22 de janeiro de 2014, dia 2 do sexto ano - História

22 de janeiro de 2014, dia 2 do sexto ano - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O presidente Barack Obama trabalha em seu discurso sobre o Estado da União com o diretor de redação de discursos Cody Keenan no Salão Oval, em 22 de janeiro de 2014

10:00 O PRESIDENTE e o VICE-PRESIDENTE recebem o Briefing Diário Presidencial
sala Oval

10:45 O PRESIDENTE e o VICE-PRESIDENTE se reúnem com a Comissão Presidencial de Administração Eleitoral
Quarto Roosevelt

11h30 O PRESIDENTE e o VICE-PRESIDENTE convocam uma reunião com alguns secretários de gabinete do Conselho para Mulheres e Meninas
sala Oval

12h30 O PRESIDENTE e o VICE-PRESIDENTE se encontram para almoçar
Sala de Jantar Privada

14h05 O PRESIDENTE e o VICE-PRESIDENTE organizam um evento para o Conselho sobre Mulheres e Meninas
Quarto Leste

16h30 O PRESIDENTE e o VICE-PRESIDENTE se reúnem com o Secretário do Tesouro Lew

sala Oval


Constituição da Índia

o Constituição da Índia (IAST: Bhāratīya Saṃvidhāna) é a lei suprema da Índia. [3] [4] O documento estabelece a estrutura que demarca o código político fundamental, estrutura, procedimentos, poderes e deveres das instituições governamentais e estabelece os direitos fundamentais, os princípios diretivos e os deveres dos cidadãos. É a mais longa constituição escrita de qualquer país da Terra. [a] [5] [6] [7]

B. R. Ambedkar
Presidente do Comitê de Redação

Surendra Nath Mukherjee
Relator-Chefe da Assembleia Constituinte [2]

Ele confere supremacia constitucional (não supremacia parlamentar, uma vez que foi criado por uma assembléia constituinte e não pelo Parlamento) e foi adotado por seu povo com uma declaração em seu preâmbulo. [8] O Parlamento não pode anular a constituição.

Foi adotado pela Assembleia Constituinte da Índia em 26 de novembro de 1949 e entrou em vigor em 26 de janeiro de 1950. [9] A constituição substituiu a Lei do Governo da Índia de 1935 como o documento governamental fundamental do país, e o Domínio da Índia tornou-se a República da Índia . Para garantir a autoctonia constitucional, seus criadores revogaram atos anteriores do parlamento britânico no Artigo 395. [10] A Índia celebra sua constituição em 26 de janeiro como o Dia da República. [11]

A constituição declara a Índia uma república soberana, socialista, secular [12] e democrática, garante aos seus cidadãos justiça, igualdade e liberdade, e se esforça para promover a fraternidade. [13] A constituição original de 1950 foi preservada em uma caixa cheia de hélio na Casa do Parlamento em Nova Delhi. As palavras "secular" e "socialista" foram acrescentadas ao preâmbulo em 1976, durante a Emergência. [14]


Abaixo está um esboço abreviado da carreira acadêmica, profissional e política de Amash: & # 917 & # 93

U.S. House

2019-2020

No início do 116º Congresso, Amash foi designado para o Comitê de Supervisão e Reforma do Governo. Ele foi designado para o comitê pela primeira vez em 2011 e renunciou ao comitê em 8 de julho de 2019. & # 918 & # 93 Após sua renúncia do Comitê de Supervisão e Reforma do Governo, Amash não teve designações para o comitê na Casa dos Estados Unidos. & # 919 e # 93

2017-2018

No início do 115º Congresso, Amash foi designado para os seguintes comitês: & # 9110 & # 93

2015-2016

Amash atuou nos seguintes comitês: & # 9111 & # 93

2013-2014

Amash atuou nos seguintes comitês: & # 9112 & # 93

    • Subcomitê de Operações Governamentais
    • Subcomissão de Segurança Nacional, Defesa Nacional e Operações Estrangeiras

    2011-2012

    Amash serviu nos seguintes comitês da Câmara: & # 9113 & # 93

    • Subcomitê da Força de Trabalho Federal, Serviço Postal dos EUA e Política de Trabalho Vice-presidente
    • Subcomitê de Organização Governamental, Eficiência e Gestão Financeira
    • Subcomitê do TARP, Serviços Financeiros e Resgates de Programas Públicos e Privados

    Em março de 2012, Amash foi um dos dois republicanos que votaram contra o plano orçamentário de Paul Ryan no Comitê de Orçamento da Câmara. Amash e Tim Huelskamp disseram que sentiram que o plano não cortou o orçamento com rapidez suficiente. Em dezembro de 2012, foi revelado que ambos os representantes não serviriam no Comitê de Orçamento da Câmara no 113º Congresso. & # 9114 & # 93 & # 9115 & # 93


    Conteúdo

    Calendário pré-islâmico

    Para o centro da Arábia, especialmente Meca, há falta de evidência epigráfica, mas os detalhes são encontrados nos escritos de autores muçulmanos da era abássida. Inscrições nos antigos calendários da Arábia do Sul revelam o uso de vários calendários locais. Pelo menos alguns desses calendários da Arábia do Sul seguiram o sistema lunissolar. Tanto al-Biruni quanto al-Mas'udi sugerem que os árabes antigos usavam os mesmos nomes de meses que os muçulmanos, embora também registrem outros nomes de meses usados ​​pelos árabes pré-islâmicos. [6] [ que? ]

    A tradição islâmica é unânime em afirmar que os árabes de Tihamah, Hejaz e Najd distinguiram entre dois tipos de meses, permitido (ḥalāl) e proibido (ḥarām) meses. [6] Os meses proibidos foram quatro meses durante os quais a luta é proibida, listada como Rajab e os três meses em torno da temporada de peregrinação, Dhu al-Qa'dah, Dhu al-Hijjah e Muharram. [6] Um conceito semelhante, se não idêntico, aos meses proibidos também é atestado por Procópio, onde ele descreve um armistício que os árabes orientais de Lakhmid al-Mundhir respeitaram por dois meses no solstício de verão de 541 EC. [6] No entanto, os historiadores muçulmanos não associam esses meses a uma estação específica. O Alcorão liga os quatro meses proibidos com Nasī ’, uma palavra que significa literalmente "adiamento". [6] De acordo com a tradição muçulmana, a decisão de adiamento foi administrada pela tribo de Kinanah, [7] por um homem conhecido como o al-Qalammas de Kinanah e seus descendentes (pl. qalāmisa). [8]

    Diferentes interpretações do conceito de Nasī ’ foram propostas. [9] Alguns estudiosos, tanto muçulmanos [10] [11] como ocidentais, [6] [7] afirmam que o calendário pré-islâmico usado na Arábia central era um calendário puramente lunar semelhante ao calendário islâmico moderno. De acordo com esta visão, Nasī ’ está relacionado às práticas pré-islâmicas dos árabes de Meca, onde eles alterariam a distribuição dos meses proibidos dentro de um determinado ano, sem implicar em uma manipulação do calendário. Esta interpretação é apoiada por historiadores e lexicógrafos árabes, como Ibn Hisham, Ibn Manzur e o corpus da exegese do Alcorão. [12]

    Isso é corroborado por uma das primeiras inscrições sabáicas, onde um ritual religioso foi "adiado" (ns''w) devido à guerra. De acordo com o contexto desta inscrição, o verbo ns '' não tem nada a ver com intercalação, mas apenas com o movimento de eventos religiosos dentro do próprio calendário. A semelhança entre o conceito religioso desta inscrição antiga e o Alcorão sugere que o adiamento do não calendário é também o significado do Alcorão de Nasī ’. [6] O Enciclopédia do Islã conclui "O sistema árabe de [Nasī '] só pode ter a intenção de mover o Hajj e as feiras associadas a ele nos arredores de Meca para uma estação do ano adequada. Não se pretendia estabelecer um calendário fixo a ser geralmente observado . " [13] O termo "calendário fixo" é geralmente entendido como referindo-se ao calendário não intercalado.

    Outros concordam que era originalmente um calendário lunar, mas sugerem que cerca de 200 anos antes da Hégira foi transformado em um calendário lunisolar contendo um mês intercalar adicionado de vez em quando para manter a peregrinação dentro da estação do ano em que a mercadoria era mais abundante . Esta interpretação foi proposta primeiro pelo astrólogo e astrônomo muçulmano medieval Abu Ma'shar al-Balkhi, e mais tarde por al-Biruni, [8] [14] al-Mas'udi e alguns estudiosos ocidentais. [15] Esta interpretação considera Nasī ’ ser um sinônimo da palavra árabe para "intercalação" (kabisa) Os árabes, de acordo com uma explicação mencionada por Abu Ma'shar, souberam desse tipo de intercalação dos judeus. [7] [8] [14] O judeu Nasi foi o oficial que decidiu quando intercalar o calendário judaico. [16] Algumas fontes dizem que os árabes seguiram a prática judaica e intercalaram sete meses ao longo de dezenove anos, ou então que intercalaram nove meses ao longo de 24 anos, entretanto, não há consenso entre os estudiosos sobre este assunto. [17]

    Proibindo Nasī ’

    No décimo ano da Hégira, conforme documentado no Alcorão (Surah At-Tawbah (9): 36–37), os muçulmanos acreditam que Deus revelou a "proibição dos Nasī '".

    O número dos meses, com Deus, é doze no Livro de Deus, o dia em que Ele criou os céus e a terra, quatro deles são sagrados. Essa é a religião certa. Tão errado um com o outro durante eles. E lute contra os incrédulos totalmente, mesmo que eles lutem totalmente contra você e saibam que Deus está com os tementes a Deus. Saiba que a intercalação (nasi) é um acréscimo à descrença. Aqueles que descrêem são levados ao erro, tornando-o lícito em um ano e proibido em outro, a fim de ajustar o número de (os meses) tornados sagrados por Deus e tornar os sagrados permitidos. A maldade de sua conduta parece agradável para eles. Mas Deus não dá orientação para aqueles que descrêem.

    A proibição de Nasi 'provavelmente teria sido anunciada quando o mês intercalado tivesse retornado à sua posição pouco antes do mês de Nasi' começar. Se Nasī 'significava intercalação, então o número e a posição dos meses intercalares entre AH 1 e AH 10 são datas incertas do calendário ocidental comumente citadas para eventos importantes no início do Islã, como a Hijra, a Batalha de Badr, a Batalha de Uhud e a Batalha da Trincheira deve ser vista com cautela, pois eles podem estar errados por um, dois, três ou até quatro meses lunares. Essa proibição foi mencionada por Muhammad durante o sermão de despedida que foi proferido em 9 Dhu al-Hijjah AH 10 (data juliana, sexta-feira, 6 de março de 632 EC) no Monte Arafat durante a peregrinação de despedida a Meca. [ citação necessária ]

    Certamente, o Nasi 'é um acréscimo ímpio, que levou os infiéis ao erro. Um ano eles autorizam o Nasi ', outro ano eles o proíbem. Eles observam o preceito divino com respeito ao número dos meses sagrados, mas de fato profanam o que Deus declarou ser inviolável e santificam o que Deus declarou ser profano. Certamente o tempo, em sua revolução, voltou a ser como era na criação dos céus e da terra. Aos olhos de Deus, o número de meses é doze. Entre esses doze meses, quatro são sagrados, a saber, Rajab, que fica sozinho, e três outros que são consecutivos.

    Os três meses sagrados (proibidos) sucessivos mencionados pelo Profeta Muhammad (meses em que as batalhas são proibidas) são Dhu al-Qa'dah, Dhu al-Hijjah e Muharram, meses 11, 12 e 1, respectivamente. O único mês proibido é Rajab, mês 7. Esses meses foram considerados proibidos tanto no novo calendário islâmico quanto no antigo calendário pagão de Meca. [21] [6] [22] [23] [24]

    O dia islâmico começa ao pôr do sol. Os muçulmanos se reúnem para orar em uma mesquita ao meio-dia no "dia da reunião" (Yawm al-Jumʿah) que corresponde ao início lunar do dia, que é quinta-feira à noite, no momento em que o sol se põe completamente. [ citação necessária ] Maghrib neste dia é o início do dia. [ citação necessária ]

    Assim, o "dia de coleta" costuma ser considerado o dia de folga semanal. Isso é frequentemente oficializado, com muitos países muçulmanos adotando sexta-feira e sábado (por exemplo, Egito, Arábia Saudita) ou quinta e sexta-feira como fins de semana oficiais, durante os quais os escritórios são fechados outros países (por exemplo, Irã) optam por fazer apenas sexta-feira um dia de descanso. Alguns outros (por exemplo, Turquia, Paquistão, Marrocos, Nigéria, Malásia) adotaram o fim de semana de sábado a domingo, enquanto fazem da sexta-feira um dia de trabalho com um longo intervalo do meio-dia para permitir tempo livre para o culto. [ citação necessária ]

    Quatro dos doze meses islâmicos são considerados sagrados: Rajab (7) e os três meses consecutivos de Dhū al-Qa'dah (11), Dhu al-Ḥijjah (12) e Muḥarram (1). [25] Como a duração média de um ano tropical é 365,24219 dias, enquanto a duração média de longo prazo de um mês sinódico é 29,530587981 dias, o ano lunar médio é (365,24219 - 12 × 29,530587981 ≈) 10,87513 dias mais curto do que a média solar ano, fazendo com que os meses do calendário islâmico avançassem cerca de onze dias antes em relação às datas do calendário gregoriano a cada ano civil. [b] "Como resultado, o ciclo de doze meses lunares regride através das estações ao longo de um período de cerca de 33 anos [solares]". [26]

    Duração dos meses

    Cada mês do calendário islâmico começa no nascimento do novo ciclo lunar. Tradicionalmente, isso é baseado na observação real do crescente da lua (hilal) marcando o fim do ciclo lunar anterior e, portanto, do mês anterior, iniciando assim o novo mês. Consequentemente, cada mês pode ter 29 ou 30 dias dependendo da visibilidade da lua, do posicionamento astronômico da terra e das condições climáticas. No entanto, certas seitas e grupos, principalmente os muçulmanos Bohras, como Alavis, Dawoodis e Sulaymanis e os muçulmanos ismaelitas xiitas, usam um calendário islâmico tabular (ver seção abaixo) em que os meses ímpares têm trinta dias (e também o décimo segundo mês em um salto ano) e mesmo os meses têm 29.

    Na Arábia pré-islâmica, costumava-se identificar um ano depois de um grande evento que ocorresse nela. Assim, de acordo com a tradição islâmica, Abraha, governador do Iêmen, então província do Reino Cristão de Aksum (Etiópia), tentou destruir a Kaaba com um exército que incluía vários elefantes. A invasão não teve sucesso, mas aquele ano ficou conhecido como o Ano do elefante, durante o qual Muhammad nasceu (sura al-Fil). A maioria compara isso ao ano 570 EC, mas uma minoria usa 571 EC.

    Os primeiros dez anos da Hijra não foram contados, mas foram nomeados após eventos na vida de Muhammad de acordo com Abū Rayḥān al-Bīrūnī: [28]

    1. O ano da permissão.
    2. O ano da ordem de luta.
    3. O ano do julgamento.
    4. O ano de felicitações pelo casamento.
    5. O ano do terremoto.
    6. O ano da investigação.
    7. O ano da vitória.
    8. O ano da igualdade.
    9. O ano da isenção.
    10. O ano da despedida.

    Em AH 17 (638 CE), Abu Musa Ashaari, um dos oficiais do califa Umar em Basrah, reclamou da ausência de anos na correspondência que recebeu de Umar, tornando difícil para ele determinar quais instruções eram mais recentes . Este relatório convenceu Umar da necessidade de introduzir uma era para os muçulmanos. Depois de debater a questão com seus conselheiros, ele decidiu que o primeiro ano deveria ser o ano da chegada de Maomé a Medina (conhecido como Yathrib, antes da chegada de Maomé). [29] Uthman ibn Affan então sugeriu que os meses começassem com Muharram, de acordo com o costume estabelecido pelos árabes naquela época. Os anos do calendário islâmico começaram assim com o mês de Muharram no ano da chegada de Maomé à cidade de Medina, embora a emigração real tenha ocorrido em Safar e Rabi 'I do calendário intercalado, dois meses antes do início de Muharram no novo calendário fixo. [2] Por causa da Hijra, o calendário foi denominado calendário Hijri.

    F A Shamsi (1984) postulou que o calendário árabe nunca foi intercalado. Segundo ele, o primeiro dia do primeiro mês do novo calendário islâmico fixo (1 Muharram AH 1) não foi diferente do que se observava na época. O dia em que o Profeta se mudou de Quba 'para Medina era originalmente 26 Rabi' I no calendário pré-islâmico. [30] 1 Muharram do novo calendário fixo correspondia a sexta-feira, 16 de julho de 622 dC, a data tabular civil equivalente (mesmo período de luz do dia) no calendário juliano. [31] [32] O dia islâmico começou no pôr do sol anterior na noite de 15 de julho. Essa data juliana (16 de julho) foi determinada por astrônomos muçulmanos medievais projetando no tempo seu próprio calendário tabular islâmico, que alternava meses de 30 e 29 dias em cada ano lunar, mais onze dias bissextos a cada 30 anos. Por exemplo, al-Biruni mencionou esta data juliana no ano 1000 EC. [33] Embora não seja usada por astrônomos muçulmanos medievais ou estudiosos modernos para determinar a época islâmica, a fina lua crescente também teria se tornado visível (assumindo que as nuvens não a obscureceram) logo após o pôr do sol anterior na noite de 15 de julho, 1,5 dias após a lua escura associada (lua nova astronômica) na manhã de 14 de julho. [34]

    Embora Cook e Crone em Hagarismo: a construção do mundo islâmico cite uma moeda de AH 17, o primeiro uso atestado sobrevivente de uma data do calendário islâmico ao lado de uma data em outro calendário (copta) está em um papiro do Egito em 22 AH, PERF 558.

    Devido à dependência do calendário islâmico de certos métodos variáveis ​​de observação para determinar as datas de início do mês, essas datas às vezes variam ligeiramente das datas de início do mês do calendário lunar astronômico, que são baseadas diretamente em cálculos astronômicos. Ainda assim, o calendário islâmico raramente varia em mais de três dias do sistema de calendário astronômico lunar, e aproximadamente se aproxima dele. Tanto o calendário islâmico quanto o calendário lunar astronômico não levam em consideração o ano solar em seus cálculos e, portanto, esses dois sistemas de calendário estritamente lunar não têm capacidade de calcular o tempo das quatro estações do ano.

    No sistema de calendário astronômico lunar, um ano de 12 meses lunares dura 354,37 dias. Neste sistema de calendário, os meses lunares começam precisamente no momento da "conjunção" mensal, quando a Lua está localizada mais diretamente entre a Terra e o Sol. O mês é definido como a duração média de uma revolução da Lua ao redor da Terra (29,53 dias). Por convenção, meses de 30 dias e 29 dias se sucedem, totalizando mais de dois meses sucessivos para 59 dias inteiros. Isso deixa apenas uma pequena variação mensal de 44 minutos para contabilizar, que soma um total de 24 horas (ou seja, o equivalente a um dia inteiro) em 2,73 anos. Para acertar as contas, basta adicionar um dia a cada três anos ao calendário lunar, da mesma forma que se adiciona um dia ao calendário gregoriano a cada quatro anos. [35] Os detalhes técnicos do ajuste são descritos no calendário islâmico tabular.

    O calendário islâmico, no entanto, é baseado em um conjunto diferente de convenções usadas para a determinação das datas de início do mês. [36] Cada mês ainda tem 29 ou 30 dias, mas devido ao método variável de observações empregado, geralmente não há ordem discernível no sequenciamento de comprimentos de mês de 29 ou 30 dias. Tradicionalmente, o primeiro dia de cada mês é o dia (começando ao pôr do sol) em que o hilal (lua crescente) foi avistado pela primeira vez logo após o pôr do sol. Se o hilal não for observado imediatamente após o 29º dia do mês (seja porque as nuvens bloqueiam sua visão ou porque o céu ocidental ainda está muito claro quando a lua se põe), então o dia que começa nesse pôr do sol é o 30º. Tal avistamento deve ser feito por um ou mais homens de confiança testemunhando perante um comitê de líderes muçulmanos. Determinar o dia mais provável em que o hilal poderia ser observado foi uma motivação para o interesse muçulmano pela astronomia, o que colocou o Islã na vanguarda dessa ciência por muitos séculos. Ainda assim, devido ao fato de que ambos os sistemas de cálculo lunar são basicamente baseados no próprio ciclo lunar, ambos os sistemas ainda correspondem aproximadamente um ao outro, nunca estando mais do que três dias fora de sincronia um com o outro.

    Esta prática tradicional para a determinação da data de início do mês ainda é seguida na esmagadora maioria dos países muçulmanos. Cada estado islâmico prossegue com sua própria observação mensal da lua nova (ou, na falta disso, aguarda a conclusão de 30 dias) antes de declarar o início de um novo mês em seu território. Mas, o crescente lunar se torna visível apenas cerca de 17 horas após a conjunção, e apenas sujeito à existência de uma série de condições favoráveis ​​relativas ao tempo, tempo, localização geográfica, bem como vários parâmetros astronômicos. [37] Dado o fato de que a lua se põe progressivamente mais tarde que o sol conforme se vai para o oeste, com um aumento correspondente em sua "idade" desde a conjunção, os países muçulmanos ocidentais podem, em condições favoráveis, observar a lua nova um dia antes do leste Países muçulmanos. Devido à interação de todos esses fatores, o início de cada mês difere de um país muçulmano para outro, durante o período de 48 horas após a conjunção. As informações fornecidas pelo calendário em qualquer país não se estendem além do mês atual.

    Vários países muçulmanos tentam superar algumas dessas dificuldades aplicando diferentes regras relacionadas à astronomia para determinar o início dos meses. Assim, a Malásia, a Indonésia e alguns outros começam cada mês ao pôr do sol no primeiro dia em que a lua se põe após o sol (pôr da lua após o pôr do sol). No Egito, o mês começa ao pôr do sol no primeiro dia em que a lua se põe, pelo menos cinco minutos após o sol. Uma análise detalhada dos dados disponíveis mostra, no entanto, que há grandes discrepâncias entre o que os países afirmam fazer sobre o assunto e o que realmente fazem. Em alguns casos, o que um país diz que faz é impossível. [38] [39]

    Devido à natureza um tanto variável do calendário islâmico, na maioria dos países muçulmanos, o calendário islâmico é usado principalmente para fins religiosos, enquanto o calendário gregoriano baseado no Solar ainda é usado principalmente para questões de comércio e agricultura.

    Se o calendário islâmico fosse preparado usando cálculos astronômicos, os muçulmanos em todo o mundo muçulmano poderiam usá-lo para atender a todas as suas necessidades, da mesma forma que usam o calendário gregoriano hoje. Mas, há opiniões divergentes sobre se é lícito fazê-lo. [40]

    A maioria dos teólogos se opõe ao uso de cálculos (além da restrição de que cada mês não deve ser inferior a 29 nem superior a 30 dias), com o fundamento de que este último não estaria em conformidade com a recomendação de Maomé de observar a lua nova do Ramadã e Shawal em a fim de determinar o início desses meses. [41] [42] [c]

    No entanto, alguns juristas não veem contradição entre os ensinamentos de Maomé e o uso de cálculos para determinar o início dos meses lunares. [43] Eles consideram que a recomendação de Muhammad foi adaptada à cultura da época, e não deve ser confundida com atos de adoração. [44] [45] [46]

    Assim, os juristas Ahmad Muhammad Shakir e Yusuf al-Qaradawi endossaram o uso de cálculos para determinar o início de todos os meses do calendário islâmico, em 1939 e 2004, respectivamente. [47] [48] Assim como o Fiqh Council of North America (FCNA) em 2006 [49] [50] e o European Council for Fatwa and Research (ECFR) em 2007. [51] [52]

    As principais associações muçulmanas da França também anunciaram em 2012 que passariam a usar um calendário baseado em cálculos astronômicos, levando em consideração os critérios de possibilidade de avistamento de crescentes em qualquer lugar da Terra. [53] [54] Mas, logo após a adoção oficial desta regra pelo Conselho Francês da Fé Muçulmana (CFCM) em 2013, a nova liderança da associação decidiu, na véspera do Ramadã de 2013, seguir o anúncio saudita em vez de aplicar a regra que acaba de ser adotada. Isso resultou em uma divisão da comunidade muçulmana da França, com alguns membros seguindo a nova regra e outros seguindo o anúncio saudita.

    Isma'ili-Taiyebi Bohras tendo a instituição de da'i al-mutlaq siga o calendário tabular islâmico (veja a seção abaixo) preparado com base em cálculos astronômicos da época dos imãs fatímidas.

    Calendário islâmico da turquia

    Os muçulmanos turcos usam um calendário islâmico calculado com vários anos de antecedência pela Presidência turca de Assuntos Religiosos (Diyanet İşleri Başkanlığı). De 1 Muharrem 1400 AH (21 de novembro de 1979) até 29 Zilhicce 1435 (24 de outubro de 2014), o calendário lunar turco calculado foi baseado na seguinte regra: "Presume-se que o mês lunar comece na noite em que, dentro de alguma região do planeta globo, o centro computado do crescente lunar no pôr do sol local está a mais de 5 ° acima do horizonte local e (geocentricamente) a mais de 8 ° do Sol. " Na regra atual, o crescente lunar (calculado) deve estar acima do horizonte local de Ancara ao pôr do sol. [55]

    Arábia Saudita Umm al-Qura calendário

    A Arábia Saudita usa o método de observação para determinar o início de cada mês do calendário islâmico. Desde AH 1419 (1998/99), vários comitês oficiais de avistamento hilal foram estabelecidos pelo governo para determinar o primeiro avistamento visual do crescente lunar no início de cada mês lunar. No entanto, as autoridades religiosas também permitem o testemunho de observadores menos experientes e, portanto, freqüentemente anunciam o avistamento do crescente lunar em uma data em que nenhum dos comitês oficiais pôde vê-lo.

    O país também usa o calendário Umm al-Qura, baseado em cálculos astronômicos, mas isso é restrito para fins administrativos. Os parâmetros usados ​​no estabelecimento deste calendário sofreram mudanças significativas durante a década para AH 1423. [56] [57]

    Antes de AH 1420 (antes de 18 de abril de 1999), se a idade da lua ao pôr do sol em Riade era de pelo menos 12 horas, então o dia final naquele pôr do sol era o primeiro dia do mês. Isso frequentemente fazia com que os sauditas celebrassem os dias sagrados um ou até dois dias antes de outros países predominantemente muçulmanos, incluindo as datas do Hajj, que só pode ser datado usando datas sauditas porque é realizado em Meca.

    Para AH 1420-22, se o pôr da lua ocorreu após o pôr do sol em Meca, então o dia que começou nesse pôr do sol foi o primeiro dia de um mês saudita, essencialmente a mesma regra usada pela Malásia, Indonésia e outros (exceto para o local de onde o hilal).

    Desde o início de 1423 AH (16 de março de 2002), a regra foi um pouco esclarecida ao exigir que a conjunção geocêntrica do sol e da lua ocorresse antes do pôr do sol, além de exigir que o pôr da lua ocorresse após o pôr do sol em Meca. Isso garante que a lua tenha passado do sol ao pôr-do-sol, embora o céu ainda possa estar muito claro imediatamente antes do pôr da lua para realmente ver o crescente.

    Em 2007, a Sociedade Islâmica da América do Norte, a Fiqh Conselho da América do Norte e Conselho Europeu da Fatwa e a Research anunciou que, doravante, usará um calendário baseado em cálculos usando os mesmos parâmetros que o Umm al-Qura calendário para determinar (com bastante antecedência) o início de todos os meses lunares (e, portanto, os dias associados a todas as observâncias religiosas). Isso foi planejado como um primeiro passo no caminho para unificar, em algum momento futuro, os calendários dos muçulmanos em todo o mundo. [58]

    Desde AH 1438 (1 de outubro de 2016), a Arábia Saudita adotou o calendário gregoriano para o pagamento dos salários mensais dos funcionários públicos (como uma medida de corte de custos), [59] enquanto manteve o calendário islâmico para fins religiosos. [60]

    O calendário Solar Hijri é um calendário solar usado no Irã e no Afeganistão, que conta seus anos desde a Hégira ou migração de Maomé de Meca para Medina em 622 CE. [61]

    O calendário tabular islâmico é uma variação baseada em regras do calendário islâmico, em que os meses são calculados por regras aritméticas, em vez de observação ou cálculo astronômico. Tem um ciclo de 30 anos com 11 anos bissextos de 355 dias e 19 anos de 354 dias. A longo prazo, tem uma precisão de um dia em cerca de 2.500 anos solares ou 2.570 anos lunares. Também se desvia até cerca de um ou dois dias no curto prazo.

    Algoritmo do Kuwait

    A Microsoft usa o "algoritmo do Kuwait", uma variante do calendário tabular islâmico, [62] para converter datas gregorianas em islâmicas. A Microsoft afirmou que a variante é baseada em uma análise estatística de dados históricos do Kuwait, no entanto, corresponde a um calendário tabular conhecido.

    As datas importantes no ano islâmico (islâmico) são:

    • 1 Muharram: ano novo suniIslâmico.
    • 10 Muharram: Dia da Ashura. Para os xiitas e sunitas, o martírio de Husayn ibn Ali, o neto de Muhammad, e seus seguidores. Para os sunitas, a travessia do Mar Vermelho por Moisés ocorreu neste dia.
    • 12 Rabi al-Awwal: Mawlid ou Nascimento do Profeta para os sunitas.
    • 17 Rabi al-Awwal: Mawlid para xiitas.
    • 27 Rajab: Isra e Mi'raj para a maioria dos muçulmanos.
    • 15 Sha'ban: Mid-Sha'ban, ou Noite do Perdão. Para os xiitas, também é o aniversário de Muhammad al-Mahdi, o décimo segundo imã.
    • 1 Ramadã: Ano Novo ShiaIslâmico. O primeiro dia de jejum.
    • 27 Ramadan: Nuzul al-Qur'an. O dia mais provável em que Maomé recebeu os primeiros versos do Alcorão. (17 Ramadã na Indonésia e Malásia)
    • Último terço do Ramadã, que inclui Laylat al-Qadr.
    • 1 Shawwal: Eid ul-Fitr.
    • 8–13 Dhu al-Hijjah: A peregrinação do Hajj a Meca.
    • 9 Dhu al-Hijjah: Dia de Arafa.
    • 10 Dhu al-Hijjah: Eid al-Adha.

    Dias considerados importantes principalmente para os muçulmanos xiitas:

    • 9 Rabi 'al-Awwal: Eid-e-Shuja' (Mukhtar al-Thaqafi vinga os eventos de Ashura).
    • 13 Rajab: aniversário de Ali ibn Abi Talib
    • 3 Sha'ban: Aniversário de Husayn ibn Ali.
    • 21 Ramadan: Martírio de Ali ibn Abi Talib.

    As conversões podem ser feitas usando o calendário islâmico tabular ou, para maior precisão (um dia em 15.186 anos), através do calendário judaico. Teoricamente, os dias dos meses correspondem em ambos os calendários se os deslocamentos que são uma característica do sistema judaico forem ignorados. A tabela abaixo fornece, para dezenove anos, o mês muçulmano que corresponde ao primeiro mês judaico.

    Essa tabela pode ser ampliada, pois a cada dezenove anos o número de meses muçulmanos aumenta em sete. Quando estiver acima de doze, subtraia doze e adicione um ao ano AH. De 412 dC a 632 dC, inclusive, o número do mês é 1 e o cálculo fornece o mês correto para um mês ou mais. 622 CE corresponde a BH 1 e AH 1. Para anos anteriores, ano BH = (623 ou 622) - ano CE).

    Um exemplo de cálculo: Qual é a data civil e o ano AH do primeiro dia do primeiro mês do ano 20875 EC?

    Primeiro encontramos o número do mês muçulmano correspondente ao primeiro mês do ano judaico, que começa em 20874 EC. Dividindo 20874 por 19 dá o quociente 1098 e o resto 12. Dividindo 2026 por 19 dá o quociente 106 e o ​​resto 12. 2026 é escolhido porque dá o mesmo resto na divisão por 19 que 20874. Os dois anos são, portanto (1098-106) = 992 × 19 anos de diferença. O número do mês muçulmano correspondente ao primeiro mês judaico é, portanto, 992 × 7 = 6944 maior do que em 2026. Para converter em anos e meses, divida por doze - 6944/12 = 578 anos e 8 meses. Adicionando, temos 1447y 10m + 20874y - 2026y + 578y 8m = 20874y 6m. Portanto, o primeiro mês do ano judaico começando em 20874 EC corresponde ao sexto mês do ano muçulmano AH 20874. O exemplo trabalhado em Conversão entre datas judaicas e civis mostra que a data civil do primeiro dia deste mês (ignorando os deslocamentos) é sexta-feira, 14 de junho. O ano AH 20875 começará, portanto, sete meses depois, no primeiro dia do oitavo mês judaico, que o exemplo trabalhado mostra ser 7 de janeiro de 20875 EC (novamente ignorando os deslocamentos). A data indicada por este método, sendo calculada, pode diferir em um dia da data real, que é determinada por observação.

    Uma leitura da seção a seguir mostrará que o ano AH 20875 está totalmente contido no ano 20875 EC, também que no calendário gregoriano essa correspondência ocorrerá um ano antes. The reason for the discrepancy is that the Gregorian year (like the Julian, though less so) is slightly too long, so the Gregorian date for a given AH date will be earlier and the Muslim calendar catches up sooner.

    Arithmetical coincidences

    An Islamic year, as reckoned in the tabular Islamic calendar, will be entirely within a Gregorian year of the same number in the year 20874, [63] after which year the number of the Islamic year will always be greater than the number of the concurrent Gregorian year. The Islamic calendar year of 1429 occurred entirely within the Gregorian calendar year of 2008. The first year of the fixed calendar (calculated back) began on 19 July 622 Gregorian (counted back). [ citação necessária ] So 1401 Gregorian years are about 1444 Hegira years. Therefore the Hegira year rotates through the Gregorian 43 times in 1401 Gregorian years, or about once in 32.6 Gregorian years. By definition this period must contain exactly one more Hegira year (33.6). The 43 rotations take place in 1444 Hegira years, and 1444/43=33.6. More Hegira years wholly contained in the Gregorian year are listed here:

    Islamic year within Gregorian year
    islâmico Civil Difference
    1026 1617 591
    1060 1650 590
    1093 1682 589
    1127 1715 588
    1161 1748 587
    1194 1780 586
    1228 1813 585
    1261 1845 584
    1295 1878 583
    1329 1911 582
    1362 1943 581
    1396 1976 580
    1429 2008 579
    1463 2041 578
    1496 2073 577
    1530 2106 576
    1564 2139 575
    1597 2171 574
    1631 2204 573
    1664 2236 572
    1698 2269 571
    1732 2302 570
    1765 2334 569
    1799 2367 568
    1832 2399 567
    1866 2432 566
    1899 2464 565
    1933 2497 564
    1967 2530 563
    2000 2562 562

    The Islamic calendar is now used primarily for religious purposes, and for official dating of public events and documents in Muslim countries. Because of its nature as a purely lunar calendar, it cannot be used for agricultural purposes and historically Islamic communities have used other calendars for this purpose: the Egyptian calendar was formerly widespread in Islamic countries, and the Iranian calendar and the 1789 Ottoman calendar (a modified Julian calendar) were also used for agriculture in their countries. [ citação necessária ] In the Levant and Iraq the Aramaic names of the Babylonian calendar are still used for all secular matters. [ citação necessária ] In the Maghreb, Berber farmers in the countryside still use the Julian calendar for agrarian purposes. [64] These local solar calendars have receded in importance with the near-universal adoption of the Gregorian calendar for civil purposes. [ citação necessária ] Saudi Arabia uses the lunar Islamic calendar. [65] In Indonesia, the Javanese calendar combines elements of the Islamic and pre-Islamic Saka calendars. [ citação necessária ]

    British author Nicholas Hagger writes that after seizing control of Libya, Muammar Gaddafi "declared" on 1 December 1978 "that the Muslim calendar should start with the death of the prophet Mohammed in 632 rather than the hijra (Mohammed's 'emigration' from Mecca to Medina) in 622". This put the country ten solar years behind the standard Muslim calendar. [66] However, according to the 2006 Encyclopedia of the Developing World, "More confusing still is Qaddafi's unique Libyan calendar, which counts the years from the Prophet's birth, or sometimes from his death. The months July and August, named after Julius and Augustus Caesar, are now Nasser and Hannibal respectively." [67] Reflecting on a 2001 visit to the country, American reporter Neil MacFarquhar observed, "Life in Libya was so unpredictable that people weren't even sure what year it was. The year of my visit was officially 1369. But just two years earlier Libyans had been living through 1429. No one could quite name for me the day the count changed, especially since both remained in play. . Event organizers threw up their hands and put the Western year in parentheses somewhere in their announcements." [68]


    Public holidays in South Africa

    Since 1994 election days have been declared ad hoc public holidays:

    • National and provincial government elections – 2 June 1999 [9]
    • National and provincial government elections – 14 April 2004 [10]
    • Local government elections – 1 March 2006 [11]
    • National and provincial government elections – 22 April 2009 [12]
    • Local government elections – 18 May 2011 [13]
    • National and provincial government elections – 7 May 2014 [14]
    • Local government elections – 3 August 2016 [15]
    • National and provincial government elections – 8 May 2019 [16]

    31 December 1999 and 2 January 2000 were declared public holidays to accommodate the Y2K changeover, and 3 January 2000 was automatically a public holiday because the previous holiday was a Sunday. [17]

    2 May 2008 was declared a public holiday when Human Rights Day and Good Friday coincided on 21 March 2008. [18]

    27 December 2011 was declared a holiday by deputy president Kgalema Motlanthe as Christmas Day fell on a Sunday which generally makes the following Monday a public holiday. However, the following Monday, 26 December 2011, was the Day of Goodwill and therefore decreased the number of paid public holidays for the year. Initially this day was not to be declared a public holiday [19] but in mid-December the decision was changed. [20]

    27 December 2016 was declared a holiday by president Jacob Zuma following a request by the Federation of Unions of South Africa (FEDUSA). [21] The request by FEDUSA was motivated by the fact this year, workers in the country will only have 11 public holidays instead of 12 due to fact that 25 December (Christmas Day) falls on a Sunday. The declaration of 27 December as a public holiday, the Presidency said, will ensure that workers are not unduly disadvantaged because of this unusual event and are still entitled to their 12 paid public holidays. [22]

    The Christian holidays of Christmas Day and Good Friday remained in secular post-apartheid South Africa's calendar of public holidays. The Commission for the Promotion and Protection of the Rights of Cultural, Religious and Linguistic Communities (CRL Rights Commission), a chapter nine institution established in 2004, held countrywide consultative public hearings in June and July 2012 to assess the need for a review of public holidays following the receipt of complaints from minority groups about unfair discrimination. The CRL Rights Commission stated that they would submit their recommendations to the Department of Home Affairs, the Department of Labour, various Portfolio Committees and the Office of the Presidency by October 2012. [23] [24] On 10 November 2012 the Minister of Home Affairs Naledi Pandor told Christian protesters objecting to the removal of Christian public holidays that she had not received any enquiries from the CRL Rights Commission yet. [25] The CRL Rights Commission published its recommendations on 17 April 2013, including the scrapping of some existing public holidays to free up days for some non-Christian religious public holidays. [26] [27] On 18 January 2015 the South African Law Reform Commission published a discussion document on legislation administered by the Department of Home Affairs in which it suggested "that either these holidays be reviewed or that equal weight be given to holidays of other faiths". [28] [29] [30]

    South Africa's present calendar of public holidays was introduced in 1994. During the period between Union in 1910, and the establishment of the present republic in 1994, the following were the official public holidays:


    Date Variables in Web Intelligence

    Here in SAP BusinessObjects BI Web Intelligence Space, it is noted that many of us are searching/asking questions on Date/Time Dimensions.

    I am submitting all necessary formulas for the same. Hope it is useful to all.

    We need daily,monthly,quarterly & yearly date variables.

    Before making any date variable please make a variable which holds current date.

    Reason to make another variable for Current Date is, for validation purpose you can change date manually and then check it whether all other date variables are working properly or not.

    (1) Current Date = CurrentDate()

    (2.1) Current Year =If(Month([Current Date]) InList(“January”)) Then(FormatNumber(Year([Current Date])-1”###”)) Else (FormatNumber(Year([Current Date])”###”))

    if you want to use Current Year for YTD variable then please use 2.2 formula or use 2.1

    (2.2) Current Year for YTD=If(Month([Current Date]) InList(“January””February””March”)) Then(FormatNumber(Year([Current Date])-1”###”)) Else (FormatNumber(Year([Current Date])”###”))

    (3) Current Fiscal Year =FormatNumber([Year]”####”) Where ([Year]=Year([Current Date]) And [Month] InList (123) And MonthNumberOfYear([Current Date]) InList (1234) Or [Year]=Year([Current Date])-1 And [Month] InList (456789101112) And MonthNumberOfYear([Current Date]) InList (1234)

    Or [Year]= Year([Current Date])And MonthNumberOfYear([Current Date]) InList (56789101112))

    where [Year]= Year of Your Transaction Date, and it is for Indian Fiscal Year

    (4.1) Last Year =If(Month([Current Date]) InList(“January”)) Then(FormatNumber(Year([Current Date])-2”###”)) Else (FormatNumber(Year([Current Date])-1”###”))

    if you want to use Current Year for LYTD variable then please use 4.2 formula or use 4.1

    (4.2) Last Year for LYTD =If(Month([Current Date]) InList(“January””February””March”)) Then(FormatNumber(Year([Current Date])-2”###”)) Else (FormatNumber(Year([Current Date])-1”###”))

    (5) Last Fiscal Year =FormatNumber([Year]”####”) Where ([Year]=Year([Current Date])-1 And [Month] InList (123) And MonthNumberOfYear([Current Date]) InList (1234) Or [Year]=Year([Current Date])-2 And [Month] InList (456789101112) And MonthNumberOfYear([Current Date]) InList (1234) Or [Year]= Year([Current Date])-1 And MonthNumberOfYear([Current Date]) InList (56789101112))

    where [Year]= Year of Your Transaction Date, and it is for Indian Fiscal Year

    (6) CYCM=Concatenation(Left(Month(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))3)Concatenation(“-“[Current Year]))

    *Current Year Completed Month

    (7) CYLM=Concatenation((Concatenation(Left(Month(RelativeDate(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date]))-DayNumberOfMonth(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))))3)”-“))If(MonthNumberOfYear([Current Date])=1 Or MonthNumberOfYear([Current Date])=2) Then (Right(FormatNumber(Year([Current Date])-1”####”)4)) Else (Right(FormatNumber(Year([Current Date])”####”)4)))

    *Current Year Last Month

    (8) LYCM=Concatenation(Left(Month(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))3)Concatenation(“-“[Last Year]))

    *Last Year Completed Month

    (9) YTM=Concatenation(If(MonthNumberOfYear([Current Date]) Between (512)) Then (Concatenation((Concatenation(“Apr””-“))Right(FormatNumber((Year([Current Date]))”####”)4))) Else(Concatenation(Concatenation(“Apr””-“)Right(FormatNumber((Year([Current Date])-1)”####”)4)))If(MonthNumberOfYear([Current Date])=5)Then(“”)Else(Concatenation(” to “(Concatenation((Concatenation(Left(Month(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))3)”-“))(If(MonthNumberOfYear([Current Date])=1) Then(Right(FormatNumber(Year([Current Date])-1”####”)4))Else(Right(FormatNumber(Year([Current Date])”####”)4))))))))

    *Year Till Month

    (10) LYTM=Concatenation(If(MonthNumberOfYear([Current Date]) Between (512)) Then (Concatenation((Concatenation(“Apr””-“))Right(FormatNumber((Year([Current Date])-1)”####”)4))) Else(Concatenation(Concatenation(“Apr””-“)Right(FormatNumber((Year([Current Date])-2)”####”)4)))If(MonthNumberOfYear([Current Date])=5)Then(“”)Else(Concatenation(” to “(Concatenation((Concatenation(Left(Month(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))3)”-“))(If(MonthNumberOfYear([Current Date])=1) Then(Right(FormatNumber(Year([Current Date])-2”####”)4))Else(Right(FormatNumber(Year([Current Date])-1”####”)4))))))))

    *Last Year Till Month

    (11) MTD=Concatenation(Left(FormatDate([Current Date]”dd/MM/yyyy”)2) Concatenation(“-“Concatenation(Concatenation(Left(Month([Current Date])3)”-“)Right(FormatNumber(Year(CurrentDate())”####”)4))))

    *Month Till Date

    (12) YTD=Concatenation(Concatenation(“Apr-“[Current Year for YTD])If(MonthNumberOfYear([Current Date])=4)Then(“”) Else(Concatenation(” to “Concatenation(Concatenation(Left(Month([Current Date])3)”-“)Right(FormatNumber(Year([Current Date])”####”)4)))))

    * Year Till Date

    =If(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=1) Then(Concatenation(Concatenation(“Q4:Jan-“[Current Year])Concatenation(” to Mar-“[Current Year]))) ElseIf(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=2) Then(Concatenation(Concatenation(“Q1:Apr-“[Current Year])Concatenation(“to Jun-“[Current Year]))) ElseIf(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=3) Then(Concatenation(Concatenation(“Q2:Jul-“[Current Year])Concatenation(“to Sep-“[Current Year]))) ElseIf(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=4) Then(Concatenation(Concatenation(“Q3:Oct-“[Current Year])Concatenation(“to Dec-“[Current Year])))

    *based on Indian Fiscal Year

    =If(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=1)

    Then(Concatenation(Concatenation(“Q3:Oct-“[Last Year])Concatenation(” to Dec-“[Last Year])))

    ElseIf(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=2)

    Then(Concatenation(Concatenation(“Q4:Jan-“[Current Year])Concatenation(” to Mar-“[Current Year])))

    ElseIf(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=3)

    Then(Concatenation(Concatenation(“Q1:Apr-“[Current Year])Concatenation(“to Jun-“[Current Year])))

    *based on Indian Fiscal Year

    =If(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=1)

    Then(Concatenation(Concatenation(“Q2:Jul-“[Last Year])Concatenation(” to Sep-“[Last Year])))

    ElseIf(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=2)

    Then(Concatenation(Concatenation(“Q3:Oct-“[Last Year])Concatenation(” to Dec-“[Last Year])))

    ElseIf(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=3)

    Then(Concatenation(Concatenation(“Q4:Jan-“[Current Year])Concatenation(“to Mar-“[Current Year])))

    ElseIf(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=4)

    Then(Concatenation(Concatenation(“Q1:Apr-“[Current Year])Concatenation(“to Jun-“[Current Year])))

    (16) Last Year Current Quarter

    =If(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=1) Then(Concatenation(Concatenation(“Q4:Jan-“[Last Year])Concatenation(” to Mar-“[Last Year])))

    ElseIf(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=2)

    Then(Concatenation(Concatenation(“Q1:Apr-“[Last Year])Concatenation(“to Jun-“[Last Year])))

    ElseIf(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=3)

    Then(Concatenation(Concatenation(“Q2:Jul-“[Last Year])Concatenation(“to Sep-“[Last Year])))

    ElseIf(Quarter(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))=4)

    Then(Concatenation(Concatenation(“Q3:Oct-“[Last Year])Concatenation(“to Dec-“[Last Year])))

    (17) Last Day(date) of Previous Month

    =FormatDate(LastDayOfMonth(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))”dd-MMM-yyyy”)

    Output: If Current Date=27/10/2015 then output is 30-SEP-2015

    (18) Previous Day/Yesterday (Day-1)

    Output: If Current Date=27/10/2015 then output is 26/10/2015

    =FormatDate(LastDayOfMonth(RelativeDate([Current Date]-DayNumberOfMonth([Current Date])))”MM”)

    Output: If Current Date=27/10/2015 then output is 09


    Have you ever tried to pay for things with a check and the transaction was declined even though you had money in the bank? It might be because a consumer reporting agency gave the retailer negative information about your credit history – including your checking account history – or indicated that you could be a bad credit risk for other reasons.


    White Christmas?

    A rare Christmas day snowfall brought accumulations of about 1/2" to parts of the Birmingham area in 2010, although no accumulation was officially reported at the Birmingham-Shuttlesworth International Airport.

    Prior to that, no measurable snow accumulation had ever occurred on December 24 or 25 in Birmingham. There were some flurries and light dusting in 1985, and even lighter flurries in 1961, 1963, 1966, 1980, 1989, 1990, 1993 and 1995. The nearest major snowfall was the one on December 22, 1929 which left some snow still on the ground on Christmas Eve. Christmas Day's high of 51° F melted the rest of it off.


    How Erstwhile Empire Day Became Commonwealth Day: History, Theme and Significance

    The Commonwealth Day is celebrated on the second Monday in the month of March every year. However, in India another Commonwealth Day is also celebrated on May 24. Also known as the Empire Day, the Commonwealth Day commemorates the formation of the British Empire in India and other colonies of Britain.

    It was not until after the death of Queen Victoria, who passed away on January 22, 1901 that Empire Day was first celebrated. The first Empire Day was celebrated on May 24, 1902 which was the Queen’s birthday. Many schools across the British Empire were celebrating it even before it was officially recognised as an annual event.

    It was only in 1916 that Empire Day was an official annual event. According to Historic UK, a New Zealand school journal from 1910 had mentioned the Empire Day celebration. The journal mentioned how the Union Jack was unfurled to celebrate the occasion.

    During the British colonial period, school children from across the British Empire would salute the union flag and sing patriotic songs like Jerusalem and God Save the Queen. Children were also told inspirational speeches and listened to tales of bravery from across the Empire.

    UK Joins US, EU and Canada in Fresh Sanctions on Belarus Over Detention of Journalist

    Continued to Strengthen Talent Pool by Recruiting 19,230 Graduates in India: Infosys

    The stories included the first British Governor of the Bengal Presidency Robert Clive from India, James Wolfe of British Army who conquered Canada’s Québec region after fighting the French occupiers. Historic UK also mentions that schoolchildren were let out of school early so that they can take part in several marches, maypole dances, concerts, and parties that celebrated the event.

    However, as the British colonies faced decline post World War II. Britain’s relationship with the Commonwealth countries that formed the Empire had also changed, as they began to celebrate their own identity and idea of nationalism. Empire Day was then changed to Commonwealth Day as the British empire fell apart.

    The date of Commonwealth Day was changed to June 10, to match with the official birthday of the present Queen Elizabeth II. However, it was again changed in 1977 to the second Monday in March, when each year The Queen sends a special message to the youth of the Empire or the various countries of the Commonwealth.

    Theme

    This year the theme for Commonwealth Day is: Delivering a Common Future. The aim of this theme is to highlight how the 54 Commonwealth countries are innovating, connecting and transforming to help achieve essential goals like tackling climate change, promoting good governance, achieving gender equality.


    January 22, 2014 Day 2 of the Sixth Year - History

    Famous Birthdays by Month:

    January 1, 1735- Paul Revere, Revolutionary War.

    January 1, 1752- Betsy Ross, designed first U.S.flag

    January 1, 1895- J. Edgar Hoover, FBI Director

    January 2, 1920- Isaac Asimov, Science Fiction Writer

    January 3, 1892- J.R.R. Tolkien, Author of "Lord of the Rings"

    January 3, 1950- Victoria Principal, Actress

    January 3, 1956- Mel Gibson, actor, director

    January 4, 1643 - Isaac Newton, Astronomer, Physicist, Mathematician

    January 4, 1937- Dyan Cannon, Actress

    January 5, 1946- Diane Keaton, Actress

    January 6, 1412- Joan of Arc

    January 7, 1800- Millard Filmore, 13th President, (1850-1853)

    January 7, 1948- Kenny Loggins, Singer/Songwriter

    January 7, Katie Couric, Today Show host

    January 7, 1964- Nicolas Cage, Oscar winning Actor

    January 8, 1889 - Edward Elijah Perkins, creator of Kool-Aid. See National Kool-Aid Day

    January 8, 1926- Soupy Sales, TV Actor

    January 8, 1935- Elvis Presley, King of Rock 'n Roll

    January 8, 1942 - Stephen Hawking, world renowned physicist and author.

    January 9, 1913 - Richard M. Nixon, 37th President (1969-1974)

    January 9, 1935- Bob Denver, TV Actor "Gilligan"

    January 9, 1951- Crystal Gayle, Country Singer

    January 9, 1967- Dave Matthews, singer, band leader, song writer - Dave Matthews Band

    January 10, 1945- Rod Stewart, rock singer

    January 10, 1949- Heavyweight boxing champion, and creator of the "George Foreman Grill"

    January 11, 1952- Ben Crenshaw, golfing great

    January 12, 1944- Joe Frazier, heavyweight boxing champion

    January 12, 1951- Rush Limbaugh, Ultra-conservative radio talk show host

    January 12, 1954- Howard Stern, radio and TV "shock jock"

    January 12, 1955- Kirstie Alley, TV cctress

    January 12, 1964 - Jeff Bezos, founder and CEO of Amazon.com

    January 13, 1919- Robert Stack, Actor"Elliot Ness" on Tv show "Untouchables"

    January 13, 1961- Julia Louis-Dreyfus, comedy actress "Elaine" on the "Seinfeld Sow"

    January 13, 1966 - Patrick Dempsey, "McDreamy" on television drama "Grey's Anatomy".

    January 14, 1741- Benedict Arnold, traitor in American Revolutionary War.

    January 14, 1919- Andy Rooney, author and commentator on "60 Minutes"

    January 14, 1941- Faye Dunaway, Actress

    January 14, 1968 - LL Cool J, born James Todd Smith. singer, actor television series NCIS Los Angeles.

    January 15, 1906 Aristotle Onassis, Greek Shipping tycoon, married Jackie Bouvier-Kennedy

    January 15, 1913- Lloyd Bridges, Actor, TV series "Sea Hunt"

    January 15th, 1929- Martin Luther King Jr., Civil Rights Activist

    January 15, 1951- Charo, Singer, dancer

    January 15, 1979 - Drew Brees, NFL New Orleans Saints quarterback.

    January 16, 1853- Andre Michelin, inflatable auto tire inventor

    January 16, 1909- Ethel Merman, Singer

    January 16, 1935- A.J. Foyt, race car driver

    January 17, 1706- Benjamin Franklin, inventor, statesman, writer

    January 17, 1899- Al Capone, notorious 1920's gangster

    January 17, 1922 - Betty White, actress, television series "Mary Tyler Moore Show" and "The Golden Girls".

    January 17, 1928- Vidal Sassoon, British hair stylist, fashion designer

    January 17, 1934- Shari Lewis, TV children's puppeteer

    January 17, 1942- Mohammad Ali, formerly "Casius Clay", arguably the best ever heavyweight boxing champion

    January 17, 1962 - Jim Carey, actor,comedian.

    January 18, 1779- Peter Roget, author of Roget's Thesaurus

    January 18, 1782- Daniel Webster, politician and speaker

    January 18, 1882- A.A. Milne, author of Childrens' storybooks. Created Winnie the Pooh and friends.

    January 18, 1892- Oliver Hardy, "Ollie" in Stan and Laurel comedies

    January 18, 1904- Cary Grant, Actor

    January 18, 1913- Danny Kaye, comic actor

    January 18, 1955- Kevin Costner, Actor

    January 19, 1807- Robert E. Lee, Civil War Confederate Army General

    January 19, 1809- Edgar Allen Poe, Author and Poet, most notably macabre and horror stories

    January 19, 1943- Janis Joplin, 1960's rock singer

    January 19, 1946- Dolly Parton, buxom country western singer and actress

    January 19, 1947 - Paula Deen, chef, cookbook author

    January 20, 1896- George Burns, comedian

    January 20, 1920 Deforrest Kelley, Doctor McCoy on Tv's original "Star Trek"

    January 20,1930- Edwin "Buzz Aldrin, Astronaut, walked on the moon

    January 21, 1738- Ethan Allen, Revolutionary War Hero

    January 21, 1824- Thomas "Stonewall" Jackson, Confederate Army general

    January 21,1924- Telley Savalas, Tv's "Kojak"

    January 21, 1925- Benny Hill, British comedian

    January 21, 1940 - Jack Niclaus, "The Golden Bear", one of the greatest golfers of all time

    January 21, 1976- "Baby Spice" of The Spice Girls

    January 22, 1934- Bill Bixby, the "Incredible Hulk" Star

    January 22, 1949- John Belushi, comedian, actor, SNL and Blues Brothers

    January 23, 1737- John Hancock, politician, first to sign the Declaration of Independence.

    January 24, 1917- Ernest Borgnine, Actor, most notably TV's "McHales' Navy"

    January 24, 1941 - Neil Diamond,Singer, composer

    January 24, 1968- Mary Lou Retton, won gold medal in Gymnastics, at 1984 Olympics

    January 25, 1931- Dean Jones, actor, "The Love Bug"

    January 25, 1981- Alicia Keys, singer, Grammy winner

    January 26, 1880- Douglas MaCarthur, WWII General, Quote: "I shall return!"

    January 26, 1925- Paul Newman, Oscar winning actor

    January 26, 1955- Eddie Van Halen, singer, rock band

    January 26, 1958- Ellen DeGeneres, actress, talk show hostess

    January 26, 1961- Wayne Gretzky, Hockey's "Great One"

    January 27, 1756- Wolfgang Amadeus Mozart, one of the greatest musical composers ever

    January 27, 1832- Lewis Carroll, wrote "Alice in Wonderland"

    January 27, 1921- Donna Reed,TV and movie actress

    January 28, 1887- Arthur Rubenstein, classical pianist

    January 28, 1936- Alan Alda, Hawkeye Pierce in TV series "M*A*S*H"

    January 29, 1843 - William McKinley, 25th U.S. President(1897-1901), assassinated while in office.

    January 29, 1880- W. C. Fields, comedian, actor

    January 29, 1918- John Forsythe, actor, Charlie's Angels, Dynasty

    January 29, 1945- Tom Selleck, actor, TV series "Magnum P.I., Blue Bloods

    January 29, 1954- Oprah Winfrey, talk show hostess

    January 30, 1882 - Franklin D. Roosevelt, 32nd U.S. President, elected to four terms (1933-1945)

    January 30, 1922- Dick Martin, comedian

    January 30, 1930- Gene Hackman, Oscar winning actor, The French Connection

    January 30, 1937, Boris Spassky, World Chess champion

    January 30, 1951- Phil Collins, singer

    January 31, 1919- Jackie Robinson, first Afro-American to to play in Major League Baseball

    January 31, 1923- Carol Channing, actress, "Hello Dolly"

    January 31, 1937- Suzanne Pleshette, actress

    January 31, 1947- Nolan Ryan, MLB pitcher for 27 years

    January 31, 1981- Justin Timberlake, singer, member of NSYNC, Superbowl Halftime with Janet Jackson

    Ecards We've got you covered with free Ecards for Birthdays and just about any other holiday, occasion, event, or no event at all!

    Holiday Insights , where every day is a holiday, a bizarre or wacky day, an observance, or a special event. Join us in the daily calendar fun each and every day of the year.


    Assista o vídeo: Cidinho u0026 Doca - Rap da Felicidade Video Oficial


Comentários:

  1. Idal

    E o que se segue disso?

  2. Kigalrajas

    Vou me lembrar disso! Vou pagar com você!

  3. Faushura

    O todo pode ser

  4. Amenhotep

    Nesta pergunta, diga que pode levar muito tempo.

  5. Atkinsone

    Posso oferecer-lhe a visita ao site, que dá muita informação sobre o assunto que lhe interessa.

  6. Rogan

    Eu parabenizo, pensamento notável



Escreve uma mensagem