Museu do Patrimônio Centenário

Museu do Patrimônio Centenário


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O Centennial Heritage Museum, anteriormente conhecido como Discovery Museum of Orange County, está localizado na 3101 W. Harvard Street, em Santa Ana, Califórnia. O museu apresenta a história natural e cultural de Orange County e ajuda a criar um ambiente de aprendizagem interativo para alunos e visitantes de todas as idades. O Museu do Patrimônio Centenário realiza passeios para crianças em idade escolar, que fornecem conhecimento prático sobre como as pessoas viviam há mais de 100 anos. O museu oferece aulas para crianças em idade escolar sobre o habitat natural circundante de seus 11 acres e sobre a criação de arte a partir de materiais reciclados em seu Centro de Eco-Arte. Os dois edifícios restaurados da virada do século - Kellogg House e Maag House - fornecem uma visão do patrimônio cultural do condado e é o meio pelo qual a história ganha vida para milhares de crianças em idade escolar a cada ano. A própria histórica Casa Kellogg, construída em 1898, é uma grande atração do museu. Projetada por Hiram Clay Kellogg, três gerações de Kelloggs viveram na casa, antes de a família doá-la ao museu. A Casa Kellogg foi transferida para o terreno do museu em 1981 e agora é usada para educação prática sobre a era vitoriana, por cerca de 12.000 crianças todos os anos. A Casa Maag foi construída por John Anton Maag em 1899. Em 1981, a casa e dois edifícios associados foram movidos da área do cemitério de Fairhaven para o museu. Vários hectares da propriedade do museu foram preservados como uma natureza parque que dá apoio à vegetação e fauna nativa de matagal e pantanal. As instalações externas do museu podem ser alugadas para casamentos, reuniões, cerimônias, serviços memoriais e outros eventos especiais. Os cineastas estudantes de faculdades e universidades locais também usam os terrenos e edifícios do museu como cenário para seus projetos.


Museu do Patrimônio Centenário - História

O Museu do Centenário foi construído em 1936 para comemorar o aniversário da independência do Texas, tornando-o o museu mais antigo de El Paso. As exposições permanentes no museu enfocam a história natural e cultural da região do Deserto de Chihuahuan, o maior deserto da América do Norte. Uma variedade de exposições temporárias aborda temas relacionados à vida e cultura da fronteira, as Américas e a história e atividades atuais da Universidade.

O Museu do Centenário é o primeiro museu de El Paso & # 8217s. Foi criado em 1936 graças ao financiamento do estado em homenagem à Comemoração do Centenário do Estado do Texas.

Ela abriu suas portas ao público em abril de 1937 no que era então conhecido como Texas College of Mines and Metalurgy (hoje Universidade do Texas em El Paso).


Via Verde Centenária

Este segmento do Centennial Greenway se estende desde a Katy Trail perto da extensão da Page Avenue até o Heritage Museum em St. Charles County. Há também uma extensão de 0,7 milhas nas rodovias 364 e 94 para que as pessoas possam caminhar ou andar de bicicleta com segurança por essas rodovias movimentadas que conectam escolas, bairros, parques e empresas entre si, bem como outras atrações da área. Eles também conectam o sistema de trilhas existente ao Wapelhorst Park na cidade de St. Charles e ao Laurel Park em St. Peters.
Esta via verde oferece uma conexão direta com a trilha pavimentada do Conector Creve Coeur que o leva através do Rio Missouri e se conecta com as trilhas pavimentadas e outras atrações no Parque do Condado de Creve Coeur. Você pode usar a Katy Trail para viajar até o centro histórico de St. Charles e o Frontier Park. Você também pode sair da KATY Trail na Olive Street e pedalar na rua para se conectar à Boschert Greenway!

Há muito para ver e fazer ao longo e perto desta via verde! Você pode passar algum tempo no Heritage Museum aprendendo sobre a história do condado de St. Charles e do estado de Missouri. Se você pegar a Trilha do Conector Creve Coeur para o Parque Creve Coeur, poderá alugar barcos no Parque Creve Coeur, experimentar a tirolesa de aventura Go Ape pelas copas das árvores, explorar a nova trilha aquática ou almoçar no Lakehouse Cafe. Você também pode se conectar às trilhas pavimentadas existentes no Parque Creve Coeur. (Clique aqui para visitar o site do St. Louis County Park & ​​# 8217s Creve Coeur Park.) Essas trilhas incluem o Lakeview Loop pavimentado de 3,7 milhas, o Meadows Loop Trail pavimentado de 4,5 milhas e o Mallard Lake Loop Trail pavimentado de 2,6 milhas. Para mais informações sobre as trilhas do Parque Creve Coeur, clique aqui.
Clique aqui para o plano mestre, status atual e conexões futuras para esta via verde!


Sua história é a nossa história

Muitas pessoas fizeram parte da história da Boeing e contribuíram para seu sucesso. Ouvimos de você - funcionários, aposentados, familiares, clientes, entusiastas aeroespaciais, viajantes, fornecedores, parceiros da comunidade e todos os demais.

Nosso site de compartilhamento de histórias online é mais do que um lugar para refletir sobre histórias de alegria, desafio, triunfo e humor. Também serve como um lembrete duradouro de nossa história compartilhada com pessoas ao redor do mundo: Após nosso centenário em 15 de julho de 2016, tudo se tornou uma parte permanente dos Arquivos da Boeing.


Dias dos pioneiros adiados este ano

Muitas pessoas perguntaram sobre os Dias do Pioneiro este ano. Foi tomada a decisão de cancelá-lo até 2022. Essas ligações não são fáceis de fazer e esperamos que você entenda que, nestes tempos incertos, é difícil hospedar um evento tão grande com participação limitada permitida. Esperamos que se tudo correr bem no verão e as restrições mudarem, possamos ter algo no outono!

o Museu do Centenário da Paz do Sul e o Centro Interpretativo está operando desde 1967.

Este charmoso vilarejo agrícola pioneiro de 40 acres possui centenas de tratores antigos restaurados, raros motores a vapor, motores estacionários, carroças puxadas por cavalos, carruagens e automóveis antigos. Caminhe pelos jardins para admirar os jardins ou navegue pelos edifícios pioneiros históricos cheios de antiguidades, exatamente como eram anos atrás.

Visite as cabanas dos homesteaders & # 8217, entreposto comercial, igreja, escola, moinho de grãos, salão comunitário e armazém geral. Experimente um dia de trabalho na vida de um pioneiro passeando pela oficina de ferreiro, celeiro, casa de carruagens e edifícios ferroviários.

Mergulhe fundo em nossa herança e descubra as habilidades, conhecimento e inteligência de nossos antepassados, que construíram este país sem o poder da técnica moderna, eletricidade ou transporte.

O trabalho de restauração em andamento inclui um elevador Pioneer recentemente transferido para o local.

Em 2017, o Museu do Centenário da Paz do Sul celebrou seu 50º aniversário. Agora com mais de 50 anos de serviço e ainda continua forte.

O museu apresenta milhares de artefatos em exibição em nossa missão de & # 8220Preserve o Passado

Caseiro

Almoços de sexta-feira

17 de maio e # 8211 30 de agosto, das 12h às 14h

Localizado entre Beaverlodge e Hythe

O Museu do Centenário da Paz do Sul está localizado na Rodovia 43, em uma área rica em patrimônio, aninhado no sopé de uma colina a apenas 2 km a noroeste de Beaverlodge ao longo da Rodovia 43. Aproximadamente mais 90 km a NW leva você a Dawson Creek, Colúmbia Britânica e o início da Rodovia Alaska e da Rodovia Hart ao sul do interior de BC. instruções

Beaverlodge também é o ponto de origem do Monkman Pass Trail Driving Tour, lar da Euphremia McNaught Foundation e do Historic McNaught Homestead. Ele está localizado a aproximadamente 5 horas a noroeste de Edmonton, na rota para o Alasca.


Não deve ser negado: Mulheres lutam pelo voto

A exposição extrai-se das extensas coleções da Biblioteca de documentos pessoais e registros organizacionais de figuras como Susan B. Anthony, Elizabeth Cady Stanton, Mary Church Terrell, Carrie Chapman Catt, o National Woman’s Party, a National American Woman Suffrage Association e outros. Documentos, imagens, gravações de vídeo e áudio traçarão o movimento que levou à convenção dos direitos das mulheres em Seneca Falls, as contribuições de sufragistas que trabalharam para persuadir as mulheres de que elas mereciam os mesmos direitos que os homens, as estratégias políticas divergentes e as divisões internas que superaram, a pressão por uma emenda federal ao sufrágio feminino e o legado desse movimento.

“Shall Not Be Denied” faz parte da comemoração nacional do 100º aniversário do sufrágio feminino, marcando marcos importantes em 2019 e 2020. A exposição será aberta no 100º aniversário da aprovação pelo Senado dos Estados Unidos da emenda sufrágio que se tornaria o 19º emenda à Constituição uma vez que a ratificação pelos estados foi certificada em 26 de agosto de 1920.

Exposição em exibição até setembro de 2020

Local: Biblioteca do Congresso

101 Independence Avenue SE, Washington, DC 20540


HistoryLink.org

Originário das montanhas Cascade, os bifurcações norte e sul do rio Stillaguamish se unem em Arlington e desembocam em Puget Sound. Uma rota de água vital e fonte de pesca para as tribos de Coast Salish por gerações, o "Stilly" teve igual importância para os primeiros colonos atraídos pelo potencial e beleza da área de Arlington-Stanwood. O clima aqui é moderado e bom para a produção de leite e as terras férteis e férteis do fundo são ideais para o cultivo. Um grande número de imigrantes noruegueses e alemães escolheu se estabelecer aqui e este local continua a apoiar uma economia agrícola.

Birkestol Farm (Birch Meadow e Gerritzen Barn)
4515 Norman Road, Stanwood
Fazenda centenária e celeiro do patrimônio do estado

Um dos celeiros mais antigos do condado, o Celeiro Gerritzen foi construído pelos herdeiros Herman e Annette Gerritzen ca.1886. Este celeiro holandês de frontão - agora com cobertura de metal - possui revestimento de madeira vertical. Depois dos Gerritzens, a propriedade foi alugada até 1906, quando foi comprada pelos irmãos Ole e Iver Birkestol, que acrescentaram galpões para abrigar 23 vacas Guernsey que Ole havia transportado de barco de sua propriedade anterior no Lago Ozette. Quando ele morreu em 1930, sua esposa, Ingeborg, administrava a fazenda de laticínios, comercializando produtos em Seattle através da Dairygold. Os atuais proprietários são suas filhas, Annabelle e Grace Birkestol.

James Long Barn (Eagle Tree Farm)
23224 Marine Drive, Stanwood
Celeiro do Patrimônio Estadual

Outro dos mais antigos celeiros sobreviventes do condado de Snohomish fica na Eagle Tree Farm, de propriedade de Chuck Hazelton (2011). Construído em 1880 por James Long, possui telhado de duas águas com revestimento vertical de madeira. Agora tem uma fundação de concreto, não tem pintura e nem adornos, e atualmente não é usado.

Eiseman Barn (Fazenda Hornberg)
11027 Grandview Road, Arlington
Celeiro do Patrimônio Estadual

Eric Hornberg construiu este celeiro com vigas e postes para abrigar o gado em 1918. Ele tem um telhado de duas águas com uma adição inclinada e lateral de tábua e sarrafo. As paredes internas da adição são feitas com revestimento de queda. Embora precise urgentemente de reparos, manteve suas características originais e atualmente é usado pelos proprietários Lyle e Marlene Eiseman para agricultura e armazenamento.

Fourflips Farm Celeiro
6104 324th Street NW, Stanwood
Celeiro do Patrimônio Estadual

Os imigrantes noruegueses Amund e Marit Falling começaram a cultivar em Stanwood em 1919. O celeiro atual foi construído em dezembro de 1935. Ele tem um telhado de metal em forma de gambrel, revestimento de tábuas e ripas de madeira, duas áreas de loft e uma capela de feno. Desde 1989, a fazenda é utilizada para a criação de cavalos, lamas e ovelhas.

Viveiro de tesouros de jardim
3328 SR 530, Arlington
Celeiro do Patrimônio Estadual

Construído ca. 1930, este celeiro histórico teve muitos proprietários e ocupantes e, entre os anos 1960 e 2000, foi usado para a produção de laticínios. Ao longo dos anos, o celeiro sofreu com o abandono até que o proprietário Mike Scoleri o renovou de 2000 a 2003. No ano seguinte, Mark e Patricia Lovejoy compraram a propriedade e começaram uma fazenda de produtos orgânicos e um centro de jardinagem. Eles vendem produtos do celeiro e também entregam a clientes assinantes por meio de associações de Agricultura Apoiada pela Comunidade (CSA).

Fazenda Grimm-Jensen
1706 Pioneer Highway E., Arlington
Fazenda centenária e celeiro do patrimônio do estado

Thomas Jensen emigrou para os EUA de Lowenstedt, Alemanha, em 1869 e trabalhou como carpinteiro em Louisiana, Iowa e San Francisco antes de vir para Puget Sound em 1878. Ele assumiu uma propriedade de 160 acres no condado de Snohomish naquele ano e foi um dos os primeiros colonos brancos na área que se tornaria Stanwood. Em março de 1886 ele se casou com Johanna Jens, também imigrante alemã. Eles construíram uma pequena casa e juntos administraram uma bem-sucedida fazenda de laticínios. A filha dos Jensen, Dora, casou-se com William Grimm, um trabalhador da fazenda Jensen, e o casal comprou uma parte da propriedade e construiu uma casa. Thomas e Johanna construíram uma grande casa nova na parte sul do terreno. Após a morte do Jensens mais velho no início dos anos 1920, William e Dora mudaram-se para a casa maior e lentamente expandiram a propriedade. O celeiro com telhado de duas águas foi construído em 1932 pelo millwright de Weyerhaeuser Ralph Forbes, que precisava de obras durante a Grande Depressão. O celeiro tem tapume de tábua e sarrafo, duas cúpulas e um capô de feno. Hoje (2011) é propriedade de George Grimm.

Hillis Farm
16208 Grant Creek Road, Arlington
Fazenda Centenária

Charles Hillis veio para a área de Arlington quando jovem, fixou residência em uma pequena cabana de toras e plantou uma fileira de nogueiras pretas que marcavam a Hillis Road. Ele comprou uma fazenda de gado leiteiro de um antigo colono e se dedicou à produção de leite por um tempo antes de construir moinhos de toras e telhas em Raymond, Washington. Charles e sua esposa, Florence, continuaram a trabalhar na fazenda de Arlington, que acabou sendo passada para os filhos.

Fazenda Kraetz
21511 59th Avenue NE, Arlington
Fazenda centenária e celeiro do patrimônio do estado

Anton Kraetz emigrou da Baviera aos 21 anos, estabeleceu-se no Vale Stillaguamish em 1888, e um ano depois casou-se com Rose Spoerhase, uma imigrante alemã que tinha vindo de Minnesota para o noroeste do Pacífico. Eles se estabeleceram perto de Whitehorse Mountain, Darrington, e cultivaram lá até 1902 quando, cansados ​​de lutar contra as enchentes sazonais, se mudaram para Arlington e construíram uma fazenda de gado leiteiro. Os Kraetz tiveram sete filhos, seis dos quais eram meninas e todos se casaram com fazendeiros vizinhos. Em 1975, a família mudou da produção de laticínios para a agricultura e o gado de corte. A. Loren Kraetz atualmente possui a fazenda de 50 acres (2011), e depois de anos cultivando vegetais, trigo e feno e criando carne, ele agora cria apenas gado.

Fazenda Principal (Stangeland's)
5411 Pioneer Highway, Stanwood
Fazenda Centenária

George Major estabeleceu sua propriedade rural três quilômetros ao sul de Stanwood em 1883 e administrava uma fazenda que produzia feno e grãos, criava gado leiteiro e fornecia pasto. Enquanto alguns dos 160 acres originais foram vendidos ao longo dos anos, a fazenda passou para a neta de George, Janet Stangeland, que continuou a cultivar 63 acres. Hoje (2011) Louis Stangeland e sua família continuam a tradição.

Fazenda Nakashima (também conhecida como Fazenda Weeda)

32328 SR 9, Arlington
Fazenda centenária e celeiro do patrimônio do estado

A fazenda Nakashima começou como um moinho de propriedade de Daniel Waldo Bass (1864-1936), fundador da Bass Lumber Company. Bass converteu a propriedade em uma fazenda de gado leiteiro e importou gado Guernsey direto da Ilha de Guernsey, na costa da Inglaterra. O celeiro foi construído em 1908 para abrigar o gado. Ele carrega o nome histórico da família Nakashima - Kazeo, Miye e seus filhos - que comprou a fazenda em 1937 e a operou por décadas. Durante a Segunda Guerra Mundial, Kazeo e Miye foram internados em Minidoka. A família perdeu a fazenda e ao serem libertados começaram uma nova vida em Seattle. Hoje (2011) o celeiro é a única estrutura remanescente na propriedade. Ele é construído com revestimento de madeira horizontal e tem um telhado de metal. Outras características incluem um capô de feno e um galpão de ordenha.

Nordby Farm
Bryant Road, Stanwood
Fazenda Centenária

Hans Nordby reivindicou uma propriedade de 160 acres a oeste de Bryant ao longo de Pilchuck Creek em 1884. Por mais de um século, esta fazenda foi usada principalmente para madeira e pasto. Hoje (2011) o neto de Nordby, Louis Stangeland, é dono da propriedade, junto com a Major Farm. A casa Nordby, construída em 1905, ainda está de pé, e uma história se passou pela família de que Hans carregava a porta da frente nas costas de Stanwood para a fazenda.

Spoerhase Farm
4420 Cemetery Road, Arlington
Fazenda Centenária

Quando William e Rosamund Spoerhase chegaram a Arlington em 1891, ambos já estavam na meia-idade. Este foi o segundo casamento de Rosamund, que tinha uma filha de um casamento anterior, e mais 11 filhos nasceram do casal, nove dos quais sobreviveram. Chegando de carro de carga de Minnesota, a família comprou uma propriedade perto da montanha Whitehorse e, em 1898, comprou um terreno na Cemetery Road, onde, para muitos, eles tinham uma fazenda de gado leiteiro e um pasto. A Spoerhase Farm permanece na família há cinco gerações.

Thrudvang Farm (Williams Farm)
6510 Pioneer Highway Stanwood
Fazenda Centenária

Nicholas Thomle, sua esposa e seus seis filhos emigraram da Noruega e se estabeleceram ao sul de Stanwood em 1890. Eles administravam uma fazenda de laticínios, cortavam e vendiam a madeira de sua propriedade e cultivavam aveia. Sua distribuição original era de 56 acres, mas com o passar dos anos eles aumentaram suas propriedades de terra para 250 acres. Os membros da família continuam a operar a fazenda, que na época em que foi escolhida como Fazenda Centenária em 2000 estava produzindo ervilhas e sementes sob a propriedade de Bill, Erna e Rick Williams.

Thomsen Homestead (Sunrise Dairy)
15 218 Street NW, Stanwood
Fazenda Centenária, Celeiro do Patrimônio Estadual, Patrimônio do Estado

Jens Thomsen se apropria dessa terra ao longo do rio Stillaguamish em 1878 e deu início à Sunrise Dairy, comercializando laticínios para colonos e madeireiros. Ele também criava bezerros touros e os treinava para canga para corte. Quando ele morreu em 1908, sua fazenda de 175 acres, conhecida como Prussian Land Corporation, foi dividida em vários lotes. A sobrinha de Jens e seu marido, Katherine e Thomas Sander, adquiriram a parte central da fazenda em 1908 e a operaram como laticínios até 1923, quando a venderam para seu filho Hans e sua esposa, Antonia (Kraetz) Sander. O atual proprietário, o sobrinho de Sanders, A. Loren Kraetz, comprou a propriedade em 1980. Durante anos Kraetz fez rodízio de hortaliças e plantações de sementes, mas atualmente (2011) está alugando a terra.

O celeiro de gado de 1890 de Jens Thomsen ainda está de pé. Com telhado de duas águas e tábua e tapume de sarrafo, o celeiro teve telhado de cedro até 1947, quando foi substituído por alumínio. Foi refeito com aço galvanizado em 1972. Embora a propriedade rural de Thomsen tenha sido modificada ao longo dos anos, é considerada uma parte importante da paisagem histórica rural.

Fazenda Old Gust Olsen
925 300th Street NE, Stanwood
Celeiro do Patrimônio Estadual

Gust Olsen comprou este terreno de 40 acres em 1922 e construiu uma pequena casa. Por volta de 1925, ele acrescentou um grande celeiro inglês com telhado de madeira e duas alas laterais. É de construção com vigas e postes e originalmente tinha pisos de madeira (agora de pedra). Olsen era leiteiro e a seção central do celeiro era usada para armazenamento de feno. Na década de 1940, a propriedade passou para Lone Akers e depois para Jim e Edna Holbeck, que modernizaram a fazenda e o celeiro e comercializaram leite por meio da cooperativa Dairygold. O celeiro atualmente pertence a Will e Diane Erickson e é usado para armazenamento.

Ovenell Farm
28006 Old Pacific Highway, Stanwood
Fazenda Centenária

Thomas Ovenell foi arrumado em um navio aos 13 anos, com destino à Califórnia e à Corrida do Ouro. Em 1873, ele se estabeleceu em 122 acres a oeste de Stanwood, onde ele e sua esposa, Carrie, administravam uma fazenda e cultivavam aveia e feno. A fazenda continua sendo propriedade de familiares. Há um celeiro com telhado de duas águas na propriedade e, embora a família não tenha se candidatado ao status de celeiro de patrimônio, a estrutura é digna da homenagem.

Robb Farm
5206 Norman Road, Stanwood
Fazenda Centenária

Robert Robb começou a cultivar perto do rio Stillaguamish, próximo à Norman Road, ao sul de Stanwood, no início do século XX. Ele e várias gerações de sua família se engajaram na produção de laticínios, na manutenção de um pomar de cerejeiras e na venda de madeira retirada de suas terras. Nos últimos anos, seus descendentes aceitaram empregos não agrícolas para complementar sua renda, mas ainda administram a fazenda e cultivam milho para vender a uma fazenda vizinha.

Fazenda Moe (Silwood Dairy)
1403 (laticínios) e 1525 (casa) Norman Road, Stanwood
Fazenda Centenária

Ole Moe emigrou de Eidskog, Hedmark, Noruega com sua família em 1870 quando tinha 11 anos. Suas viagens o levaram a Minnesota e Dakota do Sul antes de vir para Washington no início do século XX. Ele escolheu um terreno perto de Silvana (hoje Stanwood) e construiu uma fazenda. Com o passar dos anos, tornou-se uma das fábricas de laticínios de maior sucesso e hoje (2011) utiliza a tecnologia da informática para auxiliar no funcionamento de suas operações. Atualmente pertence e é operado pelo neto de Ole, Luther, e sua família.

Whispering Winds Farm
24008 Valde Road, Stanwood
Celeiro do Patrimônio Estadual

Originalmente construído para a indústria de laticínios, o celeiro em Whispering Winds Farm foi construído por volta de 1935 com um telhado de madeira. A propriedade mudou de mãos várias vezes, foi uma vez em execução hipotecária, foi alugada por um tempo e acabou sendo comprada pelos atuais proprietários, os fazendeiros orgânicos Doug e Charlene Byde. Eles plantaram um pequeno pomar de 24 árvores e têm 2,5 acres de produção de vegetais orgânicos, vendendo produtos por meio de associações de Agricultura Apoiada pela Comunidade (CSA).

Celeiro Eckstrom (Fazenda Winje)
13725 Burn Road, Arlington
Celeiro do Patrimônio Estadual

Construído ca. 1920, a fazenda e o celeiro pertenciam originalmente à família Eckstrom, que os manteve até a década de 1940. A propriedade foi usada como laticínio até 1951, quando um novo proprietário, Knutson, começou a usá-la como uma fazenda de gado. O celeiro histórico tem uma cúpula, um cata-vento e um telhado de duas águas. O tapume é de tábua e sarrafo de madeira. Atualmente (2011) é propriedade de Gilbert Winje e é usado para armazenamento.

Fazendas Youngren
2320 Norman Rd., Stanwood
Fazenda Centenária

William e Annie McDougall começaram esta fazenda perto de Silvana em 1901, produzindo laticínios, milho e feno. A fazenda permanece sob propriedade familiar desde o seu início e, mesmo em tempos difíceis, a fazenda tem prosperado. Os Youngrens foram escolhidos como Família Leiteira do Ano do Condado de Snohomish em 1983. Netos dos McDougalls, Steve e Joe Youngren e suas famílias agora (2011) ordenham cerca de 800 vacas em sua fazenda de 650 acres.

SAlgumas das terras agrícolas mais ricas do condado de Snohomish ficam na Bacia de Snohomish, que inclui as comunidades de Snohomish, Monroe, Lago Stevens e Everett leste. Os primeiros colonos se estabeleceram aqui ao longo dos rios Snohomish, Snoqualmie, Skykomish e Pilchuck. Os laticínios se tornaram uma parte importante da economia local, tanto que Carnation construiu uma condensação em Monroe no início dos anos 1920.

Muito dessa paisagem agrícola desapareceu. As pequenas propriedades - principalmente as queijarias - foram vítimas da expansão urbana e dos tempos econômicos difíceis. Grandes laticínios corporativos substituíram os menores e muitos produtores de leite venderam para incorporadores. Para preservar as terras agrícolas, o Condado de Snohomish iniciou seu Programa de Compra de Direitos de Desenvolvimento, que dá aos agricultores do Vale Tualco, perto de Monroe, dinheiro em troca de direitos de desenvolvimento de suas terras.

Os agricultores encontraram maneiras de sobreviver por meio de cooperativas, mercados de agricultores e nichos especializados, como produtos orgânicos e serviço de entrega em domicílio. Outros descobriram mais lucro ao comercializar a experiência da fazenda (labirintos de milho e plantações de abóboras) em vez de vender produtos.

Saupe Barn (Bartelheimer Brothers Dairy)
11900 92nd Street SE, Snohomish
Celeiro do Patrimônio Estadual

Em dezembro de 2010, a Bartelheimer Brother's Dairy (com operações em vários locais) anunciou que leiloaria seus equipamentos, tratores e 800 vacas, encerrando assim um negócio de quatro gerações de mais de 70 anos. Em 15 de novembro de 2011, um incêndio destruiu a antiga casa de fazenda neste local, mas o Heritage Barn de 1900, com telhado de duas águas, originalmente construído por William Saupe, sobreviveu.

Behling Barn também conhecido como Micheels Barn (Fazenda Sams)
11018 Springhetti Road, Snohomish
Celeiro do Patrimônio Estadual

Os imigrantes alemães Herman e Ernestine Micheels foram os primeiros proprietários desta fazenda de gado leiteiro de 40 acres. Alguns anos antes de sua morte, Herman passou a propriedade para sua filha Martha e seu genro Fred Behling. Ben e Cynthia Sams (Lavendar Moon Society) atualmente são os proprietários da propriedade e a converteram em uma fazenda de minhocas e um estúdio de cerâmica.

O celeiro é de desenho gótico, com uma réplica em miniatura da casa de leite ao lado. Ambos estão em boas condições. O celeiro tem revestimento horizontal de madeira e capô de feno.

Cedergreen Farm
12325 Snohomish-Monroe Road, Snohomish
Fazenda Centenária

Depois de viajar ao redor do mundo, o imigrante inglês John Alfred Constans Cedergreen chegou à Costa Oeste em 1867, estabeleceu-se por um tempo nas ilhas de San Juan e se casou com Amelia Frederickson em 1876. O casal acabou tendo 14 filhos. Em 1889, os Cedergreens ocuparam 160 acres de terra com muitas árvores a alguns quilômetros de Snohomish. Com a ajuda dos filhos mais velhos, John começou a limpar o terreno e a abrir uma das primeiras fábricas de laticínios do condado de Snohomish.

A família Cedergreen é proprietária da propriedade há cinco gerações. A indústria de laticínios foi expandida na década de 1930, e Clarice Cedergreen começou a administrar a fazenda em 1937. Na década de 1960, ele deixou o negócio de laticínios para cultivar ervilhas para uma empresa de alimentos congelados que a família possuía em Wenatchee. A empresa mudou sua sede para Snohomish na década de 1970.

A casa da família original foi substituída em 1910 pela casa que ainda existe (2011).

Jensen Barn (Fazenda Gerspacher)
6306 60th Street SE, Snohomish
Celeiro do Patrimônio Estadual

Construído em 1948 pelos proprietários Roy e Edna Jensen, este celeiro de laticínios costuma chamar a atenção dos transeuntes devido ao design incomum de seu telhado, que está listado no registro do celeiro do estado como sendo redondo. Ele ainda tem seus pilares de gado originais que seguram os animais no lugar enquanto se alimentam ou descansam. O revestimento do celeiro é de madeira horizontal e foi originalmente pintado de branco com detalhes vermelhos, mas os atuais proprietários (2011) Steve e Rebecca Gerspacher o pintaram de vermelho. Eles atualmente usam o celeiro para armazenamento.

Morgan Barn (Hagen Dairy)
6904 E Lowell Larimer Road, Snohomish
Celeiro do Patrimônio Estadual

Este celeiro de estilo gótico foi construído em 1930 e já fez parte de uma fazenda de 80 acres de propriedade de Bill Morgan. Morgan usou o celeiro para criar gado jovem para a Hagen Dairy e, em 1961, Jay Hagen tornou-se o proprietário da fazenda. O celeiro inclui uma capa de feno solta, um cata-vento, os copos originais (ainda em uso) e o sistema de iluminação original. Foi revestido com metal e possui revestimento de madeira horizontal e vertical. Hagen manteve o antigo extintor de incêndio da fazenda e muitas das ferramentas originais da fazenda.

Bounds Barn (Hagen Dairy)
6726 E Lowell Larimer Road, Snohomish
Celeiro do Patrimônio Estadual

Um incêndio no final da década de 1920 destruiu um celeiro anterior nesta propriedade, então propriedade da família Bounds. Em 1930, eles construíram uma nova estrutura de telhado de duas águas. Richard Hagen e seu filho Ray compraram a propriedade da Bounds (120 acres de terra, um celeiro e duas casas) em 1949 para fins de produção leiteira. Eles construíram uma nova casa de leite e baias de feno em 1957. A fazenda permanece na família Hagen (2011) e é usada para criar gado de corte.

Harvey Homestead
10424 Airport Way, Snohomish
Fazenda Centenária

Depois de imigrar da Inglaterra para os Estados Unidos, John Harvey e sua esposa, Christina, estabeleceram uma propriedade rural perto do rio Snohomish em 1859, dois anos antes da incorporação do condado de Snohomish. John serviu como um dos primeiros comissários do condado. Harvey construiu uma pista de pouso de avião em sua propriedade e acabou se tornando conhecida como Harvey Airfield. Noble, filho de John, herdou a propriedade, que foi passada para as gerações posteriores. Nos primeiros anos, a família cultivava frutas, milho, batata, gado, galinhas, ovelhas e cavalos e, mais tarde, feno, milho e ração verde. A propriedade fica perto do centro da cidade e consiste principalmente no campo de aviação e na antiga casa de fazenda. A casa precisa de reparos, mas as alterações não podem ser feitas porque o município designou este local como planície de inundação.

Snohomish, cont.

Hereth Farm
Springhetti Road, Snohomish
Fazenda Centenária

Situado perto do local da famosa árvore da bicicleta de Snohomish (popular nos anos 1900), a Hereth Farm fica em um terreno entre Springhetti Road e Highway 9. Philip Rohsnagel comprou a propriedade para agricultura em 1904 e começou a cultivar aveia e batata e a criar galinhas para os ovos. Embora um leito ferroviário elevado perto da fazenda forneça alguma proteção contra as enchentes sazonais do rio Snohomish, a cada ano a família teme que as águas subam e danifiquem a casa da fazenda original, embora isso não tenha acontecido. Nos últimos anos, Mark e Lynne Hereth usaram a fazenda para criar novilhas leiteiras de reposição e cultivar “silagem”, uma forma de silagem. Hoje (2011) esta é uma fazenda próspera.

Lloyd Family Farmstead
23210 Paradise Lake Road, Woodinville
Fazenda Centenária

Quando a Fazenda Lloyd foi adicionada à lista do patrimônio, seus proprietários David e Elizabeth Lloyd ainda moravam na casa onde nasceram. Seus avós estabeleceram uma leiteria nesta propriedade em 1888, e a casa remanescente data dessa época. O condado de Snohomish comprou 664 acres de Lloyd Farmstead para conservação e recreação passiva. Hoje ele foi desenvolvido em Paradise Valley Conservation Area, o mais novo parque do condado de Snohomish.

Fazenda e celeiro Matson
1001 Russell Road, Snohomish
Fazenda centenária e celeiro do patrimônio do estado

Construído em 1918 pelos Mattsons, uma família de imigrantes suecos, o celeiro tem um telhado de metal. The Matson Farm was one of the first small family farms along the Pilchuck River, and its features include a cupola, a weather vane, and a hay hood. The farm is now (2011) called Pilchuck Moresians and is owned by Barbara Collins.

Ricci Farm
10917 Elliott Road, Snohomish
Centennial Farm

Italian immigrant Michael Ricci began farming here in 1889 with an extensive orchard and dairy, and under his son's ownership the family began growing corn, marketing it to Safeway. For years the dairy was their most profitable business, but in 2001, as small dairies struggled, the family had to sell their cows. Michael's grandson Bob decided to turn the farm into a corn maze, marketing an experience rather than a product. Today Bob and Sarah Ricci operate Bob's Corn Maze and Pumpkin Farm and have converted their 1898 dairy barn into a country store. The business has been lucrative enough that Bob was able to leave a non-farm job, stay at home, and help raise five daughters.

Rocking Crazy K
816 Machias Road, Snohomish
State Heritage Barn

This broken-gable-roof barn, built for dairying ca. 1900, still has many of its original features, including the wood window frames, hay hood, and manual stanchions once used for milking. Currently (2011) the structure is in poor repair but is still a working barn. Those traveling the popular Centennial Trail have a view Rocking Crazy K, with a backdrop of the Cascades Mountains.

Townsen Barn (Todd Farm)
15407 Dubuque Road, Snohomish
State Heritage Barn

Unpainted, gable-roofed, and presently abandoned, the Townsen Barn is thought to have been built in 1898. It definitely appears on a plat map by 1910, the property owner at that time being C. A. Townsen. The Townsen Barn has vertical wood siding and a metal roof and is now (2011) owned by Jeffrey and Heidi Todd.

Wanser Farm
4621 171st Avenue SE, Snohomish
Centennial Farm

William Henry and Fannie Lora Wanser came to Snohomish County from Illinois in 1905 and settled near Flowing Lake. Their orchard produced a variety of apples, cherries, plums, and pears, but dairy cattle were the farm's mainstays until the 1950s, when the family transitioned to beef cattle and sheep. Today (2011) Anna Rose Wanser, wife of third-generation farmer William David Wanser, maintains a small orchard, raises sheep, and keeps a few chickens.

Arial Foye Homestead (Snow's Berry Farm)
Tualco Road, Monroe
Centennial Farm

James Foye Homestead
Tualco Road, Monroe
Centennial Farm

Two Centennial Farms on Tualco Road are connected with the Foye family. Arial Foye took a homestead claim here in 1877 and began a dairy. His son James purchased property adjoining the family homestead and expanded the dairy to 200 acres. James married Bessie Peterson in 1906 and the couple had 10 children. The Foyes got out of dairying in the 1930s, and the Arial Foy farm grew strawberries. Arial's great-granddaughter Joan Snow has owned the farm for many years and in the past has raised strawberries, flowers, and nursery stock. In 2011 Snow's Berry Farm, specializes in raspberries. The descendants of James Foye now raise beef cattle on their property.

Reiner Farm
17503 State Route 203, Monroe
Centennial Farm

The Reiner family has farmed at this location in the Tualco Valley since 1873, when Grannis and Amelia Reiner homesteaded here. Two of their sons, George and Ernest, were dairymen who were connected with the Carnation Condensery in Monroe. The Reiner farm lies between busy Highway 203 and the Skykomish River, with two miles of river frontage and two miles bordering Haskell Slough. Current owner Dale Reiner participated in a project to restore the slough (an important habitat for salmon) and reconnect it to the river. Today (2011) Reiner is farming about 420 acres and raising more than 30 head of beef cattle, and has 18 acres of Christmas trees and native nursery-tree stock. He also is active in a Conservation Reserve Enhancement Project for habitat and river bank restoration, cultivates 15 acres of canola for biofuel, and rents out 60 acres of his farm to a local dairy for raising field corn and hay.

Smallman Homestead (Frohning Dairy)
17506 190th St SE, (Frohning Road), Monroe
Centennial Farm

Robert Smallman served as a Territorial volunteer under Col. Isaac Ebey (Ebey Island, Snohomish River) in 1855-1856 during the government's attempt to keep hostile Indians from reaching Puget Sound. Smallman decided to settle in Snohomish County, and in1870 he took one of the first homestead claims in the Tualco Valley, south of Monroe. In 1883 Smallman had 60 acres in cultivation and he was cutting hay and raising sheep, horses, and cattle. Since 1939 the farm has been operated by Frohning Dairy.

Smallman Homestead (Schmidt Farm)
Tualco Loop Road, Monroe
Centennial Farm

Sixteen acres of the Robert Smallman homestead were sold to Gerald Smallman and his wife Margaret Schmidt Smallman in 1889, and they began growing hops and raising pigs and dairy cattle. When the homestead was honored in 2000 as a Centennial Farm, four generations of the Smallman family had lived and worked there.

Steffen Farm
22013 Ben Howard Road, Monroe
Centennial Farm

In January 1900 settlers Herman and Lena Steffen paid $1,700 in gold for a 75-acre farm, cattle, machinery, and buildings on Ben Howard Road along the Skykomish River southeast of Monroe. At first the Steffens sold eggs, butter, and vegetables, but in 1908 they began raising registered Holstein cattle. In 1942 they sold the farm to their son Albert, his wife, Alma, and grandson Donald, who expanded the property to 130 acres of farmland and 160 of woodland. In 1963 Alma and Donald became the farm's sole owners. After many years of raising cattle and producing milk, the Steffen Farm now boards a small number of cows at other farms and brings the heifers home to raise for dairy replacements.

Granite Falls, situated in the foothills of the Cascades, lies between the South Fork of the Stillaguamish River and the Pilchuck River. Today the town is the gateway to the scenic Mountain Loop Highway, and in earlier years it was the last commercial stop for loggers and miners on their way to work sites near Robe, Gold Basin, Silverton, and Monte Cristo. Settlers found the Robe Valley (10 miles east of Granite Falls) particularly good for farmig, and a few farms remain that have a long histories.

Hageman Barn (Thompson-Hageman Farm/Goebel Hill Farm)
15201 Goebel Hill Road, Granite Falls
State Heritage Barn

Orwin Hageman recalls moving with his family to this location in 1923, when only a house existed on the property. The following year he helped his father build the barn. Orwin operated the farm for 34 years following his father's death, selling eggs to a hatchery in Mt. Vernon and keeping two cows and a small garden. After 34 years Hageman sold the property to Itha Marie Frane, and Frane sold to Roderick Latham in 1969. Latham and his family lived on the farm for the next 40 years.

The current owner, Heather Robinson, a science teacher in Lake Stevens, purchased five acres adjacent to the barn property in 1990. Six years later she and a fellow science teacher, Hall Buttery, began farming together, raising raspberries and poultry. In 2009 they purchased the Hageman barn, built in 1924, and have plans to restore it (2011). The barn has a gambrel metal roof, a concrete foundation, a hay hood and some of its original windows.

Hemstrom Homestead
4329 Robe Menzel Road, Granite Falls
Centennial Farm

In 1886 Swedish-born August Hemstrom, his wife, and their son, Charles, homesteaded on 150 acres south of Granite Falls in the Robe Valley. They cleared the land, sold the timber, began a small dairy, and raised beef cattle, potatoes, and hay. Their descendants continue working the farm, and are currently (2011) raising beef cattle.

Macomber Farms
10112 159th Ave. NE, Granite Falls
Centennial Farm

Swiss immigrant Jake Spichiger and his German-immigrant wife, Theresa, purchased 40 acres in Granite Falls in 1908 for farming. Jake was a butcher and he and Theresa also ran a restaurant. Their descendants continue to farm here today (2011).

In the early years the farm had three chicken houses and in 1923 the Spichigers added a Holstein dairy, selling milk to Darigold. They purchased additional land in 1928 and again in the 1940s. In 2010 Todd Macomber was operating the farm with his mother, Jackie Spichiger Macomber. Jackie has served on the Snohomish County Agricultural Advisory Board and is known for her horsemanship as well as her work with the local 4-H Club.

Ulrich Scherrer Farm
5300 Menzel Lake Road, Granite Falls
Centennial Farm

Ulrich Scherrer emigrated from Switzerland to California, then came north to Granite Falls in 1889 and purchased an abandoned homestead on the upper Pilchuck River. Here he raised vegetables, hay, and potatoes, kept sheep and goats, and operated a dairy. After Ulrich Sr.'s death, his son, Ulrich Scherrer Jr., continued to run the farm with his wife, Pearl. Today the family still owns and operates the farm but has switched to raising beef cattle and quarter horses.

In 1863 Eugene D. Smith, his wife, Margaret, and her parents, Martin and Olive Getchell, began creating Lowell, a town they platted but never incorporated, on the west bank of the Snohomish River. Lowell is now a neighborhood of Everett. Industrial development in the 1890s boom that built Everett brought great changes to Lowell, with the addition of a paper mill that would last into the 1970s. There are still a number of working farms along the old Lowell-Larimer Road that runs to Snohomish, as well as on the flats east of Everett off of Highway 2.

Getchell Ranch
3914 52nd Street SE, Everett
Centennial Farm and State Heritage Barn

Situated on the east bank of the Snohomish River across from Everett's Lowell neighborhood, an 1880-1882 farmhouse built by Martin and Olive Getchell, still stands on Getchell Ranch. The Getchells figure prominently in the early development of Snohomish County. Granddaughter Ruth Alexander built a newer house on the land, and her son Alex Alexander now (2011) lives on the property and raises cattle. The Getchell Ranch is the oldest intact farm in the Snohomish River Valley. Alexander has renovated both the old farmhouse and the gambrel-roofed barn, built in 1926-1927.

Johnson Farm/Jackknife Ranch and Johnson Barn
5205 52nd Street SE, Everett
Centennial Farm and State Heritage Barn

Iver and Caroline Johnson homesteaded here in 1887. They raised cattle, poultry, and pigs and grew hay, fruit and vegetables. Over the years, they expanded their farm to 400 acres, clearing and diking where necessary as the farm is in the Snohomish River flood plain. Bob Johnson and his wife, Laura, once gave educational farm tours but later converted their business to a U-Pick produce farm. The Johnson Barn was awarded a state grant of $11,900 in 2010 that has allowed the owners to put on a new roof. The farm is also called Jackknife Ranch due to its proximity to the Jackknife Bridge, a Strauss-designed bascule railroad bridge. Once on the National Register of Historic Places, the bridge has since been torn down.

Walther Barn (Craven Dairy)
5332 Lowell-Larimer Road, Everett
State Heritage Barn

Bernard Walther was the farm's original owner and reportedly built this barn ca. 1890 to house dairy cattle. It has board and batten siding, mortise and tenon joinery, and a gable roof. Bernard deeded the property to his wife, Luiza, in 1890 and it was later deeded to their children, Rudolph, Clara, and Luise. In the 1930s the property was transferred to Carl Hansen who sold it to Al, Larry, and William Craven. Craven Dairy owned the property from 1960 to 2000. Today (2011) it is owned by Larry Jensen and used for agriculture.

Weiser Barn (Heineck Farm)
930 Sunnyside Boulevard NE, Everett
State Heritage Barn

Howard Weiser purchased this farm in 1925 to grow fresh vegetables for his restaurant at the Monte Cristo Hotel in downtown Everett. Around 1930 he built this Dutch-style gambrel barn with horizontal wood siding and a hay hood. The Weiser farm continued under several owners and was purchased in 1964 by Joe and Catherine Heineck. Joe Heineck, a Boeing employee, owns and manages the farm today (2011) with help from his grandchildren.

Nelson Farm (Lavender Hills)
Kellogg Marsh, Marysville
Centennial Farm

Today the business called Lavender Hills is located on a Centennial Farm that was founded by Lars and Netta Nilson and their four children. The Nilsons raised livestock, vegetables, and fruit. Son Adolph became the next owner, and he changed the spelling of the family name to Nelson. Seeking a new direction for the farm business, granddaughter Carol McCrorie and her husband, Mike, went into lavender production. Although the farm is not open to the public, Lavender Hill Farms participates in local garden events.

Snohomish County has a dozen local-heritage museums and all have artifacts relating to local agricultural history. The following five have especially strong collections that record and interpret the county's rural past.

Western Heritage Center, located on the Evergreen State Fairgrounds in Monroe, is a hands-on museum of rural history. The project of retired Snohomish County dairyman Jerry Senner, the center opened in 2007 and houses a large and growing collection of old farming, mining, and household equipment. Most are operational, including many vintage tractors. The center hopes (2011) to expand the museum to accommodate a large and important collection of tractors and cars that has come into its possession.

Heritage Park, located east of I-5 on the corner of Poplar Way and Alderwood Manor Parkway in Lynnwood, is maintained by the City of Lynnwood and several community organizations, including the Alderwood Manor Heritage Association and the Sno-Isle Geneological Society. In 1917 the Puget Mill Company began selling their logged-off land for residences in a development they called Alderwood Manor. For promotion, the company created a 38-acre demonstration farm that included a hatchery, demonstration gardens, and orchards. Today, Heritage Park sits on 2.8 acres of land and preserves what is left of Alderwood Manor's past. It showcases several historical properties that were rescued from destruction when the I-5 interchange was built. The Superintendent's Cottage from the demonstration farm houses the local history collection.

Stanwood Area History Museum and D.O. Pearson House Museum, 27108 102nd Avenue NW, Stanwood, has an excellent collection interpreting the rural communities of Stanwood and Arlington. Much of the museum's collection is about agriculture, logging, and railroading. The group maintains an excellent archive and library.

Stillaguamish Valley Pioneer Museum, 20722 67th Avenue NE, Arlington, preserves artifacts and documents the history of the Stillaguamish River Valley. The artifacts include household, logging, dairy, and farming items, and the collection includes thousands of early black and white photographs of the area. The Stillaguamish Valley Pioneer Association is Snohomish County's oldest heritage group. Its collection also includes the story of the small rural community of Jordan, near Arlington.

Monroe Historical Society Museum, 207 E Main, Monroe, is located in the town's old city hall. Much of its collection relates to the pioneering families who built Monroe and ran its businesses, including farms, dairies, and the large Carnation Condensery. Some of their collection is available online.

This slideshow presents a number of Snohomish County's heritage farms and barns, some that have been in continual use for over a century. It was written by Margaret Riddle and funded by the Snohomish County Community Heritage Program.

Honoring Rural Heritage

Decades before there was a city of Everett, Snohomish County pioneers began farming the lowlands of the Snohomish, Snoqualmie, and Stillaguamish river valleys. Trees were abundant for harvesting, and when land was cleared the soil was rich, giving promise to early homesteaders. By the time Washington became a state in 1889, nearly 20,000 acres in Snohomish County were in cultivation. Agriculture had become second only to the booming logging economy, and dairying rapidly grew from the early 1900s.

Agriculture is still an important part of the county's economy, although recent years have been challenging, especially for dairies. Farmers have needed great resilience and adaptability in order to make a living. A 2007 census of agriculture counted 1,670 farms in Snohomish County, with 76,837 acres in cultivation, an increase of 6 percent over a census taken in 2002. But although the number of farms had increased, farm revenue declined.

Snohomish County farms have often been family businesses, some lasting for more than a century. These farms today grow vegetables, fruits, nuts and berries, alfalfa hay, and winter wheat operate nurseries and greenhouses for floriculture and aquaculture raise poultry, cattle, hogs, pigs, sheep, goats, horses, ponies, mules, burros, and llamas and produce eggs, milk, dairy, and animal products. Farmers today have also found profit in renting out acreage, both to other farmers and for other purposes, such as radio towers.

Although vintage homes have been officially recognized at the state and local levels for many years, heritage farm and barn registration has come mostly in the early years of this century. Barns with various roof types and cupolas, hay hooks, milking sheds, and outbuildings often reflect European architectural roots. Vintage farm equipment remains on many farms. Currently both Snohomish County and the state of Washington have programs to recognize, honor, and preserve this important rural heritage.

Snohomish County's Centennial Farms

Snohomish County officially initiated a Heritage 2000 Program, which includes annual recognition of Snohomish County Centennial Farms. To qualify, farms must have been in constant production and under the same family ownership for 100 years or more.

Centennial Farm families are honored each year by the Snohomish county executive during the opening ceremony of the Evergreen State Fair. As of 2011, 31 farms have been so honored.

Washington State's Heritage Barns Program

In May 2007 the Washington State Legislature passed Substitute HB 2115, which established the Washington Heritage Barn Register to honor and recognize barns as historically significant properties that represent the agricultural, economic, and cultural development of the state. The Heritage Barn Grant Program is administered by the Washington Trust for Historic Preservation. The program supports the preservation efforts of those who own recognized barns and helps to maintain them as significant historic properties.

Since the program was initiated, 23 heritage barns have been listed in Snohomish County and the owners of the Jackknife (Johnson) Ranch in rural Everett have received an $11,900 grant to help with barn restoration.


Daneville Heritage Museum

The office archives and the online archives consist of family history files of hundreds of people who have lived in and around the Viborg area over the past nearly 150 years. We recently acquired digital files of Viborg High School yearbooks from 1950 - 1989, and Hurley High School yearbooks from 1951 - 1989, as well as the 2001 VHS Alumni Album.

About the Museum Library

The Museum Library has many submitted family histories and family photo albums for research, but not online. Other resources available include complete sets of Viborg Enterprise newspapers from 1958 - current editions, centennial books (Centerville, Chancellor, Davis, Hurley, Marion (including Monroe and Dolton), Irene, Parker, Viborg, and Wakonda), Turner County atlases beginning in 1897, Clay, Lincoln, Turner, Union, and Yankton county farm and home directories, most Viborg High School yearbooks from 1916 - present, Turner County Pioneer History by W. H. Stoddard (published in 1931) and other county resource books.

The Daneville Heritage Museum now has a Facebook page! Come check it out at


The history of one of Ontario's oldest communities is proudly displayed at the Penetanguishene Centennial Museum & Archives. Visit the 1875 Lumber Office and General Store owned by late lumber baron and past mayor, Mr. Charles Beck.

September 1 to June 30
Monday to Friday: 9:00 to 4:30 p.m. (closed between 12:30-1)

July & August
Monday to Saturday: 9:00 a.m. to 4:30 p.m. (closed between 12:30-1)

*Holiday Hours*
Closed on Family Day, Good Friday, Victoria Day, Labour Day, Thanksgiving, Remembrance Day, Christmas Eve at noon to January 2nd.


Dartmouth Heritage Museum

The Dartmouth Heritage Museum started from humble beginnings a group of like-minded citizens began presenting collections of artifacts in two local schools to promote awareness of heritage in our region. Interest in this project grew as the schools, other community groups, and City Council saw merit in their efforts. The Dartmouth Museum Society was formed by many of these original citizens. Members of the Dartmouth Museum Society, concerned with the demolition of many of the sites of historic significance in and around the then City of Dartmouth, lobbied the municipal and provincial governments to establish a community museum. The Museum itself was established in 1967 as a Canadian Centennial Project by the City of Dartmouth and was set up at 100 Wyse Road (select exhibitions pictured below).



After the Halifax Regional Municipality amalgamation in 1996, the Dartmouth Heritage Museum became known briefly as the Regional Museum of Cultural History and then returned to its original name in 1999. During 1999/2000, the Halifax Regional Municipality worked with the community to establish the Museum as a non-profit community operated facility.

In 2002, the Wyse Road location was condemned and demolished soon thereafter the Museum headquarters moved to Evergreen House and the main collection was moved to storage.

Today, the Halifax Regional Municipality and the Dartmouth Heritage Museum Society continue collaborating to deliver quality interpretation and educational programming to the community. While HRM owns the collection and both Historic Houses, the Society, as an independent non-profit association, develops, manages, promotes, operates and administers the properties and the collection. This ongoing relationship enables the Dartmouth Heritage Museum to continue to celebrate our local heritage as a Canadian Charitable Organization (#890030521 RR0001).


Assista o vídeo: Sessão III:: Miradas decoloniais para os Centenários Portugueses 1940-2020


Comentários:

  1. Searbhreathach

    Foi registrado em um fórum para lhe dar, obrigado pela ajuda nesta pergunta, posso, eu também posso ajudá -lo?

  2. Manasses

    Absolutamente concorda com você. Nisso algo é que eu pareço essa boa ideia. Concordo com você.



Escreve uma mensagem