Gate Towers, Chang'an

Gate Towers, Chang'an


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Gate Towers, Chang'an - História

Aprenda aqui sobre Xi'an / Chang'an, a maior cidade do mundo durante grande parte do primeiro milênio CE:

    Sua torre do sino marca simbolicamente o início da Rota da Seda

A localização central de Xi'an, onde hoje é a província de Shaanxi, perto da confluência dos rios Wei e Feng, ajuda a explicar por que a área foi o local de várias capitais imperiais importantes por cerca de um milênio de história chinesa. O primeiro império chinês realmente unificado, o de Qin, tinha sua capital logo ao norte da atual cidade de Xi'an. Embora o imperador Qin não tenha conseguido estabelecer uma dinastia duradoura (ele morreu em 210 aC), de certa forma ele é o governante chinês mais conhecido fora da China por causa de seu enorme complexo de tumbas com estátuas de terracota de mais de 8.000 soldados e seus cavalos, espalhados por cerca de 56 quilômetros quadrados. Sua descoberta na década de 1970 foi indiscutivelmente a descoberta arqueológica mais importante do século XX. Apenas uma parte do local foi devidamente escavada e as figuras restauradas. Trabalhos recentes em algumas das outras tumbas imperiais chinesas na área fornecem uma pista tentadora de achados espetaculares que ocorrerão nas próximas décadas.

A dinastia Han sucedeu a Qin, inicialmente escolheu Luoyang ao leste como sua capital, mas então em 202-200 AEC, ao sul da capital Qin, começou a construção de Chang-an, "a primeira grande cidade da história chinesa". Foi sob o imperador Wu Di (141-87 AEC) que as primeiras missões chinesas foram enviadas à Ásia Interior, um evento considerado como o início da Rota da Seda. Ele expandiu substancialmente a capital com a construção de muitos novos palácios, mas a glória de Chang'an chegou ao fim em 24 EC durante os distúrbios relacionados com o colapso da antiga dinastia Han. A cidade foi saqueada e queimada e posteriormente caiu ao status de simplesmente uma cidade provinciana, quando os governantes subsequentes escolheram Luoyang como sua capital. Victor Cunrui Xiong cita (pp. 15-16) um poema escrito no ano 292 evocando a desolação da cidade:

Chang'an reviveu no século IV, mais uma vez a capital, e testemunhou um florescimento cultural em parte graças ao fato de ter se tornado um centro de aprendizagem budista. Vários importantes peregrinos e tradutores budistas residiram ali por volta do início do século V, entre eles Faxian, que viajou para a Índia, e o erudito Kumarajiva. O avivamento chegou ao fim com uma contenda civil, e por mais de um século depois que um exército conquistador tomou a cidade em 417, ela deixou de ser a capital. Um breve renascimento na segunda metade do século VI terminou abruptamente com a ascensão da dinastia Sui em 581, já que o primeiro imperador Sui decidiu construir uma cidade inteiramente nova ao sul de Han Chang'an e na localização exata do Xi'an moderno. De acordo com o Prof. Xiong, a escolha do local e do layout da cidade foi em parte determinada pela adivinhação com referência aos signos astrológicos.

A cidade continuou a ser a principal capital do Império e entrou no período de maior desenvolvimento durante a Dinastia Tang (618-904). "No auge de sua glória em meados do século VIII, Chang'an era a cidade mais populosa, cosmopolita e civilizada do mundo" (Richard B. Mather, prefácio de Xiong, p. Ix), ocupando cerca de 84 m² . km. com cerca de um milhão de habitantes. O poeta Lu Zhaolin forneceu uma descrição vívida de uma procissão imperial pela cidade:

Ela sofreu grandes danos durante a rebelião de An Lushan em meados do século 8, mas mesmo no final do período Tang, quando o império estava em desordem, o "tamanho enorme" da cidade impressionou um visitante árabe. O período Tang foi um dos mais notáveis ​​pelo impacto dos produtos e modas ocidentais na cultura da elite chinesa, e os abundantes mercados da capital desempenharam um papel significativo na disseminação de tais bens. Entre as figuras dominantes, pelo menos sob os primeiros Tang (na verdade, sua presença na China pode ser documentada vários séculos antes disso) estavam os mercadores Soghdianos da região da Ásia Central, que abrange hoje Samarcanda. O poeta Ban Gu evocou as multidões dos mercados:

As imagens mostradas aqui das ruas movimentadas de Xi'an hoje não podem começar a capturar a sensação dos mercados movimentados da capital Tang.

Sob o Tang, a cidade foi um importante centro religioso, não só para o budismo e o taoísmo, mas também para várias religiões que chegaram recentemente à China: zoroastrismo, nestorianismo e maniqueísmo. O mais famoso de todos os peregrinos budistas, Xuanzang, teve que fugir de Chang'an em 629, mas ao retornar em 645 foi saudado por uma multidão enorme. Além do feito notável de sua jornada, sua grande realização foi trazer de volta cópias das escrituras indianas, que passou os dias restantes traduzindo. Um dos poucos edifícios importantes da era Tang que restaram em Xi'an hoje é o Pagode do Grande Ganso Selvagem (Dayan), construído pela primeira vez em 652 no Monastério Daci'en para abrigar a biblioteca que Xuanzang colecionou. A estrutura atual foi reconstruída em 701-704 subindo até seu sétimo andar, que "atrapalha a abóbada do céu azul", um poeta Tang Cen Shen sentiu que era capaz de "contornar os limites do mundo" (Tr. Stephen Owen Xiong, p. 261). (Também é mostrado aqui um pequeno pagode erguido muito mais tarde, no período Ming e localizado perto da entrada sul principal da cidade Ming.) O peregrino japonês Enin estava em Chang'an em 840 e notou que havia monges das "Terras Ocidentais" (aparentemente Índia) em uma das várias centenas de mosteiros lá que ainda não conheciam muito bem o chinês, mas presumivelmente estavam ajudando na explicação das versões em sânscrito dos textos budistas. Mais tarde, ele enumerou os monges do sul da Índia, do norte da Índia, do Ceilão, de Kuchean (Kucha na Bacia de Tarim), coreanos e japoneses entre os estrangeiros na cidade. Enin documentou as cerimônias por ocasião dos festivais budistas, como o oferecimento da relíquia do dente do Buda:

Ele prossegue observando que havia quatro dentes de Buda na cidade, três deles vindos respectivamente da Índia, Khotan e Tibete e o quarto do céu.

A propagação sob o Tang de outras religiões além do budismo pode ser documentada de forma bastante específica. Uma estela (coluna de pedra com inscrição) erguida em 781 relata a introdução do cristianismo nestoriano já em 635 por sacerdotes sírios. Esta famosa estela foi amplamente negligenciada em um campo fora de Xi'an até o início do século XX, quando foi transferida para um local na cidade onde pode ser vista hoje no museu "Floresta de Estela". O texto e as esculturas exibem um curioso sincretismo das tradições cristãs e chinesas. O zoroastrismo recebeu algum ímpeto quando o último dos príncipes sassânidas (iranianos) Firuz se refugiou na China na década de 670, tendo fugido das invasões árabes. O maniqueísmo também estava relacionado com a chegada dos persas à corte Tang já em 694 e realmente floresceu, embora somente após a rebelião de An Lushan em meados do século VIII, quando a dinastia Tang foi salva pelo apoio dos uigures maniqueístas.

Enin foi um dos primeiros a notar como o imperador se voltou violentamente contra os maniqueus quando o império uigur se desintegrou em 840, e ele permaneceu por tempo suficiente em Chang'an para testemunhar o início da severa perseguição ao budismo, que durou de 842-845. O imperador foi persuadido por seus conselheiros confucionistas de que o budismo estava sugando muita riqueza - a situação foi, sem dúvida, agravada por uma sensação de crise crescente à medida que o estado de Tang enfraquecia. As escrituras budistas foram queimadas, monges e freiras foram forçados a abandonar a vida religiosa. Na capital, vários distúrbios eclodiram:

Os dias de glória de Chang'an estavam contados.


Com o colapso do Tang no início do século X, Chang'an decaiu rapidamente. No entanto, continuou a desempenhar um papel no comércio ocidental e experimentou um renascimento sob os Ming no início do século XIV. As fortificações que tanto impressionam o visitante hoje datam do período Ming. Aqui vemos o Portão Leste, como parecia há quase um século, e uma fotografia recente do portão sul (Nan Men), construído em 1370-1373, com um templo posterior em cima dele. Se olharmos ao longo da parede do templo, as fortificações são tão vastas que desaparecem na distância. Quase um século atrás, a Torre do Sino (Zong Lou) localizada na interseção das principais ruas norte-sul na parte murada da cidade realmente se destacava acima das casas vizinhas, hoje é quase invisível à distância, diminuída por história de edifícios modernos. A torre do sino foi construída em 1384 (e depois reconstruída várias vezes a partir do século XVI).

Sem dúvida, foi no período Ming que a grande comunidade muçulmana em Chang'an realmente se enraizou e seus membros se tornaram em grande parte sinicizados. Os mercadores muçulmanos chegaram à China muito antes por via marítima através dos portos da costa do Sul da China e da Ásia Central, mas foram obrigados a viver em comunidades fechadas que as autoridades chinesas mantinham em grande parte isoladas da interação cultural séria com os chineses. Sabemos que por volta do século dezesseis, no entanto, muitos dos muçulmanos chineses aparentemente sabiam pouco árabe ou persa, pois haviam se tornado assimilados. Embora se afirme que a Grande Mesquita de Chang'an (Qingzhen Dasi) foi construída pela primeira vez em 742, há algumas dúvidas se ela ou quaisquer outras mesquitas nas cidades chinesas estão em algum lugar perto desse início. Os edifícios que vemos hoje na mesquita datam do final do período Ming. Por exemplo, seu portão de entrada foi erguido em 1600-1629. Em seu arranjo de pátios e arquitetura de estilo puramente chinês, a mesquita é uma evidência visual do grau em que havia um sincretismo do Islã e pelo menos algumas das coisas externas da cultura chinesa. A inscrição no "Pavilhão de Deus Único" é a declaração de fé muçulmana "Deus é Um", traduzida em caracteres chineses. A mesquita como a vemos hoje está localizada em um bairro muçulmano de Xi'an, não muito longe da localização do mercado ocidental, cujos mercadores desempenharam um papel importante no comércio contínuo dos tempos Ming e Qing através do corredor Hexi para as Terras Ocidentais - isso é ao longo da clássica Rota da Seda para a Ásia Interior.

Muito do material aqui foi retirado de Victor Cunrui Xiong, Sui-Tang Chang'an: um estudo da história urbana da China medieval (Ann Arbor: Center for Chinese Studies, The University of Michigan, 2000), que é o único trabalho substancial na cidade disponível em inglês. Quem deseja informações sobre as espetaculares descobertas arqueológicas da região, a começar pelo exército de terracota, pode encontrar diversos artigos em Geografia nacional. O fascinante relato de Enin foi traduzido por Edwin O. Reischauer: Diário de Ennin: o registro de uma peregrinação à China em busca da lei (NY: Ronald, 1955). A melhor fonte de informações sobre os exóticos importados pela China sob o Tang é Edward H. Schafer, Os pêssegos dourados de Samarcanda: um estudo dos exóticos de T'ang (Berkeley, etc .: UCalif. Pr. PB, 1985). Uma excelente visão geral do início da história do Islã na China está em Jonathan N. Lipman, Estranhos familiares: uma história de muçulmanos no noroeste da China (Seattle London: Univ. Of Washington Pr., 1997), Ch.2. As fotos antigas de Chang-an e da estela nestoriana são de Frits Holm, Minha aventura nestoriana na China (Nova York, etc .: Revell, 1923) Uma tradução do texto da estela está disponível aqui e há discussões úteis sobre Nestorianismo na China por Fred Aprim e Emmanual Tamras Frits Holm, O Monumento Nestoriano: Um Registro Antigo do Cristianismo na China (Chicago: Open Court, 1909). O mapa das várias localidades de Xi'an / Chang'an é baseado em Xiong o mapa de Xi'an e seus monumentos hoje é baseado em um dos melhores guias para turistas interessados ​​em nosso assunto, Peter Neville-Hadley, China e as Rotas da Seda (Londres: Cadogan, 1997).


Construindo a Casa da Corte do Imperador

Em 202 aC, a Dinastia Han foi estabelecida e, dois anos depois, seu fundador, o imperador Gaozu de Han, encomendou a construção de um complexo imperial. Esta tarefa monumental foi supervisionada pelo chanceler, Xiao He. O complexo do palácio deveria servir como o local onde o imperador realizava sua corte. Antes disso, a corte do imperador se reunia no Palácio de Changle, que foi construído sobre as ruínas de um antigo palácio de prazer "independente" de Qin chamado Palácio Xingle. Depois que o imperador mudou sua corte para o palácio Weiyang, o palácio Changle foi convertido na residência da imperatriz viúva.

Embora a Dinastia Han tenha terminado em 220 DC, Weiyang continuou a ser usada por várias dinastias imperiais diferentes. Por exemplo, a Dinastia Jin Ocidental, que teve sua capital em Chang'an entre 312 e 316 DC, utilizou este complexo de palácio. Durante o período subsequente das Dinastias do Norte e do Sul, Chang'an serviu como capital de vários estados diferentes, o que significa que o palácio também foi usado durante este período. Chang'an continuou a ser a capital do Império Chinês durante a Dinastia Tang, no entanto, foi durante este período que o Palácio Weiyang perdeu sua importância e uso. Isso ocorreu porque os imperadores Tang começaram a construir novos palácios para si próprios.

Ilustração da Dinastia Qing do Palácio Weiyang e do Palácio Changle. ( Domínio público )


Torre Tiananmen (Portão da Paz Celestial)

Situada na junção onde o eixo central de Pequim e a Avenida Chang & # 39an se encontram, no extremo norte da Praça Tiananmen, a Torre Tian & # 39anmen (Portão da Paz Celestial) é o símbolo da China moderna e aparece no emblema do Povo & # 39s República da China. Serviu como portaria das Dinastias Ming e Qing.

O edifício tem 66 metros de comprimento, 37 metros de largura e 32 metros de altura. É composto por uma plataforma e uma torre. A torre fica na plataforma com cinco passagens em arco. Como a maior das cinco, a arcada central é usada como passagem específica para os imperadores Ming e Qing, enquanto as laterais são menores e usadas como passagem para ministros e oficiais.

Acima do arco está pendurado um grande retrato de Maozedong, nos lados leste e oeste dos quais estão dois cartazes gigantes, o da esquerda lendo: & quotViva o povo & quot; República da China & quot; enquanto o da direita está lendo: & quotViva a Grande Unidade dos Povos do mundo. ”Em frente à Torre Tiananmen está uma ponte de água dourada, acima da qual se estende por 7 pontes de mármore branco com entalhes finos. Da mesma forma que os portais em arco, a ponte central como a mais larga foi reservada para o imperador. Em frente ao portal do arco central estão duas colunas de pedra, chamadas huabiao, cada uma pesando 10 toneladas e atingindo cerca de 10m. As duas colunas são esculpidas com desenho de dragão e têm um animal & quotWangtianhou & quot no topo como decoração. Do lado de fora do portão, há dois leões e mais dois guardando as pontes. Acredita-se que os leões protegem os humanos dos espíritos malignos na cultura chinesa. Ao sul de Tiananmen estende-se a Rua No. 1 de Pequim, a Rua Chang & # 39an, mais ao sul da qual está a maior praça do mundo, a Praça Tiananmen. A torre assente na plataforma é uma estrutura com telhado de beiral duplo e telhas de vidro amarelo. É constituída por 9 baías de largura e 5 baías de profundidade, o que indica a supremacia do imperador.


Muralha da Cidade Antiga

Situada em meio a uma miríade de edifícios modernos, a muralha da cidade da dinastia Ming mais integrada e mais bem preservada da China há muito é um marco amplamente admirado pelos visitantes de Xian. Aqui, apresentamos uma rota de caminhada ao longo da parede que irá ensiná-lo sobre a guerra, a construção de cidades e as artes arquitetônicas dos tempos antigos. E também será divertido!


portão sul


Performance no South Gate

No caminho para o oeste, você pode notar que há muralhas que se estendem da parede principal. As muralhas foram originalmente construídas a cada 120 metros com um edifício de sentinela no topo para atirar em qualquer atacante que escalasse a parede. Esse intervalo não foi decidido por acidente, mas pelo fato de que a metade da distância entre duas muralhas era o alcance efetivo de armas antigas como o arco, a flecha e a besta. Depois de caminhar cerca de 1.050 metros, você chegará ao Portão Zhu Que. Como uma das quatro criaturas divinas da China antiga, Zhu Que (tentilhão rosa) simboliza a direção sul e a estação do verão. Portanto, o Portão Zhu Que era o portão sul da muralha original da cidade nas dinastias Sui e Tang, e os imperadores geralmente realizavam cerimônias importantes aqui. Em 645AD, quando o renomado monge Xuan Zang retornou a Chang'an (o antigo nome de Xian) de sua árdua jornada de dezessete anos para a Índia através da antiga Rota da Seda, ele foi calorosamente saudado no Portão de Zhu Que pelo chanceler, Fang Xuanling e outros altos funcionários que foram instruídos a representar o imperador Taizong da dinastia Tang. De acordo com materiais históricos, a primeira corte imperial do Japão em Nara foi modelada após a cidade de Chang'an, e tinha uma réplica do Portão Zhu Que como entrada principal, então pode-se imaginar como o portão já foi famoso e grandioso. O Portão Zhu Que original foi destruído durante uma batalha no final da dinastia Tang. O atual foi construído na década de 1980 muito próximo às ruínas do original e é de grande importância histórica. Agora é uma importante porta de entrada e saída do centro da cidade.

Mais a oeste do Portão Zhu Que, você pode ver o Portão Wumu, comumente conhecido como o Portão Sul Pequeno. Foi inaugurado em 1939 para homenagear o Sr. Jin Wumu, um dos primeiros membros proeminentes da Tongmenhui (Liga Revolucionária Chinesa) que morreu como mártir durante a revolução burguesa de 1917. Se você caminhar ao longo do muro pela manhã, poderá ver cedo mercado matinal, parte indispensável do dia a dia da população local.

Nos próximos metros caminhando até o canto sudoeste da muralha da cidade, você passará pelo Portão Han Guang, que é o local mais bem preservado da capital Chang'an durante as dinastias Sui e Tang (581 - 907). Aqui, você pode descer até o Museu Han Guang Gate para explorar uma série de relíquias, a estrutura interna e a história da muralha da cidade. Você também pode fazer uma visita paralela ao primeiro museu temático da China, com foco em caligrafia, localizado nas proximidades. Nenhum dos dois museus exige uma taxa de admissão extra.


População local dançando no City Wall Park


Crianças jogando tênis de mesa no City Wall Park

Ao passar ao longo da muralha da cidade, você pode ver um cinturão de parques recreativos em sua orla externa. Esse cinturão é chamado de Parque da Volta à Cidade. De todos esses parques, o West Park é o maior e se estende por mais de 3 quilômetros, do canto sudoeste da muralha da cidade até o canto noroeste. É aberto ao público gratuitamente e possui equipamentos de ginástica, lazer, árvores exuberantes, amplos gramados e edifícios de estilo antigo. Aqui você pode observar o dia a dia dos habitantes locais fazendo exercícios matinais, passeando com seus pássaros de estimação, jogando tênis de mesa, cantando a ópera Shaanxi ou simplesmente tomando sol.

Caminhando para o norte por cerca de 850 metros a partir do canto sudoeste, você chegará ao Portão Oeste. No passado, era chamado de An Ding Gate, o que significa que a fronteira oeste é harmoniosa e pacífica. Estabelecido em 1374-1378 durante a Dinastia Ming, o Portão Oeste tem todas as três torres de seus portões, Zhalou, Jianlou (torre em flecha) e Zhenglou, em um estado bem preservado. Com janelas quadradas (nomeadamente buracos de flechas) na frente e em ambos os lados, a torre Jianlou, localizada entre a torre Zhalou e a torre Zhenglou, formou outra importante linha de defesa para guardar o portão da cidade. A leste da torre Zhenglou, você pode ver uma série de edifícios em estilo Tang se estendendo à sua frente até a Torre do Tambor e a Torre do Sino. Há um mirante ao norte da torre para que os visitantes possam apreciar melhor a imponente muralha.

A próxima parada do itinerário de sua excursão pela Muralha da Cidade de Xian é o Portão Yu Xiang, que fica a cerca de 1260 metros ao norte do Portão Oeste. Em 1926, a cidade de Xian foi sitiada pelo senhor da guerra Liu Zhenghua por mais de oito meses, durante os quais muitos civis e soldados morreram na luta e devido a doenças e fome. A cidade não foi salva até que o general Feng Yuxiang e seu exército nacional revolucionário derrotaram Liu Zhenghua. Em 1928, este portão foi aberto em memória do General Feng Yuxiang. Uma série de esculturas da cidade e a missão diplomática de Zhang Qian e # 39s nas regiões ocidentais fica na praça em frente ao portão de Yu Xiang. Dentro do portão fica a Lianhu Road, uma das artérias de tráfego leste-oeste mais movimentadas.


Na muralha da cidade


Portão norte

Depois de caminhar para o leste por cerca de 700 metros, você chegará ao Shang Wu Gate (Small North Gate). Dentro do portão existe uma rua chamada Xiwuyuan, que, como o nome indica, foi um lugar no passado para a prática de artes marciais. Os exames militares de Shaanxi e de Kung Fu foram realizados em Xiwuyuan durante as dinastias Sui e Dang. Foi também o local de desfile de treinamento militar durante a dinastia Qing.

Se você caminhar para o leste por 1440 metros, poderá ver o Portão Norte. Também chamado de Portão Yuan, implicava que a corte imperial esperava que todas as suas abordagens conciliatórias em relação às minorias na fronteira norte levassem à paz. Quando a Revolução de 1911 estourou, as torres originais do Portão Norte, onde o Exército Qing tinha munição armazenada, foram destruídas no combate pesado. O atual portão foi restaurado em 1983, e possui algumas relíquias culturais e obras de caligrafia e pintura em exposição na torre de flechas. Você pode se sentir orgulhoso de saber que metade da distância de sua caminhada pela muralha da cidade foi concluída.

Nos próximos 2.300 metros caminhando para o leste até o canto nordeste, você passará pelo Portão Shang De, Portão Jie Fang, Portão Shang Jian e Portão Shang Qin. Esses quatro portões são artérias de tráfego movimentado que levam à estação ferroviária de Xi'an. O Shang De Gate, o Shang Jian Gate e o Shang Qing Gate foram todos abertos após a fundação da nova China. Junto com o Shang Wu Gate, todos eles evidenciam as virtudes da ética confucionista. O Portão Jie Fang original foi aberto durante o Período da República e demolido em 1952 para expandir a praça da ferrovia. O atual reconstruído juntou toda a parede em 2005.

Em seguida, você chegará ao Portão de Chao Yang caminhando cerca de 780 metros, após dobrar a esquina. Voltado para o sol, este portão é o primeiro que os raios de sol beijam todos os dias, daí o seu nome.

É o Portão Zhong Shan (Pequeno Portão Leste) que fica 820 metros ao sul do Portão Chao Yang. A abertura desse portão foi patrocinada pelo General Feng Yuxiang em homenagem ao Dr. Sun Yat Sen, o maior precursor revolucionário da China moderna. Dentro do Portão de Zhong Shan, há um próspero mercado de antiguidades. Você pode descer da parede e terminar a caminhada a partir deste portão se estiver interessado em explorar ou coletar antiguidades.


Mercado matinal ao longo da antiga muralha


Antigas defesas na parede

Você verá o Portão Leste depois de caminhar para o sul por 700 metros. É chamado de Chang Le Gate (alegria eterna) desde a dinastia Ming. Como Nanjing, a capital Ming, ficava a leste de Xian, este portão foi nomeado para proclamar o desejo de que os imperadores Ming desejassem que seu governo durasse para sempre à vontade. Em outubro de 1643, Li Zicheng liderou sua força de rebelião camponesa e invadiu o interior da cidade a partir deste portão. Quando ele viu a placa horizontal no portão, ele disse ao seu exército 'que vida miserável para as pessoas se o imperador quer a alegria eterna', então eles indignados queimaram o portão. Foi reconstruído durante a dinastia Qing, e hoje você pode ver antigas defesas como canhões e balistas aqui.

Caminhando os próximos 1.020 metros, você contornará o canto sudeste da parede e se moverá para oeste para chegar ao Portão Jian Guo, que foi aberto para marcar aquele grande evento histórico, a fundação da RPC.

Enquanto aprecia a vista da cidade, você verá o Portão He Ping. O nome mostrou o profundo desejo de paz do povo chinês, cansado da guerra, nos primeiros anos após a libertação. Olhando para o sul até o final da rua, o Big Wild Goose Pagoda é visível.

A próxima parada, Wen Chang Gate, fica a cerca de 640 metros no seu caminho para o oeste. Há uma torre em homenagem ao deus da literatura, única construção que nada tem a ver com defesa militar. Diz a lenda que estudiosos e estudantes adoravam o deus da literatura em busca de inspiração e ajuda acadêmica antes dos exames. Os antigos acreditavam que, se o nome de alguém pudesse ser escolhido pelo deus da literatura, ele seria aprovado nos três exames imperiais e se tornaria o principal candidato. Descendo do Portão de Wen Chang e caminhando por dentro dele por um curto período, você encontrará o Museu da Floresta de Pedra e o local de Guanzhong Shuyuan (a Academia Central de Shaanxi e ndash a mais alta instituição educacional da província de Shaanxi durante as dinastias Ming e Qing ) A leste do Museu da Floresta de Pedra Steles, há uma rua cultural antiga de 570 metros de comprimento, que é chamada de Shuyuanmen por causa do Guanzhong Shuyuan. Essas lojas vendem muita caligrafia, pinturas, pincéis, bastões de tinta, papéis e placas de tinta tornando esta rua muito culturalmente ativa.


Pedalar na muralha da cidade


Antiga Rua Cultural de Shuyuanmen

Excursão de dia em grupo Xian Mini: Exército de Terracota - Pagode do Pequeno Ganso Selvagem - Muralha da Cidade - Bazar Muçulmano

Tour Privado de Um Dia em Xian: Exército de Terracota - Pagode do Pequeno Ganso Selvagem - Muralha da Cidade


Localização de Zhongnanhai

O endereço do Portão de Xinhua de Zhongnanhai é No.174, Avenida Chang & # 39an, Distrito de Xicheng, a cerca de 500 metros (540 jardas) a oeste da Praça Tiananmen.

Da área de Xidan à Torre Tiananmen (Portão da Paz Celestial), ao longo do lado norte da Avenida Chang & # 39an, há uma parede vermelha que se estende por centenas de metros. Com a decoração de árvores verdes e lanternas vermelhas, a parede vermelha carrega um forte sentido de história. Os turistas costumam tirar fotos aqui, pois atrás da parede está o famoso Zhongnanhai.

O Portão Xinhua, de frente para a Avenida Chang & # 39an, é o portão sul e principal de Zhongnaihai. A bandeira nacional da China está tremulando no ar acima do portão. Em ambos os lados do portão, há duas grandes placas - a da esquerda diz & lsquoLong Viva o Partido Comunista da China & rsquo, enquanto a da direita lê & lsquoLong Viva o Invencível Pensamento de Mao Zedong & rsquo. Dentro do portão, há uma parede de tela com o slogan & lsquoServe the People & rsquo do presidente Mao.


Solivagant

Examinando a lista de 33 locais incluídos nesta nomeação, começa-se no Oriente com outros razoavelmente conhecidos em Xian - os Pagodes do Ganso Selvagem e depois em 2 WHS existentes em Longmen e Mogao e, finalmente, na própria área de Tienshan, após o que esta parte de a Rota da Seda foi nomeada. E há um neste grupo que eu reconheci - Burana no Quirguistão!

Visitamos este local em 2004. Ele está situado a cerca de 70 km a leste da capital Bishkek, na estrada para o Lago Issyk Kul. Agora. O Quirguistão é um lugar a se visitar principalmente por suas montanhas e (pelo menos naquela época) os vestígios de suas tradições nômades - um dos destaques de nossa visita foi ouvir um Manaschi entoando o poema épico mais longo do mundo (não a coisa toda, felizmente, enquanto se estende para meio milhão de linhas!). Os principais locais históricos não são o ponto forte do país. Burana foi uma visita "parada", portanto, tanto para interromper a viagem matinal para Issyk Kul quanto para ver algo "notável".

E, com toda a honestidade, o que está em exibição não é tão bom - os restos atarracados de um minarete uma vez muito mais alto agora chamado de "Torre de Burana" contra um fundo de montanha atraente (foto). Construído em tijolo, foi amplamente restaurado, mesmo em sua altura reduzida. Fiquei interessado em observar que a avaliação do AB declara “Pequenos reparos no minarete em Burana foram realizados na década de 1970 com cimento. As autoridades locais estão agora trabalhando para pesquisar materiais de reparo adequados, semelhantes aos originais, a fim de reverter este trabalho ”. Além de alguns montes, trata-se de tudo o que resta acima do solo "a cidade de Balasagun (local de Burana), a capital do Kaganate oriental do estado islâmico turco, é uma cidade islâmica medieval planejada do século 10 a 14 com um minarete de 24 metros de altura ”. (AB). O AB também afirma que quaisquer escavações da própria cidade foram preenchidas e, certamente, quando estávamos lá, não tínhamos noção do que mais estava lá além do minarete em ruínas. Minha memória de outros vestígios existentes é exclusivamente de uma coleção bastante agradável de “Balbals” - lápides antropomórficas do Quirguistão. Embora a AB informe que há um museu no local e uma boa variedade de painéis informativos, nenhum deles estava presente em 2004. Subimos a torre por sua escada interna em espiral e apreciamos a vista das montanhas e da agricultura neste fértil Valley e então saiu para encontrar e conversar com alguns fazendeiros quirguizes que estavam usando seus atraentes chapéus de feltro - e foi isso! Mas com o WHS você nunca pode ter certeza. Quem poderia imaginar que, 10 anos depois, este site seria considerado como possuindo VUE.

Como a entrada da Lista T original para este site será substituída nas páginas da UNESCO na Web assim que o site for inscrito, pode valer a pena comentar sobre as diferenças entre ele e os sites no Quirguistão revisados ​​pelo ICOMOS como parte da Rota da Seda de Tien Shan ”. A Lista T contém 6 grupos de sites. Um, intitulado “Monumentos Nômades de Inner Tien Shan”, contém Tash Rabat revisado por Jorge Sanchez abaixo, junto com Koshoi-Korgon, Manakeldy, Shyrdakbek e Kochkor. Outros são "Locais do Sul Issyk Kul" (Barskoon), "Locais medievais no Vale do Alto Chui: Navikat (Krasnaya Rechka), Suyab (Ak Beshim) e Balasagyn (Burana)", "Ambiente Cultural de Manas Ordo" (o mausoléu que se acredita conter os restos mortais do herói quirguiz Manas - sobre quem os Manaschi cantam), “Paisagem Cultural de Safid Bulan” (mausoléu de Shakh Fazil) e “Locais de Uzgen e Shorobashat”. Mas, de todos estes, apenas 3 sites do Vale do Alto Chui chegaram à nomeação final - obviamente os outros não foram considerados relevantes para um site “Rota da Seda”. Será interessante ver se o Quirguistão colocará os outros de volta em uma nova entrada da Lista T em uma base diferente.


Gate Towers, Chang'an - História

A Praça Tian'anmen fica no centro de Pequim, na Avenida East Chang'an, no distrito de Dongcheng. Situa-se entre dois antigos portões maciços - o Portão Tian'anmen ao norte e o Portão Zhengyangmen ao sul, fazendo fronteira com o Museu Nacional da China a leste e o Grande Salão do Povo a oeste. A Praça Tian'anmen tem 880 metros de comprimento de norte a sul e 500 metros de largura de leste a oeste, cobrindo uma área de 440.000 metros quadrados. Como a maior praça da cidade do mundo, ela pode acomodar um milhão de pessoas em um grande encontro.

O solo da Praça Tian'anmen é pavimentado com pedras de granito de cor clara especialmente processadas. The solemn Monument to the People’s Heroes and Chairman Mao Memorial Hall stand in the middle of the square. On one side of Tian’anmen Gate is the Working People’s Cultural Palace on the other side is the Zhongshan Park. These magnificent buildings, together with Tian’anmen Gate, combine to form Tian’anmen Square. In 1986, Tian’anmen Square was crowned as one of the newly selected sixteen sights of Beijing, named “Tian’an Liri (good weather in Tian’anmen)”.

Tian’anmen Square witnessed the inexorable, dauntless and revolutionary Chinese people. The May Fourth Movement, the December 9th Movement and the May Twentieth Movement have all left an indelible mark of the modern Chinese revolutionary history here. At the same time, it is also the place where numerous major political and historical events took place. It is the historical witness of China's rise.

During the Ming and Qing dynasties, Tian’anmen Square was a palace square outside the main entrance of the Forbidden City in Beijing. The east, west and south sides of the square were walled to create an area where the ordinary people were denied access. Tian’anmen Square stretches from Tian’anmen Gate in the north to Zhengyangmen Gate in the south and from the National Museum of China in the east and to the Great Hall of the People in the west. With a length of 880 meters from south to north and a width of 500 meters from east to west, Tian’anmen Square covers an area of 440,000 square meters and can accommodate one million people for a grand meeting. In the center of the square stand the Monument to the People's Heroes and the solemn Chairman Mao Memorial Hall. On the west side of the square is the Great Hall of the People, on the east side is the National Museum of China, and on the south side are two ancient towers built in the 14th century—Zhengyangmen and Zhengyangmen arrow tower. Tian’anmen gate tower is located at the northern end of the square. With a total height of 33.7 meters, Tian’anmen Gate has five guiding towers and is supported by nine principle columns. On both sides of Tian’anmen Gate are the Working People's Cultural Palace and Zhongshan Park. These magnificent buildings, together with Tian’anmen Gate, combine to form Tian’anmen Square—a great scenic spot in Beijing.

Tian’anmen gate tower, located in the center of Beijing, capital of the People's Republic of China, and at the southern end of the Palace Museum, covers an area of 4,800 square meters. With Chang'an Avenue in between, it faces Tian’anmen Square, Monument to the People's Heroes, Chairman Mao Memorial Hall, the Great Hall of the People and the National Museum of China.

Tian’anmen Gate was the main gate of the imperial city of Beijing in the Ming and Qing dynasties. It was built in the 15th year of the Yongle era in the Ming Dynasty (1417 AD), originally named “Chengtianmen” to imply “rule by the grace of God”. The designer was Kuai Xiang, a royal architect of the Ming Dynasty. In the 8th year of the Shunzhi era in the Qing Dynasty (1651 AD), it was renamed Tian’anmen. With a total height of 34.7 meters, it consists of two parts, the platform and the tower, on a white marble Buddhist statue base. Tian’anmen gate tower is 66 meters long and 37 meters wide. Below the platform are five garrison gates. The garrison gate in the middle is the largest and is located on the central axis of the imperial city in Beijing. In the past, only the emperor could use this garrison gate. The portrait of Mao Zedong hangs above the doorway in the middle, flanked by two large slogans “Long live the People's Republic of China" and "Long live the great unity of the people of the world” on either side.

The Palace Museum was established, and Tian’anmen Square was opened to the public on October 10 in the 14th year of the Republic of China (1925). On October 1, 1949, the founding ceremony of the People's Republic of China was held in Tian’anmen Square, which subsequently became a part of the national emblem as the symbol of the People's Republic of China. In 1961, the State Council of the People's Republic of China included Tian’anmen Square in the list of the first batch of key cultural relics under national protection.

The Great Hall of the People

The Great Hall of the People is located on the west side of Tian’anmen Square and the south side of West Chang'an Avenue in the center of Beijing. The Great Hall of the People is the venue of the National People's Congress, the office space of the Standing Committee of the National People's Congress, an important place for political events of the Party, the state and various people's organizations, and a place for political, diplomatic and cultural activities of the leaders of the Party and the state and the people.

The Great Hall of the People faces east. It is 336 meters long from north to south, 206 meters wide from east to west, and 46.5 meters high, covering an area of 150,000 square meters and a construction area of 171,800 square meters. It is even larger than the entire Forbidden City in terms of total construction area. The annual National People's Congress, the Chinese People's Political Consultative Conference and the quinquennial National Congress of the Communist Party of China are also held here.

The Monument to the People's Heroes

The Monument to the People's Heroes is located in the center of Tian’anmen Square in Beijing, on the north-south central axis about 463 meters south of Tian’anmen Gate and 440 meters north of Zhengyangmen Gate. It was built by the government of the People's Republic of China in memory of the people's heroes who died in all the previous struggles since 1840 AD to oppose internal and external enemies, to gain national independence, and to fight for freedom and happiness. On September 30, 1949, the first plenary session of the Chinese People's Political Consultative Conference passed the motion to build this monument. On the evening of that day, Mao Zedong and all CPPCC members attended the foundation stone laying ceremony. Mao Zedong shoveled soil to signify the onset of the laying of the foundation stone for the monument. The construction of it, designed by Liang Sicheng and others, began officially in August 1952. Many famous architects, sculptors, artists and outstanding engravers got involved in the monument-erecting project. Built out of 17,000 pieces of granite and white marble, the monument covers an area of more than 3,000 square meters and has a height of 37.94 meters. It was the first square building built after the birth of New China and the largest monument in Chinese history. The project broke ground on August 1, 1952, and was completed on April 22, 1958 and was inaugurated on May 1, 1958. In 1961, the State Council of the People's Republic of China included Tian’anmen Square in the list of the first batch of key cultural relics under national protection.

Tian’anmen Reviewing Stand

Tian’anmen Reviewing Stand is symmetrically located on the two sides in front of Tian’anmen Gate. It consists of seven platforms, used for viewing the National Day parade and other major celebrations. Tian’anmen Reviewing Stand was originally a temporary brick-wood structure built for the founding ceremony of the People’s Republic of China. In 1954, it was converted into a brick-concrete-structured permanent reviewing stand according to the design plan of famous Chinese architect Zhang Kaiji.

The basic structure of the reviewing stand is a full-diameter reaming pile structure. Its main structure is a cast-in-situ reinforced concrete shear wall structure. Structural reinforcements, waterproof coating, exterior wall insulation boards and other new materials and technologies are used for the construction of the walls of the lounge, the VIP room and the toilet. They are non-radioactive, pollution-free and meet environmental protection standards. The whole building has improved modern functions such as compression and crack resistance, heat and moisture preservation, sound and heat insulation, and fire and lightning prevention. The total construction area of the new reviewing stand is 4,008 square meters. The reviewing stand is a tilting structure with an elevated northern part and a lowered southern part. It has trapezoidal steps and a total capacity of 21,000 people.

Zhengyangmen Gate, commonly known as Qianmen, Qianmen Tower and Daqianmen, was formerly named Lizheng Gate. It is the south gate of the inner city of Beijing in the Ming and Qing dynasties. It is located at the southernmost end of Tian’anmen Square on the north-south central axis of Beijing City and south of Chairman Mao Memorial Hall. Built in the 17th year of the Yongle era during Emperor Chengzu’s reign of the Ming Dynasty (1419 AD), it was one of the "nine gates" of ancient Beijing. It consists of Zhengyangmen gate tower, arrow tower and barbican city, forming a complete ancient defensive building system. According to local chronicles, the towers and arrow towers of that time were large and tall. The towering barbican city was a representative part of the city wall of ancient Beijing. Only the gate tower and the arrow tower have survived to this day. It is the only well-preserved city gate in Beijing. The Beijing Folk Customs Exhibition Hall is located in the gate tower. On January 13, 1988, the State Council included it in the list of the third batch of key cultural relics under national protection.

The National Museum of China

The National Museum of China, or Guobo, is under the jurisdiction of the Ministry of Culture of the People's Republic of China. Located on the south side of East Chang'an Avenue in the center of Beijing, it sits on the east side of Tian’anmen Square, right opposite the Great Hall of the People on the west side of Tian’anmen Square. Growing out of the Museum of Chinese History and the Museum of Chinese Revolution, the National Museum of China is a famous museum that systematically studies ancient, modern and contemporary Chinese history and collects precious cultural relics, as well as a comprehensive museum that attaches equal importance to history and art and focuses on collection, exhibition, research, archeology, public education and cultural exchange. By the end of 2013, the museum had a total construction area of nearly 200,000 square meters, a total collection of more than one million and 48 exhibition halls.

Address: East Chang'an Avenue, Dongcheng District, Beijing

Take Bus No.1, No.2, No.10, No.52, No.59, No.82, No.90, No.99, No.120 or No.126 in the downtown and get off at Tian’anmen East Station.Take Bus No.2, No.5, No.120 and No.126, or Bus Special No.1 and Loop Line 2 in the downtown and get off at Tian’anmen Square East Station.

Take Bus No.2, No.5, No.120 and No.126, or Bus Special No.1 and Loop Line 2 in the downtown and get off at Tian’anmen Square West Station.

Take Bus No.5, No.8, No.17, No.48, No.59, No.66, No.67, No.69, No.71, No.82, No.93, No.120, No.126, No.723, or No.729, or Bus Rapid Transit No.1, or Bus Express Transit No.11 and No.7, or Bus Special No.1 and Loop Line 2 in the downtown and get off at Qianmen Station.

Take Line 1 in the downtown, get off at Tian’anmen East Station and exit from Exit A or Exit D, or take Line 1 in the downtown, get off at Tian’anmen West Station and exit from Exit B or Exit C. Take Line 2 in the downtown, get off at Qianmen Station and exit from Exit A, Exit B or Exit C.


Facts & Figures About the Bridge

Period of construction: Just over four years. Construction commenced on January 5, 1933 and the Bridge was open to vehicular traffic on May 29, 1937.

Cost: $35 million dollars in the 1930&rsquos, approximately $1.5 billion in year 2016 dollars.

The name Golden Gate does not refer to the Bridge&rsquos color, it is the name of the entrance to the San Francisco Bay from the Pacific Ocean, which is called the Golden Gate Strait. A suspension bridge is the structural opposite of an arch.

The curving cables of a suspension bridge are in tension, experiencing pulling forces. The opposite or upside down picture of those curves looks like an arch. The forces in the arch, compression forces, are the opposite of the tension forces that the suspension bridge cables experience.

How big is the Golden Gate Bridge? When constructed in 1937, it set the world record for the longest bridge span, the distance between supports (4,200 ft, 1,280 m) and also the tallest towers.

Height of tower above water: 746 ft = 227 m

Height of tower above roadway: 500 ft = 152 m

Length of suspension span including main span and side spans: 1.2 miles = 6,450 ft = 1,966 m

Total length of Bridge including approaches from abutment to abutment: 1.7 miles = 8,981 ft = 2,737 m.

The width of Bridge: 90 ft = 27 m

The weight of the Bridge, not counting the concrete anchorages, is 840 million pounds (382 million kg) - heavier than the Empire State Building.


Cable section exhibit is located near parking lot behind the pavilion.

How big is the main cable? The diameter of one main cable: 36 3/8 in. = 0.92 m

Length of one main cable: 7,650 ft = 2,332 m

Each cable is composed of 27,572 wires. If the wires were one continuous length, they could wrap around the earth over three times. Shown above is a diagram of how the 27,572 wires in a cable were grouped together and then tightly compressed into their final form by a hydraulic press.

Why is it called the Golden Gate Bridge, Highway and Transportation District? Traffic jams are rare on the Bridge because the Bridge District added ferry (1970) and bus (1972) transit service. Annually, 40 million vehicles cross the Bridge two-and-one-half million passengers are transported by the ferries and over 6 million passengers ride the buses.

For more interesting facts and figures, visit the History & Research section of our site.


Assista o vídeo: The Penthouse Collection at Gate Towers