Achados inesperados em uma tumba em Luxor

Achados inesperados em uma tumba em Luxor


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O pai de Cleopatra VII deu a sua filha um templo egípcio que foi descoberto há poucos dias por arqueólogos poloneses durante o escavações no oeste de Tebas, agora Luxor, no Egito.

A descoberta foi feita durante escavações a vários metros de profundidade da tumba de uma importante personalidade do Período Intermediário (2.000 aC) no Necrópole do xeque Abd el-Qurna, que no século 6 o local foi usado para hospedar eremitas cristãos.

“Provavelmente os monges que aqui viveram foram os que encontraram as ruínas perto do palácio e deram-lhe um uso prático, estamos muito felizes por ter descoberto este lugar único”, declarou Andrej Cwiek, chefe da escavação e trabalhador da Universidade Adam Mickiewicz e o Museu Arqueológico de Poznan.

As escavações estão sendo possíveis graças às licenças fornecidas pelo Centro Mediterrâneo de Arqueologia da Universidade de Varsóvia. A descoberta mais surpreendente foi a de um fragmento de um texto hieroglífico pintado com tinta.

Nem todos os sinais são legíveis, mas o nome de Ptolomeu pode ser claramente distinguido”Explicou o Dr. Cwiek. Segundo os pesquisadores, o pedaço de pano em que o hieróglifo foi encontrado era um véu, uma cortina que cobria uma imagem sagrada, talvez uma estátua representando uma divindade, perto de el-Medina, cidade de artistas que trabalharam na construção dos túmulos do Vale dos Reis, incluindo o de Tutancâmon.

O véu provavelmente pertenceu a Ptolomeu XII, que o deu aos deuses. O faraó sem dúvida contribuiu para o esplendor do santuário”Cwiek acrescenta.


Vídeo: Múmias mais bem preservadas do Egito antigo