Randall APA-224 - História

Randall APA-224 - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Randall

(APA-224: dp. 14.833, 1. 455 '; b. 62'; dr. 28'1 "; s. 17 k .;
cpl. 536; trp. 1.562, a. 1 5 ", 12 40 mm. Cl. Haskell; T.VC2-S-AP5) '

Randall (APA-224), construído sob a Comissão Marítima eontraet (casco MCV 572), foi lançado em 15 de setembro de 1944 pela Permanente Metals Corp., Yard No. 2, Richmond, Califórnia, lançado em 15 de novembro de 1944; patrocinado pela Sra. Donaid D. Dick, e adquirido pela Marinha e comissionado pelo IG em dezembro de 1944, Capitão Harold R. Stevens no comando.

Após shakedown e treinamento na costa da Califórnia, Randall partiu de San Diego, em 9 de fevereiro de 1945, para Peari Harbor, de onde, após treinamento adicional, navegou em 2 de março via Eniwetok para as Ilhas Voleano. Chegando a Iwo Jima em 25 de março, ela dispensou passageiros e cargas do Exército e fuzileiros navais desembarcados para transporte para Guam. Em 20 de abril, ela retornou a Pearl Harbor, de onde transportou produtos de petróleo em tambor para Kwajalein, onde contratou o pessoal da Marinha e do Slarine para retornar aos Estados Unidos. Chegando a São Francisco em 18 de junho, ela partiu, em 9 de julho, para Ulithi, embarcou unidades Arlily, depois continuou para Okinawa, chegando em 12 de agosto.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, Randall foi designado para o serviço de ocupação e em 5 de setembro partiu para a Coréia com unidades da 7ª Divisão do Exército. Retornando a Okinawa, ela carregou fuzileiros navais para Taku, de 26 a 30 de setembro, então, após uma corrida para as Filipinas, navegou novamente para a costa da China. Entre 22 de outubro e 23 de novembro, ela transportou tropas chinesas de Kowloon para Chinwangtao e Tsingtao e no dia 29 partiu do Extremo Oriente em sua primeira corrida "Tapete Mágico" levando unidades do Corpo Aéreo do Exército de Okinawa a Seattle.

Desapegada da função "Magic Carpet" em agosto de 1946, Randall foi empregada no programa de treinamento anfíbio da frota do Pacífico de setembro a dezembro, quando voltou para a costa leste, passou por uma revisão e foi brevemente imobilizada em Nova York. Ela então embarcou para Norfolk, chegando em 24 de abril de 1947. Atribuída novamente para tarefas de treinamento anfíbio, ela operou ao longo da costa sudeste até agosto de 1948, quando navegou para o norte para operações no leste do Canadá. Em setembro, ela retomou os exercícios nas costas da Virgínia e Carolina.

Em fevereiro de 1949, ela partiu novamente da costa leste, desta vez para operações no Caribe, e durante o outono voltou ao Pacífico para exercícios no extremo oeste do Havaí, retornando a Norfolk e retomando as operações de treinamento com reservistas navais e fuzileiros navais, em 1º de dezembro.

Nos 5 anos seguintes, ela continuou essas operações de treinamento ao longo da costa leste, no Caribe, e duas vezes, de março de julho de 1951 e de maio a outubro de 1954, no Mediterrâneo. No final de 1955, Randall foi desativado e em 25 de janeiro de 1956 ela chegou a Orange, Texas, para se juntar à Frota de Reserva do Atlântico. Desativada em 6 de abril de 1956, ela permaneceu na reserva em Orange até ser transferida para a Frota de Reserva da Defesa Nacional da Administração Marítima em Mobile em fevereiro de 1960. Seu nome foi retirado da lista da Marinha em 1 de julho de 1960. Ela foi atracada em Mobile até ser vendida em 1971.


John Stankey, CEO da AT & ampT e # x27s, a maior reviravolta corporativa da história rejeita o ex-chefe Randall Stephenson

Não funcionou. Foi mal orientado. Para começar, nunca fez sentido. E não estamos falando sobre Quibi.

A AT & ampT anunciou na segunda-feira que decidiu separar a WarnerMedia, fundindo-a com a Discovery para formar uma nova empresa de mídia e entretenimento que provavelmente vale bem mais de US $ 100 bilhões.

A decisão da AT & ampT & # x27 de dividir a WarnerMedia ocorre menos de três anos após o fechamento de sua transação de US $ 100 bilhões, incluindo dívidas, é uma admissão de que colocar um grande ativo de conteúdo com uma empresa de telefonia sem fio teve poucas sinergias duradouras. No mínimo, a WarnerMedia se tornou um albatroz em ações da AT & ampT, que tiveram desempenho inferior ao da Verizon e da T-Mobile desde a data de conclusão do negócio & # x27s em 14 de junho de 2018.

O CEO da AT & ampT, John Stankey, também vendeu uma participação de 30% na DirecTV e outros ativos lineares de TV paga em fevereiro, junto com o controle operacional, para a TPG. Esse negócio também desfez parcialmente uma grande aquisição da AT & ampT de apenas alguns anos antes. A AT & ampT gastou US $ 67,1 bilhões, incluindo dívidas, na DirecTV em 2015.

Stankey foi o ex-CEO da AT & ampT Randall Stephenson e o braço direito do # x27s. Ele havia defendido as aquisições da DirecTV e da Time Warner no passado.

Mas suas ações sinalizam algo que suas palavras não têm: os dois negócios não funcionaram.

Aqui está o que Stephenson disse sobre por que a AT & ampT deveria comprar a Time Warner logo após o anúncio do negócio em 2016.

"Por que juntar as duas empresas?", disse Stephenson. & quotO mundo da distribuição e do conteúdo está convergindo, e precisamos nos mover rapidamente e, se quisermos fazer algo verdadeiramente único, começar a curar o conteúdo de maneira diferente, começar a formatar o conteúdo de maneira diferente para esses ambientes móveis - tudo se resume à mobilidade. Pense na DirecTV Now, o novo produto que estamos trazendo ao mercado. O que você pode fazer com o conteúdo da Time Warner de forma realmente rápida e exclusiva para nossos clientes? Você pode começar a integrar o social a esse conteúdo? Você pode dar a capacidade de. Eu & # x27m assistindo conteúdo, quero recortar, quero enviar via mídia social para meus amigos. Podemos repetir isso rapidamente e podemos oferecer uma experiência única aos nossos clientes? & Quot

O que quer que ele estivesse falando nunca aconteceu. Em vez disso, aqui & # x27s o que tem ocorrido.

As empresas de mídia perceberam que a TV paga linear é um negócio que está morrendo lentamente. Foi por isso que Stankey se desfez parcialmente da DirecTV, uma empresa de distribuição linear de TV paga.

As empresas de mídia têm tentado neutralizar a perda de assinantes de TV paga com serviços diretos ao consumidor, que permitem aos usuários pagar pelo acesso ao conteúdo sem assinar o cabo. Isso transformou os gigantes do entretenimento em plataformas de distribuição, eles próprios, à la Netflix.

Depois de dirigir a WarnerMedia por cerca de dois anos, Stankey concluiu claramente que a AT & ampT, na melhor das hipóteses, não era necessária como proprietária de ativos de mídia e, na pior das hipóteses, controlava a empresa sem fio e o negócio de mídia.

"Meu trabalho como CEO da AT & ampT é ajudar o corpo de funcionários, que têm boas idéias sobre como fazer esse negócio crescer e onde levá-lo, e garantir que facilite essas oportunidades", disse Stankey a repórteres na segunda-feira. & quotOlhando ao longo dos próximos dois anos essas grandes oportunidades de crescimento que temos na AT & ampT, seja banda larga fixa & # x27s, o que fazemos em wireless e o que podemos fazer no crescimento do negócio de mídia, ficou claro para mim que íamos precisa de uma estrutura de capital diferente para fazer isso. Era importante que eu não fizesse nada em minha tomada de decisão que fizesse alguém desacelerar sua execução. & Quot

Stankey reconheceu que, em vez de sobrecarregar a WarnerMedia, como Stephenson esperava, a AT & ampT estava na verdade segurando a WarnerMedia.

"A transmissão evoluiu nos últimos anos", disse Stankey. & quotA oportunidade global de uma perspectiva de aumento de acionistas é muito maior para aproveitar essa oportunidade de forma autônoma do que para continuar a trabalhar na melhoria de nosso negócio de conectividade doméstica. & quot

Em outras palavras, Stankey disse que adicionar conteúdo Discovery & # x27s e dar à WarnerMedia flexibilidade para gastar bilhões em conteúdo foi melhor para a AT & ampT do que quaisquer benefícios que a WarnerMedia forneceu à AT & ampT wireless.

Isso é o mais claro possível de que Stankey concluiu que a integração vertical não estava ajudando os acionistas da AT&T.


Milhões foram para a guerra

Do início de 1942 a 1945, os Estados Unidos enviaram tropas pelo Pacífico para participar da luta contra os japoneses. Enquanto alguns permaneceriam para trás no Japão como forças de ocupação, a vasta maioria precisaria ser repatriada.

O esforço para trazer os militares americanos de volta para casa tecnicamente começou antes mesmo do fim formal da guerra. Em meados de 1943, quase um ano após a Batalha de Midway virar a maré da guerra a favor dos Aliados & # 8217, os militares dos Estados Unidos perceberam que precisariam de um grande esforço para trazer para casa os mais de oito milhões de soldados espalhados por todos os teatros. O comitê para determinar o melhor curso de ação foi estabelecido pelo Chefe do Estado-Maior do Exército, General George Marshall, e a responsabilidade pela implementação das recomendações resultantes recaiu sobre a War Shipping Administration (WSA).


Em Band of Brothers, os soldados poderiam voltar para casa se tivessem 85 pontos, isso era verdade?

A minissérie da TV Banda de irmãos forneceu informações sobre a Segunda Guerra Mundial para muitas pessoas. Embora alguns dos fatos do programa fossem exagerados, o sistema de pontos usado para voltar para casa era preciso? Se o sistema de pontos fazia parte da desmobilização das tropas americanas, em que se baseava?

Tropas americanas voltando para casa a bordo do general USS Harry Taylor em agosto de 1945

O sistema de pontos em Banda de irmãos é um dos aspectos historicamente precisos do show. No final da guerra, o público americano exigiu a rápida desmobilização das tropas estrangeiras. Isso resultou na Operação Tapete Mágico.

Como parte da operação, as tropas americanas foram classificadas em quatro categorias.

Categoria I eram unidades que permaneceriam na Europa.

Categoria II eram as tropas que seriam realocadas na arena do Pacífico.

A baía do hangar do porta-aviões dos EUA USS Enterprise (CV-6) durante uma viagem do & # 8220Magic Carpet & # 8221 para trazer soldados dos EUA da Europa de volta aos EUA no final de 1945.

A categoria III consistia em tropas a serem reorganizadas e retreinadas antes de serem colocadas nas categorias I e II.

Categoria IV eram tropas que deveriam retornar aos Estados Unidos para serem desativadas e descarregadas. Esta categoria consistia de soldados qualificados para uma dispensa das forças armadas com base no sistema de pontos.

No Banda de irmãos, um soldado precisava de 85 pontos para voltar para casa. Isso é correto, pois esse era o número de pontos necessários para ser colocado na Categoria IV.

Havia alguns soldados no final da guerra que acumularam mais de 140 pontos. Nesses casos, o número foi arredondado para 85.

Um total de 29.204 militares retornaram a bordo USS Saratoga, mais do que em qualquer outro navio individual.

Para ganhar pontos, certas atividades precisariam ser realizadas pelos soldados. Nenhum ponto foi dado para idade ou estado civil.

Homens que tinham três ou mais filhos dependentes com menos de dezoito anos eram elegíveis para a colocação na Categoria IV. Isso foi feito independentemente do número de pontos ganhos durante o serviço.

Um único ponto foi dado para cada mês de serviço militar. Um ponto também foi ganho para cada mês de serviço militar no exterior. Esses pontos se acumulam junto com os soldados estrangeiros que ganham dois pontos por mês.

Soldados dos EUA marcham em um desfile da vitória em Dusseldorf, Alemanha, no Dia V-E, 8 de maio de 1945.

Cinco pontos foram dados para prêmios de combate. Os prêmios incluíram a Cruz de Serviço Distinto, a Medalha de Honra, o Coração Púrpura e a Medalha do Soldado. Não incluiu a Emblema de Combat Infantryman, que causou contenda entre os soldados.

Também foram atribuídos cinco pontos para cada estrela de participação na campanha. Campanhas e batalhas só eram aceitas a partir de uma lista pré-determinada e não incluíam todas as campanhas.

General Dwight D. Eisenhower premiando a Cruz de Serviços Distintos.

O maior número de pontos atribuídos foi 12, para filhos dependentes menores de 18 anos. Nenhum ponto foi concedido para filhos dependentes maiores de 18 anos.

Um exemplo desses pontos em ação seria um soldado que serviu três anos no exército, incluindo um ano no exterior, teve um filho dependente e lutou em campanhas na Europa Central.

Por seus anos de serviço, ele receberia 36 pontos e 12 pontos por seu tempo no exterior. Ele receberia 12 pontos pelo filho dependente e cinco pela campanha na Europa Central. Isso faria com que ele tivesse 65 pontos, o que não é suficiente para ser enviado de volta para casa.

16 de abril de 1945: Soldados da 3ª Divisão dos EUA.

Os pontos necessários para serem colocados na Categoria IV variavam de acordo com a patente e a classe de tropa. Para a maioria das forças, foram necessários 85 pontos. Os oficiais também precisavam de 85 pontos, mas isso foi revisado para 80 pontos logo após o Dia do VJ.

Militares dos EUA retornando a São Francisco, Califórnia (EUA), a bordo do transporte de ataque da Marinha dos EUA USS Randall (APA-224), em 1946.

Os pontos necessários para o pessoal médico também variaram dependendo do departamento.

As tropas do MAC precisaram de 88 pontos, enquanto as tropas do MC precisaram de 85. O Nurses Corps precisou de 71 pontos, os fisioterapeutas precisaram de 65 pontos, enquanto os nutricionistas e higienistas precisaram de 62 pontos.

O programa de dispensa de pessoal médico terminou em julho de 1945, pois havia uma demanda para essas tropas no Pacífico.

Tropas americanas voltando para os Estados Unidos como parte da Operação Tapete Mágico.

O sistema de pontos era controverso com as tropas, principalmente com os soldados de infantaria. Eles acreditavam que o sistema favorecia injustamente as tropas de retaguarda, uma vez que o distintivo de Combat Infantryman não fazia parte dos prêmios.

Esses homens sentiram que a ameaça que enfrentavam porque as tropas da linha de frente não era considerada no sistema de pontos.

Nos meses que se seguiram ao fim da guerra, o sistema de pontos foi ajustado. O limite de pontos para desmobilização foi reduzido e as categorias foram redesignadas. As categorias foram alteradas para Forças de ocupação, Forças de redistribuição e Forças de liquidação.

Conversão de transporte de tropas do navio Victory, chegando a Boston com 1.958 soldados da Europa, 26 de julho de 1945.

Para ser elegível para a categorização das Forças de Liquidação, as tropas deveriam ter entre 60 a 79 pontos. Este sistema ajustado levou a problemas na Alemanha ocupada do pós-guerra, pois muitos oficiais experientes e sargentos foram dispensados.

Em dezembro de 1945, foi iniciada uma nova política baseada no sistema de pontuação e tempo de serviço.

Segundo a nova política, os oficiais precisariam de 70 pontos e quatro anos de serviço militar para serem dispensados. Oficiais do Exército Feminino exigiriam 37 pontos e oficiais médicos 55 pontos. Todos os homens alistados exigiriam 45 pontos e quatro anos de serviço, enquanto as mulheres alistadas exigiriam 32 pontos.


A Ilha Randall's em Nova York é um destino não apenas para os nova-iorquinos, mas também para viajantes de todo o mundo. Localizada no East River da cidade, a Randall’s Island é conhecida hoje como um paraíso do entretenimento, com campos de atletismo, driving range e salas de concertos. Além disso, a ilha é um centro de transporte, hospedando o Robert F. Kennedy, anteriormente conhecido como Triborough, Bridge. Esta ponte, que na verdade é um sistema de 3 pontes separadas, conecta Manhattan, Queens e o Bronx, usando a Ilha de Randall como ponto de junção. Todos esses propósitos modernos, bem como os usos do passado, ajudaram a transformar a Ilha de Randall em uma peça crítica da história e infraestrutura da cidade de Nova York.

A história da Ilha de Randall começa bem cedo, tão cedo, na verdade, que vem logo após o início da colonização holandesa de Manhattan em 1624. [1] Em 1637, os holandeses compraram Minnahanonck, Ilha de Randall, e Tenkenas, Ilha Wards, do Lenape, a fim de desenvolver mais terras agrícolas. As compras resultantes foram renomeadas para Little Barn Island e Big Barn Island, respectivamente. [2] Esta foi a primeira compra pública das ilhas, uma tendência que demoraria algum tempo para continuar. Após a compra, as ilhas mantiveram a função de agricultura e outros fins naturais, como abrigar a pedreira para a Igreja da Antiga Trindade. [3] A primeira compra privada das ilhas ocorreu em 1772, com o Capitão John Montresor, do Exército Britânico, comprando e renomeando Little Barn Island com seu próprio nome. A recém-criada Ilha de Montresor tornou-se seu assentamento até o início da Guerra Revolucionária, quando foi usada pelos britânicos para lançar ataques a Manhattan até sua evacuação em 1783. [4] Montresor usou a ilha para analisar os pontos de invasão da cidade antes da guerra e, ao longo do período da guerra, ele transformou a ilha em um hospital para oficiais. Também a ser observado, Big Barn Island se tornou uma base militar durante a guerra, estabelecendo um papel militar ativo para ambas as ilhas durante a Guerra Revolucionária. [5]

A próxima compra privada da Ilha de Randall veio em 1784, quando foi comprada por Jonathan Randel, de quem ainda leva o nome hoje, apesar da ligeira diferença de grafia, um erro da cidade. [6] A Ilha de Randall permaneceu na família Randel até 1835, quando foi comprada pela cidade de Nova York por 60.000 dólares. [7] A cidade comprou Wards Island logo depois, em 1851, e juntos eles serviram em uma série de funções públicas. [8] Esta compra marcou o fim da propriedade privada da Ilha de Randall, que rapidamente começou a ser usada para uma ampla variedade de funções públicas, como a realocação dos campos de ceramista de Manhattan e a construção de várias instituições. A Ilha de Randall foi transformada em um orfanato, um hospital infantil e uma escola reformada chamada The House of Refuge. A Casa do Refúgio destinava-se a encarcerar criminosos adolescentes, principalmente irlandeses, onde eles passavam parte do dia em aulas religiosas e baseadas no currículo escolar, e a outra parte do dia realizando trabalho lucrativo para o estado. As condições não eram ideais, pois os meninos eram obrigados a realizar esse trabalho para contratados externos e os que se comportavam mal eram punidos. Foi só em 1887, quando o trabalho dos residentes não se tornou mais lucrativo, que as condições melhoraram um pouco. [9]

Enquanto isso, a Ilha Wards era usada principalmente como local de realocação para os campos de ceramistas de Manhattan, que estavam ficando sobrecarregados devido ao rápido aumento da população e ao comprimento do assentamento. A partir de 1840, quase 100.000 corpos foram movidos dos campos de ceramista do Madison Square Park e do Bryant Park, encontrando um novo local no extremo sul da Ilha Wards. [10] Além de ajudar na realocação dos campos de oleiro, Wards Island também abrigava o Refúgio Estadual de Emigrantes, um hospital para “imigrantes doentes e carentes”, um dos maiores complexos hospitalares do mundo durante a década de 1850. [11] Essa rededicação do uso das Ilhas Randall's e Wards não foi única e, na verdade, pode ser vista como um pequeno exemplo das grandes tendências da cidade de Nova York. A cidade havia se tornado uma cidade com uma população em rápido crescimento e um problema ainda mais rápido de riqueza separada. Os ricos estavam ficando mais ricos e os pobres mais pobres, fazendo com que a cidade começasse a tentar separar o sofrimento dos bem-sucedidos. Ao realocar os campos de oleiro e as instalações de tratamento para os cidadãos menos afortunados da cidade para uma ilha separada, a cidade estava fisicamente se distanciando de alguns de seus principais problemas, uma tendência que frequentemente continuaria no futuro.

Ao longo da segunda metade do século 19, a Ilha de Randall continuou a crescer em seus serviços públicos. Além da citada Casa de Refúgio, a ilha também passou a abrigar o Asilo de Idiotas, um hospital homeopático, o Asilo Inebriado e o Asilo de Insanos da Cidade, solidificando ainda mais a tendência de segregação de seus moradores “indesejáveis”. [12] A ilha cresceu de uma pequena ilha agrícola para uma residência privada, para um importante local de guerra, para uma área de sofrimento sob o nome de “serviço público”. A compra das ilhas Randall's e Wards permitiu que a cidade tivesse uma separação baseada na água entre sua população principal e o lado menos saboroso da vida urbana, como cemitérios adequados e lidar com os menos afortunados. A cidade agora tinha a capacidade de se separar fisicamente de muitas questões, destacando uma época sombria na história da Ilha de Randall e na cidade de Nova York como um todo.

A virada do século 20 marcou um momento de grande transformação para as ilhas Randall e Wards. Desse ponto em diante, as ilhas deixariam de ser um lugar para a cidade resolver questões, mas sim um lugar para a cidade crescer. A cidade começou a perceber o valor da localização das ilhas e começou a trabalhar para torná-las mais conectadas entre si e com o resto da cidade. A construção começou em setembro de 1916, na ponte Hell Gate e no cavalete da ferrovia. Isso conectou ambas as ilhas, bem como Queens e South Bronx. [13] Logo depois disso, em 1929, a cidade começou a construir a Ponte Triborough de 17 milhas. As ilhas começaram a ser significativamente mais conectadas ao resto da cidade, começando sua transição para suas funções maiores para atender não apenas aos problemas da cidade, mas também às suas necessidades e desejos.

Uma imagem representando Randall & # 8217s e Wards Islands antes da fusão

O ano de 1930 marcou uma das maiores mudanças na história das Ilhas Randall e Wards desde sua compra pela cidade, pois este foi o ano que a Conferência Metropolitana de Parques recomendou que as ilhas tivessem todas as suas instituições removidas. Com sua remoção, as ilhas foram deixadas, em vez disso, com um foco mais recreativo. [14] A cidade agiu sob recomendação em 1933, transferindo oficialmente a propriedade das ilhas para o Departamento de Parques e Recreação, que imediatamente começou a trabalhar para transformar a Ilha de Randall em um parque. Em 1935, o Departamento evacuou o hospital infantil e demoliu a Casa de Refúgio, pondo fim ao tempo que a ilha abrigava nesta linha de trabalho. Deste ponto em diante, recreação e transporte passam a ser o principal objetivo das ilhas. [15] Nos anos seguintes, as ilhas começam a ver a construção de vários campos e quadras de tênis, bem como a construção do Estádio Triborough. Em 1936, a Ponte Triborough e o estádio Triborough foram inaugurados, hospedando os testes de atletismo e campo olímpicos. Curiosamente, foi neste evento que Jesse Owens se classificou para as Olimpíadas de Berlim de 1936. [16]

Seguindo o tema da conectividade, a Ilha de Randall continuou a se expandir em suas conexões e serviços para o resto da cidade. Em 1937, uma estação de tratamento de esgoto foi inaugurada em Wards Island, atendendo aos resíduos da cidade de forma mais segura e mais afastada dos principais bairros. Além disso, em 1951, a ponte pedonal Wards Island foi inaugurada, proporcionando aos residentes de Manhattan um acesso significativamente mais fácil aos parques em ambas as ilhas. [17] Foi também nessa época que a área entre as duas ilhas foi transformada em um aterro, finalmente conectando-as fisicamente para o futuro sob o nome de Ilha de Randall.

Hell Gate e Triborough Bridges New York City Queens

Com o passar do tempo, a Ilha de Randall continuou a se expandir no campo da recreação, hospedando festivais de música e concertos para as massas. Desde a década de 1970 até os dias atuais, os maiores nomes da música e do entretenimento realizaram concertos e eventos na ilha, atraindo os nova-iorquinos aos parques em busca de várias formas de entretenimento. Nas atualizações mais recentes da ilha, Downing Stadium, o estádio esportivo original, foi demolido em 2003 para criar o novo Icahn Stadium, e no mesmo ano, um cais de balsas foi construído na orla do rio Harlem. [18] Este desenvolvimento tornou a ilha ainda mais acessível, já que agora havia pontes para veículos e pedestres e acesso à água, conectando aqueles de muito mais longe através do complexo sistema de balsas de Nova York.

Hoje, a Ilha Randall's de Nova York é um destino turístico popular, descrito pela cidade como, “Um oásis no meio da cidade de Nova York, o Randall's Island Park compreende a maior parte de uma ilha no East River, entre East Harlem, South Bronx e Astoria, Queens. ”[19] A ilha possui um complexo recreativo impressionante e extenso, incluindo o Icahn Stadium, um centro de tênis com 20 quadras, mais de 60 campos de jogos, quilômetros de calçadas de pedestres e ciclovias, e mais de 3,6 hectares de pântanos restaurados . [20] Em 2010, a Força-Tarefa de Acesso à Comunidade da Ilha de Randall publicou o Guia de Acesso ao Parque da Ilha de Randall, uma análise aprofundada das operações e ofertas do parque, incluindo mapas e antecedentes históricos. [21] Este grupo trabalha para manter uma interface amigável ao visitante, permitindo que mais pessoas do que nunca visitem um dos maiores tesouros de Nova York. Quer seja indo a um show, praticando esportes ou apenas curtindo o ar fresco com amigos e família, a Randall’s Island tem uma acomodação para cada nova-iorquino e cada visitante vivenciar um verdadeiro pedaço da história local.

O desenvolvimento da Ilha Randalls, sua mudança de uso ao longo do tempo, seu passado muitas vezes sombrio e seu eventual uso para entretenimento não são necessariamente únicos. Embora certamente a ilha tenha sua própria história e linha do tempo, muitas das tendências e lutas enfrentadas no interior foram pequenos exemplos da cidade de Nova York e da cultura americana como um todo. Historicamente, a cidade de Nova York sempre foi vista como uma cidade do vício, sofrendo com questões de bebida, prostituição e pobreza galopante e disparidade de riqueza. Enquanto a cidade avançava e se modernizava, muitas vezes o cidadão “médio” mais sentia o preço do progresso, lutando para sobreviver sem muita ajuda. O pintor George Bellows, um pintor da cidade de Nova York de meados do século XIX, muitas vezes retratou essas lutas em suas obras. Peças como "Cliff Dwellers", "New York" e "Men of the Docks" capturaram as lutas dos cidadãos comuns de Nova York, especialmente os da classe baixa. O autor Edward Wolner capta perfeitamente a mensagem pretendida do trabalho de Bellows, dizendo: "Bellows & # 8217s New York captura as energias conflitantes da cidade, suas tensões centrípetas e centrífugas e sua gama sem precedentes de conflitos antes que tal vitalidade convincente fosse tomada como certa ou começou a diminuir nas forças globalizantes que a própria metrópole primeiro concentrou e desencadeou. ”[22] A cidade era, de fato, uma cidade de pessoas e forças conflitantes, e isso pode ser visto ao longo da história da Ilha Randalls.

George Bellows, & # 8220New York & # 8221. Retratando as multidões e a agitação da cidade

O mais interessante, porém, é como a história mais recente da Ilha realmente refletiu uma mudança maior na cidade de Nova York. A cidade começou a trabalhar para mudar suas lutas raciais e de classe, tornando a cidade um lugar onde qualquer um pode fazer seu próprio futuro. A Ilha, com seu desenvolvimento em um espaço para todos os residentes desfrutarem e utilizarem para exercícios, entretenimento e até mesmo viagens, é um exemplo de como a cidade está fazendo mudanças para todos os seus cidadãos, não apenas para aqueles que podem pagar pelo dinheiro. para eles.

[1] History.com Staff, & # 8220New Amsterdam Becomes New York, & # 8221 History.com, última modificação em 8 de setembro de 2010, http://www.history.com/this-day-in-history/new- amsterdam-torna-se-nova-york.

[2] Randall & # 8217s Island Park Alliance, Linha do tempo histórica, Randall e # 8217s Island Park Alliance, última modificação em 2016, acessado em 20 de setembro de 2017, https://randallsisland.org/timeline/.

[5] Bess Lovejoy, Islands of the Undesirables: Randall’s Island e Wards Island, Atlas Obscura, última modificação em 2 de junho de 2015, acessado em 4 de outubro de 2017, http://www.atlasobscura.com/articles/islands-of-the-undesirables-randall-s-island-and-wards-island.

[7] Randall & # 8217s Island Park Alliance, Linha do tempo histórica, Randall e # 8217s Island Park Alliance.

[8] Lovejoy, Islands of the Undesirables: Randall’s Island e Wards Island, Atlas Obscura.

[10] Lovejoy, Islands of the Undesirables: Randall’s Island e Wards Island, Atlas Obscura.

[13] Randall & # 8217s Island Park Alliance, Linha do tempo histórica, Randall e # 8217s Island Park Alliance.

[14] Lovejoy, Islands of the Undesirables: Randall’s Island e Wards Island, Atlas Obscura.

[15] Randall & # 8217s Island Park Alliance, Linha do tempo histórica, Randall e # 8217s Island Park Alliance.

[18] Departamento de Parques e Recreação da Cidade de Nova York, Randall e # 8217s Island Park, NYC Parks, acessado em 1 de outubro de 2017, https://www.nycgovparks.org/parks/randalls-island.

[19] Departamento de Parques e Recreação da Cidade de Nova York, Randall e # 8217s Island Park, NYC Parks, acessado em 1 de outubro de 2017, https://www.nycgovparks.org/parks/randalls-island.

[21] Randall & # 8217s Island Park Access Guide (Nova York, NY: Randall’s Island Community Access Task Force, 2010), https://www.nycgovparks.org/parks/M104/map/randalls_island_park_access_guide.pdf.

[22] Edward W. Wolner, & # 8220George Bellows, Georg Simmel e Modernizing New York, & # 8221 em Resumos Históricos, publicado anteriormente em Arte americana 29, nº 1 (primavera de 2015): 106-21, http://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&AuthType=ip,sso&db=hia&AN=101785223&site=ehost-live&authtype=sso&custid=s8475574.

Bellows, George. Nova york. 1911. Ilustração. https://commons.wikimedia.org/wiki/File:George_Bellows_-_New_York.jpg.

Hell Gate e Triborough Bridges em New York City Queens. Fotografia. Wikimedia Commons. 7 de outubro de 2004. https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Hell_Gate_and_Triborough_Bridges_New_York_City_Queens.jpg.

Equipe History.com. & # 8220Novo Amsterdã se torna Nova York. & # 8221 History.com. Última modificação em 8 de setembro de 2010. http://www.history.com/this-day-in-history/new-amsterdam-becomes-new-york.

Islam, Adnan. Festival da flor de cerejeira. Fotografia. Flickr. 2 de maio de 2015. https://www.flickr.com/photos/adnanbangladesh/17231284498/in/photolist-sfEQy3-U4RQ4d-nKQRdH-bnfy3E-UAiRkW-U6y8eu-Tntsgy-UAEQy3-U4RQ4d-nKQRdH-bnfy3E-UAiRkW-U6y8eu-Tntsgy-UA-DEiMNA-3o1wRy-UA-TriRi7-nriRi1wRy-TrnRiRi4-TrnRi4 -U4RPuN-cYpNNf-pHVpsZ-ehudz-qEwuXF-88MBrQ-88MF5u-ntmtXU-UpEJBA-mQkddf-xpRtZ-88MAGf-VwiDXS-odXuBe-nyRhQV-nyRhyG-nMn7Dz-nRgVKC-nrQ9Mp-egXVFu-hW31Na-nRkWHT-nyS9iv-4Sru8X-nRgVeY -nyRhzo-nyRxyJ-nR3SPv-hW25vp-7VJChF-UAiTmu-4H8iYt-6KPBaH-UsroCV-UpEK7y-TntnrJ-o9QTiN.

Lovejoy, Bess. & # 8220Islands of the Undesirables: Randall’s Island e Wards Island. & # 8221 Atlas Obscura. Última modificação em 2 de junho de 2015. Acessado em 4 de outubro de 2017. http://www.atlasobscura.com/articles/islands-of-the-undesirables-randall-s-island-and-wards-island.

Secundário: Este artigo foi escrito para expor a história mais sombria de Randall & # 8217s / Ward Islands no tratamento de pacientes psiquiátricos e outros membros & # 8220 não desejáveis ​​& # 8221 da sociedade. Pretendo usar isso para ir com uma fonte primária de estudo psicológico conduzido na Ilha Randall & # 8217s para explorar uma história diferente daquela normalmente apresentada para fins turísticos.

Departamento de Parques e Recreação da Cidade de Nova York. & # 8220Randall & # 8217s Island Park. & # 8221 NYC Parks. Acessado em 1 de outubro de 2017. https://www.nycgovparks.org/parks/randalls-island.

Secundário: Esta fonte é a página oficial de NYC & # 8217s para Randall & # 8217s Island e anúncio de turismo. Demonstra a história / destaques da ilha como Nova York quer que o mundo veja e como a ilha é usada principalmente.

Poull, Louise Elizabeth, Lillie Peatman, Helen Bennett King e Ada Salome Bristol. & # 8220The Randall & # 8217s Island Performance Series Testes de dois, três e quatro anos. & # 8221 In Columbia University Press. Publicado anteriormente em Columbia University Press, Março de 1931. https://hdl.handle.net/2027/uc1.$b239233.

Primário: Esta fonte é um estudo psicológico realizado no final do século 19 ao início do século 20, analisando crianças no hospital psiquiátrico na Ilha Randall & # 8217s. Provides insight into the history of the island’s non-sport related history.

Randall’s Island and Ward’s Island — before the Merge. Fotografia. Bowery Boys. Accessed October 2, 2017. http://www.boweryboyshistory.com/2009/11/re-visiting-secrets-of-randalls-and.html.

Primary: This image shows Randall’s and Ward Islands before they were merged by a landfill. This demonstrates the evolution of the islands over time to fit the specific needs of the city. I am attempting to track down a more verifiable version of this source either in database or with photographer information.

Randall’s Island Park Access Guide. New York, NY: Randall’s Island Community Access Task Force, 2010. https://www.nycgovparks.org/parks/M104/map/randalls_island_park_access_guide.pdf.

Primary: This guide explains the layout/usage of Randall’s Island Park as it stood in 2010. It will provide insight into how the island is being used primarily for the park and some residential areas.

Randall’s Island Park Alliance. “Historical Timeline.” Randall’s Island Park Alliance. Last modified 2016. Accessed September 20, 2017. https://randallsisland.org/timeline/.

Secondary: This source will be used to establish a timeline of important events/developments in the history of Randall’s/Ward Island. Will be used as a jumping off point for further topics to research.


Randall is the most cheerful and immature of the Knights, which leads him to be the joker of the group. Like his companions, he dedicates his life to the cause of fighting against evil magic, affirming that for him it is like being a superhero. His lack of experience often leads him to be more impulsive and make bad decisions, but these are always motivated by his big heart. Randall always thinks of others before him, especially in his friends, a trait that sometimes brings problems.

Powers

  • Werewolf Transformation: Randall is able to transform into a werewolf.
  • Magic Detection: Randall is able to detect magic.
  • Enhanced Senses: Randall has enhanced senses since he has worn the Hide for quite some time.

How Was the Randall Museum Founded?

One of Ms. Randall’s long-term goals was to establish a nature museum for children. She believed that learning should be fun and imagined a museum that combined science and art, inspiring visitors to develop interests that would last throughout their lives. In 1937 her vision came to fruition when the “Junior Museum” opened in the city’s old jail on Ocean Avenue. Ten years later Ms. Randall shepherded a $12 million bond issue for recreation capital projects including a new museum. The new facility opened in 1951 on a 16-acre park overlooking San Francisco Bay. In recognition of Josephine Randall’s vision, hard work, and dedication, the museum was renamed in her honor. In 2004, the outdoor areas were renovated and in 2016 the entire interior of the museum was redesigned and revitalized to better serve its visitors.


Milton Supman’s Home, Detroit, Michigan

Milton Supman’s Detroit Home, more professionally known as Soupy Sales. Milton Supman (January 8, 1926 – October 22, 2009), known professionally as Soupy Sales, was an American comedian, actor, radio/television personality, and jazz aficionado.He was best known for his local and network children’s television show, Lunch with Soupy Sales (1953-1966), a series of comedy sketches frequently ending with Sales receiving a pie in the face, which became his trademark.From 1968 to 1975, he was a regular panelist on the syndicated revival of What’s My Line? and appeared on several other TV game shows. During the 1980s, Sales hosted his own show on WNBC-AM in New York City.

Milton Supman was born in Franklinton, North Carolina, to Irving Supman and Sadie Berman. His father, a Jewish dry goods merchant, had emigrated from Hungary in 1894.His was the only Jewish family in the town Sales joked that local Ku Klux Klan members bought the sheets used for their robes from his father’s store.

Sales got his nickname from his family. His older brothers had been nicknamed “Ham Bone” and “Chicken Bone.” Milton was dubbed “Soup Bone,” which was later shortened to “Soupy”. When he became a disc jockey, he began using the stage name Soupy Hines. After he became established, it was decided that “Hines” was too close to the Heinz soup company, so he chose Sales, in part after vaudeville comedian Chic Sale.

Sales graduated from Huntington High School in Huntington, West Virginia in 1944. He enlisted in the United States Navy and served on the USS Randall (APA-224) in the South Pacific during the latter part of World War II. He sometimes entertained his shipmates by telling jokes and playing crazy characters over the ship’s public address system. One of the characters he created was “White Fang”, a large dog that played outrageous practical jokes on the seamen. The sounds for “White Fang” came from a recording of The Hound of the Baskervilles.

Sales enrolled at Marshall College in Huntington, WV, where he earned a master’s degree in Journalism. While at Marshall, he performed in nightclubs as a comedian, singer and dancer. After graduating, Sales began working as a scriptwriter and disc jockey at radio station WHTN (now WVHU) in Huntington. He moved to Cincinnati, Ohio in 1949, where he worked as a morning radio DJ and performed in nightclubs. Sales began his television career on WKRC-TV in Cincinnati with Soupy’s Soda Shop, TV’s first teen dance program, and Club Nothing!, a late-night comedy/variety program. When WKRC canceled his TV shows, Sales moved to Cleveland, Ohio, where he hosted another radio and TV series on WJW-TV (Channel 8) and continued his nightclub act. It was in a skit on his late night comedy/variety TV series Soupy’s On! that he got his first pie in the face. Sales claimed he left the Cleveland station “for health reasons: they got sick of me.” He relocated to Detroit in 1953 and worked for WXYZ-TV (Channel 7), ABC’s O&O station
Lunch with Soupy Sales began in 1953 from the studios of WXYZ-TV, Channel 7, located in the historic Maccabees Building, in Detroit. Sales occasionally took the studio cameras to the lawn of the Detroit Public Library, located across the street from the TV studios, and talked with local students walking to and from school. Beginning no later than July 4, 1955, a Saturday version of Sales’s lunch show was broadcast nationally on the ABC television network. His lunchtime program on weekdays was moved to early morning opposite Today and Captain Kangaroo.


Kasane Randall - Scarlet Nexus

Kasane Randall no Scarlet Nexus is the playable character and main protagonist of the game. In Scarlet Nexus, players take control of Kasane Randall or Yuito Sumeragi, who are the new recruits of the Other Suppression Force or OSF, an elite force who is humanity’s last line of defense.

Who else is going to save them? This isn't a question about if we can do it. We have to.

Yuito OSF Record

  • HP: .
  • Power: .
  • Defense: .
  • Military Rank: Elite Cadet
  • Height: Unknown
  • Hometown: Unknown
  • Psionic Ability: Psychokinesis (Gravity Control)
  • Weapon: Arrowroot Leaf

About Kasane Randall

Kasane Official Description

An elite solider with superb fighting skills and power, she was scouted by the OSF and has graduated at the top of her class. Cool and confident, she is usually indifferent to people around her. She reveals her real kind self only to the ones she trusts

She lost her parents in an Other attack as a child and was adobpted by the Randall's, a family running a huge militrary corporation. While her relationship with her adoptive parents is complicated, her adoptive sister Naomi is the only person showing her affection, leading to a strong bond and deep love between them.

The hand-made hair ornament that Naomi gifted her is Kasane's most prized possession. She is frequently having strange dreams about "red strings". The meaning of those dreams is still a mystery to this day.

Kasane Randall Gameplay

  • Kasane wields the Arrowloot Leaf. The Arrorwroot Leaf is a knife Kasane has been using as a weapon since her days as a cadet. It has a collapsible design with a one-sided edge, making it easy and safe to wield.
  • Kasane Randall is armed with the talent of Pyschokinesis. Unleash the power of his mind to lift, break, and throw pieces of your environment to build your attack combos and lay waste to your enemies.
  • It seems players will be able to unleash devastating finishers to completely kill a weakened or low health enemy. : By attacking or destroying enemies, your concentration increases, and you will enter a state of brain drive. In this state, your attack speed and movement speed will increase, the Psychokinesis power will increase, the time it takes to use it will decrease, and you will be able to fight more rapidly. : Struggle Arms System or SAS is a system that allows you to temporarily borrow the psychic abilities of your party members (Companions) by connecting your brain to theirs via a virtual cable. With this system, you can borrow psychic abilities Pyrokinesis, Duplication, Invisibility, Teleportation, Sclerokinesis, and more of your party members and activate them for a certain period. By combining it with weapons and Psychokinesis, a variety of battle tactics become possible. The SAS gauge is used, and it is effective as long as the gauge lasts. : Forbidden power comes with a price. The power of the brain to affect the outside world is increased to the utmost limit, and a special space is developed in which the user’s psychic ability is most advantageous. While the brain space is activated, the user cannot attack with weapons, but can use powerful psychokinetic attacks without limit. On the other hand, because it draws out power beyond the limit, it places a heavy burden on the user, so there is a great risk involved in continuing to use it.

Kasane Randall Combat

  • Kasane's Fighting Style : Kasane fights using her power, "Psychokinesis" to attack with objects and by attacking with the multiple "Knives" she has equipped. She is good at using area of effect attacks when surrounded and fighting mid-air.
  • Kasane Special Attack: Using , you can activate a Back-step Attack where Kasane makes a weapon attack while stepping back to a suitable distance. The psychokinesis gauge will recover greatly, so adding this to combos allows you to fight while sustaining the gauge. It can only be used once per combo, but learning other skills can increase the amount f times it can be used.

'Black Bottom Saints' Is A Gorgeous Swirl Of Fiction, History And Detroit Motor Oil

Back in the heyday of Detroit — from the Great Depression through the 1950s — Joseph "Ziggy" Johnson knew just about everybody who was worth knowing in the shops, bars, churches, theaters and nightclubs that lined the streets of that city's celebrated Black neighborhood, called "Black Bottom."

Johnson was a gossip columnist for the African American newspaper, the Michigan Chronicle he also was a legendary nightclub emcee at two of the swankiest hotspots in town: The Flame and The Driftwood Lodge. And, he founded Ziggy Johnson's School of Theatre to lift up the children of the city's Black breadwinners — the workers, most of them men, on the assembly lines of Detroit's automobile plants, which ran 24/7, seven days a week.

As Ziggy tells us in Alice Randall's buoyant and innovative new novel, Black Bottom Saints: "[This] was the [economic] opportunity that created caramel Camelot."

Ziggy Johnson is just one of the over 50 mostly real life African American artists, doctors, sports figures, activists and behind-the-scenes movers and shakers who populate this novel — many of whom I've never heard of and most of whom I now want to know more about. I can't think of a more sparkling way to get some education about the history of Black Detroit beyond Motown than to read Randall's novel.

As its short chapters whiz by, you get a taste of what it might have been like to have sat in the audience of one of those nightclub shows that Ziggy emceed where, maybe, Moms Mabley was waiting in the wings while rumors were flying that Dinah Washington, along with her husband, the NFL superstar Dick "Night Train" Lane, might be stopping by. Except here, Randall is our emcee and not all the featured guests in this novel are headliners.

Black Bottom Saints opens in 1968 where Ziggy Johnson lies dying in a room in Kirwood Hospital — a Black-owned, Black-staffed historic institution in Detroit. Knowing the end is near, Ziggy decides to set down his memories. It's a conventional enough premise for a novel and the only time that Randall relies on convention to tell this panoramic story.

Consider the baroque form of this narrative: Like many of us who were raised Catholic back in the day, Ziggy is familiar with Saints Day books, a kind of devotional manual in which each day of the year is designated a saint's feast day. Ziggy hits upon the idea of structuring his jam-packed memories in the form of a secular saints day book. He squeezes in a calendar's worth of anecdotes about Black Bottom personalities this way. And, as befits a nightclub emcee, Ziggy concludes each of his "saints'" entries, not by recommending food for their feast days, but, rather, specialty cocktails. In fact, one of the very first "saints" Ziggy celebrates is Tom Bullock.

Bullock was the first African American to write a cocktail recipe book a country club bartender barred from tasting his own drinks. Livro dele, The Ideal Bartender came out in 1917 and sported an introduction by George Herbert Walker, the maternal grandfather of President George H.W. Bush.

Ziggy recalls he first met Bullock at The Plantation Club in St. Louis and tells us, "Every bar I ever walked into was improved by my knowing and sharing that every bar in America owes something to one brilliant sepian. Thomas Bullock was the greatest bartender of all and the first black man ever to publish a cocktail recipe book." Bullock's feast day cocktail, by the way, is "The Blue Blazer": whiskey, sugar, lemon peel and a match to set the whole concoction aflame.

"Sepian," is a word that Ziggy uses a lot to refer to Black people: It's his opinionated, distinctive voice that rescues Black Bottom Saints from being the static series of tweaked Wikipedia entries it might have been. His anecdotes about real-life famous folks like the Mills Brothers, Bricktop, and Butterbeans and Susie, may be, like that Blue Blazer cocktail, part straight whiskey part flaming invention, but they take readers deep into the world of mid-20th century Black entertainers who traveled the country by train, carrying "the backdrops, the showgirls, [and] the main acts" with them. And, turning away from the spotlight, Ziggy celebrates his reciprocal relationship with the Black autoworkers who packed his nightclubs:

[When I'm driving] I'm driving some other Black man's sweat and prosperity. Some other Black man's competence. And the next week that man will be sitting in my audience. His approval will matter.

Black Bottom Saints is a gorgeous swirl of fiction, history and motor oil there are also plenty of cocktail recipes here to make the rougher stories go down a little smoother.



Comentários:

  1. Malcolm

    In my opinion you have gone erroneous by.

  2. Leonardo

    Na minha opinião, você seguiu o caminho errado.

  3. Kezuru

    é absolutamente compatível

  4. Sagal

    Na minha opinião, você precisa descansar com mais frequência, é muito ganho.



Escreve uma mensagem