriente, lutando na Guerra da Coréia.

Livros

Seguir

Aeronave

1941: Fortaleza Voadora Boeing B-17
1942: Fortaleza voadora Boeing B-17; Liberator LB-30 consolidado; Liberator B-24 consolidado
1944-45: Superfortress Boeing B-29

Linha do tempo

18 de outubro de 1927Autorizado como 19º Grupo de Observação
1929Redesignado como 19º Grupo de Bombardeio
24 de junho de 1932ativado
1939Redesignado como 19º Grupo de Bombardeio (Pesado)

Comandantes (com data de nomeação)

Tenente Coronel Harold M Mc-Clelland: c. 24 de junho de 1932-1934
Col HarveyS Burwell: 1939
Col Eugene L Eubank: 2 de abril de 1940
Maj David R Gibbs: 10 de dezembro de 1941
Maj Emmett O'Donneli Jr: 12 de dezembro de 1941
Tenente Coronel Cecil E Combs, janeiro de 1942
LtCol Kenneth B Hobson: 14 de março de 1942
LtCol James T Connally: 15 de abril de 1942
LtCol Richard N Carmichael, 10 de julho de 1942
Tenente Coronel Felix M Hardison: 1º de janeiro de 1943
LtCol Elbert Helton: 13 de fevereiro de 1943
Col LouieP Turner: 5 de maio de 1943
Tenente Coronel Frank P Sturdivant: 27 de janeiro de 1944
Coronel Bernard TCastor: 11 de fevereiro a 1 de abril de 1944
Maj JosephH Selliken: 28 de abril de 1944
Coronel John G Fowler: 20 de maio de 1944
Tenente Coronel John C Wilson: 29 de maio de 1944
Tenente Coronel Philip L Mathewson: 30 de junho de 1944
Coronel John A Roberts Jr: 16 de julho de 1944
Tenente Coronel George T Chadwell: Set 1945
Col Vincent M Miles Jr, 1 de março de 1946

Bases Principais

Rockwell Field, Califórnia: 24 de junho de 1932
March Field, Califórnia: 25 de outubro de 1935
Albuquerque, NM: 7 de julho a 29 de setembro de 1941
Clark Field, Luzon: 23 de outubro de 1941
Batchelor, Austrália: 24 de dezembro de 1941
Singosari, Java: 30 de dezembro de 1941
Melbourne, Austrália: 2 de março de 1942
Garbutt Field, Austrália: 18 de abril de 1942
Longreach, Austrália: 18 de maio de 1942;
Mareeba, Austrália: 24 de julho a 23 de outubro de 1942;
Pocatello, Idaho: 9 de dezembro de 1942;
Pyote AAB, Tex: 1 de janeiro de 1943 a 1 de abril de 1944
Great BendAAFld, Kan: 1 de abril a 7 de dezembro de 1944
NorthField, Guam: 16 de janeiro de 1945
Kadena, Okinawa: 5 de julho de 1950 a 1 de junho de 1953

Unidades de componente

14º Esquadrão de Bombardeio: 1941-42
23º Esquadrão de Bombardeio: 1935-38
28º Esquadrão de Bombardeio: 1941-44; 1944-53
30th Bombardment Squadron: 1932-44; 1944-53
32º Esquadrão de Bombardeio: 1932-41
93º Esquadrão de Bombardeio: 1939-44, 1944-53
435º (anteriormente 40º) Esquadrão de Bombardeio: 1941-44

Atribuído a

1941-1942: V Comando de Bombardeiro; Quinta Força Aérea

Abril-dezembro de 1944: 314ª Ala de Bombardeio; XXI Comando de Bombardeiro; Segunda Força Aérea (Treinamento nos EUA)
Dezembro de 1944-1946: 314ª Ala de Bombardeio; XXI Comando de Bombardeiro; Vigésima Força Aérea


19º Grupo de Operações

o 19º Grupo de Operações (19 OG) é o componente operacional de vôo da 19ª Asa de Transporte Aéreo da Força Aérea dos Estados Unidos, estacionada na Base Aérea de Little Rock, em Arkansas.

Equipado com o Lockheed C-130 Hercules, o grupo fornece parte da capacidade Global Reach do Air Mobility Command. Os requisitos de tarefas variam desde o fornecimento de ajuda de transporte aéreo humanitário às vítimas de desastres até o lançamento de suprimentos e tropas no centro de operações de contingência em áreas hostis.

O 19 OG é uma das organizações mais antigas da Força Aérea, sendo uma organização sucessora da 19º Grupo de Bombardeio, um dos 15 grupos de combate aéreo originais formados pelo Exército antes da Segunda Guerra Mundial.

Como parte da Força Aérea do Extremo Oriente, a unidade estava estacionada em Clark Field nas Filipinas quando os japoneses atacaram em 8 de dezembro de 1941, sofrendo inúmeras baixas e perdendo a maior parte de suas fortalezas voadoras Boeing B-17 no ataque. Um pequeno número de suas aeronaves escapou para realizar missões de combate nas Índias Orientais Holandesas das Filipinas e em Papua-Nova Guiné durante o início de 1942.

Em março de 1942, o grupo foi restabelecido na Austrália, como parte da Quinta Força Aérea. De bases distantes em Queensland, no Território do Norte e na Austrália Ocidental, o grupo realizou missões em áreas controladas por japoneses na Nova Guiné e nas Índias Orientais Holandesas.

Depois de se mudar para Guam em 1944, o grupo foi reequipado com o Boeing B-29 Superfortress e conduziu seu primeiro ataque com B-29s em 25 de fevereiro de 1945, contra Tóquio.

O grupo conquistou a distinção de ser uma das unidades mais premiadas da Força Aérea. As homenagens à unidade incluem nove Menções de Unidade Presidencial, dois prêmios de Unidade Meritória da Força Aérea, dez prêmios de Unidade de Destaque da Força Aérea, uma Menção de Unidade Presidencial das Filipinas e uma Menção de Unidade Presidencial da República da Coreia.


A 19ª Ala de Bombardeio foi formada em 1948 com recursos do antigo Comando da Base Aérea de Guam do Norte (Provisório). O 19º BW, com o 19º grupo de Bombardeiros como sua unidade operacional de vôo, operou o Andersen AFB e manteve a proficiência nos B-29s. Em maio de 1949, o quartel-general da 20ª Força Aérea mudou-se de Guam para Kadena AB, Okinawa e seu antigo estado-maior foi designado para a 19ª Asa de Bombardeio.

Na Andersen, a ala assumiu a responsabilidade de administrar duas bases ativas e uma semi-ativa, além de uma variedade de instalações de comunicação, meteorologia, radar, resgate e outras unidades, incluindo a Área de Material Aéreo de Marianas, uma unidade do tamanho da asa. Muitas das unidades e instalações foram desativadas em alguns meses.

Em outubro de 1949, a 19a Asa tornou-se novamente subordinada à 20a AF e as unidades restantes nas Ilhas Marianas e Bonin foram transferidas para outras organizações. De 17 de outubro de 1949 a 28 de junho de 1950, a ala continuou o treinamento do B-29, a operação da AFB Anderson e algumas missões de resgate e reconhecimento.

Guerra da Coréia [editar | editar fonte]

Emblema da era da Guerra da Coréia da 19ª Asa de Bombardeio

Quando a Guerra da Coréia estourou no final de junho de 1950, o 19º Grupo de Bombardeio foi imediatamente destacado da Ala para operações de combate em Kadena AB, Okinawa. De Kadena, os esquadrões (28º, 30º 93d) atacaram as forças de invasão norte-coreanas. Primeira unidade do B-29 Superfortress na guerra, o grupo em 28 de junho atacou tanques de armazenamento, pátios de triagem e blindados norte-coreanos. Nos primeiros dois meses, ele voou mais de seiscentas surtidas, apoiando as forças terrestres da ONU bombardeando tropas inimigas, veículos e pontos de comunicação como as pontes do rio Han.

Em Kadena, o grupo estava inicialmente sob o controle operacional da Vigésima Força Aérea, a partir de 8 de julho de 1950, foi agregado ao Comando de Bombardeiro FEAF (Provisório). Muitas das aeronaves pilotadas pelos esquadrões do 19º Grupo de Bombardeios em combate eram B-29s recondicionados, que foram colocados em armazenamento após a Segunda Guerra Mundial e, em seguida, trazidos de volta ao serviço operacional.

No norte, seus alvos incluíam uma refinaria de petróleo e instalações portuárias em Wonsan, uma ponte ferroviária em Pyongyang e o aeródromo de Yonpo. Depois que as forças terrestres das Nações Unidas expulsaram os comunistas da Coreia do Sul, o 19º BG se voltou para objetivos estratégicos na Coreia do Norte, incluindo instalações industriais e hidrelétricas. Também continuou a atacar pontes, pátios de triagem, centros de abastecimento, posições de artilharia e tropas, quartéis, instalações portuárias e campos de aviação.

De acordo com a mudança organizacional dentro do Comando Aéreo Estratégico e mais tarde em toda a Força Aérea, o 19º Grupo de Bombardeiros foi desativado em 1º de junho de 1953 e seus esquadrões designados diretamente para a 19ª Ala de Bombardeios, que mudou seu quartel-general para Kadena.

Guerra Fria [editar | editar fonte]

19º Emblema de Asa de Bombardeio

Em maio de 1954, a asa foi transferida da Força Aérea do Extremo Oriente para a Base Aérea Pinecastle, Flórida e o Comando Aéreo Estratégico, entregando seus B-29 obsoletos e cansados ​​da guerra na Base Aérea Davis-Monthan, Arizona, a caminho.

Substituiu os B-29s movidos a hélice pelos novos bombardeiros B-47E Stratojet de asa aberta em 1954, capazes de voar em altas velocidades subsônicas e projetados principalmente para penetrar no espaço aéreo da União Soviética. Eles foram designados para o 28º, 30º e 93º Esquadrões de Bombardeio.

A asa também ganhou uma unidade de reabastecimento aéreo com o 100º Esquadrão de Reabastecimento Aéreo, que foi anexado à asa de 2 de fevereiro de 1955 até 16 de agosto de 1956. Em fevereiro de 1956, o 19º Esquadrão de Reabastecimento Aéreo foi permanentemente designado para a asa. Ambos pilotavam Stratotankers Boeing KC-97.

No início de 1955, a asa implantada no Sidi Slimane AB, Marrocos francês, janeiro - abril de 1956, e na Base Aérea Ben Guerir, Marrocos, maio - julho de 1957. De julho de 1957 a abril de 1961, a ala manteve uma parte de seus recursos táticos em alerta no exterior. Seus B-47s foram retirados do estoque do SAC a partir de 1960, enviando o último stratojet da asa para a Base Aérea Davis-Monthan em 1961.

O 19 foi transferido para Homestead AFB em 1 de junho de 1956 de Pinecastle. Em Homestead, a ala consistia em um esquadrão na Flórida (28º BS) e quatro esquadrões dispersos geograficamente:

  • 30º Esquadrão de Bombardeio (1956 - 1º de janeiro de 1962, atribuído à ala estratégica 4133d, Base Aérea de Grand Forks, Dakota do Norte)
  • 93d Bombardment Squadron (1956 - 1 de agosto de 1961, atribuído à 4239th Strategic Wing, Kincheloe AFB, Michigan)
  • 525º Esquadrão de Bombardeio (9 de janeiro de 1961 - 15 de março de 1961, atribuído ao 4136º Strageic Wing, Minot AFB, Dakota do Norte)
  • 526º Esquadrão de Bombardeio (9 de janeiro de 1961 - 1º de junho de 1961, atribuído à 4139ª Ala Estratégica, K. I. Sawyer AFB, Michigan)

O Wing foi convertido nas aeronaves B-52H Stratofortress e KC-135 em 1961–1962. No entanto, a maioria de suas aeronaves foram reatribuídas. O SAC estava então no processo de estabelecer Strategic Wings e o 19º perdeu quatro esquadrões para eles. Isso deixou o 19º com um esquadrão de B-52Hs (29º BS). Em Homestead, a ala ganhou o troféu Fairchild na competição de bombardeio e navegação do SAC em 1966.

O 19 foi transferido sem pessoal ou equipamento para Robins AFB, GA, em meados de 1968, absorveu recursos da 465ª Ala de Bombardeio e converteu para o B-52G. Em Robins, o 19º forneceu tripulações B – 52 Arc Light e aeronaves KC – 135 e tripulações de apoio à equipe Yankee, Legião Estrangeira e Força-Tarefa Young Tiger Tanker e equipes para outras organizações do SAC. Na primavera e verão de 1972, todas as aeronaves e tripulações de amp do B-52G designadas para a Asa Estratégica (provisória) em Andersen AFB & amp é a tripulação de aeronaves e amp do KC-135A desdobrada para a 376ª Asa Estratégica, em Kadena AB, Okinawa, envolvido em operações de combate no Sudeste Asiático. Em 1972, a ala implantou praticamente todas as suas aeronaves e tripulações para operações de combate, deixando o quartel-general em Robins com uma equipe mínima. Em novembro de 1973, a ala retornou da implantação e retomou as operações normais. A 19ª Asa de Bombardeio ganhou o Troféu Omaha como a "Asa de destaque no SAC" em 1981.

A 19ª Asa de Bombardeio cessou suas operações, perdendo seus B-52s e foi redesignada como a 19ª Asa de Reabastecimento Aéreo (Pesado) em 1 de outubro de 1983. A 19ª ARW empreendeu missões de reabastecimento aéreo em todo o mundo para várias operações e exercícios e apoiou o Eielson (Alasca) Forças-tarefa de petroleiros de Andersen (Pacífico) e espanholas (europeias). Ele voou em missões de reabastecimento aéreo de apoio às operações de Granada (Operação Urgent Fury), de 23 a 24 de outubro de 1983. A partir de 1984, forneceu duas aeronaves EC-135 e tripulações para apoiar o Comando Central dos Estados Unidos no sudoeste da Ásia.

Com a conversão para aeronave KC-135R, a asa continuou apoiando as Forças-Tarefa de Tanques do Alasca, Pacífico e Pacífico em 1988 e a Força-Tarefa de Tanques do Caribe em março de 1990. Ela voou em missões de reabastecimento aéreo para a invasão do Panamá (Operação Justa Causa), 18 - 21 de dezembro de 1989 e recursos desdobrados para o sudoeste da Ásia, de agosto de 1990 a março de 1991, fornecendo reabastecimento aéreo, carga e apoio de comando, controle e comunicações.

Foi redesignada a 19ª Asa de Reabastecimento Aéreo em 1 de setembro de 1991. O 19º Grupo de Operações foi ativado ao mesmo tempo que o componente de vôo da asa.

Era moderna [editar | editar fonte]

A partir de janeiro de 1992, forneceu um EC-137 e tripulações para apoiar o Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos e, a partir de agosto de 1992, a ala apoiou a Força-Tarefa de Tanques Saudita. Forneceu apoio de reabastecimento aéreo para caças da OTAN na Bósnia em setembro - outubro de 1995. Vários tanques KC-135R foram enviados ao sudoeste da Ásia para apoiar a Operação Southern Watch, janeiro - março de 1996 e para a Turquia para a Operação Provide Comfort, abril - junho de 1996.

Em 1 ° de julho de 1996, a 19ª Ala de Reabastecimento Aéreo foi desativada e suas funções transferidas para o seu grupo de operações, redesignaram o 19º Grupo de Reabastecimento Aéreo.

O 19º Grupo de Reabastecimento Aéreo foi desativado em junho de 2008 como resultado do realinhamento devido ao Realinhamento e Fechamento da Base (BRAC) 2005.

19a Asa de Transporte Aéreo [editar | editar fonte]

O 19º foi reativado na Base Aérea de Little Rock em outubro de 2008 como o 19º Airlift Wing. é também a unidade patrocinadora do Cadet Squadron 19 "Wolverines" na Academia da Força Aérea dos Estados Unidos.

Linhagem [editar | editar fonte]

  • Estabelecido como Asa de bombardeio 19, média, em 10 de agosto de 1948
  • Redesignado: 19ª Asa de Airlift em 18 de setembro de 2008

Atribuições [editar | editar fonte]

    , 1 de junho de 1956
    , 25 de julho de 1968, 2 de julho de 1969, 30 de junho de 1971, 16 de junho de 1988, 1 de setembro de 1991, 1 de julho de 1993 - 1 de julho de 1996.

Componentes [editar | editar fonte]

    : 17 de agosto de 1948 - 1 de junho de 1953 (destacado de 28 de junho de 1950 - 1 de junho de 1953) 1 de setembro de 1991 - 1 de julho de 1996
  • 457 Operações: 1 de julho de 1993 - 1 de outubro de 1994
    : 1 de fevereiro de 1956 - 1 de abril de 1960 (destacado de 1 de fevereiro - 30 de junho de 1956)
  • 21º Portador de tropas: anexado em 12 de janeiro - 1 de fevereiro de 1950: 1 de junho de 1953 - 1 de outubro de 1983: 1 de junho de 1953 - 1 de janeiro de 1962: 1 de junho de 1953 - 1 de agosto de 1961: 1 de outubro de 1983 - 1 de setembro de 1991: anexado em 2 de fevereiro de 1955 - 16 Agosto de 1956: 1 de novembro de 1959 - 1 de abril de 1961: 1 de abril de 1962 - 2 de julho de 1968: 9 de janeiro - 15 de março de 1961: 9 de janeiro - junho de 1961: 1 de novembro de 1958 - 1 de julho de 1961: 25 de julho de 1968 - 1 de setembro de 1991.

Estações [editar | editar fonte]

    , Guam, 17 de agosto de 1948, Okinawa, 1 de junho de 1953 - 28 de maio de 1954, Flórida, 11 de junho de 1954, Flórida, 1 de junho de 1956, Geórgia, 25 de julho de 1968 - 1 de julho de 1996, Arkansas, 1 de outubro de 2008 - presente

Aeronave [editar | editar fonte]

Referências para comandos e unidades principais atribuídas, componentes e estações: Ώ] ΐ] Α]


O 19º Grupo de Observação foi constituído como parte do Corpo Aéreo do Exército dos Estados Unidos em 18 de outubro de 1927, sem pessoal ou equipamento. Em 1929, sua designação de papel foi alterada para 19º Grupo de Bombardeio, e passou a existir com sua ativação em Rockwell Field, Califórnia, em junho de 1932. Dois de seus quatro esquadrões, o 23º e o 72º Esquadrão de Bombardeio, foram destacados permanentemente para serviço em Havaí com o 5º Grupo Composto. Os dois esquadrões em Rockwell, o 30º e o 32º Esquadrões de Bombardeiros, foram equipados com bombardeiros Keystone B-3A.

A unidade realizou missões de treinamento ao longo da costa da Califórnia para defesa costeira entre 1932 e 1935. Em 1 de março de 1935, todas as unidades de combate de aviação da AAC nos Estados Unidos foram reorganizadas no Quartel General da Força Aérea, o primeiro controle centralizado do braço de ataque aéreo dos Estados Unidos. O 19º BG mudou-se para March Field, Califórnia como parte da 1ª Asa, comandado pelo Brig. Gen. Henry H. Arnold.

Em 1940, o grupo foi equipado com o novo B-17B Flying Fortress, a primeira versão de produção do B-17. A unidade fez história na aviação na noite de 13-14 de maio de 1941, quando levaram 21 B-17s da Califórnia ao Havaí para transferi-los para o 11º Grupo de Bombardeios, pousando dentro do cronograma com 30 minutos de intervalo e na ordem em que decolaram . O 19º BG redistribuiu dois esquadrões (o 30º e o 93d) para as Filipinas entre 16 de outubro e 4 de novembro de 1941. Os 26 bombardeiros, viajando individualmente e à noite em sua perna mais longa, voaram uma rota transpacífico de Hamilton Field, Califórnia para Hickam Field, Hawaii Midway Island Ilha Wake Port Moresby, Papua Nova Guiné Darwin, Território do Norte, Austrália e Clark Field, Luzon, a uma distância de mais de 10.000 milhas, quase toda sobre a água. A rota foi iniciada entre 5 e 12 de setembro de 1941 pelo 14º Esquadrão de Bombardeio, que foi incluído como o terceiro esquadrão do grupo após sua chegada. O 28º Esquadrão de Bombardeio, um esquadrão que há muito estava baseado nas Filipinas com o 4º Grupo Composto (sendo desmembrado e dissolvido), mas agora escalado por pilotos recém-saídos do treinamento de vôo, também foi anexado ao grupo como seu quarto esquadrão e começou o treinamento de transição para o B-17. O 19º BG tinha um estoque de 6 B-17C e 29 B-17D, embora um B-17D estivesse fora de serviço durante todo o seu serviço no exterior quando quebrou a cauda em uma colisão com uma aeronave estacionada durante o pouso após seu voo de os Estados Unidos em 12 de setembro.

Segunda Guerra Mundial

Era da Fortaleza Voadora B-17

A unidade estava estacionada em Clark Field como o comando de bombardeiros da Força Aérea do Extremo Oriente quando os japoneses atacaram em 8 de dezembro de 1941, causando inúmeras baixas e destruindo metade de suas aeronaves no ataque. Os esquadrões 14º e 93º, 14 B-17D e dois bombardeiros B-17C, foram enviados para o campo de aviação Del Monte em Mindanao pouco antes do bombardeio do Campo de Clark e escaparam ilesos.

Durante dezembro de 1941, o 19 começou operações de reconhecimento e bombardeio contra navios japoneses e grupos de desembarque até 17 de dezembro, quando precisava de manutenção de depósito, começou a se deslocar para o sul para Darwin. No final do ano, o pessoal de terra juntou-se às unidades de infantaria que defendiam as Filipinas, enquanto o escalão aéreo da Austrália continuava as operações, incluindo o transporte de suprimentos para as Filipinas e a evacuação do pessoal. Em 29 de dezembro, 11 dos sobreviventes avançaram para o campo de aviação Singosari, perto de Malang, Java, para continuar as operações de combate.

O grupo voou B-17s, B-24s e LB-30s de Java contra aeródromos, navios e instalações terrestres inimigas durante a ofensiva japonesa contra as Índias Orientais Holandesas no início de 1942, e foi novamente evacuado em 2 de março para a Austrália. Participou da Batalha do Mar de Coral, em maio de 1942, e atacou alvos de transporte e comunicação do inimigo, bem como concentrações de tropas durante a invasão japonesa de Papua Nova Guiné. O grupo bombardeou aeródromos, instalações terrestres e navios inimigos perto de Rabaul, Nova Grã-Bretanha, em agosto de 1942. O capitão Harl Pease, que estava com o grupo desde o início da guerra, recebeu postumamente a Medalha de Honra por uma missão realizada em 7 de agosto de 1942.

No final de 1942, a USAAF decidiu que mais nenhum B-17 seria enviado ao Pacífico e que as unidades seriam retiradas ou reequipadas no Pacífico em favor do B-24 Liberator de longo alcance. Além disso, as perdas em combate pela Oitava Força Aérea na Europa estavam atingindo tais magnitudes que toda a produção do B-17 era necessária com urgência para substituições e treinamento naquele teatro. O 19º Grupo de Bombardeiros foi retirado da Austrália e retornou à Base Aérea do Exército de Pocatello, Idaho, em dezembro, para ser uma organização de treinamento de substituição para o II Comando de Bombardeiros. No entanto, o clima no noroeste dos Estados Unidos não era favorável para missões de treinamento, e o dia 19 foi transferido para o Pyote Army Airfield, Texas, em janeiro, onde realizou uma missão de treinamento até novembro de 1943.

Era da Superfortress B-29


O grupo ficou praticamente sem tripulação de dezembro de 1943 a 1º de abril de 1944, quando foi desativado. O grupo foi ativado na mesma data no Great Bend Army Airfield em Kansas, no 19º Grupo de Bombardeio (Very Heavy) e começou o treinamento para missões de combate do B-29 Superfortress. Atrasos na produção do B-29 e muitas modificações na nova aeronave levaram a grandes atrasos no treinamento do grupo. A construção dos aeródromos B-29 na cadeia de ilhas das Marianas, consistindo principalmente em Saipan, Tinian e Guam, também atrasou a implantação no Pacífico até que o grupo foi enviado para o novo e maciço Campo do Norte em Guam em 16 de janeiro de 1945. Em Guam o dia 19 foi designado para a 314ª Ala de Bombardeio, XXI Comando de Bombardeiros, Vigésima Força Aérea. As aeronaves do grupo foram identificadas com uma grande caixa preta de 96 polegadas na barbatana da cauda, ​​com um "M" pintado no meio.

Depois de algumas missões de familiaridade e treinamento, o 19 conduziu seu primeiro ataque de bombardeio com B-29 sobre o Japão em 25 de fevereiro de 1945, atacando o nordeste de Tóquio em uma missão de bombardeio de alta altitude. Os resultados do bombardeio, no entanto, foram ruins. Sobre o Japão, os B-29s encontraram a corrente de jato, que era um vento de alta velocidade vindo do oeste a velocidades de até 320 km / h exatamente nas altitudes em que os bombardeiros estavam operando. Isso fez com que as formações de bombardeiros fossem interrompidas e impossibilitou um bombardeio preciso. Outros alvos no Japão foram atacados e os resultados ainda foram decepcionantes. Apenas dez por cento dos danos causados ​​pelas bombas foram realmente dentro das áreas-alvo, e muitos foram perdidos nesses ataques, muitos em acidentes causados ​​por falhas de motor devido ao estresse de voar na corrente de jato.

Preocupado com o relativo fracasso da ofensiva do B-29 em desferir quaisquer golpes paralisantes no Japão, o general LeMay emitiu uma nova diretriz em 19 de fevereiro. O general LeMay havia analisado a estrutura da economia japonesa, que dependia fortemente de indústrias caseiras instaladas em cidades próximas às principais áreas industriais. By destroying these feeder industries, the flow of vital components to the central plants could be slowed, disorganizing production of weapons vital to Japan. He decided to do this by using incendiary bombs rather than purely high-explosive bombs, which would, it was hoped, cause general conflagrations in large cities like Tokyo or Nagoya, spreading to some of the priority targets.

The first raid to use these new techniques was on the night of 9–10 March against Tokyo. Another wing--the 314th Bombardment Wing (19th, 29th, 39th, and 330th BG) commanded by Brig. Gen. Thomas S. Power--had arrived in the Marianas and was stationed at North Field on Guam. A total of 302 B-29s participated in the raid, with 279 arriving over the target. The raid was led by special pathfinder crews who marked central aiming points. It lasted for two hours. The raid was a success beyond General LeMay's wildest expectations. The individual fires caused by the bombs joined to create a general conflagration known as a firestorm. When it was over, sixteen square miles of the center of Tokyo had gone up in flames and nearly 84,000 people had been killed. Fourteen B-29s were lost. The B-29 was finally beginning to have an effect.

By 20 March, XXI Bombardment Corps had run out of incendiaries, forcing a momentary pause. While waiting for new incendiary stocks, LeMay devoted his B-29s to flying tactical missions over the island of Kyushu in support of the invasion of Okinawa. Airfields and support facilities were primary targets. These raids lasted until early May.

By the end of the war in August 1945, the 195h Bombardment group flew 65 raids on the Japanese home islands, bombing strategic targets in Japan, participating in incendiary bomb attacks against Japanese cities, and attacked kamikaze airfields during the invasion of Okinawa in the spring of 1945.

Post/Cold War


In the late 1940s, the 19th conducted sea-search, photographic mapping, and training missions in the western Pacific. It was the only Bombardment Group not in the Strategic Air Command chain of command and, in 1950, the only Bombardment Group permanently stationed outside the continental limits of the United States.

When the Korean War broke out in late June 1950, the 19th Bombardment Group was immediately detached from the Wing for combat operations from Kadena AB, Okinawa. From Kadena, the squadrons (28th, 30th 93d) attacked North Korean invasion forces. The first B-29 Superfortress unit in the war, the group on 28 June attacked North Korean storage tanks, marshalling yards, and armor in the vicinity of Seoul, South Korea. This was the first of just under 650 combat missions during the course of the war. In the first two months of the war, it flew more than six hundred sorties, supporting UN ground forces by bombing enemy troops, vehicles, and such communications points as the Han River bridges.

At Kadena, the group was initially under the operational control of Twentieth Air Force, after 8 July 1950, it was attached to FEAF Bomber Command (Provisional). Many of the aircraft flown by the 19th Bomb Group squadrons in combat were refurbished B-29s that were placed in storage after World War II, then brought back into operational service.

In the north, its targets included an oil refinery and port facilities at Wonsan, a railroad bridge at Pyongyang, and Yonpo Airfield . After United Nations ground forces pushed the communists out of South Korea, the 19th BG turned to strategic objectives in North Korea, including industrial and hydroelectric facilities. It also continued to attack bridges, marshalling yards, supply centers, artillery and troop positions, barracks, port facilities, and airfields.

In accordance with organizational change within the Strategic Air Command and later throughout the entire Air Force, the 19th Bomb Group was inactivated on 1 June 1953 and its squadrons assigned directly to the 19th Bomb Wing as part of the Tri-Deputate organization of the wing, which moved its headquarters to Kadena. In combat over the skies of Korea, there were at least 33 reported aircraft losses in the 19th Bomb Group.

Modern era

Reactivated in 1991 as the 19 Operations Group when the 19 Air Refueling Wing implemented the Objective Wing organization.

From January 1992, it provided an EC-137 and crews to support the United States Special Operations Command, and from August 1992 the wing supported the Saudi Tanker Task Force. It provided air refueling support to NATO fighters in Bosnia in September–October 1995. Several KC-135R tankers deployed to Southwest Asia to support Operation Southern Watch, January–March 1996 and to Turkey for Operation Provide Comfort, April–June 1996.

On 1 July 1996, the 19th Air Refueling Wing was inactivated, and its functions turned over to its operations group, redesignated the 19th Air Refueling Group. The 19th ARG consists of four squadrons: 19th Operations Support Squadron (OSS), 19th Maintenance Squadron (MXS), 19th Aircraft Maintenance Squadron (AMXS), and the 99th Air Refueling Squadron (ARS).

The Black Knights returned to Istres, France, in August 1996 deploying five aircraft and 125 personnel in support of Operation Deny Flight. In December, the group received an inspection from the Air Mobility Command's Quality Air Force Assessment Team. During the inspection, the team found the 19th's leadership, support, and maintenance to be among the best in Air Mobility Command.

Black Knight aircraft and personnel deployed to numerous contingency operations and exercises during 1997 and continued the group's record for success. 1998 proved to be another banner year for the 19th. Most notably, the Black Knights supported Operation Northern Watch, enforcing the United Nation's no-fly zone in northern Iraq Operation Desert Thunder, US action against Iraqi aggression and Operation Constant Vigil , US antidrug operations in the Caribbean. The 99th Air Refueling Squadron was named the Air Force Association's Citation of Honor winner for the unit that contributed most to national defense during 1998. Additionally, the 99th won the coveted General Carl A. Spaatz Trophy for 1998—given annually to the "Best Air Refueling Squadron in the US Air Force."

The 19th was off to another record start in 1999 when it earned a rare, perfect "Outstanding" during its Headquarters, Air Mobility Command Operational Readiness Inspection. Additionally, the 19th had just returned from supporting Operation Deliberate Forge and Operation Allied Force, US support for the NATO's Air War over the Former Republic of Yugoslavia -having deployed over three-fourths of its personnel and aircraft to four forward operating locations throughout Europe.

21st Century

Even after the war, the new millennium brought the 19th many new challenges. The Black Knights, although the last home, were the first to reconstitute its forces and prepare for its role as the first on-call expeditionary force for the Air Force's newest Expeditionary Aerospace Force concept. Furthermore, the recognition continued as the 19th received the AMC nomination for USSTRATCOM's Omaha Trophy for DoD's unit that best supported the Single Integrated Operational Plan. Also, the 99 ARS repeated its role as it won the 1999 Spaatz Trophy as well as the AMC nomination for the Citation of Honor Award the 19 OSS earned the honors of the Best OSS in Twenty-First Air Force and the 19 AGS not only received the Twenty-First Air Force Maintenance Effectiveness Award, but also dominated the 2000 Rodeo Competition as it brought home the "Best KC-135 Maintenance" Trophy. The current 19th Operations Group Commander is Colonel David A. Kasberg.

19th Air Refueling Group

The group's last designation, the 19th Air Refueling Group, stationed at Robins AFB, Georgia provided worldwide in-flight refueling for combat, logistics, and combat support aircraft of the United States and its allies as directed by the Department of Defense.

The 19th Air Refueling Group was inactivated in June 2008 as a result of realignment due to Base Realignment and Closure (BRAC) 2005.

Lineage

  • Authorized as 19th Observation Group on 18 October 1927
  • Activated on 1 April 1944
  • Redesignated: 19th Air Refueling Group, Heavy on 31 July 1985 (Remained inactive)
  • Redesignated: 19th Operations Group on 29 August 1991
  • Redesignated: 19th Operations Group and activated on 1 October 2008

Assignments [ 1 ]

  • IX Corps Area, 24 June 1932
  • 1st Wing (later, 1st Bombardment Wing), 2 March 1935
  • IV Bomber Command, 19 September 1941
  • Far East Air Force (United States), c. 23 October 1941
  • V Bomber Command, 16 November 1941
  • Fifth Air Force, Australia, c. Março de 1942
  • V Bomber Command, September 1942
  • 15th Bombardment Training Wing , 9 December 1942
  • 16th Bombardment Wing , 3 January 1943
  • 46th Bombardment Operational Training Wing, 4 September 1943 – 1 April 1944
  • Second Air Force, 1 April 1944
  • XXI Bomber Command, 14 December 1944
  • 314th Bombardment (later, 314th Composite) Wing, 27 January 1945
  • Twentieth Air Force, 15 May 1946
  • North Army Air Base Command (Provisional), 20 December 1947
  • 19th Bombardment Wing, 17 August 1948 – 1 June 1953
  • 19th Air Refueling Wing, 1 September 1991
  • Twenty-First Air Force, 1 July 1996
  • Eighteenth Air Force, 1 October 2003 – 30 June 2008
  • 19th Airlift Wing, 1 October 2008

Components

World War II/Korean War

  • 14th Bombardment Squadron: attached 2 December 1941-c. 14 March 1942
  • 23d Observation: 24 June 1932 – 12 October 1938 (detached entire period)
  • 28th Bombardment Squadron: 16 November 1941 – 1 April 1944 1 April 1944 – 1 June 1953
  • 30th Observation (later Bombardment) Squadron: 24 June 1932 – 1 April 1944 1 April 1944 – 1 June 1953
  • 32d Observation (later Bombardment) Squadron: 24 June 1932 – 16 December 1941 (detached 22 October-16 December 1941)
  • 40th Reconnaissance (later 435th Bombardment) Squadron: 14 March 1942 – 1 April 1944 (detached c. 17 July-c. 24 September 1942) 1 April-10 May 1944
  • 93d Bombardment Squadron: 20 October 1939 – 1 April 1944 1 April 1944 – 1 June 1953

Modern era

  • 7th Air Refueling Squadron: 1 June 1992 – 1 January 1993
  • 30th Airlift Squadron: . –
  • 52d Airlift Squadron: ? October 2009 –
  • 99th Air Refueling Squadron: 1 September 1991 – 30 June 2008
  • 345th Airlift Squadron : 6 August 2010 –
  • 384th Air Refueling Squadron: 1 June 1992 – 1 January 1994
  • 712th Air Refueling Squadron: 1 April 1994 – 1 July 1996
  • 912th Air Refueling Squadron: 1 September 1991 – 1 April 1994.

Stations

  • Rockwell Field, California, 24 June 1932
  • March Field, California, 25 October 1935
  • Albuquerque Field, New Mexico, 7 June-29 September 1941
  • Clark Field, Philippines, 26 October 1941
  • Batchelor Airfield, Australia, 24 December 1941
  • Singosari Field, Java, 30 December 1941
  • Essendon Airport (Melbourne), Australia, 2 March 1942
  • RAAF Base Townsville, Australia, 18 April 1942
  • Longreach (Torrens Creek) Airport, Australia, 18 May 1942
  • Mareeba Airfield, Australia, 26 July 1942
  • RAAF Base Townsville, Australia, 30 November-2 December 1942
  • Pocatello AAB, Idaho, 9 December 1942
  • Pyote AAB, Texas, 3 January 1943 – 1 April 1944
  • Great Bend AAFld, Kansas, 1 April 1944
  • Dalhart AAFld, Texas, 26 May 1944
  • Great Bend AAFld, Kansas, 23 August 1944
  • Fort Lawton, Washington , 11–19 December 1944
  • North Field (later, North Guam AFB Andersen AFB), Guam, 16 January 1945
  • Kadena AB, Okinawa, 5 July 1950 – 1 June 1953
  • Robins AFB, Georgia, 1 September 1991 – 30 June 2008
  • Little Rock AFB, Arkansas, 1 October 2008–present

Aircraft

  • Keystone B-3, 1932–1935
  • Douglas OA-4 Dolphin , 1932–1935
  • Grumman OA-9 Goose, 1932–1935
  • Martin B-10, 1935–1937
  • Martin B-12, 1935–1937
  • B-18 Bolo, 1937–1940
  • B-17 Flying Fortress, 1940–1944
  • B-24 Liberator, 1942
  • LB-30 Liberator, 1942
  • B-29 Superfortress, 1944–1953
  • KC-135 Stratotanker, 1991–2008
  • Boeing EC-135, 1991–1997
  • Boeing EC-137 Stratoliner , 1991–1994
  • C-130J, C-130E, C-130H-3, 2008–present

19th Bomb Group

Localização. 39° 0.926′ N, 104° 51.31′ W. Marker is in United States Air Force Academy, Colorado, in El Paso County. Marker is in the United States Air Force Academy Cemetery, on Parade Loop west of Stadium Boulevard, on the right when traveling west. Touch for map. Marker is in this post office area: USAF Academy CO 80840, United States of America. Touch for directions.

Other nearby markers. At least 8 other markers are within walking distance of this marker. 20 th Air Force (here, next to this marker) 18th Fighter Group 318th Fighter Group (here, next to this marker) Seventh Fighter Command (here, next to this marker) 499th Bombardment Group (VH) (here, next to this marker) 497th Bombardment Group (VH) (here, next to this marker) 414th Fighter Group 506th Fighter Group (here, next to this marker) 15th Fighter Group 21st Fighter Group

(here, next to this marker) 500th Bombardment Group (VH) (here, next to this marker). Touch for a list and map of all markers in United States Air Force Academy.

More about this marker. Must have a valid ID to enter the USAF Academy grounds.

Also see . . .
1. 19th Bombardment Group Association. Facebook site (Submitted on November 28, 2020, by William Fischer, Jr. of Scranton, Pennsylvania.)

2. 19th Bombardment Group. Army Air Corps Library and Museum entry (Submitted on November 28, 2020, by William Fischer, Jr. of Scranton, Pennsylvania.)

3. 19th Bomb Group personnel listing. 20th Air Force website (Submitted on November 28, 2020, by William Fischer, Jr. of Scranton, Pennsylvania.)


19th Bombardment Group - History

Background
Richard Henry Carmichael was born on April 11, 1913 in Hillsboro, Texas. He graduated San Antonio High School in 1930 and received a congressional appointment to West Point and graduated class of 1936.Commissioned as a 2nd Lieutenant, Carmichael was assigned to the Field Artillery then was transfered to flight school at Randolph Field and received his wings during 1937. Afterwards, he served in a variety of flying assignments based at Hawaii, Fort Douglas and Hamilton Field. During December 1941, he was the Commanding Officer (C. O.) of the 88th Reconnaissance Squadron (88th RS).


Wartime History

On December 6, 1941 Major Carmichael led a ferry flight of thirteen B-17 Flying Fortresses that departed Hamilton Field bound for Hickam Field that arrived in the morning of December 7, 1941 during the first wave of the Japanese surprise attack on Pearl Harbor and Oahu. He landed his B-17 on an emergency field of 1,200' and quickly placed it in a dispersal area. For this General MacArthur awarded him with his first Distinguished Flying Cross (DFC).

On February 11, 1942 Major Richard H. Carmichael led "A flight" of B-17 Flying Fortresses that departed Hickam Field on Oahu a flight across the Pacific bound for Australia. The flight departed Hickam Field and first flew to Christmas Airfield. The next day, they flew eight hours to Canton Airfield, then landed at Nadi Airfield on Fiji and were delayed one day while the loyalties of the Vichy French in New Caledonia were ascertained. Once considered safe, they transited through Plaine Des Gaiacs Airfield, and flew to Australia, arriving at Garbutt Field on February 20, 1942.

In Australia, Carmichael became the Commanding Officer (C. O.) of the 19th Bombardment Group (19th BG). On February 22, 1942 Major Carmichael led the first American bombing missions in the South-West Pacific Area (SWPA) that began with take off from Garbutt Field at Townsville and on February 23, 1943 bombed Japanese shipping in Simpson Harbor near Rabaul. Only five B-17s managed to reach Rabaul, the others aborted. Returning, B-17E 41-2446 force landed in a swamp on the north coast of New Guinea. The rest landed at 7-Mile Drome near Port Moresby to refuel then returned to Garbutt Airfield.

On October 15, 1942 Carmichael participated in an award ceremony at Mareeba Airfield with Major General George C. Kenney (C.O., 5th Air Force), Brigadier General Kenneth N. Walker (C. O. 5th Bomber Command) to award the Distinguished Flying Cross (DFC) to members of the 19th Bombardment Group. The ceremony was documented by LIFE Magazine photographer George Strock.

As commander of the 19th Bomb Group, Colonel Carmichael participated in 25 combat missions against the Japanese. An excerpt from his Distinguished Service Cross (DSC) reads: "Although both his side gunners were killed and his airplane heavily damaged, he continued to press home the attack."

Later, Carmichael became the Commanding Officer (C.O.) of the 20th Air Force, 462nd Bombardment Group equipped with the B-29 Superfortress. On August 20, 1944 Carmichael piloted B-29 Superfortress 42-24474 that took off from Piardoba Airfield on a mission against Yawata. Over the target, this bomber was intercepted by Ki-45 Nick and Ki-84 Frank fighters and was hit by an enemy air-to-air bomb that caused structural damage and a fire. Carmichael ordered the crew to bail out over the western coast between Kyūshū and Iki Island. Eight of the crew were captured and became Prisoners Of War (POW).

Prisoner Of War (POW)
Col. Carmichael was detained at Omori POW Camp in Tokyo until the end of the war. At the end of the war, he was released from Tokyo POW Camp (Shinjuku).

Memorial
Carmichael retired from the U.S. Air Force (USAF) as a Major General. He passed away on April 14, 1983. He is buried at Arlington National Cemetery at section 30, site 874-RH.

Contribute Information
Do you have photos or additional information to add?


Our 100th Bomb Group Foundation Historians are actively working to collect and preserve photographs, documents, stories, and other artifacts related to the Hundredth. If you have any questions, feedback, or information regarding 100th Bomb Group veterans to share with us, please send us an email and we will respond as soon as possible.

Our historical team can be contacted here: This email address is being protected from spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

NEW Wine options (NO Case minimum):

100th BGF Wine ordering site link is https://www.vwecustomlabel.com/100th-bomb-group

A portion of the sales benefits the 100th Bomb Group Foundation.

THE 100th BG FOUNDATION

Reunions

Reunion Information

100th BOMB GROUP FOUNDATION
2021 DALLAS REUNION.
Oct 28-31, 2021

Omni Las Colinas Hotel
221 Las Colinas Blvd E
Irving, TX 75039

Make plans today to join the 100th BGF Dallas Reunion and Symposium! A 100th gathering is a time to share exciting history, renew friendships and form new connections. Our historians and members actively search for and discover missing pieces of group history, and a reunion event is the best place to share all this through our Symposium, presentations, exhibits and more.

Sign up TODAY for both hotel and reunion event (note early registration price):

Low group rate of $139/night for standard guestroom

Reunion registration link:

The Omni Las Colinas is a superior hotel venue with plenty of indoor and outdoor space. Listening to your concerns, we planned a spacious event for attendees. Our Friday museum day allows you to choose coach bus transport or driving a private vehicle. Lunches and dinners are included in your registration, breakfast is optional. While Saturday night’s dinner will be buffet-style, we offer our traditional beef, salmon, chicken and vegetarian options (GF upon request). The Omni is renowned for its quality facility, cuisine and service.

Wednesday Oct. 27

  • 6-8pm Arrive early! Join the optional Early Arrivals Dinner – a “Tex-Mex” Buffet will be enjoyed outdoors on the Omni’s expansive patio

Thursday Oct. 28

  • 8:30am-12:30pm Optional Discover Dallas Tour, professionally-guided tour
  • 12 Noon Reunion begins & historical exhibits open
  • 6:00-8:00pm Welcome Buffet Dinner

Friday Oct. 29

  • All day at Frontiers of Flight Museum – vintage planes, lunch, WASP Symposium and more (bus transport available)
  • 11:30-1:30 Lunch
  • 6:00-8:00pm Texas BBQ Buffet Dinner

Saturday Oct. 30

  • 9:00am 100th BG Foundation General Membership Business Meeting
  • 10:30am An insider’s look at Masters of the Air mini-series production in England bringing the 100th BG to life!
  • 11:30-1:30pm Lunch
  • 1:30pm - Pulitzer Prize-winning author Kevin Maurer introducing his latest book, Damn Lucky, the WWII memoir of 100th BG veteran John “Lucky” Luckadoo. Kevin and Lucky will speak and answer questions.
  • 5:30 Reception
  • 6:30 Banquet Dinner

In addition to our group’s inviting programs and options, the Commemorative Air Force announced it will host its Wings Over Dallas air show the same weekend – join us Thursday through Saturday and then spend Sunday at their event!

Check Back for Updates to the Event Schedule.

Reunion questions? E-mail This email address is being protected from spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Any other questions? E-mail This email address is being protected from spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

©2014 100th Bomb Group Foundation | Site developed by AtNetPlus

100th BG ® is a registered trademark of the the 100th Bomb Group Foundation.
All content, including but not limited to, all textual, image and
graphic content appearing on this site is property of the 100th Bomb Group Foundation.

This website was made possible thanks to generous contributions from 100th Bomb Group Veterans G. Duane "Bud" Vieth and Grant A. Fuller.


19th Bombardment Group - History

The 19th Bomb Group is one of the oldest military organizations, having
served with distinction in two World Wars plus Korea.
It is one of the most decorated units in the Strategic Air Command.
Their motto has always been "A CHECKMATE TO AGGRESSION".
WE will endeavor to cover their performance in the Korean War.

After serving in WW11, the 19th was assigned to Guam in 1945. At that time I was an Aerial Photo Gunner on the RB-29 "Tiger Lil" stationed at Kadena Air Force Base on Okinawa. It was June 26, 1950, and it had just been announced that North Korea had invaded the South. My crew was sitting in the shade under the wing of "Tiger Lil" when a steady stream of B-29's were lined up on final, and pretty soon the airfield was a beehive of activity with trucks delivering 500 pound bombs. I walked over to the plane just parking next to ours, and asked one of the crewmen where they were from. The reply was "we're the 19th from Guam". I asked what they were doing on Okinawa and they said after gassing and loading with bombs they were scheduled for immediate departure for North Korea. Some crews were short as some crewmembers were on leave, and they were asking for volunteers. Within hours I was on my way to Korea with the 19th, my memory is a little vague here but I believe the plane was "ATOMIC TOM". I flew several missions with them and was so impressed with the professionalism of all the crews. My records show Atomic Tom as being the first B-29 to drop bombs on the North. My own group, the 91st Strategic Reconnaissance Squadron, a SAC unit of the 15th Air Force, was immediately committed to action.

General Vandenberg moved the 22nd and 92nd Bomb Groups of the 15th AF to join the 91st SRS and the 19th Bomb Group, forming the Far East Air Forces Bomber Command at Yokota, Japan, under the command of Maj. Gen. Emmett O'Donnell, Jr.

[above] S/sgt Norman Green, B-29 gunner from the 19th Bomb Group demonstrates how he shot down one Mig, and was credited with another "probable"

With the Mig problem increasing, FEAF Bomber Command changed their tactics. They increased the bombing altitude, which of course decreased the accuracy. The 19th was testing the 1000 pound Razon Bomb which could be steered in flight by radio controlled tail fins. The Razon responded to impulses sent by the bombardier. Success was slow to come, supplies were limited, and the bomb was not large enough. To solve this problem the 12,000 Tarzon bomb was tested. Although showing great promise, results were disappointing. In one month eight B-29's were lost and 25 badly damaged. Gen. Stratemeyer once again ordered further reduction in B-29 operations. Finally the Tarzon era ended.

June of 1951 was a black month for Bomber Command as B-29 groups were attacked by 100's of Migs operating from the Antung airfield just across the Yalu. On Oct. 1, 1951, the 91st SRS was ordered to suspend operations in the North Western area. Furthermore the 19th was forced to bomb at night using Shoran Radar techniques. The communist responded by using Radar directed searchlights combined with anti-aircraft fire. Four B-29's of the 19th were illuminated by 24 searchlights and attacked by 12 Migs which shot down two and seriously damaged a third which crashed. That episode plus the continuing aggressiveness of the communist ended the "nighttime protection" for the 29's.

The 19th Bomb Group flew 645 combat missions, dropping over 52,000 tons of bombs during the conflict. They reported 91 airmen lost and 20 aircraft, a very heavy price to pay. They received nine Presidential Unit Citations, and the Republic of Korea Pres. Unit Citation. After spending nine years overseas they were returned to the U.S. and assigned to the Strategic Air Command. o
B-29 was phased out and replaced by the B-47 Stratojet, and finally the B-52. They can be very proud of their service, professionalism, and performance.
As always, they will be "A CHECKMATE TO AGGRESSION"

The Korean conflict had a dramatic effect on the conventional bomber. SAC phased out the B-29 in favor of the B-47. We learned a very difficult lesson, that the manned bomber was soon to become a relic to be read about in Military History Books.


Pictured above: Command Decision Warming up


Pictured above: Command Decision Ready to load

Note: Personal comments concerning performance of the 19th, and aspects of the Korean War are strictly those of Wayland Mayo, who was there. Wayland is the Historian for this web site.


Weapons of Mass Destruction (WMD)

Immediately after the communist invasion of South Korea, the 19th Bombardment Group, Medium moved from Andersen AFB, Guam to Kadena AB, Okinawa. Initially under the operational control of Twentieth AF, after July 8, 1950, it was attached to FEAF Bomber Command (Provisional). The first B-29 unit in the war, the group on June 28 attacked North Korean storage tanks, marshalling yards, and armor. In the first two months, it flew more than six hundred sorties, supporting UN ground forces by bombing enemy troops, vehicles, and such communications points as the Han River bridges.

On June 1, 1953, the 19th Bomb Wing moved on paper from Andersen AB, Guam to Okinawa, absorbing the personnel and equipment of the 19th BG. Until the end of the war, the wing exercised control over the tactical squadrons, which maintained the B-29 interdiction program and provided some close air support for UN ground forces. In the course of the war, the 19th Group and 19th Wing flew almost 650 combat missions.

The B-47 bomber equipped the Strategic Air Command's 19th Bombardment Wing at Homestead Air Force Base, Fla., from December 1958 to February 1961.

By 1964 the 19th Bombardment Wing at Homestead was flying B-52 aircraft. The 19th Bombardment Wing, Heavy moved without personnel or equipment to Robins AFB, GA, on 25 Jul 1968 and absorbed the resources of the 465th Bombardment Wing. It furnished B-52 and KC-135 aircraft and crews to other SAC organizations involved in combat operations in Southeast Asia. The Wing regained KC-135 and B-52 aircraft and crews and resumed normal operations in Nov 1973, winning the Omaha Trophy as the "outstanding wing in SAC" for 1981.

Redesignated an air refueling wing on 1 Oct 1983, the 19th began worldwide aerial refueling missions for various operations and exercises,


USAF Medium Bombardment Organizations in Korea

19th Bombardment Group, Medium
Immediately after the communist invasion of South Korea, the 19th BG moved from Guam to Okinawa. Initially under the operational control of Twentieth AF, after July 8, 1950, it was attached to FEAF Bomber Command (Provisional). The first B-29 unit in the war, the group on June 28 attacked North Korean storage tanks, marshalling yards, and armor. In the first two months, it flew more than six hundred sorties, supporting UN ground forces by bombing enemy troops, vehicles, and such communications points as the Han River bridges. In the north, its targets included an oil refinery and port facilities at Wonsan, a railroad bridge at Pyonyang, and an airfield at Yonpo. After UN ground forces pushed the communists out of South Korea, the 19th BG turned to strategic objectives in North Korea, including industrial and hydroelectric facilities. It also continued to attack bridges, marshalling yards, supply centers, artillery and troop positions, barracks, port facilities, and airfields. It inactivated on June 1, 1953.

28th Bombardment Squadron: -June 1, 1953.
30th Bombardment Squadron: -June 1, 1953.
93rd Bombardment Squadron: -June 1, 1953.

Andersen AFB, Guam, -July 5, 1950 Kadena AB, Okinawa, July 5, 1950-June 1, 1953.

Col. Theodore Q. Graff, -September 26, 1950 Col. Payne Jennings, Jr., September 26, 1950 Col. Donald O. Tower, March 29, 1951 Col. Adam K. Breckenridge, July 26, 1951 Col. Julian M. Bleyer, February 6, 1952 Col. Willard W. Smith, July 8, 1952 Col. Harvey C. Dorney, December 24, 1952-June 1, 1953.

UN Defensive UN Offensive CCF Intervention First UN Counteroffensive CCF Spring Offensive UN Summer-Fall Offensive Second Korean Winter Korea, Summer-Fall 1952 Third Korean Winter Korea, Summer 1953.

Distinguished Unit Citation for actions June 28-September 15, 1950.
Republic of Korea Presidential Unit Citation for period July 7, 1950-[June 1,] 1953.

19th Bombardment Wing, Medium
On June 1, 1953, the 19th BW moved on paper from Andersen AB, Guam to Okinawa, absorbing the personnel and equipment of the 19th BG. Until the end of the war, the wing exercised control over the tactical squadrons, which maintained the B-29 interdiction program and provided some close air support for UN ground forces. In the course of the war, the 19th Group and 19th Wing flew almost 650 combat missions.

28th Bombardment Squadron: June 1, 1953-.
30th Bombardment Squadron: June 1, 1953-.
93rd Bombardment Squadron: June 1, 1953-.

Kadena AB, Okinawa, June 1, 1953-.

Col. Harvey C. Dorney, June 1, 1953-.

Republic of Korea Presidential Unit Citation for period [June 1, 1953]- July 27, 1953.

22nd Bombardment Group, Medium
Detached from the 22nd BW, the 22nd BG deployed its B-29s in early July 1950 from March AFB, California, to Okinawa, where it came under control of FEAF Bomber Command (Provisional). On July 13, the group flew its first mission, against the marshalling yards and oil refinery at Wonsan, North Korea. By October 21, it had amassed fifty-seven missions against the enemy, attacking bridges, factories, industrial targets, troop concentrations, airfields, marshalling yards, communications centers, and port facilities. During four months of combat, the 22nd BG flew 335 sorties with only fourteen aborts and dropped over 6,500 tons of bombs. It redeployed to the United States in late October and November 1950.

2nd Bombardment Squadron: duration.
19th Bombardment Squadron: duration.
33rd Bombardment Squadron: duration.

Kadena AB, Okinawa, early July-October 28, 1950.

Col. James V. Edmundson, duration.

UN Defensive UN Offensive.

92nd Bombardment Group, Medium
In early July 1950, 92nd BG B-29s arrived from the United States at Yokota AB, Japan. By the time the entire group completed its deployment on the July 13, its aircraft had already flown a leaflet mission to Seoul and a combat mission against the Wonsan marshalling yards in North Korea. Under control of the FEAF Bomber Command (Provisional) until October 20, the 92nd bombed factories, refineries, iron works, hydroelectric plants, airfields, bridges, tunnels, troop concentrations, barracks, marshalling yards, road junctions, rail lines, supply dumps, docks, vehicles and other strategic and interdiction targets. The 92nd BG returned to Spokane AFB, Washington in late October and November 1950.

325th Bombardment Squadron: duration.
326th Bombardment Squadron: duration.
327th Bombardment Squadron: duration.

Yokota AB, Japan, mid-July-October 29, 1950.

Col. Claude E. Putnam, Jr., duration.

UN Defensive UN Offensive.

98th Bombardment Group, Medium
The first B-29s and crews of the 98th BG, detached from the 98th BW in Spokane AFB, Washington, arrived at Yokota AB, Japan on August 5, 1950. Two days later, they flew against marshalling yards at Pyongyang, North Korea. The 98th BG engaged primarily in interdiction of enemy communications centers but also supported UN ground forces. Interdiction targets included marshalling yards, oil centers, rail facilities, bridges, roads, troop concentrations, airfields, and military installations. Although not formally inactivated until June 1952, group headquarters became an unmanned unit on April 1, 1951, when control of tactical operations passed to the 98th BW.

343rd Bombardment Squadron: -April 1, 1951.
344th Bombardment Squadron: -April 1, 1951.
345th Bombardment Squadron: -April 1, 1951.

Yokota AB, Japan, c. August 5, 1950-June 16, 1952.

Col. Richard H. Carmichael, -April 1, 1951.

UN Defensive UN Offensive CCF Intervention First UN Counteroffensive.

Republic of Korea Presidential Unit Citation for the period August 7, 1950-March 31, 1951.

98th Bombardment Wing, Medium
On April 1, 1951, the 98th BW deployed "on paper" without personnel or equipment to Yokota AFB, Japan, where it assumed the tactical role of the 98th BG. Interdiction of enemy communications, support of UN ground forces, and propaganda leaflet drops constituted the B-29 wing's missions. In January 1952, to avoid daylight interception by enemy fighters, the 98th BW began to fly night missions almost exclusively. In the spring, its B-29s attacked railway installations and airfields then in the summer industrial targets. The wing's last bombing mission, flown on July 25, 1953, was followed on the last day of the war with a propaganda leaflet drop.

98th Bombardment Group: assigned but not operational, April 1, 1951-June 16, 1952.
343rd Bombardment Squadron: attached April 1, 1951-June 15, 1952, assigned June 16, 1952-.
344th Bombardment Squadron: attached April 1, 1951-June 15, 1952, assigned June 16, 1952-.
345th Bombardment Squadron: attached April 1, 1951-June 15, 1952, assigned June 16, 1952-.

Yokota AB, Japan, April 1, 1951-.

Col. David Wade, April 1, 1951 Col. Edwin F. Harding, Jr., c. September 15, 1951 Col. Lewis A. Curtis, November 1951 Col. Winton R. Close, May 1952 Col. Charles B. Westover, October 26, 1952 Col. Edgar S. Davis, June 17, 1953 Col. George L. Robinson, July 6, 1953-.

First UN Counteroffensive CCF Spring Offensive UN Summer-Fall Offensive Second Korean Winter Korea, Summer-Fall 1952 Third Korean Winter Korea, Summer 1953.

Distinguished Unit Citation for actions December 1, 1952-April 30, 1953.
Republic of Korea Presidential Unit Citation for the period April 1, 1951-July 27, 1953.

307th Bombardment Group, Medium
On August 1, 1950, the 307th BG with its B-29s deployed from MacDill AFB, Florida to Kadena AB, Okinawa. One week later the Superfortresses went into action over Korea. From August through September, they attacked strategic objectives in North Korea, such as the enemy's transportation system and industrial facilities. Following a campaign in November 1950 against bridges over the Yalu River into Manchuria, the B-29s struck interdiction targets, including communications and supply centers, and supported UN ground forces by hitting gun emplacements and troop concentrations. Not officially inactivated until June 1952, the 307th Group became an unmanned organization on February 10, 1951, replaced by the 307th BW.

370th Bombardment Squadron: -February 10, 1951.
371st Bombardment Squadron: -February 10, 1951.
372nd Bombardment Squadron: -February 10, 1951.

Kadena AB, Okinawa, August 8, 1950-June 16, 1952.

Col. John A. Hilger, -February 10, 1951.

UN Defensive UN Offensive CCF Intervention First UN Counteroffensive.

Republic of Korea Presidential Unit Citation for period [August] 1950-[February 9, 1951].

307th Bombardment Wing, Medium
The 307th BW moved without personnel or equipment to Kadena AB, Okinawa, on February 10, 1951 and absorbed the resources of the 307th BG. For the next few months the wing's bombers participated in FEAF's bridge-busting campaign, flying numerous missions against key spans. The 307th BW also helped UN ground forces blunt a communist spring offensive. On May 23, it participated in a tremendous nighttime close air support effort, shredding enemy positions along the entire battlefront with radar-aimed fragmentation bombs. Until the end of the war, it continued attacks against industrial targets, bridges, troop concentrations, airfields, supply dumps, rail yards, enemy frontline positions, and lines of communications. By late 1952, the 307th BW usually flew night shoran missions, with enemy airfields and dams as primary targets. As the truce talks neared conclusion in July 1953, the wing helped spoil an enemy ground offensive, earning a Distinguished Unit Citation. By the end of hostilities, the 307th BW and 307th BG combined had flown over 5,800 combat missions.

307th Bombardment Group: assigned but not operational February 10, 1951-June 16, 1952.
370th Bombardment Squadron: attached February 10, 1951-June 15, 1952, assigned June 16, 1952-.
37st Bombardment Squadron: attached February 10, 1951-June 15, 1952, assigned June 16, 1952-.
372nd Bombardment Squadron: attached February 10, 1951-June 15, 1952, assigned June 16, 1952-.

Kadena AB, Okinawa, February 10, 1951-.

Col. John A. Hilger, February 10, 1951 Col. John M. Reynolds, March 15, 1951 Col. William H. Hanson, August 20, 1951 Col. John C. Jennison, Jr., February 4, 1952 Brig. Gen. Raymond L. Winn, May 8, 1952 Col. Charles S. Overstreet, c. October 1, 1952 Col. Austin J. Russell, December 29, 1952-.

First UN Counteroffensive CCF Spring Offensive UN Summer-Fall Offensive Second Korean Winter Korea, Summer-Fall 1952 Third Korean winter Korea, Summer 1953.

Distinguished Unit Citation for actions July 11-27, 1953.
Republic of Korea Presidential Unit Citation for period February 10, 1951-July 27, 1953.


Assista o vídeo: Bombardeio pesado: diversos sistemas de artilharia são acionados em exercício na Rússia


Comentários:

  1. Malajar

    Notável, a frase muito valiosa

  2. Shaktill

    Eu gosto de seus posts, isso me faz pensar)

  3. Amnchadh

    Você está absolutamente certo. Nele algo também é considerado bom, eu apoio.

  4. Avichai

    Acho que você admite o erro. Eu posso provar.

  5. Tapio

    Não passa de condicionalidade

  6. Paella

    Você não está certo. Eu posso defender a posição. Escreva-me em PM, comunicaremos.



Escreve uma mensagem