Universidade de Charleston

Universidade de Charleston


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

A University of Charleston está localizada na capital do estado de West Virginia, Charleston, em meio a montanhas e rios magníficos. É uma universidade privada, co-educacional e residencial, enraizada na tradição judaico-cristã de fé privada e serviço público. A universidade foi fundada em 1888, pela denominação Metodista do Sul como Seminário Barboursville, em Barboursville, West Virginia. Em 1889, tornou-se uma faculdade e foi renomeada como Morris Harvey College, em 1901. A faculdade foi transferida para o centro de Charleston em 1935, durante a Grande Depressão e continuou lá até 1947. Durante esse período, a faculdade teve um crescimento constante devido ao fusão com o Kanawha Junior College e uma afiliação com o Mason College de Belas Artes e Música. O Morris Harvey College tornou-se independente em 1942 e se separou da denominação como resultado da fusão entre a Igreja Metodista do Norte e do Sul. Construção do atual campus foi iniciado em 1947, na margem sul do rio Kanawha. Em 13 de dezembro de 1978, o Morris Harvey College foi renomeado para University of Charleston.UC oferece programas de bacharelado, associado e mestrado em várias disciplinas, incluindo enfermagem, farmácia, administração de empresas e design de interiores. As várias divisões no campus da universidade incluem o Morris Harvey Divisão de Artes e Ciências, Herbert Jones Divisão de Negócios e Bert Bradford Divisão de Ciências da Saúde. A University of Charleston oferece instalações de última geração, incluindo o Clay Tower Building, que abriga a biblioteca da universidade e é o instalação mais avançada tecnologicamente no campus. Algumas das outras instalações no campus são a Biblioteca de Schoenbaum, Riggleman Hall, Geary Student Union, Brotherton Hall, residências para homens e mulheres, dois ginásios, uma piscina coberta, campos de atletismo, clínica de medicina esportiva , e uma casa-barco.


História assombrada do Tri-Estado de Theresa

A atual Universidade de Charleston fica ao longo da margem sul do rio Kanawha. mas a conhecida instituição de ensino superior, na verdade, tem suas raízes em Barboursville, WV. Originalmente conhecida como Seminário Barboursville, a escola foi inaugurada em 1888 por um grupo de Metodistas do Sul. Em 1901, a faculdade havia assumido o nome de Morris Harvey College, em homenagem a um doador muito rico para a escola.

Em 1935, o Morris Harvey College mudou seu campus para o centro de Charleston. Entre 1935 e 1947, passaria por muitas outras mudanças adicionais, incluindo o abandono de sua afiliação com a Igreja Metodista do Sul em 1942 e a fusão com o Kanawha Junior College. A necessidade de maior número de matrículas e afiliações resultou na construção de um novo campus, do outro lado do rio a partir do centro da cidade.

A construção do novo campus começou em 1947. O terceiro edifício a se tornar parte do futuro campus da Universidade de Charleston foi Riggleman Hall. A construção começou no Riggleman Hall em 1950 e terminou em 1951. Na verdade, deveria ser a ala leste de um edifício muito maior que nunca foi construído. Em vez disso, tornou-se o coração do novo campus. e também, o coração de suas histórias de fantasmas.

Riggleman Hall foi nomeado após Morris Harvey Presidente Leonard Riggleman. Riggleman assumiu o cargo em 1931 e supervisionou as muitas mudanças pelas quais a faculdade passou em relação à mudança de Barboursville para Charleston e do centro de Charleston para seu novo local. Leonard Riggleman continuou sua presidência até 1964 e faleceu em 18 de maio de 1983. Ele está enterrado no cemitério Woodmere de Huntington. E embora seus restos mortais estejam enterrados a dois condados de distância, muitos acreditam que Leonard Riggleman ainda perambula pelos corredores do prédio principal do campus. em espírito.

Os professores que trabalham até tarde da noite ouviram portas baterem quando não havia mais ninguém no prédio. Alunos e funcionários da mesma forma ouviram ruídos inexplicáveis ​​e vozes desencarnadas ecoando pelos corredores vazios. Esses sons fantasmas são em grande parte atribuídos ao homônimo do prédio, mas outros afirmam que os acontecimentos fantasmagóricos são atribuídos a OUTRO fantasma. o de uma jovem estudante que se suicidou ao saber que estava grávida. Que eu saiba, não há nenhuma evidência concreta para apoiar essa teoria, então se você tiver informações verificáveis ​​de primeira mão sobre o assunto, por favor, me avise!

De qualquer forma, há outros prédios no campus que também são mal-assombrados. Um desses edifícios é o Geary Student Union, que abriga, entre outras coisas, a galeria de arte da escola, o auditório e o café recém-reformado. Os detalhes da atividade paranormal acontecendo neste local são escassos. a maioria dos sites que discutem esse local simplesmente afirmam que há a sensação de não estar sozinho, sombras e sons estranhos.

O antigo dormitório Dickinson Hall tem uma descrição quase palavra por palavra de assombrações ITS flutuando pela web, mas uma antiga residência escreveu no site WVGhosts com uma experiência pessoal. Parece que esse aluno costumava sentir uma presença masculina no dormitório. Esta testemunha também discute algumas outras experiências pessoais envolvendo o saguão e o porão daquele prédio. Você pode ler essas histórias por si mesmo no link fornecido.

Infelizmente, Dickinson Hall foi demolido no início dos anos 2000, então qualquer traço de uma assombração se perdeu na história. ou é? Em 2010, um novo dormitório, o East Apartments, foi construído no antigo local de Dickinson Hall. De acordo com um artigo de notícias do Partenon de 2011, os alunos atuais também estavam começando a experimentar coisas estranhas no novo prédio, um fato que eles atribuíram ao antigo Dickinson Hall.

* O nome University of Charleston foi implementado pelo Conselho de Curadores em 13 de dezembro de 1978 *

Foto acima, propriedade do Conselho de Faculdades Independentes: Projeto de Arquitetura do Campus Histórico

Siga Theresa no Facebook para atualizações deste blog, notícias paranormais, reflexões aleatórias e muito, muito mais!


História

Nossos alunos são desafiados de maneiras que aprimoram sua educação e fornecem acesso à discussão acadêmica mais ampla na disciplina histórica. O programa conjunto (com o The Citadel Graduate College) oferece turmas pequenas com discussão e análise estimulantes, e as duas faculdades oferecem uma vasta experiência em história dos Estados Unidos, história europeia e história global.

A cidade de Charleston também oferece recursos de arquivo, locais de pesquisa e oportunidades de emprego.

Critérios de Admissão

  • Transcrições oficiais de todas as instituições acadêmicas
  • GRE oficial (pontuação verbal mínima de 150 4.0 escrita analítica) ou MAT pontua pontuações oficiais do TOEFL se seu idioma principal não for o inglês
  • Três cartas de recomendação de professores de graduação
  • Escrevendo amostra de um curso de história de nível superior
  • Pelo menos 15 horas de cursos de graduação em história além do nível introdutório
  • GPA mínimo de graduação de 2,5 com 3,0 no principal

Mensalidade

Para obter as informações mais atualizadas, visite o Escritório do Tesoureiro e # 160Tuition and Fees.

Prazos de inscrição

Prazo de prioridade de outono para inscrições concluídas: 1º de março (este prazo é para os alunos que buscam bolsas de estudo e assistentes.)
O prazo final de outono para todas as outras inscrições concluídas: 1º de julho.
Primavera: 1º de novembro
Verão: 1º de março


Uma breve história do colégio

Fundado em 1770, o College of Charleston é a instituição educacional mais antiga ao sul da Virgínia e a 13ª mais antiga dos Estados Unidos. Durante o período colonial, famílias ricas enviaram seus filhos ao exterior para cursar o ensino superior. Em meados do século 18, muitos cidadãos importantes apoiaram a ideia de estabelecer uma instituição de ensino superior dentro da colônia.


Em 30 de janeiro de 1770, o vice-governador William Bull recomendou à assembleia geral da colônia o estabelecimento de um colégio provincial. No entanto, desacordos internos, rivalidades políticas e a Revolução Americana atrasaram o progresso nesta frente. Após a guerra, os Carolinianos do Sul voltaram sua atenção para o estabelecimento de uma faculdade. Em 19 de março de 1785, o College of Charleston foi autorizado a "encorajar e instituir a juventude nos vários ramos da educação liberal".

Vários dos fundadores do Colégio desempenharam papéis importantes na Revolução Americana e na criação da nova república. Três foram signatários da Declaração da Independência e outros três foram autores da Constituição dos Estados Unidos. Outros fundadores foram ou se tornaram legisladores e juízes federais e estaduais, governadores estaduais, diplomatas e vereadores e prefeitos de Charleston. Robert Smith foi o primeiro presidente do Colégio. Educado na Inglaterra, ele foi ordenado sacerdote na Igreja Anglicana e se mudou para Charleston, onde atuou como reitor da Igreja de São Filipe. Durante a Revolução Americana, ele apoiou a causa patriota e até serviu como soldado durante o cerco à cidade. Mais tarde, ele se tornou o primeiro bispo episcopal da Carolina do Sul.

As primeiras aulas eram ministradas no andar térreo da casa do reverendo Smith na Glebe Street (agora a residência dos presidentes do College of Charleston). Mais tarde, as salas do Colégio foram construídas a partir de um antigo quartel militar localizado em um terreno público que hoje é o Pátio da Cisterna. A instrução começou lá em janeiro de 1790. O Colégio formou sua primeira turma em 1794, que consistia de seis alunos. Em 1824, o Colégio oferecia um currículo amplo o suficiente para conceder diplomas regularmente. Durante o mandato do reverendo Jasper Adams como presidente, ele reorganizou o College e orquestrou a construção do primeiro prédio projetado especificamente para o ensino de Randolph Hall.

Em 1837, o College tornou-se o primeiro colégio municipal do país, quando a cidade de Charleston assumiu a responsabilidade por seu apoio. A cidade forneceu recursos, por exemplo, em 1850 para ampliar o prédio acadêmico principal, construir o Porters Lodge e cercar o pátio da Cisterna, o bloco que ainda é o núcleo do campus. Permaneceu como colégio municipal até a década de 1950, quando o Colégio voltou a ser uma instituição privada.

Durante a Guerra Civil, muitos alunos e professores partiram para servir à Confederação. Apesar do número cada vez menor de alunos e do cerco de longa data da cidade pelas tropas federais, não houve suspensão das aulas até 19 de dezembro de 1864, dois meses antes da evacuação da cidade. As aulas foram retomadas em 1º de fevereiro de 1866 e, nas quatro décadas seguintes, o Colégio enfrentou várias crises financeiras, reconstruções, furacões e o devastador terremoto de 1886.

Até o século 20, os alunos que frequentaram a faculdade eram principalmente charlestonianos.

Harrison Randolph (presidente, 1897-1945) mudou isso ao construir residências universitárias e criar bolsas de estudo para atrair estudantes de outras partes do estado. Sob o presidente Randolph, as mulheres foram admitidas no Colégio e o número de matrículas aumentou de apenas 68 alunos em 1905 para mais de 400 em 1935. Para muitas instituições de ensino superior em todo o Sul, a integração ocorreu no final dos anos 1960. Para o Colégio, os primeiros alunos negros se matricularam em 1967.

As matrículas permaneceram em cerca de 500 alunos até que o Colégio se tornou uma instituição estadual em 1970. De acordo com o decreto legislativo de 1970 que incorporou o Colégio de Charleston ao sistema da Carolina do Sul, o Colégio recebeu o mandato de desenvolver programas emblemáticos em áreas acadêmicas que capitalizam sobre os pontos fortes naturais e culturais únicos de Charleston e Lowcountry, especialmente biologia marinha e belas artes. Hoje, o Grice Marine Laboratory do College é um dos principais centros de pesquisa da Costa Leste em ciências marinhas, enquanto a School of the Arts cresceu de um departamento de belas artes com um foco limitado para uma das escolas de artes mais abrangentes do país.

Theodore Stern foi o 14º presidente do Colégio. Durante sua gestão (1968-1979), o número de alunos aumentou para cerca de 5.000 e as instalações físicas se expandiram, de menos de 10 prédios para mais de 100. Entre 1979 e 2001, as matrículas continuaram a aumentar, subindo para mais de 10.000 e atraindo estudantes de todo o país e de todo o mundo.

Em 1992, a University of Charleston, S.C., frequentemente chamada de The Graduate School, foi fundada como o lar dos programas de pós-graduação da faculdade. A University of Charleston, S.C., agora oferece 19 programas de graduação e nove certificados, e coordena o suporte para os muitos programas de pesquisa do corpo docente reconhecidos nacionalmente.

Sob a liderança do presidente Lee Higdon (2001 & # 82112006), a faculdade embarcou em um plano ambicioso projetado para melhorar a experiência geral do aluno, aumentar o corpo docente e a equipe de apoio ao aluno e atualizar e expandir as instalações. A faculdade renovou muitas estruturas históricas e abriu vários novos edifícios, incluindo dois novos dormitórios, o Beatty Center (Escola de Negócios), a Biblioteca Marlene e Nathan Addlestone e novas instalações para a Escola de Educação, Saúde e Desempenho Humano. Mais recentemente, o College abriu a TD Arena, o Centro de Artes Marion e Wayland H. Cato Jr. e o Edifício da Escola de Ciências e Matemática.

Durante a presidência de P. George Benson & # 8217s (2007-2014), o College continuou a elevar seu perfil nacional por meio de realizações acadêmicas e atléticas, ganhando as principais honras escolares e campeonatos nacionais. Em 2013, o College se juntou à Colonial Athletic Association, expandindo sua presença na Costa Leste.

Glenn F. McConnell & # 821769 (2014-2018) foi o terceiro ex-aluno a servir como presidente do College. Durante sua presidência, o College concluiu o BOUNDLESS, uma campanha abrangente de arrecadação de fundos que arrecadou $ 138,7 milhões e se destaca como o esforço filantrópico e de engajamento mais bem-sucedido do College & # 8217s até o momento. esforço contínuo para manter os cursos e ofertas do College & # 8217s relevantes para os alunos de hoje. & # 160

Hoje, o College é liderado por Andrew T. Hsu (2019 e # 8211presente), que é o 23º presidente do College of Charleston e tem uma vasta experiência em ensino superior. As prioridades do presidente Hsu & # 8217s incluem maximizar a celebração e comemoração do 250º aniversário do College & # 8217s em 2020, criar um plano estratégico para orientar o College nos próximos 5, 10 e 20 anos e elevar o perfil da universidade na Carolina do Sul, a região, o país e o mundo.


História da Universidade

Evoluindo a partir de um único edifício, o histórico Horseshoe é um projeto vivo, que respira e está sempre mudando da rica e única história da universidade.

Uma visita à Universidade da Carolina do Sul não está completa sem um vislumbre da histórica Ferradura. O campus original em forma de U - antes chamado de South Carolina College - viu mais de dois séculos de história se desdobrar, ganhando uma posição no Registro Nacional de Locais Históricos. É também o lugar onde a universidade deu o passo necessário para reconhecer que o pitoresco terreno e o cotidiano dentro de seus muros dependiam de trabalhadores escravos.

Edifícios e Estruturas

Desde o momento em que a universidade foi fundada em 1801, apenas 12 edifícios ajudaram a criar o conhecido layout em forma de U da Ferradura. Hoje, muitos outros edifícios residem dentro da Parede da Ferradura de tijolos que circunda o terreno do Antigo Campus original. Para uma história detalhada, verifique On the Horseshoe: Um Guia para o Campus Histórico da University of South Carolina.

Currell College (1918)

Antigo prédio do Campus
Arquiteto: Edwards e Sayward

Localizada atrás da Rutledge College, a Currell College foi construída como um prédio de escola de direito e foi originalmente chamada de Petigru College em homenagem ao distinto advogado de Charleston, James L. Petigru (1789-1863). Na verdade, nomes que comemoram advogados e juízes notáveis ​​da Carolina do Sul permanecem sob as janelas como um lembrete do propósito original do edifício.

O nome Petigru foi transferido para a nova escola de direito construída em 1950, e o prédio original foi renomeado para William Spenser Currell (1858-1943), que serviu como reitor da universidade de 1914 a 1923. Currell guiou a universidade durante a turbulência causada por World Primeira Guerra

DeSaussure College (1809)

Construção de ferradura
Arquiteto: Richard Clark

O DeSaussure College foi nomeado em homenagem a Henry William DeSaussure (1763-1839), que serviu na Guerra Revolucionária e mais tarde como político em ambas as câmaras da legislatura da Carolina do Sul. Ele defendeu o estabelecimento do colégio como membro da Assembleia Geral em 1801 e serviu como um de seus primeiros curadores. Advogado e depois juiz, DeSaussure também atuou como segundo diretor da Casa da Moeda dos Estados Unidos.

A estrutura, construída como gêmea do Rutledge College, serviu como um hospital durante a Guerra Civil e foi o local da primeira escola de medicina em Carolina de 1866-1873. Durante a Reconstrução, uma ala serviu como prisão militar federal enquanto a universidade e a cidade estavam ocupadas. Durante a Primeira Guerra Mundial, uma ala serviu como o primeiro dormitório feminino.

Durante o Projeto de Restauração da Ferradura dos anos 1970, os arqueólogos descobriram que a fundação original de DeSaussure ficava 30 metros mais perto de Rutledge.

Elliott College (1837)

Construção de ferradura
Arquiteto: Desconhecido

O Elliott College foi projetado exclusivamente para abrigar estudantes e carece de espaço acadêmico central. O edifício foi nomeado em homenagem a Stephen Elliott (1771-1830), um botânico, educador, legislador estadual e um dos fundadores do State Bank of South Carolina em 1812. Elliott também foi um dos fundadores da Medical University of South Carolina em Charleston em 1825, e ele ensinou história natural e botânica na escola até sua morte.

Flinn Hall (1860)

Antigo prédio do Campus
Arquiteto: Richard W. Johnson (empreiteiro)

Construído em 1860 como uma única residência para o corpo docente, o Flinn Hall foi a última estrutura construída no campus antes da Guerra Civil. O prédio recebeu o nome do Professor de Filosofia John William Flinn (1847-1907), que morou na casa por volta de 1890 até deixar a universidade em 1905.

Em 1910, o edifício foi convertido em um YMCA e centro de atividades estudantis e denominado Flinn Hall. O prédio foi posteriormente convertido para uso acadêmico. Flinn Hall foi movido cerca de cinquenta metros para trás até sua localização atual para abrir espaço para o Memorial de Guerra.

Harper College (1848)

Construção de ferradura
Arquiteto: Desconhecido

O Harper College e seu irmão gêmeo, Legare, foram construídos ao mesmo tempo e seguem o padrão estabelecido pelo Rutledge College de uma seção acadêmica central flanqueada por alas de alojamentos estudantis. A sala de reuniões do terceiro andar foi usada pela Euphradian Literary Society, uma das duas primeiras organizações estudantis do South Carolina College.

O prédio foi nomeado em homenagem a William Harper (1790-1847), um dos primeiros graduados do South Carolina College (1808) que atuou como legislador estadual, senador dos Estados Unidos, juiz, chanceler estadual e membro do conselho de curadores.

Parede da Ferradura (1835-1836)

Estrutura do antigo campus
Arquiteto: Thomas H. Wade (carpinteiro) Thomas R. Davis (pedreiro)

A Parede da Ferradura, construída com tijolos sólidos, originalmente tinha 6 pés e 9 polegadas de altura. Ele envolvia o campus nas ruas Sumter, Greene, Bull e Pendleton, e a única entrada era na Sumter Street.

A parede falhou em seu propósito original de impedir que os alunos entrassem sorrateiramente nas tavernas de Columbia à noite, mas ajudou a salvar o campus durante o incêndio de Columbia durante a Guerra Civil na noite de 17 a 18 de fevereiro de 1865, mantendo as chamas longe do terreno da faculdade .

A parede foi muito alterada desde a década de 1880, com partes abertas e fechadas, abaixadas e levantadas. Em 1899, a entrada central original na Sumter Street foi fechada e substituída por duas aberturas, dando ao antigo campus sua forma de ferradura.

Legare College (1848)

Construção de ferradura
Arquiteto: Desconhecido

Legare College foi nomeado em homenagem a Hugh Swinton Legare (1797-1843), um ex-aluno de 1814 e ex-presidente da Sociedade Literária Clariosófica. Advogado, Legare também serviu como representante estadual, procurador-geral do estado, congressista dos Estados Unidos, procurador-geral dos Estados Unidos, encarregado de negócios em Bruxelas e secretário de Estado interino dos Estados Unidos.

O projeto do prédio incluía uma sala de reuniões no terceiro andar para a Clariosophic Literary Society, uma das duas primeiras organizações estudantis da história da Carolina.

Legare foi usado como um hospital confederado durante a Guerra Civil e, quando a universidade foi desagregada de 1873-1877 durante a Reconstrução, tornou-se a residência principal para o corpo discente predominantemente afro-americano. Entre seus residentes estava T. McCants Stewart, o primeiro afro-americano graduado da Carolina.

Lieber College (1837)

Construção de ferradura
Arquiteto: Thomas H. Wade (empreiteiro)

A terceira residência dupla construída para professores, o Lieber College foi usado como residência para professores até os anos 1940, quando a universidade deixou de fornecer alojamento para professores. O prédio tem o nome de Francis Lieber (1800-1872), que viveu na casa até 1855. Lieber foi um professor de história e economia política internacionalmente conhecido, fundador da Enciclopédia Americana e um dos acadêmicos mais ilustres do colégio.

Emma LeConte, filha do Professor Joseph LeConte, testemunhou o incêndio de Columbia em fevereiro de 1865 da casa da família em Lieber. Durante os quatro anos na década de 1870 em que a universidade foi desagregada, o Lieber College foi a casa do primeiro membro do corpo docente afro-americano de Carolina, Richard T. Greener (1844-1922).

Longstreet Theatre (1855)

Antigo prédio do Campus (o único prédio do Antigo Campus fora da Parede da Ferradura)
Arquiteto: Jacob Graves

Originalmente chamado de College Hall, o prédio foi construído para ser uma nova capela da faculdade, mas a acústica era tão terrível que nunca foi usada como capela.

Foi usado como hospital e necrotério durante a Guerra Civil, como arsenal e arsenal de 1870 a 1887, um salão de ciências na década de 1880 e foi parcialmente convertido em ginásio em 1892. Em 1968, o prédio foi nomeado Longstreet Gymnasium para presidente da faculdade Augustus Longstreet (1790-1870), um secessionista cuja oratória durante seu mandato de 1857 até 1861 foi um fator na decisão do corpo discente de deixar o colégio e ingressar no Exército Confederado.

Durante o Projeto de Restauração da Ferradura na década de 1970, o prédio passou por grandes reformas que resolveram os problemas acústicos e o transformaram em um teatro de roda.

Maxcy College (1937)

Antigo prédio do Campus
Arquiteto: Lafaye e Lafaye

O Maxcy College foi construído como parte de um extenso programa de construção do New Deal no campus durante a Grande Depressão. Originalmente planejada como uma união estudantil, a residência teve por muitos anos um popular lounge estudantil em seu porão.

Foi nomeado em homenagem ao reverendo Jonathan Maxcy (1768-1820), o primeiro e mais antigo presidente da universidade.

McCutchen House (1813)

Construção de ferradura
Arquiteto: Desconhecido

McCutchen House foi a segunda residência dupla construída para professores no South Carolina College, provavelmente projetada após a Blacklock House em Charleston, SC. ​​A casa hospedava dois dos membros do corpo docente mais antigos da história da escola - Maximilian LaBorde (1804-1873) e George McCutchen ( 1876-1951).

LaBorde ocupou metade do duplex durante toda sua carreira acadêmica na faculdade de 1842 a 1873. Ex-aluno do South Carolina College, ele serviu como curador, legislador estadual e secretário de estado da Carolina do Sul antes de ingressar no corpo docente da faculdade.

O prédio tem o nome de George McCutchen, que ensinou economia de 1900 a 1948. McCutchen morou na casa de 1915 até que a universidade parou de fornecer alojamento para professores em 1945.

Na década de 1940, o prédio foi convertido para uso acadêmico e, posteriormente, transformado em um clube de professores. Em 2003, a Faculdade de Hotelaria, Varejo e Gestão Esportiva assumiu a operação da McCutchen House como uma administração de restaurante e instalação de ensino de serviço de alimentação aberta ao público.

Museu McKissick (1940)

Antigo edifício do Campus, tornou-se o atual edifício Ferradura após a demolição em 1940 da Casa do Presidente Original
Arquiteto: Henry C. Hibbs

Construído logo atrás da Casa do Presidente original, McKissick é o único edifício do século XX na Ferradura, substituindo o prédio da Biblioteca South Caroliniana como a nova biblioteca principal em 1940. O prédio foi rededicado como um museu em 1984.

O prédio tem o nome de James Rion McKissick (1894-1944), um dos presidentes mais queridos de Carolina, que repousou no prédio após sua morte repentina em 1944. O prédio foi batizado em sua homenagem logo depois. O corpo discente fez uma petição ao conselho de curadores para permitir que McKissick fosse enterrado no campus. Seu túmulo fica em frente à ala oeste da Biblioteca Caroliniana do Sul.

Old Coker College (1962)

Antigo prédio do Campus
Arquiteto: Lafaye, Fair and Lafaye and Associates

O Old Coker College foi originalmente construído para abrigar o College of Pharmacy e o Departamento de Biologia. É a última construção construída dentro da Parede da Ferradura.

Foi nomeado em homenagem a David R. Coker (1870-1938), um dos ex-alunos mais destacados da universidade e ex-membro do conselho de curadores. Coker fundou a Coker’s Pedigreed Seed Company em Hartsville, S.C., e originou variedades de algodão básico amplamente cultivadas nos Estados Unidos e em outros países. Ele foi considerado o mais importante estadista agrícola do sul.

O nome Coker foi transferido para o novo prédio de ciências biológicas em 1976, e o Old Coker College se tornou a casa da Arnold School of Public Health até sua renovação como o novo College of Information and Communications em 2015.

Antigo Observatório (1852)

Antigo prédio do Campus
Arquiteto: Jacob Graves

O observatório foi construído para abrigar um telescópio de 7 polegadas adquirido pelo professor de matemática Mathew J. Williams. O telescópio foi usado em sessões de aula até a Guerra Civil. Em 1867, o telescópio foi roubado e o prédio foi vandalizado.

O Antigo Observatório foi usado para uma variedade de propósitos, até que foi recentemente reformado para abrigar escritórios administrativos.

Edifício Administrativo Osborne (1952)

Edifício do campus atual no terreno do Old Campus
Arquiteto: J. Carroll Johnson

Osborne é o primeiro edifício construído no campus exclusivamente para abrigar escritórios administrativos. Em 1973, o edifício foi nomeado em homenagem ao membro do conselho de curadores de longa data Rutledge L. Osborne (1895-1984). Osborne foi membro do conselho de 1947 até renunciar em 1975 aos 80 anos. Ele atuou como presidente do conselho de 1952 a 1970, mais tempo do que qualquer outro indivíduo na história da universidade.

Em 1963, o prédio foi o local da segunda - e última - desagregação histórica da Universidade da Carolina do Sul. Em 11 de setembro de 1963, Henrie Monteith, Robert Anderson e James Solomon receberam aconselhamento em Osborne e então caminharam até o arsenal naval para se registrar, tornando-se os primeiros estudantes afro-americanos na universidade desde a Reconstrução. Em 2014, o jardim ao norte do edifício foi reformado e rededicado como o Jardim de Comemoração da Desagregação de 1963.

Osborne também foi o local de um grande motim estudantil em maio de 1970, quando um grande grupo de estudantes ocupou brevemente e saqueou parte do prédio, prendendo o presidente Thomas F. Jones e os membros do conselho curador em seus escritórios. Quando os alunos se reuniram novamente no Horseshoe, a Guarda Nacional do Exército da Carolina do Sul e a Divisão de Execução da Lei do Estado usaram gás lacrimogêneo para dispersá-los.

Pinckney College (1837)

Construção de ferradura
Arquiteto: Desconhecido

O Pinckney College, assim como o Elliott College, foi projetado exclusivamente para abrigar estudantes e não possui as partes acadêmicas centrais de outros edifícios Horseshoe.

Pinckney recebeu o nome de Charles Cotesworth Pinckney (1746-1825) e seu primo, Charles Pinckney (1757-1824). Charles C. Pinckney foi um general, legislador, diplomata da Guerra da Independência e um dos primeiros membros do conselho de curadores da faculdade. Charles Pinckney foi um representante no Congresso Continental, um senador e deputado dos Estados Unidos, um legislador estadual e governador e ministro dos Estados Unidos na Espanha. Ambos serviram como delegados da Convenção Constitucional de 1787 e assinaram a Constituição dos Estados Unidos.

Casa do Presidente original (1807)

Edifício em ferradura, demolido em 1940
Arquiteto: Yates e Phillips [ou Philips]

A Casa do Presidente Original foi ocupada por todos os presidentes de 1807-1922 e recebeu uma visita do Presidente dos Estados Unidos, William Howard Taft, em 1909.

Depois de 1922, sua condição foi determinada como muito ruim para continuar servindo como residência do presidente e foi convertida em escritórios. Foi demolido em 1940 - o único grande edifício em Ferradura demolido no século 20 - depois que a nova biblioteca, agora Museu McKissick, foi construída atrás dele.

Casa do Presidente (1810 1854)

Edifício em ferradura (como a casa do primeiro professor)
1810 Architects: Yates e Phillips [ou Philips]
1854 Arquiteto: P. H. Hammarskold

Serving as the President's House since the 1950's, the original building on the site was a faculty double residence erected in 1810. The original structure was demolished and rebuilt in 1855, and it remained as a faculty residence until the university ceased providing faculty housing.

President Donald S. Russell renovated the building, converting it into the President's House. A centerpiece of the campus, it has hosted numerous visiting dignitaries, including Pope John Paul II in 1987.

Preston College (1939)

Current campus building on Old Campus grounds
Architect: Hopkins and Baker

Preston College was part of an extensive building program on campus funded by the New Deal during the Great Depression.

The residence hall was named for William Campbell Preston (1794-1860), who served as South Carolina College president from 1845 to 1851. A great-nephew of Patrick Henry, Preston graduated from South Carolina College in 1812. He served as a U.S. Congressman and U.S. Senator.

Rutledge College (1805)

Horseshoe building
Architect: Richard Clark Robert Mills

The original campus building, Rutledge was named in 1848 for brothers John and Edward Rutledge. John Rutledge (1739-1800), served as governor of South Carolina, a Supreme Court justice, a state legislator and a United States congressman. His brother Edward Rutledge (1749-1800) also served as governor of South Carolina and as a state legislator, and was the youngest signer of the Declaration of Independence.

During the Civil War, Rutledge served as a Confederate hospital. The college was desegregated from 1873-1877, and Rutledge College hosted the State Normal School, which trained African-American teachers.

Slave Quarters (1840s)

Old Campus building
Architect: Thomas Wade (contractor)

The last remaining kitchen and slave quarters on campus, other outbuildings were demolished as campus expanded in the twentieth century. This one survived due to constant use, primarily as storage.

While students were not allowed to bring slaves to college, faculty members were permitted to bring house slaves to campus residences. The college relied on a hiring out system with local owners to supply enslaved workers for the daily operations of the college.

Smokestack (1913)

Old Campus landmark (behind Rutledge College)

The towering smokestack is all that remains of a former campus coal heating plant that was built around 1913.

South Caroliniana Library (1840 1927)

Horseshoe building
Architect: Robert Mills, in part J. Carroll Johnson

The South Caroliniana Library is the oldest freestanding academic library in the United States. The structure is based on plans submitted by Robert Mills, a South Carolinian, the nation’s first federal architect and the designer of the Washington Monument.

The second floor reading room is a replica of the original reading room of the Library of Congress. Wings designed by J. Carroll Johnson were added in 1927 to provide more storage and work space.

It served as the main college library for 100 years. The historic building became the South Caroliniana Library, a repository for published and unpublished materials relating to the history, literature and culture of South Carolina, and one of the nation’s top repositories of Southern manuscripts. The term “Caroliniana” means “things pertaining to Carolina.”

Thornwell College (1913 1937)

Current campus building on Old Campus grounds
Architect: Charles C. Wilson

Thornwell College was the first residence hall built since Harper College and Legare College were constructed in 1848. In 1937 the Public Works Administration funded the addition of two wings.

It is named for alumnus James Henley Thornwell (1812-1862), an 1831 graduate of South Carolina College who served as president from 1851 to 1855. During his administration, Thornwell implemented several key changes in the curriculum, including raising entrance requirements and replacing oral examinations with written ones. He also helped to calm students during the Guard House Riot of 1856, which nearly resulted in armed conflict between the students and the local militia and police.

War Memorial (1935)

Current campus building on Old Campus grounds
Architect: Lafaye and Lafaye

The World War Memorial Building is dedicated to the soldiers of South Carolina who served and died in World War I. It was paid for by private subscription and a federal grant from the Public Works Administration.

Lafaye and Lafaye designed the building, which has more unique architectural influences than any other building on campus. The building is currently being used by university administrative offices and is no longer open to the public.

Woodrow College (1914)

Current campus building on Old Campus grounds
Architect: Charles C. Wilson

Named for James Woodrow (1828-1907), Woodrow College was the first dormitory on campus to have central heating. The building's namesake served as university president from 1891 to 1897. Woodrow instituted changes to the university’s culture, which included broadening the curriculum and admitting the first women in 1894.

It was used as a hospital during the Influenza Pandemic of 1918.

Trip on Little-Known Brick History

If you look down at the walkway between DeSaussure and McKissick, you might notice the initials M E E in the brick. The letters recognize Marion E. Evans, an African American brick mason. In 1931, when the university sought to pave the Horseshoe's dirt pathways , it was an impossible request due to the Great Depression so students volunteered for the task. Evans helped train the volunteer crew in the art of brick laying .

Monuments and Green Spaces on the Horseshoe

Lush, aged treescapes and quiet verdant spaces create constellations of calm across the bustling, 21st century master planned South Carolina campus. The university’s arboreal stewardship has earned a Tree Campus USA designation from the Arbor Day Foundation, and the Horseshoe specimens have been named “Heritage Trees of South Carolina.” Explore details about the university's many monuments and green spaces, including these located on the original campus.


Charleston

Nossos editores irão revisar o que você enviou e determinar se o artigo deve ser revisado.

charleston, city, seat of Charleston county, southeastern South Carolina, U.S. It is a major port on the Atlantic coast, a historic centre of Southern culture, and the hub of a large urbanized area that includes Mount Pleasant, North Charleston, Hanahan, and Goose Creek. The city is situated on a peninsula between the estuaries of the Ashley and Cooper rivers, facing a fine deepwater harbour.

The settlement, originally called Charles Towne (for Charles II), was established by English colonists in 1670 on the west bank of the Ashley, thus beginning the colonization of South Carolina. Moved to its present site in 1680, it became the commercial centre of trade in rice and indigo. In 1722 it was briefly incorporated as Charles City and Port, and in 1783 it was reincorporated as Charleston.

Charleston was the seat of the provincial congress in 1775 that created the state of South Carolina, and it was named the state capital the following year. In the American Revolution the city was held by the British from 1780 to 1782. It ceased to be the state capital in 1790, when the legislature moved to Columbia. Freed from British trade restrictions, Charleston prospered as the chief winter port of the United States until the War of 1812. It had a large trade in the Caribbean and exported cotton and rice.

As the South’s senior city, Charleston led the fight for states’ rights from the beginning of that movement up to the formation of the Confederacy. South Carolina’s ordinance of secession was passed in Charleston on December 20, 1860, and the capture of Fort Sumter, in Charleston Harbor, by Confederates (April 12–14, 1861) precipitated the American Civil War. The city was blockaded by Union land and sea forces from July 10, 1863, to February 18, 1865, the siege ending only when General William Tecumseh Sherman’s advance forced the city’s evacuation.


Do I Need a Master’s Degree for a Career in Public History?

Technically speaking, no, you can find opportunities in the public history field without a graduate degree. However, these positions are very rare and are often on a volunteer basis. Generally, it takes just as long to work your way up from volunteering as it does to earn an MA. That being said, most professionals in public history do have an advanced degree, and, in order to make yourself competitive as a candidate, it is highly recommended that you do as well.


Libraries.org

Library details: Schoenbaum Library é um Academic biblioteca.
This library is affiliated with University of Charleston (view map) The collection of the library contains 88,233 volumes. The library circulates 3,102 items per year. The library serves a population of 1,352 FTE Enrollment.

Permalink: https://librarytechnology.org/library/10462
(Use this link to refer back to this listing.)

Administration: The director of the library is John Adkins .

Organizational structure: The library is part of a privately-funded organization. It operates on a Non-profit financial model.

Academic Level: The library Serves an educational institution at the University level. The Carnegie Foundation designates this institution as: Doctoral/Professional Universities (level 17).


Editorial Reviews

Sobre o autor

Fritz Hamer holds a PhD in history from University of South Carolina and is the chief curator of history at the South Carolina State Museum. He edited Forward Together: South Carolinians in the Great War and authored Charleston Reborn: A Southern City, its Navy Yard and World War II, both titles also from The History Press. He holds a PhD in History from University of South Carolina. He recently curated an exhibit on the history of South Carolina Football at the State Museum.

John Daye is a retired high school football coach who has coached championship high school teams in Columbia, Irmo, Hartsville, Orangeburg and Cayce. He is a devoted follower of South Carolina football history and offers a wealth of knowledge of the sport's past.


There’s no better time to take your first step with CSU.

At Charleston Southern, we're all a family. You feel that family atmosphere from the very beginning.

Nick Salley


Digital Collections & Exhibits

The George Bird Evans Digital Collection contains sixty-five years of detailed hand written hunting journals, which document George and Kay’s pursuit of both woodcock and grouse behind their personally created line of Old Hemlock setters.

Jerry West

The Jerry West Digital Collection includes photographs of Jerry West throughout his life and career. The collection contains photographs and brief clips from interviews with Jerry’s teammates, friends, and family.

West Virginia History Onview

West Virginia History Onview contains the most comprehensive collection of historic photographs pertaining to West Virginia, dated 1850 to the present. New photographs are added every month.

Rush Dew Holt Political Cartoons

Holt served as a West Virginia state legislator and U.S. Senator. At 29, he was the youngest person popularly elected to the U.S. Senate. During his brief career in politics, he was the subject of hundreds of cartoons.

Arch Moore Jr. & Shelley Moore Archives

Arch Moore Jr. and Shelley Riley Moore served the people of West Virginia for more than 30 years. The archives document Arch Moore’s career as a congressman and West Virginia’s only three-term governor.

Congressman Nick Joe Rahall II

U.S. Congressman Nick Joe Rahall II served the people of West Virginia for nearly forty years. He began his political service in the early 1970s. He was elected to the U.S. House of Representatives in 1976 and was re-elected for nineteen terms, serving from January 3, 1977-January 2, 2015.

Senator John D. (Jay) Rockefeller IV

International Association for Identification

Founded in 1915, the International Association for Identification is the world's oldest and largest criminal identification organization. In 2005, the IAI selected the WVU Libraries to house its priceless research library due in part to WVU's pioneering program in the field of Forensic and Investigative Sciences education.

Francis H. Pierpont Civil War Telegram Series

Francis H. Pierpont (1814–1899) was elected governor of the “Loyal” or “Restored” Government of Virginia, which was formed in Wheeling shortly after the state’s Richmond government left the Union to join the Confederacy in May 1861.

Storer College Digital Photographs

The Storer College Digital Photographs Collection includes over 600 images that document the school from its creation just after the end of the Civil War to its dissolution in 1955. They provide a glimpse of buildings, class projects, sporting events and student life in general on the campus.

USS West Virginia Photographs

O USS West Virginia Digital Photograph Collection includes over 100 images that document the life of the battleship. Initially launched in 1921, the battleship was sunk during the attack on Pearl Harbor, raised and repaired, and fought in the Pacific theater until the end of World War II.

WVU's First Rhodes Scholar: Charles Frederick Tucker Brooke

In October 1904, West Virginia University’s first Rhodes Scholar, Charles Frederick Tucker Brooke, or “Tucker Brooke,” as he was known, set off for England to study literature at St. John’s College, Oxford University.

The People's Branch: Exploring the U.S. Congress in the Archives

This exhibit explores the basic functions of Congress and the importance of the institution in American democracy.


Assista o vídeo: Winifred Atwell - Charleston


Comentários:

  1. Tekus

    O final é previsível desde o início

  2. Bretton

    Você não está certo. Tenho certeza. Vamos discutir.

  3. Kolya

    Credible.

  4. Stiles

    E como nesse caso agir?



Escreve uma mensagem