Plaza de Mayo

Plaza de Mayo


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

A Plaza de Mayo é uma praça famosa e politicamente importante na capital da Argentina, Buenos Aires.

História da Plaza de Mayo

A primeira praça foi fundada em 1580 durante a fundação de Buenos Aires por Juan de Garay, mas nunca foi realmente vista. Quando os jesuítas chegaram no século 17, eles compraram o terreno e com o tempo, o local foi construído e formalizado pelo governo colonial. O local era conhecido originalmente como Plaza de la Victoria.

Em 1883, após a independência, a colunata no centro da praça foi removida e o local foi rebatizado de Plaza de Mayo, em reconhecimento à Revolução de maio de 1810, que ajudou a trazer a independência da Argentina da Espanha.

A Plaza de Mayo também contém a Pirâmide de Maio, uma estátua que comemora a Revolução de Maio e as recém-independentes “Províncias do Rio de la Plata”, que foram instaladas em 1811.

No geral, a Plaza de Mayo é um importante ponto focal para a vida política na Argentina e é onde a maioria de suas instituições políticas estão hospedadas, incluindo a Casa Rosada de onde Eva Peron ou “Evita” se dirigiu ao povo e à prefeitura. A Catedral Metropolitana de Buenos Aires também pode ser encontrada aqui.

Plaza de Mayo hoje

Muitos ainda veem a Plaza de Mayo como o centro de Buenos Aires e continua a ser o coração de protesto ou celebração na Argentina.

Hoje também é o ponto focal do grupo conhecido como Madres de la Plaza de Mayo (Mães da Plaza de Mayo), que se reúnem aqui nas tardes de quinta-feira, segurando fotos de seus filhos desaparecidos. A "guerra suja" da Argentina, período de ditadura militar entre 1976 e 1983, ainda é contenciosa na história recente, e as mulheres se reúnem aqui em memória de todos os que desapareceram neste período e em nome de todos os entes queridos perdidos.

Chegando à Plaza de Mayo

Você vai tropeçar na Plaza de Mayo em qualquer viagem a Buenos Aires - fica no coração da cidade e tem várias estações de metrô servindo: Catedral, Bolivar, Peru ou Plaza de Mayo vão te levar ao lugar certo. Os ônibus também param nas estradas ao seu redor, então você tem muitas opções quando se trata de transporte.


Uma breve história da Plaza Mayor

A Plaza Mayor de Madrid é um dos marcos mais famosos da Espanha e tem uma rica história que remonta a várias centenas de anos. Ela testemunhou inúmeros eventos públicos importantes e sofreu suas próprias catástrofes. Continue lendo para descobrir mais.

As origens da Plaza Mayor remontam ao reinado de Filipe III, com o arquiteto Juan de Herrera encarregado do projeto original, que foi concluído em 1619. Infelizmente, ela então sofreu vários ataques de azar inflamado. O primeiro incêndio ocorreu em 1631 e, posteriormente, a praça foi reconstruída por Juan Gómez de Mora. O segundo incêndio aconteceu em 1670, a praça foi então reconstruída por Tomás Román. Mas, como se costuma dizer, coisas ruins acontecem em três, e outro incêndio atingiu a praça em 1790, a praça que conhecemos e amamos hoje foi reconstruída por Juan de Villanueva (ele a levou de cinco para três andares, entre outras mudanças). A construção demorou anos e finalmente terminou em 1854, embora Juan de Villanueva já tivesse falecido a essa altura, o processo foi concluído por seus alunos Antonio López Aguado e Custodio Moreno.

Plaza Mayor não era o nome original. Seu primeiro nome era Plaza del Arraba, e o nome foi mudado várias vezes ao longo dos anos para Plaza de la Constitución e Plaza de la República. No final da Guerra Civil Espanhola, finalmente recebeu o nome atual: Plaza Mayor.

Ao longo dos anos, a Plaza Mayor tem sido usada para diversos fins. Já foi usado como um mercado de alimentos e outros bens. Também foi o local de muitos eventos como touradas, execuções públicas, julgamentos durante a Inquisição Espanhola e cerimônias de coroação.

Hoje em dia, você pode encontrar vários cafés e restaurantes agradáveis ​​(embora caros) ao ar livre na praça, geralmente cheios de turistas. Muitos eventos especiais ocorrem na praça agora também - workshops de ioga gigantes, concertos e festivais. Uma tradição se manteve inabalável: os mercados anuais de Natal, que acontecem na Plaza Mayor desde 1860 e ainda estão fortes.

A praça hoje mede 129 metros de comprimento e 94 metros de largura. Os edifícios encerrados na praça têm três pisos de altura e 237 varandas voltadas para o centro. Existem 10 maneiras de acessar a praça, e as adições à praça incluem a famosa estátua no meio, que mostra Felipe III em seu cavalo. Esta estátua foi colocada na praça em 1848, embora tenha sido criada em 1616. Antes, estava localizada no maior parque de Madrid, a Casa de Campo.

Não deixe de conferir a famosa Casa de la Panadería, que recebeu o nome de uma padaria que ficava exatamente no mesmo lugar. O edifício está coberto de afrescos que datam de 1590. Não espere ver os originais, pois os afrescos foram reconstruídos várias vezes, a mais recente por Carlos Franco em 1992.


A história por trás de Madres de Plaza de Mayo

Quinta-feira, 24 de março, não espere ir para o trabalho, para a aula ou fazer compras - é um feriado nacional, e um grande feriado. Conhecido como el Día de la Memoria, o Dia da Memória, não é o reconhecimento comum de alguma velha batalha. Na verdade, praticamente qualquer pessoa com mais de 30 anos pode se lembrar muito bem dos motivos.

Argentina em 1973 para seu terceiro mandato como presidente, ele só sobreviveu um ano de seu mandato, deixando sua segunda esposa, Isabel Perón, encarregado como o presidente da nação após sua morte (ela tinha concorrido com ele como seu vice-presidente). Durante sua presidência, os militares usaram uma força de polícia secreta, chamada AAA ou Triple A, para caçar, sequestrar, torturar e matar aqueles que eram vistos como "subversivos": ativistas sociais, organizações estudantis e sindicatos de trabalhadores, acadêmicos progressistas, etc. À medida que os militares ficavam mais insatisfeitos com seu governo, o setor progressista da sociedade era atacado cada vez mais. Grupos de guerrilha como o ERP e o Montoneros lutou contra as forças armadas, sequestrando executivos de multinacionais por grandes resgates que foram usados ​​para distribuir alimentos, roupas, materiais educacionais e suprimentos médicos para favelas e famílias pobres.

Em 24 de março de 1976, os três ramos das Forças Armadas (Força Aérea, Marinha e Exército) tomaram o governo à força. Os grupos guerrilheiros eram a desculpa perfeita para a ditadura militar declarar uma “guerra contra o terrorismo” e sequestrar, torturar e executar qualquer pessoa que considerasse contrária à sua agenda. Eles estabeleceram centros de detenção secretos para onde cidadãos “subversivos” eram levados após serem sequestrados, onde eram torturados e frequentemente mortos. Essas pessoas, o desaparecidos, os “desaparecidos” são estimados em cerca de 30.000 pessoas, sem incluir os mortos confirmados e os que sobreviveram à tortura e foram posteriormente libertados. Os membros da família passaram semanas, meses e anos tentando em vão obter do governo qualquer tipo de informação sobre seus entes queridos desaparecidos.

Entre as leis rígidas, incluindo códigos de vestimenta obrigatórios (sem minissaias ou mulheres de calças), estilos de cabelo (os homens devem ter cabelo curto), materiais de leitura apropriados e partidos políticos (o Partido Comunista, bem como sindicatos de estudantes e trabalhadores e organizações foram declarados subversivos e ilegais ), o direito de se organizar ou reunir em público também foi totalmente proibido. Depois de se cruzarem várias vezes em escritórios do governo enquanto tentavam localizar seus filhos, algumas mães decidiram se reunir para exigir informações sobre seus filhos sequestrados. Como mais de 2 pessoas falando em público foram declaradas reunião e, portanto, ilegais, as mães começaram a marchar às quintas-feiras, caminhando em grupos de apenas duas pessoas, ao redor da Plaza de Mayo, segurando fotos e cartazes sobre seus filhos desaparecidos: tornaram-se as famosas Madres de la Plaza de Mayo. Essas mulheres foram essencialmente o único grupo que, por desespero, medo e amor, enfrentou essa ditadura brutal para exigir informações sobre seus filhos desaparecidos. Várias das próprias mães desapareceram após se juntar às marchas, incluindo duas das três mães fundadoras, enganadas em uma emboscada militar secreta pelo padre em uma igreja que alegou estar ajudando-as.

Mesmo agora, mais de 30 anos após o início, dezenas de milhares de vítimas continuam desaparecidas. Apesar das comissões investigativas da verdade, da exposição e investigação de centros de detenção secretos e dos julgamentos dos líderes da junta militar, a maioria dos 30.000 desaparecidos continua assim. Sepulturas coletivas foram encontradas e alguns corpos identificados, mas a maioria continua desaparecida.

Mais de 100 crianças nascidas de mulheres grávidas desaparecidas foram recuperadas de famílias de militares que as “adotaram” após o nascimento, graças ao Abuelas de la Plaza de Mayo. Este grupo é formado por mulheres que faziam parte do Madres, mas cujos filhos estavam grávidas ou quando desapareceram. Essas mulheres exigiram saber o que aconteceu com seus netos. Com o fim da ditadura, descobriu-se que as mulheres grávidas eram sistematicamente mantidas vivas até o parto e depois assassinadas, e seus bebês eram entregues a familiares de militares ou amigos da ditadura. o Abuelas, junto com o apoio dos presidentes Kirchner, criou um banco de dados nacional de DNA de quem procura netos e daqueles que sentem que podem ter sido adotados, e encontrou com sucesso 100 dessas crianças roubadas. Alguns deles, agora na casa dos trinta, levaram seus pais adotivos ao tribunal, enquanto outros permanecem em contato com eles depois de se reunirem com suas famílias reais.

Crédito © Soon.News
https://soon.news/madres-de-la-plaza-de-mayo/

Outros têm lutado muito para que esta verdade seja revelada, sendo os mais famosos os filhos de Ernestina de Noble, o milionário magnata da mídia e dono do Clarín Grupo, que adquiriu vários de seus lucrativos negócios por meio de contatos aconchegantes com a ditadura, bem como, provavelmente, seus filhos. O forte apoio do governo e a busca por este caso de alto perfil, bem como suas investigações sobre os meios pelos quais o Clarín Grupo adquiriu seus ativos (em particular, Papel prensa), explica por que o Clarín jornais, canais de TV, estações de rádio e muito mais se envolveram furiosamente em uma rixa pública com os Kirchners, defensores ativos dos direitos humanos que mantêm interesses comerciais conflitantes com Clarín. Se você está complementando seu aprendizado de espanhol lendo jornais locais, é provável que já tenha se deparado com isso. Recentemente, os tribunais decidiram que as crianças devem enviar amostras de DNA para serem comparadas com o banco de dados nacional para determinar se corresponde a uma avó que procurasse.

A marcha na quinta-feira, 24 de março, reunirá pessoas de todas as facções da vida, todas as idades e todas as partes do país. Todos os tipos de organizações sociais, grupos políticos, defensores dos direitos humanos e amigos e familiares de pessoas desaparecidas se reúnem para lembrar as atrocidades que ocorreram e lutar por justiça, direitos humanos e a verdade. No entanto, não é um evento solene e deprimente: é um evento em homenagem às vítimas e uma celebração delas, da vida, da memória, dos direitos humanos e da verdade. Você verá muitas famílias, artistas, grupos políticos, estudantes, sindicatos de trabalhadores e muito mais marchando, comemorando, fazendo música, cantando e agitando bandeiras e estandartes de todos os tipos. É uma oportunidade incrível de mergulhar na história deste país. Existem infinitos sinais e faixas para decifrar e muitas pessoas estão dispostas e ansiosas para falar com você sobre seus motivos pessoais para participar da marcha. Se nada mais, é um local espetacular para ver muitas pessoas se reunindo com tanta paixão, e um que você com certeza sempre lembrará.


Mais de quarenta anos depois, Madres e Abuelas da Plaza de Mayo continuam lutando pela justiça após a ditadura militar

De 1976 a 1983, aproximadamente 30.000 pessoas desapareceram sob a brutal ditadura militar que governou a Argentina (Blakemore, 2019). Conhecido como desaparecidos, as vítimas da ditadura, supostos dissidentes políticos, muitas vezes foram torturadas, estupradas e jogadas de aviões para que seus corpos não pudessem ser encontrados (Blakemore, 2019). O objetivo desta "Guerra Suja" era apagar completa e totalmente a existência do desaparecidos, instilando medo e confusão na população (Blakemore, 2019). Além disso, os bebês eram frequentemente roubados de mulheres grávidas detidas e realocados com uma nova família, abandonados ou vendidos no mercado negro (Blakemore, 2019).

Apesar do custo extremo que a dissidência poderia ter, duas organizações irmãs ganharam notoriedade por se posicionarem contra essas violações dos direitos humanos, as Abuelas de Plaza de Mayo e a Madres de Plaza de Mayo. Ambas as organizações têm o nome de Plaza de Mayo em Buenos Aires, sede do palácio presidencial, onde catorze mulheres marcharam pela primeira vez em 30 de abril de 1977 (Goñi, 2017). o Madres eram as mães de desaparecidos, enquanto o Abuelas eram avós de crianças desaparecidas ou mães de grávidas desaparecidas. Embora sua composição fosse um pouco diferente, seu objetivo era basicamente o mesmo - chamar a atenção para as atrocidades e se reunir com quem pudessem. Vestindo seus agora icônicos lenços de cabeça brancos, eles engenhosamente evitaram uma grande reunião proibida caminhando em pares (Goñi, 2017). Esse protesto continuou todas as quintas-feiras, mesmo com o sequestro e assassinato de vários membros (Blakemore, 2019). A ditadura acabou em 1983, em grande parte devido à pressão da Madres e Abuelase, desde então, cerca de 700 ex-membros da junta foram punidos por seu envolvimento na Guerra Suja (Goñi, 2017).

Mesmo depois que o regime militar e muitos perpetradores foram levados à justiça, nenhuma das organizações cessou suas operações. Na verdade, ambas as organizações ainda existem até hoje, e elas se orgulharam de algumas conquistas significativas nos anos que se seguiram à queda da ditadura. o Abuelas, por exemplo, foram capazes de rastrear 130 crianças desaparecidas e conectá-las com suas famílias biológicas (História de Abuelas de Plaza de Mayo) Eles fizeram isso em grande parte por meio do uso de testes de DNA mitocondrial, que é transmitido de mãe para filho e, portanto, capaz de combinar uma avó com um neto (Blakemore, 2019). Além disso, eles pressionaram o governo argentino a criar o Comitê Nacional pelo Direito à Identidade para facilitar o cumprimento de sua meta de longa data de unir crianças desaparecidas com suas famílias (História de Abuelas de Plaza de Mayo) O caso mais recente resolvido pelo Abuelas e seu teste de DNA ocorreu no verão de 2019, quando eles conseguiram conectar Javier Matías Darroux Mijalchuk, o filho dos desaparecidos Elena Mijalchuk e Juan Manuel Darroux, com sua família restante (Abuelas, 2019). Mesmo com a queda da ditadura, o Abuelas'O trabalho tinha acabado de começar e, apesar da idade avançada, eles nunca pararam de procurar seus netos desaparecidos e não mostram nenhum sinal de fazê-lo até que tenham resolvido todos os casos.

o Madres são talvez ainda mais ativos hoje em dia do que os Abuelas mas tem uma história um pouco mais turbulenta. A organização original se dividiu em duas, com Hebe de Bonafini liderando o ramo dominante ainda existente (Goñi, 2017). Bonafini, ela mesma mãe de um desaparecido, é considerado muito mais político do que os líderes anteriores da organização e, como resultado, teve problemas (Goñi, 2017). Bonafini estava envolvido em uma organização chamada Sueños Compartidos (“Shared Dreams” em inglês), que construiu moradias para pessoas de baixa renda, mas foi escandalizada por usar fundos governamentais indevidamente (Hernandez, 2016). Os principais infratores foram Sergio e Pablo Schoklender, e Bonafini não estava diretamente implicada, mas ela se recusou a cooperar com os tribunais, levando a um mandado de prisão, embora no final tenha escapado sem qualquer prisão ou acusações contra ela (Hernandez, 2016). A polêmica não a impediu de liderar a organização para continuar sua luta.

Sob a liderança de Bonafini, o Madres tornaram-se uma organização mais multidimensional do que eram na época de sua fundação original, em grande parte devido ao seu profundo interesse pela política. Seu objetivo principal continua sendo lembrar aos argentinos e pessoas de todo o mundo o que aconteceu e levar a julgamento membros do exército junta que ainda andam livres (Goñi, 2017). o Madres ainda marcha semanalmente em Plaza de Mayo e completaram bem mais de duas mil marchas até agora (Jueves en la Plaza) Mesmo em face da pandemia COVID-19, as marchas continuaram online como uma reflexão ao vivo de Bonafini em sua cozinha (Jueves en la Plaza) Além de transmitir suas "marchas" online, o Madres adaptaram-se ao século 21 e usam praticamente todas as plataformas de mídia social. Por meio dessas plataformas, Bonafini apresenta um programa semanal chamado Mateando con Hebe, que muitas vezes conta com convidados como autores e até funcionários do governo (Asociación Madres de Plaza de Mayo).

o Madres também mergulharam os dedos dos pés em eventos atuais. Vários membros da organização denunciaram o ex-presidente Mauricio Macri por minimizar o número de desaparecidos e desacelerar os julgamentos dos perpetradores, o que eles veem como um apagamento das atrocidades cometidas sob o junta (Goñi, 2017). Bonafini, um aliado ferrenho dos ex-presidentes de esquerda Néstor Kircher e Cristina Fernández de Kirchner, indiciou ainda mais Macri, dizendo que ele tinha o potencial de destruir todo o progresso que havia sido feito durante os anos Kirchner (Hernandez, 2016). Além disso, durante a pandemia COVID-19, o Madres lançaram uma campanha de pintura mural para reconhecer os trabalhadores da linha de frente por seus esforços (Comunicación Madres, 2020). Mateando con Hebe contou com a presença de funcionários da saúde como convidados ao longo deste período (Asociación Madres de Plaza de Mayo).

A persistência do Abuelas e Madres do Plaza de Mayo permanecer ativo do final dos anos 1970 até hoje oferece vários pontos de reflexão. Em primeiro lugar, eles são um lembrete de que só porque algo aparece em preto e branco em um livro de história não significa que está completamente acabado e resolvido. Os objetivos de ambas as organizações ainda não foram totalmente realizados, e o fato de os membros originais ainda estarem no comando é uma evidência do fato de que essas atrocidades realmente não aconteceram há tanto tempo. Em segundo lugar, tanto o Madres e a Abuelas mostre que só porque um determinado líder ou era histórica aconteceu em um sentido literal, não significa que houve qualquer fechamento real para eles. Embora já tenham várias décadas, as feridas da ditadura militar ainda estão em carne viva e continuam a penetrar na sociedade argentina e na memória coletiva. finalmente, o Madres em particular, dá o que pensar sobre como os movimentos sociais podem permanecer relevantes anos após o evento catalisador durante o qual chamaram a atenção do mundo. o Madres mantiveram seus valores e atividades essenciais, mas também se expandiram e se adaptaram aos tempos. Eles conseguiram superar a controvérsia para permanecer relevantes. A década de 2020 teve um começo poderoso, pois muitas questões sociais importantes chegaram à tona. Mesmo quando questões como justiça racial e desigualdades na saúde começam a se dissipar da primeira página, essas questões ainda existem e continuam a causar danos reais aos seres humanos reais. Os líderes desses movimentos podem encontrar inspiração em organizações como a Madres e Abuelas para permanecer relevante e causar impacto, mesmo quando os olhos do mundo inteiro não estão olhando para eles.

Abby Neiser é sênior na Universidade de Pittsburgh com especialização em Ciência Política e Espanhol, com especialização em Português e um Certificado em Estudos Latino-Americanos. Durante o verão de 2019, ela estudou no exterior, em Cuba, como parte do programa Pitt em Cuba. É também Presidente da Associação Luso-Brasileira de Estudantes da Pitt. Abby se interessa principalmente por política latino-americana, relações internacionais, movimentos sociais e a interseção entre política e expressão artística. Ao se formar, ela planeja seguir carreira no serviço público ou relações internacionais.


Plaza de Mayo

Plaza de Mayo em Buenos Aires reflete a história da Argentina, você encontrará aqui edifícios históricos como a Catedral Metropolitana, Cabildo, Casa Rosada, você ouvirá o eco dos discursos apaixonados de Evita, testemunhará protestos silenciosos das Mães das Crianças Perdidas.

& # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 É provavelmente a praça mais importante de Buenos Aires, refletindo a glória, mas também os tempos sombrios da história da Argentina.

& # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 Suas origens remontam à fundação de Buenos Aires por Juan de Garay em 1580, que reservou esta área para um futuro desenvolvimento da Ciudad de Nuestra Señora Santa María del Buen Ayre (como originalmente o assentamento foi nomeado).

Os planos iniciais não se concretizaram e a área tornou-se um terreno para um grande complexo de jesuítas.

Em 1661, compreendendo a importância deste local para a cidade em expansão, o governo colonial comprou o terreno, demoliu a maioria dos edifícios dos jesuítas e estabeleceu aqui uma vasta praça, não surpreendentemente chamada de Plaza de Armas.

Após os próximos cento e cinquenta anos de altos e baixos, uso excessivo pelos militares seguido de períodos de abandono total em 1804, a praça passou por uma modificação que agregou mais prestígio ao lugar - uma arcada chamada Recova Vieja (Old Arcade).

Plaza de Mayo: Recova Vieja
No lado esquerdo é visível o antigo edifício do Teatro Colon.

Fonte: Wikipedia Autor: Esteban Gonnet (1830 - 1868)

& # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 Esta estrutura de estilo românico foi construída por Juan Bautista Sigismund ao longo da linha norte-sul, no auge da atual Calle Defensa. Dividia a Plaza de Armas em duas entidades denominadas Plaza de la Victoria (frente à colonial Prefeitura Cabildo) e Plazoleta del Fuerte (frente à futura Casa Rosada).

A próxima mudança ocorreu no ano de 1811, quando o Pirámide de Mayo foi erguido no centro da Plaza de la Victoria.

A área ganhou a forma atual em 1883, quando o prefeito da cidade, Torcuato de Alvear, decidiu modernizar esta área cada vez mais prestigiada. Como resultado, a bela colunata Recova Vieja foi demolida abrindo o espaço para o que hoje é chamado de Plaza de Mayo. Logo depois, sob a supervisão de Carlos Thays, a Plaza de Mayo ganhou nova paisagem com árvores, palmeiras e fontes.

Alguns podem afirmar que, ao longo da maior parte de sua história, a “paisagem física” da Plaza de Mayo não foi tão rica e colorida como a da cidade de Buenos Aires. No entanto, esta aparente simplicidade é esmagadoramente compensada pelos eventos políticos e sociais que ocorrem na Plaza de Mayo.

& # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 Das ações que iniciaram a Revolução de maio de 1810 até o juramento de fidelidade à Constituição (1854) e, depois, reuniões políticas do século 20 imortalizadas pelos discursos apaixonados de Evita, seguidos por cenas horríveis de violência militar e protestos silenciosos de Madres de Plaza de Mayo, (mães das vítimas da ditadura militar durante as Guerras Sujas contra os esquerdistas) - tudo o que estava acontecendo aqui em uma sucessão torcida de alegria e desolação. Sem dúvida, esta praça sendo por muito tempo um ponto focal da vida social e política em Buenos Aires testemunhou muitas cenas da tumultuada história da nação.

Para fazer parte dos eventos mais memoráveis ​​da Plaza de Mayo eu escolhi dois: Amor e Compaixão e no lado oposto do espectro Indizível Maldade. De forma alguma, estou promovendo esses materiais. Eu só queria dar a vocês uma melhor compreensão do que a Plaza de Mayo significa para os argentinos. Com tristeza só posso dizer que nos dias de hoje o Amor e a Compaixão estão desaparecendo de nossas vidas e tragicamente O Crime (em inúmeras formas) está chegando às primeiras páginas….

Plaza de Mayo Argentina - Eventos trágicos de 1955.

Observação: Estas fotos estão disponíveis SOMENTE em sua forma reduzida
Fonte: Spotlight Buenos Aires - O Bombardeio da Plaza de Mayo (postado por Brian Berenty)
Endereço: http://spotlightbuenosaires.com/bombing-of-plaza-de-mayo-buenos-aires-1955/

Abaixo - alguns minutos aterrorizantes gravados na fita em 1955

E do outro lado do espectro de eventos da Plaza de Mayo você pode assistir ao último discurso de Evita para a multidão de "descamisados".

Nos últimos anos, devido à invasão massiva de turistas, a Plaza de Mayo mudou visivelmente seu caráter. De centro de reuniões políticas, tornou-se uma grande atração turística inundada por visitantes estrangeiros.

Xales brancos pintados no chão lembram o sofrimento, o desespero e a coragem das Mães da Plaza de Mayo.

Os vestígios do passado turbulento do país ainda são visíveis na forma de xales brancos pintados no chão, mas obviamente para os estrangeiros não têm a mesma carga emocional.

Hoje em dia, edifícios proeminentes e monumentos históricos ao redor da praça parecem ser os principais pontos de interesse para reunir multidões.

Quatro fontes junto com numerosas árvores, incluindo duas fileiras de palmeiras Phoenix espesso e notavelmente retas, poucas árvores ceiba (sua flor vermelha foi declarada uma flor nacional da Argentina) e jacarandás aparentemente sempre florescendo adicionam o frescor apreciado por todos - especialmente durante os dias quentes de verão.

Lâmpadas de rua lindamente moldadas pontilhando a praça tornam o lugar ainda mais charmoso….

Para muitos, os eventos turbulentos do passado da praça podem obscurecer essa beleza, mas vamos tirar o melhor proveito disso - otimismo reforçado pelo ambiente atual e a crença de que as coisas podem mudar para melhor.

Uma solitária oliveira plantada em frente à Catedral pelo Arcebispo de Buenos Aires em 29 de março de 2000 simboliza o “Compromisso pela Paz”. Na verdade, não há lugar melhor para esse símbolo de paz do que aqui, na Plaza de Mayo.

A seguir está uma breve descrição dos pontos de interesse da Plaza de Mayo. Alguns deles já estão descritos em grande detalhe nas páginas dedicadas deste site. Alguns virão no futuro.

Plaza de Mayo Argentina - Visão de pássaro na praça e edifícios circundantes.
1. Pirámide de Mayo
2. Casa Rosada
3. Antiga sede do Congresso Nacional
4. Banco de la Nación Argentina
5. Catedral Metropolitana
6. Cabildo (ex-Prefeitura)
7. Palácio do Governo de Buenos Aires
Fonte: Buenos Aires Ciudad - Escritório de Turismo

Casa Rosada (Casa Rosa) - Casa de Gibierno

A Casa Rosada - sede do Poder Executivo do Governo Federal atrai a atenção de todos os visitantes. Por um lado - pode ser sua cor rosa incomum contrastando com tudo o mais ao redor. Mas meu palpite é que foi o filme “Evita” que o tornou lendariamente famoso em todo o hemisfério ocidental e uma atração turística central de Buenos Aires.

Plaza de Mayo - A antiga agência dos correios e do estado, pouco antes de sua unificação em 1884, formando a futura Casa Rosada

Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/File:CasaRosada1890.png

& # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 A construção da estrutura principal começou em 1882 a pedido do Presidente Julio Roca.

& # xa0Após a conclusão, a nova Casa de Governo foi integrada à vizinha - estrutura arquitetonicamente semelhante à dos Correios.

Após o alargamento de 1898 para o leste, o complexo do governo tomou sua forma final.

A cor rosa aparentemente incomum de suas paredes vem de um antigo hábito colonial de pintar as paredes externas com uma mistura impermeabilizante de cal, sangue de vaca e sebo.

Alguns estão acrescentando a este ato o contexto político, acreditando que foi a decisão consciente do presidente Sarmiento de acalmar as tensões entre os partidos opostos, misturando vermelho (cor dos Federales) e branco (cor dos Unitarios) neste gesto simbólico de união.

& # xa0 & # xa0 & # xa0 Qualquer que tenha sido o motivo, hoje o nome “Casa Rosada” é bem conhecido em todo o mundo apontando por unanimidade para Buenos Aires da mesma forma que o nome “Casa Branca” (Casa Blanca) na consciência da maioria das pessoas é associado a Washington.

Casa Rosada - vista frontal com a famosa sacada de onde Evita fazia seus discursos para a multidão reunida na praça.

& # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 & # xa0 Infelizmente a Casa Rosada não está aberta para turistas (a exceção é apenas um pequeno museu), então seu magnífico interior só pode ser visto por funcionários do governo, dignitários estrangeiros e convidados especiais (Se você foi um deles, por favor, ajude com fotos). O esplendor da Sala Branca, Jardim de Inverno etc ... pode apenas alimentar nossa imaginação ...

E sim, usamos nossa imaginação para retratar Evita Casa dando seus discursos apaixonados da varanda da Casa Rosada para centenas de milhares de "descamisados"(os sem camisa ou pobres, em outras palavras) se reuniram na praça.

O prédio é guardado por soldados em uniformes vermelhos e azuis do famoso Regimento de Granadeiros Montados criado pelo General San Martin em 1812. A cada duas horas você pode assistir à cerimônia de troca da guarda.

Casa Rosada: Vista da Asa Norte da Calle Rivadavia,

Vista para a Plaza Colón

Plaza de Mayo: & # xa0 & # xa0 Monumento do General Belgrano.

O monumento erguido em 1873 é uma obra combinada do escultor francês Albert Carrier-Belleuse, que esculpiu a estátua do General Belgrano, e do artista argentino Manuel de Santa Coloma, que esculpiu o cavalo. A estátua equestre de bronze em um pedestal de granito apresenta o herói argentino das Guerras da Independência, um político e líder militar General Manuel Belgrano segurando a bandeira nacional. Isso lembra simbolicamente o fato de que Manuel Belgrano é o criador da bandeira argentina (pela primeira vez levantada oficialmente em 1813 durante sua batalha histórica de Salta).

Plaza de Mayo - Monumento do General Manuel Belgrano em frente à Casa Rosa

Plaza de Mayo: & # xa0 & # xa0 Pirámide de Mayo

Pirâmide de Maio - obra do arquitecto Pedro Vicente Cañete foi erguida em 1811 no centro da Plaza de la Victoria. O obelisco coroado por uma alegoria da Liberdade (obra do escultor francês Joseph Dubourdieu) comemora o primeiro passo para a independência da Espanha - a criação das “Províncias Unidas do Rio de la Plata” (Provincias Unidas del Río de la Plata).

Plaza de Mayo - Foto da "Plaza de la Victoria" de 1867 com a Pirámide de Mayo no centro.

Fonte: Colección César Gotta
Autor: Benito Panunzi

& # xa0 A inscrição na base “25 de maio de 1810” evoca o início do movimento de independência que começou nesta praça. A pirâmide de maio sofreu as primeiras modificações importantes em 1856 baixo direção de Prilidiano Pueyrredón. Durante a remodelação da Plaza de Mayo em 1912, o monumento foi movido cerca de 60 metros para leste.

Em 1942, a Pirâmide foi declarada Monumento Histórico Nacional. Another memorable event took place on December 8, 2005 when the ashes of the founder of “Madres de Plaza de Mayo” – Azucena Villaflor (murdered by military junta probably in 1977) were buried at the base of the Pyramid. The burial at the place where she organized the first protests is an act of respect and honor paid to Azucena for her courageous fight for Human Rights.

Plaza de Mayo - Allegory of Liberty tops the pyramid

Fonte: "Buenos Aires for 91 days" by Mike
Endereço: http://buenosaires.for91days.com/2011/03/23/the-plaza-de-mayo/

Present day view of the Pirámide de Mayo with the inscription indicating the beginning of revolutionary events that took place on this plaza.

Metropolitan Cathedral (Catedral Metropolitana)

      The history of Buenos Aires’ Metropolitan Cathedral is almost as old as that of Buenos Aires itself. The first wooden church in Ciudad de Nuestra Señora Santa María del Buen Ayre was erected here in 1580 by an order of Juan de Garay – (the first ruler of the settlement).

The construction of the present Cathedral (6th one in the history of Buenos Aires) started in 1752. The design was commissioned to an Italian architect Antonio Masella. He proposed a magnificent three-aisled nave structure with the footprint of a Latin Cross and 6 lateral chapels covered by barrel vaults and an imposing dome.

Buenos Aires Cathedral: Facade

      In 1880 as a symbol of unification of Argentina, the mausoleum of the national hero – the Libertador José de San Martin was opened in the chapel on the right side of the main nave.

It is a work of the French sculptor Albert Ernest Carrier-Belleuse.

The black marble sarcophagus is guarded by the three life-size female statues representing the countries freed by San Martin: Argentina, Chile and Peru.

The mausoleum holds also remains of famous generals from the time of Independence Wars – Tomás Guido and Juan Gregorio de las Heras as well as a symbolic tomb of “Unknown Fallen Soldiers”.

To read more from the history of the Metropolitan Cathedral and see pictures please select the link: Buenos Aires Metropolitan Cathedral 

To continue the tour of the Plaza de Mayo please select the link:


Procedures for the Search of Our Grandchildren

Since 1976, we have pursued:

Investigations at local and federal courts, including cases of granted adoptions and also with regard to NN children (names unknown) who may have been recorded at those courts.

Investigations of all births registered in governmental offices after the conclusion of the normal legal term for such registration.

Beginning in 1997, we began informational campaigns to draw young people (of an approximate age range of our grandchildren) that may have doubts regarding their true identity to Abuelas. We have had very positive results

We continually publish announcements in local newspapers read by individuals who are aware of information relating to the kidnappings but who keep silent either due to complicity or fear. In addition, we distribute posters and leaflets with photographs and details of the disappearance of children.

When reports are made, all information is filed into folders containing individual accusations of each case, details of the disappearance, photographs of the child and/or his/her parents, identification documents, and habeas corpus that have been filed, among other information. Each person who makes the denouncement signs all these documents. A certificate of the mother's pregnancy is included, in a case where the detainee was pregnant, or a birth certificate of the child, in the event that the child was kidnapped after birth.

In our discourse, we make it clear that our grandchildren have not been abandoned they have the right to recover their roots and their history they have relatives who are constantly engaged in searching for them.

In the 30 years, we have been able to located 120 of the disappeared children, including 4 found by governmental commissions and 2 located by CLAMOR, the Committee for the Defense of Human Rights in the Southern Cone.

Some of the children are already living with their legitimate families and have become perfectly integrated. Others are still living with the families that have raised them, but are in close contact with their true grandmothers and relatives. By being a part of two families, the children have recovered their identity.

There is a large number of disappeared children whose identities were completely annulled. In those cases, we use modern science to prove that they are members of a particular family. For this purpose, we rely on support from the scientific community in the field of genetics, hematology, morphology, and others.

Through our participation and effort in the International Convention on the Rights of the Child, we were able to push for the inclusion of articles 7, 8 and 11, which refer to the right to an identity and are known as the "Argentine clauses." This International Convention was later incorporated into the Argentine Constitution, via law number 23,849.

In 1992, as a direct result of a petition we organized, the National Executive Power of our government created CONADI, the National Committee for the Right to Identity. The main objective of this organization is to assist young adults who doubt their identities by investigating all existing documents and referring them for blood analysis. Blood analyses are conducted by the National Bank of Genetic Data, which has the power to perform such analyses without legal intervention.


Plaza de Mayo (May Plaza), Buenos Aires (must see)

Plaza de Mayo is the oldest plaza in Buenos Aires. Its history began in 1580 when Juan de Garay founded Buenos Aires. The current plaza was laid out in 1884 and named to commemorate the May Revolution of 1810 that overthrew Spanish rule.

The Casa Rosada (pink house) dominates the Plaza de Mayo. This iconic building houses the Argentine national government and the president's office. Eva Perón famously addressed supporters from The Casa Rosada's balcony in 1951.

In 1811, the Pirámide de Mayo (May Pyramid) was erected nearby to commemorate the May Revolution of 1810. In 1912, the 18.76 meters (61.5 feet) tall Pirámide de Mayo was moved to its current location in the center of Plaza de Mayo.

The Equestrian Monument to General Manuel Belgrano is impressive. This monument represents Manuel Belgrano on horseback and was dedicated in 1873. Manuel Belgrano fought for independence from Spanish rule, created the Flag of Argentina, and is revered as one of the main liberators of Argentina.

Several historically and architecturally interesting buildings line the plaza. The original Cabildo, or town council building, was built in 1608. The current white colonial-style building was completed in 1751 and has undergone several renovations. The Cabildo is the only colonial-era government building still standing n the Plaza de Mayo.

Today, the Cabildo operates as the National Museum of the Cabildo and the May Revolution. Here, you will find colonial paintings and furniture. The views from the upper levels are wonderful. Don't miss the changing of the guard, every hour, in front of the Cabildo.

The 1914 City Hall was built in Second-Empire style and faces the plaza. The Metropolitan Cathedral of Buenos Aires is also located in the plaza.

As the oldest plaza in Buenos Aires, Plaza de Mayo has witnessed all the important events in Argentine history. Today, locals and tourists alike meet friends and eat lunch in the plaza.

Don't miss the changing of the guard, every hour, in front of the Cabildo.

Want to visit this sight? Check out these Self-Guided Walking Tours in Buenos Aires . Alternatively, you can download the mobile app "GPSmyCity: Walks in 1K+ Cities" from iTunes App Store or Google Play. The app turns your mobile device to a personal tour guide and it works offline, so no data plan is needed when traveling abroad.


Plaza de Mayo

The Plaza de Mayo is the central square in Buenos Aires, Argentina ever since the May 25, 1810, Revolution for Argentine independence. It is not only the gathering place for many portenos (native residents of Buenos Aires) and tourists, but also a rallying point for political movements and activism. The deeply-rooted political events that have marked the Plaza de Mayo history inspire visitors to view the Plaza as not only the cultural center of the capital city, but also as the political center as well. Las Madres de la Plaza de Mayo, a group of mothers and other women who have protested the disappearance of their children during a reprehensible political dictatorship in Argentina between 1976 and 1983 gather here every single Thursday afternoon to reinforce their solidarity and support of the cause that, even after all of these long years, largely remains unresolved and in many ways, unaddressed.

Many of the most iconic and popular attraction in all of Argentina are located in the Plaza de Mayo. These include the Casa Rosada (the presidential palace), the Metropolitan Cathedral of Buenos Aires, the Equestrian Monument to General Manuel Belgrano, as well as the Cabildo (the old city council building). You will also find a huge array of restaurants, clubs, cafes, bars, tango parlors, bookstores, and much more in this area. It is, after all, the center of public life in downtown Buenos Aires and where many residents and tourists go during the week and on the weekends to enjoy meeting new people and having fun. Even though the history of the Plaza de Mayo has not always been pleasant, at least in modern times it has come to be known as a place of peace, happiness, entertainment, and tourism.

The history of Buenos Aires intertwines with the history of this plaza as well. Every Thursday, the Las Madres de la Plaza de Mayo gather here in peaceful protest, hoping and searching to find out what happened to their missing children. Las Madres are known for wearing white head scarves upon which their children&rsquos names are embroidered. It is difficult to conceive of the Plaza de Mayo history without factoring in the importance of this group of dedicated an unwaveringly committed women who simply want answers for what happened to their children during what has since become widely known as the Dirty War. This was a terrible time in the history of Argentina, when state-sponsored violence threatened the very way of life of everyone in the city. Over 10,000 people were taken and never heard from again, many of them killed. Thousands of children went missing, and difficult as it is to believe, many that were not killed were given to military families. To say that the Dirty War is a pock mark on the face of the Plaza de Mayo history, and the history of Argentina in general, is a sweeping understatement. Today, political tensions have long since eased, and the Plaza de Mayo is a place where people can once again gather together without fear of violence or torment.

Buenos Aires Map

Whether you come to this area of town to remember a tragic time in the country's history or whether you want to enjoy the many attractions in the general area, Plaza de Mayo is central and important and will likely factor into your time in the city in one way or another.


Plaza de Mayo and its Buildings

The Cabildo, located in Bolivar and Av. De Mayo, right in front of the Plaza de Mayo, saw within its walls these historical events that concluded with the emancipation of the Spanish crown and the beginning of the development of a nation. The Revolution of May 1810, took place in this building where the first open town hall was held. Its construction began in 1682, and completed 200 years later. In 1940, the architect Mario Buschiazzo reconstructed the aspect of the colonial Town hall, based on diverse historical documents.

The monument to Manuel Belgrano in Plaza de Mayo

Equestrian statue of General Manuel Belgrano, off Balcarce street across from the Casa Rosada, in Plaza de Mayo.

The Plaza de Mayo, Hipólito Yrigoyen Avenue

The Casa Rosada, the May Pyramid or Pyramid de Mayo, and the dome of the Municipal Palace in the background seen from Hipólito Yrigoyen Avenue

Plaza de Mayo, Balcarce Street

View of the pedestrian area of ​​Balcarce Street, Casa Rosada on the right and the Argentine National Bank in the background

The Argentine National Bank

Home to the Banco Nación, the main bank of Argentina, and the official public and national bank. In this building operated the first Colón Theater or National Opera House between 1857 and 1888. Project by the architect Alejandro Bustillo, built between 1940 and 1955. This is a magnificent construction, an outstanding example of the institutional architecture of the mid-twentieth century in Argentina.

The Plaza de Mayo has been witness to Argentina’s history.

The Metropolitan Cathedral of Buenos Aires (of the Holy Trinity)

Incredible building of atypical neoclassical architecture – for a Church – with Greco influences. It sits on the corner of San Martín and Rivadavia streets. The original Catholic Cathedral was built in the XVIII century, the last one dates from the XX century. The portico was made in 1822 by Prospero Catelin and Pierre Benoit, inspired by the Palais Bourbon in Paris. The remains of the Liberator General San Martin lie here with eternal flames.

The Pyramid of 1811 in Plaza de Mayo

Built to commemorate the first anniversary of the May Revolution (la Revolución de Mayo), right at the center of the Plaza de Mayo.


Plaza de Mayo (May Plaza), Buenos Aires (must see)

Plaza de Mayo is the oldest plaza in Buenos Aires. Its history began in 1580 when Juan de Garay founded Buenos Aires. The current plaza was laid out in 1884 and named to commemorate the May Revolution of 1810 that overthrew Spanish rule.

The Casa Rosada (pink house) dominates the Plaza de Mayo. This iconic building houses the Argentine national government and the president's office. Eva Perón famously addressed supporters from The Casa Rosada's balcony in 1951.

In 1811, the Pirámide de Mayo (May Pyramid) was erected nearby to commemorate the May Revolution of 1810. In 1912, the 18.76 meters (61.5 feet) tall Pirámide de Mayo was moved to its current location in the center of Plaza de Mayo.

The Equestrian Monument to General Manuel Belgrano is impressive. This monument represents Manuel Belgrano on horseback and was dedicated in 1873. Manuel Belgrano fought for independence from Spanish rule, created the Flag of Argentina, and is revered as one of the main liberators of Argentina.

Several historically and architecturally interesting buildings line the plaza. The original Cabildo, or town council building, was built in 1608. The current white colonial-style building was completed in 1751 and has undergone several renovations. The Cabildo is the only colonial-era government building still standing n the Plaza de Mayo.

Today, the Cabildo operates as the National Museum of the Cabildo and the May Revolution. Here, you will find colonial paintings and furniture. The views from the upper levels are wonderful. Don't miss the changing of the guard, every hour, in front of the Cabildo.

The 1914 City Hall was built in Second-Empire style and faces the plaza. The Metropolitan Cathedral of Buenos Aires is also located in the plaza.

As the oldest plaza in Buenos Aires, Plaza de Mayo has witnessed all the important events in Argentine history. Today, locals and tourists alike meet friends and eat lunch in the plaza.

Don't miss the changing of the guard, every hour, in front of the Cabildo.

Want to visit this sight? Check out these Self-Guided Walking Tours in Buenos Aires . Alternatively, you can download the mobile app "GPSmyCity: Walks in 1K+ Cities" from iTunes App Store or Google Play. The app turns your mobile device to a personal tour guide and it works offline, so no data plan is needed when traveling abroad.


Assista o vídeo: PLAZA de MAYO Buenos Aires Visita 4k