Hank Williams, Sr., faz sua estreia no Grand Ole Opry

Hank Williams, Sr., faz sua estreia no Grand Ole Opry



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Na vida tragicamente curta da lenda country Hank Williams Sênior, houve muitos relacionamentos rompidos, tanto pessoais quanto profissionais, que resultaram de seu comportamento autodestrutivo. Uma dessas relações era com a instituição mais importante em seu campo escolhido: The Grand Ole Opry. Pouco antes de custar-lhe a vida, a bebida de Hank custou-lhe sua inscrição no Opry, apenas três anos após sua estreia triunfante. Essa estreia, no entanto, continua sendo uma das mais famosas da história do programa de música country ao vivo transmitido semanalmente pela WSN Nashville desde 1925. Hank Williams pegou o microfone para seu Grand Ole Opry estreou em 11 de junho de 1949, eletrizando uma audiência ao vivo no Ryman Auditorium que chamou Williams para seis encores e teve que ser implorado para não chamá-lo por mais, a fim de permitir que o resto do show continuasse.

Hank Williams tinha apenas 25 anos quando foi convidado a aparecer pela primeira vez no Grand Ole Opry. Como um jovem que cresceu muito pobre no sul do Alabama, ele começou a sustentar sua família aos sete anos, engraxando sapatos e vendendo amendoim, mas aos 14, pelo menos, ele já se apresentava como músico profissional. A vida de um "músico profissional" tocando honky-tonks com balde de sangue do Deep South tinha pouca semelhança com o estilo de vida que mais tarde se tornaria disponível para ele, mas foi lá, nos bastidores da música country, que Hank Williams desenvolveu seu estilo fortemente influenciado pelo blues e começou a escrever sua própria música. Williams deixou a música para trás durante a Segunda Guerra Mundial, mas depois foi para Nashville em 1946 na esperança de vender algumas de suas canções. Rapidamente assinou um contrato de publicação com uma das editoras musicais mais proeminentes de Nashville, Fred Rose, Williams logo assinou um contrato de gravação com a MGM e seu primeiro álbum de sucesso com "Move It On Over" (1947).

O hábito de beber pesado de Williams já lhe rendeu uma reputação na indústria, no entanto - uma reputação que excluía um convite para aparecer no The Grand Ole Opry. Foi a maior competição do Opry, The Louisiana Hayride, que primeiro expôs Williams a um amplo público de rádio, mas quando seu álbum de 1949 “Lovesick Blues” se tornou um monumental sucesso popular, os poderes que estavam em Nashville cederam e Williams fez sua estreia no Opry. Sua apresentação neste dia em 1949, durante a qual ele executou seis bis de “Lovesick Blues” para um público ao vivo extremamente entusiasmado, levou a apresentações regulares nos três anos seguintes, até que o Opry demitiu Williams em julho de 1952 por causa do seu hábito de beber. Seis meses depois, Hank Williams morreu de insuficiência cardíaca induzida pelo álcool aos 29 anos.


72 anos atrás: Hank Williams estreia no Grand Ole Opry

Setenta e dois anos atrás hoje, em 11 de junho de 1949, Hank Williams fez sua estreia no Grand Ole Opry. single escrito & quotMind Your Own Business & quot. e ganhou uns incríveis seis encores.

Williams começou a se apresentar quando ainda era um adolescente, mas além de ser conhecido por seus primeiros talentos musicais, ele rapidamente se tornou conhecido também por beber muito, o que inicialmente eliminou & # xA0 suas chances de & # xA0 se apresentar no palco Opry. No entanto, depois que Williams fez seu nome no Louisiana Hayride show, e & quotLovesick Blues & quot disparou para o topo das paradas, o nativo do Alabama foi convidado a fazer sua estréia no palco sagrado.

O tunesmith juntou-se ao Opry e rapidamente começou a trabalhar, viajando por bases militares no exterior com a turnê europeia Grand Ole Opry e se apresentando no Opry com a frequência que sua agenda permitia. & # XA0Infelizmente, a permanência de Williams no palco Opry não durou muito.

Três anos após sua apresentação de estreia, em 1952, após fazer inúmeras apresentações no Grand Ole Opry, Williams foi demitido da organização, sendo o seu alcoolismo citado como o motivo. Poucos meses depois, em 1º de janeiro de 1953, ele faleceu de insuficiência cardíaca, causada por seu consumo excessivo de álcool.

Ainda assim, Williams deixou uma marca indelével no Grand Ole Opry: & # xA0Porter Wagoner estava na platéia na noite da estréia de Williams & apos Opry, marcando a primeira visita de Wagoner & aposs ao local icônico, enquanto Little Jimmy Dickens chamou & # xA0Williams & apos a aparição inicial & quotthe Opry mais memorável desempenho para mim. & quot

Em 2003, uma petição & # xA0was começou a readmitir Williams como membro do Grand Ole Opry.

Esta história foi escrita originalmente por Gayle Thompson e revisada por Annie Zaleski.

OLHE: Aprenda Hank Williams e apos + mais estrelas do país e nomes reais


O nascimento de Hiram Williams

Hank Williams não nasceu Hank Williams. Seus pais pretendiam batizá-lo de Hiram Williams, em homenagem a Hiram de Tiro, o rei bíblico, mas ele também não se tornou Hiram. Devido a um erro de ortografia em sua certidão de nascimento, seu nome oficial foi registrado como "Hiriam", de acordo com Lovesick Blues: a vida de Hank Williams.

A mãe de Hank, Lillie, e o pai, Lon, haviam se estabelecido por um breve período em uma área rural do Alabama chamada Mount Olive, para iniciar sua família. Lillie deu à luz Hank em 17 de setembro de 1923, por Biografia. Hank nasceu com um problema de coluna, conhecido como spina bifida occulta, que não era bem compreendido na época. Nunca foi tratado adequadamente e causaria dores nas costas por toda a vida. Ele podia ser esquelético e um tanto doentio, mas Hank "tinha muita coragem", de acordo com seu primo Taft Skipper em Cante uma Canção Triste: A Vida de Hank Williams. "Ele tentava quase tudo. Ele era bastante independente."

Lon ganhava a vida como madeireiro, então eles não ficaram em Mount Olive por muito tempo. A família passou os primeiros anos da vida de Hank se mudando pelo sul do Alabama, acompanhando o trabalho. No entanto, quando Hank tinha apenas seis anos, Lon sofreu paralisia facial como resultado do que provavelmente foi um aneurisma cerebral. Ele foi internado em um hospital da Administração de Veteranos em Alexandria, Louisiana, onde permaneceu hospitalizado durante a maior parte da infância de Hank. Toda a responsabilidade de sustentar a família agora recaía sobre Lillie.


Hank Williams, Sr., faz sua estreia no Grand Ole Opry - HISTÓRIA

Na vida tragicamente curta da lenda country Hank Williams Sênior, houve muitos relacionamentos rompidos, tanto pessoais quanto profissionais, que resultaram de seu comportamento autodestrutivo. Uma dessas relações era com a instituição mais importante em seu campo escolhido: The Grand Ole Opry.

Pouco antes de custar-lhe a vida, a bebida de Hank custou-lhe sua inscrição no Opry, apenas três anos após sua estreia triunfante. Essa estreia, no entanto, continua sendo uma das mais famosas da história do programa de música country ao vivo transmitido semanalmente pela WSN Nashville desde 1925.

Hank Williams pegou o microfone para sua estreia no Grand Ole Opry em 11 de junho de 1949, eletrizando uma platéia ao vivo no Ryman Auditorium que convocou Williams por seis encores e teve que ser implorado para não chamá-lo por mais, a fim de permitir o resto do show para continuar.


Hank Williams tinha apenas 25 anos quando foi convidado a se apresentar pela primeira vez no Grand Ole Opry. Como um jovem que cresceu muito pobre no sul do Alabama, ele começou a sustentar sua família aos sete anos, engraxando sapatos e vendendo amendoim, mas aos 14, pelo menos, ele já estava se apresentando como músico profissional. consulte Mais informação


Um rosto familiar

Outro convidado famoso que assombra o Ryman é o espírito de Hank Williams após sua morte em 1953. Tudo começou com & # 8220Whisperin '& # 8221 Bill Anderson, que estava verificando os níveis de som de sua guitarra durante um ensaio. Quando ele começou a dedilhar uma música favorita de Hank Williams, tudo no prédio morreu. O som, as luzes, as luzes da casa e até as luzes da saída de emergência se apagaram. Posteriormente, eles não encontraram nenhuma causa para o apagão, pois Anderson descreveu a experiência como & # 8220eerie. & # 8221

Hank Williams Sr. pegou o microfone para sua estreia no Grand Ole Opry em 11 de junho de 1949, eletrizando uma audiência ao vivo em & # 8230

Postado por Daniel S Hays na segunda-feira, 11 de junho de 2018

Enquanto as histórias são passadas de geração em geração adicionando mais detalhes a cada vez, uma lenda inegável ainda permanece na mesma estrutura: The Grand Ole Opry Curse.


Por que Hank Williams ganhou e # 8217t seja reintegrado no Grand Ole Opry

Hank Williams foi demitido do Grand Ole Opry em 1952. Não espere que ele seja reintegrado.

Arquivos de Michael Ochs / GettyImages

Desde que ganhou seis encores em sua estreia no Grand Ole Opry em 1949, Hank Williams tem sido sinônimo de instituição da música country. Mas Williams, que morreu aos 29 anos em 1953, não é tecnicamente um membro. Na verdade, ele foi demitido sem cerimônia do Opry em 1952 depois de perder uma aparição marcada, uma baixa devido ao seu alcoolismo.

Em 2003, o neto da Williams e # 8217, Hank Williams III, iniciou uma campanha para que seu avô fosse reintegrado no Grand Ole Opry. Uma petição online reuniu mais de 65.000 assinaturas, mas Williams continua um ex-membro & mdash uma designação que provavelmente não será alterada tão cedo.

& # 8220Hank Williams sempre será um estimado ex-membro do Grand Ole Opry & # 8221, diz Dan Rogers, vice-presidente e produtor executivo do Grand Ole Opry. & # 8220O Grand Ole Opry é feito de artistas vivos que podem contribuir para o show e a quem o Opry pode retribuir. & # 8221

Relacionado

Sam Williams Sings & # 039Can & # 039t Fool Your Own Blood & # 039 on & # 039Colbert & # 039
Lady A, o trio country, são os membros mais novos do Grand Ole Opry

Relacionado

& # 039Silêncio dos Inocentes & # 039: & # 039Ele quebrou todas as regras & # 039
As 80 maiores capas de Dylan de todos os tempos

Rogers falou longamente sobre Williams e seu lugar na história do Grand Ole Opry durante uma entrevista para Rolling Stone & # 8217é novo No trabalho Series. Rogers acredita que, se Williams tivesse vivido, provavelmente teria retornado ao Opry. A decisão de demitir o cantor de & # 8220Lovesick Blues & # 8221 foi originalmente concebida como um alerta e não para ser permanente. Tragicamente, Williams morreu em 1º de janeiro de 1953, enquanto a caminho de um show na Virgínia Ocidental.

Ainda assim, o legado de Williams e # 8217 continua vivo a cada apresentação, diz Rogers. & # 8220Não há uma única noite de Opry em que sua influência não seja sentida. E há muitos, muitos, muitos programas de Opry onde sua música é cantada. & # 8221

Parentes de Williams e # 8217 também apareceram no palco Opry House, de seu filho Hank Williams Jr. a seu neto Sam Williams, que fez sua estreia no Opry em 2019. Rogers diz que ficou impressionado com a gravidade da dinastia Williams quando encontrou Sam uma noite no Opry & # 8217s perto de casa, o Ryman Auditorium.

& # 8220Eu entrei em seu camarim e ele estava sentado sob uma foto de seu avô & # 8221 Rogers diz. & # 8220Foi surreal em termos de toda a história que aconteceu naquele prédio, em nosso programa, e da rapidez com que o tempo passa. & # 8221


Conteúdo

Williams nasceu como Hiram Williams [3] em 17 de setembro de 1923, [4] na comunidade rural de Mount Olive, no condado de Butler, Alabama. [5] Ele era o terceiro filho de Jessie Lillybelle "Lillie" (nascida Skipper) e Elonzo Huble "Lon" Williams. Ele era descendente de ingleses, franceses, alemães, irlandeses, escoceses, suíços e galeses. Elonzo era um engenheiro ferroviário da madeireira W. T. Smith e foi convocado durante a Primeira Guerra Mundial, servindo de julho de 1918 a junho de 1919. Ele ficou gravemente ferido após cair de um caminhão, quebrando a clavícula e sofrendo uma forte pancada na cabeça. [6] O primeiro filho da família, Ernest Huble Williams, nasceu em 5 de julho de 1921 e morreu dois dias depois. Mais tarde, eles tiveram uma filha chamada Irene. Como os pais de Williams eram seguidores da Maçonaria, [7] Williams foi nomeado após Hiram I. Seu nome foi escrito incorretamente como "Hiriam" em sua certidão de nascimento, que foi preparada e assinada quando ele tinha 10 anos de idade. [8]

Quando criança, Williams foi apelidado de "Harm" por sua família e "Herky" ou "Poots" por seus amigos. [9] Ele nasceu com espinha bífida occulta, um defeito congênito da coluna vertebral, que lhe causou dores por toda a vida, o que se tornou um fator em seu posterior consumo de álcool e drogas. [10] O pai de Williams era frequentemente realocado pela ferrovia da madeireira para a qual trabalhava, e a família vivia em muitas cidades do sul do Alabama. Em 1930, quando Williams tinha sete anos, Elonzo começou a sofrer de paralisia facial. Em uma clínica de Veterans Affairs em Pensacola, Flórida, os médicos determinaram que a causa era um aneurisma cerebral, e Elonzo foi enviado para o VA Medical Center em Alexandria, Louisiana. Ele permaneceu hospitalizado por oito anos, o que o tornou ausente durante a infância de Williams. [11] A partir dessa época, Lillie assumiu a responsabilidade pela família. [12]

No outono de 1934, a família Williams mudou-se para Greenville, Alabama, onde Lillie abriu uma pensão ao lado do tribunal do condado de Butler. [13] Em 1935, eles se estabeleceram em Garland, Alabama, onde Lillie abriu uma nova pensão e mais tarde se mudaram com a prima de Williams, Opal McNeil, para Georgiana, Alabama, [14] onde Lillie teve vários empregos paralelos para sustentar a família, apesar da economia desoladora clima da Grande Depressão. Ela trabalhava em uma fábrica de conservas e servia como enfermeira do turno da noite no hospital local. [15] Sua primeira casa pegou fogo e a família perdeu seus pertences. Eles se mudaram para uma nova casa do outro lado da cidade, na Rose Street, que a mãe de Williams logo transformou em outra pensão. A casa tinha um pequeno jardim no qual cultivavam diversas safras que Williams e sua irmã Irene vendiam em Georgiana. [16] Em um encontro casual em Georgiana, Williams conheceu o representante dos EUA J. Lister Hill enquanto Hill fazia campanha em todo o Alabama. Ele disse a Hill que sua mãe estava interessada em conversar com ele sobre seus problemas e sua necessidade de receber a pensão por invalidez de Elonzo. Com a ajuda de Hill, a família começou a recolher o dinheiro. Apesar de sua condição médica, a família administrou bastante bem financeiramente durante a Grande Depressão. [18]

Existem várias versões de como Williams conseguiu sua primeira guitarra. Sua mãe afirmou que o comprou com o dinheiro da venda de amendoim, mas muitos outros residentes proeminentes da cidade afirmaram ter sido os que compraram o violão para ele. Enquanto morava em Georgiana, Williams conheceu Rufus "Tee-Tot" Payne, um artista de rua. Payne deu aulas de violão a Williams em troca de dinheiro ou refeições preparadas por Lillie. [19] [20] O estilo musical básico de Payne era o blues. [21] Payne ensinou a Williams acordes, progressões de acordes, curvas de baixo e o estilo musical de acompanhamento que ele usaria na maioria de suas futuras composições. Mais tarde, Williams gravou "My Bucket's Got a Hole in It", uma das canções que Payne lhe ensinou. [22] Seu estilo musical continha influências de Payne, juntamente com várias outras influências country, entre elas Jimmie Rodgers, Moon Mullican e Roy Acuff. [23] Em 1937, Williams entrou em uma briga com seu professor de educação física sobre os exercícios que o treinador queria que ele fizesse. Sua mãe posteriormente exigiu que o conselho escolar demitisse o treinador quando eles se recusaram, a família mudou-se para Montgomery, Alabama. Payne e Williams perderam contato, embora Payne também tenha se mudado para Montgomery, onde morreu na pobreza em 1939. Williams mais tarde o creditou como seu único professor. [24]

Edição dos anos 1930

Em julho de 1937, os Williams e McNeils abriram uma pensão na South Perry Street, no centro de Montgomery. Foi nessa época que Williams decidiu mudar seu nome informalmente de Hiram para Hank. Williams contou uma história em shows posteriores que atribuiu sua mudança de nome ao uivo de um gato. Os autores de Hank Williams: a biografia apontou que "Hank" soava mais "como um caipira e estrela ocidental" do que "Hiram". [25] Durante o mesmo ano, ele participou de um show de talentos no Empire Theatre. Ele ganhou o primeiro prêmio de $ 15, cantando sua primeira música original "WPA Blues". Williams escreveu a letra e usou a melodia de "Dissatisfied" de Riley Puckett. [26]

Ele nunca aprendeu a ler música e, baseou suas composições na narrativa e na experiência pessoal. [27] Depois da escola e nos fins de semana, Williams cantou e tocou sua guitarra Silvertone na calçada em frente ao estúdio de rádio WSFA. [28] Sua recente vitória no Empire Theatre e as apresentações de rua chamaram a atenção dos produtores do WSFA que ocasionalmente o convidavam para tocar no ar. [29] Tantos ouvintes contataram a estação de rádio pedindo mais do "garoto cantor", possivelmente influenciado por sua mãe, que os produtores o contrataram para apresentar seu próprio programa de 15 minutos duas vezes por semana por um salário semanal de US $ 15 ( equivalente a $ 300 em 2020). [30]

Em agosto de 1938, Elonzo Williams teve alta temporária do hospital. Ele apareceu sem avisar na casa da família em Montgomery. Lillie não estava disposta a deixá-lo retomar sua posição como chefe da família. Elonzo ficou para comemorar o aniversário de seu filho em setembro, antes de retornar ao centro médico na Louisiana. A mãe de Williams alegou que ele estava morto. [28]

O programa de rádio de sucesso de Williams impulsionou sua entrada na carreira musical. Seu salário era suficiente para ele começar sua própria banda, que ele apelidou de Drifting Cowboys. Os membros originais eram o guitarrista Braxton Schuffert, o violinista Freddie Beach e o comediante Smith "Hezzy" Adair. James E. (Jimmy) Porter era o mais jovem, tinha apenas 13 anos quando começou a tocar guitarra de aço para Williams. Arthur Whiting também foi guitarrista do Drifting Cowboys. [31] A banda viajou por todo o centro e sul do Alabama, apresentando-se em clubes e reuniões privadas. James Ellis Garner mais tarde tocou violino para ele. Lillie Williams se tornou a gerente do Drifting Cowboys. Williams abandonou a escola em outubro de 1939 para que ele e os Drifting Cowboys pudessem trabalhar em tempo integral. [10] Lillie Williams começou a agendar datas de shows, negociando preços e levando-os a alguns de seus shows. Agora livre para viajar sem a escolaridade de Williams tendo precedência, a banda poderia fazer uma turnê até o oeste da Geórgia e o Panhandle da Flórida. [32] A banda começou a tocar nos cinemas antes do início dos filmes e mais tarde em honky-tonks. [33] O uso de álcool de Williams começou a se tornar um problema durante as turnês, na ocasião em que ele gastava grande parte da receita do show com álcool. Enquanto isso, entre as programações da turnê, Williams voltou a Montgomery para apresentar seu programa de rádio. [34]

Edição dos anos 40

A entrada americana na Segunda Guerra Mundial em 1941 marcou o início de tempos difíceis para Williams. Enquanto ele recebeu um adiamento 4-F dos militares para suas costas após cair de um touro durante um rodeio no Texas, os membros de sua banda foram todos convocados para servir. Muitos de seus substitutos se recusaram a tocar na banda devido ao agravamento do alcoolismo de Williams. [35] Ele continuou a aparecer em seu programa de rádio embriagado, então em agosto de 1942 a estação de rádio WSFA o despediu por "embriaguez habitual". Durante um de seus shows, Williams conheceu seu ídolo, a estrela do Grand Ole Opry Roy Acuff nos bastidores, [36] que mais tarde o alertou sobre os perigos do álcool, dizendo: "Você tem um talento de um milhão de dólares, filho, mas um -cérebro centenário. " [37]

Ele trabalhou pelo resto da guerra para uma empresa de construção naval em Mobile, Alabama, e também cantou em bares para soldados. [26] Em 1943, Williams conheceu Audrey Sheppard em uma exposição de medicina em Banks, Alabama. Williams e Sheppard viveram e trabalharam juntos em Mobile. [38] Sheppard mais tarde disse a Williams que ela queria se mudar para Montgomery com ele e começar uma banda juntos e ajudá-lo a recuperar seu programa de rádio. O casal se casou em 1944 em uma estação da Texaco em Andaluzia, Alabama, por um juiz de paz. O casamento foi declarado ilegal, uma vez que o divórcio de Sheppard de seu marido anterior não cumpriu com a reconciliação de 60 dias de julgamento legalmente exigida. [39] [40]

Em 1945, quando estava de volta a Montgomery, Williams começou a se apresentar novamente na rádio WSFA. Ele escreveu canções semanais para se apresentar durante os shows. [41] Como resultado da nova variedade de seu repertório, Williams publicou seu primeiro cancioneiro, Músicas originais de Hank Williams. [36] O livro listava apenas letras, já que seu principal objetivo era atrair mais público, embora também seja possível que ele não quisesse pagar para transcrever as notas. Incluía 10 canções: "Mother Is Gone", "Won't You Please Come Back", "My Darling Baby Girl" (com Audrey Sheppard), "Grandad's Musket", "I Just Wish I Could Forget", "Let's Turn Voltar os anos "," Honkey-Tonkey "," Eu amei ninguém além de você "," Um vagabundo na rua "e" Você vai me amar de novo ". [42] Com Williams começando a ser reconhecido como compositor, [43] Sheppard se tornou seu empresário e ocasionalmente o acompanhava em duetos em alguns de seus shows ao vivo. [44]

Em 14 de setembro de 1946, Williams fez o teste para o Grand Ole Opry de Nashville, mas foi rejeitado. Após o fracasso de sua audição, Williams e Audrey Sheppard tentaram atrair o interesse da recém-formada editora musical Acuff-Rose Music. Williams e sua esposa abordaram Fred Rose, o presidente da empresa, durante um de seus habituais jogos de pingue-pongue nos estúdios de rádio WSM. Audrey Williams perguntou a Rose se seu marido poderia cantar uma música para ele naquele momento, [45] Rose concordou, e ele gostou do estilo musical de Williams. [46] Rose assinou com Williams um contrato de seis canções e alavancou este acordo para assinar com Williams com a Sterling Records. Em 11 de dezembro de 1946, em sua primeira sessão de gravação, gravou "Riqueza não salvará sua alma", "Calling You", "Never Again (Will I Knock on Your Door)" e "Quando Deus vier e reunir o seu Jewels ", que foi impresso incorretamente como" Quando Deus vem e Pais His Jewels ". [36] As gravações" Never Again "e" Honky Tonkin '"tornaram-se um sucesso e ganharam a atenção da MGM Records para Williams. [47]

Williams assinou com a MGM Records em 1947 e lançou "Move It on Over", considerado um dos primeiros exemplos de rock and roll, a canção se tornou um enorme hit country. Em 1948, mudou-se para Shreveport, Louisiana, e ingressou na Louisiana Hayride, um programa de rádio transmitido que o impulsionou para salas de estar em todo o Sudeste, aparecendo em programas de fim de semana. Williams finalmente começou a apresentar um programa no KWKH e começou a viajar pelo oeste da Louisiana e pelo leste do Texas, sempre voltando aos sábados para a transmissão semanal do Passeio. [48] ​​Depois de mais alguns sucessos moderados, em 1949 ele lançou sua versão de 1922 Cliff Friend e Irving Mills canção "Lovesick Blues", [49] que se tornou popular por Rex Griffin. A versão de Williams se tornou um grande hit country, a música permaneceu em primeiro lugar no Painel publicitário paradas por quatro meses consecutivos, [50] passando para o público mainstream e ganhando um lugar para Williams no Grand Ole Opry. [51] Em 11 de junho de 1949, Williams fez sua estréia no Grand Ole Opry, onde se tornou o primeiro artista a receber seis bis. [52] Ele reuniu Bob McNett (guitarra), Hillous Butrum (baixo), Jerry Rivers (violino) e Don Helms (guitarra de aço) para formar a versão mais famosa dos Drifting Cowboys, ganhando cerca de US $ 1.000 por show (equivalente a $ 10.900 em 2020) Naquele ano, Audrey Williams deu à luz Randall Hank Williams (Hank Williams Jr.). [53] Durante 1949, juntou-se à primeira digressão europeia do Grand Ole Opry, actuando em bases militares na Inglaterra, Alemanha e Açores. [54] Williams lançou sete canções de sucesso depois de "Lovesick Blues", incluindo "Wedding Bells", [49] "Mind Your Own Business", "You're Gonna Change (Or I'm Gonna Leave)" e "My Bucket's Tem um buraco ". [55]

Edição dos anos 1950

Em 1950, Williams começou a gravar como "Luke the Drifter" para suas gravações com temas religiosos, muitas das quais são recitações em vez de cantadas. Temendo que os DJs e operadores de jukebox hesitassem em aceitar essas gravações incomuns, Williams usou esse apelido para evitar prejudicar a comercialização de seu nome. [56] Embora a identidade real de Luke the Drifter fosse considerada anônima, Williams frequentemente apresentava parte do material das gravações no palco. A maior parte do material foi escrita pelo próprio Williams, em alguns casos com a ajuda de Fred Rose e seu filho Wesley. [57] As canções retratavam Lucas, o errante, viajando de um lugar para outro, narrando histórias de diferentes personagens e filosofando sobre a vida. [58] [59] Algumas das composições foram acompanhadas por um órgão de tubos. [56] Nessa época, Williams lançou mais canções de sucesso, como "My Son Calls Another Man Daddy", "Theyll Never Take Her Love from Me", "Why Should We Try Anymore", "Nobody's Lonesome for Me", "Long Gone Lonesome Blues", "Why Don't You Love Me", "Moanin 'the Blues" e "I Just Don't Like This Kind of Living". [60] Em 1951, "Dear John" se tornou um sucesso, mas foi o outro lado, "Cold, Cold Heart", que se tornou uma de suas canções mais conhecidas. Uma versão pop de Tony Bennett lançada no mesmo ano permaneceu nas paradas por 27 semanas, chegando ao primeiro lugar. [61]

A carreira de Williams atingiu o pico no final do verão de 1951 com sua turnê Hadacol pelos EUA com Bob Hope e outros atores. No fim de semana após o término da turnê, Williams foi fotografado nos bastidores do Grand Ole Opry assinando um contrato para o cinema com a MGM. [62] Em outubro, Williams gravou uma demo, "Há uma lágrima na minha cerveja" para um amigo, "Big Bill Lister", que a gravou no estúdio. [63] Em 14 de novembro de 1951, Williams voou para Nova York com seu guitarrista de aço Don Helms, onde apareceu pela primeira vez na televisão no The Perry Como Show. Lá ele e Perry Como cantaram "Hey Good Lookin '". [64]

Em novembro de 1951, Williams sofreu uma queda durante uma viagem de caça com seu violinista Jerry Rivers em Franklin, Tennessee. A queda reativou suas velhas dores nas costas. Mais tarde, ele começou a consumir analgésicos, incluindo morfina, e álcool para ajudar a aliviar a dor. [53] Em 21 de maio, ele foi internado no Sanatório da Louisiana do Norte para o tratamento de seu alcoolismo, saindo em 24 de maio. [65] Em 13 de dezembro de 1951, ele teve uma fusão espinhal no Hospital da Universidade de Vanderbilt, sendo liberado em 24 de dezembro. [65] Durante sua recuperação, ele morou com sua mãe em Montgomery, e mais tarde se mudou para Nashville com Ray Price. [66]

Durante a primavera de 1952, Williams voou para Nova York com o guitarrista Don Helms, onde fez duas apresentações com outros membros do Grand Ole Opry no The Kate Smith Show. Ele cantou "Cold, Cold Heart", "Hey Good Lookin '", "Glory Bound Train" e "I Saw the Light" com outros membros do elenco, e um dueto, "I Can't Help It (If I'm I'm Ainda apaixonado por você) "com Anita Carter. [67] Naquele mesmo ano, Williams teve um breve caso extraconjugal com a dançarina Bobbie Jett, com quem teve uma filha, Jett Williams. [68]

Em junho de 1952, gravou "Jambalaya (On the Bayou)", "Window Shopping", "Settin 'the Woods on Fire" e "I Never Get Out This World Alive". Audrey Williams se divorciou dele naquele ano, no dia seguinte, ele gravou "You Win Again" e "I Wn't be Home No More". Nessa época, ele conheceu Billie Jean Jones, namorada do cantor country Faron Young, no Grand Ole Opry. Quando menina, Jones morava na mesma rua de Williams quando estava com o Louisiana Hayride, e agora Williams começou a visitá-la com frequência em Shreveport, fazendo com que ele perdesse muitas aparições no Grand Ole Opry. [69]

Em 11 de agosto de 1952, Williams foi dispensado do Grand Ole Opry por embriaguez habitual e shows ausentes. Ele voltou para Shreveport, Louisiana, para se apresentar nos shows KWKH e WBAM e no Louisiana Hayride, para o qual ele viajou novamente. Suas performances eram aclamadas quando ele estava sóbrio, mas apesar dos esforços de seus colegas de trabalho para levá-lo aos shows sóbrio, seu abuso de álcool resultava em ocasiões em que ele não aparecia ou suas performances eram ruins. [70] Em outubro de 1952 ele se casou com Billie Jean Jones. [71]

Durante sua última sessão de gravação em 23 de setembro de 1952, Williams gravou "Kaw-Liga", junto com "Your Cheatin 'Heart", "Take These Chains from My Heart" e "I Could Never Be Ashamed of You". Devido aos excessos de Williams, Fred Rose parou de trabalhar com ele. No final de 1952, Williams começou a sofrer de problemas cardíacos. [53] Ele conheceu Horace "Toby" Marshall em Oklahoma City, que disse que ele era um médico. Marshall já havia sido condenado por falsificação, e tinha recebido liberdade condicional e solto da Penitenciária Estadual de Oklahoma em 1951. Entre outros títulos falsos, ele disse que era um Doutor em Ciências. Ele comprou o título DSC por $ 25 da Escola de Ciências Aplicadas de Chicago no diploma, solicitou que o DSC fosse denominado "Doutor em Ciências e Psicologia". Sob o nome de Dr. C. W. Lemon, ele prescreveu anfetaminas, Seconal, hidrato de cloral e morfina para Williams, o que piorou seus problemas cardíacos. [72] Seu último show foi realizado em Austin, Texas, no Skyline Club em 19 de dezembro. [73]

Em 15 de dezembro de 1944, Williams se casou com Audrey Sheppard. Foi o segundo casamento dela e o primeiro dele. Seu filho, Randall Hank Williams (agora conhecido como Hank Williams Jr.), nasceu em 26 de maio de 1949. O casamento sempre foi turbulento e rapidamente se desintegrou, e Williams desenvolveu sérios problemas com álcool, morfina e outros analgésicos prescritos para ele. aliviar a forte dor nas costas causada por sua espinha bífida oculta. [10] O casal se divorciou em 29 de maio de 1952. [74] Em junho de 1952, Williams foi morar com sua mãe, mesmo depois de lançar várias canções de sucesso, como "Half as Much" em abril, "Jambalaya (On the Bayou) "em julho," You Win Again "em setembro e" Eu nunca vou sair deste mundo vivo "em novembro. Seus problemas de abuso de substâncias continuaram a sair de controle quando ele se mudou para Nashville e se divorciou oficialmente de Sheppard. [75] Um relacionamento com uma mulher chamada Bobbie Jett durante este período resultou em uma filha, Jett Williams, que nasceu cinco dias após a morte de Williams. Sua mãe adotou Jett, que ficou sob custódia do estado e foi adotada por outro casal depois que sua avó morreu. Jett não soube que ela era filha de Williams até o início dos anos 1980. [76]

Em 18 de outubro de 1952, Williams e Billie Jean Jones se casaram por um juiz de paz [77] em Minden, Louisiana. [71] Foi o segundo casamento de ambos (cada um sendo divorciado com filhos). [71] No dia seguinte, duas cerimônias públicas foram realizadas no Auditório Cívico de Nova Orleans, onde 14.000 lugares foram vendidos para cada um. [77] Após a morte de Williams, um juiz determinou que o casamento não era legal porque o divórcio de Jones não se tornou definitivo até 11 dias depois que ela se casou com Williams. Sua primeira esposa e sua mãe foram as forças motrizes por trás da declaração de nulidade do casamento, e eles perseguiram o assunto por anos. Williams também se casou com Sheppard antes de seu divórcio ser finalizado, no décimo dia de um período de reconciliação obrigatório de 60 dias. [78]

Durante a eleição presidencial de 1952, Williams foi um defensor vocal do candidato republicano Dwight D. Eisenhower. According to singer Jo Stafford, Williams sent Eisenhower a birthday telegram on October 14, informing him that he considered it a personal honor to endorse a military figure to lead the nation in its coming future. Eisenhower was sworn in as president 19 days after Williams's death. [79]

A man named Lewis Fitzgerald (born 1943) claimed to be Williams's illegitimate son he was the son of Marie McNeil, Williams's cousin. [80] In 2005, the BBC documentary series Arena featured an episode on Williams. [81] Fitzgerald was interviewed, and he suggested that Lillie Williams operated a brothel at her boarding house in Montgomery. A friend of the family denied his claims, but singer Billy Walker remembered that Williams mentioned to him the presence of men in the house being led upstairs. [80]

Williams was scheduled to perform at the Municipal Auditorium in Charleston, West Virginia, on December 31, 1952. Advance ticket sales totaled $3,500. That day, Williams could not fly because of an ice storm in the Nashville area he hired a college student, Charles Carr, to drive him to the concerts. [82] Carr called the Charleston auditorium from Knoxville to say that Williams would not arrive on time owing to the ice storm and was instead ordered to drive Williams to Canton, Ohio, for a New Year's Day concert there. [83] The two arrived at the Andrew Johnson Hotel in Knoxville, Tennessee, and Carr requested a doctor for Williams, who was affected by the combination of the chloral hydrate and alcohol he had drunk on the way to Knoxville. [84] Dr. P. H. Cardwell injected Williams with two shots of vitamin B12 that also contained a quarter-grain of morphine. Carr and Williams checked out of the hotel, but the porters had to carry Williams to the car as he was coughing and hiccuping. [85]

At around midnight on January 1, 1953, when the two crossed the Tennessee state line and arrived in Bristol, Virginia, Carr stopped at a small all-night restaurant and asked Williams if he wanted to eat. Williams said he did not, and those are believed to be his last words. [86] Carr later drove on until he stopped for fuel at a gas station in Oak Hill, West Virginia, where he realized that Williams had been dead for so long that rigor mortis had already set in. The station's owner called the local police chief. [87] In Williams's Cadillac, the police found some empty beer cans and unfinished handwritten lyrics. [88] Dr. Ivan Malinin performed the autopsy at the Tyree Funeral House. He found hemorrhages in the heart and neck and pronounced the cause of death as "insufficiency of the right ventricle of the heart". [89] He also wrote that Williams had been severely beaten and kicked in the groin recently, and local magistrate Virgil F. Lyons ordered an inquest into Williams's death concerning a welt that was visible on his head. [90] That evening, when the announcer in Canton announced Williams's death to the gathered crowd, they started laughing because they thought it was just another excuse. After Hawkshaw Hawkins and other performers started singing Williams's song "I Saw the Light" as a tribute to him, the crowd realized that he was indeed dead and began to sing along. [77]

On January 2, Williams's body was transported to Montgomery, Alabama, where it was placed in a silver casket that was displayed at his mother's boarding house for two days. His funeral took place on January 4 at the Montgomery Auditorium, with his casket placed on the flower-covered stage. [91] An estimated 15,000 to 25,000 people passed by the silver casket, and the auditorium was filled with 2,750 mourners. [92] His funeral was said to have been far larger than any ever held for any other citizen of Alabama, and the largest event ever held in Montgomery. [93] [94] Williams's remains are interred at the Oakwood Annex in Montgomery. The president of MGM Records told Painel publicitário magazine that the company got only about five requests for pictures of Williams during the weeks before his death, but over 300 afterwards. The local record shops reportedly sold all their Williams records, and customers were asking for all records ever released by Williams. [92]

Williams' final single, released in November 1952 while he was still alive, was titled "I'll Never Get Out of This World Alive". His song "Your Cheatin' Heart" was written and recorded in September 1952, but released in late January 1953 after his death. The song, backed by "Kaw-Liga", was No. 1 on the country charts for six weeks. It provided the title for the 1964 biographical film of the same name, which starred George Hamilton as Williams. [95] "Take These Chains From My Heart" was released in April 1953 and reached No. 1 on the country charts. [96] Released in July, "I Won't Be Home No More" went to No. 4. Meanwhile, "Weary Blues From Waitin'" reached No. 7. [97]

Williams has been called "the King of Country Music" in popular culture. [98] [99] [100] Alabama governor Gordon Persons officially proclaimed September 21 "Hank Williams Day". The first celebration, in 1954, featured the unveiling of a monument at the Cramton Bowl that was later placed at the gravesite of Williams. The ceremony featured Ferlin Husky interpreting "I Saw the Light". [101] Williams had 11 number one country hits in his career ("Lovesick Blues", "Long Gone Lonesome Blues", "Why Don't You Love Me", "Moanin' the Blues", "Cold, Cold Heart", "Hey, Good Lookin'", "Jambalaya (On the Bayou)", "I'll Never Get Out of This World Alive", "Kaw-Liga", "Your Cheatin' Heart", and "Take These Chains from My Heart"), as well as many other top 10 hits. [102]

On February 8, 1960, Williams's star was placed at 6400 Hollywood Boulevard on the Hollywood Walk of Fame. [103] He was inducted into the Country Music Hall of Fame [104] in 1961 and into the Alabama Music Hall of Fame in 1985. [105] When Downbeat magazine took a poll the year after Williams's death, he was voted the most popular country and Western performer of all time—ahead of such giants as Jimmie Rodgers, Roy Acuff, Red Foley, and Ernest Tubb. [106]

In 1964, Hank Williams was portrayed by George Hamilton in the film Your Cheatin' Heart. [107]

In 1977, a national organization of CB truck drivers voted "Your Cheatin' Heart" as their favorite record of all time. [108] In 1987, he was inducted in the Rock and Roll Hall of Fame under the category "Early Influence". [109] He was ranked second in CMT's 40 Greatest Men of Country Music in 2003, behind only Johnny Cash who recorded the song "The Night Hank Williams Came To Town". His son, Hank Jr., was ranked on the same list. [110]

Em 2004, Rolling Stone ranked him number 74 on its list of the 100 Greatest Artists of All Time. [111] Many artists of the 1950s and 1960s, including Elvis Presley, [112] Bob Dylan, Tammy Wynette, David Houston, Jerry Lee Lewis, Merle Haggard, [113] Gene Vincent, [114] Carl Perkins, [115] Ricky Nelson, and Conway Twitty [116] recorded Williams's songs during their careers.

In 2011, Williams's 1949 MGM number one hit, "Lovesick Blues", was inducted into the Recording Academy Grammy Hall of Fame. [117] The same year, Hank Williams: The Complete Mother's Best Recordings . Plus! was honored with a Grammy nomination for Best Historical Album. [118] In 1999, Williams was inducted into the Native American Music Hall of Fame. [119] On April 12, 2010, the Pulitzer Prize Board awarded Williams a posthumous special citation that paid tribute to his "craftsmanship as a songwriter who expressed universal feelings with poignant simplicity and played a pivotal role in transforming country music into a major musical and cultural force in American life". [120] Several members of Williams's descendants became musicians: Hank Williams Jr., daughter Jett Williams, grandson Hank Williams III, and granddaughters Hilary Williams [121] and Holly Williams are also country musicians. [122] [123] In July 2020, his granddaughter Katherine (Hank Jr.'s daughter) died in a car crash at the age of 27. [124] His great-grandson Coleman Finchum, son of Hank Williams III, released his debut single credited to IV and the Strange Band in 2021. Meanwhile, Lewis Fitzgerald's son Ricky billed himself as Hank Williams IV following his father's claim of being Williams's son. [125]

In 2006, a janitor of Sony/ATV Music Publishing found in a dumpster the unfinished lyrics written by Williams that had been found in his car the night he died. The worker claimed that she sold Williams's notes to a representative of the Honky-Tonk Hall of Fame and the Rock-N-Roll Roadshow. The janitor was accused of theft, but the charges were later dropped when a judge determined that her version of events was true. The unfinished lyrics were later returned to Sony/ATV, which handed them to Bob Dylan in 2008 to complete the songs for a new album. Ultimately, the completion of the album included recordings by Alan Jackson, Norah Jones, Jack White, Lucinda Williams, Vince Gill, Rodney Crowell, Patty Loveless, Levon Helm, Jakob Dylan, Sheryl Crow, and Merle Haggard. The album, named The Lost Notebooks of Hank Williams, was released on October 4, 2011. [126] [127]

Material recorded by Williams, originally intended for radio broadcasts to be played when he was on tour or for its distribution to radio stations nationwide, resurfaced throughout time. [128] In 1993, a double-disc set of recordings of Williams for the Health & Happiness Show was released. [129] Broadcast in 1949, the shows were recorded for the promotion of Hadacol. The set was re-released on Hank Williams: The Legend Begins in 2011. The album included unreleased songs. "Fan It" and "Alexander's Ragtime Band", recorded by Williams at age 15 the homemade recordings of him singing "Freight Train Blues", "New San Antonio Rose", "St. Louis Blues" and "Greenback Dollar" at age 18 and a recording for the 1951 March of Dimes. [130] In May 2014, further radio recordings by Williams were released. The Garden Spot Programs, 1950, a series of publicity segments for plant nursery Naughton Farms originally aired in 1950. The recordings were found by collector George Gimarc at radio station KSIB in Creston, Iowa. [131] Gimarc contacted Williams's daughter Jett, and Colin Escott, writer of a biography book on Williams. The material was restored and remastered by Michael Graves and released by Omnivore Recordings. [132] [133] The release won a Grammy Award for Best Historical Album. [134]

Williams was portrayed by English actor Tom Hiddleston in the 2016 biopic I Saw the Light, based on Colin Escott's 1994 book Hank Williams: The Biography. [135]

Lawsuits over the estate Edit

After Williams's death, Audrey Williams filed a suit in Nashville against MGM Records and Acuff-Rose. The suit demanded that both of the publishing companies continue to pay her half of the royalties from Hank Williams's records. Williams had an agreement giving his first wife half of the royalties, but allegedly there was no clarification that the deal was valid after his death. Because Williams may have left no will, the disposition of the remaining 50 percent was considered uncertain those involved included Williams's second wife, Billie Jean Horton and her daughter, and Williams's mother and sister. [136] On October 22, 1975, a federal judge in Atlanta, Georgia, ruled Horton's marriage to Williams was valid and that half of Williams's future royalties belonged to her. [137]

WSM's Mother's Best Flour Editar

In 1951, Williams hosted a 15-minute show for Mother's Best Flour on WSM radio. Due to Williams's tour schedules, some of the shows were previously recorded to be played in his absence. [138] The original acetates made their way to the possession of Jett Williams. Prior to that, duplicates were made and intended to be published by a third party. In February 2005, the Tennessee Court of Appeals upheld a lower court ruling stating that Williams's heirs—son, Hank Williams Jr, and daughter, Jett Williams—have the sole rights to sell his recordings made for a Nashville radio station in 1951.

The court rejected claims made by PolyGram Records and Legacy Entertainment in releasing recordings Williams made for the Mother's Best Flour Show. The recordings, which Legacy Entertainment acquired in 1997, include live versions of Williams's hits and his cover version of other songs. PolyGram contended that Williams's contract with MGM Records, whose back catalogue they owned at the time, prior to current owner Universal Music's absorption of PolyGram the next year, gave them rights to release the radio recordings. A 3-CD selection of the tracks, restored by Joe Palmaccio, was released by Time-Life in October 2008 titled The Unreleased Recordings. [139]


Hank Williams Arrested: The Story Behind the Famous Photo

It was August of 1952, and the life of Hank Williams was in a downward spiral. The Hillbilly Shakespeare already suffered from chronic back pain which helped lead to his notorious alcoholism, and then earlier in 1952, Hank suffered a fall during a hunting trip in Tennessee, facilitating his use of painkillers such as morphine. On August 11th, 1952, Hank’s alcoholism and drug use resulted in the singer and songwriter being fired from the Grand Ole Opry, which devastated him and only exacerbated his personal issues.

On August 17th, 1952, six days after being fired from the Opry, Hank Williams was back in his home state of Alabama in a town called Alexander City, also known as “Alex City” by locals. Williams frequently visited the area, especially Lake Martin which borders the town to the south and east, and where Hank owned a lakeside cabin. Hank Williams sometimes conducted interviews with local Alexander City DJ Bob McKinnon when he was in town. One of the communities surrounding the lake was known as Kowliga, which inspired the Hank Williams hit “Kaw-Liga.” The name is derived from a legendary Indian from the area, and a wooden statue commemorating Kaw-Liga (or Kowliga) that was located near the lake.

It was during the same trip to Alexander City and Lake Martin in 1952 that some reports say Hank would write the song “Kaw-Liga.” He recording the hit on September 23, 1952 at the Castle Studio in Nashville with a B-side of “Your Cheatin’ Heart.” Other reports say he wrote the song in 1951 because of a demo version that is attributed to a year before. But either way, Hank would not live to see the song’s release. His life would continue its tragic, downward spiral, illustrated by the events of August 17th.

At 11:25 p.m., Hank Williams was arrested in Alexander City at the Russell Hotel for public drunkenness and disorderly conduct. Chief Winfred Patterson who arrested Hank said to the Alabama Journal in 1971 that Hank was “more or less having DT’s (delirium tremens). He was running up and down the hall, yelling that someone was whipping old ladies and he was going to stop them.”

According to reports, Hank’s friend Darwin Dobbs, who had hosted Hank at his Lake Martin fishing lodge, posted Hank’s $25 bond, and paid the $10 fine for Hank to be released. As the singer was exiting the jail, the famous picture of a shirtless, gaunt, and unshaved Hank Williams was snapped.

Shortly thereafter, Hank arrived at his mother’s house in Montgomery, and later ended up spending time in the St. Jude’s Hospital trying to regain control of his life. According to biographer Colin Escott, the stay “must have helped Hank a little,” because he made an appearance on the Louisiana Hayride on September 20th, 1952, and recorded “Kaw-Liga” and other songs three days later. But Hank’s deterioration would continue until his tragic death on New Years Day, 1953.

The picture of Hank leaving the jail cell, and the original police report discovered last year in the basement of the city jail, hangs in the office of Deputy Chief Jay Turner of the Alexander City police department as a reminder of the famous moment in the life of Hank Williams.

“Kaw-Liga” was released posthumously in January of 1953, and spent 14 weeks at #1 on the Billboard country chart. It was arguably Hank’s biggest commercial hit.


Jerry Lee Lewis

While “The Killer” is a rock and roll artist at heart, he has been an honored member of the country music community for years. So it only made sense when, in January 1973, he was invited to perform at the Opry.

Author Colin Escott explains in the book A Half Century of Hits that Lewis agreed to the performance despite having a sour taste for the Nashville community:

Lewis was never truly accepted in Nashville,” Escott wrote. & # 8220He didn’t move there and didn’t schmooze there. He didn’t fit in with the family values crowd. Lewis’ family values weren’t necessarily worse, but they were different.”

Wanting to rebel against those values, Lewis took to the Opry stage and broke one of its cardinal rules when he cursed just a few minutes into his performance.

1973 Jerry Lee Lewis makes his Grand Ole Opry debut, breaking two promises: he won't sing rock & roll, and won't swear. The set list includes "Another Place, Another Time," "Johnny B. Goode," "Great Balls Of Fire" and "Whole Lotta Shakin' Going On" pic.twitter.com/1aHLgvDOdR

&mdash Terry Jennings (@TerryJennings33) January 20, 2018

He then broke another huge rule by playing a 40-minute set, when at the time artists were restricted to playing just two songs.

To top it all off, Lewis was asked not to play any of his rock and roll tunes, but he completely ignored that request.

While the Opry never technically banned Lewis, that performance certainly didn’t go over well. That performance marked the first, and last time he ever played there.


Selected discography

Hank Williams ’ Greatest Hits, MGM.

The Humor of Hank Williams, MGM.

I ’ m Blue Inside, MGM.

Movin ’ On — Luke the Drifter, MGM.

24 of Hank Williams ’ Greatest Hits, MGM.

The Very Best of Hank Williams, Volume 1, MGM.

The Very Best of Hank Williams, Volume 2, MGM.

Wait for the Light To Shine, MGM, reissued, Polydor.

Hank Williams on Stage, Volume 1, MGM.

Hank Williams on Stage, Volume 2, MGM.

The Essential Hank Williams, MGM.

Hank Williams, Sr. Live at the Grand Ole Opry, MGM.

Hank Williams Memorial Album, MGM, reprinted, Polydor.

Hank Williams ’ Greatest Hits, Volume 2, MGM.

Hank Williams ’ Greatest Hits, Volume 3, MGM.

Beyond the Sunset, MGM.

40 Greatest Hits of Hank Williams, Polydor.

Hey, Good Lookin ’ , Polydor.

I Ain ’ t Got Nuthin ’ but Time, Polydor.

I Won ’ t Be Home No More, Polydor.

I ’ m So Lonesome I Could Cry, Polydor.

Let ’ s Turn back the Years, Polydor.

Long Gone Lonesome Blues, Polydor.

Lovesick Blues, Polydor.

Moanin ’ the Blues, Polydor.

Hank Williams on the Air, Polydor.

Rare Takes & Radio Cuts, Polydor.

Wanderin ’ Around, Polydor.


42. The Doctor

Sadly, there was more to Williams’ death than his own personal flaws. The doctor that Williams hired to tour with him before his death turned out not to be a doctor at all. He was a fraud on parole for forgery. Ultimately, this was a major factor in Williams’ tragic end, as the doctor prescribed him medications that did not mix well with his drinking—which anyone who knew Williams would know was a terrible idea.

Wikipedia

More from Factinate

Featured Article The Truth Always Comes Out: Dark Family Secrets Exposed There's something about the family structure that encourages secrets. Husbands hiding things from wives, mothers from children, and generation from generation. No clan is left untouched, and even families that seem happy and normal on&hellip Samantha Henman | Apr 08, 2020 Featured Article Entrancing Facts About Madame de Pompadour, France's Most Powerful Mistress Madame de Pompadour didn't just share King Louis XV's bed, she also shared his power. As the most commanding mistress in the French court, she bettered the lives of many and became a beloved figure&hellip Kyle Climans | Dec 07, 2018 Featured Article These People Got Revenge In The Most Ingenious Ways The best revenge might be living well, but that doesn't mean we can always turn the other cheek. From petty paybacks to insane acts of karma, these bitter people somehow found the most ingenious ways&hellip Dancy Mason | Apr 22, 2020 Featured Article Tragic Facts About Catherine of Aragon, Henry VIII’s First Wife Catherine of Aragon was King Henry VIII’s first wife and longest-lasting Queen of England. Although Catherine's successor Queen Anne Boleyn suffered an infamously dark fate, Aragon's own life was somehow even more tragic. Let’s just&hellip Christine Tran | Jun 07, 2018

Assista o vídeo: Music - 1949 - Hank Williams Sr - Lovesick Blues - Performed At Grand Ole Opry