Felipe gonzalez

Felipe gonzalez



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Felipe Gonzalez nasceu em Sevilha, Espanha, em 1942. Enquanto estudava na universidade, ingressou no ilegal Partido Socialista (PSOE). Após a morte do general Francisco Franco, o PSOE recuperou seu status legal.

Gonzalez, um advogado, foi nomeado Secretário-Geral do PSOE em 1980. Ele persuadiu o partido a adotar um programa menos marxista e em 1982 o PSOE venceu as Eleições Gerais espanholas. Gonzalez, portanto, liderou a primeira administração socialista desde a de Juan Negrin em 1936.

Gonzalez manteve o poder até que o conservador Partido Popular, liderado por José Maria Aznar, venceu as eleições gerais de 1996.

,


A História Monetária e Fiscal do Paraguai, 1960–2017

Este capítulo caracteriza a história monetária e fiscal do Paraguai entre 1960 e 2017. A análise é dividida em quatro períodos, que se distinguem principalmente pelos níveis de inflação, a fonte de financiamento do déficit do setor público e o arcabouço jurídico do banco central. Os quatro principais períodos são 1962-1980, quando a inflação e o déficit foram moderados 1981-1990, uma década caracterizada por desequilíbrios fiscais e instabilidade nominal 1991-2003, quando a pior crise financeira da história do país ocorreu e os níveis de inflação permaneceram moderados. e, finalmente, 2004–2017, o período de reformas estruturais e baixa inflação. Observamos, ao longo dos períodos, que a política monetária e fiscal manteve uma postura geralmente conservadora, que os períodos de instabilidade macroeconômica foram raros e que o crescimento econômico médio tem sido superior à média da América Latina. No entanto, apesar de ter avançado em termos de convergência, o Paraguai continua entre os países com os menores níveis de renda per capita da América Latina.


Felipe González Márquez

(Sevilha, 1942) Político socialista espanhol, presidente do governo entre 1982 e 1996. Oriundo de família modesta, formou-se em Direito pela Universidade de Sevilha (1966), cidade onde trabalhou por algum tempo como advogado trabalhista. Em 1964 ingressou no Partido Socialista Operário Espanhol, com o qual participou da luta clandestina contra a ditadura de Francisco Franco (a perseguição policial fez com que assumisse o apelido de Isidoro ). Ele ascendeu rapidamente no partido, aderindo ao seu Comitê Executivo em 1970.

Coberto por um pequeno grupo de jovens renovadores, de Sevilha em sua A maioria deles participou do Congresso realizado pelo partido em Suresnes (França) em 1974 Lá a substituição da "velha guarda" que controlava o PSOE do exílio, com pouca influência dentro o país, por uma equipa mais jovem, capaz de se enraizar entre a população do interior em caso de morte do ditador e mudança de regime. Entre os dois grupos - madrilenho e bisca - que disputavam a liderança desta tarefa , Felipe González apareceu como uma solução de compromisso e foi eleito secretário-geral do partido, cargo que ocupou até 1997.

Desde então, ele conduziu o socialismo espanhol a uma profunda renovação: modernizou sua mensagem política em um sentido mais moderado e mais próximo das preocupações populares, aumentou sua presença entre os trabalhadores em todas as regiões da Espanha e intensificou as relações com os partidos socialistas europeus (especialmente com o Partido Germano Social-democrata) .Com tudo isso, contribuiu para fazer do PSOE o primeiro partido da oposição e o governo alternativo à UCD do presidente Adolfo Suárez, uma vez que a morte de Franco (1975) permitiu a transição política para a democracia (1977).

Legalizado o partido em 1977, Felipe González o representou na "Comissão dos Dez" que formou a oposição para negociar com o governo. Foi eleito deputado em 1977. Como porta-voz da bancada parlamentar socialista, liderou uma oposição construtiva, o que facilitou o consenso com que os Pactos da Moncloa e a Constituição de 1978 foram redigidos e ele foi adquirindo uma liderança carismática que o estabeleceu como o líder indiscutível de seu partido.

Em 1979 deu mais um passo em seu projeto de modernização do PSOE, forçando o abandono oficial da ideologia marxista ao encenar sua renúncia ao secretário-geral um congresso extraordinário acabou admitindo suas teses moderadas e garantindo-lhe o controle total sobre o partido (que ele havia reforçado um ano antes, com a absorção do Partido Socialista Popular de Enrique Tierno Galván).

Com tais artifícios obteve uma vitória esmagadora nas eleições de 1982, que o catapultou para a Presidência do Governo apoiado por maioria absoluta no Parlamento. Permaneceu à frente do governo até 1996, revalidando sua vitória nas urnas por um absoluto maioria em 1986 e 1989 e por maioria relativa em 1993.

Durante mais de treze anos no cargo, Felipe González seguiu uma linha política moderada e pragmática, mais próxima de posições de centro-esquerda do que de tradições propriamente socialistas. Certamente, foi fiel a seu eleitorado de esquerda em aspectos como o aprofundamento da democracia e das liberdades , a construção de infra-estruturas ou o financiamento das despesas sociais através do aumento da carga fiscal sobre os rendimentos mais elevados. Mas, em geral, defendeu uma política económica ortodoxa, centrada na modernização do aparelho produtivo e no combate à inflação, que o obrigou tomar decisões impopulares, como reconversão industrial, corte de pensões ou flexibilização do mercado de trabalho. Isso levou a um confronto com os sindicatos (incluindo o Sindicato Geral dos Trabalhadores, uma central socialista liderada por seu ex-colaborador Nicolás Redondo), que resultou em duas greves gerais contra o governo (1988 e 1994).

Na política externa, promoveu um alinhamento com os países ocidentais aliados dos Estados Unidos, mudando sua posição quanto à entrada da Espanha na OTAN (à qual havia se oposto em 1981) já no governo, González defendeu a permanência na Aliança Atlântica, chamando para o efeito, realizou-se um referendo em 1986, que foi favorável. Entre os seus sucessos, destaca-se a entrada da Espanha na Comunidade Europeia (1985), na qual adquiriu um papel de destaque, graças ao entusiasmo europeu do país e do seu governo .Relacionados a esta conquista estão os dois aspectos mais brilhantes do governo socialista, como a modernização econômica, que levou à superação da crise dos anos 1970, e a aquisição pela Espanha de uma liderança internacional maior (tanto na Europa quanto na América Latina). .

A celebração simultânea em 1992 do quinto centenário da descoberta da América, a Exposição Universal de Sevilha e os Jogos Olímpicos de Barcelona marcaram o ápice do prestígio internacional de Felipe González e da imagem externa da nova Espanha como um país moderno e país democrático. O desejo de aprofundar a integração europeia levou González a assumir o tratado de Maastricht de 1991 Para isso, teve que acentuar os sacrifícios exigidos da população, através de uma política de austeridade que visa atender aos critérios de convergência econômica com o resto da Europa. União, prevista naquele tratado.

Esta política económica restritiva, aliada a uma nova situação de recessão, fez com que perdesse a maioria absoluta nas eleições de 1993, embora o PSOE continuasse a ser o partido mais votado graças à sua defesa do Estado Providência González conseguiu assim iniciar um último mandato, sustentando sua relativa maioria por meio de pactos com os nacionalistas catalães.


Sub-Lt. Don Juan Hervé, primeiro piloto ou oficial de navegação sênior de San Lorenzo

Transcrito, traduzido e editado por Bolton Glanvill Corney. Publicado em 1908.

No dia 15 às cinco da manhã navegamos todos, e às sete avistamos uma ilha a N. W., de 8 a 10 léguas de distância. Fomos para lá e, ao nos encontrarmos a cerca de três léguas de sua costa oriental, vimos que era todo arrojado e rochoso, por isso ao meio-dia decidimos subir para o lado norte e ver se poderíamos encontrar qualquer porto por lá. Nesse momento, nossa posição foi determinada por observação como sendo lat. 27 e 15 'S. e longo. 264 & deg 20 ', de modo que o outro ponto 1 deve estar em 27 & deg 06' de lat. Sul e, portanto, 34 10 'a oeste do meridiano de Callao, medido pelo arco, ou o equivalente a um acorde de 30 e 30'. Nesta ilha demos o nome de San Carlos, sendo o do rei reinante.

A partir do dia 6 de novembro de 8 2, dia em que avistamos os petréis, até chegarmos à ilha de São Carlos, dirigimos W. uma distância de 86 léguas, e as andorinhas foram avistadas à mesma distância ao mesmo Tempo.

1) ou seja, o N.E. ponto da ilha.

2) Isso pode ser um erro de copista. O dia em que os petréis foram registrados foi o 10º. Agiiera menciona-os no dia 12 como tendo-se encontrado no dia anterior, no seu diário. O próprio Gonzalez não os menciona em seu diário.

A partir do dia 13 daquele mês, quando vimos tantos pássaros, entre eles os brancos e o primeiro destes, continuamos velejando W. por uma distância de 32 léguas e desde então vimos os maçaricos [chorlitos] até a ilha navegamos 10 léguas, de modo que, quando os vimos, a ilha ficava a N.W. de nós, a 13 e frac12 léguas de distância, razão pela qual navegamos naquele rumo depois de avistar os maçaricos e a ilha: essas observações são interessantes apenas para navegadores.

No dia 15, depois de nos levantarmos ao meio-dia em busca de um porto no lado norte da ilha, notamos, ao nos aproximarmos da terra, que havia pessoas em terra que faziam sinais para nós por meio de fumaça, em várias partes desta nova terra e quando contornamos o ponto mais a nordeste, chamado após San Felipe, vimos uma baía que parecia ser um bom porto, estando então a cerca de meia légua de distância e baixamos um barco na água. Embarquei nela com Dom Alberto Lesuda 1, Capitão dos Fuzileiros Navais, um sargento, seis homens, o barco devidamente equipado, e todos os homens munidos das respectivas armas, procedendo com a precaução e os cuidados adequados ao negócio em questão.

1) O oficial aqui designado por 'Lesuda', e em um lugar onde citado mais adiante como 'Leonda', é Don Alberto Olaondo, cuja patente substantiva era a de Teniente de Navio, ou um Tenente Sênior da Marinha, embora, por complicação não incomum de dignidades nesse serviço, foi também Capitan de Infanteria, ou, como deveríamos dizer, oficial de fuzileiros navais. Posteriormente, foi promovido e, em 1779, quando a guerra foi declarada com a Inglaterra, comandou o Atlante ^ um navio de armas de 70 de linha que formava parte da frota sob o comando da Marque de Casa Tilly montada na baía de Cádiz para se opor a Rodney. Seus antigos camaradas da Ilha de Páscoa, Don Antonio Domonte, e Don Buenaventura Moreno, também estiveram presentes, comandando o San Eugenio e o San Nicolas respectivamente, cada um com 70 canhões. [Travieso, Bibliog. não. 50.]

Entramos para fazer sondagens na baía sem conhecer o caráter dos nativos, se eles possuíam canoas ou não. Deixamos o navio às três e quinze da tarde e procedemos às sondagens em direção à costa. Não chegamos ao fundo até bem perto, onde encontrei trinta braças e daí para a praia um fundo muito fétido de rochas, cascalho e coral de trinta a quarenta braças encontrei areia grossa, mas com algumas pedras grandes e redondas: este pode servir [para trazer para dentro], no entanto, por um curto período de tempo, enquanto se busca por um ancoradouro melhor.

Na altura em que começámos a fazer as sondagens o barco da fragata vinha com o mesmo propósito, no qual estava Don Buenaventura Moreno, capitão dos fuzileiros navais, igualmente armado e equipado e quando nos aproximamos da costa para fazer as sondagens, vimos vários nativos de o país na praia gritando para nós em sua língua, da qual nada entendíamos. Eles estavam nus e pintados, corpo e rosto. Depois de fazer um exame do fundo, voltei a bordo do meu navio e o outro barco ao dela: expliquei a qualidade do solo ao comodoro e, tendo chegado por volta das 6 horas da tarde, ele decidiu não afaste-se do local até o dia seguinte 1.

1) Esta frase, tomada isoladamente, prova suficientemente que o autor deste diário era um oficial do San Lorenzo, e não da fragata.

No dia 16, às cinco e meia da manhã, parti do costado do navio no cutter, e passei a me posicionar onde estava o ancoradouro do barco, para servir de baliza para o navio, que entrou e largou em 35 £ braças, areia grossa e tendo colocado outra âncora em 50 braças, ela balançou para 28 sob a quilha, mesmo fundo. As marcas principais para esta posição são a pequena colina em forma de sela que leva S. 3 e deg W., com o cabo San Lorenzo E. 1/4 S.E. 3 & deg E. pela agulha, que nesta localidade tem 3 & deg de variação N.E.

Enquanto agiam como um farol como acima afirmado e aguardando a chegada do navio, três dos nativos nadaram, [seus corpos] pintados em várias cores, e ficaram perto do barco, gritando constantemente, até que um deles finalmente chegou tão perto para me presentear com um bocado de inhame: dei-lhe um pouco de biscoito e. tabaco, tudo o que ele aceitou. Ele carregava suas provisões em uma bolsa cuidadosamente trançada de palha fina. Quando o navio ancorou, os três voltaram a desembarcar, mas voltaram nadando e seguindo direto para o navio, a bordo do qual subiram com muita agilidade, gritando o tempo todo e exibindo muita alegria de espírito. Corriam livremente de proa a popa, cheios de alegria, escalando o cordame como marinheiros. [Nosso povo] jogou o coxa e pífano para eles, e eles começaram a dançar, evidenciando grande prazer. Receberam fitas, camisas, calças, suéteres de marinheiro e pequenas cruzes de metal dourado: aceitaram a todos com alegria, o biscoito que receberam sem comentários até que viram nosso povo comer um pouco. Agradou-lhes muito e então eles pediram e se dedicaram livremente ao consumo de porco salgado e arroz, etc.

No referido dia 16 de novembro embarcamos à uma hora da tarde, Don Cayetano Lángara, tenente superior, Don Pedro Obregon, aspirante, um sargento, um cabo de fuzileiros navais, um artilheiro, alguns fuzileiros navais e eu, na lancha, totalmente armado e equipado para o serviço, com ordens para fazer um circuito completo da ilha em companhia do RosaliaO lançamento de, com seu oficial Don Demetrio Ezeta, tenente sênior, cada um munido de uma arma giratória na proa. Começamos a trabalhar para fazer sondagens, dando nomes aos pontos, baías etc., conforme mostrado na planta da ilha. Às seis e meia da tarde chegamos a uma enseada que chamávamos de Lángara: tentamos fazer um desembarque mas não foi possível porque o mar estava quebrando com tanta força ao longo de toda a orla, que era rochosa em todos os pontos. e durante o resto do dia o único lugar que achamos adequado para pousar foi na enseada de San Juan, já que tinha uma praia arenosa. Não divulgamos a nossa presença lá, para não perder tempo. Consideramos que deve haver um suprimento abundante de água doce, pois vimos ali mais cascalho [chacaras] do que em qualquer outra parte da ilha. Também encontramos o melhor ancoradouro para navios.

No dia 17 do referido [mês], o dia amanheceu com o horizonte claro e uma brisa moderada de Leste. Às cinco da manhã partimos nas duas lanchas e navegamos em direção ao Cabo de San Antonio. Meia légua antes de chegarmos ao cabo, chegamos a um ponto, de onde havia uma quantidade de pedras ou pedregulhos se projetando da água e vimos que duas pequenas canoas ... saíam do meio delas com dois homens em cada uma, rumando para a Santa Rosaliado lançamento, então esperamos por eles para que pudessem se juntar à nossa festa. Eles deram às pessoas das ditas bananas de lançamento, pimentões, batatas-doces e galinhas e em troca nossos homens deram-lhes chapéus, chamorretas, & c, e eles foram contentes com estes para a costa. Essas canoas são construídas com cinco tábuas extremamente estreitas (por não haver madeira grossa no país) sobre um cuarta 1 de largura são, portanto, tão manivelas que são dotadas de um estabilizador para evitar que tombem e creio que sejam as únicas em toda a ilha. Eles são equipados com cavilhas de madeira no lugar de pregos. Em seguida, passamos a examinar as ilhotas rochosas a que demos o nome de 'Lángara': são S.W. 1/4 S. do cabo de San Cristoval, estando o voltado para o mar a cerca de uma milha daquele promontório, e o próximo à costa no meio. Eles estão separados por cerca de meio cabo um do outro, e encontramos 26 braças lá, fundo rochoso. A do meio se assemelha a uma alta torre de igreja sobre a qual tentamos nos colocar, mas achamos pouco acessível. Passamos para o exterior, onde conseguimos pousar e onde encontramos duas grandes massas de algas marinhas, muitas sílex pretas, alguns ouriços-do-mar e pequenos caranguejos, ovos de gaivotas e seus filhotes. Só nestas rochas vimos gaivotas e, à excepção das aves, não vimos qualquer outro tipo de ave em nenhuma das outras ilhotas, nem na ilha de São Carlos, pequenas ou grandes, selvagens ou domesticadas. Os ilhéus criam essas aves em pequenas corridas raspadas no solo e cobertas de palha.

1) A cuarta é um quarto de vara ou Jardim, e pode ser traduzido aproximadamente como 'span'.

Tendo feito uma investigação dessas ilhotas, continuamos nosso curso ao longo da costa, às vezes a vela, outras vezes a remos e, com o vento se contrariando, às três horas da tarde estávamos parados em direção a um trecho liso de costa ao redor uma légua de distância para o NE do Cabo San Francisco. Aqui decidimos passar a noite numa pequena baía que nos pareceu um local adequado para o efeito, e à qual demos o nome de Gruta, pois neste local havia uma adjacente à praia com sulcos em. de várias tonalidades, a partir das quais os nativos nos deram a entender por sinais que obtiveram os pigmentos com que se pintaram. Esta baía é adequada apenas para lançamentos. Todos nós desembarcamos para comer nosso jantar, que carregamos conosco para esse fim, e cerca de uma centena de nativos vieram olhar, oferecendo-nos frutas e galinhas. O oficial, D. Cayetano de Ldngara, deu ordens ao nosso povo para que ninguém, sob pena de severas chicotadas, aceitasse qualquer artigo dos ilhéus sem dar em troca um equivalente, ou algo de maior valor do que aquele que receberam, pois sabia-se que havia disposição para a troca de artigos e tal de fato foi posto em prática.

Quando nos sentamos para comer, notamos que todos se retiraram, e que apenas um permaneceu, como se para observar eu ordenei ao meu criado que desse um pouco de arroz cozido e porco salgado, todos os quais ele comeu e achou muito de seu gosto . Terminado o jantar, dirigimo-nos a um passeio pela ilha: o nosso povo foi novamente avisado para não fazer mal aos indígenas nem às suas plantações. Depois de subirmos a encosta da praia, encontramos todos aqueles que havíamos visto antes e passamos juntos sem dizer nada a eles até que, deixando de lado a timidez, se aproximaram de nosso povo e nos conduziram até avistei uma longa casa de habitação a cerca de um quarto de légua. Esta casa tinha 27 passos de comprimento, 2 & frac12 Varas alto no centro, e 1 1/4 Varas nas extremidades, mais ou menos e na parte do meio havia uma porta 1 vara em altura. Foi enquadrado em cerca de seis pólos de 4 Varas longo e um vão 1 de espessura. Depois de nos terem mostrado este suntuoso edifício, começaram a cantar e a dançar para nos cumprimentar e ficar muito felizes por nos ver. Caminhamos cerca de duas léguas e, a essa distância (ao longo da qual muitos ilhéus nos acompanhavam), vimos um jardim de bananeiras que se estendia por cerca de um quarto de légua de extensão e tinha cerca de metade dessa distância de largura. Havia outras pequenas hortas de bananeiras e várias plantações e campos de cana-de-açúcar, batata doce taro, inhame, cabaça branca e plantas como aquelas cujas folhas são empregadas no Callao para fazer esteiras. Vimos uma raiz com a qual eles mastigam e pintam seus corpos e membros: é. bom para produzir um corante amarelo muito fino 2. Ao anoitecer voltámos às nossas lanchas para pernoitar, sem que as nossas relações pacíficas com os indígenas tivessem sido de alguma forma perturbadas, o que se pode atribuir à ordem que o oficial deu aos nossos homens de não lhes ofenderem, apoiado pelo ameaça de açoite, sem o qual nossos fuzileiros navais e marinheiros teriam destruído as plantações desses pobres infelizes.

1) Un 'xeme' ou seja jeme, a distância da ponta do polegar à ponta do dedo indicador.

2) Sem dúvida, isso se refere ao açafrão - uma planta comum na maioria das ilhas do Pacífico.

A manhã do dia 18 amanheceu bem, com vento de Norte: continuamos ao longo da costa, que é toda voltada para o surf, soando à medida que íamos. Às 8 horas o lançamento da fragata, não podendo fazer nenhum avanço contra o vento, meteu-se numa pequena baía para esperar que se acalmasse e nós próprios chegamos a Bell Cove 1 a remos às 5 da tarde, em ordem para ficar lá a noite. Desembarcamos lá e alguns ilhéus vieram nos receber, mas uma pancada de chuva nos fez voltar à lancha durante a noite. Naquele lado desta enseada em direção ao promontório de San Felipe uma rocha em forma de sino se projeta da costa, e disso a enseada deriva seu nome.

1) ou seja, Bell Cove = Caleta de la Campana.

Partimos ao amanhecer do dia 19 com vento de N. e bom tempo, para o promontório de San Felipe, onde nos juntamos a outra lancha, que relatou não ter notícias. Naquela época, lutávamos contra a corrente, contra a qual não podíamos avançar com os remos e que corria para o leste. Da fragata. A lancha, por ser menor que a nossa, se deu bem melhor do que nós, e os que estavam a bordo, nos vendo lutando contra a persistência da corrente, mandaram-nos o cúter com nova tripulação para socorrer os nossos homens, que estavam abatidos. No entanto, a corrente se fazia sentir com tanta força que, depois de puxar das 9h às 6h da tarde, mal havíamos percorrido uma légua de distância do Cabo San Felipe. A esta hora, porém, Deus nos favoreceu com uma tempestade de trovões acompanhada de chuva e uma mudança de vento de N.W. a S.E., que nos aproximou às sete e meia, encerrando assim a nossa expedição sem outras aventuras além das já relatadas.

Ficamos convencidos de que o ancoradouro em que ancoramos é o melhor que toda a ilha oferece, exceto o de San Juan, para o qual não nos afastamos, pois em breve deveríamos voltar a deixar este país, visto que só restou por que tomemos posse dela em nome do rei.

No dia 20, ao raiar do dia, todos os marinheiros de armas embarcaram nas lanchas e cúteres de ambas as embarcações, sob o comando de D. Alberto Olaondo 1, Capitão dos Fuzileiros Navais, com o seu bando de fuzileiros navais e da fragata, que juntos eram 250 homens. Todos estes seguiram em direção ao interior da ilha para fazer um levantamento do país. Nosso Comandante [segundo capitão] Don José Bustillos 2, foi com outro corpo de fuzileiros navais e marinheiros, e os dois capelães, que transportaram com eles três cruzes para serem erguidas em três cumes de colina que, como se pode ver na planta, existem no N.E. ponto da ilha.

1) 'Leonda' no MS. evidentemente, o capitão Olaondo foi novamente mencionado.

2) 'Jose Gustillo' no MS. evidentemente Josef Bustillos se destina.

Um grande número de habitantes nativos os recebeu no desembarque e se ofereceu para ajudar nossos oficiais no desembarque, o que, de fato, eles fizeram e se encarregaram das três cruzes, que carregaram até as ditas colinas: os capelães cantando ladainhas , e os ilhéus se juntando ao nosso povo nas respostas, ora pro nobis. No momento de cavar o buraco na colina central, uma bela fonte de água doce irrompeu, muito boa e abundante. As cruzes sendo plantadas, o grupo disparou três saraivadas de mosquete, e os navios responderam com vinte e um canhões cada um aos alegres grito de Viva el Rey. Os ilhéus responderam com o nosso próprio povo: pronunciam com tanta facilidade que repetem tudo o que lhes é dito como nós. Cumprido esse compromisso, todos voltamos a bordo.

Não é preciso dizer que os ilhéus ficaram apavorados com o barulho dos tiros e dos mosquetes: isso deve acontecer com pessoas que nunca usaram ou viram essas invenções.

As mulheres usavam mantos ou mantos: um que os cobre da cintura para baixo e outro sobre os seios. Há também outros que usam apenas um trapo ou tira de alguma raiz, que colocam na frente como os homens. Eles têm várias cabanas muito baixas e pequenas, e algumas como a mencionada primeiro.

Por toda a ilha, mas especialmente perto da praia, existem certos blocos enormes de pedra em forma de figura humana. Eles têm cerca de doze metros de altura e acho que são seus ídolos. Não suportaram ver-nos fumar charutos: imploraram aos nossos marinheiros que os apagassem e assim fizeram. Perguntei a um deles o motivo e ele fez sinais de que a fumaça subia, mas não sei o que isso significava ou o que ele queria dizer.

Imagino que as capas ou mantas dos ditos ilhéus sejam feitas de fibras de talos de bananeira, que, quando secas, juntam como lhes convém 1: não é tecida, mas está unida por fios de o mesmo material que enfiam em agulhas de osso do tamanho de uma agulha de manto. Eles fazem linhas de pesca dessa mesma fibra, bem como redes à maneira de nossas pequenas redes, mas de pouca resistência.

1) O material era realmente a casca interna branca do papel da amoreira (Broussonettia papyrifera) e a rosca usada para unir os segmentos provavelmente foi feita a partir do Hibiscus tiliaceus latido. Um oficial da marinha espanhol pode muito bem ser desculpado por cometer este erro, pois o emprego da fibra de Musa textilis, conhecido por ele como abacá e para nós mesmos, como 'cânhamo de Manila', sem dúvida teria ficado sob sua observação nas ilhas Filipinas e talvez seu cordame de corrida possa ter sido feito dele mesmo naqueles dias.

Eles têm muito pouca madeira, mas se plantassem árvores não faltaria, e acredito que até mesmo o algodão renderia, já que o país é muito temperado: e trigo, plantas de jardim, ervas de maconha etc. Eles tingem suas capas de amarelo.

O número de habitantes, incluindo ambos os sexos, será de cerca de novecentos a mil almas: e desses muito poucos são mulheres, - não creio que cheguem a setenta - e apenas alguns meninos. São da cor de um mestiço, com cabelos lisos e barbas curtas, e em nada se parecem com os índios do continente sul-americano e, se usassem roupas como nós, poderiam muito bem se passar por europeus. Eles comem muito pouco e têm poucas necessidades: eles passam totalmente sem qualquer tipo de bebida alcoólica.

No dia 21, ao meio-dia, embarcamos nesta Ilha de David: navegamos cerca de 70 léguas para o oeste para ver se havia mais terra naquela direção.

No dia 23, arrastamos para o sul até chegarmos ao lat. 38 e 30 'e longo. 263 e 31 ', onde chegamos no dia 29. Nesta pista, dia 24, na lat. 29 e 30 ', de comprimento. 261 e 30 'às 6 da tarde, vimos dez ou doze pássaros brancos e andorinhas-do-mar, e novamente algumas madrinhas, uma indicação de alguma ilha. O Comodoro decidiu não procurá-lo neste momento, considerando que o tempo já era curto para ir a Chiloé, e pretendendo procurá-lo na viagem de volta, pois a latitude era aquela em que a busca poderia ser prosseguida em qualquer estação do o ano.

Da longitude de 263 & deg 31 'nos afastamos para o leste até 281 & deg ao longo do paralelo de 38 & frac12 & deg, sem encontrar qualquer sinal e dessa posição procedemos para Chiloé.


Gonzalez: Significado e origem do nome

Gonzalez é um sobrenome patronímico que significa "filho de Gonzalo". O prenome Gonzalo vem do nome medieval Gundisalvus, que era a forma latina de um nome germânico composto pelos elementos gund, significando "guerra" ou "batalha" e salv que tem um significado desconhecido.

Gonzalez é o 21º sobrenome mais popular na América, de acordo com o censo de 2000. O sobrenome Gonzalez também é comum no México - o quinto mais comum, de acordo com os cadernos eleitorais de 2006.

Soletrações alternativas: Gonzales, Conzalaz, Gonzalas, Gonsalas, Goncalez, Gonsales, Goncales


Catherine Komisaruk, Ph.D.

professor adjunto

Área de pesquisa: América Latina da era colonial

Telefone: (210) 458-5723

Escritório: MH 4.02.70

Horário de atendimento: TR 14h15-3h15 ou por agendamento

A pesquisa de Catherine Komisaruk & rsquos concentra-se no México e na América Central, especialmente na era colonial. Atualmente ela está trabalhando em um livro sobre gênero, famílias nativas e levantes no México colonial e na Guatemala. O projeto é apoiado em 2018-2019 por uma bolsa do National Endowment for the Humanities.

Seu livro anterior, Trabalho e amor na Guatemala: a véspera da independência (Stanford University Press, 2013) é uma história de mulheres e homens comuns. Mostra como as etnias e formas de trabalho modernas estão enraizadas nos padrões de migração de gênero e nas configurações familiares do período colonial. Komisaruk também é autor de vários artigos de periódicos e capítulos de livros, e co-editou o Resumo Estatístico da América Latina e uma edição especial da revista Biografia. Seu trabalho foi financiado por bolsas da UCLA, da University of Iowa, da American Association of University Women e do University of California Humanities Research Institute.

Antes de vir para a UTSA, Komisaruk ensinou em universidades na Califórnia, Nova York e Iowa, e no nível secundário na Guatemala. Seus cursos se concentram no México, Cuba, América Latina colonial, pesquisa histórica e métodos de escrita, gênero e escravidão e povos nativos nas Américas.

Ela recebeu um diploma de bacharel e rsquos com altas honras de Harvard, e um M.A. e Ph.D. da UCLA. Ela fez cursos de Nahuatl moderno e clássico no Instituto de Docencia e Investigaci & oacuten Etnol & oacutegica de Zacatecas no México.


Elian Gonzalez, 15 anos depois

A mãe de Ellian Gonzalez estava tão desesperada para escapar de Cuba e criar seu filho nos Estados Unidos que arriscou a travessia do oceano de 145 quilômetros em um frágil barco de alumínio. Quando virou, afogando ela e outras nove pessoas, Elian, de 5 anos, agarrou-se a uma câmara de ar até ser resgatado por pescadores neste dia, 25 de novembro de 1999, e mais tarde se reuniu com parentes em Miami.

O pai de Elián, entretanto, queria criar o filho mais perto de Castro. O que se seguiu foi um cabo de guerra internacional entre o pai de Elián e rsquos, Juan Miguel, e os parentes que lutaram para mantê-lo no país que sua mãe morrera tentando alcançar.

Elian became a poster child for the troubled relationship between Cuba and the U.S. &mdash and, some said, a pawn in their political posturing. The drama made headlines because it combined a bitter political divide with a fundamental parenting question: Is it possible to be both a good father and a communist.

After more than four months of legal wrangling and a one-on-one meeting between Juan Miguel and Attorney General Janet Reno, the U.S. government reluctantly conceded that yes, it was possible. According to a 2000 TIME story about their meeting, Reno wanted to give Miguel every possible opportunity to recant: &ldquoShe wanted to see for herself: Was he really a loving father &mdash and did he really, truly want to raise his child in a country where milk is rationed for children over 7 and soldiers drown citizens who try to flee?&rdquo

But Miguel managed to convince her of both his love and his genuine desire to raise his son in Cuba. Elian&rsquos return was a new trauma for the boy, who had already suffered unthinkable trauma. To get past the crowds of protesters who surrounded the Miami home where he was staying with relatives, armed federal agents were sent to forcibly seize the boy.

He was separated not just from his Miami relatives &mdash and a new puppy &mdash but from an American lifestyle that included unlimited chocolate milk, trips to Disney World and a growing collection of toys. His relatives feared that when he returned to Cuba, he would be subjected to high-pressure political indoctrination. According to the BBC, Cubans countered that &ldquoElian ha[d] already been indoctrinated in the U.S., and [was] being turned into a &lsquotoy-obsessed&rsquo capitalist.&rdquo

Back in Cuba, however, he quickly put capitalism behind him. By age 12, he addressed Fidel Castro as &ldquomy dear Grandpa Fidel,&rdquo according to a get-well letter he sent the Cuban leader in 2006. At 14, he was inducted into the Communist Party.

And last year, at age 20, he railed against the American embargo of Cuba, which he blamed for his mother&rsquos death.

&ldquoTheir unjust embargo provokes an internal and critical economic situation in Cuba,&rdquo forcing people like his mother to flee, he proclaimed at a youth rally in Ecuador.

When a CNN reporter at the rally asked Elian what his life had been like since his repatriation, he answered: &ldquomagnificent.&rdquo

Read TIME’s Apr. 17, 2000, cover story about Elian Gonzalez: I Love My Child


Felipe Gonzalez - History

Our Lady Of Guadalupe Church Taos,NM.
3-10-1833 Jose De Altagracia Gonzales con Ana maria Romero Vecinos del Arroyo Ondo. Padrinos: Francisco Gonzales Y Maria Dela Luz Marques, Vecinos de San Fernandez. Testigos Salvador Padilla Y Pedro Padia. (Frame 826). This entry does not list their parents but the following baptism entry does.

Taos baptisms Frame 440. 1-13-1834 Jose Yginio 3 days old, Son of Jose De Altagracia Gonzales and Ana Maria Romero. PGP: Juan Gonzales and Maria Antonia Martines. MGP: Bentura Romero and Rosario Errera. Pads: Jose Tomas Mes and Maria del carmen Sisneros, residents del Arroyo Ondo.

The book also shows portions of the Marriage entry of FELIPE SANTIAGO MEDINA and MARIA DEL REFUGIO GONZALES as not legible.I Checked the 1850 Taos County Census and was able to find only 2 Maria Del Refugio Gonzales one was 3 months old and the other one was an 8 year old daughter of Ana Maria Romero that would make her about 14 or 15 years old at the time of her marriage date of 1856. An age not uncommon in those times. FELIPE MEDINA is listed as 11 years old in the same Census residing with his parents Faustins Medina and Maria de Jesus Vernal.
Ana Maria Romero is showed as the head of the household.No husband listed.

I checked the Taos Bautismos for any ANA MARIA ROMERO that married a GONZALES and found 3-10-1833 JOSE DE ALTAGRACIA GONZALES con ANA MARIA ROMERO, Vecinos del Arroyo Hondo, Padrinos: Francisco Gonzales and Maria Dela Luz Margues Vecinos de San Fernandez. Testigos: Salvador Padilla Y Pedro Padilla.( Frame 926)

Checking the Bautismos for MARIA DEL REFUGIO GONZALES there is an entry Frame 509.7-30-1843 Maria Refugio, 11 Days old, daughter of Altagracia Gonsales and Anna Maria Romero, residents of La Plaza de Los Dolores del Arroyo Hondo. PGP: Juan Gonsales and Maria Antonia Martinez. MGP: Buenaventura Romero and Maria Del Rosario De Herrera. Pads: Dionicio Gonsales and Juliana Tafoya, Residents of The Plaza de Santisima Trinidad.

Frame 849.5-18-1837 FELIPE SANTIAGO, 5 days old, son of Jose Faustin ?Medina and Maria de Jesus Bernal. PGP: Juan Bautista Medina and Maria Solome Mascarenas. MGP: Felipe Bernal and Maria Candelaria De Herrera, Residents of Arroyo Hondo. Pads: Jose Rafael Salazar and Maria Guadalupe Salazar, Residents of San Fernando.

*****************
The following information is regarding JUAN FRANCISCO GONZALES husband of MARIA DOLORES MEDINA Son of Manuel Gonzales and Maria Torivia Lobato.

Juan Francisco Gonzales was born in San Miguel Del Bado. From the book "New Mexico Baptisms San Miguel del Vado Pecos Mission 1799-1829." By: Luis Gilberto Padilla y Baca. Published by The Hispanic Genealogical Research Center of New Mexico. Page 48. Julio 12 de 1819 [July 12,1819] Bautize a JUAN FRANCISCO GONZALES Hijo Legitimo de Manuel Gonzales Y de Torivia Lovato. Padrinos: Jose Antonio Gallegos Y Maria Josefa Montano.

Manuel Gonzales and Maria Torivia Lovato also had an older daughter baptised Information from the same book listed above. Agosto 4 de 1814 Bautize a Maria delos Angeles De Jesus Gonzales, de 2 dias de nacida, de el Bado, Espanola, hija legitima de Manuel Gonzales Y De Maria Toribia Lovato, Espanoles. Padrinos: Juan Estevan Lucero Y Maria Dolores Lucero.

The following information is from the book "New Mexico Marriages and Marriage Investigations-San Miguel del Vado 1802-1865." By:Luis Gilberto Padilla Y Baca. Published by the Hispanic Genealogical Research Center of New Mexico.

Page 86.Oct 23,1828 Marriage Book M-10. In San Miguel. JOSE RUFINO GONZALES single son of Manuel Gonzales and of Maria Toribia Lovato, with MARIA DE LOS SANTOS LUCERO, single daughter, of Jose Lucero and of Maria Geronima Sandoval, Deceased.

Page 89.Feb 4,1840. Marriage Book M-1. In San Miguel AMBROSIO GONZALES, single son of Manuel Gonzales, Deceased, and of Toribia Lobato, with MARIA ISABEL FRESQUIS, widow in 1st marriage of Juan Archuleta and in 2nd of Jose Antonio Montoya.

From the book "New Mexico Marriages Santa Fe-St.Francis Parish and Military Chapel of Our Lady of Light (La Castrensa) 1728-1857. By The New Mexico Genealogical Society. Microfilm Reel # 31 AASF.

Page 125, Frame 453. 17 Nov 1805 MANUEL GONSALES, widow of Maria Josefa Crespin, Marrying MARIA LOVATO. Godparents Manuel Brito and Maria Urioste. Witnesses: Miguel Belasquez and Jose Campos.

Page 110, Frame 402. 29 Jan 1795. MANUEL GONZALEZ marrying JUANA JOSEFA CRESPIN, Witnesses: Diego Padilla and Lorenzo Marquez.

From the book "Santa Fe Baptisms 1747-1851."By:Thomas D.Martinez.

Page 191-Maria Francisca Gonzalez 3 days old, Baptized 11-22-1798, Father Manuel Gonzales, Mother Josefa Crespin, Padrinos: Jose Miguel Ortiz and Maria Gertrudis Lobato.

Page 191-Pedro Antonio Gonzalez 3 days old, Baptized 1-31-1807, Father Manuel Gonzalez, Mother Toribia Lobato. Padrinos: Jose Miguel Tafoya and Maria Gertrudis Lobato.

I am responding to your other request for information on JUAN FRANCISCO GONZALES and MARIA DOLORES MEDINA.

1860 Census-Schedule 1-Free Inhabitants in the Precinct of El Llano,County of Taos,Territory of New Mexico 2nd day of August 1860.Pedro Valdez,Ass't Marshal.
2797-2797 Juan Gonzalez Age 40 M Farmer Value of Real Estate 450-Value of Personal Estate 400 Born San Miguel County
Dolores Medina Age 38 F Born Taos County
Bartolome Gonzales Age 15 M Farm Laborer Born Taos County
Jose Leandn Gonzalez Age 5 M Born Taos County
Librada Gonzalez Age 3 F Born Taos County

1870 Census:Schedule 1.-Inhabitants in The Town of El Llano,County of Taos,Territory of New Mexico,17th day of July 1870.Juan Santistevan,ass't Marshal.
32-32 Gonsales Juan F. Age 40 M W Farmer Value Real Estate 150 Value Personal Estate 100 Born Territory of New Mexico
Dolores Age 30 F W Keeping House Born Territory of NM
Leandro Age 12 M W At Home Born Territory of NM
Librada Age 9 F W Born Territory of NM

From the book "New Mexico Mission de San Lorenzo de Picuris Baptisms 1750-1867."Transcribed from LDS Microfil Reel # 016868 By Betty Pacheco,page 450.
18 June 1849 Antonio Jose Son of Juan [Francisco] Gonsales and [Maria] Dolores Medina. Paternal Grandparents: Manuel Gonsales and Maria Toribia Lobato. Maternal Grandparents: Francisco Medina and Barbara Fresquis. Padrinos: Juan Domingo Sanchez and Dolores Salasar, Vecinos del Llano.

Please note that there were 2 churches in that area San Jose Las Trampas and San Lorenzo de Picuris.The priest stayed in San Lorenzo or at Nuestra Senora de Guadalupe in Taos.The records for that (Southern) area including Mora were kept in San Lorenzo de Picuris (Sometimes ones finds some records in the Taos Church records) One did not have to be Indian to have the records entered in the San Lorenzo Church Records Also one did not have to be Indian to live in Picuris. It was not until the early 1900s that Non-Indians (Hispanos) were relocated from Picuris Pueblo.

Sebastian GONZALES & Isabel BERNAL

Alferez GONZALES BERNAL (abt 1627, Santa Fe) & Apolonia BARELA (abt 1622)

Alferez GONZALES BERNAL (abt 1643, Santa Fe-1678) & Nicolasa Zaldivar JORGE

Diego GONZALES BERNAL (abt 1673-1736) & Maria BENAVIDES (abt 1682, Durango, New Spain)

Diego GONZALES II (abt 1705-1745, Santa Cruz) & Elena Montes VIGIL (abt 1714, Santa Cruz)

Phelipe Santiago GONZALES (26 Jan 1768, Chimayo, NM) & Maria Francisca CHACON (b.abt 1771) (m.9 Jun 1789, Santa Cruz, NM)

Estefana GONZALES (b. 2 Jul1802, Santa Cruz) (m.1814 Taos) & Raimundo CORDOVA (1788 Santa Cruz-1872)

Jose Benito CORDOVA (1837 Taos-1925 El Moro, CO) and Marina RIVERA (1846 Taos 1931 Trinidad, CO)

Donaciano CORDOVA (1861 Taos-1941 Trinidad) and Margarita SANTISTEVAN (1865 Taos 1943 Trinidad, CO)

Jose Benito CORDOVA (1884 Taos-1968 Trinidad) and Anna Maria BARRON (1988 Taos-1925 Walsenburg, CO)

L. Barron CORDOVA (1916 Walsenburg-present) and Cora CARMONA (1914 Hastings, CO-1995 Trinidad)

Known family of Sebastian GONZALES & Isabel BERNAL:
Alferez Gonzales Bernal (ca 1627, Santa Fe, NM)

Known family of Alferez GONZALES BERNAL & Apolonia BARELA:
Alferez Gonzales Bernal (ca 1643, Santa Fe, NM)

Known family of Alferez GONZALES BERNAL &
Nicolasa Zaldivar JORGE (married about 1664):
Juan (Bas) Gonzales (ca 1668, Corrales, NM)
Diego Gonzales Bernal (ca 1673, NM)
Ynes Gonzales (ca 1677, Santa Fe, NM)

Known family of Diego GONZALES BERNAL & Maria de BENAVIDES (married 30 Apr 1796, Santa Fe):
Teodora Gonzales (ca 1699)
Leonardo Gonzales (ca 1700)
Diego Gonzales II (ca 1705)
Juan Angel Gonzales (ca 1707

Known family of Diego GONZALES & Elena Montes VIGIL: (children baptized at Santa Cruz, NM)
Ygnacia Gonzales
Francisco Gonzales
Miguel Gonzales
Maria Antonia Gonzales

Family of Felipe Santiago GONZALES & Maria Francisca CHACON: (baptized at Santa Cruz, NM)
Jose Ygnacio Gonzales (b.7 Jul 1790)
Maria Micaela de los Dolores Gonzales (b.28 Sep 1792)
Jose Maria Gonzales (b.3 Aug 1796)
Pedro Nolasco Gonzales (b. 30 Jan 1799)
Dorotea Gonzales (b.6 Feb 1801)
Maria Estefana Gonzales (b. 2 Jul 1802)
Dionisio Gonzales (bap. 1805 Picuris)
Carmen Gonzales (Apache Indian, bap 1806, Picuris).

Family of Maria Estefana GONZALES & Raymundo Cordova
1. Antonio Aban Cordova (ca 1820-ca 1851
2. Jose de Jesus Cordova (b. 1822)
3. (unreadable) Cordova (1825)
4. Maria Antonia Aban Cordova (1828-1834)
5. Maria Paula Cordova (1830)
6. Maria de Jesus Cordova (1832)
7. Maria Dolores Cordova (
8. Mariano de Jesus Cordova (20 Aug1834?)
9. Maria Rosa Cordova (29 Dec 1834?)
10.Jose Benito Cordova (1837-1925)

Regarding your request seeking help to find information on your family origins,Joseph Arturo Gonzales and his parents Daniel Gonzales and Leodula Archuleta,following is the information found.

I-JOSEPH ARTURO GONZALES was the son of II-Daniel Gonzales and Leodula Archuleta

II- DANIEL GONZALES was the son of III-Rafael Gonzales and Maria Manuela Martinez.

III-RAFAEL GONZALES was the son of IV-Juan De Dios Gonzales and Margarita Montoya.

IV-JUAN DE DIOS GONZALES was the son of V-Ygnacio Gonzales and Maria Josefa Lalanda.

V-YGNACIO GONZALES was the son of VI-Felipe Santiago Gonzales and Maria Francisca Chacon.

VI-Felipe Santiago Gonzales was the son of VII-Miguel Gonzales and Maria Candelaria (Pacheco) Romero.

. I-JOSEPH ARTURO GONZALES:
From LDS Microfilm Reel # 0017014,Page 223.Taos Baptisms 1925-1936.August 30,1929 Baptised JOSE ARTURO Born 7 August,de Ranchos,Son of Daniel Gonzales and *-B(D)esdula Archuleta.Padrinos:Jose Garcia and Juana Pacheco. By:Jos Giraud

. II-DANIEL GONZALES Y LEODULA ARCHULETA:
From LDS Microfilm Reel # 017018,Page 140.Taos Marriages 1895- 1956.Gonzales and Archuleta.Oct 25,1926 Married DANIEL GONZALES,Single,from Ranchos,Legitimate son of Rafael Gonzales and Manuela Martinez,Baptised in Taos,With,*-T(L)EODULA ARCHULETA,Widow of Manuel Trujillo. (Lege Civili. )from Cieneguilla,Daughter of Manuel Archuleta and Eva Martinez,Baptised Taos 4 Aug 1906.Wits: Eugenio Medina and Casandra Gonzales.By:Jose Giraud,Pastor.*-Note..The name of Daniel Gonzales' spouse is entered as Besdula,Desdula and Leodula Archuleta.

. III-RAFAEL GONZALES Y MARIA MANUELA MARTINEZ:
From LDS Microfilm Reel # 0017017,Page 286.Taos Marriages 1856-1895.Rafael Gonzales y Maria Manuela Martinez.7 Nov 1892,En esta Parroqua de Taos,Yo el paraco Jose Valezy despues de la delegincias Case Y Vele a RAFAEL GONZALES,dela Corrillera del Ranchos,Soltero Hijo legitimo de Juan De Dios Gonzales y de Margarita Montoya,Con,MARIA MANUELA MARTINEZ,Soltera hija legitima de Matias Martinez y de Josefa Trujillo.Fueron Test:David Valverde y Marina Valdez.By:Jose Valezy (Rubric)

From the book "Bautismos Our Lady Of Guadalupe Church de Taos 12 July 1887 to 27 Dec 1900."By The Hispanic Genealogical Research Center Of New Mexico."
Page 214.GONZALES,Maria Casandra,of La Cordillera del Rancho.Born 2 June 1895,Baptised 28 June 1895.Hija de Rafael Gonzales y Maria Manuela Martinez.Pads: Benedito Lopez y Maria Delfina Cortez.By:Simon Alvernhe.Page 418.
Page 278.GONZALES,Roberto of Cordillera.Born 5 Nov 1897,Baptised 2 Dec 1897.Hijo de Rafael Gonzales y Manuela Martinez.Pads:Moyses Garcia y Virginia Gonzales By:Henry C.Pouget.Page 6.
Page 334.GONZALES,Jose Daniel,of Rancho.Born 21 Sept 1900,Baptised 23 Sept 1900. Hijo de Rafael Gonzales y Manuela Martinez.Pads:Jacobo Trujillo y Fidelia Trujillo.By:Jose Krayer.Page 76.

. IV-JUAN DE DIOS GONZALES Y MARGARITA MONTOYA:
From the Book "Taos Baptisms 1701-1867."By:David Salazar and Bill Trujillo Sept 1994.Published By:The Genealogical Society Of Hispanic America-Southern Calif. Branch.
Book of Baptisms B-48a Taos (Box 72)June to Dec 1837,Frame 310.Sept 27 1837 Baptised JUAN DE DIOS,6 days old,son of Ygnacio Gonzales and Maria Josefa Lalanda,Residents of The Plaza of San Francisco Del Rancho.Sponsors:Jose Martin and Maria Dolores Cordoba,Residents of the Plaza of San Francisco De Paula.
Book of Baptisms B-50 Taos (Box 74) 1837-1844,Frame 181.March 22,1840 Baptised MARIA MARGARITA,6 days old,Daughter of Mariano Montoya and Maria Dela Luz Tafoya Residents of the Plaza of San Francisco del Rancho.Paternal Grandparents:Jose Ramon Montoya and Luisa Sandoval.Meternal Grandparents:Juan Tafoya and Lorensa Quintana.Padrinos:Pedro Vigil and Maria Josefa Quintana of the same place.
Book of Baptisms B-58 Taos 1859-1869,Frame 104.22 Sept 1861 Baptised MARIA BRIGIDA,6 days old,Daughter of Juan de Diuos Gonzales and Maria Margarita Montoya.Padrinos:Mariano Montoya and Maria Dela Luz tafolla,Residents all of San Francisco Del Rancho.

. V-JOSE YGNACIO GONZALES Y MARIA JOSEFA LALANDA
From the book "Santa Cruz Dela Canada Baptisms 1710-1860."By:Thomas D.Martinez.
Page 146.GONZALES,JOSE YGNACIO Baptised 7-10-1790,Born 7-7,Father Felipe Santiago Gonzales,Mother Maria Francisca Chacon,Vecinos de La Plaza Del Carmen. PGP:Miguel Gonzales y Maria Candelaria Romero.MGP:Rosa Chacon.Pads:Juan Antonio Vargas y Maria Lujan,Padrinos de Trampas.

From the book "Taos Baptisms 1701-1852."By:Thomas D.Martinez.
Page 268.LALANDA,MARIA JOSEFA,Baptised 12-25-1808,9 days old.Father (*)Juan Bautista Lalanda,Mother Maria Rita Abeyta.Padrinos:Christobal Lucero y Maria Manuela Sandoval. * From the book "The Taos Trappers,The Fur Trade In The Far Southwest,1540- 1846."By:David J.Weber,Published by The University Of OKlahoma Press.Pages 35,36,37.The first of these foreigners to reach Santa Fe from the American Louisiana was BAPTISTE LA LANDE in 1805."Juan Bautista LaLanda"as he came to be known in New Mexico,aquired land in Taos,married at least 3 times,sired 5 known children before his death in February 1821.

From the book "Taos Baptisms 1701-1852."By:Thomas D.Martinez,Pages 242 and 243.
I'll list the first entry verbatim and the rest with only the date,child's and padrinos name.

1-Gonzalez,Jose Dionicio Bapt 4-8-1824,Father Ygnacio Gonzalez,Mother Maria Josefa Lalanda,Vecinos de El Rancho.PGP:Felipe Gonzalez y Maria Francisca Chacon MGP:Juan Bautista Lalanda y Maria Rita Abeyta.Padrinos:Reymundo Cordova y Maria Estefana Gonzalez. Jose Dionicio Gonzales married Maria Gertrudis Aragon,hija de Jose de Jesus Aragon y de Maria de Jesus Vigil.

2-Gonzalez,Maria Rosa Bapt 11-30-1823.Pads:Don Felipe Gonzalez.

3-Gonzalez,Juan Antonio Bapt 6-13-1829,5 days old.Pads:Policarpio Cordova y Maria Miocaela Gonzalez.

4-Gonzalez,Maria Rita Bapt 4-22-1832,5 days old.Pads:Juan Domingo Tafoya y Maria Gertrudis Cordova.

5-Gonzalez,Maria Dolores Bapt 6-17-1835,6 days old.Pads:Policarpio Cordova y Maria Micaela Gonzalez,Padrinos from Santisima Trinidad de Arroyo Seco.

6-GONZALEZ,JUAN DE DIOS,Bapt 9-27-1837,6 days old.Pads:Jose Martin y Maria Dolores Cordova,Padrinos from San Francisco De Paula.

7-Gonzalez,Maria Dolores Bapt 12-7-1839,1 day old.Pads:Juan Nepomuceno Duran y Maria Manuela Sanchez,Padrinos from N.S.de San Juan.

8-Gonzalez,Juan Bautista Bapt 7-14-1841,3 days old.Pads:Tomas Lalanda y Maria Margarita Martin,Padrinos from the Plaza de Dolores.

9-Gonzalez,Felipe Santiago,Bapt 10-4-1844,6 days old.Pads:Dionisio Gonzalez y Maria Juliana Tafoya,Padrinos from Santisima Trinidad de Arroyo Seco.

. VI-FELIPE SANTIAGO GONZALES Y MARIA FRANCISCA CHACON
From the book "The Quintana's."Volumes 13 and 14.Page 1088-b.By:Ida R.Foraci. Felipe Gonzalez was the son of Miguel Gonzalez and Maria Candelaria Pacheco, He married Maria Francisca Chacon the natural daughter of Rosa Chacon,June 20,1789.

From the book "Santa Cruz dela Canada Baptisms 1710-1860."By:Thomas D.Martinez. Page 146.

1-GONZALEZ,JOSE YGNACIO,Bapt 7-10-1790,Born 7-7,Father Felipe Santiago Gonzalez y Maria Francisca Chacon,Vecinos de La Plaza de Carmen.PGP:Miguel Gonzalez y Maria Candelaria Romero.MGP:Rosa Chacon.Padrinos:Jose Cristobal Trujillo y Maria Josefa Romero.

2-Gonzalez,Maria Micaela Delos Dolores,Bapt 10-4-1792,Born 9-28,Vecinos de La Cuchilla.Pads:Juan Antonio Vargas y Maria Lujan,Padrinos de Trampas..From "The Quintana's."Volumes 13 and 14,By:Ida R.Foraci,Page 1088-b. Married Policarpio Cordova,hijo de Antonio Aban Cordova y Juliana Torres.

3-Gonzalez,Jose Maria Bapt 8-7-1796,Born 8-7.Pads:Manuel Gregorio Duran y Gerarda (his wife) Mascarenas.

4-Gonzalez,Pedro Nolasco Bapt 2-3-1799,Born 1-30.Pads:Jose Antonio Trujillo y Ana Maria (his wife) Borrego.

5-Gonzalez,Dorotea Bapt 2-8-1801,Born 2-6.Pads:Antonio Mondragon y Clara (wife) Varela.

6-Gonzalez,Maria Estefana Bapt 7-8-1802,Born 7-2.Pads:Juan Antonio Lovato y Maria Ygnacia Sanchez.

. VII-MIGUEL GONZALES Y MARIA CANDELARIA (Romero) PACHECO

From the book "The Quintana's."Volumes 13 and 14.Page 1088-c.By:Ida R.Foraci.It is believed that Miguel Gonzales was the son of Diego Gonzales and Elena Montes Vigil.

From the book "Santa Cruz Dela Canada Baptisms 1710-1860."By:Thomas D.Martinez. Page 153.

1-GONZALEZ,FELIPE SANTIAGO Baptised 1-30-1768,Born 1-26,Father Miguel Gonzalez,Mother Candelaria Pacheco,Vecinos de Chimayo.Padrinos:Blas Trujillo y Maria Ygnacia Trujillo. Married Maria Francisca Chacon..

2-Gonzalez,Maria Rosalia Baptised 10-5-1769.Father Miguel Gonzalez,Mother Maria Candelaria Romero,Padrinos:Ygnacio Mestas y Maria Varela. From the book "The Quintana's."Volumes 9 and 10,Page 818-b2.By.Ida R.Foraci.Maria Rosalia Gonzalez became the 2nd wife of Silvestre Lopez.

New Mexico Roots LTD.By:Fray Angelico Chavez.Page 927.1786 9-2,Santa Cruz,Silvestre Lopez (33),Espanol of San Antonio del Quemado,son of Gregorio Lopez and Juana Romero,And ROSALIA GONZALES (14),Espanola,Daughter of Miguel Gonzales and Candelaria Pacheco.Both Deceased.Wits:Manuel Cristobal Varela 26Blas Lopez 38Antonio Jose Olivas 35Feliz Valerio 76All Espanoles.

From the book "New Mexico Spanish and Mexican Colonial Censuses-1790-1823-1745." Translated and Compiled by Virginia Langham Olmsted,G.R.S..Published By:The New Mexico Genealogical Society.The Spanish Census of 1790.Province of New Mexico. Spanish Archives of New Mexico,Microfilm Reel # 12.

1790 Spanish Census of 1790.Villa De Santa Cruz Dela Canada.Frame 472.
242.Phelipe Santiago Gonsalez,M.20,day Laborerm.Francisca Chacon,M.191 Son:1.

From the book "New Mexico 1850 Territorial Census-Volume III."Taos and San Miguel Counties.Published By:The New Mexico Genealogical Society.
Page 11. Sheet 101-3 Nov.1850

GONSALES,Ygnacio 49 M NM
Lalanda,Maria Josefa 37 F NM
Gonsales,Antonio 20 M NM
Maria Dolores 15 F NM
Juan de Dios 13 M NM
Juan Bautista 8 M NM
Felipa Santiago 1 M NM

GONSALES,Francisco 24 M NM
Garcia,Maria natividad 15 F NM

GONSALES,Jose Dionius 27 M NM
Aragon,Maria Getrudis 17 F NM
Gonsales,Maria 3 F NM

1870 Census.Schedule 1-Inhabitants in The Town of Cordova,County Of Taos,Territory of New Mexico.24th Day of July 1870.Juan Santistevan,Ass't Marshal. Sheet N0.1 & 2.

12-12 Gonsales,Juan D. 38 M W Farm Laborer Value Real Estate 125
Jaramillo Manuel 18 M W Farm Laborer
Gonsales,Margarita 35 F W Keeping House Value Real Estate 45
Brigida 8 F W
Roberto 5 M W
RAFAEL 3 M W
Virginia 1 F W

1880 Census Schedule 1-Inhabitants in Ranchos,County Of Taos,Territory of New Mexico.8th Day of June 1880.Guillermo Martinez,Enumerator.Page 1.
1-1 Gonzales,Juan D. W M Age 40 Laborer
Margarita W F Age 30 Wife
Brigida W F Age 18 Daughter
* RAFAELA W F Age 9 Daughter * Error Should be RAFAEL W M Age 9 SON
Virginia W F Age 8 Daughter
Cincion W F Age 1 Daughter

1900 Census Schedule No-1.Population in Precinct No.3,Ranchos of Taos,County Of Taos,Territory of New Mexico.1st Day of June 1900.Marina Martinez,Enumerator. Sheet 1.

1-1 GONZALES,Juan D.Dios Head W M June 1840 Age 60 Married 37 Years Farmer
Margarita Wife W F Jan 1846 Age 54 Married 37 Years 8 Children Born 4 Living
Virginia Daughter W F May 1874 Age 26 Single
Cencionita Daughter W F May 1880 Age 20 Single

2 RAFAEL Head W M Oct 1867 Age 32 Married 8 Years Farmer
Manuelita Wife W F Mar 1877 Age 23 Married 2 children Born 2 Living
Casandra Daughter W F Jun 1896 Age 4
Roverto Son W M Nov 1898 Age 2

1900 Census Schedule No-1.Population In Precinct # 19,Cieneguilla,County Of Taos,Territory Of New Mexico.29th Day of June 1900.Manuela Martinez,Enumerator. Sheet 16.

264-265 ARCHULETA,Matias Head W M Jan 1850 Age 50 Married 28 Years Farm Laborer
Leonarda Wife W F 1852 Age 48 Married 28 Years 15 Children Born 5 Living
Lucaria Daughter W F Oct 1876 Age 23 Single Laundress
MANUEL Son W M July 1881 Age 18 Single Day Laborer
Utimia Daughter W F Jan 1897 Age 13 Single At School
Silviano Son W M Dec 1892 Age 7
Bernabe Son W M June 1898 Age 2
Archuleta,Luz Mother W F Mar 1822 Age 78 Widowed 1 Child Born 1 Living

1910 Census Schedule 1-Population Precinct No.3,County Of Taos,Territory of New Mexico.29th Day of April 1910.Lulu L.Valdez,Enumerator.Sheet 10-b.
196-198 GONZALES,Rafael Head M W Age 36 Married Once 17 Years Farmer
Manuelita Wife F W Age 34 Married Once 8 Children Born 4 Living
Casandra Daughter F W Age 13 Single
DANIEL Son M W Age 8
Pablo Son M W Age 6
Margarita Daughter F W Age 2
GONZALES,Juan De Dios Father M W Age 69 Widowed
Virginia Sister-In-Law F W Age 33 Widowed

1910 Census Schedule 1-Population Cienaguilla Precinct No 16,County Of Taos,Territory Of New Mexico.Manuel Cordova,Enumerator.Sheet 18 A.
255-255 ARCHULETA,Manuel J. Head M W Age 26 Married Once Shepherd Herding Sheep
Eva Wife F W Age 20 Married Once 5 Years 3 Children Born 3 Living
TIOFILITA Daughter F W Age 3
Josecito Son M W Age 2
Senaida Daughter F W Age 5/12

1920 Census Schedule 1-Population in Ranchos de Taos,Precinct No 3,County Of Taos,State Of New Mexico.Andres Valerio,Enumerator.Sheet 7-A.

105-121 GONZALES,Rafael Head M W Age 46 Married Laborer
Manuelita Wife F W Age 40 Married
DANIEL Son M W Age 19 Single
Pablo Son M W Age 14 Single
Margarita Daugh F W Age 12 Single

1920 Census Schedule 1-Population in Precinct 16 (Pilar,P.O.)Cieneguilla Village,County Of Taos,State Of New Mexico.19th Day of April 1920.Miguel C.Jaramillo.Enumerator.Sheet 8-A.(Side note-All This People Live Near the Road Taos to Santa Fe)

6-6 ARCHULETA,Jose Manuel Head M W Age 36 Married Laborer Saw Mill
Eva Wife F W Age 31 Married
LEODULA Daughter F W Age 13 Single
Jose Matias Son M W Age 12
Zenaida Daughter F W Age 10
Leonarda Daughter F W Age 9
Celina Daughter F W Age 7
Nazario Son M W Age 3-1/2
Antonio Son M W Age 3/12


González opiskeli lakia Sevillan Instituto San Isidorossa. Hän liittyi kiellettyyn PSOE:hen vuonna 1963 käyttäen salanimeä Isidoro. Hänet valittiin PSOE:n johtoon Suresnesissa Ranskassa järjestetyssä puoluekokouksessa 1974.

Ensimmäisissä demokraattisissa vaaleissa 1977 hänet valittiin maan parlamenttiin Cortes Generalesiin ja puolueesta tuli suurin oppositiopuolue, mikä toistui 1979.

Pääministerinä Muokkaa

PSOE voitti vuoden 1982 vaalit historiallisella tuloksella saaden 48,11 % äänistä. Ensimmäisen kerran mikään puolue sai ehdottoman enemmistön parlamentissa.

Gonzálezin hallitus sääti koulutuksen ilmaiseksi 16 ikävuoteen asti ja laillisti osin abortin katolisen kirkon vastustuksesta huolimatta. Sosiaaliturvajärjestelmän luominen aloitettiin.

Helmikuussa 1983 hallitus kansallisti konkurssin partaalla olleen suuryhtiö Rumasan. Kansallistaminen johti oikeustaisteluun, joka selvitettiin vasta 1986. Hallituksen lupaus 800 000 työpaikasta terästeollisuudessa kääntyi teollisuuden uudelleenjärjestelyksi ja irtisanomisiksi. Vuonna 1985 hallitus aloitti laajan yksityistämisen. Ammattiliitot järjestivät 20. kesäkuuta 1985 yleislakon sosiaaliturvan uudistuksen vuoksi.

Gonzálezin toisella kaudella, vuoden 1986 vaalien jälkeen, Espanja liittyi EEC:hen. Vaikka sosialistipuolue oli vastustanut Natoa, González ilmoitti kannattavansa jäsenyyttä ja kansanäänestys vahvisti jäsenyyden. Espanja tuki Kuwaitin vapauttanutta liittoumaa ensimmäisessä Persianlahden sodassa 1991.

14. joulukuuta 1986 järjestetty yleislakko pysäytti koko maan. PSOE:n vasemmistosiipi ja ammattiliitot syyttivät Gonzálezia oikealle siirtymisestä.

PSOE menetti kannatustaan kaupungeissa vuoden 1989 vaaleissa ja vuoden 1993 vaaleissa sen oli liittouduttava Katalonian ja Baskimaan pienpuolueiden kanssa hallituksen kokoamiseksi. González sai 1993 Kaarle Suuren palkinnon "Euroopan idean ja rauhan edistämisestä".

1990-luvun puolivälissä kansanpuolue alkoi syyttää Gonzálezia talousongelmista, vaikka työttömyys oli laskussa aiempien talousuudistusten alettua vaikuttaa. Hallitus joutui myös osalliseksi useista korruptioskandaaleista. Espanjan media, etenkin El Mundo -lehti selvitti 1983–1987 toimineen, baskien terrorijärjestö ETAa vastaan toimineen GAL-terroristiryhmän taustoja, jotka johtivat Gonzálezin hallitukseen. Lähinnä Ranskan puoleisessa Baskimaassa toiminut kuolemanpartio teki tuona aikana 27 murhaa.

PSOE:ssa harkittiin pitäisikö Gonzálezin luopua puolueen johdosta ja nimittää siihen ainoa hallituksensa alkuperäinen jäsen, Javier Solana. Aiemmin Gonzálezin Naton vastaista kampanjaa johtanut Solana kuitenkin nimitettiin joulukuussa 1995 sotilasliiton pääsihteeriksi. Gonzálezin viimeinen pääministerikausi päättyi vuonna 1996.

Pääministeriyden jälkeen Muokkaa

González nimitettiin 1996 ETYJ:n erikoisedustajaksi sovittelemaan Jugoslavian kriisiä. Hän luopui paikastaan Espanjan parlamentissa vuonna 2004. Joulukuussa 2007 González valittiin Euroopan unionin "viisaiden miesten" ryhmän puheenjohtajaksi. [1]


Adulthood and His Life Now

While Elián may have receded from the headlines of American media, he has remained a prominent figure in Cuba, as has his father, who was viewed by Castro as a national hero for taking his custody claims to the highest levels (just three days after Elián was found at sea, his father filed a complaint with the United Nations, requesting the return of his son). Cuban journalist Lissy Rodríguez has written that it was not possible for González to return to Cuba and simply reintegrate quietly into society because his story epitomized Cuban family and social values.

Elián and his father have been seen frequently at important national events, such as protests for the return of “The Cuban Five” (five Cuban intelligence officers who were accused of espionage by the U.S. and held in federal detention for more than a decade) and a welcome home ceremony for the Five when they were released from U.S. custody. In González&aposs home town of Cárdenas, there&aposs even a statue of him, fist raised in the air, outside a museum, and it was Fidel Castro himself who inscribed Elián in the Communist Youth Union in 2008.

In 2010, Elián entered a Cuban military academy and was frequently photographed in his olive green uniform. He went on to graduate with an engineering degree from the University of Matanzas in 2016. 

In his free time, González enjoys swimming, playing baseball, going out with friends, watching movies, listening to music, and spending time with his fiancພ, Ilianet Escano. González has also told the press that he enjoys reading, and above all, reading Fidel Castro&aposs books. He says that Castro would send him books regularly.

In a May 2015 interview with ABC News, González said he would like to return to the United States as a tourist, “to see a baseball game, visit Washington museums, and talk to Americans.” His uncle, Delfin González, from whose home El໚n was removed, said the family would be happy to see him, and that, despite efforts to communicate with him, they have not had contact with Elián in the years since he returned to Cuba. 


Assista o vídeo: EXISTEM DOIS TIPOS DE PESSOAS..