Southern University

Southern University


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Oficialmente conhecida como Southern University e A&M College, a instituição faz parte do único sistema universitário Land Grant historicamente negro dos Estados Unidos. Totalmente credenciado pela Southern Association of Colleges and Schools, oferece programas de quatro anos, pós-graduação, profissional e doutorado. A instituição abrangente está localizada em 512 acres com vista para o rio Mississippi na seção norte de Baton Rouge, Louisiana, e inclui o Lago Kernan, a peça central do campus. Uma estação experimental está situada em um local adicional de 372 acres, cinco milhas ao norte do campus. A Southern University foi fundada pela Assembleia Geral do Estado da Louisiana, em 1880. Entre as localizações originais do antigo campus em New Orleans, Louisiana , foi a antiga Sinagoga do Templo Sinai de Israel na Caliope Street, entre as ruas St. Charles e Camp. Em 1890, a Southern University tornou-se uma escola de concessão de terras. A escola foi realocada para seu local atual em Baton Rouge em 1914, devido ao crescimento contínuo da instituição e à falta de terreno para expansão. A universidade inclui as seguintes faculdades: Artes e Humanidades, Negócios, Educação, Engenharia, Ciências; Ciências Agrárias, da Família e do Consumidor; e a Escola de Pós-Graduação. Atualmente, oferece três graus de associado, 40 de bacharelado, 19 de mestrado e dois de doutorado. A universidade matricula uma média de 9.000 alunos por ano. The John B. Os acervos incluem a coleção Camille Shade afro-americana, arquivos, música, arte e arquitetura. The Smith-Brown Memorial Union, um edifício multifuncional de 66.200 pés quadrados conhecido no campus como a “sala de estar”, é um importante centro para atividades extracurriculares. Outra ala, chamada Escola Nelson Mandela de Políticas Públicas e Assuntos Urbanos, oferece programas que permitem que alunos de graduação e pós-graduação entendam importantes aspectos sociais, políticos e econômicos desenvolvimentos na sociedade. A universidade também é conhecida por suas atividades esportivas. Ela compete na Southwestern Athletic Conference em esportes como futebol, beisebol, basquete masculino e feminino e vôlei feminino.


Futebol Southern Jaguars

o Jaguares do Sul é o time de futebol da faculdade que representa a Southern University. Os Jaguars jogam no Campeonato de Futebol da Divisão I da NCAA como membro da Southwestern Athletic Conference. O Jaguars começou no futebol universitário em 1916 e jogou na Gulf Coast Athletic Conference antes de ingressar no SWAC em 1934.

Todos os anos, eles jogam seu último jogo da temporada regular contra o Grambling no Bayou Classic em New Orleans, Louisiana, no final de novembro.


Southern University & # 8217s Dancing Dolls: 50 anos de graça, estilo e beleza

Forever Dolls da década de 1990 posam para a celebração do 50º aniversário das Dancing Dolls no retorno ao lar de 2019 da Southern University. Monique Molizone-Morgan

Até agora, você já viu Homecoming, Beyonc & eacute & rsquos adaptação cinematográfica de sua apresentação de duas noites no Coachella de 2018. Os créditos de abertura do filme e rsquos incluem clipes da Southern University e do rsquos Fabulous Dancing Dolls, a equipe de dança que se apresenta com a banda da escola e rsquos Human Jukebox.

Da imitação de seu famoso passo catch-on (pisando no jazz oito contagens que o líder começa enquanto os outros entendem), os fãs se perguntaram se Beyonc & eacute estiveram espreitando nas redes sociais para suas apresentações do intervalo. Mas, muito antes do pandemônio da mídia social, as Dancing Dolls eram o orgulho da Southern University e modelos de equipe de dança para bandas em faculdades e universidades historicamente negras (HBCUs).

A Batalha das Bandas no Bayou Classic em 1993 foi quando Monique Molizone-Morgan, então uma estudante do segundo grau e dançarina, viu pela primeira vez as Fabulous Dancing Dolls. Lá no Superdome, Molizone-Morgan, que costumava fazer coreografias de pompom, se apaixonou pelo estilo eclético deles e começou a estudá-los.

& ldquoQuando vi o suporte e a maneira como eles se portavam e seus braços, eu disse: & lsquoEu quero ser assim. & rsquo Aquele momento foi um momento no tempo & rdquo, disse ela.

Molizone-Morgan, uma boneca de 1996-1998, seguiu um caminho não tradicional para dançar, mas sua experiência reflete os princípios da Dolls: tenacidade, disciplina e feminilidade. Seus planos para a faculdade não incluíam frequentar a Southern, a apenas uma hora de distância, ou qualquer HBCU. Sua família esperava que ela frequentasse a Tulane University em New Orleans.

Agora ela está trabalhando no ensino superior em Houston como coordenadora de serviços comunitários e de conselho.

Boneca Dançante Monique Molizone em 1997.

Mais de 20 anos depois, ela pendurou seu macacão de lantejoulas e luvas brancas, e sua vida deu uma volta completa. Começando como uma estudante do centro da cidade, escapando de uma vida familiar difícil para seguir seus sonhos desde a faculdade até a idade adulta, ela continua a retribuir aos jovens em quem se vê.

Recentemente, ela e mais de 100 de suas irmãs Forever Doll de todas as épocas puderam reviver alguns de seus dias de dança durante a celebração do 50º aniversário da Dancing Dolls para o baile do Southern & rsquos contra a Alabama A & ampM University.

Entre os ensaios para o histórico desempenho do intervalo e a criação de suas duas filhas com o marido, Jabari, Molizone-Morgan também está finalizando sua dissertação de doutorado em serviços humanos. Sua crença, a partir de suas próprias experiências, é que a educação vai tirar você da pobreza e, fiel às suas raízes na HBCU, ela continuará a ajudar estudantes afro-americanos durante o ensino superior.

"O foco da minha dissertação é como os administradores se envolvem com o LGBQT, mas eu queria examinar uma população marginalizada dentro da comunidade negra de uma perspectiva de serviços estudantis", disse ela.

Enquanto Molizone-Morgan relembra sua própria vida, ela credita a exposição & mdash por ter buscado a educação pós-secundária e, por meio disso, se tornar uma boneca dançarina, por ter mudado sua vida.

Jeffrey Holmes, um administrador educacional e mentor baseado em Los Angeles, diz que Molizone-Morgan transcendeu suas circunstâncias por ter uma base espiritual, o que a ajuda a se conectar com as pessoas que ela serve por meio de seu trabalho. "Esse é o elemento fundamental que mantém as pessoas no caminho certo", disse ele. & ldquoEla realmente tem empatia pelas pessoas envolvidas. Ela faz conexões profundas com tudo. & Rdquo

Tenacidade, disciplina e feminilidade

Em meados da década de 1990, havia mais em sua vida do que dançar. Devido ao abuso de drogas de seu pai, ela e sua mãe se mudaram de seu bairro residencial para New Orleans & rsquo 9th Ward para morar com sua avó temporariamente em 1993. & ldquoEu basicamente senti como se tivesse perdido minha casa porque estávamos morando com um membro da família & rdquo, ela disse .

Em seu último ano, uma dançarina condecorada, Molizone-Morgan ainda estava em desacordo com sua mãe sobre onde ela frequentava a escola. Tornando-se rebelde por causa da turbulência em sua vida, ela intencionalmente estragou as inscrições para admissão em universidades. No final das contas, ela acabou em uma faculdade comunitária local, a apenas alguns quilômetros de sua casa.

Depois de um primeiro semestre de muita festa, ela foi reprovada na faculdade comunitária. Mas depois que ela entendeu que a educação era uma prioridade, sua mãe deu-lhe permissão para se matricular na Southern.

Quando ela finalmente se inscreveu no outono de 1995, ela perdeu os testes por dois dias. Ela conheceu a equipe da banda, tornando-se uma espécie de aprendiz enquanto se apresentava com outros grupos de dança no campus. Ela tentou novamente na primavera de 1996 e foi negada.

Ela voltou a New Orleans para o verão, trabalhando como garçonete de hotel, mas uma ligação surpresa do diretor de banda de longa data Isaac & ldquoDoc & rdquo Greggs solicitando sua presença para praticar como uma boneca tornou seu futuro oficial. Uma vez apreensiva, sua mãe a deixou no Dubose Music Hall, mas sua casa não estava pronta, então ela foi morar com um colega do primeiro ano, Doll Shawn Lagarde e sua família até o outono. Eles se tornaram amigos rapidamente.

"Foi ela quem nos manteve juntos e na linha", disse Lagarde, também ex-ginasta de competição. & ldquo Ela era aquela amiga geral de bom espírito. & rdquo

Foi desafiador, mas gratificante se adaptar à vida da boneca.

No evento do 50º aniversário do Dancing Dolls, da esquerda para a direita: Lauren Brumfield-Bates, Monique Molizone-Morgan, D & rsquoTara Frank-Malone e Chrisdelin Kelly-Lyles.

Conhecer as Dancing Dolls, no entanto, é primeiro conhecer a banda marcial Southern & rsquos Human Jukebox e sua história. Como seu lema, & ldquoOften imited, nunca duplicated & rdquo, a banda se compara a uma jukebox, tendo a capacidade de tocar qualquer gênero de música do Top 40, rhythm and blues, gospel, pop / rock e até mesmo trap music na queda de um dez centavos. Em vez de twirlers e bandeiras, um tipo especial de movimento foi necessário para se adequar ao repertório musical da banda e rsquos.

Naquela época, & mdash, mesmo agora & mdash, havia aulas e regras para manter os alunos focados no campus. Naquela época, a Southern era a maior HBCU do país. Por exemplo, os diretores da banda ensinaram a Molizone-Morgan que as primeiras impressões são impressões duradouras e que olhar para o papel é metade da batalha. A outra metade é entregar academicamente e através da dança, entendendo que cada encontro é uma oportunidade de avanço, seja para uma equipe de dança ou um emprego.

Ano após ano, durante o mandato de Molizone-Morgan & rsquos na equipe, ela assumiu sua posição, viajando por todo o país para apresentações de bandas em jogos do New Orleans Saints, jogos de boliche e outros eventos de entretenimento e sendo exposta à diversidade de pessoas negras, mesmo enquanto frequentando um HBCU.

"Isso me ensinou muito sobre as diferentes culturas na comunidade afro-americana", disse ela. & ldquoEu vinha de uma família do centro da cidade & mdash cheia de amor, mas não sabia que éramos pobres porque minha família era amorosa assim.

& ldquoQuando cheguei ao sul e entrei na sala de Dancing Dolls, estava com famílias que se pareciam com os Cosbys e garotas que tinham relacionamentos realmente bons com seus pais, garotas que cresceram com profissionais em suas famílias. Minha família era muito operária. Ir para a faculdade me expôs ao que eu queria me tornar. & Rdquo

E então ela cultivou amizades duradouras com suas companheiras Dolls. & ldquoNós éramos mais como irmãs. Essa camaradagem fez com que as pessoas se tornassem e casamentos rsquos, sempre melhores amigas, compartilhando as coisas mais íntimas da faculdade até a idade adulta.

Havia tempo para apenas duas coisas: curso e dança, mas ela ainda conseguiu fazer amizades, tornando-se membro da Delta Sigma Theta Sorority Inc. e conhecendo seu futuro marido, Jabari, um membro da banda. Ela o conheceu no College of Business, não no campo.

Depois de três anos dançando com a banda Human Jukebox como uma boneca, Morgan se formou em 2000, mas o impacto das bonecas continuaria a se manifestar em sua vida.

Em 2002, enquanto trabalhava como recrutadora para a universidade e na pós-graduação, ela foi escolhida pela senadora Cleo Fields do estado da Louisiana para formar uma equipe de dança para o Louisiana Leadership Institute, um programa pós-escolar para nutrir os acadêmicos e as artes no ensino médio alunos da escola em todo o estado.

Uma banda marcial estava sendo formada como parte da programação, e Fields não a considerava completa sem uma equipe de dança. Um ex-aluno do sul, ele conhecia o alcance do legado da Boneca Dançante, então selecioná-la foi um acéfalo.

& ldquoMonique era o ícone da dança em Baton Rouge na época & rdquo Fields disse. & ldquoShe começou e fez um trabalho notável. Ela trouxe o programa de zero para 100 em questão de meses.

"Tudo o que eles fizeram foi com a classe, desde quando saíram para o campo até o momento em que tiraram as capas", disse ele. & ldquoE quando eles estavam em campo, o fizeram com classe. & rdquo

Seu maior desafio, de acordo com Fields, era o feedback dos pais quando as meninas não conseguiam cumprir os padrões da equipe. A falha em manter as notas ou comparecer aos treinos levou os membros a serem & ldquozipados. & Rdquo

Southern University A e ampM College

& ldquoShe dirigia um navio muito apertado & rdquo Fields disse. & ldquoNão faz sentido, e quando percebi que as primeiras ligações dos pais reclamando eram apenas sobre as regras, pensei, & lsquoman, eu amo essa mulher. & rsquo & rdquo

Molizone-Morgan levava a dança a sério porque sabia que era uma indicação de como navegar em outras partes da vida, da escola ao trabalho.

“Era mais do que apenas estar no time de dança”, disse ela. & ldquoEste era o seu trabalho. Você já é uma celebridade de uma pequena cidade, é um embaixador da instituição e precisamos que você aja de acordo em todos os momentos. Embora eu possa ter vindo de uma formação diferente, eu tive que amadurecer. & Rdquo

O crescimento foi um subproduto da dança como uma boneca. & ldquoSua atitude é o seu bem mais importante e levaria você de uma boneca dançarina à sua ética de trabalho & rdquo, disse Gracie Perkins, 78, uma das fundadoras das Dolls.

A expectativa de cada Doll e membro da banda era ser alunos e dançarinos / membros da banda respeitosos e exemplares ou ser & ldquozipados & rdquo, o que significa removidos da organização.

"Fomos justos, mas firmes", disse Perkins.

Seu estilo e rotinas eram especiais

Na década de 1990, os Dancing Dolls já existiam há 20 anos, mas sua popularidade disparou depois de conquistar uma plataforma nacional durante o Bayou Classic, & ldquothe granddaddy & rdquo dos clássicos do futebol HBCU. O jogo inaugural foi apresentado em 1974 e transmitido na NBC de 1991-2014 até ser transferido para a NBC Sports Network em 2015.

Nos últimos 50 anos, o estilo Dolls & rsquo evoluiu para incorporar coreografia, balé e jazz mais complexos, usando suas luvas brancas e guarda-sóis nas rotinas, um aceno para a segunda linha de Nova Orleans, mantendo a tradição de lindos trajes e a linha de chute , uma reminiscência da Radio City Rockettes.

As bonecas dançantes originais em 1969.

Southern University A e ampM College

Nesses 50 anos, 168 mulheres foram bonecas. As Forever Dolls tornaram-se profissionais da educação (professores, membros do conselho escolar, ensino superior), coreógrafos e performers profissionais, proprietários de estúdios de dança e muito mais.

Perkins, junto com Greggs, o diretor de banda de longa data, selecionou oito jovens mulheres recém-saídas do ensino médio para dançar junto com a banda em 1969. A banda então era só masculina, para que as jovens acrescentassem emoção aos shows de campo e fornecer outra forma de entretenimento para a multidão.

Greggs e Perkins sabiam exatamente o que queriam e seu foco em estilo e precisão continuaria a diferenciar os Dolls de outras equipes da HBCU. As mulheres não seriam majorettes, mas dançarinas. Apesar da popularidade das majorettes na época, não haveria bastões, botas com borlas ou degraus altos das mulheres em campo, mas sim dança clássica.

& ldquoMajorettes & mdash that & rsquos what Doc didn & rsquot quer. Doc queria algo totalmente diferente que fosse mais parecido com pompa ”, disse Perkins. E assim as jovens experimentavam várias formas de dança, do jazz ao sapateado, mas um elemento era inegociável: a linha de chute.

Em sua apresentação de estreia, eles usaram chapéus de lantejoulas, uma malha dourada, botas de cano altas brilhantes e luvas longas. Eles começaram a se apresentar no Southern e em Scotlandville, uma comunidade afro-americana em Baton Rouge, em bailes de debutantes, concursos de fraternidade e fraternidade e outros eventos da sociedade.

2019 Bonecos Dançantes na Southern University.

Mídia Jukebox da Southern University

Nos próximos 40 anos, as equipes e a banda ganharam popularidade, apresentando-se no Rose Bowl, na inauguração do Presidente Clinton e rsquos, no Macy & rsquos Thanksgiving Day Parade, jogos da NFL e todos os jogos Bayou Classic desde 1974. Os Dancing Dolls foram aclamados em seu direito próprio, dançando em dois Super Bowls, incluindo com Madonna em 2012 e depois por trás de Beyonc e eacute nela Limonada álbum visual.

Perkins diz que ela e Greggs, que morreu em 2014, não imaginavam que as Dancing Dolls se tornariam a instituição histórica que é hoje. & ldquoNós não tínhamos ideia que seria assim, e acho que seria & rsquos porque tínhamos muita disciplina e a disciplina foi transportada para a comunidade. & rdquo

Práticas fechadas ao público e à banda, tradição que se mantém até hoje. E o mesmo acontece com o ensino de excelência em sua aparência e vestimenta. Essa disciplina rendeu excelência dentro e fora do campo e logo mais grupos de dança na comunidade começaram a seguir o modelo da equipe.

Ainda mais, essa disciplina e ensino ajudariam as moças de todas as esferas da vida, como Molizone-Morgan, a desabrochar em mulheres jovens.

Casey Greggs, neta de Isaac Greggs, era uma dessas meninas. Criada em torno das Dolls Dançantes durante grande parte de sua vida, ela diz que, apesar de sua proximidade com elas, ainda as admirava.

"Sei que tive um privilégio diferente que a maioria das meninas não tem, mas fiquei tão chocado quanto todas as outras meninas que os observavam", disse Greggs. & ldquoEles eram tão elegantes e equilibrados, agradáveis ​​e doces. Eram mulheres que as meninas podiam admirar. & Rdquo

Antes de se tornar uma Doll Dancing em 2009, ela foi dançarina Starlette do Louisiana Leadership Institute no colégio, sob a liderança de Molizone-Morgan & rsquos. Ela diz que sua orientação foi uma influência direta de sua experiência na Doll.

"Tudo o que ela aprendeu com Dolls, ela trouxe esses mesmos valores e princípios para nós quando dançamos pela Liderança da Louisiana", disse Greggs. & ldquoEla nos ensinou muito sobre irmandade. Ela nos ensinou comunhão. Aprendemos muito com ela e ela nos deu ótimas experiências. & Rdquo

Molizone-Morgan e suas equipes de dança, embora não fossem afiliadas a uma universidade, continuaram a competir nacionalmente, até mesmo se apresentando no Rose Bowl em 2007 e em um programa intensivo de dança apresentado pelo ícone das artes cênicas e atriz Debbie Allen.

Molizone-Morgan se tornou conselheira da Dolls & rsquo por dois anos como voluntária, treinando e aconselhando equipes, enquanto continuava a trabalhar no ensino superior em outras funções, concluindo seu mestrado em administração pública em 2007.

O que & rsquos & # 128293 agora mesmo

Da esquerda para a direita: Monique Molizone-Morgan com as filhas Mackenzie e Peyton e o marido Jabari, ex-percussionista de banda da Southern University.

Agora, duas décadas depois, ao relembrar sua própria vida, ela atribui a exposição & mdash a busca pela educação pós-secundária e, por meio dela, tornar-se uma boneca dançante por ter mudado sua vida.

& ldquoSe não fosse por influências na minha vida, onde eu estaria? Eu seria um estereótipo ”, disse ela. & ldquoMas minha mãe, independentemente do que me rodeia, decidiu que permitiria que eu ficasse perto de outras pessoas, e essa exposição me proporcionou uma paisagem para dizer que isso não é o que você crescerá. & rdquo


O que há de novo na Southern

Este site usa cookies para garantir que os visitantes tenham a melhor experiência em nosso site. Ao continuar a usar este site, você aceita nosso uso de cookies e Declaração de Privacidade. Para saber mais, visite a Declaração de Privacidade da Southern University.

  • Southern University e
    A & ampM College
  • Baton Rouge
    70813
  • Telefone: (225) 771-4500

A Southern University e a A & ampM College são credenciadas pela Southern Association of Colleges and Schools Commission on Colleges, SACSCOC, para conceder bacharelado, mestrado e doutorado. Entre em contato com a Southern Association of Colleges and Schools Commission on Colleges em 1866 Southern Lane, Decatur, Georgia, 30033-4097 ou ligue 404-679-4500 para perguntas sobre o credenciamento da Southern University e A & ampM College.


Nossa História, Nosso Futuro

A Southern University abriu suas portas em 1880 em New Orleans, Louisiana, com 12 alunos, cinco membros do corpo docente e um orçamento de US $ 10.000. em 1914, a Universidade foi transferida para a capital da Louisiana - Baton Rouge. O Southern University and A & ampM College System foi criado pelo legislativo estadual sob a gestão do Southern University Board of Supervisors. A Universidade se expandiu para outras cidades do estado, estabelecendo a Southern University, New Orleans (SUNO), Southern University Shreveport (SUSLA), o Southern University Law Center e o Southern University Agricultural Research and Extension Center (SUAREC). O Southern University Ag Center foi estabelecido em 1o de julho de 2001 devido à necessidade de aumentar o impacto de nossos programas de concessão de terras sobre os cidadãos do estado da Louisiana. A missão do Centro é conduzir pesquisa básica e aplicada e divulgar informações aos cidadãos da Louisiana de uma maneira que seja essencial para atender às necessidades científicas, tecnológicas, sociais, econômicas e culturais de sua clientela. SUAREC engloba o Centro de Pesquisa Agropecuária, estabelecido em 1983, o Programa de Extensão Cooperativa, a Mostra Pecuária SU e sua arena de última geração com uma estação experimental de pesquisa agrícola de 385 acres e o Centro Sudoeste de Iniciativas Rurais , uma entidade satélite localizada em Opelousas. Nos últimos anos, o College of Agricultural, Family and Consumer Sciences da Southern University em Baton Rouge foi relinkado ao Southern University Ag Center com um Chanceler-Reitor inaugural tomando posse em 1º de setembro de 2016. Em um futuro próximo, uma potencial aquisição de mais de 400 acres de terra do antigo Jetson Center for Youth serão formalizados, tornando-se parte da Estação Experimental Agrícola da Southern University. A Faculdade de Agricultura, Pesquisa Agropecuária e Extensão Cooperativa agora está sob uma gestão e será comumente conhecida como Campus Land-Grant, com foco no ensino, pesquisa e extensão para cumprir sua missão de concessão de terras em todo o estado.


História

História ensina os alunos a compreender as origens e transformações de diversos povos e sociedades. Permite-nos comparar as diferenças entre as sociedades e reconhecer o que nos torna todos humanos. Examinar o passado fornece uma visão do mundo presente em que vivemos e promove a boa cidadania. Os alunos se preparam para interpretar as complexidades de nosso planeta interconectado e desenvolver habilidades práticas em análise crítica, escrita sólida, métodos de pesquisa, apresentação oral e o uso de evidências.

O que vou aprender?

As ofertas de cursos de história são amplas, mas o currículo é projetado para que os alunos possam se especializar em regiões e períodos específicos. Existem oportunidades para explorar e desenvolver habilidades em:

  • Habilidades analíticas, de pesquisa, redação e verbais
  • História do mundo
  • A História das Interações Humanas
  • Histórias da América do Norte, África e Europa
  • Estudo de guerra e sociedade
  • Estudo do Golfo Sul
  • História Oral e Patrimônio Cultural
  • Estudos internacionais
  • Educação de História

Os alunos podem receber crédito da faculdade para estágios em uma variedade de ambientes profissionais e de história pública. Os alunos licenciados irão passar o tempo em várias salas de aula do Mississippi, trabalhando com professores mentores, professores de História e diretores de área. Seu último semestre será passado como aluno ensinando em uma escola da área.

História foi o departamento fundador do Simpósio de Pesquisa de Graduação e nossas aulas promovem habilidades de pesquisa primária. Nossos alunos escreveram teses de honra e apresentaram em conferências acadêmicas nacionais. O programa de Licenciatura de Estudos Sociais é projetado para preparar alunos para lecionar no ensino fundamental e médio, mas também desenvolve a pesquisa, a redação e as habilidades analíticas necessárias para a faculdade de direito, pós-graduação e outros planos de carreira não docentes

História oferece sete bolsas de graduação em História e prêmios com base no mérito e na necessidade financeira.

  • Prêmio Dr. John E. Gonzales
  • Bolsa de estudos do Dr. John E. Gonzales
  • Dr. John E. Gonzales Bolsa de Estudos no Exterior
  • Bolsa Claude E. Fike
  • Bolsa de Estudos de História do Dr. Kenneth G. McCarty
  • Bolsa de estudos para licenciatura em História da Educação Secundária Nolena Love Stephens Memorial
  • Carroll Warren e Parker History Scholarship

Visite a USM Foundation para obter mais informações.

Professores de história conduzem programas de estudo no exterior na Inglaterra, Cuba, França e Vietnã.

Visite o Office of Study Abroad para mais informações.

Divulgação de licença profissional

Os programas da University of Southern Mississippi que preparam os alunos para o licenciamento inicial como educadores são projetados para atender aos padrões de licenciamento estabelecidos pelo Departamento de Educação do Mississippi. Os alunos que buscam licenciamento em outro estado são aconselhados a entrar em contato com o conselho de licenciamento apropriado naquele estado para determinar os requisitos específicos das diretrizes de reciprocidade. A University of Southern Mississippi não pode confirmar se um determinado programa de licenciamento atende aos requisitos de licenciamento fora do estado do Mississippi. Para obter informações específicas, entre em contato com Jennifer Wild (Jennifer.wildFREEMississippi). Para obter uma lista das secretarias estaduais de educação que fiscalizam o licenciamento profissional, consulte o Site do Departamento de Educação dos EUA - Contatos estaduais página.


Curso de graduação

Saudações! Obrigado por visitar nosso website e considerar a Southern University e a A & amp M College. O Southern University History Program é uma unidade de excelência acadêmica amigável ao aluno que oferece uma experiência educacional acessível, duradoura, estimulante e inspiradora para os alunos que buscam o estudo da história. Nossa unidade continua firme em seu esforço para produzir alunos qualificados que possam demonstrar um amplo conhecimento das histórias e dos povos do mundo e usar as ferramentas da pesquisa histórica para expandir os campos do conhecimento. Vários de nossos graduados seguiram para buscar diplomas de pós-graduação e treinamento profissionalizante em um esforço consciencioso para melhor servir nossas comunidades, estados, a nação e o mundo. Escolha o nosso programa e classifique-se entre os ex-alunos do sul preparados, eficazes e orgulhosos.

A missão do Southern University History Program é produzir alunos que possam demonstrar um amplo conhecimento das histórias e dos povos do mundo e usar as ferramentas da pesquisa histórica para expandir os campos do conhecimento. Os alunos que concluem o bacharelado em História demonstrarão adequadamente uma competência em história, expressando-se oralmente e por escrito em qualquer área.

Programas e graus oferecidos

Bacharel em História

BACHARELADO DE ARTES NA HISTÓRIA

Primeiro ano

PRIMEIRO SEMESTRE SEGUNDO SEMESTRE

Curso No. Cr. Curso No. Cr.

Composição para Freshman INGLATERRA 110 3 Composição para Freshman INGLATERRA 111 3

College Mathematics I MATEMÁTICA 130 3 College Mathematics II MATEMÁTICA 131 3

Biologia Geral BIOL 104 3 Biologia Geral 105 BIOL 105 3

História da Civilização HIST 114 3 História da Civilização HIST 115 3

Seminário de Calouros FRMN 110 1 Seminário de Calouros FRMN 111 1

TOTAL 13 TOTAL 13

Segundo ano

PRIMEIRO SEMESTRE SEGUNDO SEMESTRE

Curso No. Cr. Curso No. Cr.

Técnicas da Fala 210 3 Inglês Eletivo 3

Filosofia 3 Ciências Físicas PHYS 101 c / Laboratório 4

Eletiva de Inglês 3 Artes Eletiva de 3

Sequência de língua estrangeira FOLG 100 3 Sequência de língua estrangeira FOLG 101 3

American Govt. POLS 200 3 Geografia Eletiva 3

Intro. para Sociologia SOCL 210 3

TOTAL 18 TOTAL 16

Primeiro ano

PRIMEIRO SEMESTRE SEGUNDO SEMESTRE

Curso No. Cr. Curso No. Cr.

História dos EUA HIST 224 3 História dos EUA HIST 225 3

História (fora dos EUA) 3 História (fora dos EUA) 3

Princípios de Economia ECON 200 3 Ciência da Computação 3

História HIST 400 3 Historiografia HIST 414 3

TOTAL 15 TOTAL 12

Último ano

PRIMEIRO SEMESTRE SEGUNDO SEMESTRE

Curso No. Cr. Curso No. Cr.

Língua Estrangeira FOLG 200 3 Eletiva Gratuita 3

Eletivas Gratuitas 6 Saúde / PE Atividade 3

Eletivas de História 9 Eletivas de Humanidades 6

TOTAL 21 TOTAL 12

Cursos Oferecidos e Descrições

HIST 104. HISTÓRIA AMERICANA (Crédito, 3 horas). Um levantamento da história americana desde a colonização europeia da América do Norte até 1865.

HIST 105. HISTÓRIA AMERICANA (Crédito, 3 horas). Uma continuação do HIST 104 com ênfase no período de 1865 até o presente.

HIST 114. HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO (Crédito, 3 horas). Um levantamento da civilização mundial desde a época pré-histórica até cerca de 1500.

HIST 115. HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO (Crédito, 3 horas). Uma continuação do HIST 114 com ênfase na civilização de 1500 até o presente.

HIST 224. HISTÓRIA DOS ESTADOS UNIDOS (Crédito, 3 horas). Um amplo exame dos principais movimentos e filosofias políticos, sociais e econômicos que contribuíram para o pensamento e o desenvolvimento americanos desde os tempos coloniais até 1865.

HIST 225. HISTÓRIA DOS ESTADOS UNIDOS (Crédito, 3 horas). Uma continuação de HIST 224 com ênfase no período de 1865 até o presente.

HIST 230. HISTÓRIA DE LOUISIANA (Crédito, 3 horas). Uma pesquisa da Louisiana colonial e anterior à guerra com ênfase na relação desses períodos com os problemas e questões que o estado enfrenta hoje.

HIST 235. INTRODUÇÃO A ESTUDOS AFRICANO-AMERICANOS (Crédito, 3 horas). uma pesquisa interdisciplinar da experiência negra nos Estados Unidos.

HIST 306. AMERICAN MILITARY HISTORY (Credit, 3 hours). A survey of the military history of the United States from the American Revolution to the present.

HIST 311. AFRICAN-AMERICAN HISTORY (Credit, 3 hours). A survey of the history of African Americans in the United States from their African background to the present. Emphasis on the changing status of African Americans and their contribution to the American society.

HIST 320. HISTORY OF THE FAR EAST (Credit, 3 hours). A survey of Oriental history. Emphasis given to internal developments and intercultural action of one country upon another.

HIST 325. HISTORY OF THE CIVIL RIGHTS MOVEMENT (Credit, 3 hours). An examination of the Civil Rights Movement in the United States with emphasis on its origins, goals, philosophies, events, tactics, organizations, and personalities.

HIST 354/355. AMERICAN CONSTITUTIONAL HISTORY (Credit, 3 hours each). Constitutional development from 1781 to the present. Emphasis on executive, legislative, and judicial evolution as they affect the social economic system of the United States.

HIST 385. CONTEMPORARY LATIN AMERICA (Credit, 3 hours). Current domestic problems and international issues confronted by the republic of Latin America.

HIST 400. INTRODUCTION TO THE STUDY OF HISTORY AND WRITING IN THE SOCIAL SCIENCES (Credit, 3 hours). Designed for education majors with a concentration in history. Course provides the students the opportunity to study and write interpretively about major events and issues.

HIST 401. HISTORY OF AFRICAN-AMERICANS TO 1877 (Credit, 3 hours). An intensive study of African Americans to the end of Reconstruction in 1877.

HIST 403. AMERICAN DIPLOMATIC HISTORY (Credit, 3 hours each). An examination of the United States relationship with the rest of the world from the Declaration of Independence to the present.

HIST 404. THE HISTORY OF SCIENCE (Credit, 3 hours).An analysis of scientific thought from the ancient Orient to the present.

HIST 405. ANCIENT EGYPT (Credit, 3 hours). A survey of the historical and archaeological records of ancient Egypt, including Nubian and Kemetan (Egyptian) culture, to the Roman conquest.

HIST 410. CIVIL WAR AND RECONSTRUCTION (Credit, 3 hours). A study of the causes of the Civil War, problems of both the North and South during the War, and problems of Reconstruction.

HIST 414. HISTORIOGRAPHY (Credit, 3 hours). Fundamentals of historical research and writing.

HIST 419. HISTORY OF AFRICAN-AMERICAN EDUCATION IN AMERICA (Credit, 3 hours). Examination of the education of black America from 1619 to the present. Emphasis placed on major events and personalities shaping black educational experiences in the United States.

HIST 420. READINGS AND PROBLEMS IN HISTORY (Credit, 1-3 hours). Independent selected study offered for special programs or projects.

HIST 422. SECTIONAL CONTROVERSIES IN THE UNITED STATES (Credit, 3 hours). An intensive review of the social, political, and economic issues that led to the division within the United States and eventually caused the Civil War.

HIST 423. HISTORY OF THE NEW SOUTH (Credit, 3 hours). An intensive study of the South since Reconstruction.

HIST 430. A CULTURAL AND SOCIAL HISTORY OF LOUISIANA (Credit, 3 hours). A survey of Louisiana cultures and the political, social, and economic forces that helped to shape them. Prerequisite: HIST 230.

HIST 463. INDIANS OF NORTH AMERICA (Credit, 3 hours). A historical and anthropological survey of the Indians of North America, with one-half of the semester devoted to a study of Native American culture and the other half devoted to the relations between the federal government and Indian tribes.

HIST 474. HISTORY OF EUROPE (Credit, 3 hours). A detailed narrative of characteristic and institutional development from the Italian Renaissance to Napoleon&rsquos Waterloo.

HIST 475. HISTORY OF MODERN EUROPE (Credit, 3 hours). Continuation from Waterloo to the present with emphasis on Europeanization of the world.

HIST 481. HISTORY OF RUSSIA (Credit, 3 hours). A study of Russian history from earlier times to present.

HIST 482. EUROPEAN IMPERIALISM (Credit, 3 hours). A study of colonial and modern imperialism and the impact of neocolonialism.

HIST 483. HISTORY OF EAST AFRICA (Credit, 3 hours). A study of ancient, colonial, and modern East Africa.

HIST 484. PROBLEMS IN AMERICAN SOCIAL AND INTELLECTUAL HISTORY SINCE 1900 (Credit, 3 hours). Major social and intellectual problems in American life and thought.

HIST 485. PROBLEMS IN POLITICAL AND DIPLOMATIC HISTORY SINCE 1900 (Credit, 3 hours). Emphasis on the rise of the United States as a dominant world power and advent of the Great Society.

HIST 486. AFRICAN-AMERICANS IN THE TWENTIETH CENTURY (Credit, 3 hours). An intensive study of the changing economic, social, and political status of African-Americans since 1900.

HIST 487. HISTORY OF THE MIDDLE EAST (Credit, 3 hours). A study of the Middle East from the rise of Islam to modern times.

HIST 488. URBAN HISTORY (Credit, 3 hours). A survey of urban development in the United States from the early colonial towns to the 20th century megalopolis.

HIST 490. HISTORY OF WOMEN IN AMERICA (Credit, 3 hours). An examination of shifts in the perception of women&rsquos roles from a social, political, economic, and intellectual perspective.

HIST 491/547. HISTORY OF SOUTH AFRICA (Credit, 3 hours each). Aims to outline, clarify, and amplify socio-economic and political developments in the Cape region after the European intrusion and their repercussions to the modern era.

HIST 493/548. AFRICAN CIVILIZATIONS IN LATIN AMERICA (Credit, 3 hours each). An examination of the culture, politics, economy, and other social aspects of black people in Latin America from the voyages of Columbus to the present.

HIST 494/545. AFRICAN HISTORY (Credit, 3 hours each). A study of the history of Africa from prehistoric times to circa 1800.

HIST 495/546. AFRICAN HISTORY (Credit, 3 hours each). A continuation of HIST 494, 545 with emphasis on African history from 1800 to the present.

HIST 496. AFRICAN-AMERICAN WOMEN IN AMERICA (Credit, 3 hours). A study of the history of the African-American female in America from the Colonial period to the Civil War.

HIST 497. AFRICAN-AMERICAN WOMEN IN AMERICA (Credit, 3 hours). A continuation of HIST 496, with emphasis on the African-American female in America, from Reconstruction to the present.

HIST 499/550. WEST AFRICAN HISTORY (Credit, 3 hours). A survey of West African history from 1000 A.D. to the present.

Professors: Shawn Comminey, Wanda Jackson, Charles Vincent

Associate Professors: Peter Breaux

Assistant Professors: Michael Firven, Don Hernandez

Adjunct Professors: Emmitt Glynn, Dena Davis, Terrell Johnson, Latrenda Williams-Clark, Fred-Alan Williams, Sanford Robins, Shala Washington, Derrick Cavasos (Online), Tia Mills (Online)


A Brief History of SAU

Southern Arkansas University (SAU), a comprehensive regional public university, was founded more than a century ago as the Third District Agricultural School (TDAS). It was one of four such schools established by Act 100 of the Arkansas legislature on April 1, 1909, a date celebrated at SAU as Founder’s Day. It opened on January 3, 1911, as a residential secondary agricultural school for Southwest Arkansas after local citizens had raised funds to match state financing to locate the institution in Magnolia (Columbia County). A Progressive Era educational reform urged by the Farmers Educational and Cooperative Union, the school taught rural youngsters scientific agricultural practices, modern home economics, and academic subjects equivalent to a high school degree. The legacy of the Farmers Union continued as the school evolved into a university. SAU operates one of the state’s largest collegiate farms, and the school’s colors—Blue and Gold—are those of the union. SAU’s agricultural roots are also evident in its unique symbol—Muleriders–adopted in 1912 when its football players rode mules, ubiquitous and essential to Southern agriculture, to practice and games. The student yearbook was named The Mulerider in 1922, and the newspaper The Bray in 1923. At each home football game, a student rider on a mascot mule celebrates team successes.

Old Main from 1925 Mule Rider (Click photo to enlarge)

To increase the supply of rural schoolteachers, Arkansas elevated TDAS and the state’s other residential agricultural schools to junior college status with Act 229 in 1923 and Act 45 in 1925. Officially renamed State Agricultural and Mechanical College, Third District, the school was known everywhere as Magnolia A&M. The North Central Association of Colleges and Secondary Schools accredited Magnolia A&M in 1929, and the institution afterward maintained continuous accreditation through its later transformations. In the fall of 1949 the Board of Trustees, exercising authority vested in it by the state legislature, decided to change the junior college into a four-year, degree-granting institution. By Act 11 on January 24, 1951, the legislature confirmed this change in renaming the institution Southern State College (SSC). Enrollment grew from a few hundred students during the junior college years to well over two thousand during SSC’s twenty-five year history. The Arkansas legislature in Act 171 on February 14, 1975, created a three-campus SSC system by adding two junior college branches at El Dorado and Camden to the main campus at Magnolia. The El Dorado branch became an independent institution in 1991. Having gained accreditation from the North Central Association in 1973 to offer graduate courses in education, SSC began a Division of Graduate Studies on June 2, 1975. Legislative Act 343 granted SSC permission, subject to approval by the State Board of Higher Education, to change to university status. On July 9, 1976, SSC was renamed Southern Arkansas University. An Honors College for undergraduates and additional masters degrees in agriculture, business, computer science, counseling, and public administration in a School of Graduate Studies established at the beginning of the Twenty-First Century increased enrollment to more than 3,000 students.

See also James F. Willis, “Southern Arkansas University (SAU),” in the online Encyclopedia of Arkansas


História

California Southern University was born out of necessity.

The 100% online university was founded in 1978 by an engineer who struggled to earn his master’s and doctoral degrees while juggling a full-time-job, 40-mile commute, and family commitments.

Dr. Donald Hecht was convinced there had to be an easier and more affordable way for working professionals to supplement their education and earn a degree to meet their personal and professional goals.

So, he set out to create a new type of university designed for fully-employed adults with busy lives. After seeing firsthand the power of one-to-one mentoring, Hecht committed to providing all students with a personal touch not often associated with online education, and one that remains a hallmark of the CalSouthern learner experience.

The University established itself as a pioneer in distance learning through the 1980s and 1990s, growing its curriculum to more than 25 associate, bachelor’s, master’s and doctoral degrees, and certificate programs in the behavioral sciences, business, nursing, education, and criminal justice. Responding to the expanded offerings, learners came from across the country – and the world.

Also during this period, CalSouthern faculty more than tripled, attracting not only credentialed educators, but also experienced practitioners in every field of study.

By 2007, the University was among the first to offer an all-online format. It incorporated the latest technologies to create one of the largest research databases in distance education along with a master lecture series that allowed learners to interact virtually with leading scholars, authors and practitioners.


History of Southern

Life began for Southern Connecticut State University on September 11, 1893, when three teachers and 84 students met at the old Skinner School in New Haven to create a two-year teacher training school, New Haven State Normal School. By 1937, Southern had grown into a four-year college with the power to grant bachelor's degrees.

Ten years later, Southern teamed up with Yale University's Department of Education to offer a master of science degree. In 1954, the State Board of Education authorized the institution -- then known as New Haven State Teachers College -- to assume complete responsibility for this graduate program.

In 1959, six years after the institution had moved to its present location on Crescent Street, state legislation expanded Southern's offerings to include liberal arts programs leading to bachelor's degrees in the arts and sciences. At the same time, New Haven State Teachers College became Southern Connecticut State College.

For the next 24 years, Southern grew, modernized, and diversified, expanding its undergraduate and graduate programs and opening up entirely new fields of study and research. But March 1983 brought even greater changes: Southern Connecticut State College was rechristened Southern Connecticut State University, and made part of the Connecticut State University System, along with Central Connecticut State University in New Britain, Eastern Connecticut State University in Willimantic, and Western Connecticut State University in Danbury.


Southern University [New Orleans] (1956- )

Southern University is a historically black university with a main campus located in Baton Rouge, Louisiana. Originally founded in 1880 in New Orleans as Southern University in New Orleans, it began its mission of providing post-secondary education for African Americans with 12 students and 5 faculty members. In 1890 the school’s name was changed to Southern University, and in 1892 it was recognized as a land grant college. In 1912 the school awarded its first baccalaureate degree, and in 1914 the campus was moved to the state capitol in Baton Rouge.

The new campus in Baton Rouge included 884 acres of land, which now supports the Agricultural Experiment Farm, the site of the school’s agricultural teaching and research programs. Other programs at this campus include arts and humanities, home economics, business, education, law, nursing, public policy and urban affairs, the sciences, and Army and Navy ROTC. In 2009 the Baton Rouge campus had 10,300 students. This campus focuses on research and classic liberal arts training for students to prepare them for careers.

The Southern University System also includes another four-year campus in New Orleans, a two-year campus in Shreveport, and a law school in Baton Rouge. The four campuses were united as a system in 1975 by the state legislature, creating the largest historically black university in the United States. The combined enrollment of the four campuses in 2009 was 16,229.

During the civil rights movement, Southern University, Baton Rouge was a focus for student protests. On November 16, 1972, two students were shot and killed by police who were trying to remove them from an administration building that protesters had occupied. Although this happened only two years after the Kent State shootings, the Southern University shootings received much less media attention.

Southern University, New Orleans (SUNO) was established in 1956 and is one of the first historically black schools to be established after the 1954 Brown v. Conselho de Educação decision which officially desegregated educational institutions across the nation. Southern University, New Orleans, however was seen by many desegregation advocates as a thinly veiled attempt to keep African Americans out of the white system of higher education. Nonetheless, the institution opened in 1959 with 158 students, 88% of whom were from New Orleans.

Southern University, New Orleans awarded its first baccalaureate degrees in 1963 and soon developed into a four year mostly commuter-centered university with numerous evening and weekend study programs. Undergraduate majors include liberal arts and sciences, business, education, substances abuse, journalism, transportation, criminal justice, and social welfare. SUNO is smaller than the Baton Rouge campus and in 2005 it was badly flooded in Hurricane Katrina and has struggled to restore its student body and campus infrastructure. In 2009 its enrollment was 3,105.

Southern University’s Shreveport campus is smaller and had a less controversial founding. Established in 1964 as a small junior college for Northwest Louisiana, it had at its founding about 750 students. The college features a low student to faculty ratio of 15 to 1, and offers two programs in business, humanities, natural science, social science, and general education in preparation for transfer to a four year university. It also offers remedial education and one and two year courses for careers in technical or semiprofessional fields. The campus enrollment in 2009 was 2,337.

The Southern University Law Center in New Orleans was founded in 1947 partly to avoid the racial integration of the Louisiana State University Law School. It had an enrollment of 487 in 2009.


Assista o vídeo: A week in the life of Korea University student 고려대학교 외국인 학생 일주일 브이로그